Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Terapia Intensiva]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0103-507X20140004&lang=pt vol. 26 num. 4 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Políticas de visitação na unidade de terapia intensiva no Brasil: primeiros passos na América Latina]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400328&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Novos conceitos trazendo de volta a bioquímica urinária à prática clínica na unidade de terapia intensiva]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400330&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Acorde seus pacientes!]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400333&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Visões atuais a respeito da sepse grave em pacientes com câncer]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400335&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Políticas de visitação em unidades de terapia intensiva no Brasil: um levantamento multicêntrico]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400339&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo: Este estudo teve como objetivo determinar a política de visitação predominante nas unidades de terapia intensiva e quais comodidades proporcionadas aos visitantes. Métodos: Foram enviados 800 convites a endereços de e-mail de médicos e enfermeiros intensivistas listados nos grupos de pesquisa da Rede da Associação de Medicina Intensiva Brasileira e da Rede Brasileira de Pesquisa em Terapia Intensiva. A mensagem por e-mail continha um link para um questionário de 33 itens a respeito do perfil de suas respectivas unidades de terapia intensiva. Resultados: Foram incluídos no estudo os questionários de 162 unidades de terapia intensiva localizadas em todas as regiões do país, mas foram predominantes as das Regiões Sudeste (58%) e Sul (16%). Apenas 2,6% das unidades de terapia intensiva relataram ter políticas liberais de visitação, enquanto 45,1% das unidades de terapia intensiva possibilitavam dois períodos diários de visitação e 69,1% permitiam de 31 a 60 minutos de visita por período. Em situações especiais, como casos de fim de vida, 98,7% delas permitiam visitas em horários flexíveis. Cerca de metade das unidades de terapia intensiva (50,8%) não oferecia qualquer comodidade aos visitantes. Apenas 46,9% das unidades de terapia intensiva tinham uma sala de reunião com familiares, e 37% não dispunham de uma sala de espera. Conclusão: Nas unidades de terapia intensiva do Brasil, houve predominância de políticas restritivas de visitação, sendo que a maioria delas só permite dois períodos diários de visitação. Também há uma ausência de comodidades para os visitantes. <hr/> Objective: This study aimed to determine which visitation policy was the most predominant in Brazilian intensive care units and what amenities were provided to visitors. Methods: Eight hundred invitations were sent to the e-mail addresses of intensivist physicians and nurses who were listed in the research groups of the Brazilian Association of Intensive Care Network and the Brazilian Research in Intensive Care Network. The e-mail contained a link to a 33-item questionnaire about the profile of their intensive care unit. Results: One hundred sixty-two questionnaires from intensive care units located in all regions of the country, but predominantly in the Southeast and South (58% and 16%), were included in the study. Only 2.6% of the intensive care units reported having liberal visitation policies, while 45.1% of the intensive care units allowed 2 visitation periods and 69.1% allowed 31-60 minutes of visitation per period. In special situations, such as end-of-life cases, 98.7% of them allowed flexible visitation. About half of them (50.8%) did not offer any bedside amenities for visitors. Only 46.9% of the intensive care units had a family meeting room, and 37% did not have a waiting room. Conclusion: Restrictive visitation policies are predominant in Brazilian intensive care units, with most of them allowing just two periods of visitation per day. There is also a lack of amenities for visitors. <![CDATA[NGAL urinária em pacientes sem e com lesão renal aguda em unidade de terapia intensiva]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400347&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo: Avaliar a eficácia diagnóstica e prognóstica da lipocalina associada à gelatinase neutrofílica urinária em pacientes de unidade de terapia intensiva. Métodos: Estudo do tipo coorte, prospectivo, longitudinal desenvolvido em uma unidade de terapia intensiva clínica especializada em cardiologia. Os pacientes foram estratificados segundo os grupos sem e com lesão renal aguda, acompanhados a partir das primeiras 24 horas de internação até a alta hospitalar ou óbito. A creatinina sérica, o fluxo urinário e a lipocalina associada à gelatinase neutrofílica urinária foram coletadas em dois períodos: 24 horas e 48 horas de admissão. Resultados: Foram avaliados 83 pacientes clínicos da unidade de terapia intensiva, com predomínio do gênero masculino (57,8%). Os pacientes foram agrupados em sem lesão renal aguda (N=18), com lesão renal aguda (N=28) ou com lesão renal aguda grave (N=37). Entre os pacientes com lesão renal aguda e lesão renal aguda grave, foram prevalentes os portadores de doenças crônicas, em uso de ventilação mecânica e em terapia de substituição renal, além daqueles com maiores taxas de permanência na unidade de terapia intensiva e hospitalar, e maior mortalidade. O grupo com lesão renal aguda não apresentou alteração significativa da creatinina sérica nas primeiras 24 horas na unidade de terapia intensiva, apesar dos níveis elevados de lipocalina associada à gelatinase neutrofilica urinária demonstrados nos grupos com lesão renal aguda e lesão renal aguda grave (p&lt;0,001). Níveis elevados de lipocalina associada à gelatinase neutrofílica urinária na amostra foram associados ao óbito. Conclusão: A elevação nos níveis de lipocalina associada à gelatinase neutrofílica urinária antecede as variações da creatinina sérica em pacientes com lesão renal aguda e pode ser associada ao óbito. <hr/> Objective: To assess the diagnostic and prognostic efficacy of urine neutrophil gelatinase-associated lipocalin in patients admitted to an intensive care unit. Methods: Longitudinal, prospective cohort study conducted in a cardiology intensive care unit. The participants were divided into groups with and without acute kidney injury and were followed from admission to the intensive care unit until hospital discharge or death. Serum creatinine, urine output and urine neutrophil gelatinase-associated lipocalin were measured 24 and 48 hours after admission. Results: A total of 83 patients admitted to the intensive care unit for clinical reasons were assessed, most being male (57.8%). The participants were divided into groups without acute kidney injury (N=18), with acute kidney injury (N=28) and with severe acute kidney injury (N=37). Chronic diseases, mechanical ventilation and renal replacement therapy were more common in the groups with acute kidney injury and severe acute kidney injury, and those groups exhibited longer intensive care unit stay and hospital stay and higher mortality. Serum creatinine did not change significantly in the group with acute kidney injury within the first 24 hours of admission to the intensive care unit, although, urine neutrophil gelatinase-associated lipocalin was high in the groups with acute kidney injury and severe acute kidney injury (p&lt;0.001). Increased urine neutrophil gelatinase-associated lipocalin was associated with death. Conclusion: An increase in urine neutrophil gelatinase-associated lipocalin precedes variations in serum creatinine in patients with acute kidney injury and may be associated with death. <![CDATA[Adesão às medidas de um <em>bundle</em> para prevenção de pneumonia associada à ventilação mecânica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400355&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo: Avaliar a adesão ao bundle de ventilação mecânica em uma unidade de terapia intensiva, bem como o impacto dessa adesão nas taxas de pneumonia associada à ventilação mecânica. Métodos: Foram avaliados 198 leitos em 60 dias por meio de uma lista de checagem, contendo os itens: elevação da cabeceira de 30 a 45º, posição do filtro umidificador, ausência de líquidos no circuito do ventilador, higiene oral, pressão do balonete e fisioterapia. Posteriormente, foi realizada uma palestra educativa e foram avaliados outros 235 leitos nos 60 dias posteriores à intervenção. Ainda foram coletados dados de incidência de pneumonia associada à ventilação mecânica. Resultados: O estudo demonstrou aumento da adesão dos seguintes itens do bundle de ventilação: elevação da cabeceira de 18,7% para 34,5%, ausência de líquidos no circuito do ventilador de 55,6% para 72,8%, higiene oral de 48,5% para 77,8%, e pressão do balonete de 29,8% para 51,5%. A incidência de pneumonia associada à ventilação mecânica foi estatisticamente semelhante em ambos os períodos (p=0,389). Conclusão: Esta intervenção educacional resultou em aumento da adesão ao bundle de ventilação, porém não foi possível detectar redução na incidência de pneumonia associada à ventilação mecânica na pequena amostra estudada. <hr/> Objective: To assess adherence to a ventilator care bundle in an intensive care unit and to determine the impact of adherence on the rates of ventilatorassociated pneumonia. Methods: A total of 198 beds were assessed for 60 days using a checklist that consisted of the following items: bed head elevation to 30 to 45º; position of the humidifier filter; lack of fluid in the ventilator circuit; oral hygiene; cuff pressure; and physical therapy. Next, an educational lecture was delivered, and 235 beds were assessed for the following 60 days. Data were also collected on the incidence of ventilator-acquired pneumonia. Results: Adherence to the following ventilator care bundle items increased: bed head elevation from 18.7% to 34.5%; lack of fluid in the ventilator circuit from 55.6% to 72.8%; oral hygiene from 48.5% to 77.8%; and cuff pressure from 29.8% to 51.5%. The incidence of ventilator-associated pneumonia was statistically similar before and after intervention (p=0.389). Conclusion: The educational intervention performed in this study increased the adherence to the ventilator care bundle, but the incidence of ventilator-associated pneumonia did not decrease in the small sample that was assessed. <![CDATA[Monitorização hemodinâmica em unidade de terapia intensiva: uma perspectiva do Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400360&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo: No Brasil, não há dados sobre as preferências do intensivista em relação aos métodos de monitorização hemodinâmica. Este estudo procurou identificar os métodos utilizados por intensivistas nacionais, as variáveis hemodinâmicas por eles consideradas importantes, as diferenças regionais, as razões para escolha de um determinado método, o emprego de protocolos e treinamento continuado. Métodos: Intensivistas nacionais foram convidados a responder um questionário em formato eletrônico durante três eventos de medicina intensiva e, posteriormente, por meio do portal da Associação de Medicina Intensiva Brasileira, entre março e outubro de 2009. Foram pesquisados dados demográficos e aspectos relacionados às preferências do entrevistado em relação à monitorização hemodinâmica. Resultados: Responderam ao questionário 211 profissionais. Nos hospitais privados, foi evidenciada maior disponibilidade de recursos de monitorização hemodinâmica do que nas instituições públicas. O cateter de artéria pulmonar foi considerado o mais fidedigno por 56,9%, seguido do ecocardiograma, com 22,3%. O débito cardíaco foi considerado a variável mais importante. Outras variáveis também julgadas relevantes foram débito cardíaco, saturação de oxigênio venoso misto/saturação de oxigênio venoso central, pressão de oclusão da artéria pulmonar e volume diastólico final do ventrículo direito. O ecocardiograma foi apontado como o método mais utilizado (64,5%), seguido pelo cateter de artéria pulmonar (49,3%). Apenas metade dos entrevistados utilizava protocolos de tratamento e 25% trabalhava com programas de educação continuada em monitorização hemodinâmica. Conclusão: A monitorização hemodinâmica é mais disponível nas unidades de terapia intensiva de instituições privadas do Brasil. O ecocardiograma foi apontado como método de monitorização mais utilizado, porém o cateter de artéria pulmonar permanece o mais confiável. A implantação de protocolos de tratamento e de programas de educação continuada em monitorização hemodinâmica no Brasil ainda é insuficiente. <hr/> Objective: In Brazil, there are no data on the preferences of intensivists regarding hemodynamic monitoring methods. The present study aimed to identify the methods used by national intensivists, the hemodynamic variables they consider important, the regional differences, the reasons for choosing a particular method, and the use of protocols and continued training. Methods: National intensivists were invited to answer an electronic questionnaire during three intensive care events and later, through the Associação de Medicina Intensiva Brasileira portal, between March and October 2009. Demographic data and aspects related to the respondent preferences regarding hemodynamic monitoring were researched. Results: In total, 211 professionals answered the questionnaire. Private hospitals showed higher availability of resources for hemodynamic monitoring than did public institutions. The pulmonary artery catheter was considered the most trusted by 56.9% of the respondents, followed by echocardiograms, at 22.3%. Cardiac output was considered the most important variable. Other variables also considered relevant were mixed/central venous oxygen saturation, pulmonary artery occlusion pressure, and right ventricular end-diastolic volume. Echocardiography was the most used method (64.5%), followed by pulmonary artery catheter (49.3%). Only half of respondents used treatment protocols, and 25% worked in continuing education programs in hemodynamic monitoring. Conclusion: Hemodynamic monitoring has a greater availability in intensive care units of private institutions in Brazil. Echocardiography was the most used monitoring method, but the pulmonary artery catheter remains the most reliable. The implementation of treatment protocols and continuing education programs in hemodynamic monitoring in Brazil is still insufficient. <![CDATA[Ineficácia da técnica de alívio de pressão por meio de válvula em insuflar o <em>cuff</em>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400367&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo: Testar a eficácia da técnica de alívio de pressão de cuff por meio de uma válvula em manter níveis de pressão de cuff dentro da normalidade in vitro (Fase 1) e em pacientes internados em unidade de terapia intensiva (Fase 2), bem como testar a reprodutibilidade da técnica utilizando diferentes seringas. Métodos: Na Fase 1, uma cânula orotraqueal foi inserida em um modelo de traqueia. Seringas de 10 e 20mL foram utilizadas para insuflar o cuff da cânula. O cuff foi insuflado lenta e progressivamente até que o êmbolo da seringa se deslocasse em direção contrária da aplicação. Após a pausa do êmbolo, as pressões do balonete foram registradas. Na Fase 2, a mesma manobra de insuflação do cuff foi realizada em 20 pacientes, utilizando-se seringas de 5, 10 e 20mL, e foi comparada com as medidas de um manômetro. O índice de correlação intraclasse e a análise de Bland-Altman foram realizados para verificar a reprodutibilidade e a concordância entre as seringas. Os dados foram expressos como mediana (intervalo interquartil). Resultados: A reprodutibilidade entre as seringas foi nula, com índice de correlação intraclasse variando entre -0,33 e 0,8 (p&gt;0,05). As pressões geradas com as seringas foram superiores à pressão obtida com o manômetro padrão: seringa de 5mL teve 105cmH2O (82,5-120cmH2O); seringa de 10mL teve 69cmH2O (47,5-111,3cmH2O) e seringa de 20mL teve 45cmH2O (35-59,5cmH2O). O teste de Bland-Altman verificou grandes vieses e variabilidade entre as seringas utilizadas, quando estas foram comparadas ao manômetro. Conclusão: O uso de seringas não é eficaz em determinar valores de pressão de cuff seguros em pacientes internados em unidade de terapia intensiva. <hr/> Objective: To test the effectiveness of using a cuff pressure relief valve technique to maintain cuff pressure levels within the normal in vitro range (Phase 1) in patients admitted to the intensive care unit (Phase 2) and to test the reproducibility of the technique using different syringes. Methods: In Phase 1, a tracheal tube was inserted into a trachea model. Ten- and 20mL syringes were used to inflate the cuff through the tracheal tube. The cuff was slowly and steadily inflated until the syringe plunger would move in the opposite direction of the application. After the plunger stopped, the cuff pressures were recorded. In Phase 2, the same maneuvers for inflating the cuff were performed on 20 patients using 5, 10, and 20mL syringes and were compared with manometer measurements. The intraclass correlation coefficient and Bland-Altman analysis were employed to determine the reproducibility and agreement between syringes. Data were expressed as medians (interquartile range). Results: There was no reproducibility between syringes with an intraclass correlation coefficient ranging between -0.33 and 0.8 (p&gt;0.05). The pressures generated with the syringes were higher than the pressures generated using a standard manometer: the 5mL syringe pressure was 105cmH2O (82.5-120cmH2O), the 10mL syringe pressure was 69cmH2O (47.5-111.3cmH2O), and the 20mL syringe pressure was 45cmH2O (35-59.5cmH2O). The Bland-Altman analysis confirmed the large bias and variability between the syringes used, compared with the manometer. Conclusion: The use of syringes is not an effective technique for determining the cuff pressure in patients admitted to the intensive care unit. <![CDATA[Tradução e adaptação cultural da versão portuguesa (Brasil) da escala de dor <em>Behavioural Pain Scale</em>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400373&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo: Realizar tradução e adaptação cultural para português do Brasil da escala de dor Behavioural Pain Scale, e avaliar suas propriedades psicométricas. Métodos: Estudo ocorreu em duas fases: versão portuguesa da escala Behavioural Pain Scale para o Brasil e estudo das suas propriedades psicométricas (confiabilidade e utilidade clínica). A amostra foi constituída por 100 pacientes maiores de 18 anos no decorrer do segundo semestre de 2012. Como critério de inclusão, deveriam estar internados em unidades de terapia intensiva, intubados, sob ventilação mecânica, fazendo uso ou não de sedação e analgesia. Foram excluídos pacientes pediátricos e que não estavam intubados. O estudo foi realizado em um hospital privado de grande porte, situado na cidade de São Paulo (SP). Resultados: Os resultados mostraram que, em relação à reprodutibilidade, a concordância observada entre os dois avaliadores foi 92,08% para “Adaptação à ventilação mecânica”, 88,1% para “Membros superiores” e 90,1% para “Expressão facial”. O coeficiente de concordância Kappa para “Adaptação à ventilação mecânica” assumiu valor 0,740. Observamos boa concordância entre os avaliadores, com um coeficiente de correlação intraclasse de 0,807 (intervalo de confiança de 95%: 0,727-0,866). Conclusão: A escala Behavioural Pain Scale mostrou ser de fácil aplicação e reprodutibilidade, assim como teve adequada consistência interna, sendo satisfatória a adaptação da escala Behavioural Pain Scale para o Brasil para avaliação da dor em pacientes graves. <hr/> Objective: The objective of this study was to translate and culturally adapt the Behavioral Pain Scale to Brazilian Portuguese and to evaluate the psychometric properties of this scale. Methods: This study was conducted in two phases: the Behavioral Pain Scale was translated and culturally adapted to Brazilian Portuguese and the psychometric properties of this scale were subsequently assessed (reliability and clinical utility). The study sample consisted of 100 patients who were older than 18 years of age, admitted to an intensive care unit, intubated, mechanically ventilated, and subjected or not to sedation and analgesia from July 2012 to December 2012. Pediatric and non-intubated patients were excluded. The study was conducted at a large private hospital that was situated in the city of São Paulo (SP). Results: Regarding reproducibility, the results revealed that the observed agreement between the two evaluators was 92.08% for the pain descriptor “adaptation to mechanical ventilation”, 88.1% for “upper limbs”, and 90.1% for “facial expression”. The kappa coefficient of agreement for “adaptation to mechanical ventilation” assumed a value of 0.740. Good agreement was observed between the evaluators with an intraclass correlation coefficient of 0.807 (95% confidence interval: 0.727-0.866). Conclusion: The Behavioral Pain Scale was easy to administer and reproduce. Additionally, this scale had adequate internal consistency. The Behavioral Pain Scale was satisfactorily adapted to Brazilian Portuguese for the assessment of pain in critically ill patients. <![CDATA[Avaliação clínica da cavidade bucal de pacientes internados em unidade de terapia intensiva de um hospital de emergência]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400379&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo: Descrever a condição bucal de pacientes hospitalizados em uma unidade de terapia intensiva. Métodos: A avaliação clínica da cavidade bucal foi realizada em 35 pacientes em dois momentos (até 48 horas após a internação e em 72 horas após a primeira avaliação), e anotada em fichas de coleta de dados. Foram observados: índice de placa, condição da mucosa, presença ou não de prótese dentária, número de dentes presentes e índice de saburra lingual. Resultados: A prevalência de infecção hospitalar foi de 22% (oito pacientes), sendo 50% de infecções do aparelho respiratório. Foi constatado que todos os pacientes apresentavam biofilme bucal, sendo que 20 (57%) apresentavam biofilme por meio da simples visão e, em 24 pacientes (69%), a saburra estava presente em mais de dois terços da língua, sendo espessa na maioria dos casos. Após 72 horas houve aumento significativo do índice de placa (p=0,007), no entanto, o índice de saburra quanto à área foi de p&lt;0,001 e quanto à espessura de p=0,5. Conclusão: O índice de placa e a saburra lingual aumentaram de acordo com o tempo de internação na unidade de terapia intensiva. <hr/> Objective: To describe the oral health status of patients hospitalized in an intensive care unit. Methods: Clinical assessment of the oral cavity was performed in 35 patients at two time-points (up to 48 hours after admission and 72 hours after the first assessment) and recorded in data collection forms. The following data were collected: plaque index, condition of the mucosa, presence or absence of dental prosthesis, number of teeth present, and tongue coating index. Results: The prevalence of nosocomial infection was 22% (eight patients), with 50% respiratory tract infections. All patients exhibited oral biofilm, and 20 (57%) showed biofilm visible to the naked eye; tongue coating was present on more than two thirds of the tongue in 24 patients (69%) and was thick in most cases. A significant increase in plaque index (p=0.007) occurred after 72 hours, although the tongue coating index was p&lt;0.001 regarding the area and p=0.5 regarding the thickness. Conclusion: The plaque and tongue coating indices increased with the length of hospital stay at the intensive care unit. <![CDATA[Lesão renal aguda séptica <em>versus</em> não séptica em pacientes graves: características e desfechos clínicos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400384&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo: Descrever e comparar as características e os desfechos clínicos de pacientes com lesão renal aguda séptica e não séptica. Métodos: Coorte aberta com 117 pacientes graves com lesão renal aguda consecutivamente admitidos em unidade de terapia intensiva, sendo excluídos aqueles que apresentavam doença renal crônica em estágio avançado, transplante renal, internação ou morte em um período inferior a 24 horas. Presença de sepse e óbito intra-hospitalar representaram, respectivamente, a exposição e o desfecho principal. Análise de confundimento foi realizada com a regressão logística. Resultados: Não houve diferenças na média de idade entre os grupos com lesão renal aguda séptica e não séptica [65,30±(21,27) anos versus 66,35±12,82 anos; p=0,75]. Nos dois grupos, similarmente, observou-se predomínio do sexo feminino (57,4% versus 52,4%; p=0,49) e de afrodescendentes (81,5% versus 76,2%; p=0,49). Os pacientes com sepse apresentaram maiores médias de escore Acute Physiology and Chronic Health Evaluation II [21,73±7,26 versus 15,75± (5,98; p&lt;0,001)] e maiores médias de balanço hídrico (p=0,001). Hipertensão arterial (p=0,01) e insuficiência cardíaca (p&lt;0,001) foram mais frequentes entre os não sépticos. A lesão renal aguda séptica foi associada à maior necessidade de diálise (p=0,001) e óbito (p&lt;0,001); no entanto, a recuperação da função renal também foi mais frequente nesse grupo (p=0,01). Na análise multivariada, sepse (OR: 3,88; IC95%: 1,51-10,00) e escores Acute Physiology and Chronic Health Evaluation II &gt;18,5 (OR: 9,77; IC95%: 3,73-25,58) foram associados ao óbito. Conclusão: Sepse foi um preditor independente para óbito. Existem diferenças entre as características e desfechos clínicos dos pacientes com lesão renal aguda séptica versus não séptica. <hr/> Objective: This study aimed to describe and compare the characteristics and clinical outcomes of patients with septic and non-septic acute kidney injury. Methods: This study evaluated an open cohort of 117 critically ill patients with acute kidney injury who were consecutively admitted to an intensive care unit, excluding patients with a history of advanced-stage chronic kidney disease, kidney transplantation, hospitalization or death in a period shorter than 24 hours. The presence of sepsis and in-hospital death were the exposure and primary variables in this study, respectively. A confounding analysis was performed using logistic regression. Results: No significant differences were found between the mean ages of the groups with septic and non-septic acute kidney injury [65.30±21.27 years versus 66.35±12.82 years, respectively; p=0.75]. In the septic and non-septic acute kidney injury groups, a predominance of females (57.4% versus 52.4%, respectively; p=0.49) and Afro-descendants (81.5% versus 76.2%, respectively; p=0.49) was observed. Compared with the non-septic patients, the patients with sepsis had a higher mean Acute Physiology and Chronic Health Evaluation II score [21.73±7.26 versus 15.75±5.98; p&lt;0.001)] and a higher mean water balance (p=0.001). Arterial hypertension (p=0.01) and heart failure (p&lt;0.001) were more common in the non-septic patients. Septic acute kidney injury was associated with a greater number of patients who required dialysis (p=0.001) and a greater number of deaths (p&lt;0.001); however, renal function recovery was more common in this group (p=0.01). Sepsis (OR: 3.88; 95%CI: 1.51-10.00) and an Acute Physiology and Chronic Health Evaluation II score &gt;18.5 (OR: 9.77; 95%CI: 3.73-25.58) were associated with death in the multivariate analysis. Conclusion: Sepsis was an independent predictor of death. Significant differences were found between the characteristics and clinical outcomes of patients with septic versus non-septic acute kidney injury. <![CDATA[sRAGE no choque séptico: um potencial biomarcador de mortalidade]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400392&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo: Avaliar e compreender as implicações clínicas dos níveis plasmáticos de uma isoforma solúvel de um receptor de produtos finais de glicação avançada (do inglês receptor for advanced glycation end products - sRAGE) em diferentes fases da sepse. Métodos: Os valores do sRAGE sérico em pacientes divididos nos grupos controle na unidade de terapia intensiva, sepse grave, choque séptico e recuperação de choque séptico foram analisados do ponto de vista estatístico para avaliar a quantidade (Kruskal-Wallis), variabilidade (teste de Levine) e correlação (teste Spearman rank) em relação a certos mediadores inflamatórios (IL-1 α, IL-6, IL-8, IL-10, IP-10, G-CSF, MCP-1, IFN-γ e TNF-α). Resultados: Não se observaram modificações nos níveis de sRAGE entre os grupos; contudo o grupo com choque séptico demonstrou diferenças na variabilidade do sRAGE em comparação aos demais grupos. Foi relatada, no grupo com choque séptico, uma correlação positiva com todos os mediadores inflamatórios. Conclusão: Os níveis de sRAGE se associaram com desfechos piores nos pacientes com choque séptico. Entretanto, uma análise de correlação estatística com outras citocinas pró-inflamatórias indicou que as vias que levam a esses desfechos são diferentes, dependendo dos níveis de sRAGE. A realização de estudos futuros para elucidar os mecanismos fisiopatológicos que envolvem sRAGE nos modelos de sepse será de grande importância clínica para possibilitar o uso seguro desse biomarcador. <hr/> Objective: To evaluate and understand the clinical implications of the plasma levels of a soluble isoform of a receptor for advanced glycation end products (sRAGE) in different stages of sepsis. Methods: Serum sRAGE values in patients who were divided into intensive care unit control, severe sepsis, septic shock and recovery from septic shock groups were statistically analyzed to assess quantity (Kruskal-Wallis), variability (Levine test) and correlation (Spearman rank test) with certain inflammatory mediators (IL-1 α, IL-6, IL-8, IL-10, IP-10, G-CSF, MCP-1, IFN-γ and TNF-α). Results: No changes in sRAGE levels were observed among the groups; however, the septic shock group showed differences in the variability of sRAGE compared to the other groups. A positive correlation with all the inflammatory mediators was reported in the septic shock group. Conclusion: sRAGE levels are associated with worse outcomes in patients with septic shock. However, a statistical correlation analysis with other proinflammatory cytokines indicated that the pathways leading to those outcomes are different depending on the sRAGE levels. Future studies to elucidate the pathophysiological mechanisms involving sRAGE in models of sepsis are of great clinical importance for the safe handling of this biomarker. <![CDATA[Otimização hemodinâmica em trauma grave: uma revisão sistemática e metanálise]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400397&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetivo: O trauma grave pode associar-se a ocorrência de importante choque hemorrágico e ao comprometimento da perfusão dos órgãos. Formulamos a hipótese de que o tratamento direcionado por objetivo conferiria benefícios em termos de morbidade e mortalidade, em casos graves de trauma. Métodos: Realizamos uma busca sistemática nas bases de dados MedLine, Embase e Cochrane Controlled Clinical Trials Register com relação a pacientes vítimas de trauma grave. A mortalidade foi o desfecho primário dessa revisão. Os desfechos secundários incluíram taxas de complicações, duração da permanência no hospital e na unidade de terapia intensiva, e o volume de fluidos administrados. A metanálise foi realizada utilizando o programa de computador RevMan, e os dados apresentados são as odds ratios (OR) para desfechos dicotomizados e as diferenças médias e diferenças médias padrão para desfechos contínuos. Resultados: Foram analisados quatro estudos clínicos randomizados e controlados, que incluíram 419 pacientes. O risco de mortalidade foi significantemente reduzido nos pacientes com tratamento direcionado por objetivo, em comparação ao grupo controle (OR=0,56; IC95%: 0,34-0,92). A duração da permanência na unidade de terapia intensiva (DM: 3,7 dias; IC95%: 1,06-6,5) e no hospital (DM: 3,5 dias; IC95%: 2,75-4,25) foi significantemente mais curta no grupo de pacientes do grupo tratado conforme o protocolo. Não houve diferenças nos relatos relativos a volume total de fluidos infundidos e a transfusões sanguíneas. A heterogeneidade nos relatos entre os estudos impediu uma análise quantitativa das complicações. Conclusão: Após a ocorrência de trauma grave, o uso precoce de tratamento direcionado por objetivo se associou com mortalidade mais baixa e com menos dias de permanência na unidade de terapia intensiva e no hospital. Os achados desta análise devem ser interpretados com cautela, em razão da importante heterogeneidade e do número pequeno de estudos clínicos randomizados e controlados, que foram incluídos na análise. <hr/> Objective: Severe trauma can be associated with significant hemorrhagic shock and impaired organ perfusion. We hypothesized that goal-directed therapy would confer morbidity and mortality benefits in major trauma. Methods: The MedLine, Embase and Cochrane Controlled Clinical Trials Register databases were systematically searched for randomized, controlled trials of goal-directed therapy in severe trauma patients. Mortality was the primary outcome of this review. Secondary outcomes included complication rates, length of hospital and intensive care unit stay, and the volume of fluid and blood administered. Meta-analysis was performed using RevMan software, and the data presented are as odds ratios for dichotomous outcomes and as mean differences (MDs) and standard MDs for continuous outcomes. Results: Four randomized, controlled trials including 419 patients were analyzed. Mortality risk was significantly reduced in goal-directed therapy-treated patients, compared to the control group (OR=0.56, 95%CI: 0.34-0.92). Intensive care (MD: 3.7 days 95%CI: 1.06-6.5) and hospital length of stay (MD: 3.5 days, 95%CI: 2.75-4.25) were significantly shorter in the protocol group patients. There were no differences in reported total fluid volume or blood transfusions administered. Heterogeneity in reporting among the studies prevented quantitative analysis of complications. Conclusion: Following severe trauma, early goal-directed therapy was associated with lower mortality and shorter durations of intensive care unit and hospital stays. The findings of this analysis should be interpreted with caution due to the presence of significant heterogeneity and the small number of the randomized, controlled trials included. <![CDATA[Doença de Haff complicada por falência de múltiplos órgãos após ingestão de lagostim: estudo de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400407&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A doença de Haff é uma síndrome que consiste de rabdomiólise não explicada. Pacientes que apresentam a doença de Haff relatam ter ingerido pescado nas últimas 24 horas antes do início da doença. A maioria dos pacientes sobrevive apresentando breve recuperação. O presente artigo é o primeiro relato de doença de Haff complicada por falência de múltiplos órgãos após ingestão de lagostim. Um homem chinês de 66 anos de idade ingeriu lagostim cozido na noite de 23 de junho de 2013. Chegou ao hospital 2 dias mais tarde, sendo admitido à unidade de terapia intensiva. Após a admissão, o paciente recebeu o diagnóstico de doença de Haff complicada por falência de múltiplos órgãos. Apesar dos tratamentos de suporte e sintomático, a condição do paciente deteriorou, vindo o mesmo a falecer em consequência da doença. A doença de Haff é uma rara síndrome clínica que é, às vezes, mal diagnosticada. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado são essenciais para prevenir a progressão para falência de múltiplos órgãos.<hr/>Haff disease is a syndrome consisting of unexplained rhabdomyolysis. Patients suffering from Haff disease report having eaten fish within 24 hours before the onset of illness. Most patients survive and recover quickly. The present study is the first report of Haff disease complicated by multiple organ failure after crayfish consumption. A 66-year-old Chinese man ate cooked crayfish on the night of June 23, 2013. He arrived at our hospital 2 days later and was admitted to the intensive care unit. After admission, the patient was diagnosed with Haff disease complicated by multiple organ failure. Despite supportive and symptomatic treatments, the condition of the patient deteriorated, and he died due to his illness. Haff disease is a rare clinical syndrome that is sometimes misdiagnosed. Early diagnosis and proper treatment are essential to prevent progression to multiple organ failure. <![CDATA[Síndrome da angústia respiratória aguda associada à varicela em paciente adulto: exemplo de suporte respiratório extracorpóreo em doenças endêmicas brasileiras]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400410&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Descreveu-se aqui o caso de um homem de 30 anos de idade com quadro de varicela grave, hipoxemia refratária, vasculite do sistema nervoso central e insuficiência renal anúrica. Foi necessário transporte por ambulância com suporte respiratório extracorpóreo veno-venoso, sendo este utilizado até a recuperação do paciente. Discute-se o potencial uso de oxigenação por membrana extracorpórea em países em desenvolvimento para o controle de doenças comuns nestas áreas.<hr/>A case of a 30 year-old man presenting with severe systemic chickenpox with refractory hypoxemia, central nervous system vasculitis and anuric renal failure is described. Ambulance transportation and support using veno-venous extracorporeal membrane oxygenation were necessary until the patient recovered. Ultimately, the potential use of extracorporeal membrane oxygenation support in low-middle income countries to manage common diseases is discussed. <![CDATA[Será choque séptico? Um caso raro de choque distributivo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400416&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Os autores apresentam um caso raro de choque em doente sem antecedentes pessoais significativos, admitido na unidade de terapia intensiva por suspeita de choque séptico. Inicialmente, foi tratado com fluidoterapia sem melhoria, tendo sido aventada a hipótese de síndrome de hiperpermeabilidade capilar, após confirmação de hipoalbulinemia paradoxal grave, hipotensão e hemoconcentração exuberante - tríade característica da doença. Os autores discutiram o diagnóstico diferencial e ainda realizaram uma revisão do diagnóstico e do tratamento da doença.<hr/>The authors report a rare case of shock in a patient without significant clinical history, admitted to the intensive care unit for suspected septic shock. The patient was initially treated with fluid therapy without improvement. A hypothesis of systemic capillary leak syndrome was postulated following the confirmation of severe hypoalbuminemia, hypotension, and hemoconcentration - a combination of three symptoms typical of the disease. The authors discussed the differential diagnosis and also conducted a review of the diagnosis and treatment of the disease. <![CDATA[Atendimento às vítimas de lesão inalatória por incêndio em ambiente fechado: o que aprendemos com a tragédia de Santa Maria]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400421&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Em janeiro de 2013, uma catástrofe ocorrida em Santa Maria (RS), decorrente de um incêndio em ambiente fechado, resultou em 242 mortes, a maioria por lesões inalatórias. Em novembro de 2013, quatro vítimas necessitaram de suporte intensivo após inalação de fumaça em incêndio no Memorial da América Latina, em São Paulo (SP). Este artigo relata a evolução clínica e o manejo dos pacientes com lesão inalatória vítimas de uma catástrofe. Os pacientes ERL e OC apresentaram insuficiência respiratória precoce com broncoaspiração de material carbonáceo e intoxicação por monóxido de carbono. Foi instituído suporte ventilatório com oxigênio a 100%, retirada do material aspirado por broncoscopia, e terapia empírica com nitrito de sódio e tiossulfato de sódio para intoxicação por cianeto. O paciente RP apresentou tosse e queimação retroesternal. Evoluiu com insuficiência respiratória por edema de via aérea alta e infecção pulmonar precoce, manejados com ventilação pulmonar protetora e antimicrobianos. Foi extubado após melhora do edema no seguimento broncoscópico. O paciente MA, asmático, apresentou intoxicação por monóxido de carbono e broncoespasmo, sendo tratado com hiperóxia normobárica, broncodilatadores e corticoterapia. A estadia na unidade de terapia intensiva variou de 4 e 10 dias, e todos os pacientes apresentaram boa recuperação funcional no seguimento. Em conclusão, nos incêndios em ambientes fechados, as lesões inalatórias têm papel preponderante. O suporte ventilatório invasivo não deve ser postergado em caso de edema significativo de via aérea. A hiperóxia deve ser instituída precocemente como terapêutica para intoxicação por monóxido de carbono, bem como terapia farmacológica empírica para intoxicação por cianeto em caso de suspeita.<hr/>On January 2013, a disaster at Santa Maria (RS) due to a fire in a confined space caused 242 deaths, most of them by inhalation injury. On November 2013, four individuals required intensive care following smoke inhalation from a fire at the Memorial da América Latina in São Paulo (SP). The present article reports the clinical progression and management of disaster victims presenting with inhalation injury. Patients ERL and OC exhibited early respiratory failure, bronchial aspiration of carbonaceous material, and carbon monoxide poisoning. Ventilation support was performed with 100% oxygen, the aspirated material was removed by bronchoscopy, and cyanide poisoning was empirically treated with sodium nitrite and sodium thiosulfate. Patient RP initially exhibited cough and retrosternal burning and subsequently progressed to respiratory failure due to upper airway swelling and early-onset pulmonary infection, which were treated with protective ventilation and antimicrobial agents. This patient was extubated following improvement of edema on bronchoscopy. Patient MA, an asthmatic, exhibited carbon monoxide poisoning and bronchospasm and was treated with normobaric hyperoxia, bronchodilators, and corticosteroids. The length of stay in the intensive care unit varied from four to 10 days, and all four patients exhibited satisfactory functional recovery. To conclude, inhalation injury has a preponderant role in fires in confined spaces. Invasive ventilation should not be delayed in cases with significant airway swelling. Hyperoxia should be induced early as a therapeutic means against carbon monoxide poisoning, in addition to empiric pharmacological treatment in suspected cases of cyanide poisoning. <![CDATA[Trombose de seios venosos em criança com síndrome nefrótica: relato de caso e revisão da literatura]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400430&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A síndrome nefrótica associa-se a um estado de hipercoagulabilidade, apresentando risco aumentado de complicações tromboembólicas. A trombose dos seios venosos cerebrais é uma complicação rara da síndrome nefrótica, com poucos casos descritos na literatura, mas com diagnósticos cada vez mais frequentes. A verdadeira incidência pode estar subestimada, uma vez que muitos eventos são assintomáticos ou não são diagnosticados a tempo. Descrevemos aqui o caso de uma criança do sexo masculino, de 2 anos e 10 meses, com síndrome nefrótica, que apresentou, na evolução, cefaleia, crises epilépticas e rebaixamento sensorial, com o diagnóstico de trombose do seio sagital superior e transverso. Foi realizada revisão da literatura internacional por meio de estratégia de busca definida, nas bases de dados PubMed, SciELO e Lilacs, utilizando os termos “nephrotic syndrome” e “cerebral sinovenous thrombosis”. O diagnóstico de trombose venosa deve ser considerado em qualquer paciente com síndrome nefrótica que manifeste sinais e sintomas neurológicos, destacando que a suspeita clínica precoce tem relação com um desfecho favorável.<hr/>Nephrotic syndrome is associated with a hypercoagulable state and an increased risk of thromboembolic complications. Cerebral venous sinus thrombosis is a rare complication of nephrotic syndrome, with few cases described in the literature, although the disease may be under-diagnosis. The true incidence of cerebral venous sinus thrombosis may be underestimated because many events are asymptomatic or are not diagnosed in time. Here, we describe the case of a male child, 2 years and 10 months old, with nephrotic syndrome presenting with headache, epileptic seizures and sensory inhibition who was diagnosed with superior sagittal and transverse sinuses thrombosis. An international literature review was performed with a defined search strategy in the PubMed, SciELO and Lilacs databases using the terms ‘nephrotic syndrome’ and ‘cerebral sinovenous thrombosis’. The diagnosis of venous thrombosis should be considered in any patient with nephrotic syndrome who presents with neurological signs and symptoms, as early clinical diagnosis promotes favorable outcomes. <![CDATA[Para: Hemofiltração de alto volume e ventilação em posição prona em hemorragia subaracnóidea complicada por grave síndrome do desconforto respiratório agudo e choque séptico refratário]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400435&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A síndrome nefrótica associa-se a um estado de hipercoagulabilidade, apresentando risco aumentado de complicações tromboembólicas. A trombose dos seios venosos cerebrais é uma complicação rara da síndrome nefrótica, com poucos casos descritos na literatura, mas com diagnósticos cada vez mais frequentes. A verdadeira incidência pode estar subestimada, uma vez que muitos eventos são assintomáticos ou não são diagnosticados a tempo. Descrevemos aqui o caso de uma criança do sexo masculino, de 2 anos e 10 meses, com síndrome nefrótica, que apresentou, na evolução, cefaleia, crises epilépticas e rebaixamento sensorial, com o diagnóstico de trombose do seio sagital superior e transverso. Foi realizada revisão da literatura internacional por meio de estratégia de busca definida, nas bases de dados PubMed, SciELO e Lilacs, utilizando os termos “nephrotic syndrome” e “cerebral sinovenous thrombosis”. O diagnóstico de trombose venosa deve ser considerado em qualquer paciente com síndrome nefrótica que manifeste sinais e sintomas neurológicos, destacando que a suspeita clínica precoce tem relação com um desfecho favorável.<hr/>Nephrotic syndrome is associated with a hypercoagulable state and an increased risk of thromboembolic complications. Cerebral venous sinus thrombosis is a rare complication of nephrotic syndrome, with few cases described in the literature, although the disease may be under-diagnosis. The true incidence of cerebral venous sinus thrombosis may be underestimated because many events are asymptomatic or are not diagnosed in time. Here, we describe the case of a male child, 2 years and 10 months old, with nephrotic syndrome presenting with headache, epileptic seizures and sensory inhibition who was diagnosed with superior sagittal and transverse sinuses thrombosis. An international literature review was performed with a defined search strategy in the PubMed, SciELO and Lilacs databases using the terms ‘nephrotic syndrome’ and ‘cerebral sinovenous thrombosis’. The diagnosis of venous thrombosis should be considered in any patient with nephrotic syndrome who presents with neurological signs and symptoms, as early clinical diagnosis promotes favorable outcomes. <![CDATA[Para: Uso de clorexidina 2% gel e escovação mecânica na higiene bucal de pacientes sob ventilação mecânica: efeitos na pneumonia associada a ventilador]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-507X2014000400438&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A síndrome nefrótica associa-se a um estado de hipercoagulabilidade, apresentando risco aumentado de complicações tromboembólicas. A trombose dos seios venosos cerebrais é uma complicação rara da síndrome nefrótica, com poucos casos descritos na literatura, mas com diagnósticos cada vez mais frequentes. A verdadeira incidência pode estar subestimada, uma vez que muitos eventos são assintomáticos ou não são diagnosticados a tempo. Descrevemos aqui o caso de uma criança do sexo masculino, de 2 anos e 10 meses, com síndrome nefrótica, que apresentou, na evolução, cefaleia, crises epilépticas e rebaixamento sensorial, com o diagnóstico de trombose do seio sagital superior e transverso. Foi realizada revisão da literatura internacional por meio de estratégia de busca definida, nas bases de dados PubMed, SciELO e Lilacs, utilizando os termos “nephrotic syndrome” e “cerebral sinovenous thrombosis”. O diagnóstico de trombose venosa deve ser considerado em qualquer paciente com síndrome nefrótica que manifeste sinais e sintomas neurológicos, destacando que a suspeita clínica precoce tem relação com um desfecho favorável.<hr/>Nephrotic syndrome is associated with a hypercoagulable state and an increased risk of thromboembolic complications. Cerebral venous sinus thrombosis is a rare complication of nephrotic syndrome, with few cases described in the literature, although the disease may be under-diagnosis. The true incidence of cerebral venous sinus thrombosis may be underestimated because many events are asymptomatic or are not diagnosed in time. Here, we describe the case of a male child, 2 years and 10 months old, with nephrotic syndrome presenting with headache, epileptic seizures and sensory inhibition who was diagnosed with superior sagittal and transverse sinuses thrombosis. An international literature review was performed with a defined search strategy in the PubMed, SciELO and Lilacs databases using the terms ‘nephrotic syndrome’ and ‘cerebral sinovenous thrombosis’. The diagnosis of venous thrombosis should be considered in any patient with nephrotic syndrome who presents with neurological signs and symptoms, as early clinical diagnosis promotes favorable outcomes.