Scielo RSS <![CDATA[Fisioterapia em Movimento]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0103-515020170002&lang=pt vol. 30 num. 2 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Editorial]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200205&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Percepção de dispneia e fadiga na DPOC por diferentes escalas durante o esforço físico]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200207&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Therapy choice and its progression for patients with Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD) should be based on their symptoms and clinical condition according to reports of dyspnea and fatigue. Therefore patient-reported scales have presented a key role during the communication with the patient. Objective: To verify if patients with COPD prefer the Modified Borg Scale (MBS), Visual Analogue Scale (VAS), Glasses Scale (GS), Faces Scale (FS) or Ratings of Perceived Exertion (RPE) during the six-minute walk test(6MWT), and to compare and correlate the scales with each other, with peripheral oxygen saturation (SpO2) and heart rate (HR). Methods: 28 patients with COPD (50% had mild to moderate COPD and 50% had severe to very severe) were evaluated by a respiratory and cognitive assessment. Additionally, they performed the 6MWT, in which the scales were applied simultaneously (random order) and patients reported their preference in the end of the test. Results: 57% of patients were illiterate or presented incomplete primary education and most of them (67%) chose the FS or GS. Significant positive correlations were observed between instruments for both dyspnea and fatigue in the end of the 6MWT, which the strongest was between MBS and FS (r = 0.95). Nevertheless, there was no correlation between the scales and SpO2 and HR. Conclusion: As the majority of patients preferred pictured to numerical scales we suggest their use as a resource for therapeutic evaluation; MBS might be replace by FS, even though they have different scores and not scaled proportionally. However, this change must be carefully considered because there is the risk of dubious interpretation.<hr/>Resumo Introdução: A escolha terapêutica e sua progressão ao intervir em pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) devem ser baseadas nos seus sintomas e quadro clínico, considerando relatos de dispneia e fadiga; assim, escalas perceptivas assumem papel fundamental na comunicação com o paciente. Objetivo: Verificar se pacientes com DPOC preferem a Escala de Borg Modificada (EBM), Escala Visual Analógica (EVA), Escala de Copos (EC), Escala de Faces (EF) ou Ratings of perceived exertion (RPE) durante o teste de caminhada de seis minutos (TC6), bem como comparar e correlacionar as escalas entre si e com saturação periférica de oxigênio e frequência cardíaca. Métodos: Foram avaliados 28 pacientes com DPOC (50% deles com DPOC leve a moderada e 50% com DPOC grave a muito grave) por meio de uma avaliação respiratória e cognitiva, além do TC6, onde aplicou-se as escalas simultaneamente em ordem aleatória, posteriormente o paciente indicou sua escala preferida. Resultados: 57% dos pacientes eram analfabetos ou com ensino fundamental incompleto e a maioria (67%) elegeu a EF ou EC. Correlações positivas significantes foram observadas interinstrumentos tanto para dispneia quanto para fadiga nos membros inferiores ao final do TC6, sendo mais forte entre EBM e EF (r = 0,95). Entretanto, não foi observada correlação significante entre as escalas e a SpO2 e FC. Conclusão: Como a maioria dos pacientes preferiu escalas caricaturizadas às numéricas, sugerimos inseri-las como recurso de avaliação terapêutica; é possível substituir a EBM pela EF, ainda que tenham escores diferenciados e não escalonados proporcionalmente, atentando-se ao risco de interpretação dúbia. <![CDATA[Flexibilidade da cadeia posterior e dor lombar em trabalhadores rurais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200219&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Flexibility is an essential component of physical aptitude that reduces the incidence of muscle distention and improves movement efficiency and posture. Objective: To analyze posterior chain flexibility and lower back pain (LBP) in farm workers from a city in western Santa Catarina state, Brazil. Methods: Quantitative and cross-sectional study conducted with 185 rural workers, average age of 44.24 (±10.83) years. The Rural Worker Health Questionnaire, containing individual issues related to work; sit and reach box, goniometer, visual analog scale (VAS) and Oswestry and Roland-Morris questionnaires were used to evaluate posterior chain flexibility, hamstring muscle length, pain and lumbar spine dysfunction, respectively. Flexibility was compared with the degree of dysfunction using one-way ANOVA followed by the Bonferroni post hoc test. Results: 181 (97.8%) workers reported LBP symptoms: 100% of the women and 95.2% of the men. The average Oswestry score was 7.09 (±8.25), Roland-Morris 1.22 (±1.63), and VAS 5.81 (±2.5). Average flexibility by the sit and reach test (SRT) was 23.91cm (±18.81); straight leg raise (SLR), 66° (±11.77) and popliteal angle 123.21° (±12.45). There was a significant difference in the popliteal angle (p = 0.003) and SLR (0.001) when compared with the degree of dysfunction. Women showed significant differences in all tests; however, the post hoc test showed a significant difference only in the SRT (p = 0.013), and women with minimal dysfunction had greater flexibility in relation to those with severe dysfunction. Conclusion: Self-reported LBP was severe and women with higher levels of dysfunction exhibited less posterior chain flexibility.<hr/>Resumo Introdução: A flexibilidade é um componente essencial da aptidão física que reduz a incidência de distensão muscular e melhora a eficiência do movimento e postura. Objetivo: Analisar a flexibilidade da cadeia muscular posterior e dor lombar (DL) em trabalhadores rurais de um município do Extremo Oeste Catarinense. Métodos: Pesquisa quantitativa e de corte transversal com 185 trabalhadores rurais, idade média de 44,24 (±10,83) anos. Utilizou-se questionário contendo questões relacionadas ao trabalho; Banco de Wells, goniômetro, escala visual analógica da dor (EVA), questionário Oswestry e Rolland-Morris para avaliação da flexibilidade da cadeia posterior, comprimento muscular de isquiotibiais, dor e disfunção da coluna lombar, respectivamente. A flexibilidade foi comparada com o grau de disfunção por Anova One-Way seguida do teste post hoc de Bonferroni. Resultados: 181 (97,8%) trabalhadores relataram algum sintoma de DL: 100% das mulheres e 95,2% dos homens. Média do escore Oswestry: 7,09 (±8,25); Roland-Morris, 1,22 (±1,63); EVA, 5,81 (±2,5). Flexibilidade média pelo Banco de Wells (FBW): 23,91cm (±18,81); teste de elevação da perna retificada (TEPR), 66° (±11,77) e ângulo poplíteo 123,21° (±12,45). Houve diferença significativa no ângulo poplíteo (p = 0,003) e TEPR (0,001) quando comparados com o grau de disfunção. As mulheres apresentaram diferença significativa em todos os testes realizados, no entanto, no teste post hoc, houve diferença significativa apenas na FBW (p = 0,013), sendo que mulheres com grau de disfunção mínima apresentaram maior flexibilidade em relação às com disfunção severa. Conclusão: A DL autorreferida foi alta e as mulheres com maior grau de disfunção apresentam menor flexibilidade da cadeia posterior. <![CDATA[Reflexão acerca do perfil de cuidadores da rede pública de assistência domiciliar]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200227&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: The increase of life expectancy and the decrease in mortality rate have resulted in changes in the epidemiological profile with predominance of non-communicable chronic diseases and global changes in the care system. This scenario has generated increased demands for caregivers, which in Brazilian reality, tends to arise in the family environment. Objective: This study aimed to know and reflect on the caregivers’ profiles of public home care in the city of Goiânia, Goiás. Methods: The data were collected through the application of a caregiver characterization tool and presented descriptively. Results: The caregiver’s profile of this study corroborates the ones described in the specific literature. Most of them are females, married, patient’s spouse or daughter, having health problems, dedicating twelve or more hours to caring and informal exercise of this activity. Conclusion: The results show the significance of family caregivers within the family care and lead to the reflection about this role in the care sphere and the need for public policies that offer a support social network and that are tuned with this reality.<hr/>Resumo Introdução: O aumento da expectativa de vida e a diminuição da taxa de mortalidade têm resultado em mudanças no perfil epidemiológico com o predomínio de doenças crônicas não transmissíveis e mudanças no sistema de cuidados mundialmente. Esse cenário tem gerado o aumento da demanda de cuidadores, que na realidade brasileira, tende a surgir no próprio ambiente familiar. Objetivo: O presente estudo buscou conhecer e refletir acerca do perfil de cuidadores da rede pública de assistência domiciliar do município de Goiânia, Goiás. Métodos: Os dados foram coletados por meio da aplicação de um instrumento de caracterização do cuidador e apresentados de forma descritiva. Resultados: O perfil do cuidador deste estudo corrobora com o descrito na literatura, sendo a maioria do sexo feminino, casado, cônjuge ou filho do usuário do serviço, com problemas de saúde, dedicação de mais de 12 horas ao cuidado e exercício informal desta atividade. Conclusão: Os resultados evidenciam a importância do cuidador familiar no âmbito da atenção domiciliar e remetem à reflexão sobre esse papel na esfera do cuidado, bem como a necessidade de políticas públicas que ofereçam uma rede social de apoio e que estejam afinadas com essa realidade. <![CDATA[Atuação do fisioterapeuta no Núcleo de Apoio à Saúde da Família]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200237&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: The creation of Family Health Support Centers (FHSC) configured advances in health care policy, however, it must recognize challenges of structural and logistical conditions for physiotherapist’s role in Primary Care (PC). Objective: The study aimed to describe the physiotherapist’s role in the context of the Family Health Support Centers. Methods: It was held a quantitative survey with a cross-sectional census of Physiotherapists working in FHSC in the city of Salvador, Bahia. The instrument was a questionnaire designed by the researchers, and was based, prior readings related to the theme of work. Results: There was the presence of the physiotherapist in all teams FHSC, with a predominance of type I and FHSC recent effective linkages work. Difficulties were presented that permeates from accountability among workers, managers and users of services, the operational issues such as lack of resources, transport and dismantling of the health care system in which led most of the limitations of working in FHSC. Regarding the physiotherapist’s work demands in FHSC, presented greater representation for situations with neurological patients and related activities gerontology. Conclusions: Despite the challenges, the enlargement perspective of care services Primary Care to the physiotherapist is promising, in the proposed within the proposed comprehensive care to prevention and primary care users care, and that reflects, a step further decentralization of physiotherapy in the levels of health care.<hr/>Resumo Introdução: A criação dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) configurou avanços na política de atenção à saúde, entretanto, é necessário reconhecer desafios das condições estruturais e logística para atuação do fisioterapeuta na Atenção Básica (AB). Objetivo: Descrever o contexto da atuação do Fisioterapeuta no Núcleo de Apoio à Saúde da Família. Métodos: Foi realizada uma pesquisa quantitativa do tipo transversal com um censo dos Fisioterapeutas que trabalham no NASF, na cidade de Salvador, Bahia. O instrumento utilizado foi um questionário construído pelas pesquisadoras, e teve como base, leituras prévias relacionadas ao tema do trabalho. Resultados: Verificou-se a presença do profissional fisioterapeuta em todas as equipes do NASF, com predomínio do NASF tipo I e vínculos efetivos recentes de trabalho. Foram apresentadas dificuldades que perpassam desde a corresposabilização entre os trabalhadores, gestores e usuários dos serviços, às questões operacionais como falta de recursos, transporte e desarticulação da rede de saúde no qual lideraram a maior parte sobre as limitações do trabalho no NASF. Em relação às demandas de trabalho do Fisioterapeuta no NASF, apresentou maior representatividade para as situações com pacientes neurológicos e atividades relativas a gerontologia. Conclusão: Apesar dos desafios, a perspectiva de ampliação dos serviços de Atenção Básica para o fisioterapeuta é promissora, dentro da proposta de atenção integral para a prevenção e cuidado dos usuários da atenção básica, e que reflete, um passo frente a descentralização da fisioterapia nos níveis de atenção à saúde. <![CDATA[Exercício intradialítico e controle postural de doentes renais crônicos em hemodiálise]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200247&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Exercise promotes physiological improvements that reflect better quality of life and survival among chronic kidney disease patients. However, little is known about the effect of exercise on postural control of hemodialysis patients. Objective: To evaluate the effect of intradialytic aerobic exercise on postural balance in patients on hemodialysis. Methods: a pilot study with seven individuals was conducted at the Hemodialysis Center of Bauru State Hospital. The Berg Balance Scale evaluated balance and postural balance was evaluated by the force platform Advance Mechanical Technology Inc. (AMTI - AccuGait). Trunk mean sway amplitude in the anterior-posterior (AP) and medial-lateral (ML) directions and mean velocity in the AP and ML directions were assessed. Secondary outcomes about functional capacity and body composition (DEXA) were evaluated. The aerobic exercise was performed with a ergometric bicycle during the first two hours of hemodialysis session for 50-60 minutes (BORG &gt;12), three times a week for 12-weeks. Results: Four men and three women, 52.86 ± 11.08 years, participated in the study. There was no difference between pre and post-test of postural balance outcomes. Although the results were not statistically significant, except for the lean body mass and leg lean mass, the presented pilot study suggests improved functional balance and lower limb strength. Conclusion: The 12-weeks of aerobic exercise protocol during hemodialysis despite inducing gains in lean body mass and leg lean mass, was not able to promote improvements in postural control of chronic renal failure patients on hemodialysis.<hr/>Resumo Introdução: O exercício promove benefícios fisiológicos que reflete em melhor qualidade de vida e sobrevida do doente renal crônico. Contudo, pouco se sabe sobre o efeito do exercício físico sobre o equilíbrio postural destes pacientes em tratamento de hemodiálise. Objetivo: Avaliar o efeito do exercício intradialítico sobre o equilíbrio postural de pacientes renais crônicos submetidos a hemodiálise. Métodos: Sete indivíduos renais crônicos provenientes do Centro de Hemodiálise do Hospital Estadual de Bauru. O equilíbrio foi avaliado pela escala de equilíbrio de Berg e o equilíbrio postural por meio da plataforma de força (AMTI - AccuGait). Para o equilíbrio postural foram consideradas as variáveis amplitude média e velocidade de deslocamento médio ântero-posterior e médio-lateral do centro de pressão. Informações secundárias sobre capacidade funcional e composição corporal (DEXA) também foram avaliadas. O exercício aeróbio foi realizado por 50-60 minutos nas primeiras duas horas da sessão de hemodiálise, três vezes na semana, durante 12 semanas. Resultado: Quatro homens e três mulheres com 52,86 ± 11,08 anos participaram do estudo. Os momentos pré e pós exercício não apresentaram diferença estatisticamente significativa (p &gt; 0,05) para as variáveis do equilíbrio postural. Contudo, houve ganho massa magra total e de perna. Os resultados sugerem também melhora do equilíbrio através da escala de Berg e força de membros inferiores, contudo sem significância estatística. Conclusão: O protocolo de doze semanas de exercício aeróbio durante a hemodiálise apesar de promover ganhos na massa magra total e de membros inferiores, não foi capaz de promover melhoras no controle postural de doentes renais crônicos em hemodiálise. <![CDATA[Prevalência e fatores associados à dor na coluna vertebral em adultos do noroeste de São Paulo, Brasil: estudo de base populacional]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200255&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Back pain has become a serious public health problem. Objective: To determine the prevalence of back pain in a population-based sample of subjects over 20 years old living in the city of Bauru (São Paulo, Brazil) and to analyze the associations to variables- sociodemographic, ergonomic and lifestyle-related - and to morbidity. Methods: a cross-sectional study which evaluated 600 adults over 20 years old, both gender and living in the city. We used a structured protocol and the Nordic questionnaire. Also, we developed a descriptive analysis, bivariate and multivariate by binary logistic regression. Results: The prevalence of back pain was of 50.3% (CI 46.3 to 54.3), since 42.3% (CI 36.9 to 48.0) in men and 57.6% (CI 51.9 to 63.0) in women, with statistical significant difference (p = 0.001). Different variables remained in final models when assessed by gender. For male to be widowed and divorced and smoking habits and, for women to be widowed and divorced, to work in seated position and to perform occupational activities that demand carrying and lifting weight. Conclusion: We verified high prevalence in back pain in the population of Bauru and high association to widowed/divorced in both gender, with women performing occupational activities usually or always in seated position, those who carry or lift weight in work and men who smoke.<hr/>Resumo Introdução: As dores na coluna vertebral tornaram-se um grave problema de saúde pública. Objetivo: Verificar a prevalência de dor na coluna vertebral em uma amostra de base populacional de indivíduos com idade superior a 20 anos residentes na cidade de Bauru (São Paulo, Brasil) e analisar as associações as variáveis sociodemográficas, ergonômicas, relacionadas ao estilo de vida e a morbidade referida. Métodos: Estudo transversal que avaliou 600 adultos com idade superior a 20 anos, de ambos os sexos, moradores da zona urbana do município. Utilizou-se um protocolo estruturado e o questionário Nórdico. Realizou-se uma análise descritiva, bivariada e multivariada por regressão logística binária. Resultados: A prevalência de dor nas costas foi 50,3% (IC95% 46,3 a 54,3), sendo que, 42,3% (IC95% 36,9 a 48,0) nos homens e 57,6% (IC95% 51,9 a 63,0) nas mulheres com diferença estatisticamente significativa (p = 0,001). Diferentes variáveis permaneceram nos modelos finais ao se considerarem, em separado, o sexo masculino e o feminino. Ser viúvo e separado e tabagismo para o sexo masculino e, para o feminino, ser viúva e separada, trabalho na postura sentada e exercer atividades ocupacionais que exigem transporte e carregamento de peso. Conclusão: Verificou uma prevalência alta de dor na coluna vertebral na população de Bauru e marcante associação com marcante associação com os viúvos/separados, em ambos os sexos, com as mulheres que exercem suas atividades ocupacionais, geralmente ou sempre, na postura sentada, naqueles que transportam e carregam pesos regulamente no trabalho e nos homens tabagistas. <![CDATA[Evolução da deficiência em vítimas de acidente de trânsito em reabilitação, caracterizada pela Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200267&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: The International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF) enables monitoring of the clinical evolution of a patient. Objective: This study aimed to characterize the evolution of disabilities in patients undergoing physical therapy following traffic accidents, using the ICF. Methods: A longitudinal study of 53 accident victims was conducted between April and October 2010, in a rehabilitation unit in the capital of Mato Grosso State, Brazil. Data from physical therapy evaluation were collected in 2 stages and coded by the ICF. Results: The average time between evaluation and reevaluation was 73.4 days. The evolution of functional impairment demonstrated a reduction in the number of patients with deficits, except for muscle tone functions. On initial evaluation, 90.6% had difficulty with sensory functions and pain, varying from mild to complete, decreasing to 67.9% on reevaluation, with pain still mostly present. Almost all patients (96.2%) had a disability of neuromusculoskeletal and movement related functions on initial assessment, with a decrease to 15.7% of patients on reevaluation. The greatest improvements were observed in the categories of muscle strength (36.7%) and gait pattern (30.6%). On reevaluation, improvement was also observed regarding perceived impairment of body structures, especially for those with severe and complete disability. Conclusion: The study confirmed a reduction in the percentage of patients with some form of disability, and positive development in functional capacity. The use of ICF enabled evaluation of physical disabilities and monitoring of the evolution of patients undergoing physical therapy.<hr/>Resumo Introdução: A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) permite acompanhar a evolução clínica do paciente. Objetivo: Este estudo objetivou caracterizar a evolução das deficiências em vítimas de acidentes de trânsito, em tratamento fisioterápico, utilizando essa ferramenta. Métodos: Estudo longitudinal, com total de 53 vítimas de acidentes atendidas entre abril e outubro de 2010 em uma unidade de reabilitação na capital do Estado de Mato Grosso, Brasil. Os dados da avaliação fisioterápica foram coletados em dois momentos e codificados pela CIF. Resultados: O tempo médio entre a avaliação e a reavaliação foi 73,4 dias. Em relação à evolução das deficiências das funções do corpo observou-se redução no número de pacientes com tais alterações, exceto tônus muscular. Na primeira avaliação 90,6% apresentaram alterações de grau leve a completo quanto às funções sensoriais e dor reduzindo-se para 67,9% na reavaliação, sendo a dor a função mais comprometida. Em relação às funções neuromusculoesqueléticas e relacionadas ao movimento a quase totalidade dos pacientes (96,2%) apresentou alguma deficiência na primeira avaliação, percentual reduzido em 15,7% na reavaliação. As maiores reduções deram-se nas categorias: força muscular (36,7%) e padrão da marcha (30,6%). Na reavaliação observou-se diminuição das deficiências relacionadas à estrutura do corpo, especialmente nos níveis de deficiência grave e completa. Conclusão: Com este estudo pode-se comprovar a redução no percentual de pacientes com algum tipo de deficiência física e a evolução positiva no quadro funcional. O uso da CIF permitiu conhecer as deficiências físicas e acompanhar a evolução dos pacientes submetidos a tratamento fisioterápico. <![CDATA[Avaliação da frequência do broncoespasmo induzido por exercício (BIE) positiva entre nadadores e sedentários]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200277&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Despite the prevalence of prescribed asthma, there is uncertainty about the incidence of exercise-induced bronchospasm (EIB). Objective: Compare the frequency of EIB between swimmers and sedentary individuals, and observe heart rate variability during bronchial activity. Methods: In total, 18 swimmers (group 1) and 18 sedentary individuals (group 2) were included. The participants rested for 30 minutes for evaluation of HRV. Blood pressure (PA), respiratory rate (RR), and pulse oxygen saturation (SpO2) were measured. The volunteers remained seated for the spirometry test (maneuver of forced vital capacity - FVC). This was repeated 5, 10, 15, 20, and 30 minutes after the exercise test. The statistical analysis used the Student t, Mann Whitney, and Shapiro-Wilks tests. The significance level was p &lt;0.05. Results: The spirometry findings showed 3 sedentary individuals and 10 swimmers with obstructive ventilatory disorder (OVD). Only 2 of the sedentary and none of the swimmer group demonstrated positive bronchial provocation. A key criterion for diagnosing OVD, the relationship between forced expiratory volume in one second and FVC (FEV1/FVC), was statistically lower in the swimmer group. The measures of the root mean square of the successive differences between adjacent normal RR intervals, in a time interval (RMSSD), and the standard deviation of all normal RR intervals recorded in a time interval (SDNN) were significantly higher among the athletes. Conclusion: The bronchial provocation test identified a higher prevalence of bronchospasm among sedentary individuals. However, there was a reduction in the FEV1/FVC ratio and higher HRV in the group of swimmers.<hr/>Resumo Introdução: Apesar da prevalência da asma definida, há imprecisão sobre incidência de broncoespasmo induzido por exercício (BIE). Objetivo: Comparar a freqüência de BIE entre nadadores e sedentários, e observar a variabilidade da freqüência cardíaca durante a atividade de broncoprovocação. Métodos: Incluídos 18 nadadores (grupo 1) e 18 sedentários (grupo 2). Permaneceram por 30 minutos de repouso para a avaliação da VFC. Foi aferida a pressão arterial (PA), frequência respiratória (f) e a saturação de pulso de oxigênio (SpO2). Permaneceram sentados, para o teste de espirometria (manobra da capacidade vital forçada - CVF). Essa foi repetida em 5, 10, 15, 20 e 30 minutos após o teste de esforço. A análise estatística usou os testes t de Student, Mann Whitney de Shapiro-Wilk, com nível de significância p&lt;0,05. Resultados: A espirometria evidenciou 3 sedentários e 10 nadadores com distúrbio ventilatório obstrutivo (DVO). Apenas 2 do grupo sedentário apresentaram broncoprovocação positiva e nenhum do grupo de nadadores. Um critério fundamental para diagnosticar DVO, a relação entre o volume expiratório no primeiro segundo e a CVF (VEF1/CVF) foi estatisticamente menor no grupo de nadadores. As médias da raiz quadrada da média do quadrado das diferenças entre intervalos RR normais adjacentes, em um intervalo de tempo (RMSSD) e no desvio padrão de todos os intervalos RR normais gravados em um intervalo de tempo (SDNN), foram estatisticamente maiores entre os atletas. Conclusão: O teste de broncoprovocação identificou maior prevalência de broncoespasmo entre os sedentários. Entretanto, houve redução na relação VEF1/CVF e maior VFC no grupo de nadadores. <![CDATA[Perfil clínico de pacientes com síndrome da fibromialgia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200287&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: The new diagnostic criteria for fibromyalgia (FM) include the presence of chronic, widespread pain associated with other symptoms such as fatigue, sleep disturbance, anxiety and depression. All these symptoms should be considered when thinking and clinical decision making of physiotherapists dealing with FM. However, it is clear that the other symptoms that accompany the pain are often neglected. Objective: To measure the levels of fatigue, sleep disturbances, anxiety and depression in patients with FM and compare them to levels found in healthy controls. Methods: Forty-six women diagnosed with FM and 30 healthy controls participated in the study. The levels of each of the symptoms were assessed by four validated questionnaires in Brazil (Piper Fatigue Scale - Revised, Pittsburgh Sleep Quality Index, Beck Anxiety Inventory and the Beck Depression Inventory). Statistical analysis was performed using GraphPad Prism software and all tests used a significance level of 5% (α = 0.05). Results: FM patients had significantly elevated levels of fatigue (p = 0.0005), sleep disturbances (p = 0.003), anxiety (p = 0.0012) and depression (p = 0.0003) compared to healthy controls. Symptoms fatigue and depression correlated strongly and positively with one another and with other symptoms evaluated. Conclusion: The other symptoms that comprise the clinical picture of FM need be considered not only in order to recover the health of patients, but above all in an attempt to preserve it and promote it.<hr/>Resumo Introdução: Os novos critérios de diagnóstico da fibromialgia (FM) contemplam a presença de dor crônica e generalizada associada a outros sintomas como fadiga, distúrbios do sono, ansiedade e depressão. Todos estes sintomas deveriam ser considerados durante o pensamento e tomada de decisão clínica de fisioterapeutas que lidam com a FM. Contudo, percebe-se que os demais sintomas que acompanham a dor são muitas vezes negligenciados. Objetivo: Mensurar os níveis de fadiga, distúrbios do sono, ansiedade e depressão em pacientes com FM e compará-los aos níveis encontrados em controles saudáveis. Métodos: Quarenta e seis mulheres com diagnóstico de FM e 30 controles saudáveis participaram do estudo. Os níveis de cada um dos sintomas foram avaliados por questionários validados no Brasil (Escala de Fadiga de Piper - Revisada, Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh, Inventário de Ansiedade de Beck e Inventário de Depressão de Beck). A análise estatística foi realizada no software GraphPadPrism e todos os testes utilizaram nível de significância de 5% (α = 0,05). Resultados: As pacientes com FM apresentaram níveis significativamente elevados de fadiga (p = 0,0005), distúrbios do sono (p = 0,003), ansiedade (p = 0,0012) e depressão (p = 0,0003) quando comparadas a controles saudáveis. Os sintomas fadiga e depressão se correlacionaram fortemente e positivamente entre si e com os demais sintomas avaliados. Conclusão: Os demais sintomas que compõe o quadro clínico da FM precisam ser considerados não só no intuito de recuperar a saúde dos pacientes, mas, sobretudo na tentativa de preservá-la e promovê-la. <![CDATA[Escoliose Idiopática: Análise estática da influência do uso de calço nos ângulos posturais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200297&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Scoliosis is characterized as a three-dimensional deformity. In this scenario, the use of shims can promote correction of postural imbalances. Objective: To verify the static changes associated with unilateral manipulation of shims in idiopathic scoliosis. Methods: Two experimental groups composed of participants with scoliosis with double and single curves, and a control group of participants without scoliosis. 10 reflective markers were used, filmed for 15 seconds in the static position in three conditions (no shim; low shim of 1 cm, and high shim of 3 cm) on the right and left foot. The following postural angles were calculated: alpha 1, alpha 2, alpha 3, and alpha 4. Results: There were differences in the shim condition between the control group (CG) and experimental scoliosis with “S” (GES) for alpha 2 and 4 and Scoliosis “C” (GEC) for alpha 2. For shims under the right foot, there were differences between the control group and GES for alpha 4 and the GEC for alpha 1, 2 and 4, and between shims for the GES for alpha 3 and 4. Shims under the left foot were responsible for significant differences between the control group and the GES and GEC groups. Conclusion: These static postural changes indicate that scoliosis curves show adaptability and postural reorganization in response to manipulation with shims, and the greatest influence is seen in the lower segments, both in simple and double curves. According to the results it is concluded that residual scoliotic curvatures have flexibility that allows postural adjustment with shims.<hr/>Resumo Introdução: A escoliose é caracterizada como uma deformidade tridimensional. Neste cenário, o uso de calços pode promover correções de assimetrias posturais. Objetivo: Verificar as alterações estáticas associadas com manipulações unilaterais de calços na escoliose idiopática. Métodos: Dois grupos experimentais compostos de participantes com escoliose de curvas duplas e simples, e um grupo controle de participantes sem escoliose. Foram utilizados 10 marcadores reflexivos, filmados durante 15 segundos na posição estática em três condições (sem calço; com calço baixo de 1 cm; e alto de 3 cm) sob o pé direito e esquerdo. Foram calculados ângulos posturais: alfa 1, alfa 2, alfa 3 e alfa 4. Resultados: Houve diferenças na condição sem calço, entre grupos controle (GC) e experimental com escoliose em “S” (GES) para alfa 2 e 4 e com escoliose em “C” (GEC) para alfa 2. Calços sob o pé direito, houve diferenças entre os grupos controle e GES para alfa 4 e GEC para alfa 1, 2 e 4, e entre calços para GES para alfa 3 e 4. Calços sob o pé esquerdo foram responsáveis por diferenças significantes entre grupos controle e GES e GEC. Conclusão: Estas alterações posturais estáticas indicam que curvas escolióticas apresentam capacidade de adaptação e reorganização postural em resposta à manipulação dos calços, sendo que a maior influência é observada nos segmentos inferiores, tanto em curvas simples como duplas. De acordo com os resultados observados, conclui-se que as curvaturas escolióticas apresentam flexibilidade residual que permite ajustes posturais na presença de calços. <![CDATA[Paralisia cerebral: Influência do TheraTogs <sup>®</sup> na marcha, postura e no desempenho funcional]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200307&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: For children with cerebral palsy, orthoses take an important role in improving posture, gait, functional performance and preventing secondary musculoskeletal disorders. Objective: To evaluate the influence of TheraTogs® on the posture, distribution of plantar pressure during gait and functional performance of a child with spastic diplegia cerebral palsy. Methods: A quantitative evaluation was carried out on a case study in which an 11-year-old child diagnosed with diplegic cerebral palsy underwent postural assessment through the Postural Assessment Software (PAS), plantar pressure distribution assessment during barefoot gait through the Emed-X system, before and after the intervention period of 8 weeks and functional assessment (Pediatric Evaluation of Disability Inventory - PEDI), with and without TheraTogs®. Results: In posture, TheraTogs® had greater influence on hip extension and this change was greater during its use. In the plantar pressure distribution assessment, an increase in posteriorization of plantar pressure occurred in the initial contact, the performance of the push-off phase and initial swing phase improved. In functionality, the child showed improvements in mobility, however, their self-care ability with TheraTogs® was reduced. Conclusion: Although improvements in posture, gait and functionality were verified with the use of TheraTogs®, the excessive heat, difficulties in toileting and self-care were disadvantages in wearing TheraTogs®.<hr/>Resumo Introdução: Para crianças com Paralisia Cerebral as órteses assumem um papel importante na melhora da postura, da marcha, do desempenho funcional e na prevenção de problemas musculoesqueléticos secundários. Objetivo: Avaliar a influência do TheraTogs® na postura, na distribuição de pressão plantar durante a marcha e no desempenho funcional de uma criança com paralisia cerebral do tipo diplegia espástica. Métodos: Trata-se de uma avaliação quantitativa em um estudo de caso, no qual uma criança de 11 anos de idade e diagnóstico de Paralisia Cerebral do tipo diplegia espástica foi submetida à avaliação postural, através do Software de Avaliação Postural (SAPO), avaliação da distribuição de pressão plantar durante a marcha descalça, através do sistema Emed-X, antes e depois do período experimental de 8 semanas, e avaliação da funcionalidade, através do Inventário de Avaliação Pediátrica de Disfunção (PEDI), sem e com TheraTogs®. Resultados: Na postura o TheraTogs® teve maior influência na extensão do quadril e essa alteração foi maior na utilização imediata. Na distribuição de pressão plantar ocorreu aumento da posteriorização da pressão plantar no contato inicial, melhorou o desempenho na fase de impulsão (desprendimento do pé do solo) e na fase do balanço da marcha. Na funcionalidade a Criança obteve ganhos na área de mobilidade, no entanto, sua capacidade de autocuidado com o TheraTogs® foi reduzida. Conclusão: Embora observadas melhoras na postura, na marcha e na funcionalidade com o uso do TheraTogs®, o calor excessivo e dificuldades no acesso ao toalete e no autocuidado foram pontos de desvantagem na utilização do TheraTogs®. <![CDATA[Equilíbrio e controle postural em atletas de basquetebol]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200319&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Basketball is one of the most popular sports involving gestures and movements that require single-leg based support. Dorsiflexion range of motion (DROM), balance and postural control may influence the performance of this sport. Objective: To compare and correlate measures of balance, postural control and ankle DROM between amateur basketball athletes and non-athletes. Methods: Cross-sectional study, composed by 122 subjects allocated into one control group (CG = 61) and one basketball group (BG = 61). These groups were subdivided into two other groups by age: 12-14 years and 15-18 years. The participants were all tested for postural balance with the Star Excursion Balance Test (SEBT), postural control with the Step-down test and DROM with the Weight-bearing lunge test (WBLT). Between-groups differences were compared using repeated-measures multivariate analysis of variance. Normalized reaching distances were analyzed and correlated with the WBLT and Step-down test. Results: There was no difference in the scores of WBLT (P = .488) and Step-down test (P =. 916) between the groups. Scores for the anterior reach (P = .001) and total score of SEBT (P = .030) were higher in BG. The values for the posterolateral (P = .001) and posteromedial reach (P = .001) of SEBT were higher in BG at the age of 15-18. The correlation between the anterior reach of the SEBT and WBLT was significant in BG between 12-14 years (r = 0.578, P = .008), and in the CG between 15-18 years (r = 0.608, P=.001). Conclusion: The balance was better in the BG, although adolescents between 15-18 years have better balance control for the posteromedial and posterolateral reaches of the SEBT.<hr/>Resumo Introdução: O basquetebol é um dos esportes mais praticados na atualidade, o qual envolve gestos e movimentos que exigem apoio unipodal. Amplitude de movimento de dorsiflexão (ADMD), equilíbrio e controle postural podem influenciar o desempenho deste esporte. Objetivo: Comparar e correlacionar medidas de equilíbrio, controle postural e ADMD de tornozelo entre atletas de basquetebol amadores e não-atletas. Métodos: Trata-se de um estudo transversal, composto por 122 participantes. Estes foram distribuídos em grupo controle (GC = 61) e grupo basquete (GB = 61). Cada grupo foi subdivido em outros dois, de acordo com a idade: 12-14 e 15-18 anos. Todos foram avaliados para equilíbrio postural com Star Excursion Balance Test (SEBT), controle postural com Step-down teste e ADMD foi testada com Weight-bearing lunge test (WBLT). As diferenças entre os grupos foram comparadas pelo teste de medidas repetidas e análise de variância multivariada. Distâncias normalizadas dos alcances no SEBT foram analisadas e correlacionados com o WBLT e Step-down test. Resultados: Não houve diferença entre os grupos nos escores do WBLT (P = .488) e Step-down test (P = .916). A pontuação para alcance anterior (P = .001) e escore total de SEBT (P = .030) foram maiores no GB. Os valores para alcance posterolateral (P = .001) e posteromedial (P = .001) do SEBT foram maiores no GB de 15-18 anos. A correlação entre distância anterior do SEBT e WBLT foi significativa no GB de 12-14 anos (r = 0.578, P = .008) e no GC de 15-18 anos (r = 0.608, P = .001). Conclusão: O equilíbrio foi melhor no GB, embora adolescentes de 15-18 anos possuam melhor controle de equilíbrio para alcances posteromedial e posterolateral do SEBT. <![CDATA[Efetividade da corrente russa no processo de regeneração óssea em ratos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200329&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Russian current is an electric current of average frequency that is able to restore the properties of skeletal muscle at a low treatment cost. It is essential to know the effects of Russian current in bone tissue, since electromagnetic energy could be an efficient and low cost method to treat bone disorders. Objective: The aim of the study was to evaluate the effectiveness of Russian current in the consolidation of tibia fracture in adult rats. Methods: 24 adult male Albinus Wistar rats wereused. The animals were divided randomly into two groups: control group (CG), composed of 12 animals, and Intervention Group (IG) consisting of 12 animals, both groups were submitted to osteotomy (proximal medial surface of the tibia). The IG underwent an electrical stimulation protocol with Russian current, while the CG did not undergo any kind of intervention. Euthanasia was performed in three animals of each group on the following days: 5, 10, 20, and 30 days of treatment. Results: The results suggested higher primary ossification, intense osteogenic activity, and increased thickness of the periosteum, characterizing more advanced ossification and a greater presence of trabecular bone marrow in rats in the group subjected to the treatment. In this way, we can assign one more beneficial effect to interventions with Russian current, for the treatment of postfracture rehabilitation. Conclusion: In both groups the bone tissue repair process occurred, but in the electrically stimulated group the osteogenesis process was more advanced.<hr/>Resumo Introdução: A corrente russa é uma corrente elétrica de média frequência que é capaz de restabelecer as propriedades do músculo esquelético a baixo custo de tratamento. É imprescindível conhecer os efeitos da corrente russa no tecido ósseo, visto que a energia eletromagnética pode ser uma forma eficiente e de menor custo para tratar alterações ósseas. Objetivo: Avaliar a eficácia da corrente russa na consolidação de fratura experimental de tíbia em ratos adultos. Métodos: Foram utilizados 24 ratos machos adultos Albinus Wistar. Os animais foram distribuídos de forma randomizada em dois grupos: Grupo Controle (GC), composto por 12 animais e Grupo Intervenção (GI) compostos por 12 animais, ambos os sofreram osteotomia (face medial proximal da tíbia). O GI foi submetido a um protocolo de eletroestimulação com corrente russa, enquanto o GC não sofreu nenhum tipo de intervenção. Foi realizada a eutanásia de três animais de cada grupo nos seguintes períodos: 5°, 10°, 20° e 30° dia de tratamento. Resultados: Os resultados sugeriram maior ossificação primária, intensa atividade osteogênica e aumento da espessura de periósteo, caracterizando assim uma ossificação mais avançada com maior presença de trabéculas na medula óssea no grupo de ratos submetidos ao tratamento. Desta forma, pode-se atribuir mais um efeito benéfico nas intervenções com corrente russa, para o tratamento de reabilitação pós-fratura. Conclusão: Em ambos os grupos analisados ocorreu processo de reparação tecidual ósseo, porém no grupo eletroestimulado o processo de osteogênese foi mais avançado. <![CDATA[Função muscular e qualidade de vida na Doença de Crohn]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200337&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Crohn’s disease (CD) is an inflammatory bowel disease, marked by exacerbations and remissions periods. Peripheral manifestations in CD may be present with the syndrome of skeletal muscle dysfunction (SMD), which is characterized by loss of muscle strength, fatigue complain, limited exercise capacity and impaired quality of life of these patients. Objective: Evaluate muscle strength, physical capacity and quality of life of patients with CD and compare them with healthy controls. Methods: 18 patients CD and 12 healthy controls matched for age and sex were involved. Peripheral muscle strength evaluated by handgrip strength of the dominant hand and respiratory muscle strength by measures of respiratory muscle strength (maximal inspiratory/expiratory pressure - MIP and MEP). Exercise capacity evaluated by Shuttle test (ST) and the quality of life by the Short-form 36 (SF-36) and by the Inflammatory Bowel Disease Questionnaire (IBDQ). Results: Patients with CD presented a lower respiratory muscle strength (MIP = -68.93 ± 26.61 vs 29.63 ± -100 cmH2O, p = 0.0013 and MEP = 81.07 ± 30.26 vs 108 ± 25.30 cmH2O, p = 0.032) and a tendency the lower peripheral muscle strength (31.72 ± 8.55 vs 39.00 ± 13.37 kgf, p = 0.09). In addition, CD patients presented worse physical capacity on the ST compared to the control group (513.7 ± 237m vs 983.0 ± 263m, p &lt; 0.05) and worse quality of life in 7 of 8 domains of the SF-36 and in all dimensions of the IBDQ. Conclusion: Patients with CD showed muscle functional impairment and poorer quality of life compared to healthy control group. These findings suggest that the assessment and maybe interventions in the muscle function must be used in clinical practice.<hr/>Resumo Introdução: A doença de Crohn (DC) é uma doença inflamatória intestinal marcada por agudizações e remissões. Manifestações sistêmicas na DC podem estar associadas à síndrome da disfunção muscular esquelética (SDM), a qual é caracterizada por perda de força, queixa de fadiga, limitação ao exercício e prejuízo na qualidade de vida. Objetivo: Avaliar a força muscular, a capacidade de exercício e a qualidade de vida de pacientes com DC e compará-los com controles saudáveis. Métodos: Foram envolvidos 18 pacientes com DC e 12 controles saudáveis pareados por idade e sexo. A força muscular periférica foi avaliada pela força de preensão palmar da mão dominante; e a força muscular respiratória pelas medidas de pressões respiratórias máximas (pressão inspiratória/expiratória máxima - PIM e PEM). A capacidade ao exercício foi avaliada por meio do teste de Shuttle (TS) e a qualidade de vida pelo relacionada à saúde pelo Short Form-36 e pelo The Inflammatory Bowel Disease Questionnaire (IBDQ). Resultados: A força muscular respiratória mostrou-se reduzida nos pacientes com DC comparado ao grupo controle (PIM = -68,93 ± 26,61 vs -100 ± 29,63 cmH2O, p = 0,0013 e PEM = 81,07 ± 30,26 vs 108 ± 25,30 cmH2O, p = 0,032) e, com tendência a menor força muscular periférica no grupo de pacientes (31,72 ± 8,55 vs 39,00 ± 13,37 kgf, p = 0,09). Pacientes com DC apresentaram ainda pior capacidade de exercício no TS (513,7 ± 237m vs 983,0 ± 263m, p &lt; 0,05) e pior qualidade de vida comparados aos controles. Conclusão: Pacientes com DC mostraram prejuízo funcional muscular e pior qualidade de vida. Estes achados sugerem que a avaliação e possível intervenção da função muscular deve ser adotada na prática clínica. <![CDATA[Efeitos do treinamento resistido funcional na força muscular e desconforto musculoesquelético]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200347&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Functional resistance training (FRT) is becoming increasingly popular to improve physical fitness of practitioners, however, yet there are gaps in knowledge about effectiveness of FRT in relation conventional resistance training (CRT) in several ambits, as musculoskeletal complaints. Objective: Compare the effect of FRT and CRT in the musculoskeletal discomfort and magnitude of gain in muscle strength in healthy women. Methods: 52 women was divided into three groups, FRT (n = 15; 22 ± 2.35 years): functional resistance training; CRT (n = 14; 22.5 ± 1.78 years): conventional resistance training and CG (n = 13; 20.6 ± 1.10 years): no type of intervention. The training was periodized in 30 sessions over 12 weeks with 3 sessions per week. For the muscle strength variable used the 1RM test and for the musculoskeletal discomfort variable, the Nordic Musculoskeletal Questionnaire (NMQ). Regarding the statistical analysis, all results took into consideration a 5% level of significance. Results: Considerable gain in muscle strength was observed for all exercises in both training groups. In addition, there was a tendency in CRT to relate a more musculoskeletal discomfort; presented 27.3% more complaints compared FRT in the MNQ. Conclusion: The FRT was as effective as the CRT for improving muscle strength, furthermore, there was a tendency for FRT to cause less musculoskeletal discomfort.<hr/>Resumo Introdução: O treinamento resistido funcional (TRF) está se tornando cada vez mais popular para melhorar a aptidão física dos praticantes, entretanto, ainda não está totalmente esclarecido sobre a eficácia do TRF em relação ao treinamento resistido convencional (TRC) em diversos âmbitos, como queixas de desconforto osteomuscular. Objetivo: Comparar o TRF e TRC nas queixas de desconforto osteomuscular e na magnitude de ganho de força muscular em mulheres saudáveis. Métodos: O estudo foi composto por 52 mulheres divididas em três grupos: TRF (n = 15; 22 ± 2.35 anos): treinamento resistido funcional, TRC (n = 14; 22.5 ± 1.78 anos): treinamento resistido convencional e GC (n = 13; 20.6 ± 1.10 anos): nenhum tipo de intervenção. O treinamento foi periodizado em 30 sessões durante 12 semanas com três sessões semanais. Para a variável força muscular utilizou-se o teste de 1RM e para as queixas osteomusculares, o Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares (QNSO). Em relação a análise estatística, todos os resultados levaram em consideração o nível de 5% de significância. Resultados: Notou-se ganho considerável de força muscular para todos os exercícios em ambos os grupos de treinamento. Além disso, observou-se uma tendência no TRC a relatar um maior número de queixas osteomusculares, apresentando 27,3% mais queixas comparadas ao TRF no QNSO. Conclusão: O TRF foi tão eficaz quanto o TRC para melhorar a força muscular, e, ainda, houve uma tendência de que o TRF provoque menores quantidades de desconfortos osteomusculares. <![CDATA[Quedas, força muscular e habilidades funcionais em idosas na comunidade]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200357&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Falls are among the most common and serious problems facing elderly women. Falling is associated with increased mortality, morbidity, reduced functioning, loss of independence and hospitalization. Objective: The aim of this study was to investigate the association among fear of falling, muscle strength, and functional abilities in community-dwelling elderly women. Methods: Forty-nine elderly women (70.57 ± 5.59 years) participated in this study. Records of falls, self-efficacy associated with falls (FES-I Brazil), functional abilities (the Timed Up and Down Stairs test [TUDS] and the Timed Up and Go test [TUG]), lower limb muscle strength (knee extensors and ankle plantar flexors), and hand grip strength were investigated as variables of interest. Descriptive statistics, the one-way ANOVA, and linear regression tests were used to analyze the association between fear of falling and falls with other variables (α = 0.05). Results: Elderly women who presented records of falls within the last year had lesser strength of knee extensors and plantar flexors (p ≤. 05). Those who had low self-efficacy associated with falls presented lower strength of knee extensors (p ≤. 01). Variables associated with functional abilities (r = 0.70) and lower limb strength (r = 0.53) showed a positive correlation (p ≤. 01). Conclusion: The concern with the fear of falling and falls may be negative effects caused by lower limb muscle weakness.<hr/>Resumo Introdução: As quedas representam um dos problemas mais comuns e graves enfrentadas por idosas. A queda está associada com o aumento da mortalidade, morbidade, limitação funcional, perda de independência e hospitalização. Objetivo: investigar a associação entre a preocupação com o medo de cair, a força muscular e as habilidades funcionais em idosas residentes na comunidade. Métodos: Participaram deste estudo 49 idosas (70,57 ± 5,59 anos). Como variáveis de interesse foram investigadas: história de quedas, auto eficácia relacionada às quedas (FES-I Brasil), habilidades funcionais (teste cronometrado de subir e descer escadas-TCSDE e Timed Up and Go-TUG), força muscular de membros inferiores (extensores do joelho e flexores plantares do tornozelo) e medida de preensão manual. Estatísticas descritivas, ANOVA One Way e testes de Regressão Linear foram utilizados para analisar as relações entre a preocupação com o medo de cair e quedas com outras variáveis (α = 0,05). Resultados: As idosas que apresentaram histórico de quedas no último ano tinham menor força de extensores do joelho e flexores plantares (p ≤ ,05). E aquelas que tinham uma baixa auto eficácia relacionada com quedas apresentavam força inferior dos extensores do joelho (p ≤ ,01). As variáveis relacionadas com habilidades funcionais (r = ,70) e força de membros inferiores (r = ,53) apresentaram uma relação positiva (p ≤ ,01). Conclusão: A preocupação com o medo de cair e as quedas podem ser efeitos negativos decorrentes de fraqueza muscular de membros inferiores. <![CDATA[Prevalência e fatores associados à dor lombar em idosos cadastrados na Estratégia de Saúde da Família]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200367&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Low back pain has varied etiology and complex discussed and can be triggered by various factors. Objective: Was to assess the prevalence of low back pain in individuals 60 years or more of the areas of the Family Health Strategy “Vila Sao Paulo” in the city of Bauru, São Paulo, and its association with demographic and socioeconomic variables, relating to work, lifestyle and morbidity. Methods: We conducted a cross-sectional study with 363 elderly sampled by the technique of two-stage cluster, which were interviewed at home using a multidimensional instrument (demographic, socio-economic, featuring work; lifestyle; morbidity) and the Nordic questionnaire. Conducted descriptive analysis, bivariate and Poisson regression. Results: It was noted more frequently in the elderly age group between 60 and 69 years old, married, with low education and income from two to five. The prevalence of low back pain was 55.8% of elderly patients studied, 52.2% in men and 47.8% women and, the variables load and carry weight (p = 0.001) and the number of diseases referred to (p = 0.04) showed association with the presence of low back pain. Conclusion: The elderly respondents show a high prevalence of low back pain associated with the loading and transport weight and the number of diseases referred.<hr/>Resumo Introdução: A dor lombar tem etiologia variada e complexa podendo ser desencadeada por diversos fatores. Objetivos: Verificar a prevalência de dor lombar em indivíduos de 60 anos ou mais das áreas de abrangência da Estratégia Saúde da Família “Vila São Paulo” na cidade de Bauru, São Paulo e, sua associação com as variáveis demográficas, socioeconômicas, relativas ao trabalho, estilo de vida e morbidade referida. Métodos: Realizou-se um estudo transversal com 363 idosos amostrados pela técnica de conglomerado em dois estágios, os quais foram entrevistados nos domicílios utilizando um instrumento multidimensional (aspectos demográficos; sócio-econômicos; caracterização do trabalho; estilo de vida; morbidade referida) e o questionário Nórdico. Realizaram-se análise descritiva, bivariada e regressão de Poisson. Resultados: Notou-se maior frequência de idosos na faixa etária entre 60 e 69 anos, casados, com baixa escolaridade e com renda de dois a cinco salários mínimos. A prevalência de dor lombar foi 55,8% do total de idosos estudados, sendo 52,2% nos homens e 47,8% nas mulheres e, as variáveis carregar e transportar peso (p = 0,001) e o número de doenças referidas (p = 0,04) mostraram associação com a presença de dor lombar. Conclusão: Os idosos entrevistados apresentam uma alta prevalência de dor lombar associada às atividades ocupacionais que exigem carregamento e transporte de peso e ao número de doenças referidas. <![CDATA[Métodos observacionais para avaliar riscos biomecânicos em trabalhadores: uma revisão sistemática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200379&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Among the methods of measurement of the biomechanical risk factors available in the literature, the observational methods have greater applicability in occupational practice. Objective: To identify observational methods used in Brazilian workers to identify and to evaluate their translation/cross-cultural adaptation procedures and measuring property tests. Methods: Three search strategies were used in MEDLINE, EMBASE, CINAHL, LILACS and SCIELO. After a review of titles and abstracts, potential articles were read in full for inclusion and subsequent extraction of data related to translation, cross-cultural adaptation and measurement properties of the observational methods. Results: 5349 potential studies were found and 29 were eligible for inclusion. The methods used in Brazilian workers were: AET, NIOSH, OCRA, OWAS, QEC, RARME, REBA and RULA. All procedures regarding the translation and cross-cultural adaptation were positive for the QEC and REBA. The translation, synthesis of the translations and review committee procedures were doubtful for the OCRA method. The QEC measuring properties showed negative reliability, doubtful internal consistency, and positive agreement and construct validity. The REBA showed negative reliability and agreement. The RARME presented positive reliability and negative construct validity. Conclusion: For most observational methods used in Brazilian workers, the translation and cross-cultural adaptation procedures were not performed and their measurement properties were not performed, highlighting the need to perform these procedures before using them.<hr/>Resumo Introdução: Dentre os métodos de mensuração dos fatores de risco biomecânicos disponíveis na literatura, os métodos observacionais apresentam maior aplicabilidade na prática ocupacional. Objetivo: Localizar métodos observacionais - utilizados em trabalhadores brasileiros, identificar e avaliar seus procedimentos de tradução/adaptação transcultural e testes de propriedades de medida. Métodos: Foram utilizadas três estratégias de busca nas bases de dados MEDLINE, EMBASE, CINAHL, LILACS e SCIELO. Após análise de títulos e resumos, os artigos potenciais foram lidos na integra para serem incluídos, e posterior extração dos dados da tradução, adaptação transcultural e propriedades de medida dos métodos observacionais. Resultados: Encontrados 5349 estudos em potencial e 29 incluídos. Os métodos utilizados em trabalhadores brasileiros foram: AET, NIOSH, OCRA, OWAS, QEC, RARME, REBA e RULA. O QEC e o REBA apresentaram todas as etapas de tradução e adaptação positivas. O OCRA apresentou tradução, síntese das traduções e comitê de revisão duvidosos. As propriedades de medida do QEC apresentaram confiabilidade negativa, consistência interna duvidosa, concordância positiva. O REBA apresentou confiabilidade e concordância negativa. O RARME apresentou confiabilidade positiva e validade de construto negativa. Conclusão: A maioria dos métodos utilizados em trabalhadores brasileiros não efetuaram os procedimentos de tradução, adaptação transcultural e teste de propriedades de medida, ressaltando a necessidade de realizar esses procedimentos antes de utilizá-los. <![CDATA[Efeitos do treinamento de força no tratamento da síndrome da dor femoropatelar - uma metanálise de ensaios clínicos randomizados]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200391&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Palletofemoral pain syndrome (PFPS) is anterior knee pain that affects around 25% of the population at some point in their lives. Muscle weakness is one of the main causal factors related to PFPS. Objective: Conduct a quantitative analysis on the effectiveness of strength training at reducing pain in PFPS sufferers. Methods: An electronic search was conducted on the MEDLINE, Pubmed, EMBASE, Lilacs and Scielo databases for studies published between January 2005 and September 2014. The following descriptors were used: “patellofemoral pain syndrome”, “patellofemoral pain”, “retropatellar pain”, “exercise”, “exercise therapy”, “strength”, “rehabilitation”. Only randomized controlled trials (RCTs) that compared the effects of strength training to no exercise in terms of reducing pain among PFPS sufferers were included. Data were extracted by two independent authors using predefined quality indicators. Results: A total of 39 RCTs were initially identified in the search. However, only five met the inclusion criteria. Strength training exhibited a positive effect on PFPS (SMD = 0.85, CI: 0.45-1.25). However, high heterogeneity was observed between the studies (p &lt; 0.05; I 2 = 68.3%). Conclusion: Strength training showed a statistically positive response in the treatment of PFPS.<hr/>Resumo Introdução: A síndrome da dor femoropatelar (SDF) é uma patologia da região anterior do joelho que atinge cerca de 25% da população em algum momento da vida. Dentre os fatores causais relacionados com a SDF, destaca-se o enfraquecimento muscular. Objetivo: Realizar uma análise quantitativa da eficácia do exercício de força na redução da dor em portadores de SDF. Métodos: Foi realizada uma busca eletrônica nas bases de dados MEDLINE, Pubmed, EMBASE, Lilacs e Scielo, limitada entre o período de janeiro de 2005 e setembro de 2014. Os seguintes descritores foram usados, em língua inglesa: “patellofemoral pain syndrome”, “patellofemoral pain”, “retropatellar pain”, “exercise”, “exercise therapy”, “strength”, “rehabilitation”. Apenas ensaios clínicos randomizados que comparassem os efeitos do treinamento de força ao não exercício na redução da dor de portadores de SDF foram incluídos. A extração de dados foi realizada por dois autores de forma independente, utilizando indicadores de qualidade pré-definidos. Resultados: Total de 39 ECR’s foi identificado inicialmente na pesquisa. No entanto, apenas cinco estudos contemplaram os critérios de inclusão. O treinamento de força apresentou efeito positivo sobre a SDF (SMD = 0,85, IC: 0,45-1,25). Contudo, foi encontrada alta heterogeneidade entre os estudos (p &lt; 0,05; I 2 = 68,3%). Conclusão: Evidenciou-se resposta estatisticamente positiva do treinamento de força no tratamento da SDF. <![CDATA[Exercícios terapêuticos para dor lombar e pélvica gestacional: uma revisão sistemática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200399&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: During pregnancy, a woman’s body goes through many changes, and lower back and pelvic pain are common and may persist after pregnancy. Although the literature point physical therapy as an effective therapeutic tool, there are few studies on the effects of physical therapy intervention through exercises for this purpose. Objective: To perform a systematic review on the use of Physiotherapy, through therapeutic exercises, for the prevention and treatment of pregnancy low back and pelvic pain. Methods: A systematic search for randomized trials (RCTs) was conducted on the databases PubMed, PEDro, Cochrane, EMBASE, LILACS and Periódicos Capes. There was no date or language restriction. The terms included in the search were: “pregnancy”, “low back pain”, “pelvic pain”, “exercise therapy” and their descriptors in Portuguese. Methodological quality was assessed using the PEDro scale and a descriptive analysis of the studies was performed. Results: Eight studies, including 1781 pregnant women, were selected. Among them, one study addressed the issue of low back pain, two focused on pelvic pain and five on low back and/or pelvic pain. Seven studies presented high methodological quality, and only one study had low methodological quality. Limited evidence on low back pain was found, and conflicting evidence on pelvic pain, and low and/or pelvic pain. Conclusion: RCTs on the subject are scarce and heterogeneous, making it impossible to reach a consensus or any conclusions about which protocol of therapeutic exercise is more effective in the use of physiotherapy for pregnancy low back and pelvic pain.<hr/>Resumo Introdução: Na gravidez o organismo materno passa por muitas transformações e a dor lombar e a dor pélvica são frequentes, podendo persistir após a gestação. Embora a literatura venha apontando a Fisioterapia como recurso terapêutico efetivo, existem poucos estudos sobre os efeitos da intervenção fisioterapêutica por meio de exercícios para esse fim. Objetivo: Desenvolver uma revisão sistemática sobre a abordagem da Fisioterapia, por meio de exercícios terapêuticos, na prevenção e no tratamento da dor lombar e pélvica gestacional. Métodos: Realizou-se uma busca sistemática por ensaios clínicos randomizados (ECRs) nas bases de dados PubMed, PEDro, Cochrane, EMBASE, LILACS e Periódicos Capes. Não houve restrição de data e de idioma. Os termos compreendidos na busca foram: “pregnancy”, “low back pain”, “pelvic pain”, “exercise therapy” e seus descritores em português. A qualidade metodológica foi avaliada por meio da escala PEDro, e uma análise descritiva dos estudos foi realizada. Resultados: Oito estudos, incluindo 1781 gestantes, foram selecionados. Dentre eles, um estudo aborda a temática da dor lombar, dois sobre dor pélvica e cinco sobre dor lombar e/ou pélvica. Sete estudos apresentaram alta qualidade metodológica, e somente um estudo apresentou qualidade metodológica baixa. Foram encontradas evidências limitadas para dor lombar e evidências conflitivas para dor pélvica e para dor lombar e/ou pélvica. Conclusão: Os ECRs sobre o tema ainda são escassos e heterogêneos, impossibilitando estabelecer consenso e conclusões sobre qual protocolo de exercícios terapêuticos é mais eficaz no manejo fisioterapêutico da dor lombar e pélvica gestacional. <![CDATA[Manipulação em alta velocidade/baixa amplitude e desempenho atlético: uma revisão sistemática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502017000200413&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: The high demand level in sports has encouraged the search for strategies to increase the yield. In this context, manual therapy through high-velocity low-amplitude (thrust) has been employed in many sports. Despite the adhesion of manual therapists in clinical practice, there were no systematic reviews on this topic. Objective: To evaluate the effects of thrust on the performance of athletes in relation to the outcomes hand-grip strength, jump height and running speed. Methods: The databases used in the search were MEDLINE / PUBMED, LILACS, CINAHL, PEDro, WEB OF SCIENCE, CENTRAL and SCOPUS, and Randomized controlled trials were included, whose participants were professionals or recreational athletes and had thrust as intervention. The methodological quality of the studies was assessed using the PEDro scale of 10 points. Intervention effects were determined by the mean difference and confidence interval. The data analysis was done in the descriptive form due to the heterogeneity found among studies. Results: Five trials were included with a total of 95 individuals. The methodological quality of studies was low, with an average value of 5.6 on the PEDro scale. It was found two articles for each outcome, but in none of them was presented differences between the experimental and control groups considering the confidence interval. Conclusion: The current evidence is insufficient to determine the use or nonuse the MAVBA in sports in order to improve performance.<hr/>Resumo Introdução: O elevado nível de exigência no meio esportivo tem incentivado a busca por estratégias para aumentar o rendimento. Nesse contexto, a terapia manual através da Manipulação em Alta e Velocidade e Baixa Amplitude (MAVBA) tem sido empregada em vários esportes. Apesar da adesão dos terapeutas manuais na prática clínica, não foram encontradas revisões sistemáticas acerca do tema. Objetivo: Avaliar os efeitos da manipulação de alta velocidade e baixa amplitude sobre o desempenho de atletas. Métodos: As bases de dados utilizadas na busca foram MEDLINE/PUBMED, LILACS, CINAHL, PEDro, WEB OF SCIENCE, CENTRAL e SCOPUS. Foram incluídos Ensaios Randomizados e Controlados, cujos participantes eram atletas profissionais ou recreacionais, que aplicaram a MAVBA como intervenção. A qualidade metodológica dos estudos foi avaliada por meio da Escala PEDro. Os efeitos da intervenção foram determinados através da diferença de média e do respectivo intervalo de confiança (IC). A análise dos dados foi realizada de maneira descritiva, em virtude da heterogeneidade encontrada entre os estudos. Resultados: Cinco ensaios foram incluídos com um total de 95 indivíduos. A qualidade metodológica dos estudos foi baixa, com uma média de 5.6 na Escala de PEDro. Foram encontrados dois artigos para cada desfecho, e em nenhum deles foi detectada diferença entre o grupo experimental e controle quando levado em consideração o IC. Conclusão: A evidência atual é insuficiente para determinar o uso ou o não uso da MAVBA em com objetivo de melhorar o desempenho esportivo.