Scielo RSS <![CDATA[Fisioterapia em Movimento]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0103-515020140004&lang=pt vol. 27 num. 4 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Concordar ou discordar: (eis) a questão da diversidade]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400491&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Ação de variadas frequências de TENS aplicadas no acuponto P7 na dor induzida pela hipotermia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400495&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction Pain represents a frequent phenomenon among the general population with great socio-economic impact. TENS is one of the most common forms of electroanalgesia. However, totally effective stimulation parameters remain uncertain. Thus, this study aims to assess the effects of 4 Hz, 10 Hz and 100 Hz TENS applied to the LU7 (Lieque) acupoint on cold-induced pain in young healthy subjects. Methods 100 volunteers, divided into five groups (three TENS groups, one electrode group and one placebo group), completed six experimental cycles. Each cycle comprised three phases: pretreatment, treatment and post-treatment. In each cycle, pain was induced by immersion of the hand into ice water and the pain threshold latency was measured. For the analysis of results, we used the one-way ANOVA test, followed by the Student-Newman-Keuls post hoc test. The level of significance was p &lt; 0.05. Results The 4 Hz TENS group the pain showed elevation of the pain threshold during the treatment phase, when compared to pretreatment (p &lt; 0.05). This elevation was maintained in the post-treatment phase. The other groups showed no changes in the pain threshold. Conclusion 4 Hz TENS applied with 1x1 cm electrodes to LU7 acupoint increases hypothermia-induced pain threshold latency in young healthy subjects.<hr/>Introdução A dor é um fenômeno frequente na população e pode gerar grande impacto socioeconômico. A TENS é um dos meios mais comuns de eletroanalgesia, mas parâmetros de estimulação totalmente eficazes permanecem incertos. Neste cenário, o presente estudo objetiva verificar a influência da TENS de 4, 10 e 100 Hz na dor induzida pela hipotermia quando aplicada no acuponto P7 (Lieque) em sujeitos jovens saudáveis. Metodologia Cem voluntários distribuídos em cinco grupos (três TENS, um apenas com Eletrodo e um Placebo) passaram por seis ciclos experimentais divididos em três etapas (Pré-tratamento, Tratamento e Pós-tratamento), em cada ciclo houve indução de dor pela imersão da mão do sujeito em água gelada, onde foi medida a variável da latência do limiar da dor. Utilizou-se o Teste de ANOVA de um critério seguido do Teste post hoc de Student-Newman-Keuls para análise dos resultados. O nível de significância adotado foi p &lt; 0,05. Resultados O grupo TENS de 4 Hz obteve aumento do limiar de dor durante o tratamento quando comparado com o pré-tratamento (p &lt; 0,05) e no pós-tratamento este aumento foi mantido. Os outros grupos não apresentaram alterações na latência do limiar da dor. Conclusão A TENS de 4 Hz aplicada com eletrodos de 1 cm2 no acuponto P7 aumenta a latência do limiar de dor induzida pela hipotermia em sujeitos jovens saudáveis. <![CDATA[Correlação entre capacidade funcional e qualidade de vida na DPOC: série de casos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400505&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objective To correlate functional capacity test scores from chronic obstructive pulmonary disease (COPD) subjects with their functional state as assessed by health-related quality of life questionnaires (one respiratory disease-specific [SGRQ] and one generic [SF-36] questionnaire). Materials and methods Study of a case series of 8 COPD patients. The following tests were performed: 1) Six-minute walk test (6-MWT); 2) Shuttle walking test (SWT); 3) Six-minute step test (6-MST); 4) Two-minute sit-to-stand test (STST); and 5) Pegboard and ring test (PBRT). Besides these tests, two health-related quality of life questionnaires were administered: The St George's Respiratory Questionnaire (SGRQ) and the Short Form 36 (SF-36) health survey questionnaire. The statistical analysis was carried out by using the Shapiro-Wilk normality test, while correlations were assessed using Pearson's (parametric data) or Spearman's (non-parametric data) rank tests, with p &lt; 0.05. Results The 6-MWT showed strong correlation with the SF-36 scales of physical functioning, general health, vitality, social functioning and mental health. Conversely, the other functional capacity tests showed no correlation with this questionnaire. The SGRQ showed no correlation with any of the tests. Conclusions The 6-MWT may be a good test to reflect the health-related quality of life of COPD subjects.<hr/>Objetivo Correlacionar as respostas de testes de capacidade funcional em indivíduos portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) com o estado funcional avaliado de maneira subjetiva pelos questionários de qualidade de vida, sendo um específico para doença respiratória (SGRQ) e outro genérico (SF-36). Materiais e métodos Foi realizado um estudo de uma série de casos com oito pacientes portadores de DPOC que realizaram os seguintes testes: 1) Teste de caminhada de seis minutos (TC6’); 2) Shuttle walking test (SWT); 3) Teste do degrau de seis minutos (TD6’); 4) Teste de sentar e levantar-se da cadeira em dois minutos (TCad-2min); e 5) Pegboard and ring test (PBRT). Além dos testes, foram aplicados dois questionários de qualidade de vida: Hospital Saint George na doença respiratória (SGRQ) e o Short Form 36 (SF-36). A análise estatística foi realizada pelo teste de normalidade Shapiro-Wilk seguido dos testes de correlação de Pearson (dados paramétricos) ou de Spearman (dados não-paramétricos) com p &lt; 0,05. Resultados Somente o TC6’ mostrou forte correlação com o SF-36 nos aspectos físicos, estado geral de saúde, vitalidade, aspectos sociais e saúde mental, diferentemente dos outros testes de capacidade funcional que não mostraram correlação com este questionário. Com relação ao SGRQ, não houve correlação com nenhum dos testes. Conclusões O TC6’ pode ser um bom teste para refletir a qualidade de vida dos indivíduos portadores de DPOC. <![CDATA[Impacto do agulhamento seco e compressão isquêmica na síndrome miofascial: ensaio clínico controlado]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400515&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction Musculoskeletal pain is a common clinical condition and about 10% of the population have musculoskeletal disorder. Objective The aim of this study was to evaluate whether ischemic pressure and dry needling techniques are able to reduce the pain of patients with myofascial pain syndrome. Method 22 patients aged 20-75 years were randomized into 3 groups: ischemic pressure (IPG = 8), dry needling (DNG = 7) and control (CG = 7). Patients in the IPG and DNG were assessed before and after 10 intervention sessions, which occurred 3 times per week. The CG was assessed initially and reassessed three weeks later. The assessment of pain was done through Visual Analogic Scale (VAS) and quality of life through WHOQOL-BREF (5 domains: global, physical, psychological, social and environmental). Results There was no significant difference for clinical and demographic data of all groups at baseline, except for age (p = 0.042). The results of the VAS expressed that IPG had pain relief in most sessions, the same was not observed for DNG. Comparing the 2 groups was obtained difference in the 4th and 8th sessions. The results of the WHOQOL-BREF showed that the three groups had a significant increase in the psychological domain. The same was not true for global domains, physical, environmental and social. Conclusion Ischemic pressure and dry needling were able to reduce the pain of patients and also change their quality of life, specifically the psychological aspect.<hr/>Introdução A dor musculoesquelética é uma condição clínica comum e cerca de 10% da população possui distúrbio do sistema musculoesquelético. Objetivo O objetivo deste estudo foi avaliar se a compressão isquêmica e o agulhamento seco são técnicas capazes de reduzir a dor de pacientes com síndrome miofascial. Método 22 pacientes com idade entre 20-75 anos foram randomizados em 3 grupos: compressão isquêmica (GCI = 8), agulhamento seco (GAS = 7) e controle (GC = 7). Os pacientes do GCI e GAS foram avaliados antes e após as 10 sessões terapêuticas, que ocorreram 3 vezes por semana. O GC foi avaliado inicialmente e reavaliado 3 semanas depois. Para mensuração da dor usou-se a Escala Visual Analógica (EVA) e da qualidade de vida o WHOQOL-BREF (5 domínios: global, físico, psicológico, social e meio ambiente). Resultados A análise dos dados clínicos e demográficos mostrou que não houve diferença entre os grupos, exceto para idade (p = 0,042). Os resultados da EVA expressaram que o GCI teve redução da dor na maioria das sessões, o mesmo não se observou para o GAS. Comparando os 2 grupos obteve-se diferença na 4ª e 8ª sessões. Os resultados do WHOQOL-BREF demonstraram que os 3 grupos tiveram um aumento significante no domínio psicológico. O mesmo não ocorreu para os domínios global, físico, meio ambiente e social. Conclusão A compressão isquêmica e o agulhamento seco foram capazes de reduzir a dor dos pacientes e também intervir na sua qualidade de vida, especificamente no aspecto psicológico. <![CDATA[Análise dos riscos cardiovasculares em indivíduos praticantes de exercício físico não supervisionado]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400523&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction Physical exercise is recommended by health professionals for the prevention of cardiovascular events; for it is important that practitioners follow recommendations of qualified professionals. Objectives To analyze the cardiovascular risks and the physical exercise of regulars of a municipal public park. Materials and methods 110 regulars of a municipal public park were evaluated by questionnaire and physical examination, 60 men and 50 women with a mean age of 48.8 ± 11.76 years. Cardiovascular risk was classified according to the American Table and physical activity following the recommendations of the American College of Sports Medicine and the American Heart Association. Results Regarding the classification of cardiovascular risk, 54% of the studied population presented potential risk and 31% moderate. As for physical exercise, 58% were considered inactive, 14% active and 28% were very active. 90% received no professional guidelines. Conclusion The public park goers have cardiovascular risk and do exercise without individualized guidance.<hr/>Introdução A prática de exercícios físicos é preconizada pelos profissionais da saúde para a prevenção de eventos cardiovasculares; para tal é importante que os praticantes sigam recomendações de profissionais qualificados. Objetivos Analisar os riscos cardiovasculares e a prática do exercício físico dos frequentadores de um parque público municipal. Materiais e métodos Foram avaliados por meio de questionário e exame físico, 110 frequentadores de um parque público municipal, sendo 60 homens e 50 mulheres com idade média de 48,8 ± 11,76 anos. O risco cardiovascular foi classificado de acordo com a Tabela Americana e a atividade física seguindo as recomendações da American College of Sports Medicine e da American Heart Association. Resultados Quanto à classificação do risco cardiovascular, 54% da população avaliada apresentou risco potencial e 31%, moderado. Quanto ao exercício físico praticado 58% foram considerados inativos, 14% ativos e 28% muito ativos. 90% não receberam orientações profissionais. Conclusão Os frequentadores do parque público apresentam risco cardiovascular e praticam exercício físico sem orientações individualizadas. <![CDATA[Análise da estabilidade postural e propriocepção de idosas fisicamente ativas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400531&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introdução Os limiares de sensações cutâneas e proprioceptivas são mecanismos que podem degradar durante o envelhecimento, afetando a estabilidade postural. Objetivo Verificar a estabilidade postural e a propriocepção de idosas praticantes de hidroginástica e as possíveis relações existentes entre essas variáveis. Materiais e métodos O grupo de estudo foi constituído por 25 idosas com idade média de 70,2 (dp 6,9) anos, praticantes de hidroginástica de intensidade moderada há no mínimo três meses e com duas aulas semanais. Para testar a propriocepção, utilizou-se o goniômetro analógico fixo, assentado no membro inferior preferido do sujeito. A estabilidade postural foi analisada utilizando uma plataforma de força no nível do solo. A partir dos dados de força obtidos pela plataforma, foi calculado o centro de pressão (CP). Os sujeitos foram analisados em postura bipodal, nas condições de olhos abertos (OA) e fechados (OF). Para a análise estatística, utilizaram-se a correlação de Spermann e o teste de Mann Whitney, com nível de significância de 5%. Resultados Não foi encontrada diferença estatisticamente significativa entre as condições visuais de OA e OF. A propriocepção apresentou correlação positiva (R = 0,551; p = 0,004) com a idade e com a estabilidade postural, na condição de OA e OF, apresentando maiores amplitudes e velocidades de deslocamento do CP (p &lt; 0,05). Conclusão Os resultados encontrados sugerem que as perdas funcionais ocasionadas pela idade influenciam tanto o desempenho proprioceptivo quanto a estabilidade postural.<hr/>Introduction The thresholds for cutaneous and proprioceptive sensations are mechanisms that may be affected during aging resulting in reduced postural stability. Objective Verify proprioception and postural stability in physically active elderly women and verify the correlation between these variables. Materials and methods The study group consisted of twenty-five 70.2 ± 6.9 year-old women that practiced hydrogymnastics at moderate intensity for at least three months and two hours per week. Proprioception was tested using an analogic goniometer firmly attached to the knee joint of the preferred lower limb of the subject. The subjects needed to reproduce the knee angles that were first demonstrated passively. The difference between the angles found in each condition (passive x voluntary) was calculated. Postural stability was analyzed using a force platform at the ground level. Using the force data obtained by the force plate the center of pressure (CP) was calculated. Subjects were compared while in a bipedal posture, with their eyes opened (EO) and closed (EC). Data was analyzed using Spermann correlation and Mann-Whitney test, with a significance level of 5%. Results No statistically significant difference was found between EO and EC conditions. Proprioception revealed a positive correlation (R = 0.551; p = 0.004) with age and postural stability in the conditions of EO and EC, showing larger amplitudes and velocities of CP displacement (p &lt; 0.05). Conclusion Our results suggested that functional losses induced by aging reduces the efficiency of the proprioception system and postural stability. <![CDATA[Revisão das propriedades psicométricas de testes de coordenação motora de membros inferiores]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400541&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction Adequate motor coordination (MC) of the lower limbs is essential for most of the motor tasks. Therefore, it is important to know the psychometric properties of the tests employed to assess lower limb MC, so that professionals could have a better basis to choose the most adequate assessment tools. Objectives To investigate the psychometric properties and clinical utility of instruments used to assess lower limb MC, by means of a critical review of the literature. Materials and methods A search was conducted in six databases looking for studies which evaluated reliability, validity, sensitivity to changes, or clinical utility of the tests employed to assess lower limb MC. The articles were assessed and the data of their psychometric properties were extracted by two researchers, independently. Results The search returned 1361 studies, 1,325 were excluded after analyses. The hand search yielded four eligible articles, totaling nine included articles. The included studies evaluated the psychometric properties of eight tests, but only three were specific to assess lower limb MC and the others were sub-items of other scales, which assess other domains. None of the tests provided data for all of the basic psychometric properties. Final remarks According to the results of this review, none of the tests had their basic psychometric properties reported, which is necessary to be investigated in future studies. This review may facilitate the search and selection of lower limb MC tests by researchers and clinicians.<hr/>Introdução Adequada coordenação motora (CM) dos membros inferiores (MMII) é fundamental para a execução de diversas tarefas motoras e, portanto, a sua avaliação é amplamente empregada na prática clínica e pesquisa. Assim, é importante conhecer as propriedades psicométricas dos testes que avaliam a CM dos MMII, para que os profissionais possam escolher de forma embasada os testes mais adequados a serem utilizados. Objetivos Investigar as propriedades psicométricas e utilidade clínica de testes que avaliam a CM dos MMII, por meio de uma revisão crítica da literatura. Materiais e métodos : Foi conduzida uma busca em seis bases de dados procurando por estudos metodológicos que avaliaram confiabilidade, validade, sensibilidade à mudanças ou utilidade clínica de testes que medem a CM dos MMII. Os artigos foram avaliados e os dados das propriedades psicométricas foram extraídos por dois autores, de forma independente. Resultados A busca retornou 1.361 estudos e 1.356 foram excluídos após análise. Outros quatro artigos elegíveis foram encontrados pela busca manual, totalizando nove artigos incluídos. Os estudos incluídos avaliaram as propriedades psicométricas de oito testes, sendo que apenas três são instrumentos específicos para avaliar a CM dos MMII, sendo os demais subitens de escalas que avaliam outros domínios. Nenhum teste apresentou dados para todas as propriedades psicométricas. Considerações finais Segundo os resultados desta revisão, nenhum dos testes encontrados teve todas as suas propriedades psicométricas básicas avaliadas, o que torna necessária a realização de futuros estudos. Esta revisão poderá facilitar a busca e seleção de testes que avaliam a CM dos MMII por parte dos pesquisadores e clínicos. <![CDATA[Prevalência de fatores de risco para a ocorrência de acidente vascular encefálico em idosos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400555&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction Stroke (CVA) is a multifactorial disease, where the combination of risk factors may be associated with and contribute to its development. Objectives The objective of this study was to evaluate the prevalence of risk factors for stroke in the physically independent elderly in the city of Londrina, Brazil. Materials and methods This study was composed of the elderly individuals participating in the EELO project (Age and Ageing Study, Londrina, State of Paraná, Brazil). In order to identify the risk factors for stroke, one used a structured questionnaire with information about socio-demographic and anthropometric data as well as lifestyle variables, such as physical inactivity and smoking, presence of comorbidities, and laboratory tests for diagnosis of diabetes and dyslipidemia. Results The study included 454 elderly with mean age of 69.7 years. There was a significant relationship between the number of risk factors and gender (p = 0.01), with higher prevalence among women. In separate analysis, the elderly between 60 and 69 years had a higher incidence of obesity (p = 0.03) and dyslipidemia (p = 0.04). Regarding gender, obesity (p = 0.01), smoking (p = 0.0001), vascular disease (p = 0.0001) and heart disease in the family (p = 0.01) higher incidence was shown in females, according toChi Square’s test. Conclusions It is concluded that elderly people aged less than 70 years and older women were those with the highest number of risk factors for CVA. Therefore, it may be suggested the development of primary care programs in order to promote information on the prevention of these risk factors and thus reduce the occurrence of stroke.<hr/>Introdução O Acidente Vascular Encefálico (AVE) é uma doença multifatorial, de modo que a combinação de fatores de risco pode contribuir para o seu desenvolvimento. Objetivo O objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência dos fatores de risco para o AVE na população idosa fisicamente independente do município de Londrina. Materiais e métodos O estudo foi composto por idosos integrantes do projeto EELO (Estudo sobre o Envelhecimento e Longevidade – Londrina (PR), Brasil). Para identificação dos fatores de risco do AVE, utilizou-se um questionário estruturado com informações sobre dados sociodemográficos, dados antropométricos, variáveis de estilo de vida como sedentarismo e hábito de fumar, análise da presença de comorbidades e avaliação laboratorial para o diagnóstico de diabetes e dislipidemias. Resultados Participaram deste estudo 454 idosos com idade média de 69,7 anos. Observou-se relação significativa entre o número de fatores de risco e o gênero (p = 0,01), com maior prevalência entre as mulheres. Em análise isolada, idosos entre 60 e 69 anos apresentaram maior incidência de obesidade (p = 0,03) e dislipidemias (p = 0,04). Em relação ao gênero, a obesidade (p = 0,01), tabagismo (p = 0,0001), doença vascular (p = 0,0001) e doença cardíaca na família (p = 0,01) apresentaram maior incidência no sexo feminino, segundo teste Qui Quadrado. Conclusões Conclui-se que os idosos com idade menor que 70 anos e mulheres idosas foram os que apresentaram maior número de fatores de risco para o AVE. Desta forma sugere-se a elaboração de programas de atenção primária com o objetivo de promover informações sobre a prevenção destes fatores de risco e a redução da ocorrência do acidente vascular encefálico. <![CDATA[Avaliação das medidas radiográficas e clínicas e confiabilidade do ângulo do quadríceps em idosas com osteoartrite de joelhos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400565&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction Knees osteoarthritis (OA) is a complex degenerative disease with intra-articular changes affecting the amplitude of the quadriceps angle (Q). To measure this variable, it is necessary to use reliable protocols aiming at methodological reproducibility. The objective was to evaluate the intra-examiner and inter-examiner reliability of clinical and radiographic measures of the Q angle and to investigate the relationship between the degree of OA and the magnitude of this angle in the elderly. Materials and methods 23 volunteers had the Q angle measured by two evaluators at 48-h interval. Clinical measurements were collected by using the universal goniometer in the same position adopted in the radiographic examination. Results The intra-examiner reliability was good (0.722 to 0.763) for radiographic measurements and low (0.518 to 0.574) for clinical assessment, while inter-examiner reliability was moderate (0.634) for radiographic measurements and low (0.499) to the clinics. The correlation analysis between the radiographic values with the OA classification showed no correlation between them (p = 0.824 and r = -0.024). Conclusion Clinically, it is suggested that the radiographic examination is preferable to evaluate the Q angle of elderly women with knee osteoarthritis. Moreover, the magnitude of this angle did not correlate with the degree of impairment of OA in this population.<hr/>Introdução A osteoartrite (OA) de joelhos é uma doença degenerativa complexa com alterações intra-articulares que comprometem a amplitude do ângulo do quadríceps (Q). Para mensuração dessa variável, é necessária a utilização de protocolos que apresentem confiabilidade, visando reprodutibilidade metodológica. Objetivo Avaliar a confiabilidade intra e interexaminadores das medidas clínicas e radiográficas do ângulo Q e verificar se existe relação entre o grau de OA e a magnitude deste ângulo em idosas. Materiais e métodos 23 voluntárias, tiveram o ângulo Q mensurado por 2 avaliadores, com intervalo de 48 horas. As medidas clínicas foram coletadas por meio do goniômetro universal na mesma posição adotada no exame radiográfico. Resultados A confiabilidade intraexaminador foi boa (0,722–0,763) nas medidas radiográficas e baixa (0,518–0,574) nas medidas clínicas, enquanto a confiabilidade interexaminadores foi moderada (0,634) nas medidas radiográficas e baixa (0,499) nas clínicas. A análise da correlação entre os valores radiográficos com a classificação da OA não demonstrou correlação entre os mesmos (p = 0,824 e r = -0,024). Conclusão Clinicamente, sugere-se que o exame radiográfico seja preferível para avaliação do ângulo Q de idosas com OA de joelhos. Além disto, a magnitude deste ângulo não se relacionou com o grau de acometimento da OA nesta população. <![CDATA[Influência do treinamento de exercícios aquáticos sobre o equilíbrio em adultos jovens]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400573&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction Physical exercise programs have been suggested to soften or reverse balance deficits and postural deviation. Objective This study investigated the influence of a systematic aquatic exercise program on body balance. Method Healthy young adult volunteers of both genders, aged 18–30 years were assessed. The experimental group (EG, n = 20) was subjected to 24 sessions of aquatic exercises of 50 minutes long, performed three times a week, and the control group (CG, n = 25) suffered no intervention. A 3-D force platform was used to calculate the center of pressure displacement (COP) in anteroposterior and mid-lateral directions with or without visual information. The individuals were assessed in pre or post-training. Results The results demonstrated a decrease in body oscillation in both visual conditions, with post-training values lower than pre-training ones. Visual information was not expressive for EG post-training. Conclusion It was concluded that the program was effective for body balance improvement.<hr/>Introdução Programas de exercícios físicos têm sido propostos para amenizar ou reverter déficits de equilíbrio e desvios posturais. Objetivo Neste trabalho investigou-se a influência de um programa de exercícios aquáticos sistemático sobre o equilíbrio corporal. Método Foram avaliados indivíduos adultos jovens saudáveis voluntários de ambos os sexos com idades entre 18 e 30 anos. O grupo experimental (GE, n = 20) foi submetido a 24 sessões de exercícios aquáticos realizados três vezes por semana, com 50 minutos de duração, e o grupo controle (GC, n = 25) não sofreu intervenção. Uma plataforma de força 3-D foi utilizada para calcular o deslocamento do centro de pressão (COP) nas direções anteroposterior e médio-lateral com e sem a informação visual. Os indivíduos foram avaliados em pré e pós-treinamento. Resultados Os resultados demonstraram uma diminuição da oscilação corporal em ambas as condições visuais, com os valores de pós-treinamento sendo inferiores aos do pré-treinamento. A informação visual não foi significativa no pós-treinamento para o GE. Conclusão Conclui-se que o programa foi efetivo para a melhora do equilíbrio corporal. <![CDATA[Avaliação e comparação dos efeitos de duas técnicas de alongamento na flexibilidade dos músculos isquiotibiais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400583&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction There are several stretching techniques that help increase flexibility, however, there are still questions regarding which method leads to the most effective gains. Objectives To assess and compare the effects of two stretching techniques, namely proprioceptive neuromuscular facilitation (PNF) and static stretching on the flexibility of hamstring muscles of young women. Methods The study sample consisted of 45 young women, mean age 20.45 (± 1.66),assigned to one of three groups: static stretching group (SSG, n = 15), proprioceptive neuromuscular facilitation group (PNFG, n = 15) and control group (CG, n = 15). Both SSG and PNFG carried out three weekly stretching sessions over a four-week period. The sit and reach and popliteal angle tests were used at the beginning and end of the intervention. Normally distributed data were analyzed using Student’s t-test, whereas data with non-normal distribution were analyzed using the Wilcoxon test, to compare initial and end measurements for each technique. Finally, we used the Mann-Whitney U test to compare both techniques with each other. A significance level of 5% (p &lt; 0.05) was adopted. Results There was a significant increase in hamstring flexibility when analyzing the assessments and reassessments of both stretching protocols. Conclusions Both techniques were effective in increasing hamstring flexibility and there were no significant differences to indicate which one is better in increasing the flexibility of this muscle group. <hr/> Introdução Existem diversas técnicas de alongamento que auxiliam o aumento de flexibilidade, entretanto ainda prevalecem dúvidas sobre qual método aponte ganhos majoritariamente eficazes. Objetivos Avaliar e comparar os efeitos das técnicas de alongamento Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva (FNP) e o Alongamento Estático na flexibilidade dos músculos isquiotibiais de jovens mulheres. Métodos Participaram do estudo 45 jovens, mulheres, com média de idade entre 20,45 (± 1,66), que foram divididas em três grupos: grupo alongamento estático (GAE, n = 15), grupo alongamento facilitação neuromuscular proprioceptiva (GFNP, n = 15) e grupo controle (GC, n = 15). Os grupos GAE e GNFP realizaram três sessões semanais de alongamento durante quatro semanas. As voluntárias foram avaliadas por meio do Teste Sentar e alcançar e pelo Teste do Ângulo poplíteo no início e ao fim das intervenções. Os dados com distribuição normal foram analisados pelo Teste t de student, para os dados com distribuição não normal, foi utilizado o Teste de Wilcoxon para comparar cada técnica e o Teste de Mann-whitney para comprar as duas técnicas. Foi adotado o nível de significância de 5% (p &lt; 0,05). Resultados Houve aumento significativo da flexibilidade dos músculos isquiotibiais quando analisadas as avaliações e reavaliações em ambos os protocolos de alongamento. Conclusões Ambas as técnicas são eficazes para o ganho de flexibilidade dos músculos isquiotibiais, não apresentando diferenças significativas que evidenciasse qual delas é a melhor para o ganho de flexibilidade desse grupo muscular. <![CDATA[Influência do alívio de peso corporal e da superfície de suporte durante o andar de crianças com paralisia cerebral espástica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400591&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction Partial body weight support (BWS) systems have been employed for gait training of children with cerebral palsy (CP). Therefore, it would be important to analyze if the type of walking surface and the amount of body weight unloading over lower limbs change the way these children walk. Objectives Investigate the influence of walking surface and amount of body weight unloading on the spatial temporal characteristics during walking of children with CP. Materials and methods Seven children with spastic CP between four and eight years old and GMFCS (Gross Motor Function Classification System) between I and IV, were videotaped walking with 0%, 15% and 30% of BWS on both dynamic (treadmill) and static (ground level) surfaces. Walking spatial temporal variables were calculated. Results Children walked with similar velocity in all experimental conditions. While stance duration decreased as the percentage of BWS increased, no differences were found for stance and swing periods and cadence. Children walked with longer steps and strides and with faster strides on static surface compared to dynamic surface. Conclusion Children with CP presenting different levels of motor impairment presented some alterations in the spatial temporal walking parameters as they walked with body unloading. However, such alterations might be due mainly to the type of walking surface than the percentage of body weight unloading on lower limbs.<hr/>Introdução Sistemas de suporte parcial de peso corporal (SPPC) têm sido utilizados para treinamento do andar de crianças com paralisia cerebral (PC). Sendo assim, seria importante analisar se o tipo de superfície e a quantidade de alívio de peso corporal sobre os membros inferiores interferem na forma como essas crianças andam. Objetivo Investigar a influência do tipo de superfície e da porcentagem de alívio de peso corporal sobre as características espaço-temporais durante o andar de crianças com PC. Materiais e métodos Sete crianças com PC espástica, entre quatro e oito anos de idade, e GMFCS (Gross Motor Function Classification System) entre I e IV, foram filmadas andando com 0%, 15% e 30% de SPPC em superfícies móvel (esteira motorizada) e fixa (chão). Variáveis espaço-temporais do andar foram calculadas. Resultados As crianças andaram com velocidade semelhante em todas as condições experimentais. Enquanto que a duração do período de apoio diminuiu conforme a porcentagem de SPPC aumentou, nenhuma diferença para as fases de apoio e balanço e cadência foi encontrada. As crianças andaram com passos e passadas mais longos e passadas mais rápidas na superfície fixa do que na superfície móvel. Conclusão Crianças com PC com diferentes níveis de acometimento motor apresentaram algumas alterações nos parâmetros espaço-temporais durante o andar com alívio de peso corporal em superfícies móvel e fixa. Entretanto, tais alterações podem ser atribuídas principalmente ao tipo de superfície em que as crianças andam do que às porcentagens de alívio de peso corporal proporcionadas aos membros inferiores. <![CDATA[Efeito da inclinação de apoio no desenvolvimento cervical e de membros superiores]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400601&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction It is expected that a child will acquire control of posture (CP) of the head and upper limbs in a gradual, sequential and organized way. However, there is still no consensus regarding the best position to achieve this; the evidence suggests that it is prone. Objective To investigate whether age and inclination of the supporting surface in the prone position influence the alignment of the head and upper limbs of children with typical motor development (TMD) and atypical motor development (AMD). Methods The study included 29 children aged between one and three months divided according to the Alberta Infant Motor Scale (AIMS) into groups with TMD (n = 18) and AMD (n = 11). The children were placed in the prone position with three angles of the support surface (0°, 25° and 45°). Kinematic analysis was conducted to evaluate the alignment angles of the head and upper limbs. Results Children with TMD had higher head alignment. There was no difference in the upper limbs’ alignment between the group with TMD and the group with AMD. In the third month of age compared with the first, increased head alignment and decreased upper limb alignment were found in both groups. The inclination of the supporting surface did not influence the alignment of the head and upper limbs. Conclusions Among the positions evaluated, the prone position without inclination of the supporting surface was more appropriate for weight discharge in the upper limbs, favoring the development of postural control of the child.<hr/>Introdução De forma gradual, sequencial e organizada, espera-se que a criança adquira o controle postural (CP) de cabeça e membros superiores. Contudo, ainda não existe um consenso sobre qual o melhor posicionamento para aquisição desse; evidências apontam que a postura em decúbito ventral seja mais benéfica. Objetivo Investigar se a idade e a inclinação da superfície de apoio em decúbito ventral influenciam o alinhamento da cabeça e do membro superior de crianças com desenvolvimento motor típico (DMT) e atípico (DMA). Métodos Participaram do estudo 29 crianças de um a três meses de idade divididos de acordo com escala Alberta Infant Motor Scale (AIMS) em grupo com DMT (n = 18) e DMA (n = 11). As crianças foram posicionadas em decúbito ventral com três ângulos de superfície de apoio (0°, 25° e 45°). A análise cinemática foi utilizada para avaliar os ângulos de alinhamento da cabeça e do membro superior. Resultados Crianças com DMT apresentaram maior alinhamento da cabeça. Não houve diferença do alinhamento do membro superior entre os grupos com DMT e DMA. No terceiro mês de idade comparado ao primeiro houve maior alinhamento da cabeça e menor alinhamento do membro superior em ambos os grupos. As inclinações da superfície de apoio não influenciaram no alinhamento da cabeça e do membro superior. Conclusões Entre as posições avaliadas, o decúbito ventral sem inclinação da superfície de apoio foi mais apropriado para descarregar o peso para os membros superiores, favorecendo o desenvolvimento do controle postural da criança. <![CDATA[Análise termográfica e histológica de diferentes técnicas de tenorrafias (4 e 6 passadas) em coelhos após a mobilização ativa precoce]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400611&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction This research is based on the results of the surgeries of tenorraphy, which have been improved due to the association between strong and not voluminous sutures and physiotherapic protocols, which preconize the early active motion to the postoperative period. Objective To evaluate the healing process in vivo in different types of tenorraphies. Methods Thirty-six rabbits that underwent early active motion after tenorraphy. The sample was constituted of 3 groups of 12, in accordance with the 3 different types of suture (Brasil, Indiana and Tsai). Results On the 15th and 30th days after the surgery, thermographic and histological analyses revealed similar results that all groups showed similar behaviors in the same time of surgical repair, just differentiating between the periods. On the 30th day analysis were observed that collagen fibers being more exuberant thickening, thus being able to offer higher tensile strength to the tendon. Conclusion That suggests early active motion may be increased gradually to around the 30th day taking this as clinical relevance. <hr/> Introdução Esta pesquisa é baseada nos resultados das cirurgias de tenorrafia, as quais têm evoluído em virtude da associação de suturas fortes e não volumosas e protocolos fisioterápicos, os quais preconizam mobilização ativa precoce no período pós-operatório. Objetivo Avaliar o processo de cicatrização in vivo em diferentes tipos de tenorrafias. Método Trinta e seis coelhos foram submetidos a mobilidade ativa precoce após tenorrafia. A amostra foi constituída por 3 grupos de 12, de acordo com os 3 tipos de sutura utilizados (Brasil, Indiana e Tsai). Resultados No 15º e 30º dia após a cirurgia, as análises termográficas e histológicas revelaram resultados similares evidenciando que todos os grupos apresentaram comportamentos semelhantes no mesmo tempo do reparo cirúrgico, diferenciando-se apenas entre os períodos. No trigésimo dia os estudos evidenciaram que as fibras de colágeno mostravam um exuberante afilamento, sendo assim, capazes de oferecer maior resistência tensil ao tendão. Conclusão Isto sugere que o movimento ativo precoce pode ser gradativamente aumentado em torno do trigésimo dia, o que é de grande relevância clínica. <![CDATA[Influência da força muscular isométrica de membros inferiores sobre equilíbrio e índice BODE em pacientes com DPOC: estudo transversal]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400621&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introdução Força muscular de membros inferiores (MMII) diminuída associa-se à limitação da capacidade funcional; entretanto, existem poucas evidências sobre a repercussão direta da fraqueza muscular periférica sobre tarefas de equilíbrio, bem como com o prognóstico de mortalidade nos pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Objetivos Verificar se há relação da força isométrica de MMII com Índice BODE e equilíbrio funcional de pacientes com DPOC em reabilitação pulmonar (RP), além de investigar se esses pacientes apresentam fraqueza muscular, e se tal característica é capaz de influenciar nessas variáveis. Materiais e métodos Trata-se de um estudo transversal, onde avaliou-se 24 pacientes (idade &gt; 50 anos) de ambos os gêneros, com DPOC moderada a muito grave (VEF1 = 44 (31 - 62,8)% previsto), por meio de:modified Medical Research Council (mMRC), Teste de Caminhada de 6 minutos (TC6), Índice BODE, TesteTimed “Up and Go” (TUG), Escala de Equilíbrio de Berg (EEB),Dynamic Gait Index (DGI) e Teste de Força Isométrica de Extensores de Joelho (ExtJ) e Abdutores de Quadril (AbdQ). Resultados Na amostra estudada, 54% dos pacientes apresentaram fraqueza muscular em ExtJ, com correlações moderadas da força de MMII com Índice BODE (AbdQ = -0,58) e mMRC (ExtJ = -0,48; AbdQ = -0,49). Foram encontradas diferenças para DPTC6 e mMRC quando a força dos ExtJ foi classificada em normal ou diminuída. Conclusão A força de AbdQ está associada ao prognóstico de mortalidade e a força de MMII está associada à sintomatologia em pacientes com DPOC em RP. Embora a força de MMII apresente impacto negativo na capacidade funcional e na dispneia, os pacientes desse estudo mantiveram preservado o equilíbrio e mobilidade funcional.<hr/>Introduction Decreased lower limb’s isometric strength (LLIS) is associated with impaired functional capacity, however there is not sufficient evidence showing direct impact of peripheral muscle weakness on balance tasks, as well as on prognosis of mortality in patients with chronic obstructive pulmonary disease (COPD). Objectives To assess the correlation of the LLIS with BODE index and functional balance in patients with COPD in pulmonary rehabilitation (PR) and to investigate if these patients present muscle weakness, being able to influence the balance and the prognosis of mortality. Materials and methods This was a cross-sectional study which evaluated 24 patients (age &gt; 50 years) of either genders, with moderate to very severe obstruction (FEV1 = 44 (31 - 62,8)% predicted). The following assessments were conducted: modified Medical Research Council (mMRC), Six-minute Walk Test (6MWT), BODE index, Timed Test "Up and Go" (TUG), Berg Balance Scale (BBS), Dynamic Gait Index (DGI), Muscle Strength Test in Knee Extensors (KExt) and Hip Abductors (HAbd). Results In this sample, 54% of patients had muscle weakness in ExtJ, with significant correlations of LLIS with BODE index (HAbd = -0.58) and mMRC (KExt = -0.48; HAbd = -0.49). There were differences for 6MWT and mMRC among patients with normal or decreased knee extensor strength. Conclusions The HAbd strength is associated with the prognosis of mortality and LLIS with dyspnea in patients with COPD, even under PR program. Although LLIS presented negative impact on functional capacity and dyspnea, these patients tend to keep preserved balance and functional mobility. <![CDATA[Fatores associados à melhora da composição corporal em indivíduos com DPOC após treinamento físico]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400633&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introdução A redução da massa magra corpórea (MMC) é um fator independente de mortalidade em pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) e a literatura mostra que exercícios físicos aumentam a MMC. Objetivo Identificar fatores associados à melhora da composição corporal em indivíduos com DPOC após treinamento físico de alta intensidade. Métodos 37 pacientes com DPOC (19 H; 66 ± 7 anos; IMC = 27 ± 6 kg/m2; VEF1 = 38 ± 16 %pred) foram avaliados segundo sua composição corporal, função pulmonar, força muscular respiratória e periférica, capacidade funcional de exercício (teste de caminhada dos seis minutos, TC6M), nível de atividade física diária (DynaPort®), sensação subjetiva de dispneia (escala Medical Research Council) e qualidade de vida (Saint George Respiratory Questionnaire). O treinamento conteve exercícios de endurance e força muscular (3 vezes por semana por três meses). Após três meses, os pacientes foram reavaliados. Aqueles que apresentaram incremento de MMC incorporaram à estatística. Resultados No pré-treinamento, a MMC se correlacionou significativamente (p ≤ 0,05) com gasto energético total (r = 0,57), TC6M em %predito (r = 0,46), pressão expiratória máxima (PEmax) (r = 0,57), volume expiratório forçado no primeiro segundo em %predito (r = 0,47), força muscular de quadríceps femoral (r = 0,54), bíceps (r = 0,62) e tríceps braquial (r = 0,63). Contudo, o incremento da MMC após treinamento correlacionou-se significativamente somente com a melhora das escalas MRC (r = 0,4; p = 0,05) e PEmax (r = 0,35; p = 0,04). Conclusão Apesar de a MMC de pacientes com DPOC estar relacionada com a capacidade funcional de exercício, força muscular respiratória e periférica, obstrução pulmonar e gasto energético no pré-tratamento, a melhora da composição corporal está relacionada somente ao incremento da força muscular expiratória e sensação de dispneia após treinamento físico de alta intensidade.<hr/>Introduction The fat free mass (FFM) reduction is an independent predictor factor of mortality in patients with chronic obstructive pulmonary disease (COPD) and the literature shows that exercise increases the FFM. Objective To identify factors associated with improvement in body composition in patients with COPD after high intensity physical training. Methods Thirty-seven patients with COPD (19M; 66 ± 7 years; BMI = 27 ± 6 kg/m2; VEF1 = 38 ± 16 %pred) were evaluated according to their body composition, lung function, respiratory and peripheral muscle strengh, functional exercise capacity (six minutes walk test, 6 MWT), level of daily physical activity (activity monitor, DynaPort®), the sensation of Dyspnea (Medical Research Council scale) and quality of life (Saint George Respiratory Questionnaire). The physical training contained muscle strength and endurance exercises (3 times/week, for 3 months). After 3 months patients were reevaluated. Those who exhibited an increase in FFM entered in the statistics. Results At the baseline, FFM significantly (p ≤ 0.05) correlated with total energy expenditure (r = 0.57), 6MWT in %predict (r = 0.46), maximum expiratory pressure (MEP) (r = 0.57), forced expiratory volume in the first second in %predict (r = 0.47), quadriceps strength (r = 0.54), biceps strength (r = 0.62) and triceps strength (r = 0.63). However, the improvement in the FFM after training significantly correlate only with increases in the MRC scale (r = 0.47; p = 0.05) and MEP (r = 0.35; p = 0.04). Conclusion Despite the FFM in patients with COPD be related to functional exercise capacity, respiratory and peripheral muscle strength, pulmonary obstruction and energy expenditure in the baseline, improved in FFM after exercise training is related only with increases in expiratory muscle strength and with the dyspnea sensation. <![CDATA[Impacto da fisioterapia na qualidade de vida e capacidade funcional em pacientes com doença renal crônica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400643&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction Studies have demonstrated beneficial effects of exercise in patients with chronic kidney disease, however, based on current scientific literature, more research is needed to increase evidence level of potential effects of physical activity for this population. Objective To evaluate effects of physical therapy based on the supervised exercise practice on functional capacity and life quality of patients with chronic kidney disease. Material and methods This quasi-experimental study, with repeated measures design, was conducted in the ambulatory of physical therapy, in a public hospital, located in a city of the state of Pará (north region of Brazil). Functional capacity and life quality were assessed at baseline and after six weeks of aerobic and resistance training performed three times per week on alternate days with hemodialysis. Results Eight patients (3M / 5F) with a mean age of 60.38 years (SD = 14.75) were evaluated. There was significant increase of 24% in distance walked in six minute walk test (p = 0.007), and of 47% in number of repetitions during sit-to-stand test (p = 0.002); there was also significant improvement in emotional role (p = 0.043) of life quality assessed with SF36 questionnaire. Conclusion There was a positive impact of only six weeks of rehabilitation with physical exercise on functional capacity and emotional role of life quality of patients with chronic kidney disease.<hr/>Introdução Estudos têm demonstrado efeitos benéficos do exercício em pacientes com doença renal crônica, no entanto, com base na literatura científica atual, mais pesquisas são necessárias para aumentar o nível de evidência dos efeitos potenciais de atividade física para esta população. Objetivo Avaliar os efeitos da fisioterapia baseada na prática de exercício supervisionado sobre a capacidade funcional e a qualidade de vida de pacientes com doença renal crônica. Material e métodos Este estudo quase-experimental, com repetidas medidas projeto, foi realizado no ambulatório de fisioterapia, em um hospital público, localizado em uma cidade do estado do Pará (região norte do Brasil). A capacidade funcional e qualidade de vida foram avaliadas no início e após seis semanas de treinamento aeróbico e de resistência realizados três vezes por semana em dias alternados com hemodiálise. Resultados Oito pacientes (3M / 5F), com idade média de 60,38 anos (DP = 14,75) foram avaliados. Houve aumento significativo de 24% da distância percorrida no teste de caminhada de seis minutos (p = 0,007), e de 47% no número de repetições durante o teste sit-to-stand (p = 0,002); também houve melhora significativa nos aspectos emocionais (p = 0,043) da qualidade de vida avaliada com questionário SF-36. Conclusão Houve um impacto positivo de apenas seis semanas de reabilitação com exercício físico na capacidade funcional e aspectos emocionais da qualidade de vida de pacientes com doença renal crônica. <![CDATA[Sonolência excessiva diurna em pacientes com doença renal crônica submetidos a hemodiálise]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400653&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction Approximately 80% of patients with chronic kidney disease complain about sleep disorders, which is a much higher percentage than in the general population. Excessive daytime sleepiness is the third most frequent complaint in these patients, and it is significantly associated with a higher risk of sleep apnea. The aim of this study was to assess the presence of daytime sleepiness in patients with end stage renal disease (ESRD) who were undergoing diurnal hemodialysis. Materials and methods The Epworth Sleepiness Scale (ESS) was applied to patients with ESRD who underwent diurnal hemodialysis in the Centro de Nefrologia da Zona Norte in Sao Paulo, Brazil. Results A total of 168 patients were included in the study. According to the ESS, 31% presented with a mild propensity to sleep, 22% with a moderate propensity, and 17% with a severe propensity. Conclusion Our study concluded that 70% of the sample of patients with ESRD who were undergoing hemodialysis presented with a propensity to sleep in inappropriate circumstances on the ESS. When excessive daytime sleepiness is associated with sleep apnea and other comorbidities, it is essential to carefully assess patients’ complaints.<hr/>Introdução Aproximadamente 80% dos pacientes com doença renal crônica (DRC) referem alguma queixa sobre distúrbios do sono, sendo muito maior do que na população em geral. A sonolência excessiva diurna é a terceira queixa mais frequente e está significativamente associada com um maior rico de apneia do sono. O objetivo deste estudo foi avaliar a presença de sonolência excessiva diurna em pacientes com doença renal em estágio final (DREF) submetidos a hemodiálise diurna. Materiais e métodos A escala de sonolência de Epworth (ESE) foi aplicada em pacientes em DREF, que realizam hemodiálise diurna no Centro de Nefrologia da Zona Norte, na cidade de São Paulo. Resultados Cento e sessenta e oito pacientes foram incluídos no estudo. Trinta e um por cento da amostra apresentou uma leve propensão a dormir, de acordo com ESE, enquanto que vinte e dois por cento apresentaram uma moderada propensão e dezessete por cento apresentaram uma grave propensão. Conclusão Nosso estudo concluiu que 70% da amostra em DREF submetidos a hemodiálise apresentaram uma propensão de dormir em circunstâncias inapropriadas, de acordo com a escala de sonolência de Epworth. Uma vez que a sonolência excessiva diurna está associada com a apneia do sono e outras comorbidades é essencial estar atento às queixas desses pacientes. <![CDATA[Laser de baixa potência no tratamento do linfedema de membro superior: revisão sistemática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400663&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction Low-level lasers have been suggested as a complement to lymphedema treatment. However, this therapy’s mechanism of action and its effects are poorly understood up to the present. Objective To conduct a systematic literature review to analyze the effects of low-level laser in the treatment of upper-limb lymphedema in women submitted to breast cancer surgery. Material and methods Randomized clinical trials were included, in Portuguese, English and Spanish, from January 1990 to July 2013. The article search was carried out in the Pubmed, Lilacs and PEDro electronic databases, with the following descriptors:Terapia a Laser de Baixa Intensidade, Linfedema, Câncer de Mama, Low-level laser therapy, Lymphedema, Breast Neoplasms and also through a manual search. Results and discussion Low-level lasers have been used for treating several acute and chronic conditions. However, its application for managing post breast cancer surgery is still recent, often based on empirical evidence. Treating upper-limb lymphedema with low-level laser presented positive results, with reduction in the circumference or volume of the affected limb. Conclusion More studies of high methodological quality are needed in order to better understand the mechanism of action of low-level laser on the lymphatic system and its effects on lymphedema treatement.<hr/>Introdução O Laser de baixa potência vem sendo sugerido como uma forma complementar ao tratamento do linfedema. Entretanto, os mecanismos de ação dessa terapêutica bem como seus efeitos são pouco esclarecidos até o momento. Objetivo Realizar uma revisão sistemática da literatura, a fim de analisar os efeitos do laser de baixa potência no tratamento de linfedema de membro superior em mulheres submetidas à cirurgia do câncer de mama. Materiais e métodos Foram incluídos ensaios clínicos aleatorizados nos idiomas português, inglês e espanhol, de janeiro de 1990 a julho de 2013. A busca dos artigos foi realizada nas bases de dados eletrônicas Pubmed, Lilacs e PEDro, utilizando os seguintes descritores: Terapia a Laser de Baixa Intensidade, Linfedema, Câncer de Mama, Low-level laser therapy, Lymphedema, Breast Neoplasms e também por meio da busca manual. Resultados e discussão O Laser de baixa potência tem sido utilizado no tratamento de vários problemas agudos e crônicos. Porém, sua aplicação para o manejo do linfedema pós cirurgia de câncer de mama ainda é recente, sendo essa muitas vezes embasada em evidências empíricas. O tratamento do linfedema de membro superior com o laser de baixa potência apresentou bons resultados, com uma redução da circunferência ou volume do membro acometido. Conclusão Mais estudos, de alta qualidade metodológica, são necessários para um maior entendimento do mecanismo de ação do laser de baixa potência sobre o sistema linfático e seus efeitos no tratamento do linfedema. <![CDATA[Efeito do treinamento dos músculos do assoalho pélvico na incontinência urinária de mulheres idosas: revisão sistemática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000400675&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Introduction The International Continence Society (ICS) determines that the pelvic floor muscles training (PFMT) is the first-choice treatment of urinary symptoms in women. Objective The aim of this study was to systematize randomized controlled clinical trials that address the effects of PFMT in the treatment of urinary symptoms in older women using objective outcome measures. Method Systematic review search was performed eletronic the following databases: Medline, Pubmed, Lilacs, PEDro and manual research conducted in the references of the studies. Were considered eligible women aged over 60 years who performed PFMT in isolation, without the involvement of another technique. The PFMT performed in clinic or at home, with or without the supervision of a therapist and with or without the use of biofeedback as an adjunct. Considered as outcome measures urodynamic studies, voiding diary that assesses daytime urinary frequency, nocturnal urinary frequency, urinary incontinence and exchange absorbent, and, finally, the absorbent test that quantifies loss urinary grams. The assessment of methodological quality of the studies was conducted by PEDro scale. Results Three studies were reviewed in full. Only one trial was rated high methodological quality. There was significant improvement in urinary symptoms after treatment proposed in the three selected studies. Conclusion Considering the studies available so far are weak the evidence for the use of PFMT in the treatment of urinary symptoms in elderly women.<hr/>Introdução A Sociedade Internacional de Continência (SIC) determina que o treinamento dos músculos do assoalho pélvico (TMAP) seja considerado como primeira opção de tratamento dos sintomas urinários nas mulheres. Objetivo O objetivo deste estudo foi sistematizar ensaios clínicos randomizados e controlados que abordam os efeitos do TMAP no tratamento dos sintomas urinários em mulheres idosas utilizando medidas de desfecho objetivas. Método Revisão sistemática no qual foi feita uma busca eletrônica nas seguintes bases de dados: Medline, Pubmed, Lilacs, PEDro e pesquisa manual realizada nas referências bibliográficas dos estudos. Consideraram-se elegíveis mulheres idosas acima de 60 anos, que realizaram o TMAP de forma isolada, sem envolvimento de outra técnica. O TMAP realizado em ambulatório ou em domicílio, com ou sem a supervisão de um terapeuta e com ou sem o uso do biofeedback como adjuvante. Considerou-se como medidas de desfecho o estudo urodinâmico, o diário miccional que avalia a frequência urinária diurna, a frequência urinária noturna, perda urinária aos esforços e a troca de absorventes, e, por fim, o teste do absorvente que quantifica a perda urinária em gramas. A avaliação da qualidade metodológica dos estudos foi realizada pela escala PEDro. Resultados Três estudos foram revisados na íntegra. Apenas um artigo foi classificado como de alta qualidade metodológica. Houve melhora significativa dos sintomas miccionais após o tratamento proposto nos três estudos selecionados. Conclusão Considerando os estudos disponíveis até o momento são fracas as evidências favoráveis à utilização do TMAP no tratamento dos sintomas urinários de mulheres idosas.