Scielo RSS <![CDATA[Revista Estudos Feministas]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-026X20190001&lang= vol. 27 num. 1 lang. <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Gender, Reciprocity and Market in Elderly Care]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100200&lng=&nrm=iso&tlng= Resumo: Este texto discute o tema do trabalho das cuidadoras de idosos que têm seus serviços agenciados por uma empresa de cuidado, com base num estudo de caso no centro da cidade do Rio de Janeiro. O trabalho dessas mulheres é analisado a partir da tensão entre duas lógicas: uma que prevê o cuidado plasmado por valores associados à reciprocidade e solidariedade, tidos como femininos, e outra marcada pela necessidade de profissionalização e de controle dos sentimentos. Os resultados da pesquisa sugerem que as duas lógicas - a da reciprocidade e a do mercado - competem na produção de demandas morais e emocionais do trabalho de cuidado, e que algumas cuidadoras operam estratégias de distanciamento do modelo familiar do cuidado de modo a valorizar seu próprio trabalho.<hr/>Abstract: This text discusses the theme of care workers for the elderly who have their services intermediated by a care enterprise. The text is based on a case study in Rio de Janeiro. These women’s work is analyzed through the tension between two logics: one that sees care shaped by values associated with reciprocity and solidarity, perceived as feminine, and another marked by the necessity of professionalization and emotion’s management. The research’s results suggest that both logics - the reciprocity one and the market one - compete in the production of care work’s moral and emotional demands, and that some care workers operate strategies of detachment from the family model of care as a way to value their own work. <![CDATA[Joana Nolais and the Enigma of the Gender: A Psychoanalytic Discussion of Transsexuality]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100201&lng=&nrm=iso&tlng= Resumo: O presente artigo aborda a transexualidade, como parte da pluralidade do gênero, dentro da perspectiva da Teoria da Sedução Generalizada, de Jean Laplanche, a partir da qual analisamos a autobiografia de Joana Nolais. Discutimos o gênero como um dos conteúdos das mensagens enigmáticas provenientes do adulto, transmitidas à criança através dos cuidados básicos. Por serem enigmáticas, isto é, da ordem do sexual e, por isso, inconscientes também para o próprio adulto, tais mensagens são traumáticas por excelência, o que exigirá da criança um trabalho de tradução, auxiliada pelo sexo anatômico e a cultura, enquanto organizadores. Consideramos a transexualidade como uma das possíveis traduções do enigma do gênero do adulto efetuadas pela criança desde muito cedo.<hr/>Abstract: This article approaches transsexuality as part of the gender plurality, within the perspective of Jean Laplanche’s theory of generalized seduction, from the transsexual Joana Nolais autobiography analysis. It discusses the gender as one of the contents from the enigmatic messages which originate from adults, transmited to child through the basic care. For being enigmatic, that is, of the sexual order and, therefore, also unconscious for the adult, these messages are traumatic par excellence, what demands from the child a translation work, assisted by the anatomical sex and the culture, as organizers. Considering the transsexuality as one of the possible translations of the adult gender enigma perfomed by the child since very early. <![CDATA[Novos diálogos dos estudos feministas da deficiência]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100202&lng=&nrm=iso&tlng= Resumo: O objetivo deste estudo foi o de caracterizar a produção recente dos estudos feministas da deficiência (Feminist disability studies), com o foco na intersecção entre gênero e deficiência. Para tanto, foi realizada uma revisão da literatura internacional na qual foram incluídos artigos publicados nos últimos cinco anos em revistas disponíveis no portal de periódicos da CAPES. Os artigos analisados ressaltam que os modelos de compreensão da deficiência têm efeitos sociais e políticos nas formas de se pensar em questões como a corporeidade, a sexualidade, o cuidado e a interdependência. Além disso, as produções estudadas apontam que a inclusão da deficiência como categoria de análise a ser considerada nos estudos e práticas sociais tem um potencial analítico e político.<hr/>Abstract: This study aimed to characterize the recent production of feminist disability studies, focusing on the intersection between gender and disability. Therefore, a review of the international literature was carried out, in which articles published in the last five years in journals available in the CAPES journal portal were included. The analyzed articles emphasize that the models of understanding disability have social and political effects in the ways of thinking about issues such as corporeality, sexuality, care and interdependence. Moreover, the studied productions point out that the inclusion of disability as a category of analysis to be considered in studies and social practices has an analytical and political potential. <![CDATA[The World of Life and the World of the Text on <em>Ursul</em>a by Maria Firmina dos Reis]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100203&lng=&nrm=iso&tlng= Resumo: O romance Úrsula, de Maria Firmina dos Reis (2004), teve sua primeira publicação em 1859. Ele revela sua magnitude por dois aspectos: o primeiro, por ter sido o primeiro romance de autoria afrodescendente da literatura brasileira; o segundo, por ter sido o primeiro romance abolicionista escrito no Brasil. Nele, Maria Firmina dos Reis faz da escrita literária o palco da voz dos seus antepassados, onde os próprios sujeitos escravizados retratam, sob seus próprios pontos de vista, a questão da escravidão. A escrita de Maria Firmina dos Reis questiona a tradição escravocrata e patriarcal, marcada pela estigmatização e pela subalternização das comunidades afro-brasileiras e, consequentemente, por seu silenciamento durante séculos. Tendo em vista esses aspectos, a análise terá como pano de fundo a distinção desenvolvida por Paul Ricoeur em Do texto à ação: ensaios de hermenêutica (1989): o mundo do texto e o mundo da vida, assim como a discussão acerca da noção de mundo proposta por Antoine Compagnon em O demônio da teoria (2014).<hr/>Abstract: The novel Ursula, by Maria Firmina dos Reis, had its first publication in 1859. It reveals the magnitude of two aspects: the first, for being the first novel by an afro-descendant’s authorship in Brazilian literature; the second is that it was also the first abolitionist novel written in Brazil. In it, Maria Firmina dos Reis makes of the literary written a voice stage of her ancestors, in which the enslaved individuals themselves portray under their own views the issue of slavery, from their homeland to the route to get to Brazil. Thus, the writing of Maria Firmina dos Reis sets textually a slave owner and patriarchal tradition, marked by stigma and social subordination of the Afro-Brazilian communities and in consequent, their muting for centuries. Considering these aspects, our analysis will have as a background the ricoeurian distinction of the world of the text and the world of the life, as well as the notion of the world and the reader in this novel, from the discussions proposed by Antoine Compagnon in O demônio da teoria. Therefore, our work will focus on the analysis of the novel from these conceptualizations. <![CDATA[The Movimento Feminino pela Anistia in the Fight Against the Dictatorship in Brazil: Interview with Therezinha Zerbini]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100400&lng=&nrm=iso&tlng= Resumo: O romance Úrsula, de Maria Firmina dos Reis (2004), teve sua primeira publicação em 1859. Ele revela sua magnitude por dois aspectos: o primeiro, por ter sido o primeiro romance de autoria afrodescendente da literatura brasileira; o segundo, por ter sido o primeiro romance abolicionista escrito no Brasil. Nele, Maria Firmina dos Reis faz da escrita literária o palco da voz dos seus antepassados, onde os próprios sujeitos escravizados retratam, sob seus próprios pontos de vista, a questão da escravidão. A escrita de Maria Firmina dos Reis questiona a tradição escravocrata e patriarcal, marcada pela estigmatização e pela subalternização das comunidades afro-brasileiras e, consequentemente, por seu silenciamento durante séculos. Tendo em vista esses aspectos, a análise terá como pano de fundo a distinção desenvolvida por Paul Ricoeur em Do texto à ação: ensaios de hermenêutica (1989): o mundo do texto e o mundo da vida, assim como a discussão acerca da noção de mundo proposta por Antoine Compagnon em O demônio da teoria (2014).<hr/>Abstract: The novel Ursula, by Maria Firmina dos Reis, had its first publication in 1859. It reveals the magnitude of two aspects: the first, for being the first novel by an afro-descendant’s authorship in Brazilian literature; the second is that it was also the first abolitionist novel written in Brazil. In it, Maria Firmina dos Reis makes of the literary written a voice stage of her ancestors, in which the enslaved individuals themselves portray under their own views the issue of slavery, from their homeland to the route to get to Brazil. Thus, the writing of Maria Firmina dos Reis sets textually a slave owner and patriarchal tradition, marked by stigma and social subordination of the Afro-Brazilian communities and in consequent, their muting for centuries. Considering these aspects, our analysis will have as a background the ricoeurian distinction of the world of the text and the world of the life, as well as the notion of the world and the reader in this novel, from the discussions proposed by Antoine Compagnon in O demônio da teoria. Therefore, our work will focus on the analysis of the novel from these conceptualizations. <![CDATA[[Artigo parcialmente retratado]: O <em>mundo da vida</em> e o <em>mundo do texto</em> em <em>Úrsula</em>, de Maria Firmina dos Reis]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000101000&lng=&nrm=iso&tlng= Resumo: O romance Úrsula, de Maria Firmina dos Reis (2004), teve sua primeira publicação em 1859. Ele revela sua magnitude por dois aspectos: o primeiro, por ter sido o primeiro romance de autoria afrodescendente da literatura brasileira; o segundo, por ter sido o primeiro romance abolicionista escrito no Brasil. Nele, Maria Firmina dos Reis faz da escrita literária o palco da voz dos seus antepassados, onde os próprios sujeitos escravizados retratam, sob seus próprios pontos de vista, a questão da escravidão. A escrita de Maria Firmina dos Reis questiona a tradição escravocrata e patriarcal, marcada pela estigmatização e pela subalternização das comunidades afro-brasileiras e, consequentemente, por seu silenciamento durante séculos. Tendo em vista esses aspectos, a análise terá como pano de fundo a distinção desenvolvida por Paul Ricoeur em Do texto à ação: ensaios de hermenêutica (1989): o mundo do texto e o mundo da vida, assim como a discussão acerca da noção de mundo proposta por Antoine Compagnon em O demônio da teoria (2014).<hr/>Abstract: The novel Ursula, by Maria Firmina dos Reis, had its first publication in 1859. It reveals the magnitude of two aspects: the first, for being the first novel by an afro-descendant’s authorship in Brazilian literature; the second is that it was also the first abolitionist novel written in Brazil. In it, Maria Firmina dos Reis makes of the literary written a voice stage of her ancestors, in which the enslaved individuals themselves portray under their own views the issue of slavery, from their homeland to the route to get to Brazil. Thus, the writing of Maria Firmina dos Reis sets textually a slave owner and patriarchal tradition, marked by stigma and social subordination of the Afro-Brazilian communities and in consequent, their muting for centuries. Considering these aspects, our analysis will have as a background the ricoeurian distinction of the world of the text and the world of the life, as well as the notion of the world and the reader in this novel, from the discussions proposed by Antoine Compagnon in O demônio da teoria. Therefore, our work will focus on the analysis of the novel from these conceptualizations.