Scielo RSS <![CDATA[Revista Estudos Feministas]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-026X20190001&lang=pt vol. 27 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Não soltaremos as mãos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100100&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Gênero, reciprocidade e mercado no cuidado de idosos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100200&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Este texto discute o tema do trabalho das cuidadoras de idosos que têm seus serviços agenciados por uma empresa de cuidado, com base num estudo de caso no centro da cidade do Rio de Janeiro. O trabalho dessas mulheres é analisado a partir da tensão entre duas lógicas: uma que prevê o cuidado plasmado por valores associados à reciprocidade e solidariedade, tidos como femininos, e outra marcada pela necessidade de profissionalização e de controle dos sentimentos. Os resultados da pesquisa sugerem que as duas lógicas - a da reciprocidade e a do mercado - competem na produção de demandas morais e emocionais do trabalho de cuidado, e que algumas cuidadoras operam estratégias de distanciamento do modelo familiar do cuidado de modo a valorizar seu próprio trabalho.<hr/>Abstract: This text discusses the theme of care workers for the elderly who have their services intermediated by a care enterprise. The text is based on a case study in Rio de Janeiro. These women’s work is analyzed through the tension between two logics: one that sees care shaped by values associated with reciprocity and solidarity, perceived as feminine, and another marked by the necessity of professionalization and emotion’s management. The research’s results suggest that both logics - the reciprocity one and the market one - compete in the production of care work’s moral and emotional demands, and that some care workers operate strategies of detachment from the family model of care as a way to value their own work. <![CDATA[Joana Nolais e o enigma de gênero: uma discussão psicanalítica da transexualidade]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100201&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: O presente artigo aborda a transexualidade, como parte da pluralidade do gênero, dentro da perspectiva da Teoria da Sedução Generalizada, de Jean Laplanche, a partir da qual analisamos a autobiografia de Joana Nolais. Discutimos o gênero como um dos conteúdos das mensagens enigmáticas provenientes do adulto, transmitidas à criança através dos cuidados básicos. Por serem enigmáticas, isto é, da ordem do sexual e, por isso, inconscientes também para o próprio adulto, tais mensagens são traumáticas por excelência, o que exigirá da criança um trabalho de tradução, auxiliada pelo sexo anatômico e a cultura, enquanto organizadores. Consideramos a transexualidade como uma das possíveis traduções do enigma do gênero do adulto efetuadas pela criança desde muito cedo.<hr/>Abstract: This article approaches transsexuality as part of the gender plurality, within the perspective of Jean Laplanche’s theory of generalized seduction, from the transsexual Joana Nolais autobiography analysis. It discusses the gender as one of the contents from the enigmatic messages which originate from adults, transmited to child through the basic care. For being enigmatic, that is, of the sexual order and, therefore, also unconscious for the adult, these messages are traumatic par excellence, what demands from the child a translation work, assisted by the anatomical sex and the culture, as organizers. Considering the transsexuality as one of the possible translations of the adult gender enigma perfomed by the child since very early. <![CDATA[Novos diálogos dos estudos feministas da deficiência]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100202&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: O objetivo deste estudo foi o de caracterizar a produção recente dos estudos feministas da deficiência (Feminist disability studies), com o foco na intersecção entre gênero e deficiência. Para tanto, foi realizada uma revisão da literatura internacional na qual foram incluídos artigos publicados nos últimos cinco anos em revistas disponíveis no portal de periódicos da CAPES. Os artigos analisados ressaltam que os modelos de compreensão da deficiência têm efeitos sociais e políticos nas formas de se pensar em questões como a corporeidade, a sexualidade, o cuidado e a interdependência. Além disso, as produções estudadas apontam que a inclusão da deficiência como categoria de análise a ser considerada nos estudos e práticas sociais tem um potencial analítico e político.<hr/>Abstract: This study aimed to characterize the recent production of feminist disability studies, focusing on the intersection between gender and disability. Therefore, a review of the international literature was carried out, in which articles published in the last five years in journals available in the CAPES journal portal were included. The analyzed articles emphasize that the models of understanding disability have social and political effects in the ways of thinking about issues such as corporeality, sexuality, care and interdependence. Moreover, the studied productions point out that the inclusion of disability as a category of analysis to be considered in studies and social practices has an analytical and political potential. <![CDATA[[ARTIGO RETRATADO] O <em>mundo da vida</em> e o <em>mundo do texto</em> em <em>Úrsula</em>, de Maria Firmina dos Reis]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100203&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: O romance Úrsula, de Maria Firmina dos Reis (2004), teve sua primeira publicação em 1859. Ele revela sua magnitude por dois aspectos: o primeiro, por ter sido o primeiro romance de autoria afrodescendente da literatura brasileira; o segundo, por ter sido o primeiro romance abolicionista escrito no Brasil. Nele, Maria Firmina dos Reis faz da escrita literária o palco da voz dos seus antepassados, onde os próprios sujeitos escravizados retratam, sob seus próprios pontos de vista, a questão da escravidão. A escrita de Maria Firmina dos Reis questiona a tradição escravocrata e patriarcal, marcada pela estigmatização e pela subalternização das comunidades afro-brasileiras e, consequentemente, por seu silenciamento durante séculos. Tendo em vista esses aspectos, a análise terá como pano de fundo a distinção desenvolvida por Paul Ricoeur em Do texto à ação: ensaios de hermenêutica (1989): o mundo do texto e o mundo da vida, assim como a discussão acerca da noção de mundo proposta por Antoine Compagnon em O demônio da teoria (2014).<hr/>Abstract: The novel Ursula, by Maria Firmina dos Reis, had its first publication in 1859. It reveals the magnitude of two aspects: the first, for being the first novel by an afro-descendant’s authorship in Brazilian literature; the second is that it was also the first abolitionist novel written in Brazil. In it, Maria Firmina dos Reis makes of the literary written a voice stage of her ancestors, in which the enslaved individuals themselves portray under their own views the issue of slavery, from their homeland to the route to get to Brazil. Thus, the writing of Maria Firmina dos Reis sets textually a slave owner and patriarchal tradition, marked by stigma and social subordination of the Afro-Brazilian communities and in consequent, their muting for centuries. Considering these aspects, our analysis will have as a background the ricoeurian distinction of the world of the text and the world of the life, as well as the notion of the world and the reader in this novel, from the discussions proposed by Antoine Compagnon in O demônio da teoria. Therefore, our work will focus on the analysis of the novel from these conceptualizations. <![CDATA[Norma Técnica de Padronização e as Delegacias das Mulheres em Santa Catarina]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100204&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: O artigo apresenta os resultados de uma pesquisa realizada com delegados/as que atuam nas Delegacias Especializadas de Atendimento às Mulheres em 19 regiões de Santa Catarina. Os objetivos principais foram compreender o perfil dos delegados/as e analisar a adequação das atividades policiais e das condições estruturais administrativas das Delegacias em relação à Norma Técnica de Padronização das Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher. A abordagem metodológica apoia-se em dados quantitativos obtidos com a utilização de um questionário online, respondido pelos delegados/as. Os resultados da pesquisa mostram que as delegacias são majoritariamente comandadas por delegados homens, que as condições estruturais e atividades executadas nas referidas unidades policiais estão aquém do previsto na Norma.<hr/>Abstract: The article presents the results of a research done with delegates who work in the Women's Police stations for Assistance to Women in 19 regions of Santa Catarina. The main objectives were to understand the profile of the delegates, to analyze the adequacy of the police activities and the administrative structural conditions of the Police Stations in relation to the Technical Norm of Standardization of the Women's Police Station for Assistance to Women. The methodological approach is based on quantitative data obtained through the use of an online questionnaire answered by delegates. The results of the research indicate that the Police Stations are mostly commanded by men delegates, that structural conditions and the activities carried out in Police Station units fall short of the provisions of the Technical Norm. <![CDATA[Ciência sucessora e a(s) epistemologia(s): saberes localizados]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100205&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: O presente artigo é uma reflexão sobre a importância de uma nova forma de ciência, bem como sobre possíveis eixos para uma ciência feminista. Propõe-se, aqui, a substituição de um fazer científico neo-positivista por um modelo de ciência que entenda as formas de produzir saber oriundas de diferentes comunidades epistêmicas, que adote a objetividade como saberes localizados e que, ao invés de incorporar o liberalismo, seja comprometido com a libertação dos grupos subjugados. O modelo proposto também inclui um novo objetivo para a ciência, que ao invés de buscar a lei universal do mundo, busque a tradução de diferentes realidades e permita uma relação de accountability entre os sujeitos de pesquisa.<hr/>Abstract: This article aims to promote a reflection about the importance of a new form of science, as well as about the possible principles for a feminist science. Here, it is proposed the replacement of the neo-positivist model for a new one, which understands the different forms to produce knowledge, adopts the idea of situated knowledge and that, instead of the liberalism, embodies the commitment with the social emancipation. This new model also should include a new objective: instead of to seek a universal law in the world, seeks the translation of different realities and allows the accountability between the subjects of research. <![CDATA[Encontros e despedidas: migração de mulheres militares da Aeronáutica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100206&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Este estudo, de caráter qualitativo, objetivou conhecer os significados das experiências de migração de mulheres no contexto militar. Utilizando um enfoque psicossocial crítico e recorrendo, em especial, às teorias de gênero e a teoria das Representações Sociais, buscou-se, especificamente, compreender de que forma essas experiências contribuíram para a construção da subjetividade. Por meio da narrativa de mulheres militares, concluímos que a experiência de tornar-se uma mulher só, em um lugar desconhecido, está carregada de representações e significados que reforçam permanências em uma cultura de subordinação de gênero, em que as mulheres permanecem em lugares de não poder.<hr/>Abstract: This qualitative study aims to identify the meanings attributed to the experience of migration by women in the military context. Using a critical psychosocial approach and particularly gender theories and the theory of social representations, it specifically aims to understand how these experiences contributed to the construction of subjectivities. Through the narration of military women, we concluded that the experience of becoming a woman by herself in an unknown place is full of representations and meanings that reinforce the continuity of a culture of gender subordination, where women remain in powerless positions. <![CDATA[Costureiras, mucamas, lavadeiras e vendedoras: O trabalho feminino no século XIX e o cuidado com as roupas (Rio de Janeiro, 1850-1920)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100207&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: O trabalho assalariado feminino se transforma no século XIX, enquanto se desenvolve o capitalismo. Se, por um lado as mulheres passam a ser vistas como consumidoras de mercadorias, por outro esse consumo dá início a uma série de transformações nas suas vidas. As mulheres passam a sair da casa para comprar, em especial, roupas. A indústria de confecção, que começa a partir de pequenos ateliês, abre espaço para novos tipos de trabalho feminino remunerados: vendedoras, costureiras, fazedoras de chapéus. Multiplicam-se os trabalhos femininos no cuidado com a roupa e no vestir-se das mulheres de elite. Mas são as mucamas, as costureiras e as lavadeiras, geralmente escravas, que vão transformar o tipo de trabalho feito por mulheres no século XIX.<hr/>Abstract: Female wage labor transforms itself during the nineteenth century as capitalism develops. If, on the one hand, women are seen as consumers of goods, on the other, this consumption initiates a series of transformations in their lives. Women come out of the house specially to buy clothes. The garment industry, which starts from small ateliers, opens up space for new types of paid female work: saleswomen, dressmakers, hat makers. Women's work is multiplied in the care of the clothes and in the dressing of the elite women. But it is the maids, seamstresses and washerwomen, usually slaves, who will transform the kind of work done by women in the nineteenth century. <![CDATA[Imagens de violência de gênero em telenovelas brasileiras]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100208&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: O presente artigo investiga o modo como é retratada a violência perpetrada contra as vilãs de telenovelas brasileiras, por seus pais, maridos e amantes. Questiona se as cenas nas quais essas mulheres são agredidas estão inseridas em um contexto no qual tal violência é declarada e questionada, ou se elas aparecem destituídas de qualquer indagação sobre o fato de se representar um homem batendo em uma mulher. Foram selecionadas nove novelas para análise, exibidas entre os anos 2000 a 2017, sendo todas “novelas das oito” apresentadas no horário nobre (21 horas). Ao final do percurso, buscou-se evidenciar um regime de representação que nega a violência de gênero inerente a essas imagens e suas possíveis consequências.<hr/>Abstract: This article investigates the portrayal of the violence perpetrated against the villains of Brazilian soap operas by their parents, husbands and lovers. The main question is about whether the scenes in which these women are assaulted are inserted in a context in which such violence is stated and questioned, or if they appear devoid of any inquiry about the depiction of a man beating a woman. Nine soap operas were selected for analysis: all were exhibited between the years of 2000 to 2017 and were presented in prime time (21 o’clock). At the end of the course, the investigation demonstrates a regime of representation that denies the gender violence inherent in these images and their possible consequences. <![CDATA[As tramas de uma complexa rede: atores e atrizes da política de direitos reprodutivos no Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100209&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Este estudo buscou identificar, a partir do referencial feminista, atores e atrizes envolvidos/as na política nacional de direitos sexuais e direitos reprodutivos em curso no Brasil. A escolha dessa política como lócus de investigação se deu em função de ser um espaço de discussão teórica e política com trajetória histórica de pelo menos trinta anos no campo da saúde, protagonizado por diferentes e diversos atores sociais em um campo de conhecimento e práticas ancorado em elementos considerados masculinos: a área biomédica e a de formulação das políticas. Com base em um Modelo Operacional de Análise de Políticas Públicas proposto por Araújo Júnior (2000), identificamos contexto, atores, processos e conteúdo da referida política tendo como ponto de partida os diálogos com 23 profissionais que, durante o período-foco da pesquisa (Gestão 2003-2006), ocuparam lugares importantes na formulação e debate público neste campo.<hr/>Abstract: This study sought to identify, from the feminist framework, actors and actresses involved / in the national policy on sexual and reproductive rights, underway in Brazil. The choice of this policy as a place of research was due to be a theoretical discussion of space and politics with historical trajectory of at least thirty years in the field of health, carried out by different and diverse social actors in a field of knowledge and practices anchored in considered masculine elements: biomedical and formulation of policies. Based on an Operational Model Analysis of Public Policy proposed by Araújo Junior (2000), identified context, actors, process and content of the policy taking as a starting point the dialogue with 23 professionals who, during the research focus (management 2003-2006), occupied important places in the formulation and public debate in this field. <![CDATA[O conceito de exploração sexual e seus tensionamentos: para além da dicotomia vitimização-exploração]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100210&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: O artigo buscou tensionar as concepções sobre a exploração sexual, ampliando a discussão para além da dicotomia vitimização-culpabilização. Foram feitas entrevistas semiestruturadas com dois profissionais que possuíam vasta experiência no atendimento a jovens em situação de abrigamento e análise de materiais documentais, em especial um inquérito policial sobre uma jovem de 17 anos. As meninas na exploração sexual lidam com as complexidades entre os limites de se viver numa sociedade que estimula a inserção social pelo consumo e ao mesmo tempo moraliza seu corpo, gênero e sexualidade. O desafio é pensar em aparatos de proteção a essas jovens que sejam capazes de lidar com as amplas nuances envolvidas na exploração sexual, considerando as próprias decisões e estratégias delas para lidar com isso, sem recair na responsabilização e punição.<hr/>Abstract: In this article, my goal is to tense up the conceptions about sexual exploitation by taking this discussion beyond the victimization-blaming dichotomy. Semi-sctructured interviews were carried out with two highly experienced professionals in attending sheltered youngsters, and documented materials were analyzed - specifically, a police inquiry about a 17-year-old teenager. Girls who are sexually exploited deal with complex issues between the limits of living in a society that at once stimulates consumerism and moralizes their body, gender e sexuality. The challenge here is to consider protection apparatuses that can deal with the vast nuances involved in sexual exploitation, considering the young girls’ own decisions and strategies to deal with situations, without falling into blaming and punishment. <![CDATA[As mulheres dos estatutos no Congresso Nacional Brasileiro]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100211&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Este artigo analisa as transformações da categoria jurídica mulher a partir da apresentação de um projeto de lei (PL) em 2003 propondo um Estatuto da Mulher (PL 1399 de 2003). A análise apresentada contrasta os documentos apresentados no legislativo sobre o projeto de lei, assim como as falas proferidas em Comissão Especial criada para elaborar parecer ao projeto de lei do Estatuto da Mulher. O objetivo é demonstrar como os discursos em comissão faziam referência à mulher de uma forma materna e natural. Estas condições associadas à mulher retrocederiam os avanços jurídicos da categoria na busca pela igualdade. Assim, observamos com outro Estatuto da Mulher, apresentado em 1937, como discursos proferidos em 2004 na Câmara dos Deputados ainda mantêm mulher em uma condição de sujeito controlado pela família, anulando os avanços jurídicos observados.<hr/>Abstract: This article analyzes the transformation of woman as a legal category, by looking at debates on the running of a bill that proposed a Woman´s Statute in Brazil´s legislative chambers in 2003-2004. It contrasts documents presented at the legislative chambers with speeches made at the Special Committee created to report the bill. This comparison shed light on the manner in which speeches made at the Committee cast woman as an inherently maternal subject embedded in specific family relations. Such an association of woman retrocedes legal improvements obtained in the pursuit of gender equality. Additionally, comparing the discourses of 2004 to another bill that proposed a Woman´s Statute in 1937 illuminates how woman remains a subject subordinated to the notion of family, which contradicts the legal improvements for woman´s equality gained in the last decades. <![CDATA[Feminista e vegana: gastropolíticas e convenções de gênero, sexualidade e espécie entre feministas jovens]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100212&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: O presente trabalho versa sobre o contexto que toma corpo a partir dos anos 2000, quando jovens emergem enquanto ativistas que afirmam demandas e identidades no interior do campo feminista brasileiro. Nesse processo, o artigo busca indagar a presença de práticas e narrativas acerca da alimentação estritamente vegetariana - veganismo - entre ativistas jovens, as quais aprofundam e ressignificam a estratégia de politização do privado. Por meio de abordagem qualitativa, investigaram-se os sentidos atribuídos a essa alimentação a partir da articulação dos marcadores de gênero, sexualidade, geração e espécie, explorando a reapropriação e enquadramentos produzidos a partir do slogan “o pessoal é político”.<hr/>Abstract: This paper addresses the context that surfaced in Brazil in the early 2000s, when young women emerged as collective subjects, claiming for their own identities and demands within the Brazilian feminist political field. With a qualitative approach, the purpose of this research aims to investigate the practices and narratives surrounding a strictly vegetarian diet (veganism) as enacted by these activists. Inquiring the meanings embedded in this activism upon the intersection of gender, sexuality, generation and species, it explores the reappropriation and deepening of the slogan “the personal is political”. <![CDATA[Gender Violence, Feminism and Representation in Cuba]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100213&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumen: El artículo presenta un análisis teórico-metodológico de los estudios sobre violencia contra las mujeres por motivos de género en Cuba, problemáticas que presenta el feminismo cubano actual y los vínculos de estas cuestiones con el fenómeno de la representación, tomando como referente para el debate y crítica las investigaciones sobre el tema por más de diez años en el municipio Moa. El análisis se realiza sobre la base teórica y metodológica del feminismo descolonial, en su especial interrelación con las Epistemologías del Sur, para ofrecer otras posibles alternativas de transformación para la ciencia y el activismo feministas cubanos, los estudios sobre violencia en específico y la práctica política feminista en general en los actuales momentos que vive el país.<hr/>Abstract: The article presents a theoretical and methodological analysis of studies on gender-based violence against women in Cuba, problems presented by current Cuban feminism and the connections between both issues and the phenomenon of representation, taking as a reference for debate and criticism investigations that have been made for over ten years on the subject in the municipality of Moa. The analysis is carried out based on the decolonial feminism, in its special interrelationship with the Epistemologies of the South, to offer other possible alternatives of transformation for Cuban feminist science and activism, studies on gender-based violence against women in particular and feminist political practice feminist in general in today’s Cuba. <![CDATA[O Movimento Feminino pela Anistia na luta contra a ditadura no Brasil: entrevista com Therezinha Zerbini]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100400&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumen: El artículo presenta un análisis teórico-metodológico de los estudios sobre violencia contra las mujeres por motivos de género en Cuba, problemáticas que presenta el feminismo cubano actual y los vínculos de estas cuestiones con el fenómeno de la representación, tomando como referente para el debate y crítica las investigaciones sobre el tema por más de diez años en el municipio Moa. El análisis se realiza sobre la base teórica y metodológica del feminismo descolonial, en su especial interrelación con las Epistemologías del Sur, para ofrecer otras posibles alternativas de transformación para la ciencia y el activismo feministas cubanos, los estudios sobre violencia en específico y la práctica política feminista en general en los actuales momentos que vive el país.<hr/>Abstract: The article presents a theoretical and methodological analysis of studies on gender-based violence against women in Cuba, problems presented by current Cuban feminism and the connections between both issues and the phenomenon of representation, taking as a reference for debate and criticism investigations that have been made for over ten years on the subject in the municipality of Moa. The analysis is carried out based on the decolonial feminism, in its special interrelationship with the Epistemologies of the South, to offer other possible alternatives of transformation for Cuban feminist science and activism, studies on gender-based violence against women in particular and feminist political practice feminist in general in today’s Cuba. <![CDATA[“Coreografias”: entrevista com Jacques Derrida]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100401&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumen: El artículo presenta un análisis teórico-metodológico de los estudios sobre violencia contra las mujeres por motivos de género en Cuba, problemáticas que presenta el feminismo cubano actual y los vínculos de estas cuestiones con el fenómeno de la representación, tomando como referente para el debate y crítica las investigaciones sobre el tema por más de diez años en el municipio Moa. El análisis se realiza sobre la base teórica y metodológica del feminismo descolonial, en su especial interrelación con las Epistemologías del Sur, para ofrecer otras posibles alternativas de transformación para la ciencia y el activismo feministas cubanos, los estudios sobre violencia en específico y la práctica política feminista en general en los actuales momentos que vive el país.<hr/>Abstract: The article presents a theoretical and methodological analysis of studies on gender-based violence against women in Cuba, problems presented by current Cuban feminism and the connections between both issues and the phenomenon of representation, taking as a reference for debate and criticism investigations that have been made for over ten years on the subject in the municipality of Moa. The analysis is carried out based on the decolonial feminism, in its special interrelationship with the Epistemologies of the South, to offer other possible alternatives of transformation for Cuban feminist science and activism, studies on gender-based violence against women in particular and feminist political practice feminist in general in today’s Cuba. <![CDATA[As narrativas de Mona Hatoum e o efeito de ‘contraponto’: des-emoldurando o doméstico enquanto performatividade e gesto político]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100600&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Na minha intervenção procurarei focar aspectos vários da poética visual e narrativa da artista palestiniana Mona Hatoum, há longos anos exilada em Londres e Berlim, à luz do conceito de “contraponto”, de Edward Said, e da sua interrogação das fronteiras do público e do privado. A desfamiliarização do espaço doméstico e dos objectos “banais” do quotidiano propostos pela artista na sua obra, as suas narrativas de des-figuração e des-emolduramento performativo, serão aqui debatidas enquanto metáfora de estranhamento emocional e despaisamento social e político, em tempos de exílio e migrações. Através da minha discussão e dos meus estudos de caso procurarei igualmente reflectir sobre os novos desafios que o Feminismo como movimento emancipatório e pensamento crítico resiliente enfrenta hoje, num contexto transnacional.<hr/>Abstract: In this paper I will focus on the work of the Palestinian artist Mona Hatoum, who has been an exile and an emigré for many years and who strongly reflects this identitarian condition in her artistic practice. My discussion will be anchored in Said’s concept of the “contrapuntal” and his questioning of the borders between public and private space, the emotional and the political, the fading notions of “home” and “homeland” in the context of migration and exile. Moreover, I will argue that as a woman artist who is socially and politically engaged Hatoum’s work helps us reflect on the new challenges transnational Feminism faces today as an emancipatory and a resilient critical movement. <![CDATA[Corpos nus de mulheres negras: eixos poéticos e políticos da escrita de mulheres africanas lusófonas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100601&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Nos países africanos, o poder colonial encontrou nos corpos nus das mulheres negras um instrumento axial para o exercício material e simbólico da apropriação e violência. As corporalidades eram discursivamente construídas para legitimar uma ordem social codificada por gênero e raça. Nos projetos anticoloniais e das independências, os corpos nus de mulheres negras também são instrumento discursivo fundamental de um poder que agora é negro, mas permanece masculino e patriarcal, e que igualmente os objetifica, domina, expropria, controla e violenta. Importa, pois, considerar os modos em que as mulheres negras contestam esta expropriação e resistem a estas violências através de vozes incisivas que reclamam os seus corpos. Mulheres escritoras e poetas criam novas gramáticas poéticas nas quais ostentam as suas feminilidades, a sua nudez e a pele negra como o verdadeiro locus de articulação da violência e da resistência.<hr/>Abstract: In African countries in general, colonial power found in black women’s naked bodies an axial instrument for the material and symbolic exercise of violence and appropriation. Embodiment was discursively constructed to legitimate the imposition of a social order codified by race and gender. As anticolonial and independence projects were built for these countries, again black women’s naked bodies were handled as a fundamental discursive instrument by a power which was now black, but still male and patriarchal, and that likewise objectified, dominated, expropriated, controlled and violated them. It is important, thus, to consider the ways in/by which black women contest this appropriation and resist this violence through incisive voices that reclaim their bodies. Women writers and poets create new poetic grammars to display their femininities, their nakedness and their marked black skin as the true locus of articulation of violence and resistance. <![CDATA[Feminismos Transnacionais: saberes e estéticas pós/descoloniais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100700&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Nos países africanos, o poder colonial encontrou nos corpos nus das mulheres negras um instrumento axial para o exercício material e simbólico da apropriação e violência. As corporalidades eram discursivamente construídas para legitimar uma ordem social codificada por gênero e raça. Nos projetos anticoloniais e das independências, os corpos nus de mulheres negras também são instrumento discursivo fundamental de um poder que agora é negro, mas permanece masculino e patriarcal, e que igualmente os objetifica, domina, expropria, controla e violenta. Importa, pois, considerar os modos em que as mulheres negras contestam esta expropriação e resistem a estas violências através de vozes incisivas que reclamam os seus corpos. Mulheres escritoras e poetas criam novas gramáticas poéticas nas quais ostentam as suas feminilidades, a sua nudez e a pele negra como o verdadeiro locus de articulação da violência e da resistência.<hr/>Abstract: In African countries in general, colonial power found in black women’s naked bodies an axial instrument for the material and symbolic exercise of violence and appropriation. Embodiment was discursively constructed to legitimate the imposition of a social order codified by race and gender. As anticolonial and independence projects were built for these countries, again black women’s naked bodies were handled as a fundamental discursive instrument by a power which was now black, but still male and patriarchal, and that likewise objectified, dominated, expropriated, controlled and violated them. It is important, thus, to consider the ways in/by which black women contest this appropriation and resist this violence through incisive voices that reclaim their bodies. Women writers and poets create new poetic grammars to display their femininities, their nakedness and their marked black skin as the true locus of articulation of violence and resistance. <![CDATA[Desvelando afinidades através das diferenças: saberes e estéticas pós/descoloniais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100701&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Sob o viés do feminismo multicultural, os conceitos de relacionalidade, de posicionamento dos discursos e das interseccionalidades de opressões são instrumentais para um melhor entendimento das múltiplas perspectivas que norteiam as práticas feministas atuais, ancoradas em saberes e estéticas pós e descoloniais. Nosso objetivo é colocar em pauta as práticas e estéticas políticas adotadas por mulheres de lugares geográficos e sociais bastante diversos. A produção artística que desenvolvem através de linguagens e narrativas variadas promove possibilidades de fomentar poéticas de resistência e descolonização de gênero que desafiam nossa compreensão tradicional sobre o estético, o político e o epistemológico.<hr/>Abstract: Under the bias of multicultural feminism, the concepts of relationality, discourse positioning and intersectionalities of oppressions are instrumental for a better understanding of the multiple perspectives that inform current feminist practices, anchored in post/decolonial knowledges and aesthetics. Our discussion aims to address political practices and aesthetics adopted by women from very diverse social and geographic places. The artistic/cultural production that is developed through varied languages and narratives promotes possibilities to foster poetics of gender resistance and decolonization that challenge our traditional understanding of the aesthetic, political, and epistemological. <![CDATA[Autoria feminina na literatura pós-colonial italiana: um projeto feminista]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100702&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: O presente trabalho propõe levantar os motivos para a preponderância da voz feminina na literatura pós-colonial italiana e, sob a perspectiva da crítica feminista e dos estudos de gênero, pretende detectar o projeto feminista implícito nessas produções, visitando obras narrativas de escritoras provenientes de ex-colônias italianas na África.<hr/>Abstract: The present work proposes to discuss the motives for the preponderance of female authorship in Italian postcolonial literature and, from the perspective of feminist criticism and gender studies, intends to detect the feminist project implicit in these productions, analyzing narrative works of writers from former Italian colonies in Africa. <![CDATA[Mulheres, negritude e a construção de uma modernidade transnacional]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100703&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Partindo do conceito de negritude formulado por Aimé Césaire, proponho uma reflexão sobre os desdobramentos da negritude em diferentes momentos históricos, nos quais o conceito é ressignificado através de interpretações que atendem às demandas políticas e culturais de cada contexto. Assim, meu texto pretende enfocar duas vozes poéticas femininas que, de maneiras diversas, fazem ecoar os princípios da negritude, reinterpretando-a à luz de suas agendas específicas: Noémia de Sousa, inserida no ambiente português e africano dos anos 50, e a cantora brasileira Luedji Luna, que retoma questões centrais do mesmo tema no contexto brasileiro pós-ações afirmativas. Através da abordagem dessas duas vozes, pretendo identificar redes transnacionais de construção de solidariedade planetária em perspectiva feminista e negra.<hr/>Abstract: Taking as a starting point the work of Aimé Césaire in his decisive formulation of the concept of négritude, I propose a reflection about this concept in different historical moments, answering to political and cultural demands of each context. Thus, this article intends to focus on two feminine poetic voices that, in different ways, echo the principles of négritude, reinterpreting it in its specific agendas: Noémia de Sousa inserted in the Portuguese and African environment of the 1950s, and the Brazilian Singer Luedji Luna, Who ressignifies central issues of the same theme in the Brazilian context after affirmative actions. Through the approach of these two voices of diasporic Black women, I intend to identify transnational networks of planetary solidarity construction in a feminist perspective. <![CDATA[Feminismos transnacionais descoloniais: Algumas questões em torno da colonialidade nos feminismos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100704&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Os feminismos latino-americanos encarnaram, desde meados dos anos 90, uma discussão sobre suas possibilidades de ação que questionava o fato de que muitos projetos feministas feitos por feministas ocidentais fossem levados a cabo na região com uma noção subjacente de ‘cidadania universal’ para as ‘mulheres do terceiro mundo’. Apesar do predomínio deste feminismo hegemônico, outras reflexões e alinhamentos divergentes surgiram nos últimos anos, transformando-se estes numa produção crescente de conhecimento teórico local, bem como de contranarrativas produzidas por grupos feministas anti- ou descoloniais, de luta antirracista e anticapitalistas. A virada à direita que a América Latina, a Europa e os EUA experimentam com o crescente predomínio de governos conservadores e seus imaginários políticos reacionários exige estratégias feministas transnacionais. A questão que me traz aqui é como estabelecer um debate equitativo entre os diferentes feminismos norte-sul, seus diálogos e fricções, sem reproduzir a violência colonial. Um diálogo que compartilhe heranças de lutas sociais, uma tradução geopolítica entendida como uma prática que não caia na repetição da colonialidade.<hr/>Abstract: Latin American feminisms embodied since mid-1990 a discussion about their possibilities of action that questioned the fact that many feminist projects designed by western feminists were developed with an underlying notion of ‘universal citizenship’ for the ‘third world women’. Despite the predominance of this hegemonic feminism, other reflections and divergent alignments have appeared in the last years, turning into a rising production of local theoretical knowledge as well as counter-narratives, produced by groups such as the decolonial feminisms, the anti-racist and the anti-capitalist collectives. The turn to the right that Latin America, Europe and US have experienced recently with the increasing conservative governments and their reactionary political imaginaries, requires transnational feminist strategies. The question that brings me here, is how to establish an equitable debate among north-south different feminisms, its dialogues and frictions, without reproducing colonial violence. A dialogue that shares heritages of social struggles, a geopolitical translation understood as practice that does not fall into the repetition of coloniality. <![CDATA[O racismo, a moda, e a diversificação dos padrões de beleza: o exemplo de Iman, top model Somali dos anos 70/80]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100705&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Muito do trabalho desenvolvido por pensadoras feministas dos anos 70 aos anos 90 teve por objectivo denunciar a forma como a sociedade patriarcal não respondia as várias necessidades das mulheres nela inseridas. Nos anos 90, o debate feminista diversificou-se em termos geopolíticos, incluindo questões de raça, religião e multiculturalismo. Ao mesmo tempo, promoveram-se estilos de vida alternativos, normalizando diferentes modelos de género. É no âmbito desta última prática que se coloca a questão de figuras precursoras. Quem mudou a noção do que é socialmente aceitável? Quem estabeleceu novas possibilidades? A minha investigação centra-se no mundo da alta costura, esfera com um forte apelo internacional, promovendo ideais de beleza e elegância. O caso de estudo que proponho constitui uma história de superação de padrões racistas na moda. A minha comunicação explora a carreira de Iman, modelo Somali que se tornou uma das estrelas de casa Yves Saint Laurent, nos anos 70/80, quando poucas modelos pretas tinham visibilidade nesse mundo. Hoje em dia, Iman está radicada na América, e tem mantido um discurso público sensível às questões de racismo no mundo da moda. Revisitar o seu testemunho é importante para reflectir sobre a necessidade de diversificar noções de beleza e denunciar a marginalização de diferentes grupos de mulheres face aos mais promovidos padrões de elegância e glamour.<hr/>Abstract: The aim of the work by many feminist thinkers from the 70s to the 90s was to expose the ways patriarchal societies did not live up to the needs and expectations of the women. From the 1990s onwards the feminist debate diversified its geopolitical scope so as to include issues related to race, religion and multiculturalism, while promoting alternative lifestyles. Thus, new gender models became established due to the impact of pioneering figures who changed the limits of what was socially accepted, establishing new possibilities. My research addresses the fashion world, an area of activity with high international impact, responsible for establishing patterns of beauty and elegance. I will address a case study which surpasses racism in the fashion world. My communication explores four biographies and an interview with Somali top model Iman, a star at Yves Saint Laurent in the 70s/80s, when few black models were integrated in the world of high fashion. Currently, Iman lives in America and she has kept a public discourse sensitive to issues of racism in the fashion world. Iman’s testimony is important to reflect on the necessity of diversifying beauty ideals and expose the marginalization of groups of women from the most promoted patterns of elegance and glamour. <![CDATA[Da palavra ao fio: as tessituras fluidas de Cecilia Vicuña]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100706&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: No livro La realidade es una línea (1994), Cecilia Vicuña (n. 1947), poeta e artista chilena, sintetiza uma das mais poderosas metáforas que atravessa toda a sua obra visual e poética: a confluência entre fio (objeto) e linha (representação) que urde um tecido complexo feito de experiências e questionamentos que atravessam geografias e géneros artísticos. Se a tecelagem e a sua confluência com a palavra, o som e a imagem, são processo central na obra de Vicuña (real e metafórico), pretendo, neste breve ensaio, explorar a forma como este processo se expande no território do livro, paradoxalmente um lugar de desterritorialização, de fluidez, de construção de um devir - ou de potencialidades - mas também de dissidência.<hr/>Abstract: In the book La realidade es una línea (1994), Cecilia Vicuña (b. 1947), Chilean poet and artist, synthesizes one of the most powerful metaphors of her visual and poetic work: the confluence between thread (object) and line (representation), which weave a complex fabric made of multiple experiences and questionings that cross geographies and artistic genres. If weaving, and its confluence with word, sound and image, is one of the main processes explored by Vicuña (both in real and metaphorical terms), in this brief article I intend to explore how this process is expanded in the book, here seen as a place of deterritoralization, fluidity, becoming - but also of dissidence. <![CDATA[Narrar o trauma nas diásporas: Metáforas da doença nas literaturas de autoria feminina do Zimbábue]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100707&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: O artigo tem como objetivo refletir sobre o processo de desterritorialização dos sujeitos africanos que vivenciam a diáspora, a partir de três textos de autoria feminina da República do Zimbábue: Nervous Conditions (DANGAREMBGA, 1988), Zenzele, uma carta para minha filha (MARAIRE, 1996) e Precisamos de Novos Nomes (BULAWAYO, 2014). A discussão terá como foco a análise de algumas personagens dos livros e como suas experiências resultaram em traumas, tanto psicológicos quanto físicos, na observação das diferentes perspectivas de superação.<hr/>Abstract: This paper aims to reflect on the process of deterritorialization of African subjects who experienced the diaspora, choosing three texts of female authorship from the Republic of Zimbabwe, Nervous Conditions (DANGAREMBGA, 1988), Zenzele: uma carta para minha filha (MARAIRE, 1996) and Precisamos de Novos Nomes (BULAWAYO, 2014). The discussion will focus on the analysis of some characters in the books and how their experiences resulted in traumas, both psychological and physical, in observing the different perspectives of overcoming. <![CDATA[A narradora descolonial: uma leitura de <em>The Distant Marvels</em>, de Chantel Acevedo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100708&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Em “O narrador. Reflexões sobre a obra de Nicolai Leskov” (1987a), Walter Benjamin entende que a arte de narrar está em vias de extinção uma vez que o narrador, aquele que reúne em si mesmo o conhecimento do camponês sedentário e do marinheiro comerciante, parece não estar mais entre nós a partir da modernidade. Entretanto, se seguirmos a argumentação de Maria Lugones em “Rumo a um feminismo descolonial” (2014a), que coloca o [des]colonial dentro de uma categoria de não moderno, poderemos considerar que a presença do narrador é perene e se manifesta muitas vezes exatamente no romance, forma literária que Benjamin (1987a) aponta como um indicativo da evolução que vai culminar na morte da narrativa. Em The Distant Marvels (2015), a autora cubana-americana Chantel Acevedo constrói uma protagonista que é a representação literária de um narrador que reúne em si as características benjaminianas e que é, assim, capaz de transmitir experiência. A proposta do presente trabalho é verificar como uma leitura deste romance a partir do viés da descolonialidade pode contribuir para o debate acerca da potência que a intervenção estética feminista tem de contribuir para a construção de novas epistemologias.<hr/>Abstract: In “The Storyteller: Reflections on the Work of Nicolai Lescov” (1987a), Walter Benjamin understands that the art of storytelling is about to become extinct once the storyteller, that one who gets his/her full corporeality when reunites the knowledge of the resident master craftsman and the traveling journeyman, seems to be no longer among us. However, when taking into consideration Maria Lugones (2014a) understandings of the decolonial, that it inhabits a non modern space, it is possible to admit the presence of the Benjaminian narrator, sometimes in the novel, genre that the he understood as a symptom of a process whose end is the death of the storytelling. In the novel The Distant Marvels (2015), the Cuban-American author Chantel Acevedo creates a protagonist who is a literary representation of a narrator that incorporates the Benjaminian characteristics and, therefore, is competent in transmitting experience. The following article intends to verify how a decolonial reading of the aforementioned novel may contribute to the work of developing new epistemologies. <![CDATA[Comunicadoras Indígenas e Afrodescendentes Latino-Americanas: Sororidade e Identidades]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100709&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Este artigo irá relacionar mobilizações e narrativas de comunicadoras indígenas sob o olhar do feminismo decolonial. Foca na maneira em que as ações comunicativas de mulheres indígenas do México e América Central contribuem para que sua participação política se entrelace com os esforços de efetivação dos direitos humanos. Pretende-se, com o cruzamento metodológico de fontes e perspectivas teóricas locais, demonstrar que a utilização de hipermídias das mulheres latino-americanas que, na ampla divulgação em diversas redes sociais, tem sido importante para se alimentar mecanismos para que construam um espaço de mobilização social e política. E, por elas, viver e aprender com o emancipatório feminismo decolonial: que atua além do hegemônico e consonante com as localidades e desejos coletivos. Além disso, pretende-se discutir a relevância de encontros de comunicadoras para a troca de experiências para a reafirmação de suas identidades, interseccionadas em suas afinidades.<hr/>Abstract: This article will relate mobilizations and narratives of indigenous communicators under the eyes of decolonial feminism. It focuses on how the communicative actions of indigenous women in Mexico and Central America help their political participation to intertwine with efforts to realize human rights. With the methodological cross-referencing of local sources and theoretical perspectives, it is intended to demonstrate that the use of hypermedia by Latin American women and in the wide dissemination in various social networks has been important for feeding mechanisms to build a space for mobilization Social and political. And for them, living and learning with the emancipatory decolonial feminism: that acts beyond the hegemonic and consonant with localities and collective desires. In addition, it is intended to discuss the relevance of meetings of communicators for the exchange of experiences for the reaffirmation of their identities, intersected in their affinities. <![CDATA[Testemunhos teóricos: a trajetória conceitual de Rita Schmidt]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100800&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Este artigo irá relacionar mobilizações e narrativas de comunicadoras indígenas sob o olhar do feminismo decolonial. Foca na maneira em que as ações comunicativas de mulheres indígenas do México e América Central contribuem para que sua participação política se entrelace com os esforços de efetivação dos direitos humanos. Pretende-se, com o cruzamento metodológico de fontes e perspectivas teóricas locais, demonstrar que a utilização de hipermídias das mulheres latino-americanas que, na ampla divulgação em diversas redes sociais, tem sido importante para se alimentar mecanismos para que construam um espaço de mobilização social e política. E, por elas, viver e aprender com o emancipatório feminismo decolonial: que atua além do hegemônico e consonante com as localidades e desejos coletivos. Além disso, pretende-se discutir a relevância de encontros de comunicadoras para a troca de experiências para a reafirmação de suas identidades, interseccionadas em suas afinidades.<hr/>Abstract: This article will relate mobilizations and narratives of indigenous communicators under the eyes of decolonial feminism. It focuses on how the communicative actions of indigenous women in Mexico and Central America help their political participation to intertwine with efforts to realize human rights. With the methodological cross-referencing of local sources and theoretical perspectives, it is intended to demonstrate that the use of hypermedia by Latin American women and in the wide dissemination in various social networks has been important for feeding mechanisms to build a space for mobilization Social and political. And for them, living and learning with the emancipatory decolonial feminism: that acts beyond the hegemonic and consonant with localities and collective desires. In addition, it is intended to discuss the relevance of meetings of communicators for the exchange of experiences for the reaffirmation of their identities, intersected in their affinities. <![CDATA[Uma história das travestis em Fortaleza]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100801&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Este artigo irá relacionar mobilizações e narrativas de comunicadoras indígenas sob o olhar do feminismo decolonial. Foca na maneira em que as ações comunicativas de mulheres indígenas do México e América Central contribuem para que sua participação política se entrelace com os esforços de efetivação dos direitos humanos. Pretende-se, com o cruzamento metodológico de fontes e perspectivas teóricas locais, demonstrar que a utilização de hipermídias das mulheres latino-americanas que, na ampla divulgação em diversas redes sociais, tem sido importante para se alimentar mecanismos para que construam um espaço de mobilização social e política. E, por elas, viver e aprender com o emancipatório feminismo decolonial: que atua além do hegemônico e consonante com as localidades e desejos coletivos. Além disso, pretende-se discutir a relevância de encontros de comunicadoras para a troca de experiências para a reafirmação de suas identidades, interseccionadas em suas afinidades.<hr/>Abstract: This article will relate mobilizations and narratives of indigenous communicators under the eyes of decolonial feminism. It focuses on how the communicative actions of indigenous women in Mexico and Central America help their political participation to intertwine with efforts to realize human rights. With the methodological cross-referencing of local sources and theoretical perspectives, it is intended to demonstrate that the use of hypermedia by Latin American women and in the wide dissemination in various social networks has been important for feeding mechanisms to build a space for mobilization Social and political. And for them, living and learning with the emancipatory decolonial feminism: that acts beyond the hegemonic and consonant with localities and collective desires. In addition, it is intended to discuss the relevance of meetings of communicators for the exchange of experiences for the reaffirmation of their identities, intersected in their affinities. <![CDATA[O eco de fantasmas: perpetuação da misoginia no cânone]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100802&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Este artigo irá relacionar mobilizações e narrativas de comunicadoras indígenas sob o olhar do feminismo decolonial. Foca na maneira em que as ações comunicativas de mulheres indígenas do México e América Central contribuem para que sua participação política se entrelace com os esforços de efetivação dos direitos humanos. Pretende-se, com o cruzamento metodológico de fontes e perspectivas teóricas locais, demonstrar que a utilização de hipermídias das mulheres latino-americanas que, na ampla divulgação em diversas redes sociais, tem sido importante para se alimentar mecanismos para que construam um espaço de mobilização social e política. E, por elas, viver e aprender com o emancipatório feminismo decolonial: que atua além do hegemônico e consonante com as localidades e desejos coletivos. Além disso, pretende-se discutir a relevância de encontros de comunicadoras para a troca de experiências para a reafirmação de suas identidades, interseccionadas em suas afinidades.<hr/>Abstract: This article will relate mobilizations and narratives of indigenous communicators under the eyes of decolonial feminism. It focuses on how the communicative actions of indigenous women in Mexico and Central America help their political participation to intertwine with efforts to realize human rights. With the methodological cross-referencing of local sources and theoretical perspectives, it is intended to demonstrate that the use of hypermedia by Latin American women and in the wide dissemination in various social networks has been important for feeding mechanisms to build a space for mobilization Social and political. And for them, living and learning with the emancipatory decolonial feminism: that acts beyond the hegemonic and consonant with localities and collective desires. In addition, it is intended to discuss the relevance of meetings of communicators for the exchange of experiences for the reaffirmation of their identities, intersected in their affinities. <![CDATA[Corpos, significados e políticas lesbianas em <em>Terra Molhada</em>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100803&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Este artigo irá relacionar mobilizações e narrativas de comunicadoras indígenas sob o olhar do feminismo decolonial. Foca na maneira em que as ações comunicativas de mulheres indígenas do México e América Central contribuem para que sua participação política se entrelace com os esforços de efetivação dos direitos humanos. Pretende-se, com o cruzamento metodológico de fontes e perspectivas teóricas locais, demonstrar que a utilização de hipermídias das mulheres latino-americanas que, na ampla divulgação em diversas redes sociais, tem sido importante para se alimentar mecanismos para que construam um espaço de mobilização social e política. E, por elas, viver e aprender com o emancipatório feminismo decolonial: que atua além do hegemônico e consonante com as localidades e desejos coletivos. Além disso, pretende-se discutir a relevância de encontros de comunicadoras para a troca de experiências para a reafirmação de suas identidades, interseccionadas em suas afinidades.<hr/>Abstract: This article will relate mobilizations and narratives of indigenous communicators under the eyes of decolonial feminism. It focuses on how the communicative actions of indigenous women in Mexico and Central America help their political participation to intertwine with efforts to realize human rights. With the methodological cross-referencing of local sources and theoretical perspectives, it is intended to demonstrate that the use of hypermedia by Latin American women and in the wide dissemination in various social networks has been important for feeding mechanisms to build a space for mobilization Social and political. And for them, living and learning with the emancipatory decolonial feminism: that acts beyond the hegemonic and consonant with localities and collective desires. In addition, it is intended to discuss the relevance of meetings of communicators for the exchange of experiences for the reaffirmation of their identities, intersected in their affinities. <![CDATA[Os corpos gordos merecem ser vividos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100804&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Este artigo irá relacionar mobilizações e narrativas de comunicadoras indígenas sob o olhar do feminismo decolonial. Foca na maneira em que as ações comunicativas de mulheres indígenas do México e América Central contribuem para que sua participação política se entrelace com os esforços de efetivação dos direitos humanos. Pretende-se, com o cruzamento metodológico de fontes e perspectivas teóricas locais, demonstrar que a utilização de hipermídias das mulheres latino-americanas que, na ampla divulgação em diversas redes sociais, tem sido importante para se alimentar mecanismos para que construam um espaço de mobilização social e política. E, por elas, viver e aprender com o emancipatório feminismo decolonial: que atua além do hegemônico e consonante com as localidades e desejos coletivos. Além disso, pretende-se discutir a relevância de encontros de comunicadoras para a troca de experiências para a reafirmação de suas identidades, interseccionadas em suas afinidades.<hr/>Abstract: This article will relate mobilizations and narratives of indigenous communicators under the eyes of decolonial feminism. It focuses on how the communicative actions of indigenous women in Mexico and Central America help their political participation to intertwine with efforts to realize human rights. With the methodological cross-referencing of local sources and theoretical perspectives, it is intended to demonstrate that the use of hypermedia by Latin American women and in the wide dissemination in various social networks has been important for feeding mechanisms to build a space for mobilization Social and political. And for them, living and learning with the emancipatory decolonial feminism: that acts beyond the hegemonic and consonant with localities and collective desires. In addition, it is intended to discuss the relevance of meetings of communicators for the exchange of experiences for the reaffirmation of their identities, intersected in their affinities. <![CDATA[Mulheres, poder e os incômodos best-sellers]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100805&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Este artigo irá relacionar mobilizações e narrativas de comunicadoras indígenas sob o olhar do feminismo decolonial. Foca na maneira em que as ações comunicativas de mulheres indígenas do México e América Central contribuem para que sua participação política se entrelace com os esforços de efetivação dos direitos humanos. Pretende-se, com o cruzamento metodológico de fontes e perspectivas teóricas locais, demonstrar que a utilização de hipermídias das mulheres latino-americanas que, na ampla divulgação em diversas redes sociais, tem sido importante para se alimentar mecanismos para que construam um espaço de mobilização social e política. E, por elas, viver e aprender com o emancipatório feminismo decolonial: que atua além do hegemônico e consonante com as localidades e desejos coletivos. Além disso, pretende-se discutir a relevância de encontros de comunicadoras para a troca de experiências para a reafirmação de suas identidades, interseccionadas em suas afinidades.<hr/>Abstract: This article will relate mobilizations and narratives of indigenous communicators under the eyes of decolonial feminism. It focuses on how the communicative actions of indigenous women in Mexico and Central America help their political participation to intertwine with efforts to realize human rights. With the methodological cross-referencing of local sources and theoretical perspectives, it is intended to demonstrate that the use of hypermedia by Latin American women and in the wide dissemination in various social networks has been important for feeding mechanisms to build a space for mobilization Social and political. And for them, living and learning with the emancipatory decolonial feminism: that acts beyond the hegemonic and consonant with localities and collective desires. In addition, it is intended to discuss the relevance of meetings of communicators for the exchange of experiences for the reaffirmation of their identities, intersected in their affinities. <![CDATA[Entre práticas e críticas: Michel Foucault, os feminismos e o sujeito]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100806&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Este artigo irá relacionar mobilizações e narrativas de comunicadoras indígenas sob o olhar do feminismo decolonial. Foca na maneira em que as ações comunicativas de mulheres indígenas do México e América Central contribuem para que sua participação política se entrelace com os esforços de efetivação dos direitos humanos. Pretende-se, com o cruzamento metodológico de fontes e perspectivas teóricas locais, demonstrar que a utilização de hipermídias das mulheres latino-americanas que, na ampla divulgação em diversas redes sociais, tem sido importante para se alimentar mecanismos para que construam um espaço de mobilização social e política. E, por elas, viver e aprender com o emancipatório feminismo decolonial: que atua além do hegemônico e consonante com as localidades e desejos coletivos. Além disso, pretende-se discutir a relevância de encontros de comunicadoras para a troca de experiências para a reafirmação de suas identidades, interseccionadas em suas afinidades.<hr/>Abstract: This article will relate mobilizations and narratives of indigenous communicators under the eyes of decolonial feminism. It focuses on how the communicative actions of indigenous women in Mexico and Central America help their political participation to intertwine with efforts to realize human rights. With the methodological cross-referencing of local sources and theoretical perspectives, it is intended to demonstrate that the use of hypermedia by Latin American women and in the wide dissemination in various social networks has been important for feeding mechanisms to build a space for mobilization Social and political. And for them, living and learning with the emancipatory decolonial feminism: that acts beyond the hegemonic and consonant with localities and collective desires. In addition, it is intended to discuss the relevance of meetings of communicators for the exchange of experiences for the reaffirmation of their identities, intersected in their affinities. <![CDATA[Casei com um homem que poderia ser meu filho: a mãe dele é mais nova do que eu]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100807&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Este artigo irá relacionar mobilizações e narrativas de comunicadoras indígenas sob o olhar do feminismo decolonial. Foca na maneira em que as ações comunicativas de mulheres indígenas do México e América Central contribuem para que sua participação política se entrelace com os esforços de efetivação dos direitos humanos. Pretende-se, com o cruzamento metodológico de fontes e perspectivas teóricas locais, demonstrar que a utilização de hipermídias das mulheres latino-americanas que, na ampla divulgação em diversas redes sociais, tem sido importante para se alimentar mecanismos para que construam um espaço de mobilização social e política. E, por elas, viver e aprender com o emancipatório feminismo decolonial: que atua além do hegemônico e consonante com as localidades e desejos coletivos. Além disso, pretende-se discutir a relevância de encontros de comunicadoras para a troca de experiências para a reafirmação de suas identidades, interseccionadas em suas afinidades.<hr/>Abstract: This article will relate mobilizations and narratives of indigenous communicators under the eyes of decolonial feminism. It focuses on how the communicative actions of indigenous women in Mexico and Central America help their political participation to intertwine with efforts to realize human rights. With the methodological cross-referencing of local sources and theoretical perspectives, it is intended to demonstrate that the use of hypermedia by Latin American women and in the wide dissemination in various social networks has been important for feeding mechanisms to build a space for mobilization Social and political. And for them, living and learning with the emancipatory decolonial feminism: that acts beyond the hegemonic and consonant with localities and collective desires. In addition, it is intended to discuss the relevance of meetings of communicators for the exchange of experiences for the reaffirmation of their identities, intersected in their affinities. <![CDATA[Right to <em>Speak,</em> Right to Exist]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000100808&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Este artigo irá relacionar mobilizações e narrativas de comunicadoras indígenas sob o olhar do feminismo decolonial. Foca na maneira em que as ações comunicativas de mulheres indígenas do México e América Central contribuem para que sua participação política se entrelace com os esforços de efetivação dos direitos humanos. Pretende-se, com o cruzamento metodológico de fontes e perspectivas teóricas locais, demonstrar que a utilização de hipermídias das mulheres latino-americanas que, na ampla divulgação em diversas redes sociais, tem sido importante para se alimentar mecanismos para que construam um espaço de mobilização social e política. E, por elas, viver e aprender com o emancipatório feminismo decolonial: que atua além do hegemônico e consonante com as localidades e desejos coletivos. Além disso, pretende-se discutir a relevância de encontros de comunicadoras para a troca de experiências para a reafirmação de suas identidades, interseccionadas em suas afinidades.<hr/>Abstract: This article will relate mobilizations and narratives of indigenous communicators under the eyes of decolonial feminism. It focuses on how the communicative actions of indigenous women in Mexico and Central America help their political participation to intertwine with efforts to realize human rights. With the methodological cross-referencing of local sources and theoretical perspectives, it is intended to demonstrate that the use of hypermedia by Latin American women and in the wide dissemination in various social networks has been important for feeding mechanisms to build a space for mobilization Social and political. And for them, living and learning with the emancipatory decolonial feminism: that acts beyond the hegemonic and consonant with localities and collective desires. In addition, it is intended to discuss the relevance of meetings of communicators for the exchange of experiences for the reaffirmation of their identities, intersected in their affinities. <![CDATA[[Artigo parcialmente retratado]: O <em>mundo da vida</em> e o <em>mundo do texto</em> em <em>Úrsula</em>, de Maria Firmina dos Reis]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2019000101000&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo: Este artigo irá relacionar mobilizações e narrativas de comunicadoras indígenas sob o olhar do feminismo decolonial. Foca na maneira em que as ações comunicativas de mulheres indígenas do México e América Central contribuem para que sua participação política se entrelace com os esforços de efetivação dos direitos humanos. Pretende-se, com o cruzamento metodológico de fontes e perspectivas teóricas locais, demonstrar que a utilização de hipermídias das mulheres latino-americanas que, na ampla divulgação em diversas redes sociais, tem sido importante para se alimentar mecanismos para que construam um espaço de mobilização social e política. E, por elas, viver e aprender com o emancipatório feminismo decolonial: que atua além do hegemônico e consonante com as localidades e desejos coletivos. Além disso, pretende-se discutir a relevância de encontros de comunicadoras para a troca de experiências para a reafirmação de suas identidades, interseccionadas em suas afinidades.<hr/>Abstract: This article will relate mobilizations and narratives of indigenous communicators under the eyes of decolonial feminism. It focuses on how the communicative actions of indigenous women in Mexico and Central America help their political participation to intertwine with efforts to realize human rights. With the methodological cross-referencing of local sources and theoretical perspectives, it is intended to demonstrate that the use of hypermedia by Latin American women and in the wide dissemination in various social networks has been important for feeding mechanisms to build a space for mobilization Social and political. And for them, living and learning with the emancipatory decolonial feminism: that acts beyond the hegemonic and consonant with localities and collective desires. In addition, it is intended to discuss the relevance of meetings of communicators for the exchange of experiences for the reaffirmation of their identities, intersected in their affinities.