Scielo RSS <![CDATA[Economia e Sociedade]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-061820160002&lang=en vol. 25 num. 2 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[External constriction and economic growth: an open multisectoral simulation model]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-06182016000200279&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O artigo busca discutir a dinâmica do crescimento econômico das economias em desenvolvimento a partir do Princípio da Demanda Efetiva keynesiano e kaleckiano e dos Modelos de crescimento liderado pela demanda e restrito pelo balanço de pagamentos, concebidos pela Cepal e desenvolvidos principalmente por Thirlwall. Para tanto, desenvolveu-se um modelo teórico de simulação capaz de captar os efeitos sobre as taxas de crescimento e sobre as condições externas quando a economia estilizada é submetida a diferentes padrões de crescimento. As principais conclusões foram: i) as taxas de crescimento de uma economia cuja dinâmica é exclusivamente impulsionada pelas condições internas (de política expansionista) serão em algum momento restringidas por imposições do balanço de pagamentos; e ii) se os setores produtivos conseguem introduzir uma dinâmica inovativa capaz de aumentar a competitividade de seus produtos, aumentando o coeficiente de exportação, a economia crescerá impulsionada pela dinâmica interna, postergando, mas não eliminando o risco de vulnerabilidade externa.<hr/>Abstract This paper discusses the dynamics of economic growth in developing economies using the Keynesian and Kaleckian effective demand principle as well as the balance of payments constrained demand-led growth models, conceived by ECLAC (Economic Commission for Latin America and the Caribbean) and developed by Thirlwall. To this effect, a computer simulation model was developed to capture the effects on the balance of payments and on economic growth rates under different growth patterns. The main conclusions drawn were: i) growth rates of an economy in which the dynamics are exclusively driven by internal conditions will, from a certain point, be constrained by the rise in external vulnerability; ii) if productive sectors are able to introduce innovative dynamics increasing the competitiveness of their products and therefore the export coefficients, economic growth will be driven by internal demand, postponing, although not precluding, the risk of foreign vulnerability. <![CDATA[Financial dollarization and international liquidity from a post-Keynesian viewpoint]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-06182016000200315&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Este trabalho explica a dolarização financeira e sua persistência para 79 economias com diferentes graus de desenvolvimento, utilizando o arcabouço teórico pós-keynesiano. A proposição é a de que a busca por moeda externa forte em períodos de boom e de escassez de Liquidez Externa varia de acordo com a categoria minskyana dos países, pois as oscilações dos capitais externos provocam efeitos distintos sobre a Preferência pela Liquidez em países hedge e em países speculative-ponzi. Uma menor disponibilidade de recursos externos para as economias mais vulneráveis causa um aumento na Preferência pela Liquidez dos seus agentes, gerando elevação no grau de sua dolarização financeira. Assim, em períodos de queda na liquidez internacional as economias speculative-ponzi aumentam sua demanda por moeda externa forte, que serve para compra de ativos e para proteção contra incertezas, resultado este não encontrado para economias hedge. Ademais, a persistência da dolarização é explicada pelo alto nível de endividamento presente em economias mais vulneráveis externamente.<hr/>Abstract This contribution addresses the causes of the financial dollarization of countries according to the post-Keynesian view. It shows that the demand for strong currency depends on the country's Minskian category (hedge, speculative and ponzi) and is affected by the changes in international liquidity (cycles of the international financial market). This happens because changes in international liquidity affect, at different levels of intensity, the liquidity preference in hedge, speculative and ponzi economies. The speculative and ponzi economies show a high level of financial dollarization when there is a fall in international liquidity. This result was not found for the hedge economies. Moreover, the persistence of financial dollarization even after a fall in inflation is explained by the high level of government debt in countries that present a high level of external vulnerability. These conclusions are empirically conformed by means of estimating a dynamic panel data model for 79 countries during the 1993-2006 period. <![CDATA[Monetary policy and the financial crisis: could Central Banks have anticipated the crisis?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-06182016000200341&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Este trabalho investiga o comportamento dos bancos centrais (BCs) dos EUA e do Brasil frente à recente crise financeira global. O artigo avalia a atuação das autoridades monetárias por meio de uma leitura sistemática das atas dos respectivos comitês de política monetária entre 2004 e 2011. Procura também identificar conceitos necessários para uma correta leitura e reconhecimento da conjuntura macroeconômica e logo uma possível antecipação ou reação adequada à eclosão da crise. Em ambos os casos os BCs não parecem ter sido capazes de diagnosticar corretamente a evolução da conjuntura macroeconômica, principalmente em termos de detectar a bolha no setor imobiliário dos EUA e se antecipar ao estouro da mesma quando esta adquiriu proporções preocupantes. Quando os mercados financeiros entraram em pânico, os BCs tiveram de reagir pragmaticamente de reagir, mas de forma desorganizada, emergencial e, possivelmente, despreparada, em função da complexidade dos sistemas monetário e financeiro e provavelmente dos respectivos interesses financeiros envolvidos. Finalmente, argumenta-se também que parte desta incapacidade de antecipação pode derivar, entre outros, dos modelos macroeconômicos convencionais empregados pelos BCs e de uma confiança absoluta na hipótese dos mercados eficientes.<hr/>Abstract This study investigates the behavior of US and Brazilian central banks (CBs) regarding the recent global financial crisis. The article evaluates their conduct through a systematic review of the minutes from the respective committees' meetings between 2004 and 2011. The key concepts necessary to carry out a proper review were employed, in addition to an awareness of the macroeconomic conjuncture and therefore the ability to anticipate or properly react to the crisis. In both cases, the CBs do not seem to have been able to diagnose the evolution of the macroeconomic environment correctly, mainly in terms of detecting the bubble in the US housing sector, and even to anticipate the bubble bursting when it reached worrying levels. When financial markets panicked, both CBs had to react pragmatically, but in a disorganized way and with haste. They were also possibly unprepared, given the complexity of financial and monetary systems, and the financial interests behind it. Finally, it argues that the inability to anticipate could be found, in part, in the use of conventional macroeconomic models used by the CBs and in the blind faith in the efficient market hypothesis. <![CDATA[Speculative bubbles in the asset market: the influence of optimism and the level of confidence in a post-keynesian model]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-06182016000200373&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo A ocorrência de bruscas elevações/contrações nos preços dos ativos financeiros se constitui num fenômeno recorrente ao longo do desenvolvimento do capitalismo. Para a teoria pós-keynesiana, a própria natureza dos mercados financeiros e o seu funcionamento tendem a causar crises, sem a necessidade de um elemento exógeno. Harvey (2010) apresenta um modelo esquemático que explica as causas endógenas das crises financeiras, englobando os mercados de crédito, de ativos financeiros e de câmbio. No presente artigo apresentamos uma formalização do modelo de Harvey com o intuito de analisar as crises causadas por distorções nos mercados de ativos financeiros. O modelo apresenta uma contribuição no sentido de formalizar as relações entre o comportamento especulativo, o humor dos agentes e o seu estado de confiança. O modelo também trata da relação entre os preços dos ativos e a economia real, considerando uma relação de realimentação entre ambos. Os resultados estão completamente alinhados com as proposições de Keynes e dos pós-keynesianos a respeito da precificação de ativos e de crises nesses mercados.<hr/>Abstract The incidence of sharp rises/falls in financial asset prices is a recurrent event in capitalism history. For Post Keynesian theory, the very nature of financial markets tends to be the cause of financial crises, and not some exogenous incident. Harvey (2010) presents a schematic model that explains the endogenous causes of financial crises, involving the credit market, financial assets and foreign currencies. In this paper, we present a formal mathematical model based on Harvey's work to analyze financial crises caused by distortions in asset markets. The model presents a contribution in order to formalize the relations between speculation, agents' humor and their level of confidence. The model also deals with the relationship between asset prices and the real economy, considering their mutual feedback. The results are completely in alignment with Keynes and Post Keynesian propositions about financial crises and asset markets. <![CDATA[The peak and decline of neo-developmentalism in Argentina]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-06182016000200401&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O presente artigo busca analisar o neodesenvolvimentismo argentino a partir dos seus eixos constituintes e de como eles se modificaram ao longo dessa última década. O novo desenvolvimentismo argentino entendido aqui não é visto como uma atitude isolada do 'kirchnerismo' e das políticas governamentais, mas como um processo da junção do ambiente interno argentino com a nova reestruturação do sistema capitalista pós-crise neoliberal.<hr/>Abstract The aim of this paper is to analyze neo-developmentalism in Argentina based on its constituents' axes and how they changed over the last decade. New developmentalism in Argentina as understood here is not seen as an isolated attitude of 'kirchnerism' and of government policies, but as a process of joining the Argentine internal environment with the new structure of the capitalist system after the neoliberal crisis. <![CDATA[Why does the Brazilian economy not grow in a dynamic and sustainable way? A Kaleckian and Keynesian analysis]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-06182016000200429&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Este artigo examina a relação, para a economia brasileira, entre a formação bruta de capital fixo e o crescimento econômico. Tendo como referência as teorias keynesianas e kaleckianas, procura-se entender porque a economia brasileira, a despeito da estabilização monetária alcançada com o Plano Real, se encontra estagnada desde os anos 1990. As evidências empíricas mostram uma elevação do investimento por um curto intervalo nos últimos anos, mas em níveis insuficientes para dinamizar o crescimento econômico e ampliar a relação investimento/PIB. A análise econométrica apresenta resultados compatíveis com as interpretações teóricas e aponta para algumas barreiras importantes para o investimento, como as taxas reais de juros elevadas.<hr/>Abstract This article examines the relationship between investment and economic growth in Brazil. In light of the Keynesian and Kaleckian approaches, it aims to understand the stagnation the Brazilian economy has experienced since the 1990s, despite the monetary stabilization achieved with the Real Plan. Empirical evidence shows that investment increased for a period of time in the past few years, but not to the point of getting the economy back on track in terms of high growth rates and higher investment-GDP ratios. The econometric analysis is compatible with the theoretical underpinnings and identifies important issues such as the high real interest rates. <![CDATA[Competitive strategies and performance of the automotive industry in Brazil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-06182016000200457&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Nos anos 1990, a indústria automobilística brasileira experimentou um processo de reestruturação induzido pela mudança nas estratégias de concorrência das montadoras e pelas transformações na economia nacional. O trabalho analisou como ocorreu esse processo no período 1989-2013 desde uma concepção teórica Evolucionária. A reestruturação levou à redução do hiato tecnológico em veículos e em processos de fabricação, frente ao observado em países avançados. Isto se manifestou por meio de investimentos em modernização das plantas existentes e em abertura de novas unidades de produção. O resultado foi um expressivo aumento de produção, produtividade e consumo de autoveículos, que alçaram o Brasil à 7ª posição no ranking de países produtores e à 4ª no de vendas domésticas, consolidando sua condição de plataforma regional de fabricação para o mercado sul-americano. Ademais, algumas das subsidiárias brasileiras chegaram a um nível de domínio da tecnologia, que as habilitaram ao desenvolvimento autônomo de novos autoveículos.<hr/>Abstract In the 1990s, the Brazilian automotive industry experienced a restructuring process induced by the changes in competitive strategies of assemblers and in the national economy. This study analyzes how this process took place in the period 1989-2013, under an Evolutionary theoretical approach. The restructuring process reduced the technological gap in vehicles and in the manufacturing process, in comparison to what was observed in developed countries. This has been shown in investments in the modernization of existing plants and the opening of new ones. The result was an expressive increase in production, productivity and consumption, putting Brazil in the 7th position on the ranking of producers by countries and in the 4th for domestic sales, which consolidates its condition as a regional manufacturing platform for the South American market. Moreover, some subsidiaries reached a high technological mastery level, which has enabled the autonomous development of new products. <![CDATA[Credit unions in Brazil: evolution and impact on the income of municipalities]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-06182016000200489&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo As evidências empíricas indicam uma relação forte entre desenvolvimento financeiro e crescimento econômico. Nesse sentido, o crédito bancário aparece como uma das principais variáveis a ser considerada. Entretanto, num país de grandes dimensões como o Brasil, existem municípios desprovidos de agências bancárias e, portanto, sem acesso ao crédito bancário. As cooperativas de crédito aparecem como instituições alternativas no fornecimento de crédito, com características distintas dos bancos, pois elas assumem os riscos de suas aplicações em prol da comunidade, promovendo o desenvolvimento local através da formação de poupança e do microcrédito direcionado a iniciativas empresariais locais. Este trabalho mostra um breve histórico do cooperativismo no Brasil, além de mensurar o impacto das cooperativas de crédito na renda dos municípios brasileiros usando o método de diferenças em diferença. Foi encontrado um impacto médio de R$ 1.825 no PIB per capita para uma amostra de 3.580 municípios brasileiros, com significância a 5%.<hr/>Abstract Empirical evidence indicates a strong relationship between financial development and economic growth. Accordingly, bank credit is one of the main variables to be considered. Meanwhile, in a large country like Brazil, there are municipalities that do not have bank agencies and therefore have no access to bank credit. Credit unions act as alternative institutions in providing credit, with features that are distinct from banks in that they assume the risk of their applications for the community, promoting local development through the formation of savings and microcredit initiatives aimed at local business. This paper provides a brief history of cooperatives in Brazil and measures the impact of credit unions on the income of municipalities using the differences in difference method. The results showed an average impact of R$ 1,825 in GDP per capita for a sample of 3,580 Brazilian municipalities, with a 5% significance level.