Scielo RSS <![CDATA[Saúde e Sociedade]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-129020180001&lang=es vol. 27 num. 1 lang. es <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Apresentação - Desigualdades, vulnerabilidades e reconhecimento: em busca de algumas invisibilidades produzidas nas políticas de saúde]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100005&lng=es&nrm=iso&tlng=es <![CDATA[For differentiated and less uneven health care practices: the case of the Special Indigenous Sanitary District of Bahia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100011&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Nesse estudo buscou-se conhecer os significados do princípio da “atenção diferenciada” por meio da análise dos enunciados e da observação das práticas de gestores do Subsistema de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas na Bahia, a fim de revelar as bases sociais, políticas e culturais que os sustentam e analisar como contribuem, ou não, para a sua operacionalização. Parte-se do pressuposto de que a prestação de ações de atenção à saúde efetivamente diferenciadas, que considerem as especificidades socioculturais dos povos indígenas e sua medicina tradicional, pode contribuir para maior resolutividade do cuidado à saúde desses povos e mitigação de algumas implicações de determinantes sociais sobre os modos de viver, adoecer e morrer na população indígena. Optou-se pela realização de um estudo qualitativo, de abordagem etnográfica, com aplicação das técnicas de observação participante e de entrevistas semiestruturadas entre gestores do Subsistema na Bahia. A coleta de informações ocorreu entre setembro de 2014 e março de 2017. As narrativas revelaram frequentemente um tom retórico da ideia de “atenção diferenciada” como uma iniciativa de respeito às especificidades culturais indígenas, as quais foram mais insistentemente utilizadas como justificativa para a não realização de práticas diferenciadas de cuidado (por exemplo, protocolos específicos). A presença de indígenas na gestão contribuiu para a produção de práticas mais contextualizadas e orientadas para os problemas vivenciados pelas comunidades, mas o esforço de legitimação nesse espaço social ratifica a hegemonia “branca” na pauta principal de discussões.<hr/>Abstract In this study, we sought to know the meanings of the principle of “differentiated health care” through the analysis of narratives and practices from managers of the Subsystem of Indigenous People’s Health Care in Bahia, Brazil, to reveal how their social, political, and cultural bases can contribute or not to its operationalization. It is assumed that the provision of effectively differentiated health care actions, which consider the socio-cultural specificities of indigenous peoples and their traditional medicine, can contribute to a greater resolution of health services targeted for these peoples and mitigation of some social determinants of their ways of living and dying. Thus, a qualitative study with an ethnographic approach was developed, using participant observation techniques and semi-structured interviews with managers of the Subsystem in Bahia. Data collection took place between September 2014 and March 2017. The narratives often revealed a rhetorical tone of the idea of “differentiated health care” as an initiative to respect indigenous cultural specificities, which were insistently used as a justification for not conducting differentiated practices (as specific protocols, for example). The presence of indigenous people in the management contributed for producing more contextualized practices, oriented to the problems experienced by the communities, but the effort to legitimize themselves in this social space ratifies a “white” hegemony in the main topic of discussions. <![CDATA[Immigration, refuge and health: sociocultural analysis in perspective]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100026&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Os recentes processos migratórios internacionais ocorridos no Brasil se apresentam como um campo de estudo para as ciências sociais e humanas em saúde. Este artigo tem como objetivo refletir sobre os processos de inclusão de imigrantes e refugiados pelas instituições de saúde, considerando o campo de debates das ciências sociais e humanas em Saúde e o comprometimento dessa área com os direitos humanos. Inicialmente, são apresentadas características contemporâneas das migrações internacionais, incluindo a situação brasileira. Em seguida, são descritas algumas pesquisas e práticas sobre concepções de saúde, doenças e cuidados com imigrantes e, por fim, propomos um debate acerca de alguns conceitos antropológicos que podem contribuir para uma abordagem menos estereotipada dos processos de inclusão nas instituições de saúde nacionais. Pretendemos apresentar uma perspectiva das ciências sociais e humanas em saúde em um horizonte teórico articulado com práticas em saúde que, de certa forma, podem contribuir para a formulação de conceitos, explicações e orientações no plano das políticas públicas com essas populações.<hr/>Abstract The international migratory processes that are recently occurring in Brazil are a field of study for Health Social and Human Sciences. This article aims to reflect on immigrants and refugees processes of inclusion by health institutions, considering the discussion possibilities of Health Social and Human Sciences and the commitment of this area to Human Rights. Initially, contemporary characteristics of international migrations are presented, including the Brazilian situation. Some researches and practices about conceptions of health, illness and care with immigrants are described below, and, finally, we propose a debate on some anthropological concepts that can contribute to create a less stereotyped approach in the processes of inclusion in national health institutions. We intend to present a perspective of Health Social and Human Sciences within a theoretical horizon that is articulated with health practices that can somehow contribute to the formulation of concepts, explanations and guidelines in public policies to these populations. <![CDATA[Health practices in contexts of vulnerability and neglect of diseases, people and territories: potentialities and contradictions in health care for homeless people]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100037&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Este artigo ancora-se na premissa de que a relação entre políticas públicas, vulnerabilidade, sofrimento humano e negligência de pessoas e territórios merece ser questionada e melhor entendida. Um de seus principais pressupostos é a aposta em pontes de diálogos na produção de conhecimentos em saúde, em diferentes quadros de referência - paradigma biomédico; determinação social da saúde; vulnerabilidade social; aportes descoloniais. É fruto de estudo dedicado a acompanhar as práticas de saúde em territórios negligenciados e vulnerabilizados na cidade do Rio de Janeiro, em especial às pessoas que vivem em moradias precárias e em situação de rua. Diferentes encontros e modos de levar a vida, na feitura de cotidianos possíveis, foram vivenciados. Esses encontros forneceram elementos ao entendimento da saúde como valor social em situações concretas, pondo em questão, sob variadas leituras, a vulnerabilização de vidas humanas. Fala-se, portanto, sobre leituras críticas acerca de formas de estar no mundo, dialogicamente relacionadas às condições históricas, políticas e sociais, em que reside a aposta na resistência e nas ações cotidianas de diversos atores sociais e em dispositivos de saúde inovadores, que tenham potencial na efetivação de práticas contra-hegemônicas.<hr/>Abstract This article is anchored on the premise that the relationship between public policies, vulnerability, human suffering and neglect of people and territories deserves to be questioned and better understood. One of its main assumptions is the bet on dialogues bridges in the production of health knowledge, through different frames of reference - biomedical paradigm; social determination of health; social vulnerability; decolonial contributions. It is the result of a study dedicated to monitor health practices in neglected and vulnerable areas in the city of Rio de Janeiro, Brazil, especially to people living in precarious houses and homeless people. Different encounters and ways of taking life, in the making of possible daily life, were experienced. These encounters provided elements for the understanding of health as a social value in concrete situations, bringing into question, under various readings, the vulnerability of human lives. There is talk, therefore, of critical readings about ways of being in the world, dialogically related to historical, political and social conditions, in which lies the bet on resistance and daily actions of various social actors and innovative health devices that have potential in the making of anti-hegemonic practices. <![CDATA[Interview with José Ricardo Ayres]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100051&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Nesta entrevista à revista Saúde e Sociedade, José Ricardo Ayres conta como se aproximou do conceito de vulnerabilidade, das vantagens e perigos presentes em seu emprego, situando-o na saúde coletiva e na conjuntura científica, sanitária e política brasileira. Pensando nos estudos sobre a epidemia de aids, ele destaca diferenças nas ênfases dadas ao conceito no Brasil e nos Estados Unidos da América (EUA). Enquanto nos EUA a ênfase recaiu sobre o eixo da ética e do direito, fomentando ações jurídicas reivindicatórias perante o Estado, no Brasil enfatizou-se uma perspectiva crítica sobre o caráter tecnocrático das políticas públicas e sobre o autoritarismo dos saberes operados pela saúde pública, buscando relações mais dialógicas com os movimentos sociais em um contexto de lutas pela (re)construção de um Estado de direito democrático, em pleno processo de reabertura política no Brasil. A articulação entre vulnerabilidade e aportes específicos da teoria do reconhecimento, segundo Ayres, reforça a análise das relações entre intersubjetividades e contextos sociais, diálogos e conflitos, ações e estruturas sociais. Para ele, devemos considerar a dialética das representações, das interações e do trabalho como forma de construção do mundo de relações em que nos inscrevemos, rompendo assim com a ideia de que o indivíduo é uma “mônada” que atua sobre o mundo como algo meramente externo ou que age segundo imperativos sociais sem possibilidade de transformação da realidade. Desse modo, evitamos a naturalização da vulnerabilidade, quando tomada como característica intrínseca dos sujeitos, o que neutralizaria o interesse analítico e político desse conceito.<hr/>Abstract In this interview to the magazine Health and Society, José Ricardo Ayres explains how he approached the concept of vulnerability and of the advantages and dangers present in its application, situating it amidst the public health and in the academic, sanitary and political contexts. Taking the studies on the AIDS epidemic into consideration, he highlights differences in the emphasis given to the concept in Brazil and in the United States of America (USA). While in the U.S. the emphasis fell on the axis of ethics and law, fostering legal actions before the State, Brazil emphasized on a critical perspective of the technocratic aspect of public policies and on the authoritarianism of knowledge possessed in public health, seeking more dialogical relations with social movements in a context of struggles for the (re)construction of a democratic constitutional State, while occurred a process of reopening politics in Brazil. The relationship between vulnerability and specific contributions of recognition theory, according to Ayres, strengthens analysis of relations between intersubjectivities and social contexts, dialogue and conflict, actions and social structures. For him, we must consider the dialectic of representations, of interactions and of work as a way of construction of the world of relationships where we found ourselves, thus rupturing from the idea that the individual is a “Monad” that acts upon the world as something merely external or that acts according to social imperatives without possibility of transformation of reality. In this way, we avoid the naturalization of vulnerability when considering it as an intrinsic characteristic of the subjects, which would neutralize the analytical and political interest of this concept. <![CDATA[<strong><em>Health is politics… There is a great disorder under heaven: the “communal” experience of the 15</em></strong> <sup><strong><em><strong>th</strong></em></strong></sup> <em>Congresso Paulista de Saúde Pública</em>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100061&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Este texto tem por finalidade apresentar um breve relato das atividades preparatórias do 15º Congresso Paulista de Saúde Pública, realizado no segundo semestre de 2017. No material utilizado, estavam inclusas notas tomadas durante as reuniões preparatórias, trechos de mensagens trocadas e, fundamentalmente, o registro vivo contido na memória dos autores, enquanto participantes do processo de organização. Apresentamos, então, os contornos da necessária politização da saúde e as principais tendências observadas nas atividades desenvolvidas em todos os núcleos regionais da Associação Paulista de Saúde Pública. É realçada, ademais, a particularidade do congresso, que mostrou forte inovação na proposta de programa; foi um congresso desconstruído, em movimento, que contou com a realização de nove eventos nas regiões que sediam núcleos da associação. O décimo evento, realizado como atividade de finalização, ocorreu em São Paulo na forma de celebração teórico-política. Ao final, destacamos o fortalecimento dos laços associativos e a consolidação da organização em núcleos.<hr/>Abstract This text aims to present a brief account of the preparatory activities of the 15th Congresso Paulista de Saúde Pública, held in the second half of 2017. Within the material that was used, there are notes taken during the preparatory meetings, excerpts from the exchanged messages and, fundamentally, the living record contained in the memory of the authors, as participants in the organization process. We present then the contours of the necessary health politicization and the trends that were mainly observed in the activities carried out in all the regional centers of the Associação Paulista de Saúde Pública. It was also highlighted the particularity of the congress, which presented a very innovative program proposal; it was a forward-looking propulsive congress, composed by nine events hosted in the regions in which are located the association centers. The 10th event (a closing activity) took place in São Paulo as a theoretical-political celebration. At last, we highlight the strengthening of associative ties and the consolidation of the organization into nuclei. <![CDATA[Regional planning of health services: what do the managers say?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100069&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Este estudo analisou a percepção dos gestores de saúde sobre o planejamento regional dos municípios do oeste catarinense, tendo em vista os principais fatores que influenciam na gestão pública para a organização da rede de serviços de saúde. O estudo abrangeu 21 municípios vinculados às Agências de Desenvolvimento Regional (ADR) dos municípios de Chapecó, Quilombo e Palmitos, do estado de Santa Catarina. Os gestores de saúde foram entrevistados em dezembro de 2015, e utilizou-se um roteiro de entrevista com questões semiestruturadas. O método de análise foi o Discurso do Sujeito Coletivo (DSC), que originou quatro ideias centrais: papel do gestor no planejamento; planejamento em equipe; participação do Conselho Municipal de Saúde; e desafios no uso dos dados epidemiológicos como instrumentos de gestão. Apesar de os gestores reconhecerem os avanços do planejamento regional dos serviços de saúde, apontam a baixa participação da população nas arenas decisórias, além de problemas estruturais como, principalmente, a falta de recursos humanos capacitados para trabalhar e analisar as bases de dados informacionais, resultando em baixos comprometimento e responsabilização na efetivação do planejamento de saúde realizado em equipe.<hr/>Abstract This study objective was to analyze the perception of health-care managers about the local and regional planning in the west Santa Catarina cities, considering the main factors that influence the public management of the health services network organization. The study covered 21 cities that are linked to the Regional Development Agency (ADR) of the municipalities of Chapecó, Quilombo and Palmitos, from Santa Catarina state. The health-care managers were interviewed in December 2015, and the interview was guided by a script with semi-structured questions. The method of analysis was the Collective Subject Discourse (CSD), which originated four central ideas: the role of the manager in planning; team planning; the Municipal Health Council participation; and challenges for the use of epidemiological data as management tools. Despite recognizing advances in regional health service planning, the managers reported low popular participation in decision-making arenas, besides structural issues, such as the lack of qualified human resources to work and analyze the informational databases, resulting in low commitment and accountability in the effectiveness of the health planning which was developed in team. <![CDATA[The regionalization of the Brazilian National Health System: proposition for performance evaluation of the Regional Health Departments of São Paulo state, Brazil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100080&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Nas últimas décadas, a saúde brasileira sofreu grandes transformações, tanto em seu modelo como no desempenho do Estado. No entanto, devido a deficiências processuais e práticas, seu desempenho mostra ineficiência na prestação de serviços para a população. A regionalização, como estratégia de descentralização, surgiu como uma alternativa para resolver esses problemas interfederativos. Assim, este estudo visa analisar o desempenho da estratégia de regionalização do Sistema Único de Saúde no estado de São Paulo, pelos Departamentos Regionais de Saúde (DRS). Para atingir o objetivo, foi realizado um estudo descritivo e quantitativo, que resultou no Indicador Sintético Regional de Saúde do Estado de São Paulo (ISRS/SP). Observou-se uma concentração dos DRS com melhor desempenho no interior do estado de São Paulo, bem como uma relação não direta entre as regiões que receberam mais recursos e aqueles que obtiveram melhor desempenho, isto é, os conceitos de eficiência e eficácia estão intimamente relacionados em seu desempenho. No final do estudo, é possível compreender a regionalização da saúde no estado de São Paulo de forma abrangente, com possibilidades de adaptar o indicador sintético criado para outras regiões e realizar estudos mais aprofundados sobre o desempenho de cada nível.<hr/>Abstract In the last decades, the Brazilian public health has undergone major transformations, both in its model and in the performance of the State. However, due to procedural and practical deficiencies, their performance shows inefficiency in the provision of services for the population. The regionalization, as a strategy of decentralization, emerged as an alternative to solve these interfederative problems. Thus, this study aims to analyze the performance of the Brazilian National Health System regionalization strategy in São Paulo State, through the Regional Health Departments (RHD). To reach the objective, a descriptive and quantitative study was carried out, which resulted in the Regional Synthetic Indicator of Health of the State of São Paulo (RSIH/SP). A concentration of RHD with better performance was observed in the interior of São Paulo State, as well as a non-direct relation between the regions that received more resources and those that obtained better results, that is, the concepts of efficiency and effectiveness are closely related in their performance. At the end of the study, it is possible to comprehend the regionalization of health in São Paulo State in a comprehensive way, with possibilities to adapt the synthetic indicator created for other regions and to carry out more detailed studies on the performance of each level. <![CDATA[Participatory institutions and their effects on public policies: a study of the Comitê de Mortalidade por AIDS, in Porto Alegre, Brazil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100094&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Este estudo se insere no contexto das discussões sobre os efeitos das instituições participativas sobre políticas públicas. O objetivo foi conhecer a percepção dos membros do Comitê Municipal de Mortalidade por Aids de Porto Alegre sobre como essa instituição participativa tem consequências na melhoria do atendimento às pessoas que vivem com HIV/aids. Trata-se de pesquisa qualitativa, com método de estudo de caso, realizada com 17 membros do referido comitê. Suas reuniões mensais foram acompanhadas, quando se realizou observação de cunho etnográfico; realizou-se, também, entrevistas a partir de um roteiro semiestruturado, empregando-se o referencial da Teoria das Instituições Participativas. Identificou-se que o comitê é capaz de diagnosticar inúmeros problemas no sistema de saúde da cidade e apontar as fragilidades dos serviços de atendimento. Todavia, ainda não consegue assegurar que as propostas sugeridas sejam implementadas nos serviços a fim de resolver os problemas identificados e, por conseguinte, melhorar a qualidade dos serviços de atendimento às pessoas com HIV/aids.<hr/>Abstract This study is part of the discussions on the effects of participatory institutions on public policies. The objective was to understand the perception of the members of the Comitê Municipal de Mortalidade por AIDS (Municipal AIDS Mortality Committee) in Porto Alegre, Brazil, on the effects of this institution on the improvement of care for people living with HIV/AIDS. This is a qualitative research performed as a case study, conducted with 17 members of this committee. We attended their monthly meetings; data was collected with ethnographic observation and in-depth interviews using a semi-structured interview guide. We used the Theory of Institutions as the theoretical framework. We identified that the committee can diagnose several problems in the health system of the city and point the frailties of the services. However, the institution is still uncapable of guaranteeing that the suggested proposals will be implemented to solve the problems identified and, therefore, improve the quality of the services for people with HIV/AIDS. <![CDATA[<strong>Lifestyle, habitus, and health promotion: some approaches</strong>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100106&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Estilos de vida (EV) saudáveis são interpretados hegemonicamente como um conjunto de comportamentos individuais capazes de favorecer a saúde, entendida como fenômeno eminentemente biológico. O referencial teórico da Promoção da Saúde (PS), contudo, acrescenta o conceito da determinação social às discussões acerca das relações entre EV e saúde. Visando a favorecer a superação do modelo de culpabilidade individual centrada na abordagem de risco epidemiológico nas discussões sobre EV, recuperamos, na obra do sociólogo Pierre Bourdieu, o conceito de habitus. O propósito deste artigo é exercitar uma síntese das abordagens que, historicamente, permearam os discursos sobre EV e PS, introduzindo o conceito de habitus como mediador, o qual possibilita uma reflexão sobre o tema a partir das condições sociais existentes e das ações individuais historicamente construídas. A relevância dessa reflexão reside no fortalecimento conceitual do ideário da PS, e no favorecimento de ações integrais, inclusivas, participativas e de empoderamento social, como contraponto a ações prescritivas focadas na prevenção ou controle de doenças, ainda marcantes nas práxis em saúde.<hr/>Abstract Healthy lifestyles (LS) are hegemonically interpreted as a set of individual behaviors capable of promoting health, which is understood as an eminently biological phenomenon. The theoretical framework of Health Promotion (HP), however, adds the concept of social determination to the discussions on the relationships between LS and health. Aiming to overcome the model of individual culpability focused on the epidemiological risk approach in the discussions on LS, we retrieved the concept of habitus from the work of sociologist Pierre Bourdieu. This article aims to summarize several approaches that historically permeated the discourses about LS and HP, introducing the concept of habitus as a mediator, which allows for a reflection on the topic from the existing social conditions and the historically constructed individual actions. This reflection is important because it conceptually strengthens HP ideas and promotes comprehensive, inclusive, participatory, and social empowerment actions, as opposed to prescriptive actions focused on disease prevention or control, which still prevail in the health praxis. <![CDATA[Struggling for health is struggling for agrarian reform: a study on health practices within the Brazil’s Landless Workers’ Movement]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100116&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Este estudo de natureza qualitativa investigou práticas de saúde em assentamentos e acampamentos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, o MST, na região do Vale do Rio Doce, Minas Gerais, Brasil. Buscou-se identificar práticas condizentes com o ideal de saúde do MST, o debate de normas e valores e possíveis renormalizações, contando com o aporte teórico da saúde coletiva e da ergologia. As atividades investigadas foram: agricultura ecológica, trabalho docente que envolvia ações de saúde e ambiente e cuidado. Os resultados evidenciaram valores relacionados à luta pela reforma agrária e pela transformação da sociedade, à valorização das técnicas e dos saberes populares e à promoção da autonomia dos trabalhadores rurais. Percebeu-se, em alguma medida, a incorporação do projeto/herança da saúde do MST, que se mostrou mais efetiva, à medida que atinge os coletivos, evidenciando que a instauração de novas normas de saúde passa pela organização política dos assentamentos e acampamentos de reforma agrária.<hr/>Abstract This qualitative study investigated health practices in settlements and camps of Brazil’s Landless Workers’ Movement (MST) in the region of Vale do Rio Doce, Minas Gerais, Brazil. We sought to identify health care practices consistent with MST’s health care objectives, debate on norms and values and possible renormalizations within this framework, using Collective Health and Ergology as theoretical bases. The investigated activities were: agroecological farming, teaching activities involving health and environment actions, as well as health care activities. The results indicate values related to the struggle for agrarian reform and for the transformation of society, but also related both to the valorization of popular health care practices and to the development of the autonomy of rural workers. The incorporation of the project/health inheritance of MST, to some extent, proved to be more effective, as it reaches the collective movements, demonstrating that establishing new health standards involves the political organization of settlements and agrarian reform camps. <![CDATA[Health in the context of a sustainable development reserve: the case of Mamirauá, in the Brazilian Amazon]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100128&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo O objetivo deste artigo é analisar as condições de vida e saúde de ribeirinhos de oito comunidades da Reserva Mamirauá, a partir da categoria de análise da Reprodução Social de Juan Samaja. Seu método é descritivo, e foram utilizados questionário estruturado, observação direta e análise documental. A pesquisa identificou baixo envolvimento dos ribeirinhos em relação ao controle social e ao apoio comunitário, o que indica problemas na interação biocomunal e política. O atendimento às demandas sociais está organizado de forma conflituosa, uma vez que várias instituições que atuam nesse território não se articulam. A interação da dimensão política com a tecnoeconômica apresentou Razão de Prevalência &lt;1,0 nas comunidades em que o Instituto Mamirauá promoveu maior diversificação das atividades. Contudo, os rendimentos para subsistência sofrem forte variação e não alcançam a soma de 1 salário mínimo em 60,6% das famílias. Foram observadas elevadas frequências em queixas de saúde (78,8%) e acidentes de trabalho (70,9%) e, quanto à avaliação dos serviços, 54 % dos ribeirinhos deram nota inferior a 2 pontos. Concluímos que os processos sociais que determinam as situações de saúde dos ribeirinhos de Mamirauá são oriundos da estrutura de poder configurada pelas práticas territorializadas das políticas ambiental e indígena, e pelos programas de saúde pública, cuja sobreposição tem produzido interações conflituosas no que diz respeito às competências e responsabilidades com a atenção à saúde. O apoio à cogestão da Reserva foi pontual e, dessa forma, pouco alterou os resultados danosos dessa estrutura social sobre os grupos mais vulneráveis.<hr/>Abstract This article aims to analyze the living and health conditions of riverside inhabitants from eight communities within the Mamirauá Reserve, through the category of analysis of Social Reproduction by Juan Samaja. The chosen method was descriptive, and it was used a structured questionnaire, direct observation and documental analysis. The research has identified low involvement of the riverside inhabitants in social control and community support, which indicates issues regarding bio-communal and political interaction. The response to social demands is organized in a conflicting way, since various institutions that operate in this territory are not articulated. The interaction between political and techno-economic dimensions presented a Prevalence Ratio &lt;1.0, especially in communities where the Mamirauá Institute promoted a greater diversification of its activities. However, the people’s subsistence income suffers strong variations and does not reach the sum of one minimum wage in 60.6% of the families. We observed high frequencies in health complaints (78.8%) and occupational accidents (70.9%), and 54% of judged the provided health services with scores under 2. We concluded that the social processes that determine the health situation of the communities are due to the structure of power that is configured by territorial practices of environmental and indigenous policies, and by overlapped health public programs, that create conflicting situations concerning competences and responsibilities with health attention. The support to the co-management of the Reserve was punctual and, in this way, it barely affected the negative results of this social structure on the most vulnerable groups. <![CDATA[Questioning both health and development: a study case on Petrochemical Pole of Suape in Pernambuco, Brazil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100149&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo O nexo causal entre as condições de saúde das populações e o ordenamento socioeconômico de distintas sociedades vem sendo inequivocamente demonstrado por tratar-se de um objeto cuja determinação não é exclusivamente biológica, mas também histórica e social. No Brasil, esse debate se desenha quando a saúde passa a ser apreendida como questão social, e ganha destaque no momento em que as formulações sobre desenvolvimento, subdesenvolvimento e dependência são difundidas. Este estudo - descritivo, exploratório e de natureza quantitativa - objetivou analisar as condições sociossanitárias da população que reside em um específico polo de crescimento em Pernambuco, cujas estratégias de desenvolvimento vêm sendo formuladas à luz da ideologia novo-desenvolvimentista. A análise das condições sociossanitárias foi realizada através de um conjunto de indicadores socioeconômicos e de saúde, e os valores alcançados pelo PIB e PIB per capita dessa região confirmam o expressivo crescimento econômico, embora, concomitantemente, haja crescimento da desigualdade de renda e da concentração da riqueza. Foi possível concluir que esse modelo de crescimento econômico não assegura transformações no padrão de vida da população, pelo contrário, ocasiona sérios problemas médico-sociais.<hr/>Abstract The correlation between populations’ health and socioeconomic planning of different communities has undisputedly become evident, especially because its determination factors are not only biological, but also historical and social. In Brazil, this debate was set when health started to be considered a social issue and it was highlighted by the time postulations on development, underdevelopment and dependence were precisely widespread. This descriptive/exploratory study - developed with quantitative data - aims at analyzing the socio-sanitary conditions of the population that lives in a specific industrial developing center in Pernambuco, Brazil, which follows strategies that have been formulated in light of the new developmentalist ideology. We analyzed socio-sanitary conditions through a set of socioeconomic and health indicators, and this region’s GDP and GDP per capita values confirm a significant economic growth, even though, at the same time, income inequality and concentration of wealth have also grown. Thus, we concluded that this economic model does not guarantee improvements on populations standard of living, but causes serious medical and social problems. <![CDATA[Social representations on health and environment for the Family Health Strategy teams]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100163&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Atualmente, sabe-se que as questões que envolvem a saúde possuem uma relação com diversos determinantes, dentre os quais, o meio ambiente merece destaque especial. Nesse sentido, a relação saúde e meio ambiente é um importante aspecto a ser considerado, particularmente nas práticas de trabalhadores das equipes de Estratégias Saúde da Família (ESF). O objetivo deste estudo é conhecer as representações sociais sobre saúde e meio ambiente para equipes de Estratégia Saúde da Família. É um estudo qualitativo, descritivo-exploratório, baseado na teoria das representações sociais. Os dados foram coletados entre fevereiro e junho de 2016, em um município localizado no interior do Rio Grande do Sul, por meio de pesquisa documental e entrevista semiestruturada. Participaram deste estudo 19 trabalhadores de ESF. Os dados foram analisados conforme análise de conteúdo temática, buscando-se o núcleo central da representação social e os elementos periféricos. A partir da análise dos dados delineou-se a seguinte representação: a salubridade do território. Os elementos periféricos relacionados à representação são: água, resíduos sólidos urbanos e agrotóxicos e poluição atmosférica. Conclui-se que a compreensão da relação saúde e meio ambiente está intrinsecamente relacionada com os danos que o meio ambiente pode causar na saúde.<hr/>Abstract Currently, it is well known that issues involving health are related to several determinants, among which the environment should be highlighted. In this sense, the relation between health and environment is an important aspect to be considered, especially in the practices of workers within the Family Health Strategy (FHS) teams. The objective of this study was to know the social representations about health and environment for Family Health Strategy teams. This is a qualitative, descriptive-exploratory study, based on the social representations theory. Data were collected from February to June 2016, in a municipality located in the countryside of Rio Grande do Sul State, through documentary research and semi-structured interviews. Overall, 19 Family Health Strategy workers participated in this study. The data were analyzed according to thematic content analysis, seeking the central nucleus of social representation and the peripheral elements. From the analysis of the data the following representation was outlined: The salubrity of the territory. The peripheral elements related with representation are: water, municipal solid waste, and agrochemicals and atmospheric pollution. We concluded that the understanding of the relationship between health and environment is intrinsically related to the damages the environment can bring to health. <![CDATA[Risk as persistent danger and mental health care: normalizing sanctions on the movement in territory]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100175&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Este artigo objetiva analisar as relações entre usuários e profissionais de um Centro de Atenção Psicossocial (Caps), focalizando a escuta, observação e percepção de como o cuidado é vivenciado entre esses atores sociais. Para tal, foi desenvolvido um estudo qualitativo mediante observação participante e entrevistas semiestruturadas realizadas com profissionais de um Caps na cidade de Pesqueira (PE). As entrevistas foram analisadas segundo a análise textual discursiva e operacionalizadas por meio do software ATLAS.ti. A partir disso, no campo das práticas de cuidado, observou-se que a persistência da noção de periculosidade atribuída à pessoa em sofrimento psíquico aponta um processo complexo de manutenção de concepções estigmatizantes sobre adoecimento mental. Na análise das relações de cuidado, pudemos constatar a centralidade do tratamento medicamentoso, bem como a existência de circuitos permitidos e não permitidos pela própria comunidade, que passa a regular a circulação no território. Evidencia-se, por fim, a vinculação das práticas de cuidado a práticas de medicalização do sofrimento psíquico e de medicamentalização.<hr/>Abstract This research aims to analyze the relationship between users and professionals in a Centro de Atenção Psicossocial - Psychosocial Care Center (Caps), focusing on listening, observation and the perception of how care is experienced by them. For this purpose, a qualitative study was conducted by participant observation and semi-structured interviews with professionals of a Caps in the city of Pesqueira (PE, Brazil). The interviews were analyzed according to discursive textual analysis, which was carried out through the ATLAS.ti software. Onwards, in the field of care practices, we noticed that the persistence of the danger notion assigned to the psychic suffering person points to a complex process of maintenance of stigmatizing mental illness conceptions. In the analysis of care relationships, we have seen the centrality of drug treatment, as well as the existence of circuits that are allowed or not by the community, that regulates circulation in territory. The results point to the linkage of care practices to the medicalization of psychological distress and excessive consumption of medicines. <![CDATA[Approaches and detachments towards suicide: analyzers of a psychosocial care service]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100185&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Este artigo é produto de uma pesquisa-intervenção de perspectiva cartográfica, cujo objetivo foi investigar a atenção ao suicídio de um serviço de atenção psicossocial em um município de São Paulo. O percurso metodológico foi construído de forma dinâmica, em que as etapas finais foram projetadas em função da análise dos dados produzidos nas etapas iniciais. Os instrumentos utilizados inicialmente foram: estudo de prontuários, análise de fluxos de atendimentos, diários de campo e entrevistas semiestruturadas. As análises revelaram um processo de trabalho centrado em consultas psiquiátricas e na medicalização do sofrimento, no qual a atenção ao suicídio era pouco problematizada. Em um segundo momento, realizaram-se rodas de conversa com trabalhadores para compartilhar os dados e as análises iniciais e discutir as questões que emergiram a partir dessas informações. As intervenções mobilizaram os profissionais a repensarem o seu processo de trabalho. A equipe retomou os espaços de educação permanente, com o objetivo de analisar as ofertas de atenção psicossocial que produziam e, a partir desses encontros, repensou uma oferta de cuidado que valorizasse a escuta e o acolhimento não apenas na atenção ao suicídio, mas ao sofrimento mental. A pesquisa gerou também um blog sobre atenção ao suicídio.<hr/>Abstract This article is the product of a research-intervention of cartographic perspective, whose objective was to investigate attention to suicide in a psychosocial care service in a municipality of São Paulo. The methodological trajectory was dynamically built, in which the final stages were projected based on the analysis of data produced in the initial stages. The instruments used initially were: study of medical records, analysis of care attendance flows, field journals, and semi-structured interviews. The analyses revealed a work process centered on the offer of psychiatric consultations and the medication of suffering, in which the care to suicide was little problematized. In a second moment, conversation groups were held with the workers to share the data and the analysis produced, and to discuss issues emerging from them. The interventions encouraged professionals to rethink their work process. The team resumed the spaces of permanent education, with the objective of analyzing the psychosocial care offerings they produced. From these meetings, they rethought an offer of care that valued listening and welcoming not only in the care to suicide but also to mental suffering. The research also generated a blog about suicide awareness. <![CDATA[Engaged juridicization of adolescence: about a case of psychiatric compulsory admission]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100201&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Com o objetivo de compreender um caso de internação psiquiátrica compulsória (IPC) infantojuvenil, foi desenvolvida uma etnografia com agentes institucionais dos setores educação, justiça e saúde nos poderes executivo e judiciário. A metodologia de pesquisa consistiu em (1) entrevistas com defensoras, psicólogas, psiquiatras e peritos; (2) análise documental de ata escolar, autos processuais e prontuário médico. Frisamos que algumas pesquisas têm se centrado em “adolescentes drogaditos” internados compulsoriamente, apontando para uma “judicialização do cuidado em saúde mental”. Desse modo, visou-se responder à seguinte questão de pesquisa: as IPC às quais Clara fora submetida também poderiam ser compreendidas como parte desse processo? Procurou-se mostrar que a jovem é caracterizada pelas versões institucionais como uma “adolescente-psiquiátrica” por alguns, e “um risco para si e para terceiros” por outros. Assim, torna-se um “caso emblemático” para uma rede de cuidados, após episódios de “agressão”, “tentativas de suicídio” e “fugas” que suscitaram audiências, encaminhamentos, internações e abrigamentos. Por fim, os resultados apontam para um processo de juridicização engajada da adolescência.<hr/>Abstract With the objective of understanding a case of psychiatric compulsory admission (IPC) of a child/adolescent, an ethnography was developed with institutional agents from the education, justice and health sectors, in the executive and judicial branches. The research methodology consisted of (1) interviews with public defenders, psychologists, psychiatrists and experts; and (2) documentary analysis of school minutes, procedural records and medical records. We emphasize that some researches have been focused on “teenage drug abuse” compulsorily hospitalized, pointing to a “judicialization of mental health care”. In this way, the aim was to answer the following research question: could the IPCs to which Clara had been submitted also be understood as part of this process? It was sought to show that the girl is characterized by the institutional versions as a “psychiatric-teenager” by some, and “a risk for herself and for others” by others. Thus, it becomes an “emblematic case” for a network of care, after episodes of “aggression”, “suicide attempts” and “escapes” that aroused hearings, referrals, hospitalizations and shelterings. Finally, the results point to a process of engaged juridicization of adolescence. <![CDATA[Health rather than excellence: the suffering of nutrition attendants of a Public Hospital affected by RSI/WRMSD]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100215&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Este artigo apresenta resultados de pesquisa cujo objetivo foi compreender as relações entre os aspectos da organização do trabalho e a saúde de atendentes de nutrição acometidos por LER/Dort. Durante o processo houve levantamento de estatísticas de absenteísmo relacionado a LER/Dort em um hospital público em Porto Alegre/RS, no período de 1 de junho de 2015 a 30 de junho de 2016, e seleção da Seção de Distribuição de Alimentos e de seus atendentes de nutrição para aprofundamentos. Foram utilizados um questionário estruturado com dados sociodemográficos e de trabalho e o instrumento Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20), para pesquisar a prevalência de transtornos mentais comuns (TMC), e realizadas entrevistas coletivas com os atendentes acometidos por LER/Dort, utilizando o referencial teórico da psicodinâmica do trabalho. Os resultados obtidos apontaram para modos de organização do trabalho e gestão com cobranças excessivas, assédio moral e falta de reconhecimento no trabalho, que geram sofrimento e influenciam nos processos de adoecimento. Sugere-se um espaço de escuta e discussões com reuniões que envolvam os trabalhadores, técnicos de nutrição e a coordenação que possam caracterizar uma ação permanente.<hr/>Abstract This article presents the results of a research that aimed to understand the relationship between aspects of the work organization and the health of nutrition workers affected by RSI/WRMSD. Throughout the process, absenteeism statistics related to RSI/WRMSD were obtained from a Public Hospital in Porto Alegre/ RS, from 06/01/2015 to 06/30/2016, and a section of such hospital was selected for further study. We selected the Food Distribution Section and its nutrition attendants for the research. A structured questionnaire with sociodemographic and professional data and the Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20) were used to investigate the prevalence of common mental disorders (CMD), and collective interviews were conducted with attendants affected by RSI/WRMSD, using the theoretical reference of the Work Psychodynamics. Results obtained pointed to ways of organizing and managing work which included excessive pressure, moral harassment, and lack of recognition, generating suffering and influencing the processes of illness. A space for listening and discussing work issues is suggested, with meetings involving all workers, nutrition technicians, and the coordination, which may characterize a permanent action. <![CDATA[Work and autonomy of health workers: considerations about theoretical and methodological assumptions of health work analysis]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100227&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo As questões abordadas no artigo estão relacionadas com o tema do trabalho e autonomia no trabalho em saúde. Questiona-se sobre a possibilidade de criação de espaços de autonomia para os trabalhadores em contextos de padronizações e normatizações advindas das políticas públicas, mas também dos condicionamentos decorrentes dos processos históricos de reestruturação do trabalho em saúde. A perspectiva teórica adotada atenta para as condições de resistência, de lutas e de atuação ativa dos trabalhadores nos espaços de concepção e de execução dos processos de trabalho, mas não relativiza a importância dos condicionamentos estruturais nesse processo. Assim, afirma-se a importância de não se tomar a autonomia no trabalho como um dado, nem como um ausente, mas como uma construção social que decorre da experiência concreta dos trabalhadores em saúde. Sem negar a importância de estudos que enfatizam o protagonismo dos sujeitos no trabalho em saúde, a análise destaca, portanto, os condicionamentos estruturais na análise do trabalho e da autonomia (possível) dos trabalhadores em saúde.<hr/>Abstract The issues addressed in the article are related to the topic of work and autonomy in health work. The possibility of creating spaces of autonomy for workers in contexts of standardization and norms from public policies is questioned, but also from the constraints arising from the historical processes of restructuring health work. The theoretical perspective adopted considers the conditions of resistance, struggles, and active action of the workers in the spaces of conception and execution of work processes, but does not relativize the importance of structural conditioning in this process. Thus, we affirm the importance of not taking autonomy at work as a given, neither as an absence, but as a social construction that stems from the concrete experience of health workers. Without denying the importance of studies that emphasize the protagonism of the subjects in health work, the analysis emphasizes, therefore, the structural constraints in the analysis of the work and the autonomy (possible) of health workers. <![CDATA[Between sex and gender: an exploratory bibliographic study of health sciences]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100238&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo Os conceitos de “sexo” e “gênero” são importantes porque revelam, em parte, a oposição fundante entre natureza e cultura e a dicotomia entre ciências humanas e biociências. Este texto apresenta os caminhos trilhados por uma pesquisa bibliográfica, de natureza exploratória e qualitativa, que investigou os usos dos termos “sexo” e “gênero” nas publicações sobre ciências da saúde, já que se mostram um campo privilegiado para a análise do tema pela sua interdisciplinaridade. As fontes da pesquisa foram artigos disponibilizados na íntegra na base de dados da Literatura Latino-Americana e do Caribe (Lilacs). Foram selecionados 18 artigos conforme critérios de inclusão e exclusão previamente definidos. Os principais usos dos termos investigados foram sistematizados e discutidos com base em três categorias temáticas, que procuraram dar relevo à pluralidade dos usos dos conceitos estudados, bem como a algumas de suas implicações epistemológicas, relacionadas com a dualidade entre natureza e cultura, típica do pensamento moderno. Além disso, algumas implicações éticas e políticas também foram indicadas, de maneira que a discussão possa ser útil e suscitada entre as ciências da saúde e, particularmente, a saúde coletiva.<hr/>Abstract The concepts of “sex” and “gender” are important because they disclose, in part, the founder opposition between nature and culture and the dichotomy between human sciences and biosciences. The text presents the paths taken by an exploratory and qualitative bibliographical research, whose objective was to investigate the uses of the terms “sex” and “gender” in health science publications, which are a privileged field for the subject analysis because of its interdisciplinarity. The sources of the research were articles made available in full in the Latin American and Caribbean Literature database (LILACS). According to previously defined inclusion and exclusion criteria, 18 articles were selected. The main uses of the terms “sex” and “gender” were systematized and discussed based on three thematic categories, which sought to highlight the plurality of uses of the concepts studied, as well as some of their epistemological implications related to the duality between nature and culture, typical of the modern thinking. In addition, ethical and political effects were analyzed so that the discussion can be raised and become useful in the health sciences and, in particular, in the Collective Health. <![CDATA[Representation of the medication under the bioethics perspectives]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100252&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumo O uso consciente de medicamentos exige que se acrescentem as dimensões ética, emocional, social e ambiental ao uso racional, assim como a compreensão do mecanismo saúde/doença. Objetivou-se caracterizar a ideia que diferentes grupos sociais têm da medicação, através de uma pesquisa transversal exploratória quantitativa. A participação de 266 respondentes permitiu caracterizar a relação entre autocuidado e os parâmetros culturais e ambientais, bem como a identificação de vulnerabilidades atreladas ao acesso à informação e educação, principalmente em respondentes da área rural e com apenas ensino básico completo. A maioria dos entrevistados apresentou uma visão global da saúde, relacionando-a a hábitos de vida e atestando, assim, a hipótese de que o autocuidado deve ser concebido como um princípio ético; contudo, as especificidades das representações evidenciaram uma relação entre autopercepção e autogerenciamento da saúde. As análises subsidiaram a confluência entre bioética e saúde global na promoção de discussões éticas e educativas a fim de capacitar o cidadão para estabelecer uma relação consciente com o medicamento. Desse modo, incentiva-se o autocuidado e o cuidado com a natureza como meio de prevenção de doenças e promoção de saúde e qualidade de vida para o ser humano e o ecossistema, a nível local, mas com repercussões globais, beneficiando esta e futuras gerações.<hr/>Abstract The conscious use of medicines require the addition of ethical, emotional, social, and environmental dimensions to the rational drug use, such as the understanding of the health/disease mechanism. Our objective was to characterize the idea of medication by different social groups, through a quantitative exploratory cross-sectional study. The participation of 266 respondents allowed us to characterize the relation between self-care and cultural and environmental parameters, as well as the identification of vulnerabilities that were linked to the access to information and education, which was mainly observed in rural respondents and in those who have only had access to basic education. Most of the interviewees had a global view of health, connecting it to life habits and attesting the hypothesis that self-care should be conceived as an ethical principle; however, the specificities of representations evidenced a relation between self-perception and self-management of health. The analysis supported the confluence between bioethics and global health in the promotion of ethical and educational discussions in order to enable citizens to deal consciously with medicines. In this way, it is encouraged self-care and care for nature as means of preventing diseases and allowing the promotion of health and life quality, both to humans and to the ecosystem, at local level, but with global repercussions, benefiting this and future generations. <![CDATA[El acogimiento familiar en Iberoamérica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100268&lng=es&nrm=iso&tlng=es Resumen El acogimiento familiar es una modalidad para el cuidado alternativo de niños y adolescentes sin protección parental. El objetivo de este estudio es realizar una revisión sistemática del acogimiento familiar en Iberoamérica. La metodología utilizada es la búsqueda en bases de datos como PubMed, Scopus, SciELO, PsycINFO, con información publicada entre 2010 y 2017. Se incluyeron 93 evidencias, observándose que el acogimiento familiar en Iberoamérica se está implementando. Uno de los aspectos cruciales es la terminología empleada por los diferentes países. En los tipos de acogimiento familiar en Iberoamérica, prevalece el acogimiento en familia extendida y sustituta (ajena). Se observó que cada país de Iberoamérica tiene un ente regulador de políticas públicas y de protección. Hay pocas publicaciones científicas relacionadas con el acogimiento familiar en Honduras, Nicaragua, Salvador, Bolivia y Venezuela; de las islas del Caribe, eso se observa principalmente en Haití y otros países como Cuba, Puerto Rico y República Dominicana. De otra manera, no se observa en Brasil, Colombia, Chile, Guatemala, Perú y España. El acogimiento familiar en Iberoamérica se desarrolla gradualmente. Los países analizados ratificaron la Convención sobre los Derechos del Niño, excepto Puerto Rico, por lo que reconocen el derecho del niño a vivir en familia a través de la implementación de las directrices sobre las modalidades alternativas de cuidado.<hr/>Abstract Foster care is one modality for the alternative care of children and teenagers without parental care. The objective of this study is to carry out a systematic review of foster care in Latin America. The method used was the search in databases such as PubMed, Scopus, SciELO, PsycINFO, with information published between 2010 and 2017. Ninety-one evidences were included, observing that family fostering in Latin America is being implemented. One of the crucial aspects is the terminology used by different countries. In the types of foster care in Latin America, foster care in extended and surrogate families prevails. It was observed that each Latin American country has a regulatory body of public policies and protection. There are few scientific publications related to family fostering in Honduras, Nicaragua, Salvador, Bolivia, and Venezuela, from the Caribbean Islands, this is observed mainly in Haiti and other countries such as Cuba, Puerto Rico, and the Dominican Republic. Otherwise, this is not observed in Brazil, Colombia, Chile, Guatemala, Peru, and Spain. Family fostering in Latin America develops gradually. The countries analyzed have ratified the Convention on the Rights of the Child, except Puerto Rico. Therefore, they recognize the right of the child to live with the family through the implementation of the Guidelines on alternative care.