Scielo RSS <![CDATA[Educar em Revista]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-406020140006&lang=es vol. num. SPE-2 lang. es <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Editorial</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000600001&lng=es&nrm=iso&tlng=es <![CDATA[<b>Apresentação</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000600002&lng=es&nrm=iso&tlng=es <![CDATA[<b>Cultural history of the deaf</b>: <b>contemporary challenge</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000600003&lng=es&nrm=iso&tlng=es O presente artigo parte da perspectiva da história cultural em direção aos Estudos Surdos. Objetiva debruçar-se em pesquisas teóricas que possibilitem a visão sobre a história cultural a ser captada na vida cotidiana, resistências e fazeres a partir da cultura, em nosso caso, do povo surdo. Nestas pesquisas teóricas observou-se o papel que exerce a cultura surda, permeada pela construção da identidade, pela língua de sinais, pela pedagogia surda. E no contato com a história cultural notamos uma metodologia que ressalta a importância da participação dos povos surdos para sua construção. Esta história faz emergir os saberes em que entram em cena as memórias das experiências do "ser surdo", uma visão abrangente em relação ao que ocorre com o povo surdo, especialmente os corpos amordaçados por políticas institucionais, os embates no campo do colonialismo e dos sistemas opressivos educacionais, as lutas por identidade e por significados culturais. Nestes aportes tornam-se frequentes os indícios de signos e significados subjetivantes. O desafio é construir uma nova história cultural, registrando as lutas pela identidade surda, pela construção da identidade cultural, pelo reconhecimento da língua de sinais, pela emancipação dos sujeitos surdos de todas as formas de opressão e seu livre e espontâneo desenvolvimento, bem como a pedagogia surda presente no povo surdo.<hr/>The present article starts from the perspective of cultural history in the direction of the Deaf Studies. We aim to examine theoretical research that enables the vision of cultural history to be captured in everyday life, the resistances and doings in the culture, in our case, of the deaf people. In these theoretical studies we observed the role deaf culture plays, permeated by the construction of identity, by the Sign Language and the deaf pedagogy. And in contact with that cultural history we noticed a methodology that emphasizes the importance of deaf people participation in this construction. Such history reveals the knowledge in which memories of experiences about 'being deaf' come into scene, with a comprehensive view about what happens with deaf people, especially the bodies gagged by institutional policies, the conflicts in the colonialism field and the educational oppressive systems, the struggles for identity and cultural meanings. These contributions become frequent evidence of subjectivistic signs and meanings. The challenge is to build a new cultural history, registering the struggles for deaf identity, for the construction of a cultural identity, for the recognition of the Sign Language, for the emancipation of deaf subjects from all forms of oppression and their free and spontaneous development as well as for the pedagogy to deaf people. <![CDATA[<b>35 years of bilingual deaf education - and then?</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000600004&lng=es&nrm=iso&tlng=es Neste artigo, apresenta-se um panorama dos últimos 35 anos de educação bilíngue para surdos, na Suécia. Faz-se uma breve apresentação dos conceitos de "primeira língua/língua materna" e "segunda língua/língua estrangeira", utilizados neste contexto específico, para debater alguns dos principais pressupostos subjacentes ao ensino de primeira e segunda língua para crianças surdas. Discutimos os principais resultados da abordagem bilíngue, demonstrando o alto nível de conquistas, quando consideradas em uma perspectiva internacional. Esses resultados são comparados com dados do primeiro período de educação de surdos na Suécia, após a fundação da escola de Manilla em 1809. A base comum para estes exemplos de sucesso na educação de surdos pode ser resumida como uma atitude positiva em relação à língua de sinais e seus usuários. Em seguida, discutem-se algumas diferenças entre as línguas de sinais naturais versus a utilização simultânea de sinais e fala, quando o interlocutor surdo normalmente recebe informações linguísticas inconsistentes, fazendo com que esta prática seja menos adequada para o aprendiz da língua. Segue-se uma discussão de ensino de língua para crianças surdas, incluindo o ensino de uma terceira língua, como o Inglês, por exemplo. Observa-se que o grupo de usuários de língua de sinais está sofrendo uma grande mudança na atualidade, especialmente devido ao crescente número de crianças com implantes cloceares: enfatiza-se a necessidade do bilinguismo para este grupo, incluindo a língua de sinais.<hr/>In this article, an overview of the last 35 years of bilingual education for the deaf in Sweden is presented. A short presentation is given of the terms 'first language/mother tongue' and 'second/foreign language', used in this specific context, to debate some of the main assumptions underlying first and second language teaching to deaf children. We discuss the main results from the bilingual approach, demonstrating the high level of achievements when considered in an international perspective. These results are compared to data from the first period of deaf education in Sweden, after the foundation of the Manilla school in 1809. The common basis for these examples of successful deaf education can be summarized as a positive attitude to sign language and its users. Then, we analyze some differences between natural sign languages versus simultaneous use of signs and speech, wherein the deaf addressee usually receives inconsistent linguistic information, thus making this practice less appropriate for the language learner. A discussion follows up language teaching to deaf children, including teaching a third language to them, such as English, for example. It is noted that the group of sign language users is currently undergoing a great change, especially because of the growing number of children with cochlear implants: their need for bilingualism, including sign language, is emphasized. <![CDATA[<b>Bilingual education policies for the deaf</b>: <b>the brazilian context</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000600005&lng=es&nrm=iso&tlng=es Este artigo propõe-se a apresentar um panorama das políticas educacionais para surdos, desde a década de 1990, demarcando as inúmeras disputas ideológicas que influenciaram diretamente os campos da política linguística e das políticas de educação inclusiva para esse grupo de estudantes. Assumimos como elemento determinante de análise a gestão pública das línguas adotadas na educação de surdos para avaliar a efetividade das políticas de educação inclusiva, considerando que a complexa situação de bilinguismo dos surdos está diluída ao, não menos complexo, processo de inclusão de pessoas com deficiência na escola comum. Assim, demonstramos que há um desvio de foco (derivado de um desvio na concepção de sujeito surdo) no conjunto de textos oficiais que constituem as diretrizes filosóficas e legais para a educação desses estudantes, cujo impacto central é não assegurar o direito à língua de sinais brasileira (Libras) como língua materna na infância, conforme reivindicam os movimentos surdos e está assegurado na letra da lei. Aponta-se a política linguística como uma variável determinante no debate da conjuntura nacional da educação de surdos brasileiros, ainda que nem sempre a ela seja dada centralidade pelo poder público, na atualidade. Ao analisar a política linguística refletida no percurso histórico da educação de surdos, realizamos uma análise crítica sobre os avanços e dificuldades no processo de escolarização (dito) bilíngue de surdos no contexto da educação (dita) inclusiva.<hr/>This article has been developed to illustrate the scope of the Brazilian educational policies for the deaf since the 1990's, highlighting the ideological disputes that have had a direct impact on the fields of linguistic and inclusive education policies concerning the group mentioned above. The public management of the languages adopted for the education of the deaf was used as our key element of analysis to assess the effectiveness of those policies. The complex situation of bilingual education for that group is also taken into consideration. It is diluted in the process of including disabled people in regular schools, which is not less complex. Therefore, we show that there is a diversion (rooting from a misconception of the deaf subject) in the official texts that constitute the legal and philosophical guidelines for the education of these students. As a result of that, the access to the Brazilian Sign Language (Libras) as a first language to that population, a mother tongue since childhood, as requested by the deaf community and ensured by law, is not safeguarded. We point out the importance of a linguistic policy as a crucial element on the current situation of the national policy for the education of the deaf debate, whether or not it resonates with the present government point of view. By analyzing historically the linguistic policy for deaf education, we are also able to make a critical review of the advances and difficulties of the so-called bilingual education for the deaf in our so-called inclusive education context. <![CDATA[<b>In defense of the bilingual school for the deaf</b>: <b>the history of fights of the brazilian deaf movement</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000600006&lng=es&nrm=iso&tlng=es Este artigo apresenta a trajetória histórica do Movimento Surdo em defesa das Escolas Bilíngues para Surdos, ao longo dos últimos anos, quando da iminente ameaça de fechamento da escola centenária, o Instituto Nacional de Educação de Surdos, em 2011, provocando uma mobilização sem precedentes para a inclusão das Escolas Bilíngues para Surdos no Plano Nacional de Educação - PNE, hoje sancionado pela Lei 13.005/2014. Lutamos por uma Política Nacional de Educação Bilíngue condizente para a formação da Identidade Linguística da Comunidade Surda, garantida pela Convenção Internacional sobre Direitos das Pessoas com Deficiência, que reconhece a importância da Língua de Sinais e da Cultura Surda para as Pessoas Surdas.<hr/>This article presents the historical path of the Deaf Movement in defense of Bilingual Schools for the Deaf, throughout the past years, brought about by the imminent threat of the closing of the centenary INES (National Institute of Deaf Education) school in 2011, that led to an unprecedented mobilization towards the inclusion of Bilingual Schools for the Deaf in the PNE (National Plan of Education) - currently sanctioned by the law 13.005/2014. We fight for a bilingual PNE consistent with the Linguistic Identity formation of the Deaf Community, guaranteed by the UN Convention on the Rights of Persons with Disabilities, which recognizes the importance of Sign Language and Deaf Culture for Deaf People. <![CDATA[<b>Humor in deaf literature</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000600007&lng=es&nrm=iso&tlng=es O artigo situa-se no contexto das atuais investigações no campo da educação de surdos, que, a partir de mudanças da legislação e do reconhecimento político da diferença linguística e cultural das comunidades surdas, vêm focalizando o estudo de produções culturais desses grupos. Seu objetivo é apresentar um recorte introdutório de estudo do humor em língua de sinais brasileira (Libras), especificamente a partir da análise de piadas que circulam nas comunidades surdas. Considerando a literatura como objeto estético e como construção intertextual, propõe-se a análise de uma piada circulante em Libras, em cinco versões diferentes. Conclui-se que o humor privilegia temas socialmente controversos e as diferentes versões da piada Leão Surdo aborda a diferença linguística e cultural, a inversão de olhares, através de cenas que apresentam as vantagens de ser surdo, a comunicação com ouvintes, bem como a língua de sinais como conhecimento determinante para o final (in)feliz da história. O inesperado acontece: o violinista é devorado, pois a técnica - musical e auditiva - empregada para fazer leões adormecerem não funciona com o leão surdo. No entanto, em uma das versões dessa piada, quando o violinista usa a língua de sinais, o leão surdo adormece e a vida do violinista é preservada, graças ao conhecimento da língua de sinais.<hr/>This article is situated in the context of current research of deaf education, and it considers the current legislation and political recognition of the linguistic and cultural differences of deaf communities, in order to focus on the study of cultural productions of those groups. The main goal is to present an introductory study about the humor in Brazilian Sign Language (Libras), specifically some analysis of circulating jokes in deaf communities. Considering literature as an aesthetic object and as an intertextual construction, it is proposed to analyze a joke circulating in Libras, in five different versions. We concluded that humor emphasizes socially controversial themes and different versions of the joke Deaf Lion address the linguistic and cultural differences, the reversal looks through scenes that show the advantages of being Deaf, the communication with hearing people, as well as the sign language as determinant knowledge for the final (un)happy story. The unexpected end happens: the violinist is eaten, because the musical and auditory technique used to lions fall asleep does not work with a deaf lion. However, in one of the versions of that joke, when the violinist uses sign language, the deaf lion sleeps and the violinist's life is preserved due to the knowledge of sign language. <![CDATA[<b>Why we need signed poetry in bilingual education</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000600008&lng=es&nrm=iso&tlng=es Uma verdadeira educação bilíngue e bicultural para crianças surdas requer que elas aprendam a forma de arte surda de poesia em língua de sinais. Neste artigo apresento as vantagens e desvantagens de se fazer isto. Revisando a escassa literatura sobre o ensino de poesia sinalizada para crianças surdas, seja traduzida ou original, eu a relaciono ao uso de literatura em cenários de aprendizagem de L2. Reflexões de professores-poetas surdos do Reino Unido mostram que a criança surda prontamente se simpatiza com a poesia sinalizada, e com o foco linguístico adequado dos professores, isto as ajuda a desenvolver uma gama de habilidades linguísticas e a expressar suas emoções. Barreiras para isto, contudo, incluem a falta de treinamento e apreensão de professores surdos e ouvintes - mesmo quando os professores são poetas.<hr/>A truly bilingual and bicultural education for deaf children requires them to learn about the deaf art-form of sign language poetry. In this article I outline the advantages and challenges of doing this. Reviewing the scarce literature on teaching deaf children signed poetry, whether translated or original, I relate it to use of literature in L2-learning settings. Reflections of deaf teacher-poets from the UK show that deaf children readily relate to signed poetry, and with informed language focus from teachers it helps them develop a range of language skills, and express their emotions. Barriers to this, however, include lack of training and awareness for both deaf and hearing teachers - even when the teachers are poets. <![CDATA[<b>Why we need signed poetry in bilingual education</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000600009&lng=es&nrm=iso&tlng=es A truly bilingual and bicultural education for deaf children requires them to learn about the deaf art-form of sign language poetry. In this article I outline the advantages and challenges of doing this. Reviewing the scarce literature on teaching deaf children signed poetry, whether translated or original, I relate it to the use of literature in L2-learning settings. Reflections of deaf teacher-poets from the UK show that deaf children readily relate to signed poetry, and with informed language focus from teachers it helps them to develop a range of language skills, and express their emotions. Barriers to this, however, include lack of training and awareness for both deaf and hearing teachers - even when the teachers are poets.<hr/>Uma verdadeira educação bilíngue e bicultural para crianças surdas requer que elas aprendam a forma de arte surda de poesia em língua de sinais. Neste artigo apresento as vantagens e desvantagens de se fazer isto. Revisando a escassa literatura sobre o ensino de poesia sinalizada para crianças surdas, seja traduzida ou original, eu a relaciono ao uso de literatura em cenários de aprendizagem de L2. Reflexões de professores-poetas surdos do Reino Unido mostram que a criança surda prontamente se simpatiza com a poesia sinalizada, e com o foco linguístico adequado dos professores, isto as ajuda a desenvolver uma gama de habilidades linguísticas e a expressar suas emoções. Barreiras para isto, contudo, incluem a falta de treinamento e apreensão de professores surdos e ouvintes - mesmo quando os professores são poetas. <![CDATA[<b>Meaning assignment to writing by deaf children who are users of sign language</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000600010&lng=es&nrm=iso&tlng=es O artigo identifica orientações distintas presentes nas proposições metodológicas de ensino da escrita para surdos usuários de língua de sinais, assumidas na educação bilíngue. Assim, apresenta duas formas de interpretação e encaminhamento de proposições metodológicas de orientação bilíngue, em relação ao ensino da escrita pelo surdo. O primeiro grupo de autores defende que o surdo deve aprender o português escrito tendo a língua de sinais como língua base. O segundo grupo, fundamentado em pesquisas da neuropsicologia cognitiva, defende que a escrita dos sinais, que deve ser a primeira língua escrita de aprendizes surdos sinalizadores. Conclui-se que as duas orientações sobre as possíveis relações entre o surdo e a escrita não devem ser tomadas como posições excludentes. Pelo contrário, sugere-se que a escrita dos sinais, enquanto um sistema simbólico repleto de significados, constitui-se como ferramenta eficiente para maximizar o desenvolvimento das funções psicológicas superiores dos aprendizes surdos, bem como para fornecer meios de aproximação com o sistema de escrita alfabética.<hr/>This article identifies distinct guidelines on methodological propositions of the writing teaching for deaf users of sign language, which are assumed in bilingual education. So, it presents two forms of interpretation and routing of methodological propositions of bilingual orientation, in relation to the writing teaching by the deaf. The first group of authors defends that the deaf must learn written Portuguese having sign language as the base language. The second group, based on researches about cognitive neuropsychology, defends that SignWriting must be the first written language of deaf sign apprentices. We concluded that both orientations about the possible relations between the deaf and writing mustn't be taken as excluding positions. On the contrary, it is suggested that SignWriting, as a symbolic system full of meanings, is an efficient tool to maximize the development of higher psychological functions of the deaf apprentices, as well as to provide means of approximation with the system of alphabetic writing. <![CDATA[<b>Teaching portuguese as a second language to deaf children</b>: <b>theoretical and methodological principles</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000600011&lng=es&nrm=iso&tlng=es Este trabalho discute o ensino da língua portuguesa que tem sido ministrado para alunos surdos, que proíbe o uso da língua de sinais e que se fundamenta na concepção de língua como código; a metodologia de ensino adotada e os seus efeitos na leitura e na escrita de surdos. Apresenta uma proposta que privilegia a concepção discursivo-interacionista de língua e na qual a Língua Brasileira de Sinais é considerada primeira língua dos alunos surdos. Como primeira língua, ela fornece o arcabouço para a constituição do conhecimento da Língua Portuguesa. Em outras palavras, o conhecimento de mundo e de língua constituído na língua de sinais dá a base para o aprendizado da Língua Portuguesa pelos alunos surdos. O efeito da aplicação desta proposta é analisado nas produções escritas de dois alunos surdos, do ensino fundamental, de escola bilíngue, que tem a Língua Brasileira de Sinais como primeira língua e a Língua Portuguesa, como segunda. Nas produções observa-se que os alunos apresentam vários indícios de que estão aprendendo a produzir textos em Língua Portuguesa, ainda que evidenciem muitas dificuldades, decorrentes, principalmente, do pouco conhecimento que têm da língua. Considerando que, devido à perda auditiva, é pela visão que os surdos têm acesso ao mundo, a autora sugere que os alunos surdos leiam muito, já que é desta forma que serão inseridos no funcionamento linguístico-discursivo da Língua Portuguesa.<hr/>This paper discusses the way Portuguese has been taught to deaf children; that is, through the prohibition of the use of sign language and the conception of language as a code, as well as the teaching methodology and its impact on deaf children's reading and writing acquisition. It presents a proposal that places emphasis on the discursive-interactionist conception of language, in which Brazilian Sign Language is considered the deaf children's first language. As the first language, it provides the foundation which Portuguese will be built upon. In other words, the knowledge of the world and language acquired through sign language will set the tone for deaf children learn Portuguese. The effects of the practical application of this proposal are analyzed in the written productions of two junior high school deaf students, from a bilingual school, whose first language is Brazilian Sign Language and whose second language is Portuguese. By analyzing their production, it is possible to find evidences that the children have been learning to write texts, even though they still show a great deal of difficulty, especially due to their little knowledge of Portuguese. Considering that due to their hearing loss, it is through sight that they have access to the world, the author suggests that deaf children should read as much as possible because this way they will be able to immerse in the linguistic-discursive operation of the Portuguese language. <![CDATA[<b>Deaf movements and the bases and goals of bilingual schools for the deaf</b>: <b>contributions to the institutional debate</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000600012&lng=es&nrm=iso&tlng=es Nesse artigo, a trajetória percorrida pela comunidade surda de Brasília para a implantação da Primeira Escola Pública Integral Bilíngue Libras e Português-Escrito do Distrito Federal agrega-se à apresentação de uma abordagem geral e histórica do conceito buscado pelo Movimento Nacional em favor da Cultura e Educação de Surdos para as Escolas Bilíngues. Esse artigo apresenta também metas, princípios e diretrizes dessas Escolas Bilíngues, fundamentados nos estudos acadêmicos em crescente expansão nos programas de pós-graduação das universidades brasileiras, nas experiências dos alunos surdos matriculados em um sistema educacional fadado ao fracasso escolar, nas experiências dos profissionais da educação envolvidos em pesquisas que levam à melhoria da qualidade do ensino oferecido e na legislação que, timidamente, começa a absorver o paradigma educacional eleito pela comunidade surda para a construção das Escolas Bilíngues de Surdos em todo o território nacional. A partir das perspectivas lançadas nesse contexto, as primeiras instituições criadas como Escolas Bilíngues de Surdos podem ser modelos para a criação, melhoria e ampliação de Escolas Bilíngues de Surdos, das já existentes e das iminentes nos diferentes estados brasileiros.<hr/>In this article, the trajectory followed by the deaf community of Brasília for the deployment of the first public full time bilingual school - Libras (Brazilian Sign Language) and Written-Portuguese - adds up to the presentation of a general and historical approach of the concept pursued by the National Movement, in favor of Culture and Deaf Education for Bilingual Schools. This article also presents goals, principles and guidelines of Bilingual Schools, based on academic studies in growing expansion in graduation programs in Brazilian universities, on experiences of deaf students enrolled in an educational system doomed to failure and on experiences of pedagogues' research engaged in leading to improve the quality of the education offered and on legislation that, maidenly, begins to absorb the educational paradigm elected by the deaf community for the construction of Deaf Bilingual schools across the country. From the perspectives released in this context the first institutions established as Bilingual Schools for Deaf People can be models for the creation, improvement and expansion of Bilingual Schools for the Deaf concerning the existing ones and other such imminent in different Brazilian states. <![CDATA[<b><i>OPEN Your Eyes</i></b>: <b><i>Deaf Studies Talking</i></b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000600013&lng=es&nrm=iso&tlng=es Nesse artigo, a trajetória percorrida pela comunidade surda de Brasília para a implantação da Primeira Escola Pública Integral Bilíngue Libras e Português-Escrito do Distrito Federal agrega-se à apresentação de uma abordagem geral e histórica do conceito buscado pelo Movimento Nacional em favor da Cultura e Educação de Surdos para as Escolas Bilíngues. Esse artigo apresenta também metas, princípios e diretrizes dessas Escolas Bilíngues, fundamentados nos estudos acadêmicos em crescente expansão nos programas de pós-graduação das universidades brasileiras, nas experiências dos alunos surdos matriculados em um sistema educacional fadado ao fracasso escolar, nas experiências dos profissionais da educação envolvidos em pesquisas que levam à melhoria da qualidade do ensino oferecido e na legislação que, timidamente, começa a absorver o paradigma educacional eleito pela comunidade surda para a construção das Escolas Bilíngues de Surdos em todo o território nacional. A partir das perspectivas lançadas nesse contexto, as primeiras instituições criadas como Escolas Bilíngues de Surdos podem ser modelos para a criação, melhoria e ampliação de Escolas Bilíngues de Surdos, das já existentes e das iminentes nos diferentes estados brasileiros.<hr/>In this article, the trajectory followed by the deaf community of Brasília for the deployment of the first public full time bilingual school - Libras (Brazilian Sign Language) and Written-Portuguese - adds up to the presentation of a general and historical approach of the concept pursued by the National Movement, in favor of Culture and Deaf Education for Bilingual Schools. This article also presents goals, principles and guidelines of Bilingual Schools, based on academic studies in growing expansion in graduation programs in Brazilian universities, on experiences of deaf students enrolled in an educational system doomed to failure and on experiences of pedagogues' research engaged in leading to improve the quality of the education offered and on legislation that, maidenly, begins to absorb the educational paradigm elected by the deaf community for the construction of Deaf Bilingual schools across the country. From the perspectives released in this context the first institutions established as Bilingual Schools for Deaf People can be models for the creation, improvement and expansion of Bilingual Schools for the Deaf concerning the existing ones and other such imminent in different Brazilian states.