Scielo RSS <![CDATA[Educar em Revista]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-406020140007&lang=pt vol. num. SPE3 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Editorial</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000700001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Apresentação</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000700002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Representação das mudanças climáticas em estudantes universitários na Espanha</b>: <b>contribuições à educação e comunicação</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000700003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt El artículo analiza las representaciones sociales del cambio climático en estudiantes universitarios. El estudio se diseñó atendiendo a la hipótesis de la posible influencia de la formación académica sobre los conocimientos y las creencias de este colectivo. La muestra consta de 284 casos, seleccionados de cuatro titulaciones de grado o licenciatura de la Universidad de Santiago de Compostela (España). Dos titulaciones del campo de las ciencias físico-naturales (Biología e Ingeniería Química) y dos del campo de las ciencias sociales y humanas (Historia y Pedagogía). Los resultados muestran un reconocimiento mayoritario de la causalidad humana en el origen del problema, así como de las consecuencias y soluciones más destacadas, en consonancia con la ciencia estándar sobre el cambio climático. Se constata, también, una representación social más enfocada a las consecuencias que a las soluciones y la pervivencia de creencias erróneas como la vinculación causal con la capa de ozono y la percepción de que el consenso científico en la materia es bajo. El análisis estadístico solo muestra diferencias significativas en relación a la titulación y el curso para tres de las variables estudiadas. Por último, resultan de especial interés las identidades propias de la cultura académica como condicionantes de las representaciones del cambio climático.<hr/>O artigo analisa as representações sociais das mudanças climáticas em estudantes universitários. O estudo se desenhou atendendo a hipótese da possível influência da formação acadêmica sobre os conhecimentos e as crenças desse coletivo. A amostra é formada por 284 casos selecionados de quatro titulações de graduação ou licenciatura da Universidade de Santiago de Compostela (Espanha). Duas titulações do campo das ciências físico-naturais (Biologia e Engenharia Química) e duas do campo das ciências sociais e humanas (História e Pedagogia). Os resultados mostram um reconhecimento majoritário da casualidade humana na origem do problema, assim como das consequências e soluções mais destacadas, em consonância com a ciência padrão sobre a mudança climática. Constata-se, também, uma representação social mais enfocada às consequências que às soluções e a permanência de crenças errôneas como a vinculação causal com a camada de ozônio e a percepção de que o consenso científico na matéria é baixo. A análise estatística somente mostra diferenças significativas em relação à titulação e ao curso para três das variáveis estudadas. Por último, resulta de especial interesse as identidades próprias da cultura acadêmica como condicionantes das representações das mudanças climáticas.<hr/>This article analyses social representations of climactic change among university students. The study was designed to test the hypothesis that the academic field or training may influence students' knowledge and beliefs. The sample consisted of 284 students from four different Bachelor's degree programs at the University of Santiago de Compostela, Spain. Two programs were from the physical-natural sciences (Biology and Chemical Engineering) and two were from the humanities (History and Education). The results showed that a majority of the student sample recognized human causality in the source of the problem, the main consequences and possible solutions. This fits the standard scientific interpretation of climactic change. There was also greater social representation of the consequences rather than the solutions, and a persistence of mistaken beliefs such as a causal connection with the ozone layer and the perception of low scientific consensus on this matter. The statistical analysis only revealed significant differences among degrees and courses for three of the variables examined. Finally, particular identities to the academic culture were of special interest as factors that conditioned representations of climactic change. <![CDATA[<b>Que pensam, dizem e fazem os estudantes universitários sobre a mudança climática?</b>: <b>Um estudo das representações sociais</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000700004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Tratándose de un desafío de global magnitud, el cambio climático amerita de una urgente atención por parte de todos los actores sociales. Aunque exista un pequeño grupo de escépticos que ponga en duda la alta responsabilidad de la actividad humana hacia este fenómeno, es evidente el impacto que el cambio climático ha tenido y tiene sobre los ecosistemas, así como sobre el incremento de los procesos de degradación ambiental. Por tal motivo, es inminente para la protección de los seres humanos y de todas las especies vivas del planeta, priorizar la adopción de medidas de mitigación y de adaptación hacia las causas y consecuencias del cambio climático. En este artículo se presentan los principales resultados de una investigación realizada con el objetivo de conocer la representación social que sobre el cambio climático tienen los jóvenes universitarios. Algunos aspectos teóricos y metodológicos sobre las representaciones sociales y el cambio climático son abordados en la primera parte del artículo. En el estudio participaron estudiantes de las cinco sedes de la Universidad Veracruzana, de nivel licenciatura y posgrado. Entre los hallazgos se detectó que la información científica transmitida por diversas fuentes, científicas y populares, no es suficientemente influyente entre los jóvenes para generar cambios de comportamiento, orientados a frenar el cambio climático. Se recomiendan nuevas estrategias de comunicación y de educación ambiental dirigidas a generar conductas ambientalmente sustentables.<hr/>Sendo um desafio de escala global, a mudança climática merece atenção urgente de todos os interessados. Embora haja um pequeno grupo de céticos que duvidam da alta responsabilidade da atividade humana em relação a este fenômeno, é evidente o impacto que a mudança climática teve e tem sobre os ecossistemas, bem como sobre o aumento dos processos de degradação ambiental. Portanto, é iminente, para a proteção de seres humanos e de todas as espécies vivas do planeta, priorizar ações de mitigação e adaptação às causas e consequências das alterações climáticas. Neste artigo se apresentam os principais resultados de uma investigação, realizada com o objetivo de compreender as representações sociais sobre a mudança climática que têm os alunos universitários. Alguns aspectos teóricos e metodológicos das representações sociais e das mudanças climáticas são abordados na primeira parte do artigo. O estudo incluiu os estudantes dos cinco campi da Universidade Veracruzana, nível de graduação e pós-graduação. Entre os resultados, verificou-se que a informação científica recebida de várias fontes, científicas e populares, não é suficientemente influente entre os jovens para gerar mudanças de comportamento que visem a conter a mudança climática. Novas estratégias de comunicação e educação ambiental voltadas à geração de comportamentos ambientalmente sustentáveis são recomendadas.<hr/>Being a challenging of global scale, climate change warrants urgent attention from all stakeholders. Although there is a small group of skeptics who doubt the high responsibility of human activity towards this phenomenon, it is clear the impact that climate change has had and has on ecosystems, as well as on increasing the processes of environmental degradation. Therefore, it is imminent for the protection of human beings and all living species on the planet to prioritize actions on mitigation and adaptation to the causes and consequences of climate change. The main results of an investigation aiming at understanding the social representation on climate change by university students are presented in this article. Some theoretical and methodological aspects of the social representations and climate change are addressed in the first part of the article. The study included students from the five campuses of the Universidad Veracruzana, from undergraduate and postgraduate levels. Among the findings it was found that the scientific information received from various sources, scientific and popular, is not sufficiently influential among young people to generate behavioral changes aimed at curbing climate change. New communication and environmental education strategies aimed at generating environmentally sustainable behaviors are recommended. <![CDATA[<b>Mudanças climáticas e ensino superior</b>: <b>a combinação entre pesquisa e educação</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000700005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt No ensino superior observa-se o início de uma combinação original entre educação e pesquisa ligada às mudanças climáticas em programas de ciência e tecnologia. Neste início, observa-se o desafio de adaptar e desenvolver programas educativos que incluam temas associados com a diversidade regional; reconhecendo os ecossistemas complexos e diversificados, e o predomínio de um modo de vida urbano com todas as suas contradições, ligado ao consumo e, principalmente, ao aumento de uma lógica de insustentabilidade. Diante disso, comportamentos, atitudes sustentáveis e valores éticos têm de ser estimulados e compartilhados. Como encontrar alternativas educativas para abordar um tema cujos cenários são negativos e problemáticos, como indicam os relatórios do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas - IPCC, sem cair num ponto de vista catastrofista de imobilismo ou, por outro lado, numa visão simplista a respeito de uma questão tão importante e crucial à sociedade contemporânea? Este artigo analisa a alternativa metodológica para a inclusão da temática das mudanças climáticas na formação acadêmica proposta pelo Núcleo de Apoio à Pesquisa - Mudanças Climáticas da Universidade de São Paulo (USP). Observou-se a sua adequação ao papel da educação para a promoção de aprendizagem social, construída ambientalmente - referente a processos cujos conteúdos e ênfase voltam-se à capacitação social - dentro de uma base cooperativa próxima ao pensamento crítico e à habilidade para resolução de problemas cujo foco nas necessidades auxilia as pessoas a tratar um futuro de mudanças incertas.<hr/>It is to be observed at the level of higher education, an original combination between research and education linked to climate changes in programs of science and technology. At this beginning, there is a need to observe the challenge to adapt and develop educational programs that include themes associated to regional diversity, recognizing complex and diversified ecosystems and the prevalence of an urban way of life with all its contradictions, linked to consumption, and mainly to an increase of a logic of unsustainability. Facing this, behaviors, sustainable attitudes and ethic values have to be stimulated and shared. How to find educational alternatives to approach a theme whose scenarios are negative and problematic, as the Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC) reports indicate, without falling into catastrophist immobility worldviews, or on the other side into a simplistic view related to such an important and crucial issue for contemporary society? This article analyses the methodological alternative to include the theme of climatic changes in the academic background proposed by the Sao Paulo University (USP) INterdisciplinary CLimate INvEstigation Center (INCLINE). It has been observed its adequacy to the role of education to promote social learning, environmentally built, related to processes whose contents and emphasis are centered on social capacity building - within a cooperative perspective that approaches critical thought and the ability to solve problems whose focus in needs aids people to deal with a future of uncertain changes. <![CDATA[<b>Mudanças climáticas, educação e meio ambiente</b>: <b>para além do Conservadorismo Dinâmico</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000700006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente ensaio discute a crise climática contemporânea e as possibilidades de inserção da educação ambiental neste debate. Trata-se de um diálogo com a produção da área, com os pressupostos da Ecologia Política, da Educação ambiental crítica, do pensamento da Complexidade e da Sociologia de Risco de Giddens e Beck. O artigo entende que, apesar das relativas incertezas que ainda cercam o debate sobre as mudanças climáticas, elas se configuram como o principal problema ambiental global contemporâneo. Pesquisas evidenciam a intensidade dos eventos climáticos extremos em todo o mundo e seus efeitos danosos sobre a saúde, o bem-estar público, a segurança alimentar e os patrimônios ambientais e sociais. No entanto, a invisibilidade do problema na vida cotidiana, a ação das controvérsias e dos lobbies econômicos, a inércia dos governos e das instituições relacionadas ao tema têm mostrado que a formulação de respostas eficientes sobre o impasse climático não tem acompanhado o aumento da consciência pública sobre este problema. Que conjunção de fatores justifica esse paradoxo? Este artigo argumenta que o atual debate tem sido pautado por argumentos e respostas reducionistas, tecnicistas e conservadoras - o Conservadorismo Dinâmico - que não dão conta de compreender o problema em toda a sua complexidade e, portanto, de formular estratégias capazes de revertê-lo ou de minimizar seus impactos. Entende-se, portanto, que a educação ambiental pode contribuir com esse esforço para renovar a compreensão do problema e a ação dos indivíduos, das instituições e dos agentes públicos e privados envolvidos com o tema.<hr/>The current essay discusses the contemporary climate crisis and the possibilities of inserting environmental education in this debate. It refers to an interface between the theme research and theoretical assumptions of Political Ecology, Critical environmental education, Complexity thinking and Giddens' and Beck's Risk Sociology. The article affirms that besides relative uncertainties that still surround climate change debates, they constitute the main global contemporary environmental problem. A lot of studies show the intensity and frequency of extreme climatic events all over the world and its harmful effects on health, public welfare, food safety and environmental and social heritage. However, the problem invisibility in daily life, the effects of controversies and economic lobbies, the inertia of governments and institutions related to this theme have shown that formulating effective responses to the climatic impasse has not followed the increasing public awareness on this problem. What set of factors justifies this paradox? This article assumes that current debates have been guided by reductionist, technicalist and conservative responses - the Dynamic Conservatism - that are not able to understand the problem in its whole complexity and, therefore, of formulating strategies capable to reverse it or, at least, to minimize its potential impacts. It considers, therefore, that environmental education can contribute with this effort of renewing the problem understanding and the actions of individuals, institutions and other public and private actors involved with that issue. <![CDATA[<b>Visão e integração da perspectiva ambiental na Universidade Indígena da Bolívia - UNIBOL</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000700007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt La sostenibilidad ambiental es uno de los objetivos de las universidades, que en función de sus recursos y singularidades económicas y socioculturales, paulatinamente, están asumiendo este desafío. En el contexto boliviano, en 2008, inician sus labores las universidades indígenas, cuya creación, funcionamiento y proyección se basan en principios ambientales propios de las culturas Aymara, Quechua y Guaraní, que a través de estas instituciones académicas pretenden conservar, transmitir y actualizar sus saberes y modelos de desarrollo, que tienen como referente fundamental la convivencia respetuosa y equilibrada con la naturaleza.<hr/>A sustentabilidade ambiental é um dos objetivos das universidades que, em função de seus recursos e singularidades econômicas e socioculturais, paulatinamente, estão assumindo este desafio. No contexto boliviano, em 2008, as universidades indígenas iniciam seus trabalhos, cuja criação, funcionamento e projeção se baseiam em princípios ambientais próprios das culturas Aimará, Quéchua e Guarani, que através destas instituições acadêmicas pretendem conservar, transmitir e atualizar seus saberes e modelos de desenvolvimento, que têm como referência fundamental a convivência respeitosa e equilibrada com a natureza.<hr/>The environmental sustainability is one of the main goals of universities that according to their economic, social and cultural resources and singularities are gradually assuming this challenge. In 2008, Bolivian Indigenous universities started their efforts based on the environmental principals of the Aymara, Quechua and Guarani cultures. Through these academic institutions, they expect to conserve, to pass on and to update their knowledge and models of development maintaining the respectful and balanced relation with Nature as a fundamental basis. <![CDATA[<b>Ambientalização curricular na Educação Superior</b>: <b>desafios e perspectivas</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000700008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este artigo pretende contribuir com a reflexão e o diálogo sobre o processo de ambientalização curricular, com foco nas Instituições de Educação Superior (IES). Ele apresenta uma contextualização de alguns marcos teóricos dessa temática, para, em seguida, descrever o panorama de trabalhos e experiências de ambientalização curricular nas universidades em diferentes países e de IES brasileiras que participam como instituições-elo da Rede Sul Brasileira de Educação Ambiental (REASul) e da Alianza de Redes Iberoamericanas por la Sustentabilidad y el Ambiente (ARIUSA). Ele discute os rumos da inserção da sustentabilidade socioambiental no processo de ambientalização curricular. Como resultados, este artigo indica alguns desafios e perspectivas desse processo na incorporação da cultura da sustentabilidade como política institucional nas universidades.<hr/>This article intends to contribute with the reflection and dialogue related to the process of curricular greening, with its focus on the Institutions of Higher Education [Instituições de Educação Superior (IES)]. We present a contextualization of some theoretical marks of this theme, followed by a panoramic description of work processes and experiences of curricular greening within universities in different countries and in Brazilian IES that participate as link institutions from REASul (South Brazilian Environmental Education Net) and from Alianza de Redes Iberoamericanas por la Sustentabilidad y el Ambiente (ARIUSA). The article discusses the paths of insertion of social-environmental sustainability in the actions of curricular greening. As results, some challenges and perspectives of this movement are indicated in the incorporation of the sustainability culture as an institutional policy within universities. <![CDATA[<b>A questão ambiental e a formação de professores para a educação básica</b>: <b>um olhar sobre as licenciaturas</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000700009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Nas últimas décadas foi possível acompanhar a expansão da temática ambiental em diferentes campos de formação e pesquisa. É crescente o número de cursos de graduação e pós-graduação, disciplinas específicas, projetos de extensão e pesquisa que se dedicam a problematizar e a buscar soluções para os problemas ambientais enfrentados pela sociedade contemporânea. Este cenário estabelece desafios para a gestão, a pesquisa e a formação de estudantes no Ensino Superior. Ele exige uma sólida argumentação e o desenvolvimento de pesquisas sobre o conhecimento ambiental como parte da formação dos futuros profissionais de nível superior, dentre eles, o professor da educação básica. O desenvolvimento de políticas públicas para a educação ambiental no Brasil introduziu a educação ambiental nas escolas desde os anos 1990. São leis, diretrizes, programas e projetos que tratam de matérias que vão desde diretrizes curriculares até a construção de "escolas sustentáveis". Como os cursos de licenciatura estão preparando os futuros professores para esta institucionalização da educação ambiental? Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa exploratória sobre ações formativas que consideram a dimensão ambiental nos cursos de licenciatura da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Nesta análise foram consideradas as características teóricas e epistemológicas desse conhecimento e as condições institucionais de seu desenvolvimento na universidade, que, em última instância, condicionam as possibilidades de desenvolvimento da dimensão ambiental na formação dos licenciandos.<hr/>In the last decades it was possible to follow the expansion of environmental issues in different fields of training and research. The number of undergraduate and graduate courses, specific subjects, research and extension projects that are dedicated to question and to seek solutions to the environmental problems faced by contemporary society is increasing. This scenario establishes challenges for the management, research and training of students in Higher Education. It requires solid argumentation and the development of research on environmental knowledge as part of the training of future professionals in Higher Education, among them, the basic education teacher. The development of public policies for environmental education in Brazil has introduced environmental education in schools since the 1990s. These include laws, policies, programs and projects about issues ranging from curriculum guidelines to building "sustainable schools". How are the undergraduate programs preparing future teachers for this institutionalization of environmental education? This article presents the results of an exploratory research on training activities that consider the environmental issue in undergraduate courses at the Federal University of Paraná (UFPR). This analysis considered the theoretical and epistemological characteristics of this knowledge and the institutional conditions of its development at the university, which ultimately affect the possibilities of development of the environmental dimension in the training of undergraduates. <![CDATA[<b>Educação ambiental escolar, formação humana e formação de professores</b>: <b>articulações necessárias</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000700010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Dentre as estratégias da educação ambiental nas escolas de educação básica no Brasil está a necessidade de pensarmos sua inserção através dos currículos escolares. Isso nos remete, entre outras, à questão da formação dos professores. Essa formação, segundo a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei nº 9.394/96), deve ser realizada em nível superior. Considerando-se que esses professores são formados principalmente nos cursos de licenciatura, este artigo tem como objetivo problematizar a formação inicial de professores no ensino superior, refletindo sobre seu papel na educação ambiental na educação básica. Trata da inserção curricular da educação ambiental na perspectiva de formação humana plena e a formação dos professores como educadores ambientais como protagonistas deste processo. Tendo como referência a Pedagogia Histórico-Crítica, que defende que o papel da escola é a sistematização dos saberes elaborados pela cultura, o artigo traz também algumas análises da política de formação de professores da educação básica nos cursos de Licenciatura.<hr/>Among the strategies taken by environmental education at primary and secondary schools (basic schooling) in Brazil there is the need to think of its insertion through school curricula. This is linked to teacher education, among others. According to the LDB (National Educational Bases and Guidelines Law, n. 9.394/96) that kind of education must happen in higher levels. Considering that those teachers are trained especially during teaching degree courses, this article aims to problematize the initial undergraduate education of teachers and to reflect on their role in environmental education at basic schools. It talks about the curricular insertion of environmental education under the perspective of full human development and teachers' training as protagonist environmental educators of this process. Taking the Historical-Critical Pedagogy as reference, which considers that the role of schools is to systematize the knowledge elaborated by the culture, the article also brings to light some analysis on the basic school teacher educational policy in teaching degree courses. <![CDATA[La construcción del campo de la educación ambiental: análisis, biografías y futuros posibles]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602014000700011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Dentre as estratégias da educação ambiental nas escolas de educação básica no Brasil está a necessidade de pensarmos sua inserção através dos currículos escolares. Isso nos remete, entre outras, à questão da formação dos professores. Essa formação, segundo a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei nº 9.394/96), deve ser realizada em nível superior. Considerando-se que esses professores são formados principalmente nos cursos de licenciatura, este artigo tem como objetivo problematizar a formação inicial de professores no ensino superior, refletindo sobre seu papel na educação ambiental na educação básica. Trata da inserção curricular da educação ambiental na perspectiva de formação humana plena e a formação dos professores como educadores ambientais como protagonistas deste processo. Tendo como referência a Pedagogia Histórico-Crítica, que defende que o papel da escola é a sistematização dos saberes elaborados pela cultura, o artigo traz também algumas análises da política de formação de professores da educação básica nos cursos de Licenciatura.<hr/>Among the strategies taken by environmental education at primary and secondary schools (basic schooling) in Brazil there is the need to think of its insertion through school curricula. This is linked to teacher education, among others. According to the LDB (National Educational Bases and Guidelines Law, n. 9.394/96) that kind of education must happen in higher levels. Considering that those teachers are trained especially during teaching degree courses, this article aims to problematize the initial undergraduate education of teachers and to reflect on their role in environmental education at basic schools. It talks about the curricular insertion of environmental education under the perspective of full human development and teachers' training as protagonist environmental educators of this process. Taking the Historical-Critical Pedagogy as reference, which considers that the role of schools is to systematize the knowledge elaborated by the culture, the article also brings to light some analysis on the basic school teacher educational policy in teaching degree courses.