Scielo RSS <![CDATA[Revista da Associação Médica Brasileira]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-423020160007&lang=pt vol. 62 num. 7 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[A esperança do novo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700611&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Avaliação nutrológica - Ergometria modal]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700612&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Image-guided pancreatic biopsy; can we trust it as a diagnostic alternative?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700616&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Carcinoma metaplásico espinocelular da mama: relato de caso e revisão da literatura]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700618&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Summary Metaplastic tumors are rare and represent a heterogeneous group of neoplasms showing dominant areas of non-glandular differentiation. Etiology and pathogenesis of this type of lesion in the breast is uncertain. The most common sources of metastatic squamous cell carcinoma of the breast are lung, esophagus, cervix, and urinary bladder. Squamous cell carcinomas may present clinically with inflammation and average size greater than breast adenocarcinoma. As for imaging studies, mammography shows no typical findings and ultrasound can show a complicated cyst or an inflammatory process, among the differential diagnoses. Therefore, knowing this pathological entity, its clinical course and imaging findings is important to safely treat such a rare and aggressive disease. We herein report a case of metaplastic carcinoma, squamous subtype, diagnosed by core needle biopsy.<hr/>Resumo Os tumores metaplásicos são raros e representam um grupo heterogêneo de neoplasias que mostram áreas dominantes de diferenciação não glandular. A etiologia e patogenia desse tipo de lesão na mama é incerta. As causas mais comuns de carcinoma metastático de células escamosas na mama são o pulmão, o esôfago, o colo uterino e a bexiga urinária. Os carcinomas espinocelulares podem apresentar-se clinicamente com inflamação e tamanho médio maior do que o do adenocarcinoma da mama. A mamografia não apresenta achados típicos, e a ultrassonografia pode mostrar um cisto complicado ou um processo inflamatório, entre os diagnósticos diferenciais. Conhecer essa entidade patológica, seu curso clínico e os achados de imagem é importante para um manejo seguro, pois trata-se de entidade rara e agressiva. Este trabalho relata um caso de carcinoma metaplásico, subtipo espinocelular, diagnosticado por biópsia com agulha grossa. <![CDATA[O diagnóstico de apendicite aguda em mulheres grávidas <em>versus</em> não grávidas: um estudo comparativo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700622&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Summary Objective: To investigate whether the diagnosis of acute appendicitis is affected by pregnancy or not. Method: A retrospective study with the analysis of the medical records of all women suspected of having appendicitis who underwent appendectomy at our hospital between June 2010 and March 2015 were reviewed. The patients were divided into two groups according to whether they were pregnant or not during the surgery: group I, pregnant women, and group II, non-pregnant women. Results: During the study period, 38 pregnant women and 169 non-pregnant women underwent appendectomy. The time from admission to the operation was not statistically different (2.17±1.47 days in group I vs. 1.98±1.66 day in group II; p=0.288). The pregnant group had longer hospital stay than the non-pregnant group (p=0.04). Ultrasonography (USG) was used as the first diagnostic modality in 36/38 patients in group I and 161/169 in group II. The non-visualized appendix on ultrasound was seen in 17 patients in group I and 51 patients in group II, which was not statistically different. Sensitivity and specificity of USG in diagnosis of acute appendicitis were 61.29 and 80.00% in group I, and 93.0 and 31.6% in group II, respectively. Conclusion: Although the diagnosis of appendicitis in pregnant women is not delayed, careful assessment of these patients suspected of having appendicitis should be encouraged when USG examination is normal or nondiagnostic.<hr/>Resumo Objetivo: investigar se o diagnóstico de apendicite aguda é afetado por gravidez ou não. Método: estudo retrospectivo com análise dos prontuários médicos de todas as mulheres que tiveram suspeita de apendicite e foram submetidas à apendicectomia em nosso hospital entre junho de 2010 e março de 2015. As pacientes foram divididas em dois grupos, de acordo com a presença de gravidez durante a cirurgia: grupo I, mulheres grávidas; grupo II, mulheres não grávidas. Resultados: durante o período do estudo, 38 mulheres grávidas e 169 mulheres não grávidas foram submetidas à apendicectomia. O tempo desde a internação até a cirurgia não foi estatisticamente diferente (2,17±1,47 dias no grupo I vs. 1,98±1,66 dia no grupo II, p=0,288). O grupo das grávidas apresentou uma estadia hospitalar mais longa que o grupo das não grávidas (p=0,04). A ultrassonografia foi usada como primeira modalidade de diagnóstico em 36/38 pacientes no grupo I e em 161/169 no grupo II. O apêndice não visualizado na ultrassonografia foi visto em 17 pacientes no grupo I e 51 pacientes no grupo II, e não foi estatisticamente diferente. A sensibilidade e especificidade da ultrassonografia no diagnóstico de apendicite aguda foram 61,29 e 80,00% no grupo I e 93,0 e 31,6% no grupo II, respectivamente. Conclusão: embora o diagnóstico de apendicite em mulheres grávidas não seja protelado, recomenda-se uma avaliação cuidadosa quando o exame de ultrassonografia for normal ou não diagnóstico nessas pacientes. <![CDATA[<em>Wake-up stroke</em>: achados clínicos, sedentarismo e sonolência diurna]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700628&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Summary Objective: Wake-up stroke (WUS) is defined when the exact time of the beginning of the symptoms cannot be determined, for the deficits are perceived upon awakening. Sleep alterations are important risk factors for stroke and cardiovascular diseases. This study evaluates the characteristics of patients with and without WUS, the presence of daytime sleepiness, and associated risk factors. Method: Patients with ischemic stroke were investigated about the presence of WUS. Clinical and demographic characteristics were evaluated. Stroke severity was studied by the National Institutes of Health Stroke Scale (NIHSS) and the Modified Rankin Scale (MRS), and daytime sleepiness severity was studied by the Epworth Sleepiness Scale (ESS). Results: Seventy patients (57.1% men) aged from 32 to 80 years (58.5±13.3) were studied. WUS was observed in 24.3%. Arterial hypertension (67.1%), type 2 diabetes (27.1%), and hyperlipidemia (22.8%) were frequent. Type 2 diabetes and sedentary lifestyle were more common in patients with WUS (p&lt;0.05). Overall, mild, moderate or very few symptoms of stroke (NIHSS&lt;5) were predominant (62.3%). Among all cases, 20% had excessive daytime sleepiness (ESS&gt;10). No differences were found between patients with and without WUS as regards stroke severity or excessive daytime sleepiness. Patients with excessive daytime sleepiness were younger and had more sedentary lifestyle (p&lt;0.05). Individuals with previous history of heavy drinking had more daytime sleepiness (p=0.03). Conclusion: Wake-up stroke occurs in approximately 25% of stroke cases. In this study, patients with WUS had more diabetes and sedentary lifestyle. Daytime sleepiness is frequent and is associated with sedentary lifestyle and heavy drinking.<hr/>Resumo Objetivo: wake-up stroke (WUS) define o acidente vascular cerebral (AVC) que ocorre sem horário preciso de início, pois os sintomas manifestam-se ao despertar. Alterações do sono associam-se a maior risco de AVC e doenças cardíacas. Este estudo avalia as características dos pacientes com e sem WUS, a presença de sonolência diurna e os fatores de risco associados. Método: pacientes com AVC isquêmico foram identificados quanto à presença de WUS. Foram avaliadas as características clínico-demográficas, a gravidade do AVC pela National Institutes of Health Stroke Scale (NIHSS) e pela Modified Rankin Scale (MRS) e o grau de sonolência pela Epworth Sleepiness Scale (ESS). Resultados: setenta pacientes (57,1% homens) com idade entre 32 e 80 anos (58,5±13,3) foram estudados. Wake-up stroke foi observado em 24,3% dos casos. Hipertensão arterial sistêmica (67,1%), diabetes (27,1%) e distúrbio do metabolismo lipídico (22,8%) foram frequentes. Diabetes e hábitos sedentários foram mais comuns nos casos com WUS (p&lt;0,05). Na amostra total, 62,3% dos casos apresentavam AVC leve, moderado ou com poucos sintomas (NIHSS&lt;5). Sonolência excessiva diurna (SED) (ESS&gt;10) foi identificada em 20% dos pacientes. Não houve diferença entre os grupos com e sem WUS quanto à gravidade do AVC e o grau de sonolência. Pacientes com SED eram mais jovens e mais sedentários (p&lt;0,05). Os indivíduos com etilismo tinham maior grau de sonolência (p=0,03). Conclusão: wake-up stroke manifesta-se em 25% dos casos de AVC isquêmico. Neste estudo, os pacientes com WUS apresentaram mais diabetes e sedentarismo. Sonolência diurna é frequente e associa-se a hábitos sedentários e etilismo. <![CDATA[Correlação entre contração voluntária máxima e <em>endurance</em> avaliados por palpação digital e manometria: um estudo observacional]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700635&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Summary Introduction: Digital palpation and manometry are methods that can provide information regarding maximum voluntary contraction (MVC) and endurance of the pelvic floor muscles (PFM), and a strong correlation between these variables can be expected. Objective: To investigate the correlation between MVC and endurance, measured by digital palpation and manometry. Method: Forty-two women, with mean age of 58.1 years (±10.2), and predominant symptoms of stress urinary incontinence (SUI), were included. Examination was firstly conducted by digital palpation and subsequently using a Peritron manometer. MVC was measured using a 0-5 score, based on the Oxford Grading Scale. Endurance was assessed based on the PERFECT scheme. Results: We found a significant positive correlation between the MVC measured by digital palpation and the peak manometric pressure (r=0.579, p&lt;0.001), and between the measurements of the endurance by Peritron manometer and the PERFECT assessment scheme (r=0.559, P&lt;0.001). Conclusion: Our results revealed a positive and significant correlation between the capacity and maintenance of PFM contraction using digital and manometer evaluations in women with predominant symptoms of SUI.<hr/>Resumo Introdução: a palpação digital e a manometria são métodos capazes de fornecer informações sobre contração voluntária máxima (CVM) e endurance da musculatura do assoalho pélvico (MAP), e pode-se esperar uma forte correlação entre essas variáveis. Objetivo: investigar a correlação entre CVM e endurance, avaliados por palpação digital e manometria. Método: incluíram-se 42 mulheres, com idade média de 58,1 anos (±10,2) e sintomas predominantes de incontinência urinária de esforço (IUE). Realizou-se primeiramente o exame digital, seguido pela manometria (Peritron®). Mensuraram-se a CVM de acordo com a escala de Oxford (0-5 pontos) e o endurance pelo esquema PERFECT. Resultados: encontrou-se correlação positiva entre CVM mensurada por palpação digital e pressão manométrica de pico (r=0,579; p&lt;0,001), e entre as medições do endurance avaliado pelo Peritron e o esquema PERFECT (r=0,559; p&lt;0,001). Conclusão: os resultados revelaram correlação positiva e significativa entre a capacidade e a manutenção de contração dos MAP por meio das avaliações digital e manométrica em mulheres com IUE. <![CDATA[Resultados do transplante alogênico de células-tronco em doentes com leucemia mieloide aguda com doença ativa: experiência de um único Centro Oncológico Europeu]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700641&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Summary Introduction: Allogeneic hematopoietic stem cell transplantation (ASCT) representes a potentially curative approach for patients with relapsed or refractory acute myeloid leukemia (AML). We report the outcome of relapsed/refractory AML patients treated with ASCT. Method: A retrospective cohort from 1994 to 2013 that included 61 patients with diagnosis of relapsed/refractory AML. Outcomes of interest were transplant-related mortality (TRM), incidence of acute and chronic graft-versus-host disease (GVHD), relapse incidence, progression-free survival (PFS) and overall survival (OS). Statistical significance was set at p&lt;0.05. Results: The median age was 61 years (range 1 to 65). The cumulative incidence of 90 days, 1 year, and 3 years TRM were 60%, 26.7%, and 13.3%, respectively (p&lt;0.001). The incidence of relapse was 21.7% at 1 year, 13% at 3 years, and 8.7% at 5 years. Median OS was estimated to be 8 months (95CI 3.266-12.734) and median PFS, 3 months (95CI 1.835-4.165). Conclusion: In our cohort, TRM in first years after ASCT remains considerable, but ASCT in this setting seems to be a good choice for AML patients with active disease. However, novel approaches are needed to reduce TRM and relapse in this set of patients.<hr/>Resumo Introdução: o transplante alogênico de células-tronco hematopoiéticas (TCTH-alo) representa uma abordagem potencialmente curativa para pacientes com leucemia mieloide aguda (LMA) recorrente ou refratária. Nosso trabalho apresenta o resultado de pacientes com recaída ou doença refratária tratados com TCTH-alo. Método: coorte retrospectiva incluindo 61 pacientes de 1994 a 2013 com diagnóstico de recidiva/LMA refratária. Os desfechos de interesse foram mortalidade relacionada ao transplante (MRT), incidência da doença aguda e crônica do enxerto contra hospedeiro (DECH), incidência de recaídas, sobrevida livre de progressão (PFS - progression-free survival) e sobrevida global (SG). A significância estatística foi considerada para p&lt;0,05. Resultados: a média de idade foi de 61 anos (variação de 1 a 65). A incidência cumulativa de 90 dias, 1 ano e 3 anos de MRT foram de 60%, 26,7% e 13,3%, respectivamente (p&lt;0,001). A incidência de recaída foi de 21,7% em 1 ano, 13% em 3 anos e 8,7% em 5 anos. A SG mediana foi estimada em 8 meses (IC 95% 3,266-12,734) e a mediana de PFS, em 3 meses (IC 95% 1,835-4,165). Conclusão: em nossa coorte, MRT no primeiro ano após o transplante permanece considerável, mas TCTH-alo nesse cenário parece ser uma boa opção para pacientes com LMA ativa. No entanto, novas abordagens são necessárias para reduzir MRT e recaída nesse conjunto de pacientes. <![CDATA[Aplicação do escore prognóstico IPSET-trombose nos pacientes com trombocitemia essencial em um hospital público brasileiro]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700647&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Summary Introduction: In patients with essential thrombocythemia (ET), the vascular complications contribute to morbidity and mortality. To better predict the occurrence of thrombotic events, an International Prognostic Score for Thrombosis in Essential Thrombocythemia (IPSET-thrombosis) has recently been proposed. We present the application of this score and compare its results with the usual classification system. Method: We retrospectively evaluated the characteristics and risk factors for thrombosis of 46 patients with a diagnosis of ET seen in the last 6 years at Faculdade de Medicina do ABC (FMABC). Results: Thrombosis in the arterial territory was more prevalent than in venous sites. We observed that cardiovascular risk factors (hypertension, hypercholesterolemia, diabetes mellitus, and smoking) were also risk factors for thrombosis (p&lt;0.001). Age over 60 years and presence of JAK2 V617F mutation were not associated with the occurrence of thrombotic events. No patient classified by IPSET-thrombosis as low risk had a thrombotic event. Furthermore, using the IPSET-thrombosis scale, we identified two patients who had thrombotic events during follow-up and were otherwise classified in the low-risk group of the traditional classification. Leukocytosis at diagnosis was significantly associated with arterial thrombosis (p=0.02), while splenomegaly was associated with venous thrombotic events (p=0.01). Conclusion: Cardiovascular risk factors and leukocytosis were directly associated with arterial thrombosis. IPSET-thrombosis appears to be better than the traditional classification at identifying lower risk patients who do not need specific therapy.<hr/>Resumo Introdução: em pacientes com trombocitemia essencial (TE), complicações vasculares contribuem para morbidade e mortalidade. Para melhor predizer a ocorrência de eventos trombóticos, um escore prognóstico internacional de trombose para TE (IPSET-trombose) foi recentemente desenvolvido. Apresentamos aqui a aplicação desse escore e comparamos seus resultados com o sistema de classificação usual. Método: avaliamos retrospectivamente as características e os fatores de risco para trombose em 46 pacientes com diagnóstico de TE que foram atendidos nos últimos 6 anos na Faculdade de Medicina do ABC. Resultados: trombose em território arterial é mais prevalente que em sítio venoso. Observamos que fatores de risco cardiovascular (hipertensão, hipercolesterolemia, diabetes mellitus e tabagismo) foram considerados fatores de risco para trombose (p&lt;0,001). Idade &gt; 60 anos e presença de mutação JAK2 V617F não se associaram à ocorrência de eventos trombóticos. Nenhum paciente classificado como baixo risco pelo IPSET-trombose apresentou evento trombótico. Quando comparado à classificação de risco tradicional, IPSET-trombose foi capaz de identificar dois pacientes que evoluíram com trombose no seguimento e estavam categorizados no grupo de baixo risco. Leucocitose ao diagnóstico foi mais prevalente em pacientes que apresentaram trombose arterial (p=0,02), e esplenomegalia, entre aqueles com evento trombótico venoso (p=0,01). Conclusão: fatores de risco cardiovascular e leucocitose se associaram de forma direta com trombose arterial. IPSET-trombose parece ser melhor que a classificação tradicional na identificação de pacientes de baixo risco que não precisam de terapia específica. <![CDATA[Interesse em pesquisa entre estudantes de medicina: desafios para a graduação]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700652&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Summary Introduction: In recent decades, there has been a reduction in the number of graduates from medical schools who choose to pursue a career in scientific research. That has an impact on the profile of graduates, since medical education depends on understanding the formation of scientific evidence. The construction of new knowledge is also hampered by the reduction of medical scientists, whose clinical experience with patients provides an essential step towards medical Science evolution. Objective: The present cross-sectional study sought to identify the interest in research among medical students from a federal university in southern Brazil. Method: Medical students from a federal university were asked to respond to a self-administered questionnaire that sought to identify the level of knowledge about the importance of scientific research in medical training, and the interest of this population in this element of their training. Results: 278 medical students from the first to the sixth year responded to the questionnaire, and 81.7% stated their interest in medical research. However, only 4.7% of respondents considered research as first in degree of importance to their medical training. The variable "interest in research" showed no statistically significant association with age, gender, presence of physicians in the family, or other prior college courses. Conclusion: Although interest in research is clearly present among the students, this is still an underexplored element among the population studied. The incorporation of research in the learning process depends on stimulus and guidance until it becomes culturally consolidated as an essential element of the medical training.<hr/>Resumo Introdução: nas últimas décadas, diminuiu o número de egressos de escolas médicas que optam por se dedicar à pesquisa científica. Isso tem impacto sobre o perfil dos profissionais formados, já que o aprendizado médico é indissociável da compreensão da formação da evidência científica. A formação de novo conhecimento é prejudicada com a redução de pesquisadores médicos, cujo contato clínico com os pacientes fornece etapa essencial na evolução da ciência médica. Objetivo: o presente estudo transversal buscou identificar o interesse em pesquisa entre estudantes de medicina de uma universidade federal do Sul do Brasil. Método: estudantes de medicina de uma universidade federal foram convidados a responder um questionário autoaplicável que buscou identificar o nível de conhecimento sobre a importância da pesquisa científica na formação do médico, bem como o interesse dessa população por esse elemento da formação. Resultados: 278 estudantes de todas as séries do curso de medicina responderam ao questionário, e 81,7% declararam interesse pela pesquisa científica. Contudo, apenas 4,7% dos entrevistados consideraram a pesquisa em primeiro lugar em grau de importância para a sua formação. A variável "interesse em pesquisa" não apresentou associação estatisticamente significativa com idade, gênero, presença de médicos na família ou outro curso superior prévio. Conclusão: embora o interesse em pesquisa esteja claramente presente entre os estudantes, este é um elemento da formação ainda pouco explorado pela população estudada. A incorporação da pesquisa na rotina do aprendizado depende de estímulo e orientação até que esteja culturalmente consolidada como matriz essencial da formação. <![CDATA[Avaliação longitudinal do risco nutricional em pacientes sob quimio ou radioterapia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700659&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Summary Objective: To compare nutritional risk in adult patients undergoing chemotherapy and radiotherapy in the beginning, middle, and end of oncologic treatment. Method: This prospective, comparative study included 83 adult patients, 44 undergoing chemotherapy (CT group) and 39 undergoing radiotherapy (RT group) at an oncology treatment center. Nutritional risk was determined by NRS-2002 in the beginning, middle, and end of therapy. Statistical analysis was performed using Statistica 8.0 software. Results: No differences in food intake or body mass index were observed between the CT (24.6±4.8 kg/m²) and RT groups (25.0±5.9 kg/m², p=0.75). Weight loss in the preceding 3 months was detected in 56.8% of CT group and 38.5% of RT group (p=0.09). The weight loss percentage compared with the usual weight within 3 months was greater (p&lt;0.001) in the CT (11.4±6.5%) than in the RT group (3.9±6.8%). In the beginning of treatment, we observed high percentages of patients at moderate (18.2 vs. 15.4%, p=0.73) and high nutritional risk (61.4 vs. 48.7%, p=0.25), with no statistical difference between the CT and RT groups, respectively. During therapy, the nutritional risk remained unaltered in both groups. In the end of therapy, the majority of patients were at moderate (18.2 vs. 12.8%, p=0.50) or severe nutritional risk (50.0 vs. 51.3%, p=0.91), in the CT and RT groups, respectively, regardless of the type of oncologic treatment. Conclusion: The high prevalence of patients at moderate or high nutritional risk in the beginning of treatment indicates the need for an early and continuous follow-up of the nutritional status of patients undergoing oncologic treatment.<hr/>Resumo Objetivo: comparar o risco nutricional de pacientes adultos submetidos a quimio e radioterapia no início, no meio e ao término do tratamento oncológico. Método: estudo prospectivo e comparativo conduzido com 83 pacientes adultos de um centro de tratamento oncológico, sendo 44 sujeitos sob quimioterapia (grupo QTx) e 39 sob radioterapia (grupo RTx). O risco nutricional foi determinado pelo questionário NRS-2002 no início, ao meio e ao término da terapia. A análise estatística foi feita com o software Statistica 8.0. Resultados: não houve diferença no padrão de ingestão alimentar e no IMC (24,6±4,8 vs. 25±5,9 kg/m²; p=0,75) nos grupos QTx e RTx, respectivamente. Perda de peso nos 3 meses precedentes ocorreu em 56,8% dos pacientes sob quimioterapia e em 38,5% daqueles sob radioterapia (p=0,09). Os pacientes do grupo QTx apresentaram maior porcentagem de perda de peso em relação ao habitual em 3 meses (11,4±6,5 vs. 3,9±6,8%; p&lt;0,001). No início do tratamento, houve alta taxa de risco nutricional moderado (18,2 vs. 15,4%; p=0,73) e grave (61,4 vs. 48,7%; p=0,25), sem diferença estatística entre os grupos QTx e RTx, respectivamente. No meio do tratamento, o risco nutricional foi mantido em ambos os grupos. Ao término da terapia, mais da metade dos pacientes apresentava risco nutricional moderado (18,2 vs. 12,8%; p=0,50) ou grave (50 vs. 51,3%; p=0,91), independentemente da modalidade de tratamento oncológico. Conclusão: a alta prevalência de risco nutricional moderado ou grave no início do tratamento aponta para a necessidade de abordagem nutricional precoce e permanente durante a terapia oncológica. <![CDATA[Um modelo pioneiro de aplicação dos conceitos da produção em larga escala na assistência à saúde: princípios e desempenho em mais de 11 mil transplantes no Hospital do Rim]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700664&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Summary The kidney transplant program at Hospital do Rim (hrim) is a unique healthcare model that applies the same principles of repetition of processes used in industrial production. This model, devised by Frederick Taylor, is founded on principles of scientific management that involve planning, rational execution of work, and distribution of responsibilities. The expected result is increased efficiency, improvement of results and optimization of resources. This model, almost completely subsidized by the Unified Health System (SUS, in the Portuguese acronym), has been used at the hrim in more than 11,000 transplants over the last 18 years. The hrim model consists of eight interconnected modules: organ procurement organization, preparation for the transplant, admission for transplant, surgical procedure, post-operative period, outpatient clinic, support units, and coordination and quality control. The flow of medical activities enables organized and systematic care of all patients. The improvement of the activities in each module is constant, with full monitoring of various administrative, health care, and performance indicators. The continuous improvement in clinical results confirms the efficiency of the program. Between 1998 and 2015, an increase was noted in graft survival (77.4 vs. 90.4%, p&lt;0.001) and patient survival (90.5 vs. 95.1%, p=0.001). The high productivity, efficiency, and progressive improvement of the results obtained with this model suggest that it could be applied to other therapeutic areas that require large-scale care, preserving the humanistic characteristic of providing health care activity.<hr/>Resumo O programa de transplante renal do Hospital do Rim (hrim) é um modelo único de assistência médica que aplica os princípios da repetição de processos utilizados na produção industrial. Esse modelo, idealizado por Frederick Taylor, é fundamentado em princípios da administração científica, que envolvem planejamento, execução racional do trabalho e distribuição de responsabilidades. O resultado esperado é o aumento da eficiência, melhoria dos resultados e otimização de recursos. Esse modelo, quase todo subsidiado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), foi utilizado no hrim para a realização de mais de 11 mil transplantes nos últimos 18 anos. O modelo do hrim consiste em oito módulos interconectados: organização de procura de órgãos, preparo para o transplante, admissão para transplante, procedimento cirúrgico, pós-operatório, seguimento pós-transplante, unidades de apoio, e coordenação e controle de qualidade. O fluxo das atividades médicas permite o atendimento organizado e sistemático de todos os pacientes. O aperfeiçoamento das atividades de cada módulo é constante, com monitoramento integral de diversos indicadores administrativos, assistenciais e de desempenho. A melhora contínua dos resultados clínicos confirma a eficiência do programa. Entre 1998 e 2015, foi observado um aumento nas sobrevidas do enxerto (77,4 vs. 90,4%; p&lt;0,001) e do paciente (90,5% vs. 95,1%; p=0,001), respectivamente. A elevada produtividade, a eficiência e a melhoria progressiva dos resultados obtidos sugerem que esse modelo pode ser aplicado em outras áreas terapêuticas que necessitam de assistência em larga escala, sem comprometer os conceitos humanísticos de nossa atividade assistencial. <![CDATA[Gasto energético de repouso em pacientes críticos: métodos de avaliação e aplicações clínicas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700672&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Summary Patients on intensive care present systemic, metabolic, and hormonal alterations that may adversely affect their nutritional condition and lead to fast and important depletion of lean mass and malnutrition. Several factors and medical conditions can influence the energy expenditure (EE) of critically ill patients, such as age, gender, surgery, serious infections, medications, ventilation modality, and organ dysfunction. Clinical conditions that can present with EE change include acute kidney injury, a complex disorder commonly seen in critically ill patients with manifestations that can range from minimum elevations in serum creatinine to renal failure requiring dialysis. The nutritional needs of this population are therefore complex, and determining the resting energy expenditure is essential to adjust the nutritional supply and to plan a proper diet, ensuring that energy requirements are met and avoiding complications associated with overfeeding and underfeeding. Several evaluation methods of EE in this population have been described, but all of them have limitations. Such methods include direct calorimetry, doubly labeled water, indirect calorimetry (IC), various predictive equations, and, more recently, the rule of thumb (kcal/kg of body weight). Currently, IC is considered the gold standard.<hr/>Resumo Os pacientes em cuidados intensivos apresentam alterações sistêmicas, metabólicas e hormonais, que podem afetar adversamente a condição nutricional e levar à rápida e importante depleção da massa magra e desnutrição. Vários fatores e situações clínicas podem exercer influência sobre o gasto energético (GE) de pacientes críticos, como idade, sexo, cirurgias, infecções graves, medicamentos, modalidade ventilatória e disfunção de órgãos. Dentre as condições clínicas que podem cursar com alteração do GE, encontra-se a lesão renal aguda (LRA), distúrbio complexo comumente observado em pacientes críticos, com manifestações que podem variar de mínimas elevações na creatinina sérica até insuficiência renal com necessidade dialítica. Dessa forma, essa população crítica apresenta necessidades nutricionais complexas e a determinação do gasto energético de repouso (GER) torna-se essencial para o ajuste da oferta nutricional e para o planejamento de uma nutrição adequada, assegurando que as necessidades energéticas sejam atingidas e evitando as complicações associadas à hiper ou hipoalimentação. Diversos métodos de avaliação do GE nessa população foram descritos, mas todos apresentam limitações. Dentre eles, destacam-se a calorimetria direta, a água duplamente marcada, a calorimetria indireta (CI), diversas equações preditivas e, mais atualmente, a regra de bolso (kcal/kg de peso). Atualmente, a CI é eleita o método padrão-ouro. <![CDATA[Ácido ascórbico na prevenção e no tratamento do câncer]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700680&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Summary This review is aimed at the systematic mapping of ascorbic acid in the prevention and/or treatment of cancer in clinical and non-clinical studies from 2011 to 2015, in order to understand dose-response variations as well as its mechanisms of action as an antioxidant and antitumor agent. Seventy-eight articles were retrieved from the PubMed/Bireme database, of which only 30 included ascorbic acid in the prevention and/or treatment of cancer. However, there are controversies regarding doses and a lack of clinical studies featuring its mechanism of action more clearly. Other studies are needed to understand dose-response variations, as well as its targeting mechanisms of action, both as an antioxidant and antitumor agent, to assist treatment and prevention of cancer, aiming at better quality of life for both patients and the general population.<hr/>Resumo Este estudo de revisão teve como objetivo fazer o mapeamento sistemático do ácido ascórbico na prevenção e/ou no tratamento do câncer como antioxidante e/ou pró-oxidante em estudos clínicos e não clínicos, entre 2011 e 2015, para o entendimento das variações de dose-resposta, bem como dos seus mecanismos de ação como agente antioxidante e antitumoral. Nas bases de dados Pubmed e Bireme, foram identificados 78 artigos, dos quais apenas 30 apontavam o ácido ascórbico na prevenção e/ou no tratamento do câncer. Contudo, há controvérsias sobre as doses utilizadas e faltam estudos clínicos que caracterizem melhor o seu mecanismo de ação. Outros estudos devem ser realizados para o entendimento das variações de dose-resposta, bem como de seus mecanismos de ação, como agente antioxidante ou antitumoral, para auxiliar o tratamento e a prevenção do câncer, visando à melhor qualidade de vida dos pacientes e da população em geral. <![CDATA[Vasculopatia trombótica fetal: relato de caso e revisão da literatura]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700687&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Summary Introduction: Fetal thrombotic vasculopathy is a recently described placental alteration with varying degrees of involvement and often associated with adverse perinatal outcomes. The diagnosis is made histologically and therefore is postnatal, which makes it a challenge in clinical practice. Method: Case report and review of literature on the subject. Results: The present case refers to a pregnant woman presenting fetal growth restriction, with poor obstetrical past, and sent late to our service. Even with weekly assessments of fetal vitality (fetal biophysical profile and Doppler velocimetry) and prenatal care, the patient progressed with fetal death at 36 weeks and 1 day. There was no association with inherited and acquired thrombophilia. Pathological examination of the placenta revealed fetal thrombotic vasculopathy. Conclusion: The fetal thrombotic vasculopathy may be associated with adverse perinatal outcomes including fetal death, but much remains to be studied regarding its pathogenesis. Diagnosis during pregnancy is not possible and there is still no proven treatment for this condition. Future studies are needed so that strategies can be developed to minimize the impact of fetal thrombotic vasculopathy.<hr/>Resumo Introdução: a vasculopatia trombótica fetal é uma alteração placentária recentemente descrita, com espectro variado de acometimento e, muitas vezes, associada a resultado perinatal adverso. Trata-se de diagnóstico histopatológico e, portanto, pós-natal, o que a torna um desafio para a prática clínica. Método: apresentação de um relato de caso e revisão da literatura. Resultados: o caso apresentado é de uma gestante com restrição do crescimento fetal, encaminhada tardiamente ao serviço, com histórico obstétrico ruim. Apesar da avaliação semanal da vitalidade fetal (perfil biofísico fetal e dopplervelocimetria) e dos cuidados pré-natais, o caso evoluiu a óbito fetal com 36 semanas e 1 dia. Não houve associação com trombofilias hereditárias e adquiridas. O anatomopatológico da placenta revelou vasculopatia trombótica fetal. Conclusão: sabe-se que a vasculopatia trombótica fetal pode estar associada a resultado perinatal adverso, incluindo óbito fetal. Ainda há muito a ser estudado acerca de sua etiopatogenia. Não é possível o diagnóstico durante a gestação e não existe ainda qualquer tratamento comprovado para essa condição. Estudos futuros são necessários para que estratégias que minimizem o impacto da vasculopatia trombótica fetal sejam desenvolvidas. <![CDATA[Leucemia/linfoma de células T do adulto]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700691&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Summary Adult T-cell leukemia/lymphoma (ATL) is a malignancy of mature CD4+ T-cells caused by human T-cell lymphotropic virus type 1 (HTLV-1). Twenty million people are believed to be infected throughout the world, mostly in Japan, Africa, the Caribbean, and South America, particularly in Brazil and Peru. ATL affects about 5% of infected individuals and is classified in the following clinical forms: acute, lymphoma, primary cutaneous tumoral, chronic (favorable and unfavorable), and smoldering (leukemic and non-leukemic). Although it is considered an aggressive disease, there are cases with a long progression. We emphasize the importance of clinical classification as an indispensable element for evaluating prognosis and appropriate therapeutic approach. Since several cases have been published in Brazil and this disease is still poorly known, we decided to make a review paper for dissemination of clinical, hematological and pathological aspects, diagnosis, and therapy. The best way to reduce the occurrence of ATL would be halting the transmission of the virus through breastfeeding.<hr/>Resumo A leucemia/linfoma de células T do adulto (LLcTA) é uma neoplasia de células T maduras CD4+ causada pelo vírus linfotrópico para células T humanas tipo 1 (HTLV-1). Acredita-se que existem cerca de 20 milhões de pessoas infectadas em todo o mundo, principalmente no Japão, na África, no Caribe e na América do Sul, particularmen te no Brasil e no Peru. A LLcTA acomete cerca de 5% dos indivíduos infectados e classifica-se nas seguintes formas clínicas: aguda, linfomatosa, tumoral primária de pele, crônica (favorável e desfavorável) e indolente (leucêmica e não leucêmica). Embora seja considerada uma doença agressiva, há casos com longa evolução. Salientamos a importância da classificação clínica como elemento im prescindível para avaliação do prognóstico e conduta terapêutica adequada. Como já foram publicados vários casos no Brasil e essa doença ainda é pouco conhecida, decidimos fazer um trabalho de revisão para divulgar os seus aspectos clínicos, hematológicos, anatomopatológi cos, diagnósticos e terapêuticos. O melhor meio de redu zir a ocorrência de LLcTA seria sustando a transmissão vertical do vírus pela amamentação. <![CDATA[Síndrome do comer noturno: como tratar?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302016000700701&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Summary Night eating syndrome (NES) is characterized by caloric intake ≥ 25% of total daily after dinner and/or by two or more weekly nocturnal awakenings accompanied by food ingestion. Causes of NES are not entirely clear and seem to involve a desynchronization between the circadian rhythms of food ingestion and sleep, resulting in a delayed pattern of food intake. Estimates of the prevalence of NES in the general population are around 1.5%, and although much higher frequencies have been described in obese individuals, a causal relationship between NES and obesity is not clearly established. Since the first NES reports, several treatment modalities have been proposed, although, in many cases, the evidence is still insufficient and there is no consensus on the ideal approach. In order to conduct a critical review of proposed treatments for NES since its original description, a systematic search of articles published in journals indexed in Medline/Pubmed database in the period 1955-2015 was performed. Seventeen articles addressing non-pharmacological and pharmacological therapies met the selection criteria. Based on the articles analyzed, we conclude that serotonergic agents and psychological interventions, particularly cognitive behavioral therapy, have been shown to be effective for the treatment of NES. A combination of non-pharmacological and pharmacological therapies must be considered in future studies on the treatment of these patients.<hr/>Resumo A síndrome do comer noturno (SCN) caracteriza-se por ingestão calórica ≥ 25% do total diário após o jantar e/ou por dois ou mais despertares noturnos semanais acompanhados de alimentação. As causas da SCN não estão totalmente esclarecidas e parecem envolver uma dessincronização entre os ritmos circadianos de alimentação e sono, resultando em um atraso do padrão alimentar. Estimativas da prevalência de SCN na população geral estão em torno de 1,5% e, embora frequências bem mais elevadas tenham sido descritas em obesos, uma relação de causalidade entre SCN e obesidade não está claramente estabelecida. Desde os primeiros relatos da SCN, várias modalidades de tratamento têm sido propostas, embora, em muitos casos, a evidência ainda seja insuficiente e não exista um consenso sobre a abordagem ideal. Com o objetivo de realizar uma revisão crítica dos tratamentos propostos para a SCN, desde sua descrição original, foi realizada uma busca sistemática de artigos publicados nos periódicos indexados na base de dados MedLine / Pubmed entre 1955 e 2015. Dezessete artigos, abordando terapias não farmacológicas ou farmacológicas, preencheram os critérios de seleção. Com base nos artigos analisados, conclui-se que os agentes serotonérgicos e intervenções psicológicas, particularmente, a terapia cognitivo-comportamental, têm mostrado eficácia no tratamento da SCN. Uma combinação de terapias não farmacológicas e farmacológicas precisa ser considerada em estudos futuros sobre o tratamento desses pacientes.