Scielo RSS <![CDATA[Revista da Associação Médica Brasileira]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-423019970003&lang=pt vol. 43 num. 3 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<B>Hipertensão arterial como síndrome - o novo desafio da terapia anti-hipertensiva</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42301997000300001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Uso do suporte ventilatório com pressão positiva contínua em vias aéreas (CPAP) por meio de máscara nasofacial no tratamento da insuficiência respiratória aguda</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42301997000300002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO. O objetivo dos autores foi avaliar o efeito da ventilação com CPAP oferecida por meio de máscara nasofacial como método de suporte ventilatório em pacientes com insuficiência respiratória aguda com critérios de indicação para intubação traqueal. CASUÍSTICA E MÉTODO. Foram estudados 11 pacientes com idade média de 41,3 anos em insuficiência respiratória aguda internados na Unidade Respiratória do Hospital São Paulo - Escola Paulista de Medicina. À admissão, era colhida gasometria arterial em ar ambiente e monitorizava-se freqüência respiratória (f), freqüência cardíaca (FC) e pressão arterial (PA). Os mesmos parâmetros eram avaliados após oxigenoterapia via máscara facial aberta e com máscara facial de CPAP usando PEEP de 5cm H2O. RESULTADOS. Com o uso de CPAP através de máscara nasofacial, houve melhora significativa dos níveis de PaO2 e diminuição da freqüência respiratória (p<0,05), quando comparados aos valores em ar ambiente e com máscara facial aberta. CONCLUSÃO. Este trabalho permitiu concluir que a máscara facial de CPAP com 5cm H2O foi eficiente em melhorar a oxigenação arterial e diminuir a freqüência respiratória dos pacientes com insuficiência respiratória aguda, proporcionando-lhes maior conforto, constituindo uma medida terapêutica capaz de evitar o suporte ventilatório invasivo.<hr/>OBJECTIVE. To evaluate the efficacy of continuous positive airway pressure (CPAP) administered by face mask in patients with acute respiratory failure with indication of mechanical ventilation. MATERIALS AND METHOD. Eleven patients (mean age 41.3 years) in acute respiratory failure were admitted in the Respiratory Unit - Hospital São Paulo - Escola Paulista de Medicina. At the admission pH, PaO2, PaCO2, respiratory rate (f), arterial pressure and heart rate were measured. The measurements were repeated with administration of oxigen with a high flow face mask at ambient airway pressure and then with 5cm H2O of CPAP by face mask. RESULTS. The use of CPAP by face mask significantly improved the arterial blood oxigenation and decreased the respiratory rate (p<0.05). CONCLUSION. These data allow the conclusion that CPAP administered by face mask improves gas exchange and decreases respiratory rate in patients with acute respiratory failure and may reduce the need for invasive mechanical ventilation. <![CDATA[<B>Estudo anatômico do músculo levantador do lábio superior</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42301997000300003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Os autores descrevem as características anatômicas do músculo levantador do lábio superior por meio de dissecações em cadáveres. OBJETIVO. Contribuir ao estudo dos músculos da mímica, estudando os seus detalhes anatômicos e suas relações, ajudando na realização de retalhos da face. MÉTODOS. Foram dissecadas 20 peças de cadáveres, verificando-se suas inserções, comprimento, largura, espessura, relações, inervação e irrigação. RESULTADOS. Em todos os casos, o músculo levantador do lábio superior apresentou inserção proximal na margem inferior da órbita e inserção distal de dois tipos: por meio de fibras laterais sobrepondo-se superficialmente ao músculo orbicular do lábio e de fibras profundas interdigitando-se, formando parte do embricamento do canto da boca (70%); e mediante fibras sobrepondo-se superficialmente ao músculo orbicular do lábio (30%). A média do comprimento foi de 24,66mm e a média da espessura, de 3,57mm. A largura em nível da inserção distal foi, em média, de 11,2mm, enquanto que em nível da inserção proximal foi, em média, de 15,96mm. Relaciona-se anteriormente ao músculo levantador do ângulo da boca, posteriormente à porção distal do músculo zigomático menor (90%) e posteriormente à porção média do músculo zigomático menor (10%). A inervação é feita pelo ramo inferior do nervo zigomático (n. facial) e nervo infra-orbital (n. trigêmeo). Ramos da artéria angular irrigam a porção inferior do músculo e a artéria infra-orbital nutre a porção superior deste músculo.<hr/>The authors describe the anatomical characteristics of the levator labii superioris muscle by dissection in cadavers. PURPOSE. We describe the characteristics of these muscle, the details and relations, hopefully contributing to the study of muscle of the face. METHODS. Twenty faces of cadavers were dissected. The following features were studied: origin, insertion, length, width, thickness, relations, innervation and blood supply. RESULTS. In all cases the muscle originated from the inferior orbital margin. Two insertions were observed: via lateral fibers, superficial to the orbicularis oris muscle and via deep fibers thar form part of the raphe at the corner of the mouth (70%); via superficial fibers to the orbicularis oris muscle (30%). The average of the length was 24.66mm and the average of the thickness was 3.57mm. The width at its insertion was 11,2 mm, and at the origin was 15.96mm. The levator labii superioris muscle was found to be anterior to the levator anguli oris; it was posterior to the distal portion of the zygomaticus minor (90%) and posterior to the mid portion of the zygomaticus minor (10%). The innervation was from the inferior branch of the zygomatic nerve (facial nerve) and from the infraorbital nerve (trigeminal nerve). The inferior portion of the muscle is supplied by branches of the angular artery and the superior part from branches of the infraorbital artery. <![CDATA[<B>Uso de concentrado de antitrombina III em cirróticos com distúrbios de coagulação</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42301997000300004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A deficiência de antitrombina III (ATIII) é observada na hepatopatia grave e pode ser decorrente da redução de síntese ou de consumo aumentado, o que poderia ser compensado com o uso de concentrado de ATIII. OBJETIVO. Avaliar a eficiência da administração de uma dose fixa de concentrado de ATIII, em pacientes com hepatopatia descompensada com distúrbio da hemostasia. CASUÍSTICA E MÉTODO. Foram avaliados seis pacientes, com idade média de 44 anos, variando de 14 a 63 anos, portadores de cirrose (quatro de etiologia alcoólica, um viral e um doença de Wilson), com alteração de pelo menos dois dos parâmetros da hemostasia (TP > 1,40, TTPA > 1,25, fibrinogênio < 1,5g/L, plaquetas < 80.000/mm³). A média do nível de albumina foi de 2,6g/dL (1,9 a 3,8g/dL). O concentrado de ATIII (Kybernin®) foi administrado na dose de 50U/kg, em dias alternados. Foi colhido sangue antes da primeira infusão, 4 horas após e, depois, diariamente, antes da infusão do dia, para medida da ATIII plasmática (amidolítico). Nenhum paciente recebeu hemoderivados. RESULTADOS.As médias da dosagem de ATIII foram: inicial = 35,8%, 4 horas = 56,2%*, 2 dias = 48,7%*, 4 dias = 45,7%* e 8 dias = 42,3%. Após a infusão houve elevação significante dos níveis de ATIII (* = p < 0,02, teste de Friedman), que se manteve até o 4º dia. Não houve alteração dos demais parâmetros de coagulação. CONCLUSÕES. O uso de concentrado de ATIII na dose utilizada é suficiente para elevar os níveis desse inibidor na hepatopatia; entretanto, com essa dose não se obteve normalização de seus níveis. Esses dados sugerem que doses mais elevadas devem ser usadas em pacientes com hepatopatias graves, que apresentam não apenas redução de síntese, mas aumento de consumo dos fatores da coagulação e de seus inibidores.<hr/>BACKGROUND. Patients with severe hepatic failure present acquired deficiency of antithrombin III (ATIII) owing to reduced synthesis associated with intravascular activation of blood coagulation, which may be corrected by ATIII infusion. OBJECTIVE. The aim of this uncontrolled trial was to verify the effect of a standard dose of ATIII concentrate (Kybernin&trade; ), that is, 50U/kg of body weight per day, every 2 days, on ATIII levels in patients with severe hepatic failure and hemostatic imbalance. PATIENTS AND METHODS. Six cirrhotic patients were studied: mean age of 44 years (14 to 63 years), who presented at least 2 abnormal coagulation tests (PT > 1.40, APTT > 1.25, Fibrinogen < 1.5g/dL, Platelet count < 80,000/mm³). Mean serum albumin was 2.6g/dL (1.9 to 3.8g/dL). Blood was drawn before infusion, 4h after the first infusion, and just before the next infusion. ATIII levels were measured by amidolytic method. RESULTS. Mean ATIII levels were: initial = 35.8%, 4th h = 56.2%*, 2th d = 48.7%*, 4 d th = 45.7%*, and 8th d = 42.3%. ATIII levels increased significantly after infusion of this standard dose in all patients, although they have not been fully corrected (Friedman test, * p < 0.02), which has been sustained till the 4th day. There was no improvement on the clinical outcome. CONCLUSIONS. These findings suggest that doses of ATIII concentrate higher than 50U/kg/infusion must be administered to patients with severe hepatic failure, to guarantee normal levels of the inhibitor, in order to verify its influence on the hemostatic mechanism. <![CDATA[<B>Garantia de qualidade em citopatologia</B>: <B>aspectos da correlação cito-histopatológica</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42301997000300005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Os autores avaliaram a concordância diagnóstica cito-histológica de lesões de colo uterino e discutiram as eventuais discrepâncias. OBJETIVO. Averiguar o nível de concordância cito-histológica nos casos da Divisão de Patologia do Instituto Adolfo Lutz (IAL) e aprimorar a estratégia de garantia de qualidade na instituição. MATERIAL E MÉTODO. Estudaram 157 casos consecutivos dos arquivos do IAL em que foram enviadas citologia cérvico-vaginal e biópsia. RESULTADO. Houve concordância absoluta em 119 (75,8%) casos; nos demais, a citologia superestimou 11 lesões (7,0%) e subestimou 27 (17,2%). Observou-se que em 5 casos, inicialmente diagnosticados como inflamatório pela citologia, dois foram, à revisão, considerados como NIC 1; os demais foram ratificados como inflamatórios, apesar de suas respectivas biópsias terem diagnóstico de neoplasia intra-epitelial cervical. CONCLUSÃO. Tais resultados demonstram a importância da correlação cito-histológica para o sistema de garantia de qualidade em diagnóstico citológico e apontam para a colheita como um dos fatores determinantes nas discrepâncias diagnósticas.<hr/>The cytohistologic diagnosis concordance of the cervix-uterine lesions was evaluated and the discordances are discussed. PURPOSE. To evalute the level of cytohistological diagnosis agreement in the Pathology Division of the Adolfo Lutz Institute and enhance parameters of quality assurance system developed in this institution. METHODS. The authors retrospectively evaluated 157 pairs of cytologyhistology consecutive cases from the files the Adolfo Lutz Institute (Division of Pathology). RESULTS. Agreement was found in 119 cases (75.8%); in the remaining cases cytologic diagnosis were higher than histology in 11 lesions (7.0%) and lower in 27 (17.2%). We also observed that in 5 cases previously diagnosed as inflammatory, 2 of them were reclassified as CIN 1; after revision, the others remained as inflammatory even though they had a histological diagnosis of CIN. CONCLUSION. These results showed the role of cytohistological correlation to the quality assurance system of cytological diagnosis and also stressed the importance of taking the cervical scrapes with accurate care to avoid diagnostic discrepances. <![CDATA[<B>Padrão de sensibilidade de 117 amostras clínicas de <I>Staphylococcus aureus</I> isoladas em 12 hospitais</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42301997000300006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO. Avaliar o padrão de sensibilidade in vitro de amostras clínicas de Staphylococcus aureus sensíveis (OSSA) e resistentes à oxacilina (ORSA) a outros antimicrobianos que podem ser utilizados no tratamento de infecções estafilocócicas. MATERIAL E MÉTODO. Foram analisadas 117 amostras clínicas de S. aureus isoladas em vários hospitais de São Paulo. Também foram incluídas amostras isoladas em Campinas, SP, e João Pessoa, PB. A avaliação da sensibilidade in vitro aos antimicrobianos foi realizada pela técnica de microdiluição em caldo, utilizando os procedimentos preconizados pelo National Committee for Clinical Laboratory Standards (NCCLS). Foi avaliada a concentração inibitória mínima (MIC) para 24 antimicrobianos da classe dos beta-lactâmicos, fluoroquinolonas, aminoglicosídeos, glicopeptídeos, macrolídeos, lincosaminas e estreptograminas. Foram avaliadas tanto drogas disponíveis comercialmente quanto as que ainda se encontram em fase de pesquisa. A resistência cruzada entre dez fluoroquinolonas foi avaliada em 24 amostras. RESULTADOS. Os glicopeptídeos, o RP-59500 e a mupirocina foram os antimicrobianos que apresentaram maior atividade in vitro contra amostras de ORSA (100% sensibilidade). Oitenta e sete por cento das amostras de OSSA foram sensíveis à ciprofloxacina (MIC50 0,25mig/mL), enquanto que, para os ORSA, a sensibilidade foi de apenas 38% (MIC50 >4mig/mL). A resistência cruzada para as fluoroquinolonas foi observada mesmo para drogas não disponíveis comercialmente. As fluoroquinolonas que permaneceram ativas contra amostras resistentes à ciprofloxacina (clinafloxacina e WIN-57.273) apresentaram MICs 8 a 64 vezes mais elevados que as amostras sensíveis à ciprofloxacina, sugerindo que, quando lançadas na prática clínica, esses MICs possam se elevar ainda mais, inviabilizando o uso clínico desses compostos. CONCLUSÃO. Os resultados do presente estudo mostraram uma alta taxa de resistência a antimicrobianos das amostras de S. aureus nos hospitais do Brasil, restando poucas opções para o tratamento de infecções causadas por ORSA.<hr/>OBJECTIVE. To evaluate the antimicrobial susceptibility pattern of oxacillin susceptible (OSSA) and resistant Staphylococcus aureus (ORSA) isolates to other antimicrobial agents that can be used for the treatment of staphylococcal infections. MATERIAL AND METHOD. We evaluated 117 clinical S. aureus isolates from several São Paulo hospitals. Clinical isolates from Campinas, SP and from João Pessoa, PB, were also included. The in vitro susceptibility testing was performed by broth microdilution as described by the National Committee for Clinical Laboratory Standards (NCCLS). The minimum inhibitory concentration (MIC) was evaluated for 24 antimicrobial agents, including beta-lactams, fluoroquinolones, aminoglycosides, glycopeptides, macrolides, lincosamides and streptogramins. Both commercially available and experimental drugs were included in the study. Cross-resistance among fluoroquinolones was evaluated by susceptibility testing 24 isolates to 10 fluoroquinolones. RESULTS. The antimicrobial agents that showed the highest in vitro activity were the glycopeptides, the streptogramin RP-59.500, and the mupirocin (100% susceptibility). Eighty-seven percent of the OSSA and only 38% of the ORSA isolates were susceptible to ciprofloxacin (MIC50 0.25mug/mL and > 4mug/mL, respectively). Cross-resistance among fluoroquinolones were noted even for the experimental drugs. Two fluoroquinolones remained active against ciprofloxacin-resistant isolates, clinafloxacin and WIN-57.273. However, the ciprofloxacin-resistant isolates had MICs eight-to 64-fold higher than the ciprofloxacin-susceptible isolates, suggesting that the MICs may continue to increase when these fluoroquinolones become commercially available. CONCLUSION. Our results showed a high rate of antimicrobial resistance among S. aureus from the Brazilian hospitals. Very few drugs can still be used for the treatment of staphylococcal infections. <![CDATA[<B>Aplicação clínica de filtros leucocitários</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42301997000300007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A presença de leucócitos nos produtos hemoterápicos alogênicos transfundidos tem sido associada à ocorrência de determinadas reações transfusionais, tais como a reação transfusional febril não-hemolítica, a aloimunização e refratariedade à transfusão de plaquetas, a doença enxerto-versus-hospedeiro, e a efeitos imunomodulatórios. Além disso, os leucócitos podem ser vetores de transmissão de agentes infecciosos, tais como o CMV, o HTLV-I/II e o EBV. Tem sido postulado que a remoção dos leucócitos em hemocomponentes mediante uso de filtros leucocitários pode prevenir a ocorrência dessas reações. Entretanto, a eficácia clínica da desleucotização permanece sem definição. Tem sido sugerido que a remoção de 1 log10 de leucócitos previne a reação transfusional não-hemolítica, a remoção de 2 log10 pode prevenir a transmissão de viroses, enquanto que a remoção de > ou = 3 log10 pode ser necessária para a prevenção de aloimunização plaquetária. Entretanto, devido à carência de estudos que analisem apropriadamente as vantagens do uso clínico rotineiro dos filtros, permanecem sem completa definição quais são as reais indicações clínicas para o uso de hemocomponentes desleucotizados; quais são os graus de desleucotização necessários para prevenir as diferentes reações; e se a remoção dos leucócitos deve ser realizada antes ou após o armazenamento do hemocomponente. Dessa maneira, somente estudos clínicos prospectivos poderão definir o custo-benefício da aplicação clínica de filtros leucocitários em hemoterapia.<hr/>Leukocytes present in allogeneic blood components have been associated with adverse effects to the recipient. These include the development of febrile transfusion reactions, alloimmunization to human leukocyte antigens, graft-versus-host disease, and immunomodulatory effects. In addition, such leukocytes may be the vector of infectious agents such as CMV, HTLV-I/II, and EBV. It has been postulated that the use of white blood cell filters to reduce the leukocyte content in allogeneic blood products may minimize the occurrence of these biological adverse effects associated with leukocytes present in transfused blood products. However, it is still to be determined the clinical effectiveness of leukodepletion. It has been suggested that 1 log10 leukocyte reduction prevents febrile non-hemolytic transfusion reactions; that a 2 log10 reduction may prevent the transmission of viroses; and that a > or = 3 log10 reduction may be necessary to prevent platelet alloimmunization. However, because there are no data available as guidelines for the use of leukodepleted blood products for most clinical indications, the use of white cell filters should be restricted to selected patients for whom such data exist. Properly designed prospective clinical trials are necessary to provide data to help to define the cost-benefit of the clinical application of leukodepletion. <![CDATA[<B>Inquérito sobre prevalência do tabagismo na classe médica brasileira</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42301997000300008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVOS. Apresentar os resultados do inquérito sobre a prevalência atual de fumantes entre os médicos do Brasil, segundo suas especialidades, realizado no período de maio a outubro de 1996. MÉTODO. A amostra utilizada foi de respostas espontâneas, constituída por 11.909 médicos associados pagantes da Associação Médica Brasileira, das várias Unidades da Federação e especialidades médicas. RESULTADOS. Constatou-se que 759 (6,4%) são fumantes regulares e 11.150 (93,6%) são não-fumantes; 4.085 médicos (34,3%) são ex-fumantes. Os maiores índices de não-fumantes estão entre os associados de sociedades de especialidades que possuem programas efetivos de controle do tabagismo (pneumologia, cancerologia, cardiologia e otorrinolaringologia). As regiões geográficas do Norte, Nordeste e Centro-Oeste apresentaram as maiores prevalências de fumantes. O início do fumar está mais presente no grupo de 10-19 anos (72,6%), com distribuição semelhante entre os sexos. Nenhum médico do sexo feminino iniciou o seu vício de fumar antes dos 10 anos de idade. CONCLUSÃO. É de grande importância os médicos receberem informações sobre tabagismo, bem como a realização de programas de seu controle nas sociedades de especialidades e nas federadas da Associação Médica Brasileira.<hr/>OBJECTIVES. To present the results of the study of the current prevalence of smoking among Brazilian physicians, according to field of specialization. The study was performed in the period from May to October 1996. METHOD. Data were collected by spontaneous reply from 11,909 physicians registered in Brazilian Medical Association, in the various States of Brazil and medical specializations. RESULTS. The results indicated that 759 (6.4%) are regular smokers, 11,150 (93.6%) are non-smokers and that 4,085 (34.3%) are former smokers. The highest rates of non smoking were found among the societies of specialties that have effetive smoking control programs (pneumology, oncology, cardiology and otorhinolaryngology). The northern, northeastern and mid-western regions of the country presented the highest prevalences of smoking. The onset of smoking occurs more frequently in the 10-19 years age group (72.6%), with similar distribution in both sexes. There were no female physicians who began smoking before 10 years of age. CONCLUSION. It is very important that physicians receive information regarding smoking as well as to have the development of smoking control programs in the specialty societies and in the regional associations federated to the Brazilian Medical Association. <![CDATA[<B>Avaliação da sensibilidade a antimicrobianos de 87 amostras clínicas de enterococos resistentes à vancomicina</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42301997000300009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVOS. 1) Avaliar o padrão de sensibilidade in vitro de amostras clínicas de enterococos resistentes à vancomicina (ERV), aos antimicrobianos comumente utilizados no seu tratamento, bem como a antimicrobianos alternativos. 2) Avaliar a acurácia do E test, em comparação aos outros testes de sensibilidade a antimicrobianos (microdiluição em caldo e difusão em disco). MATERIAL E MÉTODOS. Foram analisadas 87 amostras clínicas de ERVs selecionadas de 1.936 isolados de enterococos coletados em 97 hospitais norte-americanos, no último trimestre de 1992. A identificação em nível de espécie foi feita pelos sistemas API 20S, Vitek e uma versão modificada do método convencional proposto por Facklam e Collins. A avaliação da sensibilidade in vitro aos antimicrobianos foi realizada pela técnica de microdiluição em caldo, E test e métodos de difusão em disco. As amostras foram testadas, tanto para antimicrobianos normalmente utilizados no tratamento de infecções enterocócicas (vancomicina, teicoplanina, ampicilina, penicilina, gentamicina e estreptomicina), como também para drogas alternativas potencialmente úteis (cloranfenicol, doxiciclina, esparfloxacina, ciprofloxacina, clinafloxacina, eritromicina, espectinomicina, trospectomicina, trimetoprim-sulfametoxazol e novobiocina). RESULTADOS. A avaliação dos testes de sensibilidade das 87 amostras de ERV revelou resistência, a ampicilina em torno de 86%, o mesmo sendo observado para penicilina. Em relação aos aminoglicosídeos, obtivemos alto grau de resistência, em torno de 82% e 85%, para gentamicina e estreptomicina, respectivamente. Apesar de pertencer à mesma classe da vancomicina, a teicoplanina foi ativa contra 29% das amostras de ERV. Entre os antimicrobianos alternativos testados, os que apresentaram maiores taxas de sensibilidade foram o cloranfenicol, a doxiciclina e a trospectomicina (82%, 92% e 94% de isolados suscetíveis, respectivamente). CONCLUSÃO. O tratamento de infecções causadas por enterococos multirresistentes ainda é um desafio, e vários esquemas já vêm sendo propostos na literatura. São necessários, no entanto, mais trabalhos analisando a efetividade clínica dessas combinações de antibióticos antes que recomendações definitivas possam ser feitas.<hr/>OBJECTIVES. 1) To evaluate the antimicrobial susceptibility pattern of vancomycin-resistant enterococci to the antimicrobial agents that are commonly used to treat enterococci infections and to some alternative drugs. 2) To evaluate the accuracy of E test for susceptibility testing enterococci. MATERIAL AND METHOD. We evaluated 87 clinical VRE isolates that were selected from a previous study which analyzed 1936 clinical isolates collected and processed in 97 US medical centers in the last quarter of 1992. The isolates were identified to the species level by using the API 20S System, the Vitek gram-positive identification cards and a modified version of the conventional method proposed by Facklam and Collins. The in vitro susceptibility testing was performed by broth microdilution, E test and disk diffusion methods, following the criteria described by the National Committee for Clinical Laboratory Standards (NCCLS). The VRE isolates were tested against antimicrobial agents commonly used to treat enterococci infections (vancomycin, teicoplanin, ampicillin, penicillin, gentamicin and streptomycin) and against ten potential alternative drugs (chloramphenicol, doxycycline, sparfloxacin, ciprofloxacin, clinafloxacin, erythromycin, spectinomycin, trospectomycin, trimetoprim-sulfametoxazol and novobiocin). RESULTS. Our results showed a high rate of resistance to ampicillin and penicillin (86%). High level resistance to gentamicin and streptomycin was demonstrated by 82% and 85% respectively. Although teicoplanin and vancomycin belong to the same antibiotic group (glycopeptide), 29% of VRE were susceptible to teicoplanin. Among the alternative drugs, trospectomycin, doxycyclin and chloramphenicol showed the highest in vitro activity, with 94%, 92% and 82% susceptibility respectively. In addition, erythromycin, trimetoprim-sulfametoxazol and ciprofloxacin showed the highest rates of resistance (98%, 83% and 69%, respectively). CONCLUSION. The treatment options for infections caused by vancomycin-resistant enterococci seem to be very narrow since a small percentage of those isolates were susceptible to the other antimicrobial agents commonly used to treat these infections and only a few of the alternative drugs tested showed good in vitro activity. Many regimens using various antibiotic combinations have been tested against VRE, most of them with fluoroquinolones. However further studies are necessary to evaluate the clinical role of these antibiotic combinations. <![CDATA[<B>Diagnóstico de hipertensão arterial sistêmica</B>: <B>evidências de que os critérios contemporâneos devem ser revistos</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42301997000300010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Diversos comitês normativos em hipertensão arterial recomendam considerar a média de várias aferições da pressão arterial com esfigmomanômetro para diagnosticar hipertensão. Não há consenso sobre o número de medidas a serem consideradas. OBJETIVO. Descrever o comportamento da pressão arterial obtida em três dias diferentes, utilizando-se a média de seis aferições para o diagnóstico de hipertensão. MÉTODOS. No ambulatório de hipertensão da Unidade de Farmacologia Clínica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, emprega-se a média de seis determinações, obtidas em três dias diferentes, para diagnosticar e classificar a hipertensão, exceto nos pacientes com valores muito baixos ou elevados nas duas primeiras aferições. Cinqüenta e oito pacientes foram submetidos a essa rotina. RESULTADOS. As médias das pressões sistólica (PS) e diastólica (PD) decresceram da primeira à sexta determinação (ANOVA para medidas repetidas: F = 4,45, p = 0,001 para PS e F = 5,54, p < 0,001 para PD). Os pacientes foram divididos em grupos com PS e PD obtidas na primeira aferição superiores e inferiores à média de todo grupo. A diminuição de ambas as pressões ao longo das seis aferições ficou restrita aos grupos com valores da primeira determinação superiores à média de todo o grupo (ANOVA: F = 8.03; p < 0,0001 para PS e F = 6,33, p <0,0001 para PD). A regressão à média e uma reação de alerta inicial são explicações aventadas para esse fenômeno. CONCLUSÃO. Esses dados demonstram que o diagnóstico de hipertensão arterial não deve ser feito com base em uma única aferição e sugerem que a recomendação de diagnosticar hipertensão severa baseando-se em altos valores das duas primeiras medidas pode classificar erroneamente alguns pacientes.<hr/>It has been recommended to take the average of several blood pressure (BP) determinations with a sphygmomanometer to diagnose hypertension, but there is no agreement on the reading numbers. PURPOSE. Describing the behavior of BP readings taken in three different days to establish the classificatory BP in an outpatient hypertension clinic. METHOD. In the outpatient hypertension clinic of the Clinical Pharmacology Division of the Hospital de Clínicas de Porto Alegre, we use the mean of six readings taken in three different days to establish the classificatory blood pressure, except for those with very high or low values in the first day. In this report we describe the behavior of BP in 58 patients submitted to this routine. RESULTS. The mean of systolic (SBP) and diastolic (DBP) blood pressures decreased from the first to the 6th reading (ANOVA for repeated measurements: F = 4.45, P = 0.001 for SBP and F = 5.54, P < 0.001 for DBP). Afterward, the patients were classified into two groups according their first SBP and DBP reading. The decreasing in both SBP and DBP was confined to those with the first measurement in the upper half of the entire group (ANOVA: F = 8.03; P < 0.0001 for SBP and F = 6.33, P <0.0001 for DBP). Regression to the mean and some reactiveness in the first day are possible explanations for this. CONCLUSION. These data corroborate that the hypertension diagnosis should not be based in an single blood pressure determination and suggest that the recommendation to diagnose severe hypertension based on high values in the first two read-ings could misclassify some patients. <![CDATA[<B>Gastroparesias</B>: <B>revisão de aspectos relacionados ao conceito, à etiopatogenia e ao manejo clínico</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42301997000300011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Diversos comitês normativos em hipertensão arterial recomendam considerar a média de várias aferições da pressão arterial com esfigmomanômetro para diagnosticar hipertensão. Não há consenso sobre o número de medidas a serem consideradas. OBJETIVO. Descrever o comportamento da pressão arterial obtida em três dias diferentes, utilizando-se a média de seis aferições para o diagnóstico de hipertensão. MÉTODOS. No ambulatório de hipertensão da Unidade de Farmacologia Clínica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, emprega-se a média de seis determinações, obtidas em três dias diferentes, para diagnosticar e classificar a hipertensão, exceto nos pacientes com valores muito baixos ou elevados nas duas primeiras aferições. Cinqüenta e oito pacientes foram submetidos a essa rotina. RESULTADOS. As médias das pressões sistólica (PS) e diastólica (PD) decresceram da primeira à sexta determinação (ANOVA para medidas repetidas: F = 4,45, p = 0,001 para PS e F = 5,54, p < 0,001 para PD). Os pacientes foram divididos em grupos com PS e PD obtidas na primeira aferição superiores e inferiores à média de todo grupo. A diminuição de ambas as pressões ao longo das seis aferições ficou restrita aos grupos com valores da primeira determinação superiores à média de todo o grupo (ANOVA: F = 8.03; p < 0,0001 para PS e F = 6,33, p <0,0001 para PD). A regressão à média e uma reação de alerta inicial são explicações aventadas para esse fenômeno. CONCLUSÃO. Esses dados demonstram que o diagnóstico de hipertensão arterial não deve ser feito com base em uma única aferição e sugerem que a recomendação de diagnosticar hipertensão severa baseando-se em altos valores das duas primeiras medidas pode classificar erroneamente alguns pacientes.<hr/>It has been recommended to take the average of several blood pressure (BP) determinations with a sphygmomanometer to diagnose hypertension, but there is no agreement on the reading numbers. PURPOSE. Describing the behavior of BP readings taken in three different days to establish the classificatory BP in an outpatient hypertension clinic. METHOD. In the outpatient hypertension clinic of the Clinical Pharmacology Division of the Hospital de Clínicas de Porto Alegre, we use the mean of six readings taken in three different days to establish the classificatory blood pressure, except for those with very high or low values in the first day. In this report we describe the behavior of BP in 58 patients submitted to this routine. RESULTS. The mean of systolic (SBP) and diastolic (DBP) blood pressures decreased from the first to the 6th reading (ANOVA for repeated measurements: F = 4.45, P = 0.001 for SBP and F = 5.54, P < 0.001 for DBP). Afterward, the patients were classified into two groups according their first SBP and DBP reading. The decreasing in both SBP and DBP was confined to those with the first measurement in the upper half of the entire group (ANOVA: F = 8.03; P < 0.0001 for SBP and F = 6.33, P <0.0001 for DBP). Regression to the mean and some reactiveness in the first day are possible explanations for this. CONCLUSION. These data corroborate that the hypertension diagnosis should not be based in an single blood pressure determination and suggest that the recommendation to diagnose severe hypertension based on high values in the first two read-ings could misclassify some patients. <![CDATA[<B>Feocromocitoma</B>: <B>atualização diagnóstica e terapêutica</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42301997000300012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Diversos comitês normativos em hipertensão arterial recomendam considerar a média de várias aferições da pressão arterial com esfigmomanômetro para diagnosticar hipertensão. Não há consenso sobre o número de medidas a serem consideradas. OBJETIVO. Descrever o comportamento da pressão arterial obtida em três dias diferentes, utilizando-se a média de seis aferições para o diagnóstico de hipertensão. MÉTODOS. No ambulatório de hipertensão da Unidade de Farmacologia Clínica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, emprega-se a média de seis determinações, obtidas em três dias diferentes, para diagnosticar e classificar a hipertensão, exceto nos pacientes com valores muito baixos ou elevados nas duas primeiras aferições. Cinqüenta e oito pacientes foram submetidos a essa rotina. RESULTADOS. As médias das pressões sistólica (PS) e diastólica (PD) decresceram da primeira à sexta determinação (ANOVA para medidas repetidas: F = 4,45, p = 0,001 para PS e F = 5,54, p < 0,001 para PD). Os pacientes foram divididos em grupos com PS e PD obtidas na primeira aferição superiores e inferiores à média de todo grupo. A diminuição de ambas as pressões ao longo das seis aferições ficou restrita aos grupos com valores da primeira determinação superiores à média de todo o grupo (ANOVA: F = 8.03; p < 0,0001 para PS e F = 6,33, p <0,0001 para PD). A regressão à média e uma reação de alerta inicial são explicações aventadas para esse fenômeno. CONCLUSÃO. Esses dados demonstram que o diagnóstico de hipertensão arterial não deve ser feito com base em uma única aferição e sugerem que a recomendação de diagnosticar hipertensão severa baseando-se em altos valores das duas primeiras medidas pode classificar erroneamente alguns pacientes.<hr/>It has been recommended to take the average of several blood pressure (BP) determinations with a sphygmomanometer to diagnose hypertension, but there is no agreement on the reading numbers. PURPOSE. Describing the behavior of BP readings taken in three different days to establish the classificatory BP in an outpatient hypertension clinic. METHOD. In the outpatient hypertension clinic of the Clinical Pharmacology Division of the Hospital de Clínicas de Porto Alegre, we use the mean of six readings taken in three different days to establish the classificatory blood pressure, except for those with very high or low values in the first day. In this report we describe the behavior of BP in 58 patients submitted to this routine. RESULTS. The mean of systolic (SBP) and diastolic (DBP) blood pressures decreased from the first to the 6th reading (ANOVA for repeated measurements: F = 4.45, P = 0.001 for SBP and F = 5.54, P < 0.001 for DBP). Afterward, the patients were classified into two groups according their first SBP and DBP reading. The decreasing in both SBP and DBP was confined to those with the first measurement in the upper half of the entire group (ANOVA: F = 8.03; P < 0.0001 for SBP and F = 6.33, P <0.0001 for DBP). Regression to the mean and some reactiveness in the first day are possible explanations for this. CONCLUSION. These data corroborate that the hypertension diagnosis should not be based in an single blood pressure determination and suggest that the recommendation to diagnose severe hypertension based on high values in the first two read-ings could misclassify some patients. <![CDATA[<B>Calorimetria indireta</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42301997000300013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Diversos comitês normativos em hipertensão arterial recomendam considerar a média de várias aferições da pressão arterial com esfigmomanômetro para diagnosticar hipertensão. Não há consenso sobre o número de medidas a serem consideradas. OBJETIVO. Descrever o comportamento da pressão arterial obtida em três dias diferentes, utilizando-se a média de seis aferições para o diagnóstico de hipertensão. MÉTODOS. No ambulatório de hipertensão da Unidade de Farmacologia Clínica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, emprega-se a média de seis determinações, obtidas em três dias diferentes, para diagnosticar e classificar a hipertensão, exceto nos pacientes com valores muito baixos ou elevados nas duas primeiras aferições. Cinqüenta e oito pacientes foram submetidos a essa rotina. RESULTADOS. As médias das pressões sistólica (PS) e diastólica (PD) decresceram da primeira à sexta determinação (ANOVA para medidas repetidas: F = 4,45, p = 0,001 para PS e F = 5,54, p < 0,001 para PD). Os pacientes foram divididos em grupos com PS e PD obtidas na primeira aferição superiores e inferiores à média de todo grupo. A diminuição de ambas as pressões ao longo das seis aferições ficou restrita aos grupos com valores da primeira determinação superiores à média de todo o grupo (ANOVA: F = 8.03; p < 0,0001 para PS e F = 6,33, p <0,0001 para PD). A regressão à média e uma reação de alerta inicial são explicações aventadas para esse fenômeno. CONCLUSÃO. Esses dados demonstram que o diagnóstico de hipertensão arterial não deve ser feito com base em uma única aferição e sugerem que a recomendação de diagnosticar hipertensão severa baseando-se em altos valores das duas primeiras medidas pode classificar erroneamente alguns pacientes.<hr/>It has been recommended to take the average of several blood pressure (BP) determinations with a sphygmomanometer to diagnose hypertension, but there is no agreement on the reading numbers. PURPOSE. Describing the behavior of BP readings taken in three different days to establish the classificatory BP in an outpatient hypertension clinic. METHOD. In the outpatient hypertension clinic of the Clinical Pharmacology Division of the Hospital de Clínicas de Porto Alegre, we use the mean of six readings taken in three different days to establish the classificatory blood pressure, except for those with very high or low values in the first day. In this report we describe the behavior of BP in 58 patients submitted to this routine. RESULTS. The mean of systolic (SBP) and diastolic (DBP) blood pressures decreased from the first to the 6th reading (ANOVA for repeated measurements: F = 4.45, P = 0.001 for SBP and F = 5.54, P < 0.001 for DBP). Afterward, the patients were classified into two groups according their first SBP and DBP reading. The decreasing in both SBP and DBP was confined to those with the first measurement in the upper half of the entire group (ANOVA: F = 8.03; P < 0.0001 for SBP and F = 6.33, P <0.0001 for DBP). Regression to the mean and some reactiveness in the first day are possible explanations for this. CONCLUSION. These data corroborate that the hypertension diagnosis should not be based in an single blood pressure determination and suggest that the recommendation to diagnose severe hypertension based on high values in the first two read-ings could misclassify some patients. <![CDATA[<B>Microsporidiose humana na síndrome de imunodeficiência adquirida</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42301997000300014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Diversos comitês normativos em hipertensão arterial recomendam considerar a média de várias aferições da pressão arterial com esfigmomanômetro para diagnosticar hipertensão. Não há consenso sobre o número de medidas a serem consideradas. OBJETIVO. Descrever o comportamento da pressão arterial obtida em três dias diferentes, utilizando-se a média de seis aferições para o diagnóstico de hipertensão. MÉTODOS. No ambulatório de hipertensão da Unidade de Farmacologia Clínica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, emprega-se a média de seis determinações, obtidas em três dias diferentes, para diagnosticar e classificar a hipertensão, exceto nos pacientes com valores muito baixos ou elevados nas duas primeiras aferições. Cinqüenta e oito pacientes foram submetidos a essa rotina. RESULTADOS. As médias das pressões sistólica (PS) e diastólica (PD) decresceram da primeira à sexta determinação (ANOVA para medidas repetidas: F = 4,45, p = 0,001 para PS e F = 5,54, p < 0,001 para PD). Os pacientes foram divididos em grupos com PS e PD obtidas na primeira aferição superiores e inferiores à média de todo grupo. A diminuição de ambas as pressões ao longo das seis aferições ficou restrita aos grupos com valores da primeira determinação superiores à média de todo o grupo (ANOVA: F = 8.03; p < 0,0001 para PS e F = 6,33, p <0,0001 para PD). A regressão à média e uma reação de alerta inicial são explicações aventadas para esse fenômeno. CONCLUSÃO. Esses dados demonstram que o diagnóstico de hipertensão arterial não deve ser feito com base em uma única aferição e sugerem que a recomendação de diagnosticar hipertensão severa baseando-se em altos valores das duas primeiras medidas pode classificar erroneamente alguns pacientes.<hr/>It has been recommended to take the average of several blood pressure (BP) determinations with a sphygmomanometer to diagnose hypertension, but there is no agreement on the reading numbers. PURPOSE. Describing the behavior of BP readings taken in three different days to establish the classificatory BP in an outpatient hypertension clinic. METHOD. In the outpatient hypertension clinic of the Clinical Pharmacology Division of the Hospital de Clínicas de Porto Alegre, we use the mean of six readings taken in three different days to establish the classificatory blood pressure, except for those with very high or low values in the first day. In this report we describe the behavior of BP in 58 patients submitted to this routine. RESULTS. The mean of systolic (SBP) and diastolic (DBP) blood pressures decreased from the first to the 6th reading (ANOVA for repeated measurements: F = 4.45, P = 0.001 for SBP and F = 5.54, P < 0.001 for DBP). Afterward, the patients were classified into two groups according their first SBP and DBP reading. The decreasing in both SBP and DBP was confined to those with the first measurement in the upper half of the entire group (ANOVA: F = 8.03; P < 0.0001 for SBP and F = 6.33, P <0.0001 for DBP). Regression to the mean and some reactiveness in the first day are possible explanations for this. CONCLUSION. These data corroborate that the hypertension diagnosis should not be based in an single blood pressure determination and suggest that the recommendation to diagnose severe hypertension based on high values in the first two read-ings could misclassify some patients. <![CDATA[<B>Mesotelioma maligno de pleura com associação etiológica a asbesto</B>: <B>a propósito de três casos clínicos</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42301997000300015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O mesotelioma maligno de pleura (MM) é tumor de ocorrência rara em nosso meio e tem-se mostrado, quando em elevada incidência, relacionado à exposição pregressa a asbesto ou amianto nas séries descritas em outros países. OBJETIVO. A partir de casos clínicos atendidos no Hospital de Clínicas da Unicamp, procurou-se evidenciar tal associação epidemiológica, visando alertar profissionais médicos quanto à possível elevação da incidência de tal tumor nesta década e, futuramente, por características próprias da história natural desse tipo de tumor. MÉTODOS. São descritos três casos de MM de pleura ocorridos na região de Campinas, SP, num período de dois anos, dos pontos de vista clínico, laboratoriais complementares e anatomopatológico, incluindo minuciosa investigação anamnésica ocupacional e ambiental. RESULTADOS. Todos os casos foram confirmados do ponto de vista anatomopatológico, incluindo microscopia eletrônica, como casos de MM. Os três casos mostraram relação epidemiológica, comprovada por meio de história ocupacional, com exposição a asbesto no passado. Um dos casos teve exposição ocupacional pregressa de curta duração (cerca de um ano); outro teve exposição doméstica a partir de asbesto trazido do ambiente de trabalho por seu pai, durante sua infância, e o terceiro caso com contaminação ocupacional indireta. CONCLUSÃO. A ocorrência de MM de pleura relacionada à exposição a asbesto, no passado, parece ser realidade em nosso meio, como mostram estes três casos clínicos. Destaca-se a necessidade da anamnese ocupacional e ambiental detalhadas na abordagem desses casos, alertando-se para maior atenção no diagnóstico dos tumores primários da pleura e do peritônio, nos próximos anos, em função de provável aparecimento de novos casos relacionados a exposição a asbesto pregressa, tendo em vista o intervalo de tempo entre o início da manipulação do asbesto em nosso país e o aparecimento destes primeiros casos coincidir com o tempo de latência médio esperado para a ocorrência de MM. Destacam-se, ainda, as necessidades de definição precisa de critérios diagnósticos, para esse tipo de tumor, e criação de registro centralizado de casos.<hr/>Diffuse Malign Mesotheliomas (DMM) has a low background prevalence. High incidences of this tumor have been related to asbestos exposure in the past. PURPOSE. To describe and discuss three clinical cases treated in our hospital, in which precise histopathologic diagnosis was made, and detailed occupational and environmental histories were taken, trying to identify in their past some kind of asbestos exposure. METHODS. Three cases of DMM are described. Diagnosis was confirmed by histochemical analysis and electronmicroscopy. Detailed occupational and environmental histories were taken from subjects and their families, searching for past contact with asbestos. RESULTS. The cases were diagnosed in a short period of time (two years), in a region of the country where many asbestos cement plants are located since the mid sixties. Skillful histological procedures were used. From these cases we found out that one had a twelve months period of exposure, 24 years before, in one of those plants. Another patient had an exposure for three years, as a bystander, in the same plant (also 24 years before) and a third patient was contaminated by asbestos brought home by his father in the 1950s (latency period of 30 years). All cases were histochemically studied and diagnosis confirmed by the presence of microvilli at electronmicroscopic examination. CONCLUSIONS. These three cases seem to confirm the existence of the epidemiologic association with asbestos exposure in our country. Definition of diagnosis criteria, centralization of cases registry and the necessity of more attention to this kind of asbestos related disease are discussed and stressed, as many new cases like those described are thought to occur in the near future, as the latency period of the disease seems to match with that of industrial asbestos manipulation in Brazil.