Scielo RSS <![CDATA[Revista da Associação Médica Brasileira]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-423020010004&lang=pt vol. 47 num. 4 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Automedicação</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>STI571 (Glivec<SUP><FONT FACE=Symbol>Ò</SUP></FONT>), nova droga para o tratamento da leucemia mielóide crônica</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>O diagnóstico por imagem no abdome agudo</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Economia da atenção à saúde ou economia da saúde?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Cautela na prescrição de derivados da soja (ipriflavona) após a menopausa</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Vasopressina, uma nova perspectiva para o manejo do choque séptico</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Hipertensão endócrina</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Exame clínico de mama como alternativa ao rastreamento por mamografia</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Princípios éticos para o não tratamento de pacientes com câncer da cabeça e pescoço</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Prevenção dos defeitos de fechamento do tubo neural</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Trombose venosa cerebral</B>: <B>como identificá-la?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Doente portador de condiloma acuminado perianal recidivante</B>: <B>o que fazer?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>O tumor de ovário pode ser abordado por videolaparoscopia?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Quais as medidas imediatas no choque anafilático?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>A progesterona natural é a droga de eleição na prevenção primária do nascimento prematuro?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Qual a conduta terapêutica antifúngica mais segura na criança gravemente enferma?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>A criança e o diagnóstico</B>: <B>o pediatra deve contar à criança doente seu diagnóstico?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400017&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Prevenção da transmissão vertical do HIV</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400018&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Cetoacidose diabética</B>: <B>considerações sobre o tratamento</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400019&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Videotoracoscopia no trauma de tórax</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400020&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Programa de Saúde da Família</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400021&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Recomendações da <I>American Heart Association</I> sobre terapêutica de reposição hormonal no climatério e prevenção secundária</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400022&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Normas para redução da mortalidade materna</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400023&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Hormônio do crescimento</B>: <B>parte I</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400024&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Diagnóstico e conduta na ruptura traumática da aorta torácica</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400025&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Utilização de recursos e custos em osteoporose</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400026&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Utilização de recursos e custos em osteoporose</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400027&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<b>Sede</b>: <b>onde estamos?</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400028&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <link>http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400029&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt</link> <description/> </item> <item> <title/> <link>http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400030&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt</link> <description/> </item> <item> <title><![CDATA[<b>Estudo comparativo das complicações terapêuticas no Lúpus Eritematoso Sistêmico e nas glomerulopatias idiopáticas</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400031&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A utilização terapêutica de doses elevadas de imunossupressores pode promover diversas complicações, principalmente infecciosas. OBJETIVOS: Avaliar as complicações secundárias ao uso de corticóide e ciclofosfamida em portadores de nefropatias. MÉTODOS: Foram estudados retrospectivamente 76 pacientes atendidos no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu -- UNESP, sendo divididos em três grupos: G1= Lúpus Eritematoso Sistêmico sem lesão renal (n=15); G2= nefrite lúpica (n=33) e G3= síndrome nefrótica por glomerulopatia idiopática (n=28). RESULTADOS: Não houve diferença em relação ao tempo de acompanhamento (G1= 42,4 ± 51, G2= 52,3 ± 51, G3= 41,8 ± 47,8 meses), dose total de corticóide utilizada (G1= 20, G2= 28, G3= 16 gramas) e tempo de uso da droga (G1= 20, G2= 26, G3= 14,5 meses). Quanto ao uso de ciclofosfamida, não houve diferença na percentagem de pacientes que a utilizaram (13% no G1, 51% no G2, 28% no G3), porém pacientes do G1 receberam dose total menor que G2 (mediana de zero e um grama, respectivamente -- p<0.05). Aspecto cushingóide, manifestações gástricas, distúrbios comportamentais, diabetes mellitus e alterações oculares ocorreram nos três grupos, sem diferença estatística. Quanto às complicações infecciosas, aquelas consideradas clinicamente mais graves, foram mais freqüentes no G2 (G1= 6%, G2= 15%, G3= 0% - p<0.05), o mesmo ocorrendo em relação aos óbitos (7% no G1, 30% no G2, 0% no G3 -- p<0.05). CONCLUSÕES: Pacientes portadores de nefrite lúpica apresentaram maior freqüência de complicações infecciosas decorrentes da imunossupressão prolongada, o que pode representar um marcador de gravidade deste tipo de lesão.<hr/>PURPOSE: To evaluate the therapeutic complications due to the use of immunosupressors in patients with nephropathy. METHODOS: 76 patients who had used steroids and cyclophosphamide were retrospectively studied. The cases were divided into three groups: G1= 15 patients with Systemic Lupus Erythematosus without renal lesion; G2= 33 patients with lupus nephritis and G3= 28 patients with nephrotic syndrome owing to idiopathic glomerulopathy. RESULTS: There were no differences related to time of follow up (G1= 42.4 ± 51, G2= 52.3 ± 51, G3= 41.8 ± 47.8 months), total used dosage of steroids (G1= 20, G2= 28, G3= 16 grams) and time of drug use (G1= 20, G2= 26, G3= 14.5 months). About cyclophosphamide use, there was no difference in the percentage of patients who used it (13% in G1, 51% in G2, 28% in G3), but the patients from G1 received lower total dosage than those from G2 (p<0.05). Cushingoid appearance, epigastric distress, psychiatric disorders, diabetes mellitus and ocular alterations occurred in all the three groups, with no statistically significant differences. The infections complications, those considered more severe clinically, were more frequent in G2 (G1= 6%, G2= 15%, G3= 0% - p<0.05), the same occurring with the deaths (7% in G1, 30% in G2, 0% in G3 -- p<0.05). CONCLUSION: In patients with lupus nephritis there were more infections complications owing to prolonged immunosuppresion what may indicate a severity marker of this type of lesion. <![CDATA[<b>Colpocitologia em ambulatório de ginecologia preventiva</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400032&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVOS: Avaliar os resultados de colpocitologia oncótica de mulheres atendidas em ambulatório de ginecologia preventiva (Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo). MÉTODOS: Foram estudadas 6821 mulheres submetidas a exame clínico e ginecológico com realização de colpocitologia oncótica pela técnica de Papanicolaou. Estas mulheres foram consideradas conforme a faixa etária em três grupos: abaixo de 40 anos, entre 41 e 60 anos e acima de 60 anos. RESULTADOS: Amaioria das mulheres reconhecem tanto a necessidade da colpocitologia como sua periodicidade, principalmente entre as mais jovens. As mulheres acima de 60 anos eram as que mais referiam (54,1%) não conhecer a necessidade da colpocitologia oncótica, nem sua periodicidade (58,8%); o grupo que melhor referia conhecimento da necessidade e periodicidade da colpocitologia oncótica foi o de mulheres entre 40 e 60 anos. O material foi considerado insuficiente para análise em 15,1% ou inadequado em 1,1%, sendo os resultados: classe I (21,7%), II (59,9%), III (2,0%), IV (0,1%) e V (0,1%). Não houve diferença significativa em relação à distribuição dos casos de neoplasia intraepitelial (NIC) entre as faixas etárias. O achado microbiológico mais freqüente foi Gardnerella sp. (8,6%). Presença de papilomavírus humano (HPV) foi significativamente menor nas mulheres acima de 60 anos. CONCLUSÕES: O diagnóstico de alterações colpocitológicas relacionadas a neoplasias foi de 2,2% com detecção de Gardnerella sp. como o agente microbiológico mais prevalente por este método. A distribuição de infecção pelo HPV mostrou declínio com o aumento da faixa etária. As mulheres mais velhas foram as que menos apresentavam conhecimento sobre a realização de colpocitologia.<hr/>BACKGROUND: evaluate the results of Pap smear in women attended at a gynecology preventive ambulatory (University of São Paulo Medical School Clinical Hospital). METHODS: 6821 women were submitted to a medical interview, clinical and gynecologic exam. Cervical and vaginal cytology (Pap smear) were analyzed according to the Papanicolaou method and classification. All women were grouped according to their age into three categories:under 40 years old, between 41 and 60 years and over 60 years. RESULTS: most of them, and mainly the younger ones, had been submitted to a previous Pap smear in a period shorter than 1 year (44.2%). The majority of women recognized the usefulness of the exam and knew its interval; the group that best knew its importance and interval was the one with ages between 41 and 60 years, while most women over 60 years did not know both its importance and interval. Cytological material was considered insufficient for analysis in 15,1% and inadequate in 1.1%, and for those with adequate material results were classes I (21.7%), II (59.9%), III (2.0%), IV (0.1%) and V (0.1%). Distribution of cervical intraepithelial neoplasia (CIN) were similar in the three groups. The main microbiologic findings was Gardnerella sp. (8,6%) and Human papillomavirus (HPV) incidence was significantly lower among women over 60 years. CONCLUSION: Cytological diagnoses of neoplastic modifications were performed in 2,2% and Gardnerella sp. was the most prevalent microbiologic agent. Distribution of HPV showed a decrease with age. Older women had lower knowledge on the importance of regular Pap smear examination. <![CDATA[<b>Aplicação clínica do retalho fáscio-cutâneo da região posterior da coxa em V-Y</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400033&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Analisar a aplicabilidade do retalho fáscio-cutâneo em V-Y da região posterior da coxa na reparação de lesões isoladas ou múltiplas nas regiões glútea e perineal. MÉTODO: Foram submetidos a tratamento cirúrgico 20 pacientes, portadores de 25 úlceras nas regiões glútea e perineal, sendo 23 delas úlceras por pressão, um pós-abscesso perianal e um pós-trauma perineal. Em todos os pacientes a reparação foi realizada com o retalho fáscio-cutâneo da região posterior da coxa. O retalho foi confeccionado com base súpero-lateral, preservando-se os ramos fáscio-cutâneos das artérias glútea inferior, primeira e segunda perfurantes no tratamento de úlceras isquiáticas. Nas associações de úlcera isquiática com úlcera sacral, adicionou-se ao retalho uma extensão fáscio-cutânea da região glútea para tratamento cirúrgico em tempo único. Foi realizado retalho com base súpero-medial, preservando-se o ramo fáscio-cutâneo da artéria glútea inferior no tratamento das úlceras trocantéricas. Nas associações com úlcera sacral, acrescentou-se ao retalho posterior da coxa uma extensão fáscio-cutânea da região glútea, que permitiu o fechamento de todas as úlceras em um só tempo cirúrgico. Nas associações de úlceras trocantéricas e isquiáticas, realizou-se o retalho com base superior, preservando-se o ramo fáscio-cutâneo da artéria glútea inferior. RESULTADOS: Não houve necrose do retalho. As complicações imediatas foram três infecções, uma deiscência e um hematoma. Num período de seguimento de 6 meses a 29 meses, houve recidiva de seis úlceras (6/24 = 25,0%) em cinco pacientes (5/19 = 26,32%). Um paciente foi perdido neste seguimento. CONCLUSÃO: Conclui-se que o retalho fáscio-cutâneo posterior da coxa, em V-Y, pode ser utilizado com segurança no tratamento de lesões isoladas ou múltiplas das regiões glútea e perineal.<hr/>PURPOSE: To analyze the clinical applicability of one-stage treatment of single or multiple sores using the V-Y posterior thigh fasciocutaneous flap. METHODS: Twenty patients were treated, having 25 ulcers in the gluteal and perineal regions, being 23 pressure ulcers, 1 perianal abscess and 1 perineal trauma. In all of the patients the repair was carried out with a fasciocutaneous flap from the posterior region of the thigh. The flap was made with a superior and lateral base, preserving the fasciocutaneous branches of the inferior gluteal arteries, first and second perforating, in the treatment of ischial ulcers. In the associations of the same with sacral ulcer, a fasciocutaneous extension from the gluteal region was added to the flap for a one and only surgical procedure. A superior and medial based flap was made, preserving the fasciocutaneous branch of the inferior gluteal artery in the treatment of the trochanteric ulcers. In the associations with sacral ulcer a fasciocutaneous extension from the gluteal region was added to the posterior thigh flap which permitted the closure of all ulcers in only one surgical procedure. In the associations of trochanteric and ischial ulcers a flap with a superior base was made, preserving the fasciocutaneous branch of the inferior gluteal artery. RESULTS: There was no necrosis of the flap. The immediate complications were 3 infections, 1 dehiscences and 1 hematoma. In a follow-up period of 6 months to 29 months, with one patient being lost to follow up, there were 6 recurrences 6/24 (25.0%) in 5 patients 5/19 (26.32%). CONCLUSION: We conclude that the posterior fasciocutaneous thigh flap, in V-Y, can be used with safety in the treatment of isolated or multiple ulcers in the gluteal and perineal regions. <![CDATA[<b>Ensino médico e promoção à saúde em creche comunitária</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400034&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVOS: Apresentar a experiência de um trabalho comunitário em creche de 410 crianças, vinculada a uma instituição católica e que se constitue em aulas práticas da disciplina Políticas de Saúde em curso de graduação em medicina. MÉTODOS: Através de conversa informal e brincadeiras, realiza-se observação clínico-epidemiológica e levantamento de necessidades de saúde de crianças de três meses a seis anos. RESULTADOS: Foram diagnosticados quatro temas relevantes para a clientela : higiene, saúde bucal, saúde ocular e dependência química em pessoas da família. Para abordar essas questões, organizou-se evento educativo interativo constituído de dramatização; gincana; filme e laboratório com peças anatômicas artificiais. CONCLUSÕES: Essas atividades proporcionaram oportunidade ao acadêmico de medicina de vivenciar uma realidade social até então pouco conhecida, e trabalhar sentimentos e compromisso com a saúde no nível coletivo.<hr/>PURPOSE: The authors present a community work experience in a 410 children Catholic day nursery institution. METHODS: Through non-structured interview and play, clinical-epidemiological observation and a survey of the health needs of three months to six years old children were made. RESULTS: Four relevant themes were identified for the population: hygiene, oral health, ocular health and substance abuse in some family members. In order to deal with these matters, an interactive educational program was organized which included acting activities, films, competitions and laboratory activities with artificial anatomic shapes. CONCLUSION: These activities give the medical student the opportunity to get acquainted with the not very well known social reality and be committed to the public health. <![CDATA[<b>Modos de morrer na UTI pediátrica de um hospital terciário</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400035&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Determinar a prevalência dos diferentes modos de morrer e identificar limites terapêuticos em pacientes de uma Unidade de Tratamento Intensivo Pediátrica (UTIP) de hospital universitário. MÉTODOS: Estudo retrospectivo, baseado na revisão de prontuários dos pacientes que morreram na UTIP do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, no período de 1&ordm; julho de 1996 a 30 junho de 1997. Para modo de morrer, adotou-se critérios de: não resposta às medidas de ressuscitação cardiorrespiratória (NRRST), morte cerebral (MC), retirada/não-adoção de medidas de suporte de vida (R/NASV) e decisão de não reanimar (DNR). Para causa de morte, adotou-se critério de falências de órgãos. RESULTADOS: Dos 61 óbitos ocorridos no período, entraram no estudo 44 pacientes, cuja mediana de idade foi 28 meses. Todos tiveram como causa de morte a falência de múltiplos órgãos. Vinte e seis pacientes (59%) eram do grupo I (NRRST e MC), enquanto 18 (41%) do grupo II (R/NASV e DNR). No grupo II, 83% dos pacientes tinham doença crônica e/ou debilitante (p = 0,017; chi&sup2;). Os motivos de admissão mais prevalentes foram necessidade de terapias de suporte (55%), ventilatória e cardiocirculatória, sem diferença estatística entre os grupos. A mediana do tempo de permanência na UTI foi de 5 dias, e no hospital, de 11 dias, sem significância estatística entre os dois grupos. CONCLUSÕES: Observou-se alta prevalência de modos de morrer R/NASV e DNR nos pacientes de UTIP avaliados, sugerindo condutas de limitação terapêutica para eles. Não se conseguiu avaliar o nível de participação da equipe e da família nesse processo de tomada de decisões.<hr/>BACKGROUND: To determine the prevalence of different modes of death and to identify therapeutic limitations in patients admitted to the Pediatric Intensive Care Unit (PICU) at a teaching hospital. METHODS: A retrospective study was carried out. Information was collected from the medical records of patients who died at the PICU of Hospital de Clínicas de Porto Alegre between July 1st, 1996 and June 30th, 1997. Four modes of death were considered: patient not responding to cardiopulmonary resuscitation methods (NRCPR), brain death (BD), withdrawal / withhold life-support measures (W/WLS) and decision not to resuscitate (DNR). For cause of death we employed the criterion of organ failure. RESULTS: Out of 61 deaths occurred during the period under analysis, 44 patients were included in the study. Patient age median was 28 months. The cause of death for all patients was multiple organ failure. Twenty-six patients (59%) were classified in group I (NRCPR and BD) and 18 (41%) in group II (W/WLS and DNR). Among patients of group II, 83% had a chronic and/or debilitating disease (p = 0.017; chi²). The prevalent reason for patient admission was the need for organ support (55%), both respiratory and cardiovascular. The median for duration of patient stay at the PICU was 5 days and at the hospital was 11 days. There was no statistically significant difference between the two groups in terms of reason for patient admission or duration of PICU/hospital stay. CONCLUSIONS: There was a high prevalence of W/WLS and DNR deaths among ICU patients, thus suggesting therapeutic limitation for them. We were unable to evaluate the level of participation by the medical team and by the family in this decision making process. <![CDATA[<b>Prescrição de medicamentos para crianças hospitalizadas</b>: <b>como avaliar a qualidade?</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400036&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Pacientes pediátricos, chamados "órfãos terapêuticos", são geralmente excluídos de ensaios clínicos para desenvolvimento de novos medicamentos, os quais são usados em crianças de modo empírico e muitas vezes questionável. Este estudo descreve o padrão de prescrição de medicamentos para crianças hospitalizadas e propõe critérios para avaliar a qualidade da prescrição. MÉTODOS: O farmacêutico hospitalar determinou a prevalência de prescrição de medicamentos em cinco enfermarias pediátricas, a partir da análise conjunta de dados reunidos em quatro coletas de um dia, nos meses de março, abril, maio e junho de 1999, quando foram registrados todos os medicamentos prescritos nas enfermarias em estudo. Foram propostos seis critérios para avaliar a qualidade das prescrições. Os medicamentos foram classificados pela ATC, classificação recomendada pela OMS. RESULTADOS: Foi analisada a prescrição de 332 pacientes. Os diagnósticos mais freqüentes foram pneumonia (40,4%), meningite e meningococcemia 6%, diarréia e desidratação 6%. As três classes terapêuticas mais prescritas foram: sistema nervoso (N) 109%, antiinfecciosos de uso sistêmico (J) 81,9% e sistema respiratório ( R ) 69%. Os três medicamentos mais prescritos foram dipirona 88,3%, fenoterol 30,7% e penicilina G 25,0%. A avaliação da qualidade, frente aos critérios propostos, mostrou: 1. excessivo uso da via endovenosa, 2. adequada dose dos medicamentos de baixo índice terapêutico, 3. nenhuma duplicação terapêutica, 4. presença de prescrição de medicamentos não aprovados para uso em pediatria ou para indicações não aprovadas, 5. freqüentes interações medicamentosas potenciais, e 6. prescrição de medicamentos não padronizados pela instituição. CONCLUSÃO: Medidas simples, como o uso mais criterioso da via intravenosa e padronização adequada às necessidades dos pacientes pediátricos, podem acrescentar qualidade ao atendimento de crianças hospitalizadas e diminuir o seu desconforto. O trabalho mostra o resultado da integração do farmacêutico hospitalar na equipe multiprofissional de saúde.<hr/>BACKGROUND: Pediatric patients called "therapeutic orphans" are usually excluded from clinical trials for development of new drugs, which, sometimes, are used empirically. This study evaluates the prescriptions for pediatric inpatients, and proposes criteria for evaluation of the quality of the prescriptions. METHODS: The hospital pharmacist determined the prevalence of drug prescription in five pediatric wards. One day collection of all prescriptions for pediatric inpatients was performed in March, April, May and June 1999, and the data were jointly analyzed. Six criteria were proposed for quality evaluation of the drug prescriptions. The drugs were classified according to the ATC classification index. RESULTS: The prescriptions of a total of 322 patients were collected in the four collection days. The three most common diagnoses were: pneumonia 40.4%, meningitis and meningococcemia 6%, diarrhea and dehydration 6%. The three most prescribed therapeutic classes were: nervous system (N ) 109%, general antiinfectives for systemic use ( J ) 81.9% and respiratory system ( R ) 69,0%. The three most prescribed drugs were: metamizole 88.3%, fenoterol 30.7% and penicillin G 25.0%. The quality evaluation showed 1. an excessive use of the intravenous route, 2. appropriate dose schedule for drugs with narrow therapeutic index, 3. no therapeutic duplication, 4. prescription of unapproved and off-label drugs, 5. frequent potential adverse drug interactions, and 6. prescription of drugs not in the therapeutic formulary of the hospital. CONCLUSION: Very simple measures can improve the quality of the health care of pediatric inpatients as inclusion of adequate drug presentations in the hospital formulary, and a careful evaluation of the need of the intravenous route. This study also shows the hospital pharmacists acting as part of the multidisciplinary health care team. <![CDATA[<b>A mulher coronariopata no climatério após a menopausa</b>: <b>implicações na qualidade de vida</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400037&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVOS: Avaliar a qualidade de vida em mulheres com doença isquêmica do coração no climatério após a menopausa. MÉTODOS: O estudo incluiu 100 mulheres após a menopausa, sendo 50 portadoras de doença arterial coronária (DAC) em seguimento no Instituto do Coração (InCor) HC-FMUSP e 50 que não apresentavam doenças associadas (grupo controle) atendidas no Centro de Saúde Escola Geraldo de Paula Souza da FSP - USP. A qualidade de vida foi avaliada mediante a utilização de dois instrumentos: uma entrevista estruturada e a aplicação do questionário genérico de avaliação de qualidade de vida ( SF - 36 ). RESULTADOS: Os grupos eram homogêneos em relação à idade da última menstruação: 49 &plusmn;3,9 anos na DAC e 49,2&plusmn;3 anos no grupo controle. Os grupos também eram similares quanto à escolaridade: 84% possuíam primeiro grau (completo ou incompleto); estado civil: casadas 64% das DAC e 45% do grupo controle e viúvas 18% da DAC e 24% das controle. A atividade profissional fora do lar foi significativamente mais freqüente no grupo controle (52%) e 14% nas DAC (p=0,0001). Ambos os grupos demonstraram percepções semelhantes no que se refere à sexualidade. A avaliação da qualidade de vida pelo SF - 36 mostrou melhores resultados no grupo controle em relação a: capacidade física (84 vs 50,5 na DAC); aspectos físicos (84 vs 45,5); estado geral de saúde (87,2 vs 59,1); vitalidade (69,7 vs 51,4) e escore total dos componentes mentais (70,4 vs 58,6). CONCLUSÃO: A coronariopatia interfere na qualidade de vida das mulheres após a menopausa, limitando a capacidade física e o desempenho das atividades da vida diária, além de intensificar as dificuldades emocionais desse período.<hr/>PURPOSE: To analyse the quality of life of post menopausal women with coronary artery disease. METHODS: The population consisted of 100 women, divided into 2 groups. The firstgroup made up of 50 women whose average age was 58 &plusmn; 4,2 years with > stable coronary artery disease (CAD) proved by angiography undergoing treatment at The Heart Institute (InCor) - University of São Paulo Medical School, Brazil (CAD group). This group was compared with 50 women (55.1&plusmn;5.4 years old) without clinical evidence of coronary artery disease (control group) from a primary health care center, Centro de Saúde Escola Geraldo de Paula Souza, São Paulo - FSP- USP. The quality of life was assessed by a structured interview and by Medical outcomes study 36-item short-form health survey (SF-36) validated to the Brazilian population. RESULTS: They were homogenous regarding age of the last menstruation period: 49&plusmn;3.9 years old in CAD and 49.2&plusmn;3 years old in controls. The groups were also similar in education level, marital status (64% of CAD and 45% of controls were married; and 18% of CAD and 24% of controls were widowhood). The active working satatus was more frequent in controls than in CAD (52% vs. 14%; p= 0.0001). Both groups showed similar perceptions in their sexual experience. The evaluation of quality of life by SF-36 showed better scores for the control group in: physical functioning (84 vs. 50.5), role physical (84 vs. 45,5) , general health (87.2 vs. 59.1), vitality (69.7 vs. 51,4), p<0.0001; and total score of mental components (70.4 vs. 58.6), p = 0.028. CONCLUSION: Coronary artery disease alters the quality of life of climacteric women by limiting the physical capacity to perform ordinary daily activities and by intensifying emotional conflicts usually present in this phase of life. <![CDATA[<b>Avaliação da maturidade fetal em gestações de alto risco</b>: <b>análise dos resultados de acordo com a idade gestacional</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400038&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Estudar a avaliação da maturidade fetal em gestações de alto risco e analisar os resultados neonatais. MÉTODOS: Entre julho de 1998 e agosto de 1999 foram realizadas, no Setor de Vitalidade Fetal da Clínica Obstétrica do HC-FMUSP, 180 amniocenteses para avaliação da maturidade fetal, sendo realizados os testes de Clements em três tubos e a contagem de células orangiófilas coradas com Azul de Nilo a 0,1%. Os resultados perinatais foram correlacionados com a maturidade fetal em 75 casos cujo parto ocorreu até sete dias após a punção. RESULTADOS: Na macroscopia, 91% das amostras apresentavam líquido amniótico claro, 3,3% meconial e 5,6% hemorrágico. A maturidade foi observada em 28% dos exames realizados. Na avaliação dos resultados perinatais, quando a maturidade estava ausente, a necessidade de intubação do recém-nascido ocorreu em três casos (13%) e nos fetos maduros isto ocorreu em um caso (2,5%) (p<0,05). A necessidade de internação em UTI neonatal ocorreu em 65% dos recém-nascidos que apresentavam líquido imaturo e em apenas 10% dos maduros (p<0,0001). CONCLUSÕES: Os recém-nascidos das gestantes com maturidade fetal presente apresentaram com menor freqüência necessidade de intubação na sala de parto e de internação em UTI neonatal, demonstrando menor morbidade perinatal. Entre a 29&ordf; e a 32&ordf; semana de gestação, foram observados cerca de 10% de fetos maduros, demonstrando que, quando necessário, a avaliação da maturidade pode ser realizada neste período da gravidez. Não observamos casos com maturidade fetal abaixo de 29 semanas, limitando a realização deste exame neste período.<hr/>BACKGROUND: To study, in high risk pregnancies, the results of fetal maturity evaluation, and analyze the perinatal results. METHODS: Between July 1998 and August 1999, 180 amniocentesis were performed at the Fetal Surveillance Unit to assess fetal maturity. The amniotic fluid exams included Shake Test and orange cells counting. The perinatal results were correlated to fetal maturity in the 75 cases that delivery occurred until 7days after the amniotic fluid analysis. RESULTS: The macroscopic aspects showed 91% of clear amniotic fluid 33% of hemorragic, and 3.3% of meconial fluid. The fetal maturity was evidenced at 28% of analyzed exams. When the fetus was immature, 13% of newborn required artificial ventilation at birth and 65% were allocated at the neonatal intensive care unit. Between the mature fetuses, only one (2.5%) required artificial ventilation at birth and 10% were allocated at the neonatal intensive care unit (p<0.05). CONCLUSIONS: The fetal maturity was associated to less newborn interventions. Between the 29th and 32nd weeks 10% of amniotic fluid analysis showed maturity, providing that, when necessary, the amniotic fluid sample study can be performed at these periods. No cases of fetal maturity were diagnosed before 29th week. <![CDATA[<b>Utilização de recursos e custos em osteoporose</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400039&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A osteoporose é uma doença caracterizada por baixa massa óssea e deterioração da microarquitetura do tecido ósseo, com conseqüente aumento da fragilidade óssea e suscetibilidade a fraturas . Os recursos utilizados no tratamento de fraturas por osteoporose são siginificativos e com custos elevados. OBJETIVO: Dimensionar a utilização de recursos e custo anual por pacientes com osteoporose pós-menopausa. MÉTODOS: Cem pacientes foram consecutivamente selecionados do ambulatório de doenças osteometabólicas da Universidade Federal de São Paulo-Escola Paulista de Medicina (UNIFESP-EPM), entre abril de 1997 a agosto de 1998. Os critérios de inclusão foram: osteoporose pós-menopausa (OMS, 1994) há pelo menos um ano; mínimo de um ano em acompanhamento ambulatorial; mínimas condições de entendimento e expressão verbal para responder aos questionários. Características socio-econômicas, clínicas, utilização de recursos e custos no último ano foram levantadas através de entrevistas empregando-se dois questionários. Os custos unitários dos recursos utilizados no Serviço Público de Assistência à Saúde basearam-se na Tabela SUS de agosto de 1998. RESULTADOS: A média de idade foi 65,85 anos e a renda familiar média-mensal, R$ 534,14. Foram realizadas em média sete consultas/paciente/ano. Das pacientes, 77% usaram cálcio e 38% estrógenos por algum período durante o último ano. Os custos médios totais anuais para o tratamento das pacientes com osteoporose pós-menopausa, sob a perspectiva da sociedade, no Sistema Público em São Paulo, foram de R$ 908,18/paciente/ano. CONCLUSÃO: Os custos com o tratamento de osteoporose pagos pelas pacientes representaram 11% da renda familiar mensal média (R$ 534). Em função do envelhecimento da população e aumento da incidência de osteoporose, políticas de alocação racional de recursos basedas em análises econômicas devem ser implementadas.<hr/>BACKGROUND: Osteoporosis is characterized by low bone mass, deterioration of the microarchitecture of the bone tissue and increase susceptibility to fractures. Clinical manifestations are fractures and their complications. The most common fractures are hip,spine and wrist, although any bone is susceptible. OBJECTIVES: To assess the resource utilization and the annual costs incurred by patients with postmenopausal osteoporosis METHODS: One hundred consecutive patients were studied in the Universidade Federal de São Paulo. The inclusion criteria were: postmenopausal osteoporosis (WHO 1994) for at least one year b) at least one year attending the outpatient clinic, minimal comprehensive and speaking conditions.The socioeconomic and clinical characteristics, the resource utilization and costs in the last year were assessed using 2 questionnaires. The unitary costs were based in the Public Healthcare System Index (1998). RESULTS:The mean age was 66 years and the monthly family income was R$ 534.14 (US$ 456 -<FONT FACE=Symbol></FONT>in 1998). There was a mean of 7 visits/patient/ year. 77% of the patients used calcium and 38% used estrogens. The mean total annual costs for osteoporosis treatment, considering societal perspective, were R$ 908.18 (US$ 776-in 1998) per patient per year. CONCLUSION: The costs related to osteoporosis treatment represented 11% of the mean monthly household income from the patients' perspective (R$ 534=US$ 456). As the population is ageing and the osteoporosis incidence is increasing, health policy should be implemented to rationally allocate the scarce resources available, based on economic analysis. <![CDATA[<b>Novas estratégias de ventilação mecânica na lesão pulmonar aguda e na Síndrome da Angústia Respiratória Aguda</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000400040&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A osteoporose é uma doença caracterizada por baixa massa óssea e deterioração da microarquitetura do tecido ósseo, com conseqüente aumento da fragilidade óssea e suscetibilidade a fraturas . Os recursos utilizados no tratamento de fraturas por osteoporose são siginificativos e com custos elevados. OBJETIVO: Dimensionar a utilização de recursos e custo anual por pacientes com osteoporose pós-menopausa. MÉTODOS: Cem pacientes foram consecutivamente selecionados do ambulatório de doenças osteometabólicas da Universidade Federal de São Paulo-Escola Paulista de Medicina (UNIFESP-EPM), entre abril de 1997 a agosto de 1998. Os critérios de inclusão foram: osteoporose pós-menopausa (OMS, 1994) há pelo menos um ano; mínimo de um ano em acompanhamento ambulatorial; mínimas condições de entendimento e expressão verbal para responder aos questionários. Características socio-econômicas, clínicas, utilização de recursos e custos no último ano foram levantadas através de entrevistas empregando-se dois questionários. Os custos unitários dos recursos utilizados no Serviço Público de Assistência à Saúde basearam-se na Tabela SUS de agosto de 1998. RESULTADOS: A média de idade foi 65,85 anos e a renda familiar média-mensal, R$ 534,14. Foram realizadas em média sete consultas/paciente/ano. Das pacientes, 77% usaram cálcio e 38% estrógenos por algum período durante o último ano. Os custos médios totais anuais para o tratamento das pacientes com osteoporose pós-menopausa, sob a perspectiva da sociedade, no Sistema Público em São Paulo, foram de R$ 908,18/paciente/ano. CONCLUSÃO: Os custos com o tratamento de osteoporose pagos pelas pacientes representaram 11% da renda familiar mensal média (R$ 534). Em função do envelhecimento da população e aumento da incidência de osteoporose, políticas de alocação racional de recursos basedas em análises econômicas devem ser implementadas.<hr/>BACKGROUND: Osteoporosis is characterized by low bone mass, deterioration of the microarchitecture of the bone tissue and increase susceptibility to fractures. Clinical manifestations are fractures and their complications. The most common fractures are hip,spine and wrist, although any bone is susceptible. OBJECTIVES: To assess the resource utilization and the annual costs incurred by patients with postmenopausal osteoporosis METHODS: One hundred consecutive patients were studied in the Universidade Federal de São Paulo. The inclusion criteria were: postmenopausal osteoporosis (WHO 1994) for at least one year b) at least one year attending the outpatient clinic, minimal comprehensive and speaking conditions.The socioeconomic and clinical characteristics, the resource utilization and costs in the last year were assessed using 2 questionnaires. The unitary costs were based in the Public Healthcare System Index (1998). RESULTS:The mean age was 66 years and the monthly family income was R$ 534.14 (US$ 456 -<FONT FACE=Symbol></FONT>in 1998). There was a mean of 7 visits/patient/ year. 77% of the patients used calcium and 38% used estrogens. The mean total annual costs for osteoporosis treatment, considering societal perspective, were R$ 908.18 (US$ 776-in 1998) per patient per year. CONCLUSION: The costs related to osteoporosis treatment represented 11% of the mean monthly household income from the patients' perspective (R$ 534=US$ 456). As the population is ageing and the osteoporosis incidence is increasing, health policy should be implemented to rationally allocate the scarce resources available, based on economic analysis.