Scielo RSS <![CDATA[Revista da Associação Médica Brasileira]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-423020050001&lang=pt vol. 51 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<B>A descoberta do DNA e o projeto genoma</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>RAMB</B>: <B>bimensal, Qualis A Nacional e Qualis C Internacional</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Teste de supressão com dexametasona em dose baixa</B>: <B>uma reavaliação em pacientes com síndrome de Cushing</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Radioquimioterapia pré-operatória para câncer de reto</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Objetivos de desenvolvimento do milênio</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Erros médicos associados com a deprivação do sono em UCI</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Úlcera péptica perfurada</B>: <B>sutura ou gastrectomia?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Pleurodese no derrame neoplásico</B>: <B>toracoscopia ou toracostomia à beira do leito?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>É necessária a participação do plástico na programação da cirurgia conservadora do câncer de mama?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Melanoma cutâneo primário]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>"O preparo do médico e a comunicação com familiares sobre a morte"</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Sangramento abdominal com heparina de baixo peso molecular</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>O preparo do médico e a comunicação com familiares sobre a morte</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: A abordagem deste tema e o relacionamento com familiares de pacientes que faleceram sempre causaram inseguranças ao profissional. MÉTODOS: Para avaliar esta questão foram entrevistados 121 familiares de pacientes que vieram a óbito no nosso hospital e os profissionais que deram informações sobre o óbito. RESULTADOS: Verificamos que 12,1% dos familiares reprovaram a forma pela qual foram avisados do falecimento e 26,4% não receberam qualquer atenção da equipe médica. Para os médicos, as situações mais difíceis de se conversar com a família são principalmente casos de paciente jovens (43,4%), morte por quadro agudo (56,6%) e quando a família não entende o caso (17%). Apenas 18,9% dos profissionais consideram a formação acadêmica sobre o assunto adequada. CONCLUSÃO: A comunicação entre equipe e familiares deve existir após o óbito e casos de maior dificuldade necessitam de um bom relacionamento dos profissionais com a família. A formação deve ser melhorada, pois reflete diretamente sobre a forma de lidar com familiares.<hr/>Communicating the death of a patient always brings about a certain degree of insecurity in the physician. METHODS: To evaluate this issue, 121 family members of patients who died at our hospital as well as the professional who conveyed the information were interviewed. RESULTS: We verified that 12.1% of the families disapproved of how they were told about the death, and that 26.4% did not receive any attention at all from the medical staff. Physicians find that the most difficult situations arise when they have to notify the death of young patients (43.3%), death from an acute disease (56.6%), and when the family does not understand the situation (17%). Only 18.9% of the professionals considered their academic background adequate on this subject. CONCLUSION: Communication between the medical staff and the family members should take place after the death. The more difficult cases require a good relationship between the parties. Training of the professionals on the subject should be improved since it directly affects how family and relatives are dealt with. <![CDATA[<B>Avaliação da série histórica dos nascidos vivos em unidade terciária de pernambuco</B>: <B>1991 a 2000</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Analisar a série temporal dos Nascidos Vivos do Instituto Materno Infantil de Pernambuco (IMIP) - Recife, segundo algumas variáveis, no período de julho de 1991 a dezembro de 2000. MÉTODOS: Utilizou-se o banco de dados do Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos (Sinasc). Para análise estatística considerou-se os anos de 1993 a 2000 e foi realizado o Qui-quadrado de tendência (p < 0,05) no Epi Info (versão 6.0). RESULTADOS: Apesar da predominância de parto vaginal, peso > 2500g, idade gestacional > 37 semanas, Apgar no 1º e 5º minutos entre 8 e 10, mães adultas, 4 a 6 consultas de pré-natal, encontrou-se percentuais elevados e tendência progressiva na década para: partos cesarianos (29,4% a 35,2%, chi2 = 73,7; p < 0,01); baixo peso (15,9% a 22,8%, chi2 = 170,6; p < 0,01); pré-termos (9,7% a 23,8%, chi2 = 503,6; p < 0,001); mães adolescentes (24,1% a 28,8%, chi ² = 13,3; p < 0,01) além de um alto percentual de bebês com índice de Apgar menor que 3 no 1º minuto de 3,4% a 5,5% e no 5º minuto de 0,7% a 1,6%). CONCLUSÕES: Os resultados ratificam a caracterização do IMIP como hospital de complexidade terciária e de referência para gestantes e recém-nascidos de alto risco no Estado de Pernambuco.<hr/>OBJECTIVES: This study aimed to analyze some variables found in the Birth Certificates at the Instituto Materno Infantil de Pernambuco, Recife, from July 1991 to December 2000, according to Sinasc (National Information's data base of Births). METHODS: The statistical analysis was performed using the chi-square test for trend (p<0.05) on EpiInfo software (version 6.0), considering the years 1993 to 2000. RESULTS: The sample comprised a predominance of non-surgical deliveries, adequate gestational age of newborns, weight > 2500g, Apgar score 1st min and 5th min between 8 - 10 and mature mothers who had attended from 4 to 6 appointments at prenatal care system. It showed the following rates: cesarean-section of 29.4% to 35.2% (?2= 73.7; p<0.01), low weight at birth of 15.9% to 22.8% (?2= 170.6; p < 0.01); premature newborns of 9.7% to 23.8% (?2= 503.6; p<0.01); teenage mothers of 24.1% to 28.8% (?2= 13.3; p<0.01), moreover a high percentage of newborns with Apgar index lower than 3 at the 1st minute (3.4% to 5.%) and (0.7% to 1.6%) at the 5th minute. CONCLUSION: These results confirm the role of IMIP as an institution for referral of high-risk pregnancies in Pernambuco. <![CDATA[<B>Situações eticamente conflituosas vivenciadas por estudantes de medicina</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Identificar situações eticamente conflituosas vivenciadas pelos estudantes de medicina da UERJ e dar subsídios a novos conteúdos de bioética a serem introduzidos no currículo. MÉTODOS: Realizamos um estudo observacional tipo corte-transversal com estudantes de medicina dos dois últimos anos do curso, período em que se encontram no estágio prático do internato. Os alunos responderam a um questionário com dados pessoais e perguntas abertas a respeito de situações conflituosas do ponto de vista da ética e como estas foram solucionadas e uma questão sobre os temas de ética que gostariam de ver contemplados no currículo médico. RESULTADOS: Cerca de 70% dos alunos (n=128) responderam ao questionário e reportaram situações e sugestões envolvendo uma grande variedade de temas éticos, que, em sua maioria, não está incluída no currículo desta escola. Os conflitos identificados e sugeridos foram categorizados em três grandes grupos: situações do aprendizado da medicina; situações relacionadas à prática médica com o paciente; e situações que envolvem questões legais e políticas de atendimento à saúde. CONCLUSÕES: É fundamental que esses conteúdos sejam contemplados no currículo médico para que os profissionais do futuro estejam aptos a dar soluções aos novos desafios que se apresentam na atenção à saúde da população.<hr/>PURPOSE: to identify ethically conflicting situations experienced by medical students of UERJ and recommend new bioethic contents to be incorporated in the curriculum. METHODS: we have carried out an observational, cross sectional study with medical students in the last two years of the course, the period when the practice probation of interns occurs. The students had to fill out a questionnaire with personal data and open questions about conflicting situations from the point of view of ethics and how these situations had been solved, In addition there was a question about ethical issues which they would like to be included in the medical curriculum. RESULTS: Nearly seventy per cent of the students (n=128) filled out the questionnaire and reported situations and suggestions involving a wide variety of ethical issues, which, in most cases, are not a part of the school curriculum. Conflicts were identified and suggestions were separated into three broad groups: medical learning situations; situations related to medical practice with the patients and situations which involved legal and political health care matters. CONCLUSION: it is fundamental that these contents be included in the medical curriculum thereby enabling future professionals to better face new challenges arising in health care for the population. <![CDATA[<B>A dor torácica em mulheres no atendimento de emergência</B>: <B>conduta e evolução</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Avaliar o diagnóstico de dor torácica em mulheres atendidas em um serviço de emergência em relação à evolução clínica, descrevendo sua influência sobre o manejo terapêutico, quando comparadas aos homens. MÉTODOS: Estudo de coorte contemporâneo, comparando 67 pacientes entre 50 e 65 anos (35 mulheres e 32 homens) atendidos de forma consecutiva por dor torácica na sala de emergência (SE) e acompanhados por 120 dias. Os desfechos avaliados foram: diagnóstico de infarto agudo do miocárdio (IAM), angina instável (AI), angina estável (AE), isquemia cerebral, cirurgia de revascularização miocárdica (CRM), angioplastia (ACTP), morte e hospitalizações. RESULTADOS: Na SE, não houve diferença significativa relacionada ao sexo quanto aos exames realizados para diagnóstico da dor torácica; entretanto, proporcionalmente, as mulheres receberam menos medicação cardiológica e mais tranqüilizantes. Ao término do atendimento na SE, as mulheres foram significativamente menos hospitalizadas (p=0,02). Na evolução clínica posterior, não houve diferença entre os dois sexos quanto à ocorrência de IAM, AI, AE, isquemia cerebral, CRM, ACTP e morte. CONCLUSÃO: Comparando a acurácia diagnóstica da dor torácica na SE entre mulheres e homens, não houve diferença significativa quanto ao número de exames realizados, mas a hospitalização foi menos indicada e o manejo terapêutico cardiológico foi menos intenso entre o sexo feminino. A evolução clínica evidenciou incidência igual de desfechos entre os dois sexos, o que sinaliza para a necessidade de atenção ao sintoma dor torácica independentemente do sexo.<hr/>OBJECTIVE: To evaluate the diagnosis of chest pain in women receiving medical care in the emergency room in relation to follow-up, as well as describing its influence on the therapeutic management when compared to men. METHODS: A current cohort study compared 67 patients of ages ranging from 50 to 65 years (35 women and 32 men) with chest pain, consecutively examined in the emergency room and followed up for 120 days. The outcomes assessed were: acute myocardial infarction, unstable angina, stable angina, cerebral ischemia, myocardial revascularization surgery, angioplasty, death and hospitalization. RESULTS: During diagnostic investigation of chest pain in the emergency room, no significant gender related difference was perceived. However, proportionally, women were given less cardiologic medication and more tranquilizers. Women were less likely to be referred for hospitalization than men (p=0.02). As for the occurrence of acute myocardial infarction, unstable angina, stable angina, cerebral ischemia, myocardial revascularization surgery, angioplasty and death, no differences between genders were noted during follow-up. CONCLUSION: Comparing the diagnostic accuracy of chest pain in the emergency room between women and men, there was no significant difference in relation to the number of tests. Nevertheless, women were less often referred for hospitalization and their therapeutic cardiologic management was less aggressive. The follow-up presented the same rate of outcome for both genders, therefore attention must be given to the chest pain symptom irrespective of gender. <![CDATA[<B>Ondansetrona oral na prevenção de náuseas e vômitos pós-operatórios</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100017&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVOS: Em passado não remoto, a incidência de náuseas e vômitos no pós-operatório (NVPO) ainda alcançava 40% a 50%. Publicações mais recentes indicam que a freqüência desta complicação ainda é considerável: 20% a 30%. O presente estudo teve como objetivo avaliar, em pacientes submetidos à anestesia geral, o impacto da administração oral de ondansetrona na incidência de NVPO. MÉTODOS: Foram incluídos 178 pacientes em estudo prospectivo, randomizado, controlado e duplo-cego, divididos em dois grupos (ondansetrona=89 e placebo= 89), utilizando-se comprimidos de dissolução oral rápida, especialmente preparados para este estudo. A medicação foi administrada entre 30 e 60 minutos antes da indução anestésica. Anotou-se fatores que pudessem influenciar o evento, como gênero, idade, antecedentes de discinesia ou NVPO, tabagismo, tipo de cirurgia, índice de massa corpórea, reversão do bloqueio neuromuscular com neostigmine e intensidade da dor pós-operatória. RESULTADOS: Não houve diferença significativa entre os grupos referentes aos fatores anotados, exceto tabagismo e índice de massa corpórea, que prevaleceu no grupo placebo. Estes fatores não interferiram na análise dos resultados. Observou-se NVPO em 23 (26%) pacientes do grupo ondansetrona e 38 (43%) pacientes do grupo placebo (p<0,05). CONCLUSÕES: A ondansetrona, 16 mg por via oral, administrada no pré-operatório reduz significativamente a incidência de náuseas e vômitos no pós-operatório. A simplicidade de administração e o baixo custo desta apresentação justificam a opção por esta via de administração.<hr/>OBJECTIVES: Not so many years ago, the incidence of postoperative nausea and vomiting used to reach 40% to 50%. More recent publications indicate that this complication still reaches considerable frequency: 20 to 30%. The present study had the objective of evaluating the impact of oral administration of ondansetron on the incidence of postoperative nausea and vomiting among patients submitted to general anesthesia. METHODS: This was a prospective, randomized, controlled, double-blind study. It included 178 patients divided into two groups: Ondansetron (n = 89) and Placebo (n = 89). Fast-dissolving oral tablets specially prepared for this study were utilized. The medication was administered between 60 and 30 minutes before anesthesia was induced. Factors with possible influence on the event were noted down, such as gender, age, history of dyskinesia or postoperative nausea and vomiting, smoking, type of surgery, body mass index, reversal of neuromuscular blockade using neostigmine, and the severity of postoperative pain. RESULTS: There was no significant difference between the characteristics of the groups regarding the factors annotated, except in relation to smoking and body mass index, which were greater in the Placebo group. These factors did not interfere in the analysis of the results. Postoperative nausea and vomiting were observed in 23 patients (26%) of the Ondansetron group and 38 patients (43%) of the Placebo group (p < 0.05). CONCLUSION: Ondansetron, 16 mg orally, administered before the operation significantly reduced the incidence of postoperative nausea and vomiting. The simplicity of administration and low cost of this presentation justify the choice of this administration route. <![CDATA[<B>Diagnóstico precoce da restrição do crescimento fetal pela estimativa ultra-sonográfica do peso fetal</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100018&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVOS: Com a finalidade da atuação pré-natal oportuna e diminuição da morbiletalidade perinatal e tardia, este estudo se propôs a avaliar a evolução do peso fetal determinado pela ecografia entre a 25ª e 27ª semanas de gestação, estabelecer valores de corte de peso fetal úteis no diagnóstico do pequeno para esta época da gestação e propor modelo matemático para reconhecer a probabilidade de ocorrência de recém-nascido pequeno para a idade gestacional (PIG). MÉTODOS: Avaliaram-se 85 recém-nascidos, 35 pequenos e 50 adequados para a idade gestacional (AIG). As mães haviam feito o pré-natal no serviço, eram hígidas ou apresentavam hipertensão arterial crônica como única doença, sem história de vícios, fetos gemelares ou malformados. Todas realizaram exames ultra-sonográficos na 25ª e 27ª semanas para cálculo do peso fetal. RESULTADOS: O ganho de peso ecográfico fetal entre a 25ª e a 27ª semanas de gestação foi menor no grupo PIG havendo desaceleração do crescimento em relação ao grupo AIG. Os valores de corte de pesos ecográficos fetais foram de 775 gramas e 1015 gramas para a 25ª e 27ª semanas, respectivamente Obteve-se modelo matemático útil para quantificar a probabilidade de crescimento intra-uterino inadequado.<hr/>OBJECTIVE: Aiming to reduce the perinatal and late morbidity and lethality through opportune prenatal intervention, this study proposed to sequentially evaluate the echographic fetal weight at the 25th and 27th weeks of gestation, establishing cut-off values for echographic fetal weight useful in the diagnosis of small-for-gestational-age at this gestation time, and developing a mathematical model able to recognize the probability of a newborn small-for- gestational-age. METHODS: Eighty-five newborns were evaluated, 35 small and 50 adequate for gestational age. The mothers who underwent prenatal care at our Instituition were healthy or presented chronic arterial hypertension as the only disease, no history of addictions, gemellarity or malformed fetuses. All mothers performed ultrasonographic exams at the 25th and 27th weeks for estimation of the fetal weight. Results: The exams were able to detect the inadequate development of those fetuses small-for-gestational-age group. The cut-off values for echographic fetal weight were established as 775 grams and 1015 grams for the 25th and 27th weeks, respectively A mathematical model was developed, capable of quantifying the probability of newborns exhibiting insufficient intra-uterine growth, being small-for-gestational-age. <![CDATA[<b>Viabilidade do baço de ratos após a ligadura dos vasos esplênicos</b>: <b>efeito do tratamento com oxigênio hiperbárico</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100019&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Verificar o efeito da ligadura dos vasos esplênicos principais no baço de ratos e a influência do tratamento com o oxigênio hiperbárico após a ligadura. MÉTODOS: Foram operados 69 ratos Wistar, machos, de 285g a 375 g. Os animais foram divididos aleatoriamente em três grupos: grupo 1: quatro ratos, simulação; grupo 2: 34 ratos, ligadura simultânea da artéria e veia esplênica; grupo 3: 31 ratos, ligadura da artéria e veia esplênica seguida de oxigenioterapia hiperbárica no pós-operatório por 11 dias, sendo mortos no 12º dia. O baço era retirado e incluído em parafina para estudo microscópico. RESULTADOS: O baço era normal em 8,82% e 45,16%, respectivamente, no grupo que sofreu a ligadura vascular sem ou com oxigenioterapia hiperbárica (p= 0,01). O percentual de massa viável do tecido esplênico nos baços que infartaram em relação ao percentual da massa corporal dos animais não diferiu entre os grupos 2 e 3. O aspecto histopatológico mostrou arquitetura preservada na porção não infartada nos dois grupos e neoformação conjuntivo-vascular cicatricial mais acentuada no grupo que recebeu oxigênio hiperbárico. CONCLUSÕES: O tratamento com oxigênio hiperbárico, a partir do pós-operatório imediato, após a ligadura simultânea da artéria e da veia esplênicas, reduziu significativamente a freqüência dos infartos, mas não alterou o percentual de massa viável dos baços, quando o infarto ocorreu, e acelerou o processo de cicatrização, com aumento da proliferação de fibroblastos e da neoformação vascular.<hr/>OBJECTIVE: To investigate the effects of splenic artery and vein ligation and the influence of hyperbaric oxygen after the double vascular ligation on the viability of spleen tissue. Methods: Sixty nine adult male Wistar rats (285-375g) were randomly separated in three groups: group 1, four rats, sham operated, group 2, 34 rats, submitted to simultaneous splenic artery and vein ligation and group 3, 31 rats, submitted to hyperbaric oxygen during 11 days, after double vascular ligation. All animals were killed on day 12 after surgery. The spleen was removed and paraffin embedded for microscopic examination. RESULTS: In the groups submitted to vascular ligation, the spleen was normal in 8.82% of rats not treated with hyperbaric oxygen and in 45.16% of rats that received hyperbaric oxygen after vascular ligation (p=0.01). In the spleens with white infarct, the mass of preserved splenic tissue in relation to the total body mass did not differ between the groups treated or not with hyperbaric oxygen. The preserved splenic tissue had normal histology in both groups. The healing process was more accelerated in the group of rats treated with hyperbaric oxygen. CONCLUSION: Results demonstrate that exposure to hyperbaric oxygen increased the frequency of total spleen mass preservation after simultaneous ligation of the splenic artery and vein but did not alter the percentage of the spleen's viable area, however the healing process in necrotic areas was accelerated. <![CDATA[<B>Tabagismo e antecipação da idade da menopausa</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100020&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Avaliar o impacto do tabagismo sobre a idade de instalação da menopausa. MÉTODOS: No período de janeiro de 1998 a janeiro de 2001 foram avaliadas 775 mulheres no climatério, com idade entre 40 e 65 anos, por meio de um questionário que, entre outras variáveis, incluía a data da menopausa, uso de hormônios sexuais esteróides, número de partos, cirurgias ginecológicas, hábito de fumar cigarros e número de cigarros fumados por dia. Foram excluídas as mulheres com menopausa cirúrgica, menopausa prematura e usuárias de terapia de reposição hormonal. Caracterizou-se o estado menopausal pelas determinações séricas do FSH (> 30 UI) e estradiol (< 13 pg/mL). RESULTADOS: Das 775 mulheres selecionadas, 646 (83%) não eram tabagistas e 129 (17%) eram tabagistas; nas não tabagistas a média etária de instalação da menopausa foi de 48,6 (± 4,1) anos e nas tabagistas foi de 47,8 (± 3,9) anos. A idade de instalação da menopausa variou com o número de cigarros fumados diariamente: ocorreu aos 49,2 (±3,7) e p= 0,464; 47,6 (±4,3) e p= 0,17; e 46,9 (±3,6) e p= 0,016 respectivamente para as tabagistas de 1 a 5 , 6 a 10 e 11 ou mais cigarros por dia. CONCLUSÕES: As mulheres tabagistas apresentaram a idade da menopausa antecipada em oito meses e esta antecipação depende do número de cigarros fumados por dia.<hr/>OBJECTIVES: to evaluate the impact of smoking on the onset age of menopause. METHODS: From January of 1998 to January of 2001 775 postmenopausal women, with ages ranging from 40 to 65 years, were evaluated by means of a questionnaire. They were asked about their birth date; last menstrual bleeding, number of children, smoking habits, use of hormone medication, number of cigarettes per day, and gynecological surgeries. The menopausal status was characterized by blood determinations of FSH (> 30 UI) and estradiol (<13 pg/mL). Women with surgical menopause, premature menopause and users of hormone replacement therapy were excluded RESULTS: Of the 775 women included 646 (83%) were not-smokers and 129 (17%) smokers. For the non-smoking group mean age at menopause was 48.6 (± 4.1) years and for smokers 47.8 (±3.9). Median ages at menopause were 49.2 (±3.7) and p=0.464; 47.6 (±4.3) and p=0.171); and 46.9 (±3.6) and p=0.016 years for women who smoked 1-5, 6-10 and 11 or more cigarettes per day, respectively. CONCLUSION: Onset of menopause was anticipated by eight months for women who smoke. This finding suggests a greater susceptibility to earlier menopause in accordance with the number of cigarettes smoked per day. <![CDATA[<B>Transmissão materno-infantil do vírus da imunodeficiência humana</B>: <B>avaliação de medidas de controle no município de Santos</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000100021&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVOS: Estimar o risco da transmissão materno-infantil (TMI) do HIV no município de Santos e avaliar o efeito da introdução de medidas preventivas na transmissão vertical do HIV, tais como: utilização de AZT pela gestante, durante o pré-natal, trabalho de parto e parto, uso de AZT pelo recém-nascido; substituição do aleitamento natural pelo artificial e indicação de cesárea. MÉTODOS: Trata-se de um estudo de coorte. Os dados foram coletados dos prontuários das gestantes e das crianças nos serviços de referência para o atendimento de pessoas vivendo com HIV/Aids. Para estimar o risco de transmissão materno-infantil do HIV, dividiu-se o número de mães cujos filhos adquiriram o vírus por transmissão vertical pelo número de mães incluídas no estudo. Para estimar o risco de TMI associado aos fatores investigados, calcularam-se os riscos relativos com intervalos de confiança de 95% (IC 95%), considerando a ocorrência de transmissão como variável dependente e os outros fatores (idade materna, realização de pré-natal, uso de AZT oral, uso de AZT xarope, idade gestacional e amamentação) como variáveis independentes. Para controlar o possível efeito confundidor de algumas variáveis, foi realizada análise estratificada pela técnica de Mantel-Haenszel. RESULTADOS: A ocorrência da TMI do HIV foi estabelecida em 144 crianças. Quatorze delas foram classificadas como infectadas; o risco de transmissão foi de 0,097 (IC 95%; 0,030-0,163). O risco de transmissão foi menor nas mulheres com menos de 30 anos de idade. Na análise univariada, o risco de transmissão materno-infantil do HIV esteve associado de modo estatisticamente significante com: idade materna, realização do pré-natal, uso de AZT oral, uso de AZT xarope, idade gestacional (Capurro) e amamentação. CONCLUSÃO: O presente trabalho mostrou que a implantação de medidas preventivas tem importância na prevenção da transmissão do HIV mãe-filho, com redução de quase 40% no risco desta transmissão comparada à encontrada anteriormente sem a utilização de medidas preventivas.<hr/>OBJECTIVES: To estimate the risk of mother-to-child transmission (MTCT) of HIV-1 and evaluate the effect of preventive methods on vertical transmission of HIV, such as: use of AZT by pregnant women during the prenatal period, labor and delivery; use of AZT in newborns; replacement of breastfeeding by formula; and indication of cesarean section. METHODS: This was a cohort study. Data was collected from medical records of pregnant women and of children followed at reference health centers for HIV/AIDS patients. To estimate the risk of MTCT we divided the number of mothers whose children acquired the virus through vertical transmission by the total number of mothers included in the study; the relative risks were calculated with a CI=95%. Occurrence of transmission was regarded as a dependent variable, the other factors (maternal age, use of oral AZT and use of AZT syrup, gestational age and breastfeeding) were considered as independent variables. Mantel-Haenszel's techniques were used in this analysis to control the possible effect of some variables. RESULTS: The occurrence of HIV in MTCT was identified in 144 children. Fourteen were classified as infected. Risk of transmission was of 0.097 (95% CI; 0.030-0.163). The risk of HIV vertical transmission was smaller in women under thirty years of age when compared with older ones. In the univariate analysis, the MTCT risk was significantly associated with maternal age, prenatal care, use of oral AZT and use of AZT syrup, gestational age and breastfeeding. CONCLUSION: This study showed that the implementation of preventive measures is important in the prevention of mother-to-child transmission of HIV, providing a risk reduction of almost 40% when compared to that before use of these preventive measures.