Scielo RSS <![CDATA[Revista da Associação Médica Brasileira]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-423020080002&lang=pt vol. 54 num. 2 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<B>Revisões, revisores e a CAPES</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>A exposição fetal à cabergolina em mulheres com hiperprolactinemia promove riscos?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Intussuscepção intestinal no adulto, uma condição rara</B>: <B>Como diagnosticar e tratar?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Quais os fatores de risco para hérnia inguinal em adulto?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Por que criar uma legislação exclusiva para o desenvolvimento de medicamentos em pediatria?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Câncer de bexiga</B>: <B>diagnóstico</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Registro público de projetos de pesquisa</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Atualização na assistência pré-natal baseada em evidência e centrada no paciente</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Linfoma de células t cutâneo</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[<B>Impacto da obesidade na capacidade funcional de mulheres</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Avaliar a capacidade funcional em mulheres eutróficas, com sobrepeso e obesas. MÉTODOS: Estudo transversal analítico envolvendo 90 mulheres adultas com idade entre 40 e 60 anos, alocadas em três grupos de acordo com a classificação do índice de massa corporal: eutróficas (n=30), sobrepeso (n=30) e obesas (n=30). As pacientes foram entrevistadas usando um instrumento de avaliação de qualidade de vida específico para capacidade funcional o Stanford Health Assessment Questionnaire (HAQ-20). Também foram submetidas a teste de esforço para comparação do consumo máximo de oxigênio (VO2max) entre os três grupos. Para análise estatística foram usados o teste do Qui quadrado, a análise de variância de Kruskal-Wallis e as correlações de Spearman e Pearson para p= 0,05. RESULTADOS: As mulheres obesas apresentaram escores do HAQ-20 (0,375) significantemente maiores (p<0,05) do que os outros grupos (0), refletindo pior capacidade funcional. O grupo obesas apresentou valores de VO2max (25,8&plusmn;5,0ml/kg/min) significantemente menores (p<0,001) que sobrepeso (29,9&plusmn;6,1ml/kg/min) e eutróficas (33,8&plusmn;4,1ml/kg/min), indicando pior aptidão cardiorrespiratória. Não houve diferença significante entre eutróficas e sobrepeso para VO2max e escores do HAQ-20. A hipertensão arterial foi mais freqüente nas mulheres obesas (p=0,012) que também apresentaram menores níveis de escolaridade (p= 0,026). CONCLUSÃO: As mulheres obesas apresentaram redução da aptidão física e da capacidade funcional em relação às eutróficas e sobrepeso, o que vem se somar ao pior prognóstico para doenças cardiovasculares dessas pacientes.<hr/>OBJECTIVE: The aim of this study was to evaluate the functional capacity of obese, overweight and eutrophic women. METHODS: An analytical cross study involved 90 adult women from 40 to 60 years of age, distributed in three groups: eutrophic (n=30), overweight (n=30) and obese (n=30).Patients were interviewed by means of the specific health related quality of life questionnaire, Stanford Health Questionnaire (HAQ-20). They were also submitted to an exercise test to compare the maximal oxygen uptake (VO2max) among the three groups. Statistical analysis included the chi-square test, the Kruskal Wallis variance analysis and the Spearman and Pearson correlations for p= 0.05. RESULTS: The group of obese women presented HAQ-20 (0.375) score rates significantly higher (p<0.05) than the other groups (0), reflecting lesser functional capacity. The obese group presented VO2max score rates (25.8&plusmn;5.0ml/kg/min), significantly lower (p<0.001) than the overweight (29.9&plusmn;6.1ml/kg/min) and eutrophic (33.8&plusmn;4,1ml/kg/min) groups, indicating a poorer cardio respiratory aptitude. There was no significant difference between the eutrophic and overweight VO2max and HAQ-20 score rates. Hypertension was more frequent among obese women (p=0.012) who also presented a lower level of schooling p= 0.026). CONCLUSION: Obese women presented a poorer physical aptitude and lesser functional capacity in relation to those in the eutrophic and overweight groups Furthermore, the obese also exhibited a worse prognosis for cardiovascular disease. <![CDATA[<B>Efeito sinérgico entre a dexmedetomidina e a ropivacaína 0,75% na anestesia peridural</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi avaliar as características clínicas da anestesia peridural realizada com ropivacaína associada à dexmedetomidina. MÉTODOS: Quarenta pacientes submetidos à correção cirúrgica de hérnia inguinal ou varizes de membros inferiores sob anestesia peridural participaram deste estudo. Os pacientes foram divididos em: Grupo Controle (n = 20), ropivacaína 0,75%, 20 ml (150 mg); e Grupo Dexmedetomidina (n = 20), ropivacaína 0,75%, 20 ml (150 mg), mais dexmedetomidina, 1 µg.kg-1. As variáveis estudadas foram: tempo de latência do bloqueio sensitivo, dermátomo máximo de anestesia, tempo de duração dos bloqueios analgésico e motor, intensidade do bloqueio motor, nível de sedação, variáveis hemodinâmicas, analgesia pós-operatória e ocorrência de efeitos colaterais. RESULTADOS: A dexmedetomidina não influenciou o tempo de latência da anestesia nem o nível máximo do bloqueio sensitivo (p > 0,05), mas prolongou o tempo de duração dos bloqueios analgésico e motor (p < 0,05) e da analgesia pós-operatória (p < 0,05), além de determinar bloqueio motor de maior intensidade (p < 0,05). Os valores do índice bispectral foram menores no Grupo Dexmedetomidina (p < 0,05). Não houve diferença na incidência de hipotensão arterial e de bradicardia (p > 0,05). A ocorrência de efeitos colaterais (tremor, náuseas e SpO2 < 90%) foi baixa e semelhante entre os grupos (p > 0,05). CONCLUSÃO: Há sinergismo evidente entre a dexmedetomidina e a ropivacaína na anestesia peridural sem que haja elevação da morbidade relacionada a associação dos fármacos.<hr/>BACKGROUND: This study aimed to evaluate clinical characteristics of epidural anesthesia performed with 0.75% ropivacaine associated with dexmedetomidine. METHODS: Forty patients scheduled for hernia repair or varicose vein surgeries under epidural anesthesia participated in this study. They were assigned to: Control Group (n = 20), 0.75% ropivacaine, 20 ml (150 mg); and Dexmedetomidine Group (n = 20), 0.75% ropivacaine, 20 ml (150 mg), plus dexmedetomidine, 1 mg.kg-1. The following variables were studied: total analgesic block onset time, upper level of analgesia, analgesic and motor block duration time, intensity of motor block, state of consciousness, hemodynamics, postoperative analgesia and incidence of side-effects. RESULTS: Epidural dexmedetomidine did not affect onset time or upper level of anesthesia (p > 0.05) however it prolonged sensory and motor block duration time (p < 0.05) and postoperative analgesia (p < 0.05), and also resulted in a more intense motor block, l (p < 0.05). Values of bispectral index were lower in Dexmedetomidine Group (p < 0.05). There was no difference in incidence of hypotension and bradycardia (p > 0.05). Occurrence of side-effects (shivering, vomiting and SpO2 < 90%) was low and similar between groups (p > 0.05). CONCLUSION: There is clear synergism between epidural dexmedetomidine and ropivacaine, further this drug association does not bring about additional morbidity. <![CDATA[<B>Desarranjo ácido-base e acidose gástrica intramucosal predizem desfecho de trauma grave</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUCTION: This prospective non-interventional study intended to assess the prognostic value of gastric intramucosal acidosis in patients with severe trauma admitted to a medical/surgical ICU. METHODS: Gastric tonometer catheters were introduced to measure air PCO2 level (Tonocap device) in forty consecutive critically ill trauma patients. Gastric intramucosal pH, air PCO2 gradient, lactate and acid-base parameters were measured at admission and at 6, 12 and 24 h thereafter. RESULTS: The median age, mean APACHE II and SOFA scores were higher in nonsurvivors than in survivors (p<0.05). There were significant differences in the PCO2 gradient between survivors and nonsurvivors at 12 and 24 hours (10&plusmn;7 vs. 24&plusmn;19 mmHg, 13&plusmn;16 vs. 29&plusmn;25 mmHg; p<0.05). Gastric intramucosal pH values were lower in nonsurvivors than in survivors, on admission and after 12 or 24 hours (p<0.05). Arterial pH and bicarbonate were lower, lactate concentration higher, and base excess more negative in nonsurvivors. Prediction of outcome (mortality and MODS) at 24 hours of ICU assessed by their ROC curves was similar (p=NS). At 24 hours, air PCO2 gradient > 18 mmHg carried a relative risk of 4.6 for death, slightly higher than a HCO3 <20 mEq/L (RR=4.29) or base excess of <-2 mmol/L (RR=3.65). CONCLUSION: Bicarbonate, base deficit, lactate, gastric intramucosal pH and PCO2 gradient discriminate survivors from nonsurvivors of major trauma. A critical air PCO2 gradient carried the greatest relative risk for death at 24 hours of ICU. Inadequate regional blood flow as detected by a critical PCO2 gradient seems to contribute to morbidity and mortality of severe trauma patients.<hr/>INTRODUÇÃO: O objetivo deste estudo prospectivo, não-intervencionista, foi avaliar o valor prognóstico da acidose gástrica intramucosal em pacientes com trauma grave admitidos numa UTI. MÉTODOS: Cateteres tonométricos gástricos foram introduzidos para medir o nível de PCO2 aéreo em 40 pacientes traumatizados. O pH gástrico intramucosal, o gradiente de PCO2 aéreo, o lactato e os parâmetros ácido-base foram medidos na admissão e 6, 12 e 24 h após a admissão. RESULTADOS: A idade mediana, o APACHE II e os escores SOFA médios foram maiores nos não-sobreviventes que nos sobreviventes (p<0.05). Não houve diferenças significativas para o gradiente de PCO2 entre sobreviventes e não-sobreviventes após 12 e 24 horas (10&plusmn;7 vs. 24&plusmn;19 mmHg, 13&plusmn;16 vs. 29&plusmn;25 mmHg; P<0.05). Os valores de pH gástrico intramucosal foram menores nos não-sobreviventes que nos sobreviventes na admissão e após 12 ou 24 horas (P<0.05). O pH arterial e o bicarbonato foram menores, a concentração de lactato maior, o excesso de base mais negativo nos não-sobreviventes. Predição do desfecho (mortalidade e FMOS) nas 24 horas de UTI acessada pelas curvas ROC foi similar (p=NS). Nas 24 horas, um gradiente de PCO2 aéreo >18 mmHg acarretou um risco relativo de 4.6 para óbito, um pouco maior que um HCO3 <20 mEq/L (RR=4.29) ou um excesso de base <-2 mmol/L (RR=3.65). CONCLUSÃO: Bicarbonato, déficit de base, lactato, pH gástrico intramucosal e o gradiente de PCO2 discriminaram os sobreviventes dos não-sobreviventes de trauma. Um gradiente crítico de PCO2 aéreo acarretou o maior risco relativo para óbito após 24 horas de UTI. Fluxo sangüíneo regional inadequado detectado por um gradiente crítico de PCO2 parece contribuir para a morbidade e mortalidade de pacientes traumatizados graves. <![CDATA[<B>Mortalidade determinada por anomalias congênitas em Pernambuco, Brasil, de 1993 a 2003</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Determinar a magnitude e a tendência temporal dos óbitos ocorridos por malformações congênitas no Estado de Pernambuco, no período de 1993 a 2003. MÉTODOS: Trata-se de um estudo observacional, descritivo, com tendência temporal, em que foram incluídos todos os casos de óbitos por malformações congênitas, no Estado de Pernambuco, obtidos do banco de dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde, no período de 1993 a 2003. RESULTADOS: Ocorreram 3.960 óbitos em menores de um ano e 989 óbitos fetais, no período de 1993 a 2003, determinados por malformações congênitas no Estado de Pernambuco. Os coeficientes de mortalidade fetal, neonatal precoce, perinatal, neonatal e em menores de um ano por malformações congênitas foram de 0,57; 1,20; 1,76; 1,59; e 2,33, respectivamente. Na curva de tendência temporal, de 1993 a 2003, observou-se uma tendência crescente para os coeficientes de mortalidade neonatal precoce (p = 0,003), perinatal (p = 0,005), neonatal (p = 0,0007) e menores de um ano (p = 0,02), porém não se encontrou significância para o coeficiente de mortalidade fetal (p = 0,55). CONCLUSÃO: No período de 1993 a 2003 houve uma tendência crescente dos coeficientes de mortalidade neonatal precoce, perinatal, neonatal e em menores de um ano por malformações congênitas no Estado de Pernambuco. Entretanto, vale ressaltar que esta tendência crescente pode ter sido influenciada pela melhora dos registros de óbitos e pela queda da mortalidade infantil no Estado de Pernambuco.<hr/>BACKGROUND: To establish magnitude and temporal trend of deaths by congenital malformations in Pernambuco state in Northeast of Brazil, from 1993 to 2003. METHODS: This is an observational descriptive study, with the temporal trend including all cases of death caused by congenital malformations, obtained from the database of the Mortality Information System of the Ministry for Health. RESULTS: From 1993 to 2003, 3.960 infant deaths and 989 stillbirths caused by congenital malformations were registered in Pernambuco. The coefficients of fetal, early neonatal, perinatal, neonatal and infant (< 1 year) mortality were 0.57, 1.20, 1.76, 1.59 and 2.33, respectively. A rising tendency was observed in the temporal curve from 1993 to 2003 when coefficients of early neonatal (p = 0.003), perinatal (p = 0.005), neonatal (p = 0.0007) and infant (p = 0.02) mortality were studied but no statistical significance was detected for the fetal mortality coefficient (p= 0.55). CONCLUSION: From 1993 to 2003 a rising tendency in the coefficients of early neonatal, perinatal, neonatal and infant mortality was found in the state of Pernambuco. This trend may have been be influenced by an improvement in the death registration records and by a decline of infant mortality in the state of Pernambuco. <![CDATA[<B>Avaliação da sobrevida livre de doença de pacientes com recidiva loco-regional de carcinoma epidermóide de cavidade bucal e orofaringe submetidos a tratamento de resgate</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: A cirurgia de resgate é primeira opção terapêutica, principalmente nas lesões de estadio clínico inicial. O objetivo do estudo é avaliação da sobrevida livre de doença após resgate cirúrgico de tumores de cavidade bucal e orofaringe. MÉTODOS: Estudo retrospectivo de 276 pacientes tratados com cirurgia, sendo que 127 desenvolveram recidiva loco-regional. Noventa e sete pacientes eram de estadiamento clínico inicial e 178 de estadiamento clínico avançado. Vinte e cinco casos de lábio, 173 cavidade bucal e 78 de orofaringe. A radioterapia pós-operatória foi realizada em 121 pacientes com dose média de 60,8 Gy. RESULTADOS: Oitenta e nove pacientes foram submetidos a tratamento de resgate, sendo que 76 destes foram à cirurgia. As recidivas loco-regionais de cavidade bucal foram submetidas ao resgate cirúrgico em 65% casos. A sobrevida livre de doença pós-cirurgia de resgate foi de 13% nas recidivas até seis meses e 48% nas recidivas após 12 meses de seguimento (p=0,0009). O tipo de resgate e o intervalo livre de doença foram fatores independentes de sobrevida na análise multivariada. CONCLUSÃO: A sobrevida livre de doença pós-resgate nos estadios clínicos iniciais (I e II) foi de 70%.<hr/>OBJECTIVE: Salvage surgery is the first therapeutic option for recurrent tumors of the mouth and oropharynx, mainly in early stage tumors. This study intends to evaluate the disease free survival interval after salvage treatment for recurrent tumors of the mouth and oropharynx. METHODS: Retrospective analysis of 276 patients with squamous cell carcinoma of the mouth and oropharynx treated with surgery. One hundred and twenty seven patients developed loco-regional recurrence. Ninety-seven were staged as early tumors and 178 as advanced ones. The tumor site was the lip in 25 cases, oral cavity in 173 and oropharynx in 78. Postoperative radiotherapy was indicated in 121 cases with a mean dose of 60.8Gy. RESULTS: Eighty-nine patients underwent salvage treatment (surgery in 76 patients). Loco-regional recurrences were treated with salvage surgery in 65% of cases. Disease free survival after salvage surgery was 13% in cases with recurrences diagnosed up to 6 months and 48% in those who recurred after 12 months of follow-up (p=0.0009). Modality of salvage treatment and the disease free interval were independent variables of survival in the multivariate analysis. CONCLUSION: In cases clinically staged as I and II, the disease free survival in five years after salvage treatment was 70%. <![CDATA[<B>Comprometimento musculoesquelético como primeira manifestação de neoplasias</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Identificar pacientes portadores de neoplasias encaminhados ao ambulatório de reumatologia pediátrica por apresentarem sintomas musculoesqueléticos como manifestação inicial, bem como apontar os achados clínicos, laboratoriais e radiológicos que contribuíram para o esclarecimento diagnóstico. MÉTODOS: Foi realizada análise retrospectiva dos prontuários dos pacientes com diagnóstico final de neoplasia, que foram avaliados na Unidade de Reumatologia do Instituto da Criança - FMUSP entre janeiro de 1983 e dezembro de 2006. Foram registrados os dados referentes às queixas musculoesqueléticas, exame físico, provas laboratoriais e procedimentos radiológicos e invasivos realizados. RESULTADOS: Dos 4876 pacientes, 25 (0,5%) crianças foram estudadas, sendo que 52% apresentavam leucemia linfóide aguda - LLA e 24% neuroblastoma. Vinte crianças (80%) apresentaram artrite e/ou artralgia no início da doença. Todos os pacientes apresentavam sintomas constitucionais, sendo febre o mais prevalente (22 casos - 88%). O hemograma inicial estava alterado em 16 pacientes (64%), mas presença de blastos no sangue periférico foi observada em apenas dois pacientes. Onze pacientes demonstraram alterações evolutivas nos hemogramas seriados. Radiografias simples se mostraram alteradas em 11/14 pacientes, ultra-som em 12/18, cintilografia em 5/5, tomografia em 7/9 e ressonância em 3/3. O mielograma estava alterado em 18/22 pacientes, três deles apenas na repetição do exame. CONCLUSÃO: Queixas musculoesqueléticas são manifestações iniciais freqüentes das neoplasias, em especial da LLA, que devem ser consideradas no diagnóstico diferencial das doenças reumatológicas. Os hemogramas podem ser inicialmente normais, sendo necessário seu seguimento evolutivo. Exames de imagem e punção de medula óssea demonstraram ser fundamentais no diagnóstico.<hr/>OBJECTIVE: To describe the clinical and laboratory findings that contributed for the diagnosis of neoplasia in patients with musculoskeletal symptoms at presentation. METHODS: Retrospective analysis of medical records from patients with final diagnosis of neoplasia attended at the "Unidade de Reumatologia do Instituto da Criança - FMUSP" between January 1983 and December 2006. Data on musculoskeletal complaints, clinical examination, laboratory tests, radiological studies and diagnostic procedures were obtained. RESULTS: From 4876 patients, 25 (0.5%) children were studied (52% with acute lymphoid leukemia and 24% with neuroblastoma). Twenty children (80%) presented arthritis and/or arthralgia at onset of the disease. All patients presented systemic symptoms, such as fever (22 cases - 88%). The initial blood cell count was abnormal in 16 patients (64%), showing anemia and thrombocytopenia (12 and 5 cases, respectively). Blast cells were present in only two patients and eleven patients developed blood cell count abnormalities during follow-up. X-ray studies showed abnormalities in 11/14 patients, ultrasound in 12/18, scintigraphy in 5/5, CT in 7/9 and MRI in 3/3. Bone marrow smear was abnormal in 18/22 patients, but in three of them the abnormalities were not detected by the first test. CONCLUSION: Musculoskeletal symptoms are common at the onset of neoplasia, especially for acute lymphoid leukemia, and this possibility should be considered in the differential diagnosis of rheumatic diseases. Laboratory tests may be normal at the onset of the disease, therefore serial exams should be performed. For a correct diagnosis. radiological studies and bone marrow aspiration have proven to be essential. <![CDATA[<B>Parâmetros da urofluxometria e do estudo fluxo/pressão em pacientes uroginecológicas</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Avaliar as taxas de fluxo no estudo urodinâmico (EUD) em pacientes com disfunção do trato urinário inferior e registrar os efeitos do diagnóstico final do EUD e da idade das pacientes sobre estas variáveis. MÉTODOS: Estudo retrospectivo que incluiu 205 mulheres. As pacientes foram divididas em três grupos: menos de 45 anos; entre 45 e 60 anos e mais que 60 anos. Estudamos os comportamentos dos fluxos máximo, médio e da pressão de abertura do detrusor (Padet) com o evoluir da idade. De forma semelhante, realizamos comparações das variáveis fluxos máximo e médio, Padet e vesical no fluxo máximo, consoante o diagnóstico final do EUD. RESULTADOS: Há forte declínio dos fluxos máximo, médio e da Padet com o evoluir da idade, sendo que a queda dos fluxos máximo e médio é significante quando comparamos as mulheres com mais de 65 anos (21,8 ml/s e 9,2 ml/s, respectivamente) com aquelas entre 45 e 60 anos (29 ml/s e 12,6 ml/s, respectivamente) e as demais (27,9 ml/s e 11,7 ml/s, respectivamente). Observamos redução significativa da Padet no grupo com mais de 60 anos (13,4 cmH2O) quando comparadas àquele com menos de 45 anos (21,2 cmH2O). A Padet teve redução significativa nas pacientes com incontinência urinária de esforço (IUE) associada a defeito esfincteriano (13,8 cmH2O) diagnosticados no EUD quando comparadas aquelas assintomáticas (20,7 cmH2O). CONCLUSÃO: Há diminuição das taxas de fluxo com o aumento da idade. Mulheres com IUE têm micção com menor Padet.<hr/>OBJECTIVE: The purpose was to evaluate urine flow rates in an urodynamic study (US) of patients with symptoms of lower urinary tract dysfunction and to record effects of final urodynamic diagnosis and age on these variables. METHODS: Retrospective analysis of 205 women who had undergone urogynecological investigation. Patients were divided into three age groups: A (< 45 years); B (45 - 60 years) and C (> 60 years). Comportment of urine flow rates and opening detrusor pressure with increasing age were studied and resulting charts recorded. Comparison of maximum and average urine flow rates, opening detrusor pressure and detrusor pressure at the maximal flow according to final urodynamic diagnostic were also made. RESULTS: There was a decline of urine flow rates with increase of age, which was more significant between groups A X C and B X C. There was also a decline in opening detrusor pressure with aging, which was significant between groups A X C. When analyzing opening detrusor pressure according to final urodynamic diagnosis, a significant decline of this variable was observed in patients with urinary stress incontinence and intrinsic sphincter deficiency in relation to those who were asymptomatic. CONCLUSION: Urine flow rates decreased with age. Women with urinary stress incontinence and intrinsic sphincter deficiency void at a lower detrusor pressure. <![CDATA[<B>Resultados de tratamento do prolapso retal pela técnica de delorme e de retopexia</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200017&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: A retopexia é a técnica preferencial para tratamento do prolapso retal e as técnicas perineais são reservadas para os idosos com comorbidades. A técnica de Delorme tem sido indicada para essa situação por ser a cirurgia de menor porte, entretanto pode apresentar maior índice de recidiva. Analisamos os resultados da correção do Prolapso retal pela técnica de Delorme e de retopexia. MÉTODOS: Estudo retrospectivo de 31 doentes portadores de prolapso retal tratado entre 1997 a 2005, sendo 15 doentes (grupo A) tratados pela técnica de retopexia e 16 doentes tratadas pela técnica de Delorme (grupo B). Foram comparados os dois grupos: tempo de permanência hospitalar, morbidade, complicações cirúrgicas e taxa de recidiva. RESULTADOS: Houve maior tempo de permanência, sete dias (3 a 11 dias) no grupo A e quatro dias (2 a 6 dias) no grupo B. A taxa de recidiva foi semelhante, respectivamente 13,3% e 6,6% (diferença não significante). A maioria dos doentes permanece com esfíncteres hipotônicos apresentando baixa pressão de repouso e contração, porém a metade deles ficou continente após a cirurgia (grupo A=53% e grupo B=50%). A morbidade foi 40% e 18,9%, respectivamente para grupo A e B. Houve um caso de hemorragia sacral (grupo A) que foi controlada no ato cirúrgico e um caso de sangramento no grupo B que não necessitou de reintervenção. Houve uma estenose no grupo B que foi tratada com dilatação digital no ambulatório. CONCLUSÃO: A técnica de Delorme para tratamento do prolapso retal apresenta a eficácia comparável à técnica da retopexia, porém com menor morbidade, podendo ser indicada com maior freqüência.<hr/>OBJECTIVE: Rectopexy is the most common technique used to correct rectal prolapse. Perineal procedures such as the Delorme technique and others are employed for older frail patients with significant comorbidity because of the higher recurrence rate. This study evaluated results of the Delorme technique and rectopexy. METHODS: Retrospective study of 31 patients with rectal prolapse treated from 1997 to 2005. Among them, 15 patients (group A) were treated by rectopexy and 16 by the Delorme technique (group B). Analysis of hospital stay, morbidity, complications and recurrence rate was carried out. RESULTS: There was longer hospital stay, seven days (3 to 11days) in group A, compared to four days (2 to 6 days) in group B. Recurrence rate was similar, respectively 13.3% and 6.6% (not significant). Most patients presented low rest and squeezing pressure, although half of them became fully continent after surgery (group A=53% and group B =50%). Morbidity was 40% and 18.9%, respectively for groups A and B. Sacral hemorrhage occurred in one patient and was controlled during rectopexy. A case of bleeding occurred in group B and ceased spontaneously without surgical procedure. There was a rectal stricture in group B treated successfully with digital dilatation at the doctor's office. CONCLUSION: The Delorme technique for treatment of rectal prolapse is a safe procedure and presents results similar to rectopexy. In addition it also has lower morbidity, and could be more often indicated. <![CDATA[<B>Relação entre incontinência urinária em mulheres atletas corredoras de longa distância e distúrbio alimentar</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200018&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Avaliar a ocorrência de incontinência urinária (IU) em atletas corredoras de longa distância e associá-la a presença ou não de distúrbios alimentares. MÉTODOS: Um total de 37 corredoras de longa distância completaram os questionários ¨International Consultation on Incontinence Questionnaire-Short Form¨ (ICIQ-SF) e o ¨Eating Attitudes Test¨ (EAT-26). O teste do absorvente de uma hora foi realizado para quantificar a perda de urina. A análise estatística das variáveis contínuas foi feita pelo teste t pareado, ou teste de Mann-Whitney. RESULTADOS: 23 atletas (62,2%) tinham queixa de perda de urina. A média dos escores do ICIQ-SF neste grupo foi de 4,03 &plusmn; 5,06. Houve diferença estatisticamente significante entre o valor do teste do absorvente (p=0,02) e o resultado do questionário EAT-26 (p=0,03) no grupo de atletas incontinentes. CONCLUSÃO: Encontramos IU em atletas corredoras de longa distância e houve correlação com distúrbios alimentar. Técnicos devem estar atentos para a ocorrência de eventuais distúrbios e encaminhar tais atletas para uma equipe multidisciplinar.<hr/>BACKGROUND: To determine the prevalence of urinary incontinence in female long-distance runners and to compare it with the presence or not of eating disorders. Methods - A total of 37 women have completed the International Consultation on Incontinence Questionnaire-Short Form (ICIQ-SF) and the short version of the Eating Attitudes Test (EAT-26). A one-hour pad test was performed to determine urine loss. Mean values of continuous variables were compared using an independent sample t-test or the Mann-Whitney U test. RESULTS: 23 athletes (62.2%) reported urine loss. The mean of the ICIQ-SF was 4.03 &plusmn; 5.06. There was a significant relation between the 1-hour pad test (p=0.02) and eating disorders (p=0.03). CONCLUSIONS: There was urinary incontinence in female long-distance runners and a correlation with eating disorders. Coaches should improve their knowledge about this problem and establish cooperation with a multidisciplinary team. <![CDATA[<B>Pressões retais e anais em primigestas ao defecar</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200019&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: O estudo teve o objetivo de avaliar as mudanças nas pressões do reto e ânus de primigestas ao simular defecação. MÉTODOS: Selecionamos 60 mulheres no Ambulatório de Pré-natal e no de Cirurgia da Santa Casa de São Paulo. Estas formaram quatro grupos de 15: a) grupo-controle: nuligestas; b) primigestas no 1º trimestre; c) primigestas no 2º trimestre; d) primigestas no 3º trimestre. Em todas realizamos manometria retal e anal e as seguintes medidas: a) pressão retal em repouso; b) pressão retal ao esforço de defecação; c) pressão anal à defecação. RESULTADOS: Observamos que as pressões retais ao esforço de defecar aumentam em grávidas em menor proporção que nas nuligestas; estas pressões caíram de 53,9 &plusmn; 17,9 em nuligestas para 36,3&plusmn; 19,6, 38,1 &plusmn; 16,2 e 30,5 &plusmn; 17,0 nos três trimestres. As pressões anais de defecação foram maiores nas nuligestas (46,9&plusmn; 17,6) que nas gestantes, respectivamente 37,5 &plusmn; 15,5, 32,1 &plusmn; 6,2 e 32,9 &plusmn; 8,7. Houve maior queda das pressões anais na gestação mais avançada, que compensa a dificuldade para elevar a pressão intra-retal de esforço. CONCLUSÃO: A gravidez altera as pressões retais e anais ao simular defecação, diminuindo- as, mas de forma a compensarem-se mutuamente.<hr/>OBJECTIVE: This study intended to evaluate rectal and anal straining pressures in primigravidae, at simulated defecation. METHODS: The present study is based on 60 women from de Antenatal Care of Santa Casa de Misericórdia - São Paulo. Patients were divided into four groups of 15: a) Control group: nuligravidae; b) 1st trimester primigravidae; c) 2nd trimester primigravidae; d) 3rd trimester primigravidae. All patients underwent rectal and anal measurements to obtain: a) Resting rectal pressure; b) Straining rectal pressure; c) Minimal straining anal pressure. RESULTS: Data was analyzed using statistical methods and reached, the same results: it was observed that the straining rectal pressure decreased from 53.9 &plusmn; 17.9 in control group a to respectively 36.3 &plusmn; 19.6 in group b, 38.1 &plusmn; 16.2 in group c, 30.5 &plusmn; 17.0 in group d, of pregnant women. The minimal anal straining pressure decreased from 46.9 &plusmn; 1.6 in the control group a to 37.5 &plusmn; 15.5 in group b, 32.2 &plusmn; 6.2 in group c , 32.9 &plusmn; 8.7 in group d, during pregnancy. CONCLUSION: Straining rectal and anal pressures both decreased during pregnancy in comparison with the control group, counterbalancing one another to reach a new point of equilibrium during defecation. <![CDATA[<B>Anemia ferropriva e estado nutricional de crianças de creches de Guaxupé</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200020&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: Avaliar o estado nutricional e a prevalência de anemia ferropriva de crianças que freqüentam creches no município de Guaxupé, MG. MÉTODOS: Foram incluídas no estudo crianças de ambos os sexos, de 6 a 72 meses de idade, matriculadas em creches do município de Guaxupé. O estado nutricional foi aferido por meio do escore Z das relações estatura para idade e peso para a estatura. Para o diagnóstico de anemia utilizou-se a dosagem de hemoglobina, ferro sérico, capacidade total de ligação de ferro e o índice de saturação de transferrina. RESULTADOS: Escore Z < -2 foi observado em 3,3% das crianças para a relação estatura para a idade e em 0,4% para o peso para a estatura. A prevalência total de anemia foi de 16,1%. Na faixa etária de 6 a 36 meses foi de 44,6%. No total da amostra, observaram-se 45% com ferro sérico diminuído, 37,9% com capacidade total de ligação de ferro aumentada e 43,1% com baixos índices de saturação de transferrina. CONCLUSÃO: A desnutrição não se constitui em problema, visto sua baixa prevalência; entretanto, se observa prevalência importante de deficiência de ferro. A anemia é mais prevalente em crianças de 6 a 36 meses, confirmando ser essa faixa etária mais vulnerável. Não há associação entre anemia e o escore Z das relações antropométricas estudadas.<hr/>OBJECTIVE: To evaluate the nutritional status and the prevalence of iron deficiency anemia in children attending public day care centers in the city of Guaxupé (MG), Brazil. METHODS: Children of both genders, from 6 to 72 months, registered in public day-care centers in the city of Guaxupé, were studied. Nutritional evaluation was conducted using the Z-score for height-to-age and weight-to-height relationships. Hemoglobin dosage, serum iron, total iron binding capacity and the transferrin saturation index were used for diagnosis of anemia. RESULTS: Z score < - 2 was observed in 3.3% of the children for the height-to-age relationship and of 0.4% for the weight-to-height relationship. Prevalence of total iron deficiency anemia was of 16.1%. In the age span from 6 to 36 months it was of 44.6%. The entire sample showed 45% with low serum iron, 37.9% with high total iron binding capacity and 43.1% with a low transferrin saturation index. CONCLUSION: Malnutrition was not considered to be a problem due to its low prevalence; however, an important prevalence of iron deficiency was observed. Iron deficiency anemia is more prevalent in children between 6 and 36 months confirming that this age span is more vulnerable. No association between iron deficiency anemia and the Z score of the studied anthropometry relationships was found. <![CDATA[<B>A influência do turno de trabalho em pacientes com <I>diabetes mellitus</I> tipo 2</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200021&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVOS: O objetivo deste estudo foi investigar a relação entre trabalho em turnos e pacientes diabéticos tipo 2. MÉTODOS: Um estudo transversal foi realizado em uma coorte de 95 pacientes diabéticos que trabalham no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Os pacientes foram divididos em dois grupos de acordo com o turno de trabalho noturno e diurno. Os pacientes foram submetidos à avaliação clínica e laboratorial. RESULTADOS: Não houve diferença significativa em relação à idade, sexo, duração do diabetes, índice de massa corporal, glicemia de jejum, teste A1c, triglicerídeos, colesterol total, LDL colesterol, HDL colesterol, creatinina sérica e ácido úrico. Maior média de circunferência abdominal foi encontrada no grupo de trabalhadores noturnos. CONCLUSÃO: A circunferência abdominal foi mais elevada no grupo de trabalhadores noturnos. Isto pode ser um indicativo de maior resistência insulínica neste grupo de pacientes. Nossa pesquisa indica que o trabalho em turnos não esta associado com piora no controle metabólico em indivíduos diabéticos, nem com a presença de nefropatia diabética.<hr/>OBJECTIVE: This study aimed to investigate the relationship between the work shift and diabetic patients. METHODS: A cross-section study was performed in a cohort of 95 type 2 diabetic patients that work in the Hospital de Clinicas de Porto Alegre. Patients were divided into 2 groups according to the shift, day or night work. Patients underwent clinical and laboratory evaluations. RESULTS: There were no significant differences in age, gender, diabetes duration, body mass index, blood pressure, fasting glucose, A1c (1%), triglycerides, total cholesterol, LDL cholesterol, HDL cholesterol, serum creatinine and uric acid. A higher average of waist circumference was found in the group of night workers. CONCLUSION: Waist circumference was greater in the group of night workers; which may be indicative of insulin resistance in this group of patients. Our research indicates that the shift is not associated with a worsening of metabolic control in subjects or presence of diabetic nephropathy. <![CDATA[<B>Monitorização ambulatorial da pressão arterial em filhos de hipertensos</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200022&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVO: O objetivo deste trabalho é estudar o comportamento da pressão arterial através da monitorização ambulatorial da pressão arterial (MAPA) em jovens normotensos que possuam história familiar de hipertensão. MÉTODOS: Foram avaliados pela MAPA 31 universitários normotensos, com idade entre 17 e 25 anos, cujos pais (ambos ou um deles) estivessem sendo tratados por hipertensão arterial (grupo I) e 30 indivíduos, também normotensos, cujos pais não apresentavam diagnóstico de HAS - hipertensão arterial sistêmica (grupo II). Todos os participantes tiveram dados epidemiológicos coletados e os valores de pressão arterial (PA) obtidos pela MAPA foram comparados. RESULTADOS: Não houve diferença estatística entre os grupos estudados quanto à análise das médias de PA sistólica (PAS) (p=0,195) e diastólica (PAD) (p=0,958), descenso noturno da PAS (p=0,61) e da PAD (p=0,289) e variabilidade da PAS (p=0,24) e da PAD (p=0,497). Houve significância estatística na comparação da pressão de pulso (42,74 mmHg no grupo I e 45,53 mmHg no grupo II, p=0,032) e da PAS mínima na vigília (85,00 mmHg no grupo I e 90,27 mmHg no grupo II, p=0,048). Ambos os parâmetros mencionados foram maiores nos filhos de normotensos. CONCLUSÃO: Na população estudada, houve diferença estatística significativa na pressão de pulso e PAS mínima na vigília, sendo maior nos filhos de normotensos. Os demais parâmetros da MAPA não apresentaram diferença significativa entre os grupos.<hr/>OBJECTIVE: This study intended to evaluate blood pressure monitoring (BPM) data in young hypertensive offspring. METHODS: We evaluated 31 students, of ages ranging from 17 to 25 years, whose parents (one or both) were being treated for hypertension (group I) and 30 normotensive subjects, whose parents were not hypertensive (group II). Epidemiological data were collected from all participants and the blood pressure (BP) measurements obtained by BPM were compared. RESULTS: There were no statistical differences between both groups when mean systolic blood pressure (SBP) (p=0.195) and mean diastolic blood pressure (DBP) (p=0.958); SBP decrease (p=0.61) and DBP decrease (p=0.289); SBP variability (p=0.24) and DBP variability (p=0.497) were compared. There were statistical differences, when pulse pressures (42.74 mmHg in group I and 45.53 in group II) and in the minimum SBP during the awake period (85.00 mmHg in group I and 90.27 mmHg in group II, p=0.048) were compared. Both parameters were higher in the group whose parents were not hypertensive individuals. CONCLUSION: In this population, there were statistical differences in pulse pressure and in minimum SBP during the awake period, being higher in the group whose parents were not hypertensive. There were no differences between the two groups in the other parameters analyzed. <![CDATA[<B>Radiocirurgia com acelerador linear em malformações arteriovenosas cerebrais</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200023&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJECTIVE: To evaluate results achieved with radiosurgery and complications of the procedure when treating arteriovenous malformations with linear accelerator. METHODS: This retrospective study was conducted between October 1993 and December 1996. Sixty-one patients with arteriovenous malformations were treated with radiosurgery utilizing a 6MV energy linear accelerator. Ages of the 32 female and 29 male patients ranged from 6 to 54 years (mean: 28.3 years). The most frequent initial symptom was cephalea (45.9%), followed by neurological deficit (36.1%). Cerebral hemorrhage diagnosed by image was observed in 35 patients (57.3%). Most arteriovenous malformations (67.2%) were graded Spetzler III and IV. Venous stenosis (21.3%) and aneurysm (13.1%) were the most frequent angioarchitecture changes. The dose administered varied from 12 to 27.5Gy in the periphery of the lesion. RESULTS: Out of twenty-eight patients that underwent conclusive angiography control, complete obliteration was achieved in 18 (72%) and treatment failed in 7 (absence of occlusion with more than 3 years of follow-up). Four were submitted to a second radiosurgery, and one of these has shown obliteration after 18 months of follow-up. DISCUSSION: Several factors were analyzed regarding the occlusion rate (gender, age, volume, localization, Spetzler, flow, embolization, total of isocenters, prescribed dose and chosen isodose) and complications (total of isocenters, localization, volume, maximum dose, prescribed dose and chosen isodose). Analyzed variables showed no statistical significance for obliteration of the vessel, as well as for treatment complications. The largest diameter of the arteriovenous malformation, its volume and the dose administered did not influence time of obliteration. CONCLUSION: Radiosurgery is effective in the treatment of arteriovenous malformations and can be an alternative for patients with clinical contraindication or with lesions in eloquent areas. In the studied variables no statistically significant correlation was observed between occlusion and treatment complications.<hr/>OBJETIVO: Analisar os resultados obtidos com radiocirurgia e as suas complicações do procedimento, no tratamento das malformações arteriovenosas com acelerador linear. MÉTODOS: Este é um estudo retrospectivo. Entre Outubro de 93 e Dezembro de 96, sessenta e um pacientes com malformações arteriovenosas foram tratados, utilizando um acelerador linear com 6MV de energia. As idades variaram de 6 a 54 anos (média: 28,3 anos), 32 pacientes mulheres e 29 pacientes homens. O sintoma inicial mais freqüente foi cefaléia (45,9%), seguido de déficit neurológico (36,1%). Hemorragia cerebral diagnostica por exame de imagem foi observada em 35 pacientes (57,3%). A maioria das malformações arteriovenosas (67,2%) eram graus III e IV de Spetzler. Estenose venosa (21,3%) e aneurisma (13,1%) foram as mais freqüentes alterações da arquitetura vascular. A dose administrada variou de 12 a 27,5Gy na periferia da lesão. RESULTADOS: Dos vinte e oito pacientes que se submeteram a controle angiográfico conclusivo, 18 tiveram obliteração completa (72%) e 7 falharam ao tratamento (ausência de oclusão com mais de três anos de seguimento). Quatro pacientes foram submetidos a uma segunda radiocirurgia, e um paciente deste grupo apresentou obliteração em 18 meses de seguimento. DISCUSSÃO: Vários fatores foram analisados em relação ao grau de oclusão (sexo, idade, volume, localização, Spetzler, fluxo, embolização, total de isocentros, dose prescrita e isodose escolhida) e complicações (total de isocentros, localização, volume, dose máxima, dose prescrita e isodose escolhida). As variáveis analisadas não mostraram significância estatística para a obliteração do vaso, bem como para as complicações de tratamento. O maior diâmetro da malformação arteriovenosa, seu volume e a dose administrada não influenciaram no tempo de obliteração. CONCLUSÃO: Radiocirurgia é eficiente no tratamento das malformações arteriovenosas e pode ser uma alternativa para pacientes com contra-indicações clínicas ou com lesões em áreas eloqüentes. Não foram observadas correlações estatisticamente significativas entre as variáveis estudadas entre oclusão e complicações do tratamento. <![CDATA[<B>Avaliação dos glicosaminoglicanos do tecido periuretral de pacientes com e sem prolapso genital</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200024&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt OBJETIVOS: Caracterizar e quantificar os subtipos de glicosaminoglicanos sulfatados (GAGs) existentes no tecido peri-uretral de pacientes com e sem prolapso genital. METODOS: Foram incluídas 35 pacientes que se submeteram a cirurgia vaginal para correção de distopias genitais e/ou incontinência urinária de esforço ou por outra condição benigna. As pacientes foram avaliadas por anamnese padronizada, exame físico e urodinâmico e agrupadas segundo a existência do prolapso genital. Durante o procedimento cirúrgico, amostras de aproximadamente 1,0 x 1,0 cm do tecido periuretral foram retiradas para avaliação. Os GAGs foram extraídos do tecido por proteólise e precipitação por ácido tricloroacético e caracterizados por eletroforese em gel de agarose. A quantificação foi feita por meio de densitometria a 525 nm do gel corado com azul de toluidina. Compararam-se os dados pela análise de variância (ANOVA). RESULTADOS: Nos grupos estudados, houve maior predomínio de dermatam sulfato (DS), em torno de 85% do total de GAGs, seguido do condroitim sulfato (CS) e do heparam sulfato (HS). Observou-se aumento significativo dos GAGs totais, do DS e do HS em mulheres com prolapso genital. Não se observou diferença significante com relação ao CS. CONCLUSÃO: Este estudo demonstrou diferenças na matriz extracelular do tecido periuretral com aumento de GAGs totais, DS e HS nas mulheres com prolapso genital.<hr/>OBJECTIVE: To characterize and quantify periurethral tissue sulphated glycosaminoglycans (GAGs) in women with and without pelvic organ prolapse. STUDY DESIGN: Periurethral tissue was obtained from 35 women who underwent surgery for pelvic organ prolapse, for stress urinary incontinence, or for other gynecological benign conditions. Patients were submitted to a clinical history, physical and urodynamic examination and were divided in two groups according to genital prolapse. The standard biopsy with 1.0 x 1.0 cm was taken from periurethral tissue during surgery and assessed by biochemical methods. The GAGs were obtained by proteolysis and precipitated by trichloroacetic acid. The relative concentration of sulfated GAGs was determined by densitometry of toluidine blue stained gel using a spectrophotometer with a 525 nm wavelength. Data were compared using analysis of variance (ANOVA). RESULTS: In the two groups dermatan sulphate (DS) was the predominant glycosaminoglycan (85%), followed by chondroitin sulphate (CS) and heparan sulphate (HS). Women with pelvic organ prolapse had significantly more total GAGs, DS and HS. Differences in CS were not observed. CONCLUSIONS: This study showed altered biochemical characteristics in the extracellular matrix of periurethral tissue and also accumulation of GAGs, DS and CS, in women with pelvic organ prolapse. <![CDATA[<B>Tratamento do câncer de próstata avançado</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200025&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Geriatricians and general practitioners often follow patients with metastatic prostate cancer. The epidemiology and basic treatment principles of metastatic prostate cancer are discussed aiming to update the topic for the non-oncologist. Hormone manipulation remains the basis of treatment, usually up to a second line of therapy. Selected cases are treated successfully with intermittent androgen ablation. When new hormone-independent clones arise, chemotherapy should be added to therapy that confers improved survival as well as better quality of life when based on taxanes. In specific situations, additional measures such as bisphosphonates and radiation therapy should be included in the treatment. As a rule, the public health system makes available the necessary medication to ensure treatment for the vast majority of patients in Brazil.<hr/>Pacientes com câncer de prostata metastático estão freqüentemente sob os cuidados de geriatras e clínicos gerais. Discutimos a epidemiologia e os princípios básicos do tratamento do câncer de próstata metastático, visando atualizar o não-oncologista no assunto. A base do tratamento continua sendo a manipulação hormonal, inclusive como tratamento de segunda linha. Casos selecionados podem ser tratados com ablação androgênica intermitente de maneira eficaz. Quando se desenvolvem clones de células hormônio-independentes, quimioterápicos são incorporados na terapia. A quimioterapia confere não só benefício em sobrevida, mas também na qualidade de vida, quando baseado em taxanos. Medidas adicionais como o uso de bisfosfonados e radioterapia devem ser incorporadas no tratamento em situações especiais. De modo geral, o sistema público de saúde do Brasil disponibiliza todas as medicações necessárias ao adequado tratamento dos pacientes no país. <![CDATA[<B>Auto-hemoterapia, intervenção do estado e bioética</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302008000200026&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A auto-hemoterapia é uma prática de uso clínico crescente, mas com potencial risco à saúde dos indivíduos, uma vez que se trata de procedimento terapêutico sem comprovação científica. Até o momento não existem estudos clínicos que comprovem a eficácia e a segurança deste procedimento; apenas pesquisas experimentais com resultados questionáveis, tanto em seres humanos quanto em animais. Nos últimos anos, a área de Vigilância Sanitária (VS) do Ministério da Saúde ampliou suas ações preventivas e de controle de riscos tanto no âmbito privado como coletivo. As ações da VS têm, muitas vezes, como base o poder legal de polícia administrativa que a legislação lhe confere. Esse poder é entendido como a faculdade que dispõe a Administração Pública para condicionar e restringir o uso e gozo de bens, atividades e direitos individuais, em benefício da coletividade ou do próprio Estado. Recentemente, o Estado, por meio do poder de polícia da VS, interveio na prática da auto-hemoterapia no Brasil. O presente estudo analisa e defende a ação interventiva da VS na prática clínica da auto-hemoterapia no país, tendo como base de sustentação argumentativa os "Quatro Pês" desenvolvidos pela chamada "Bioética de Intervenção" - prevenção, proteção, precaução e prudência.<hr/>The increasingly frequent practice of autohemotherapy entails a potential risk to the health of individuals since it is scientifically unproven. There are practically no clinical studies showing the efficacy and safety of this procedure; only experimental research with questionable results from studies on human beings and animals. Over the last years, the sanitary surveillance area has expanded its preventive and risk control actions based upon a precautionary philosophy in the private as well as the public sphere. By observing the theoretical and practical reference points of the "four Ps" (prevention, protection, precaution and prudence), in accordance with the epistemology developed within Intervention Bioethics, sanitary surveillance actions are based upon legal administrative policing powers. These powers are understood to be the Public Administration's competence to set conditions on and restrict the use and benefit of goods, activities and individual rights, on behalf of the common well being of people or the State itself. The Brazilian State, through its sanitary surveillance policing powers at the three levels of government, has intervened in the practice of autohemotherapy. Considering the responsible State intervention in situations of collective interest, vulnerability and susceptibility, the present study proposed to analyze the practice of autohemotherapy in the light of sanitary surveillance actions and their relationship with the "four Ps" of Intervention Bioethics.