Scielo RSS <![CDATA[Pró-Fono Revista de Atualização Científica]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-568720070001&lang=pt vol. 19 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <link>http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872007000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt</link> <description/> </item> <item> <title><![CDATA[<B>Movimentos mandibulares na fala</B>: <B>interferência das disfunções temporomandibulares segundo índices de dor</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872007000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: as disfunções temporomandibulares podem acarretar alterações gerais nos movimentos mandibulares devido à modificação nas condições musculares e articulares. A eletrognatografia, exame computadorizado utilizado para complementar o diagnóstico dessas disfunções, permite delinear e registrar de maneira objetiva os movimentos mandibulares, determinando sua amplitude e velocidade. OBJETIVO: verificar as características do movimento mandibular na fala em indivíduos com disfunções temporomandibulares e em assintomáticos, por meio de eletrognatografia computadorizada, analisando possíveis interferências dessas disfunções e as implicações de severidade quanto ao índice de dor. MÉTODO: 135 participantes adultos foram divididos em quatro grupos com base nos graus de dor, utilizando-se escala numérica, sendo: zero para ausência de dor, um para dor leve, dois para dor moderada e três para dor grave. Os movimentos mandibulares foram observados na nomeação seqüencial de figuras balanceadas quanto à ocorrência dos fonemas da língua. Os registros foram obtidos com eletrognatografia computadorizada (BioEGN - sistema BioPak). RESULTADOS: a análise dos resultados mostrou que as diferenças apontadas como significantes para amplitude de abertura e para velocidade de fechamento mandibular, ocorrem entre o grau zero e todos os outros graus de dor. Para velocidade de abertura mandibular na fala, foi obtida diferença estatisticamente significante entre grau zero e grau três. Constatou-se que os movimentos mandibulares na fala são discretos, com componente antero-posterior e desvios em lateralidade. CONCLUSÃO: a presença de disfunções temporomandibulares acarreta redução das amplitudes máximas de abertura e redução da velocidade tanto de abertura quanto de fechamento dos movimentos mandibulares durante a fala. Os diferentes graus de dor: leve, moderado e grave, parecem não determinar maior redução desses valores.<hr/>BACKGROUND: temporomandibular disorders can cause general alterations of the mandibular movements due to modification in the condition of muscles and articulations. Electrognathography, a computerized exam used to complement the diagnosis of these disorders, allows the objective delineation and record of the mandibular movements, determining their amplitude and speed. AIM: to verify the characteristics of mandibular movements of individuals with temporomandibular dysfunction and in asymptomatic individuals during speech, through computerized electrognathography, analyzing possible interferences of this dysfunction and severity implications regarding pain indexes. METHOD: 135 adults were divided in four groups based on their pain indexes, using a numeric scale: zero for pain absence, one for mild pain, two for moderate pain and three for severe pain. Mandibular movements were observed during the sequential naming of balanced pictures taking in consideration the occurrence of phonemes in the Brazilian Portuguese language. Records were obtained using computerized electrognathography (BioEGN - BioPak system). RESULTS: the analysis of the results point that differences indicated as significant for mandibular opening amplitude and mandibular closing speed occurred between index zero and all of the other pain indexes. Regarding mandibular opening speed during speech, statistically significant differences were obtained between index zero and index three. It was observed that mandibular movements in speech are discreet, with an anteroposterior component and deviations in laterality. CONCLUSION: the presence of temporomandibular dysfunctions causes reduction in the values of maximum mandibular opening and a reduction in both mandibular opening speed and mandibular closing speed during speech The different pain indexes: mild, moderate and severe do not seem to determine larger reduction of these values. <![CDATA[<B>Percepção vocal e qualidade de vida</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872007000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: a percepção da disfonia e o impacto que a alteração vocal causa na qualidade de vida. OBJETIVO: verificar se a interferência da disfonia na qualidade de vida relaciona-se à autopercepção vocal do disfônico e à percepção da agradabilidade da voz desses indivíduos por pessoas da comunidade. MÉTODO: 31 adultos disfônicos, antes do processo terapêutico, preencheram o protocolo de Qualidade de Vida e Voz (QVV) que analisa o impacto da disfonia na qualidade de vida e opinaram quanto a autopercepção da qualidade vocal. Foram realizadas as gravações de vogal "a" sustentada e contagem de números de um a dez, utilizando sistema digital e ambiente acusticamente tratado. As emissões gravadas foram apresentadas para 25 juizes sem treinamento quanto à percepção vocal, para que classificassem as vozes segundo a mesma escala que os disfônicos utilizaram para opinar acerca de suas próprias vozes. RESULTADOS: por meio do teste de Spearman, constatou-se que houve correlação estatisticamente significante entre os resultados do QVV e a autopercepção vocal, nos domínios social/emocional (p=0,047), físico (p=0,010) e total (p=0,008), porém não houve correlação entre os resultados do QVV e a percepção dos ouvintes leigos, tanto para vogal sustentada, como para fala encadeada (p=0,475 e p=0,152 respectivamente). CONCLUSÃO: Observou-se que quanto pior a opinião do disfônico sobre o impacto da disfonia em sua qualidade de vida, pior a sua autopercepção vocal, mas não observou-se relação entre a qualidade de vida do disfônico e a percepção vocal pelos ouvintes.<hr/>BACKGROUND: the perception of dysphonia and the impact of vocal alteration on life quality. AIM: to verify if the interference of dysphonia on life quality is related to the vocal self-perception of dysphonic individuals and to the perception members of the community have about the vocal pleasantness of these individuals. METHODS: 31 dysphonic adults, prior to treatment, filled out the Voice Related Quality of Life (V-RQOL) protocol that analyzes the impact of dysphonia on life quality. These individuals were also asked to comment about their self-perception of vocal quality. Recordings of the sustained "a" vowel and number counting from one to ten were made, using a digital system in an acoustic treated environment. The recorded material was presented to 25 judges, with no training in vocal perception, so that they could classify the voices according to the same scale used by the dysphonic individuals when commenting about their own voices. RESULTS: according to Spearman's test, a statistically significant correlation was observed between the results of the V-RQOL and the vocal self-perception related to the social/emotional (p = 0.047), physical (0 = 0.010) and total (p = 0.008) domains. However there was no correlation between the results of the V-RQOL and the perception of the judges, both for the sustained "a" vowel and for the number counting (p = 0.475 e p = 0.152 respectively). CONCLUSION: it was observed that the worst the opinion of the dysphonic individual about the impact of dysphonia on life quality, the worst was his vocal self-perception. A relationship between the life quality of the dysphonic individual and the vocal perception of listeners was not observed. <![CDATA[<B>Desenvolvimento do sistema sensório motor oral e motor global em lactentes pré-termo</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872007000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: avaliação do desenvolvimento de lactentes nascidos pré-termo. OBJETIVO: avaliar associação entre a idade gestacional (IG) de lactentes nascidos pré-termo com o desenvolvimento motor global e com sinais precoces de alteração do desenvolvimento do sistema sensório motor oral, verificando uma possível associação entre eles. MÉTODO: estudo exploratório que avaliou o desenvolvimento de 55 lactentes com idade cronológica corrigida entre quatro e cinco meses, nascidos pré-termo no Instituto Materno Infantil Professor Fernando Figueira (IMIP) e acompanhados no Ambulatório de Egressos do Programa Mãe Canguru, no período de março a agosto de 2004. A avaliação do desenvolvimento do sistema sensório motor oral foi realizada através de indicadores pré-selecionados e a do desenvolvimento motor global através da Alberta Infant Motor Scale (AIMS). RESULTADOS: os lactentes com menor IG ao nascer (29 a 34 semanas) apresentaram uma mediana mais elevada do índice de sinais de risco na avaliação do desenvolvimento sensório motor oral, quando comparados com os nascidos com maior IG (35 a 36 semanas). Em relação ao desenvolvimento motor, os lactentes com menor IG ao nascer apresentaram um maior percentual de escore da AIMS abaixo do percentil 10 (26%), quando comparado com os nascidos com maior IG (4%) (p = 0,009). A mediana do índice dos sinais de risco para o desenvolvimento sensório motor oral foi significantemente maior entre os lactentes com escore total da AIMS inferior ao percentil 25, quando comparada com os que apresentaram escore igual ou maior que o percentil 25. CONCLUSÃO: a idade gestacional dos lactentes ao nascer influenciou o desenvolvimento do sistema sensório motor oral e motor global em detrimento dos RN com menor IG. Esses achados sugerem uma possível associação entre ambos aspectos do desenvolvimento infantil.<hr/>BACKGROUND: development assessment of preterm infants. AIM: to evaluate the association between the gestational ages (GA) of premature infants with the global motor development as well as with early signs of sensory oral motor development delay, and to verify a possible association between them. METHOD: an exploratory study that assessed the development of 55 infants with corrected chronological ages between four to five months, born preterm at the Instituto Materno Infantil Professor Fernando Figueira (IMIP) and who were followed at the Kangaroo Mother Program Clinic between March and August of 2004. The assessment of the sensory oral motor development was performed through pre-selected indicators and of the global motor development through the Alberta Infant Motor Scale (AIMS). RESULTS: infants with lower GA (29 to 34 weeks) presented a higher median of risk signs in the sensory oral motor development assessment when compared to those with higher GA (35 to 36 weeks). Regarding the global motor development, infants born with lower GA presented a higher number of scores in the AIMS below percentile 10 (26%) when compared to those with a higher GA (4%) (p=0.009). The median index of the risk signs for the sensory oral motor development were significantly higher among infants with total AIMS scores below percentile 25 when compared to those with scores equal to or above percentile 25. CONCLUSION: the gestational age of infants at birth influenced the sensory oral motor and global motor development - infants with lower gestational ages presented worse performances. These findings suggest a possible association between both aspects of infant development. <![CDATA[<B>Estudo do benefício e da aclimatização em novos usuários de próteses auditivas</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872007000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: benefício e aclimatização. OBJETIVOS: caracterizar o benefício de curto prazo em adultos novos usuários de próteses auditivas, por meio de procedimentos objetivos (ganho funcional) e subjetivos (questionários de auto avaliação) e estudar o fenômeno de aclimatização, a partir da análise dos índices percentuais de reconhecimento de fala (IPRF) dessa população antes da adaptação e após quatro e 16/18 semanas de uso da amplificação. MÉTODOS: participaram deste estudo 16 indivíduos portadores de perda auditiva bilateral simétrica neurossensorial ou mista de grau moderado a severo, novos usuários de próteses auditivas, na faixa etária entre 17 a 89 anos. Nos três momentos da pesquisa: antes da adaptação das próteses auditivas, após quatro semanas e 16/18 semanas, foi realizada audiometria tonal liminar, o IPRF, o limiar de reconhecimento de fala e a aplicação dos questionários: Hearing Handicap inventory for Elderly Screening Version ou Hearing Handicap Inventory for the Adults Screening Version e Abbreviated Profile of Hearing Aid Benefit. Após a adaptação, foi realizado o ganho funcional. RESULTADOS: revelaram diferenças estatisticamente significantes nas medidas objetivas e subjetivas após o uso das próteses auditivas, indicando benefício de curto prazo. Contudo, ao longo do tempo de uso da amplificação não ocorreu uma melhora significante do benefício, sugerindo que este não aumenta com o tempo. Foi observada melhora da média dos IPRF e das medidas subjetivas do benefício auditivo ao longo do tempo de uso da amplificação, contudo estas diferenças não foram estatisticamente significantes. CONCLUSÃO: ocorreu benefício a curto prazo com o uso das próteses auditivas, contudo não foi possível verificar a ocorrência do fenômeno da aclimatização por meio do IPRF.<hr/>BACKGROUND: benefit and acclimatization. AIM: to characterize the short-term benefits presented by adults, recent users of hearing aids, through objective (functional gain) and subjective (self-evaluation questionnaires) procedures. The possible occurrence of the phenomenon of acclimatization was also investigated based on the analysis of the speech recognition percent index (SRPI) before the fitting of the hearing aids and after four and 16/18 weeks of hearing aids use. METHOD: sixteen subjects, with ages between 17 and 89 years, with symmetric moderate or severe sensorineural hearing loss, recent hearing aid users, were evaluated. The study was divided in three phases: before the hearing aids fitting, and after four and 16/18 weeks following the fitting process. In all of the phases the following procedures were used: pure tone audiometry, speech recognition percent index, speech recognition threshold and the Hearing Handicap Inventory for Elderly Screening Version or the Hearing Handicap Inventory for the Adults Screening Version, and the Abbreviated Profile of Hearing Aid Benefit. After the hearing aid fitting process, subjects were submitted to free field audiometry. RESULTS: results showed statistically significant differences between objective and subjective measures after the use of hearing aids, indicating short-term benefit. However, as time went by, the benefit obtained with the use of hearing aids did not improve significantly, suggesting that benefit does not increase with time. SRPI as well as subjective measures improved with long-term hearing aid use, but such differences were not statistically significant. CONCLUSIONS: short-term benefits were obtained with the use of hearing aids, however the phenomenon of acclimatization was not observed through the SRPI. <![CDATA[<B>Análise do perfil das habilidades pragmáticas em crianças pequenas normais</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872007000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: habilidades pragmáticas em crianças. OBJETIVO: analisar o perfil das habilidades pragmáticas em crianças pequenas, sem alterações de linguagem e verificar se há diferenças significantes nestas habilidades, considerando o nível sócio-econômico destas crianças. MÉTODO: participaram do estudo 30 crianças, entre 36 e 47 meses, pertencentes a escolas de educação infantil pública e privada, cuja população que freqüenta é de nível sócio-econômico baixo e médio/alto, respectivamente. Foi registrado, em fita VHS, 30 minutos de conversação semi-estruturada entre a criança e o avaliador, sendo transcritos e analisados 20 minutos. RESULTADOS: há maior ocorrência de turnos verbais em relação aos não verbais e ininteligíveis; turnos simples em relação aos expansivos, coerentes em relação aos incoerentes. Houve baixa ocorrência de turnos de iniciação de conversação. Na análise das funções comunicativas predominou a informativa, muito embora todas as outras (instrumental, heurística, nomeação, narrativa, protesto, interativa) tenham sido utilizadas por todas as crianças. Comparando-se o desempenho das crianças das instituições públicas e privadas, constataram-se diferenças estatisticamente significantes para a ocorrência dos turnos verbais, simples e expansivos, e uso da função narrativa, sendo que a maior ocorrência se deu nas amostras de linguagem das crianças da instituição privada. CONCLUSÃO: a análise do perfil das habilidades conversacionais das crianças revelou que elas mais respondem/mantém do que iniciam a conversação, todavia, seus turnos são verbais, em sua maioria, coerentes e simples. Quanto à funcionalidade, a função predominante é a informativa. Aspectos sóciolingúisticos podem interferir nas habilidades pragmáticas de crianças de diferentes níveis sócio-econômicos.<hr/>BACKGROUND: pragmatic abilities in children. AIM: to analyze the pragmatic abilities profile in normal preschool children and to verify if significant differences exist regarding the children's different socioeconomic levels. METHOD: participants of this study were 30 children, with ages between 36 and 47 months, who attended public and private elementary schools - low and medium/high socioeconomic levels respectively. A thirty minute semi-structured conversation between each child and the evaluator was recorded in VHS. For the analysis of the pragmatic abilities profile 20 minutes of each conversation was transcribed. RESULTS: there is a prevalence of verbal over non-verbal and unintelligible utterances; simple over expansive utterances; coherent over incoherent utterances. There was a low occurrence of utterances used to start a conversation. Regarding the use of communicative functions, the informative function prevailed, even though all the others (instrumental, heuristic, naming, narrative, negative, interactive) were used by all of the children. Comparing the performance of children who attended public schools with that of children who attended private schools, statistically significant differences were observed in the number of simple and expansive verbal utterances, and in the use of the narrative function, indicating a better performance of children from private institutions. CONCLUSION: the analysis of the children's conversational abilities profile revealed that they respond/maintain the conversation instead of initiating it; their utterances are verbal, mostly coherent and simple. Regarding the communicative functions, the most prevalent was the informative function. Sociolinguistic aspects can interfere in the pragmatic abilities of children of different socioeconomic level. <![CDATA[<B>Problemas de alimentação em crianças com doença do refluxo gastroesofágico</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872007000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: a queixa de problema alimentar é freqüente na faixa pediátrica, podendo apresentar associação com problemas de motilidade digestiva superior. A doença do refluxo gastro-esofágico (DRGE) é considerada hoje em dia um dos fatores de risco para o desenvolvimento de problemas de alimentação. OBJETIVO: verificar a ocorrência de problemas de alimentação em pacientes com DRGE definida pelo exame de pHmetria esofágica de 24 horas. MÉTODO: estudo analítico observacional transversal da das funções estomatognáticas e do comportamento alimentar em crianças com quadro clínico de DRGE e crianças saudáveis. RESULTADOS: foram avaliadas 25 crianças (45,68 &plusmn; 34,22 meses; média e desvio padrão) com diagnóstico de DRGE realizado por meio da pHmetria e 40 crianças (60,65 &plusmn; 36,07 meses) sorteadas do grupo escolar. Os critérios para a solicitação do exame de pHmetria foram a presença de manifestações como vômito, regurgitação, chiado e pneumonias de repetição. Não houve diferença significativa entre as médias de idade. Houve ocorrência estatisticamente significante (p < 0,05) de problemas de alimentação (PA) e distúrbio das funções orais (distúrbios de sucção, mastigação e deglutição) no grupo de crianças com DRGE. PA de ordem comportamental esteve presente em 44% dos casos e PA de ordem estomatognática em 80%. Cerca de 64% das crianças apresentaram histórico de queixa de problema alimentar, 36% aumento do tempo de alimentação, 68% problemas no desenvolvimento dos padrões orais de alimentação e 60% alteração do modo respiratório nasal. CONCLUSÃO: Crianças com DRGE apresentam maior prevalência de problemas alimentares de ordem comportamental e estomatognática quando comparadas a crianças saudáveis.<hr/>BACKGROUND: feeding/eating disorders are frequent in pediatric patients and, in some cases, can be associated to an upper digestive motility disorder. Gastro-esophageal reflux is, nowadays, considered a risk factor for the development of feeding/eating disorders. AIM: to verify the occurrence of feeding/eating disorders in patients with Gastro-Esophageal Reflux Disease (GERD) determined by the 24-H esophageal pH monitoring evaluation. METHOD: an analytical observational cross-sectional study of the stomathognatic system and feeding/eating behavior in healthy children and in children with GERD. RESULTS: 25 children (ages 45,68 &plusmn; 34,22 months; mean &plusmn; SD) with the diagnosis of GERD determined by the 24-H esophageal pH monitoring evaluation and 40 children (ages 60,65 &plusmn; 36,07 months; mean &plusmn; SD) randomized from their school group. The criteria for the pH monitoring were: vomiting, regurgitation, wheezing and recurrent pneumonia. There was no significant difference in age mean between groups. Children with GERD presented an significantly higher frequency (p<0.05) of feeding/eating problems (F/EP) and of oral motor-sensory disturbances (sucking, chewing and swallowing). Behavioral F/EP was present in 44% of the cases and oral motor-sensory F/EP in 80%. About 64% of the children had a history of feeding/eating complaints, 36% presented an extended feeding/eating time, 68% presented problems in the development of the oral feeding patterns and 60% presented alterations in the nasal breathing pattern. CONCLUSION: children with GERD presented a higher prevalence of behavioral and stomathognatic feeding/eating problems when compared to healthy children. <![CDATA[<B>Análise comparativa da eficiência de três diferentes modelos de terapia fonológica</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872007000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: terapia fonológica em crianças com desvios fonológicos. OBJETIVO: comparar as mudanças referentes ao sistema fonológico de crianças com desvio fonológico, com base na comparação do número de fonemas adquiridos, número de sons estabelecidos no inventário fonético e traços distintivos alterados, antes e após a terapia, e verificar se houve diferença em relação a estas mudanças de acordo como o modelo de terapia utilizado - Ciclos Modificado, Oposições Máximas e ABAB - Retirada e Provas Múltiplas. MÉTODO: o grupo pesquisado foi constituído por 21 sujeitos, sendo 15 do sexo masculino e 6 do sexo feminino, com desvios fonológicos que já haviam recebido alta do atendimento fonoaudiológico. Foram comparadas a avaliação fonológica inicial e a avaliação após a terapia em relação ao número de sons estabelecidos nos sistemas fonológicos, o número de sons presentes nos inventários fonéticos e os traços distintivos alterados; também foram comparadas as mudanças fonológicas resultantes da aplicação dos três modelos terapêuticos. RESULTADOS: observou-se diferença estatisticamente significante entre as avaliações iniciais e finais nos três modelos quanto aos fonemas estabelecidos no sistema fonológico e traços distintivos alterados, enquanto que no inventário fonético, houve diferença estatística significante somente entre os modelos ABAB - Retirada e Provas Múltiplas e Oposições Máximas. Não houve diferença estatística entre os modelos terapêuticos. CONCLUSÃO: os modelos de terapia foram efetivos no tratamento das crianças com desvio fonológico, pois estas apresentaram evolução nos seus sistemas fonológicos, inventários fonéticos e traços distintivos alterados, não havendo diferença estatisticamente significante entre os modelos.<hr/>BACKGROUND: phonological therapy in children with phonological disorders. AIM: to verify changes in the phonological system of children with phonological disorders, based on the comparison of number of acquired phonemes, number of sounds in the phonetic inventory and altered distinctive features, before and after therapy, and to verify differences between therapy models: Modified Cycles, Maximal Oppositions and ABAB - Withdrawal and Multiple Probes. METHOD: the research group was composed of 21 subjects, 15 male and 6 female, with phonological disorders, who had already completed speech-language treatment. The initial and final phonological assessments were compared taking into consideration the number of phonemes in the phonological systems, the number of sounds in the phonetic inventory and the altered distinctive features. Phonological changes that resulted from the application of the three therapeutic models were also compared. RESULTS: statistically significant differences were observed between the initial and final assessments in all of the three therapeutic models considering the number of acquired phonemes and the altered distinctive features, whereas in the phonetic inventory a statistically significant difference was observed only between the ABAB - Withdrawal and Multiple Probes and the Maximal Oppositions model. No statistical difference was observed between the therapy models. CONCLUSION: the three therapy models were effective in the treatment of children with phonological disorders, once all of the children presented improvement of their phonological system, phonetic inventory and altered distinctive features. No significant statistical difference was found between the models. <![CDATA[<B>Efeitos da amplificação sonora sobre as modalidades comunicativas utilizadas pelos pais</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872007000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: reabilitação auditiva em crianças surdas usuárias de língua de sinais. OBJETIVO: pesquisar os efeitos da amplificação fornecida pelas próteses auditivas sobre as modalidades comunicativas utilizadas pelos pais, durante a interação com seus filhos surdos. MÉTODO: participaram deste estudo 12 crianças surdas na faixa etária de 50 a 80 meses de idade, cuja modalidade preferencial de comunicação era a viso-espacial (língua de sinais) e seus pais ouvintes. Eram crianças com perda auditiva de grau severo ou profundo na melhor orelha e usuárias de próteses auditivas nas duas orelhas. Foram estudadass a relação de causa-efeito entre o perfil das habilidades auditivas das crianças surdas (medidas de inserção, ganho funcional e a Escala de Integração Auditiva Significativa) e as modalidades comunicativas (auditivo-oral, viso-espacial, bimodal) utilizadas pelos pais. As modalidades comunicativas foram analisadas e comparadas em duas situações diferentes de interação estruturada entre os pais e os filhos, ou seja, quando as crianças não estavam utilizando as próteses auditivas (Situação 1) e quando as crianças estavam utilizando as próteses auditivas (Situação 2). A análise dos dados foi realizada por meio da estatística descritiva. RESULTADOS: o perfil das habilidades auditivas das crianças surdas mostrou-se inferior a 53% (insatisfatório). Predominantemente, os pais utilizaram a modalidade bimodal para ganharem a atenção, transmitirem e finalizarem as tarefas. Evidenciaram-se discretos efeitos positivos da amplificação nas modalidades comunicativas, pois os pais utilizaram mais turnos na modalidade auditivo-oral na Situação 2. CONCLUSÃO: os pais ouvintes tendem a utilizar mais turnos comunicativos na modalidade auditivo-oral para ganharem, transmitirem e finalizarem as tarefas à medida que observam melhora no perfil das habilidades auditivas em seus filhos.<hr/>BACKGROUND: auditory rehabilitation in deaf children users of sign language. AIM: to verify the effects of sound amplification on parent's communicative modalities when interacting with their deaf children. METHOD: participants were twelve deaf children, aged 50 to 80 months and their hearing parents. Children had severe or profound hearing loss in their better ear and were fitted with hearing aids in both ears. Children communicated preferably through sign language. The cause-effect relation between the children's auditory skills profile (insertion gain, functional gain and The Meaningful Auditory Integration Scale - MAIS) and the communicative modalities (auditive-oral, visuo-spacial, bimodal) used by parents was analyzed. Communicative modalities were compared in two different experimental situations during a structured interaction between parents and children, i.e. when children were not fitted with their hearing aids (Situation 1) and when children were fitted with them (Situation 2). Data was analyzed using descriptive statistics. RESULTS: the profile of the deaf children's auditory skills demonstrated to be lower than 53% (unsatisfactory). Parents used predominately the bimodal modality to gain children's attention, to transmit and to end tasks. A slight positive effect of sound amplification on the communicative modalities was observed, once parents presented more turn-takings during communication when using the auditory-oral modality in Situation 2. CONCLUSION: hearing parents tend to use more turn-takings during communication in the auditory-oral modality to gain children's attention, to transmit and to end tasks, since they observe an improvement in the auditory skills of their children. <![CDATA[<B>Resolução temporal</B>: <B>análise em pré-escolares nascidos a termo e pré-termo</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872007000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: processamento auditivo. OBJETIVO: verificar o comportamento auditivo de resolução temporal de crianças na faixa etária de cinco a seis anos, nascidas pré-termo, sem evidências de alterações neurológicas e compará-lo com o mesmo comportamento auditivo de crianças na mesma faixa etária, nascidas a termo, com baixo risco para alteração do desenvolvimento, considerando as variáveis: limiar de detecção de intervalo de tempo por freqüência sonora pré-estabelecida apresentada na forma binaural e monoaural por ordem de orelha que iniciou o teste e gênero. MÉTODO: 70 sujeitos: 44 nascidos a termo reunidos em grupos de 20 indivíduos do sexo feminino e 24 do sexo masculino, denominado Grupo 1, e 26 nascidos pré-termo, sendo 12 indivíduos do sexo feminino e 14 do sexo masculino, denominado Grupo 2, foram submetidos a avaliação audiológica composta por audiometria tonal limiar, limiar de reconhecimento de fala, imitânciometria e aplicação do teste de fusão auditiva denominado de Random Gap Detection. RESULTADOS: os nascidos a termo apresentaram menores limiares de detecção de intervalo de tempo no teste de fusão auditiva, nas formas de apresentação binaural e monoaural em todas as freqüências sonoras pré-estabelecidas, do que os nascidos pré-termo com diferença estatisticamente significante. As médias dos limiares de detecção de intervalo de tempo do Grupo 1 aumentaram conforme a freqüência sonora aumentou. No Grupo 2 não foram encontradas diferenças estatisticamente significantes quanto as médias de limiares de detecção de intervalo de tempo na forma de apresentação binaural e monoaural. CONCLUSÃO: os nascidos pré-termo se diferenciam dos nascidos a termo quanto ao comportamento auditivo de resolução temporal e o teste de fusão auditiva utilizado pode servir como ferramenta para a avaliação do processamento auditivo, uma vez que a detecção precoce de alteração dos processos temporais indica uma intervenção para minimizar ou evitar futuros prejuízos de linguagem.<hr/>BACKGROUND: auditory processing. AIM: to verify the hearing behavior of temporal resolution in children with ages from five to six years, who were born preterm, with no evidence of neurological alterations and to compare this behavior to that observed in children of the same age, who were born at term, with low risk for developmental disorders, taking into consideration the variables of: threshold detection gaps through pre-established frequency, binaural and monaural presentation, order of stimuli presentation and gender. METHOD: 70 children divided in two groups: Group 1 with 44 children who were born at term (20 female and 24 male) and Group 2 with 26 preterm children (12 female and 14 male). Children were submitted to audiologic evaluation composed of audiometry, speech response threshold, acoustic impedance test and the Random Gap Detection Test (RGDT). RESULTS: children who were born at term presented lower threshold detection gaps in the RGDT, for both monaural and binaural stimuli presentation, in all of the pre-established frequencies when compared to preterm children. This difference between the groups was statistically significant. The average threshold detection gaps of Group 1 rose according to the increase of frequency. For Group 2 statistically significant differences were not found regarding the average of threshold detection gaps, for both monaural and binaural stimuli presentation. CONCLUSION: preterm children differ from those born at term regarding the hearing behavior of temporal resolution. The RGDT can be used as a tool to evaluate the hearing process, once the early detection of alterations in temporal processes indicates the need for intervention in order to minimize or avoid future language impairments. <![CDATA[<B>Versão brasileira do <I>Dizziness Handicap Inventory</B></I>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872007000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: impacto da tontura na qualidade de vida (QV). OBJETIVO: adaptar culturalmente o Dizziness Handicap Inventory (DHI) para aplicação na população brasileira, avaliar sua reprodutibilidade e descrever os resultados obtidos à aplicação deste questionário em pacientes com tontura crônica. MÉTODO: o DHI foi aplicado, inicialmente, em 45 pacientes com tontura crônica e hipótese diagnóstica de síndrome vestibular, seguindo as etapas de tradução do idioma Inglês para o Português e adapatação lingüística, revisão da equivalência gramatical e idiomática, adaptação cultural e avaliação da reprodutividade intra e interpesquisadores. A avaliação da reprodutividade foi realizada por intermédio do teste de pesquisadores. A avaliação da reprodutividade foi realizada por intermédio do teste de Wilcoxon para duas amostras dependentes, P < 0,05. O instrumento foi aplicado para um total de 250 pacientes para avaliação do impacto da tontura na qualidade de vida de vestibulopatas crônicos. RESULTADOS: a versão brasileira do DHI (DHI brasileiro) foi bem compreendida pelo população estudada. Não foi verificada diferença estatística significante à avaliação da reprodutibilidade inter-pesquisadores (P = 0,418) e intra-pesquisadores (P = 0,244). Todos pacientes apresentaram prejuízo na QV e os aspectos físicos foram os mais prejudicados, seguidos em ordem decrescente pelos aspectos funcionais e emocionais. Os aspectos funcionais mostraram-se mais comprometidos em indivíduos mais velhos. Nenhuma associação foi verificada entre o gênero e as médias do escore total e de cada um dos aspectos avaliados pelo DHI. CONCLUSÃO: o DHI foi adaptado culturalmente para aplicação na população brasileira (DHI brasileiro), mostrando-se confiável para a avaliação da interferência da tontura na QV. Os pacientes com tontura crônica e hipótese diagnóstica de síndrome vestibular apresentaram prejuízo na QV devido a este sintoma, verificados à aplicação do DHI brasileiro. Os aspectos físicos foram os mais prejudicados.<hr/>BACKGROUND: impact of dizziness on life quality (LQ). AIM: to adapt the Dizziness Handicap Inventory (DHI) for application in the Brazilian population; to assess its reproducibility; and to describe the results obtained in patients with chronic dizziness. METHOD: The DHI was initially applied in 45 patients with chronic dizziness and with a clinical diagnosis of vestibular syndrome. The application followed the stages of translation - from English to Portuguese - and linguistic adaptation, grammatical and idiomatic equivalence review and evaluation of its intra and inter-researchers reproducibility. Reproducibility was assessed by using the Wilcoxon Test for two dependent samples, P < 0.05. The questionnaire was applied on 250 patients with chronic vestibular syndrome in order to evaluate the impact of dizziness on LQ. RESULTS: The Brazilian version of the DHI (Brazilian DHI) was well comprehended by the studied population and no statistically significant difference was found in the inter-researcher (P = 0.418) and intra-researcher (P = 0.244) reproducibility. All of the studied patients presented a loss in LQ due to dizziness. Aspects which were most affected were the physical ones, followed by, in a decreasing order, the functional and the emotional ones. Functional aspects were more compromised in older individuals. No association was verified between gender and the overall mean scores of the DHI and between gender and the mean scores of each aspect assessed by the DHI. CONCLUSION: the DHI was culturally adapted for application in the Brazilian population (Brazilian DHI). This instrument was considered to be a reliable tool to evaluate the impact of dizziness on LQ. Patients with chronic dizziness and with clinical diagnosis of vestibular syndrome presented a loss in LQ, due to this symptom. This loss was verified by the application of the Brazilian DHI. Physical aspects were the most compromised. <![CDATA[<B>Avaliação perceptiva e instrumental da função velofaríngea na fissura de palato submucosa assintomática</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872007000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: a fissura de palato submucosa (FPSM) pode estar associada, ou não, a sintomas de disfunção velofaríngea (DVF). OBJETIVO: o presente estudo teve por propósito verificar se pacientes com FPSM diagnosticados como assintomáticos em uma avaliação perceptiva da fala apresentam ausência de hipernasalidade e fechamento velofaríngeo adequado em exame instrumental. MÉTODO: vinte pacientes com FPSM e sem sintomas de DVF, de ambos os gêneros, com idade entre 6 e 46 anos, foram submetidos à avaliação acústica da fala (nasometria), para a determinação da nasalância, o correlato acústico da nasalidade, e, à avaliação aerodinâmica da fala (técnica fluxo-pressão), para a determinação do fechamento velofaríngeo. A total concordância entre os resultados aferidos na avaliação perceptiva e nas avaliações instrumentais foi a hipótese de nulidade testada. RESULTADOS: a avaliação aerodinâmica confirmou integralmente as observações da avaliação perceptiva, ou seja, todos os 20 pacientes foram diagnosticados como tendo fechamento velofaríngeo adequado em ambas as modalidades de avaliação. Os resultados da nasometria, por sua vez, concordaram com os da avaliação perceptiva em apenas 15 dos 20 pacientes analisados (75% dos casos). Os 5 pacientes restantes (25%) apresentaram escores de nasalância sugestivos de hipernasalidade na nasometria, não constatada na avaliação perceptiva, levando, neste caso, à rejeição da hipótese de nulidade. CONCLUSÃO: os resultados mostram a importância do uso combinado de avaliação perceptiva e instrumental para o diagnóstico da DVF em casos de FPSM. Com base nos achados recomenda-se o acompanhamento periódico dos casos considerados assintomáticos em avaliação perceptiva da fala e que apresentem evidências de DVF em uma avaliação instrumental, como a nasometria, particularmente em se tratando de crianças, mais sujeitas ao desenvolvimento de sintomas com o avanço da idade.<hr/>BACKGROUND: submucous cleft palate (SMCP) may or may not be associated to symptoms of velopharyngeal dysfunction (VPD). AIM: to verify whether patients with SMCP, who were considered as asymptomatic on a perceptual speech evaluation, present absence of hypernasality and adequate velopharyngeal closure on an instrumental assessment. METHOD: 22 patients with SMCP and with no VPD symptoms, of both genders, aged 6 to 46 years, underwent speech acoustic assessment (nasometry) - to determine nasalance scores - and speech aerodynamic assessment (pressure-flow technique) - to verify velopharyngeal closure. The complete agreement between the findings on the perceptual and instrumental assessments was the tested null hypothesis. RESULTS: the pressure-flow technique confirmed the perceptual findings, that is, all patients were diagnosed as having adequate velopharyngeal function on both types of assessment. Nasometry results confirmed the perceptual findings in 15 out of the 20 analyzed patients (75% of the cases). The remaining 5 patients (25%) presented nasalance scores that suggest hypernasality (nasometry). This symptom was not identified by the perceptual evaluation, yielding to the rejection of the null hypothesis. CONCLUSION: results indicate the importance of the combined use of perceptual and instrumental assessments for the diagnosis of VPD in SMCP cases. The follow-up of patients diagnosed as asymptomatic by a perceptual speech evaluation and presenting evidences of VPD on instrumental assessment (e.g. nasometry) is recommended, particularly when dealing with children who are more prone to develop symptoms with aging. <![CDATA[<B>P300 em sujeitos com perda auditiva</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872007000100013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: as avaliações comportamentais e eletrofisiológicas contribuem para o entendimento do sistema auditivo e do processo de intervenção. OBJETIVO: estudar P300 em sujeitos com perda auditiva neurossensorial congênita, segundo as variáveis gênero, idade e grau da perda auditiva. MÉTODO: a presente investigação consiste em um estudo descritivo, transversal. Foram examinados 29 sujeitos, sendo 15 do gênero masculino e 14 do gênero feminino, com idade entre 11 a 42 anos. Os critérios de elegibilidade para composição da amostra foram: idade superior a 11 anos e inferior a 45 anos; ser portador de deficiência auditiva congênita severa ou profunda; não apresentar outro tipo de distúrbio; não apresentar perda auditiva central e/ou comprometimento condutivo. A primeira etapa caracterizou-se por avaliação comportamental auditiva e fisiológica que incluiu: audiometria tonal limiar (via aérea e via óssea), logoaudiometria - LDV e medidas do ganho funcional para os sujeitos que faziam uso de próteses auditivas, Imitanciometria: curva timpanométrica e pesquisa dos reflexos ipsi e contra-laterais, registro das emissões otoacústicas (EOA) - emissões otoacústicas transitórias (EOAT) e emissões otoacústicas por produto de distorção (EOAPD). A avaliação eletrofisiológica constituiu a quarta etapa do procedimento de coleta de dados e incluiu: potenciais auditivos evocados de tronco encefálico (PEATE) e de longa latência (P300). RESULTADOS: o P300 foi registrado em 17 sujeitos, com latência e amplitude média de 326,97ms e 3,76V, respectivamente. Apresentou diferenças significantes da latência em relação à idade (p < 0,03 para derivação CzA2 e p < 0,02 para derivação CzA1) e da amplitude, segundo o grau da perda auditiva (p < 0,0015). CONCLUSÃO: o P300 pode ser registrado em sujeitos com perda auditiva.<hr/>BACKGROUND: behavioral and electrophysiological evaluations contribute to the understanding of the hearing system and to the intervention process. AIM: to investigate the occurrence of P300 in subjects with congenital severe to profound hearing loss, according to the variables of gender, age and hearing loss level. METHOD: the design of this research is a descriptive transversal study. Twenty-nine subjects, 15 male and 14 female, ranging in age from 11 to 42 years, were evaluated. Inclusion criteria were: to have at least 11 years of age and no more than 45 years; to have the diagnosis of congenital severe to profound sensorineural hearing loss; to have no other disorder; and absence of central hearing loss or any other auditory conductive disorder. The first stage consisted of an auditory behavioral and physiological evaluation, including: pure tone audiometry (air and bone conduction measures), speech audiometry, SDT (Speech Detection Threshold) and functional gain measures for the subjects using hearing aids, and immittance measures - tympanometry and acoustic reflexes thresholds; transient evoked otoacoustic emissions (TEOAE); distortion product otoacoustic emissions (DPOAE). The electrophysiological evaluation was the fourth stage of the study and included: auditory brainstem response (ABR) and late latency response (P300). RESULTS: P300 was obtained for 17 out of the 29 subjects. Mean latency and amplitude were 326.97 ms and 3.76 V, respectively. A statistical significant difference was observed for latency when considering the variable age (electrode CzA2 p < 0.003 and CzA1 p < 0.02) and for amplitude when considering the variable hearing loss level (p < 0.0015). CONCLUSION: P300 can be recorded in subjects with hearing loss. <![CDATA[<B>A eficácia da reabilitação em disfagia orofaríngea</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872007000100014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: eficácia da reabilitação em disfagia orofaríngea. A atuação fonoaudiológica com disfagia orofaríngea em nosso País alcançou proporções significativas e merece neste momento atenção para que esta atuação esteja baseada em evidências científicas. As técnicas terapêuticas e a eficácia da reabilitação em disfagia orofaríngea têm sido estudadas desde a década de 70, alcançando seu ápice na década de 80 e 90. Poucos estudos têm relatado a eficácia da reabilitação em disfagia orofaríngea, sendo mais freqüente aqueles que têm se preocupado em provar os efeitos da técnica terapêutica na dinâmica da deglutição. No Brasil, as pesquisas em disfagia orofaríngea têm valorizado os procedimentos de avaliação, sendo poucos os trabalhos que tratam da reabilitação. OBJETIVO: apresentar uma análise crítica sobre a eficácia da reabilitação em disfagia orofaríngea. CONCLUSÃO: este artigo de revisão aponta que estudos não randomizados têm comprometido os resultados, uma vez que a casuística das pesquisas têm utilizado amostras muito heterogêneas, que incluem disfagias orofaríngeas mecânicas e neurogênicas ocasionadas por distintas etiologias. Além disto, os programas terapêuticos empregados são pouco descritivos comprometendo a reprodução por parte de outros pesquisadores. Tais achados sugerem a necessidade de estudos mais randomizados, talvez inicialmente por meio de estudos de casos que possam excluir as variáveis do controle da eficácia terapêutica. Outra sugestão seria empregar, assim como as pesquisas atuais têm proposto, escalas que possam medir o impacto do treinamento de deglutição nas condições nutricionais e pulmonares do indivíduo disfágico. Uma importante área da pesquisa, relacionada ao controle da eficiência e eficácia terapêutica, está nos estudos que objetivam estabelecer o grau de redução de custos hospitalares e em empresas de home care, mediante a atuação do fonoaudiólogo com a disfagia orofaríngea.<hr/>BACKGROUND: efficacy of rehabilitation in oropharyngeal dysphagia. In our country the practice of speech-language pathology in oropharyngeal dysphagia has increased significantly and, at this moment, deserves attention since practice needs to be based on scientific evidence. Therapeutic techniques and the outcome of rehabilitation in oropharyngeal dysphagia have been studied since the 70s, reaching its high point during the 80s and 90s. Few studies have investigated the efficacy of therapy in the rehabilitation of oropharyngeal dysphagia, the vast majority have tried to prove the effects of therapy on the dynamics of swallowing. In Brazil, the studies about oropharyngeal dysphagia have, in great part, investigated assessment procedures, and only a few have worried about rehabilitation. AIM: to present a critical analysis about the efficacy of rehabilitation in oropharyngeal dysphagia. CONCLUSION: this review of the literature indicates that non-randomized studies have compromised the results, once the casuistic of the researches are very heterogeneous - they include neurogenic and mechanical oropharyngeal dyshagia caused by different etiologies. Besides that, therapeutic programs which are used are not sufficiently described, compromising the reproduction of the methodology by other researchers. These results suggest the need for more randomized studies, which can be initially developed as case studies in order to exclude the control variables of therapy efficacy. Another suggestion is, as proposed by present researches, to use scales that can measure the impact of swallowing training in the nutritional and pulmonary condition of dysphagic patients. An important research area, related to the control of therapeutic efficacy and efficiency, are the studies that aim to establish the decrease in hospital and home care costs as a consequence of speech-language intervention with patients with oropharyngeal dyspahgia.