Scielo RSS <![CDATA[Pró-Fono Revista de Atualização Científica]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-568720100001&lang=pt vol. 22 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <link>http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872010000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt</link> <description/> </item> <item> <title><![CDATA[<B>Análise da diversidade de verbos enunciados na fala espontânea de pré-escolares brasileiros</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872010000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: aquisição de verbos. OBJETIVOS: verificar a diversidade quantitativa e qualitativa dos verbos enunciados por pré-escolares falantes do Português Brasileiro, bem como sua evolução dos 2 aos 4 anos de idade. MÉTODO: participaram do estudo sessenta pré-escolares divididos em três grupos pareados quanto ao gênero e de acordo com a faixa etária, a saber, GI (2 anos), GII (3 anos) e GIII (4 anos). Foram coletadas amostras de fala, obtidas em contexto educacional por meio de interação lúdica, a partir das quais foi empreendido um levantamento dos verbos empregados. RESULTADOS: foram enunciados 168 verbos distintos, dos quais a análise da quantidade indicou diferenças estatísticas significantes entre os grupos (p-valor <0,001), com um aumento gradual no uso de verbos dos dois aos quatro anos, com diferenças entre todos os grupos. Todavia, não há diferença significante (p - valor 0,956) entre os gêneros. CONCLUSÃO: os pré-escolares estudados aprimoraram o uso de verbos ao longo desta fase inicial de aquisição da linguagem, independente do gênero a que pertencem.<hr/>BACKGROUND: verb acquisition. AIM: to verify quantitative and qualitative verb diversity in the spontaneous speech of Brazilian Portuguese-speaking preschoolers and verb acquisition from 2 to 4 years of age. METHOD: participants were sixty preschoolers equally matched on gender and age, divided into three groups: GI (2-year-old children), GII (3-year-old children) and GIII (4-year-old children). Spontaneous speech samples obtained through playing interactions, in educational contexts, were collected, and verb productions were listed. RESULTS: children used 167 different verbs. The quantitative analysis indicated significant statistical differences between all groups (p< .001), with gradual increase of verb usage from 2 to 4 years of age. However, no statistical difference (p= .956) was observed between genders. CONCLUSION: preschoolers improved their use of verbs during the initial stages of language acquisition, irrespective of their gender. <![CDATA[<B>O Teste <I>Gap in Noise</I> em crianças de 11 e 12 anos</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872010000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: a detecção de gap em crianças de 11 e 12 anos. OBJETIVO: verificar o comportamento da resolução temporal, através do teste gap in noise, em crianças de onze e doze anos, a fim de subsidiar o estabelecimento de critérios de referência de normalidade. MÉTODO: participaram 92 crianças, com idades de 11 e 12 anos, matriculadas no ensino fundamental, sem evidências de doenças otológicas e/ou neurológicas e/ou cognitivas, assim como dificuldades de aprendizagem e histórico de repetência escolar. Ainda, apresentavam limiares audiométricos dentro da normalidade e reconhecimento verbal no teste dicótico de dígitos igual ou superior a 95 % de acertos. Todos foram submetidos ao teste gap in noise. A análise estatística foi realizada por meio de testes não paramétricos com nível de significância de 0,05. RESULTADOS: a média dos limiares de gap foi de 5,05ms e a média da porcentagem de acertos foi de 71,70%. Não houve diferença estatisticamente significante entre as respostas por faixa etária (onze e doze anos), por orelha (direita e esquerda) e por gênero (masculino e feminino). No entanto, ao se comparar as faixas-testes, observa-se que a primeira faixa-teste apresentou porcentagem maior de identificações de gap, estatisticamente significante em relação à segunda faixa-teste. CONCLUSÃO: em 78,27% da população deste estudo, os limiares de gap obtidos foram de até 5ms, resposta recomendada como referência de normalidade para a faixa etária pesquisada.<hr/>BACKGROUND: gap detection in 11 and 12-year-old children. AIM: to investigate temporal resolution through the Gap in Noise test in children of 11 and 12 years in order to establish criteria of normal development. METHOD: participants were 92 children, with ages of 11 and 12 years, enrolled in elementary school, with no evidences of otologic, and/or neurologic, and/or cognitive disorders, as well as with no history of learning difficulties or school failure. Participants Besides that, their hearing thresholds were within normal limits and their verbal recognition in the dichotic test of digits was equal or superior to 95% of hits. All were submitted to the Gap in Noise test. The statistical analysis was performed by non-parametric tests with significance level of 0.05 (5%). RESULTS: the average of the gap thresholds was 5.05ms, and the average percentage of correct answers was 71.70%. There was no significant statistical difference between the responses by age (eleven and twelve years), by ear (right and left), by gender (male and female). However, when comparing the tests, it was observed that the 1st test showed a higher percentage of identifications of gap, statistically significant than the 2nd test. CONCLUSION: in 78.27% of the population of this study, the gap thresholds were up to 5ms, response recommended as normality reference for the age group searched. <![CDATA[<B>Variação da fluência da fala em idosos</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872010000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: tem sido descrito na literatura a existência de mudanças na fala decorrentes do envelhecimento, entretanto, nesses estudos, as variações da fluência têm recebido pouca atenção. OBJETIVO: verificar o perfil da fluência da fala em idosos em diferentes parâmetros. Método: os participantes foram 128 indivíduos com idade acima de 60 anos, de ambos os gêneros. Foram obtidas amostras de fala de todos os participantes e analisadas segundo as variáveis de: tipos de rupturas; velocidade de fala e frequência de rupturas. A análise computou 200 sílabas fluentes da amostra. RESULTADOS: a análise estatística mostrou diferenças estatisticamente significantes entre as décadas somente para a variável de sílabas por minuto. No grupo acima de 80 anos houve significância estatística indicando aumento das rupturas de fala e decréscimo da velocidade. CONCLUSÃO: o efeito da idade parece ser mais expressivo depois dos oitenta anos em relação aos parâmetros de fluência da fala analisados nesse estudo.<hr/>BACKGROUND: a number of changes in the speech of normally aging adults have been described in the literature. However age-related changes in fluency have received little attention. AIM: to verify the Fluency Profile of elderlies regarding all of the different fluency parameters. Method: participants were 128 elderlies, of both genders, aged above 60 years. Speech samples of all participants were gathered. They were analyzed according to: type of speech disruption; speech rate and frequency of speech disruptions, based on the analyses of 200 fluent syllables. Participants were compared between themselves regarding the decades of life. Individuals with ages above 80 years constituted a single group. RESULTS: statistical analysis indicated significant differences between the decades only for syllables per minute. For the group of individuals with ages above 80 years, statistical significance was observed indicating an increase in the number of speech disruptions and a decrease in speech rate. CONCLUSION: regarding the fluency parameters analyzed in this study, the effect of aging seems to be more expressive after the age of 80 years. <![CDATA[<B>Avaliação da função auditiva receptiva, expressiva e visual em crianças prematuras</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872010000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: prematuridade como fator de risco para atraso no desenvolvimento da linguagem. OBJETIVO: verificar o desempenho de crianças prematuras quanto às áreas auditiva receptiva, expressiva e visual. MÉTODO: participaram da amostra 40 crianças de idade cronológica entre 12 e 24 meses. O grupo experimental (G1) foi composto por 20 crianças que apresentaram em seu histórico de vida os fatores de risco prematuridade e baixo peso ou muito baixo peso. A idade gestacional das crianças variou de 22 a 34, semanas todas com peso abaixo de 2500g; este grupo foi dividido em função do peso, ou seja, crianças de baixo peso e de muito baixo peso. O grupo controle (G2) foi composto por 20 crianças nascidas a termo com peso superior a 2500g, sem histórico para atraso do desenvolvimento. Os procedimentos constaram de entrevista com os pais e aplicação da Escala Early Language Milestone Scale (ELM). RESULTADOS: na comparação entre grupos, os resultados mostraram ser estatisticamente significativos. As crianças do G1 apresentaram prejuízo na área auditiva expressiva, auditiva receptiva e visual, embora algumas crianças tivessem apresentado resultados esperados para sua faixa etária, em alguma das funções avaliadas. A área mais prejudicada foi a área expressiva. CONCLUSÃO: as crianças do G1 apresentaram alteração nas áreas auditiva receptiva, auditiva expressiva e visual. As crianças prematuras com muito baixo peso apresentaram maiores prejuízos nas áreas avaliadas.<hr/>BACKGROUND: prematurity as a risk factor for delay in language development. AIM: to verify the performance of premature children regarding their receptive and expressive auditory and visual abilities. METHOD: participants were 40 children with chronological ages between 12 and 24 months. The experimental group (G1) was composed by 20 children who presented report of prematurity and low or very low weight. The birth age varied from 22 to 34 weeks and weight was below 2500gr. This group was divided according to weight, i.e. children with low and very low weight. The control group (G2) was composed by 20 children born at term, with weight above 2500gr and with no report of development delay. The procedures consisted of an interview with the parents and the application of the Early Language Milestone Scale - ELM. RESULTS: when comparing the groups, the results indicate statistically significant differences. Children of G1 presented a poorer performance in the Expressive Hearing (EH), Receptive Hearing (RH) and Visual (V) areas, although a few children of this group presented the expected results for their age group in some of the tested abilities. The expressive auditory ability was the most affected. CONCLUSION: children of G1 presented deficits in the expressive and receptive auditory and visual functions. Premature children with very low weight presented higher deficits in the tested abilities. <![CDATA[<B>Habilidades auditivas em crianças com dislexia e transtorno do déficit de atenção e hiperatividade</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872010000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: processamento auditivo e comorbidades. OBJETIVOS: investigar o desempenho de crianças com dislexia e transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) em testes comportamentais de processamento auditivo, comparando-os com grupo controle. MÉTODO: foram avaliadas 30 crianças com idades entre 7 a 12 anos, sendo 10 pertencentes ao grupo controle, 10 pertencentes ao grupo com dislexia e 10 pertencentes ao grupo com TDAH. Os testes de processamento auditivo aplicados foram: fala com ruído, dicótico de dígitos e padrão de frequência. RESULTADOS: em relação ao teste fala com ruído, houve efeito de grupo entre TDAH e grupo controle (p < 0,001), sendo que o grupo com TDAH apresentou pior resultado; em relação ao teste dicótico de dígitos, houve efeito de grupo entre os três grupos avaliados (p < 0,001), com pior desempenho do grupo com TDAH, seguido do grupo com dislexia e grupo controle. Em relação ao Teste Padrão de Frequência, houve efeito de grupo considerado "marginal" (p = 0,056), com pior desempenho do grupo com TDAH, seguido do grupo com dislexia e grupo controle. CONCLUSÃO: grupo com TDAH apresentou pior desempenho em todos os testes aplicados, se comparado com os outros dois grupos, sugerindo uma estreita relação entre as habilidades de atenção e as habilidades de processamento auditivo avaliadas.<hr/>BACKGROUND: auditory processing and co-occurrence of pathologies. AIM: to investigate the performance of children with Dyslexia and attention deficit hyperactivity disorder (ADHD) in behavioral and auditory processing tests, comparing the results to a control group. METHOD: participants of the study were 30 children, with ages between 7 and 12 years, divided into three groups: a control group of 10 children, a study group of 10 children with dyslexia and a study group of 10 children with ADHD. All participants were submitted to the following auditory processing tests: Speech in Noise, Dichotic of Digits and Frequency Pattern. RESULTS: concerning the Speech in Noise Test, there was an interactive effect between the control group and the ADHD group (p < 0.001), with the ADHD group presenting a significantly lower performance; for the Dichotic of Digits test, there was an interactive effect between the three groups (p < 0.001), with the ADHD group presenting a lower performance, followed by the dyslexic and control groups; for the Frequency Pattern, there was a marginal effect (p = 0.056) with the ADHA group presenting a lower performance, followed by the dyslexic and control groups. CONCLUSION: the ADHD group presented a poorer performance in all tests when compared to the dyslexic and control groups. This result suggests a relationship between attention and hearing abilities. <![CDATA[<B>Estudo dos potenciais evocados auditivos em autismo</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872010000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: avaliação eletrofisiológica da audição em indivíduos com autismo. OBJETIVO: caracterizar os achados das avaliações eletrofisiológicas da audição em indivíduos com autismo, bem como comparar seus resultados aos obtidos em indivíduos com desenvolvimento típico da mesma faixa etária. MÉTODO: foram realizadas anamnese, audiometria tonal, logoaudiometria, medidas de imitância acústica, potenciais evocados auditivos de tronco encefálico (PEATE) e de média latência (PEAML), e potencial cognitivo (P300), em 16 indivíduos com autismo (grupo pesquisa) e 25 normais (grupo controle), com idades entre oito e 20 anos. RESULTADOS: o grupo pesquisa apresentou resultados alterados em todos os potenciais evocados auditivos, havendo diferença estatisticamente significante quando comparado ao grupo controle. Foi observada uma maior ocorrência de alteração do tipo tronco encefálico baixo no PEATE, do tipo Ambas no PEAML, e ausência de resposta no P300, para o grupo pesquisa. Na análise dos dados quantitativos, verificou-se que apenas para o PEATE ocorreu diferença estatisticamente significante entre os grupos, com relação às latências das ondas III e V e interpicos I-III e I-V. CONCLUSÃO: indivíduos com autismo apresentam alterações no PEATE e P300, sugerindo comprometimento da via auditiva em tronco encefálico, áreas subcorticais e corticais.<hr/>BACKGROUND: electrophysiological assessment of hearing in autistic individuals. AIM: to characterize the findings obtained in the electrophysiological assessments of autistic individuals, as well as to compare these to the results obtained for individuals of the same age who present typical development. METHOD: 16 individuals with autism (study group) and 25 normal individuals (control group), ranging in age from eight to 20 years underwent anamnesis, pure tone audiometry, speech audiometry, acoustic immitance measures, brainstem auditory evoked potential (BAEP), middle latency response (MLR) and cognitive potential (P300). RESULTS: the study group presented altered results in all auditory evoked potentials, showing statistically significant differences when compared to the control group. Concerning the types of alterations found in the study group the following results were observed: higher occurrence of lower brainstem alteration in the BAEP, both (electrode and ear effects occurring simultaneously) in the MLR, and absence of response in the P300. In the quantitative data analysis, statistically significant differences between the groups were found only for the BAEP regarding the latencies of waves III and V and interpeaks I-III and I-V. CONCLUSION: autistic individuals present altered BAEP and P300, suggesting impairment in the brainstem auditory pathway and corticals / subcorticals areas. <![CDATA[<B>Potenciais evocados auditivos de estado estável em crianças com perdas auditivas cocleares</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872010000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: os potenciais evocados auditivos de estado estável (PEAEE) têm sido apontados como uma técnica promissora na avaliação audiológica infantil. OBJETIVO: investigar o nível de concordância entre os resultados do PEAEE e a audiometria de reforço visual (VRA) em um grupo de crianças, averiguando assim a aplicabilidade clínica desta técnica na avaliação audiológica infantil. MÉTODO: foram avaliadas 14 crianças com idade entre 4 e 36 meses (média 16 meses) com diagnóstico de perda auditiva coclear. Os PEAEE foram registrados nas frequências de 0,5; 1; 2 e 4kHz pela estimulação múltipla simultânea, e os resultados obtidos foram comparados com os resultados da VRA. RESULTADOS: os coeficientes de correlação intraclasse entre as respostas dos PEAEE e da VRA foram de 0,90; 0,93; 0,93 e 0,89 para as frequências de 0,5; 1; 2 e 4kHz, respectivamente, indicando forte concordância entre as técnicas. CONCLUSÃO: os PEAEE podem fornecer informações precisas para que se possa dar início à seleção e adaptação dos AASI em crianças nas quais ainda não é possível a realização da VRA.<hr/>BACKGROUND: auditory steady-state response (ASSR) is indicated as a promising technique in the assessment of the hearing status of children. AIM: to investigate the level of agreement between the results of the ASSR and the visual reinforcement audiometry (VRA) in a group of children, thus examining the clinical applicability of this technique in hearing assessment of children. METHOD: participants were 14 children with ages between 4 and 36 months (mean 16 months) with the diagnosis of cochlear hearing loss. The ASSR was recorded in the frequencies of 0.5, 1, 2 and 4kHz for multiple simultaneous stimulation and the results were compared with the visual reinforcement audiometry (VRA). RESULTS: the intraclass correlation coefficients between ASSR and VRA were 0.90, 0.93, 0.93 and 0.89 respectively for the frequencies of 0.5, 1, 2 and 4kHz, indicating a strong correlation between the techniques. CONCLUSION: the ASSR can provide accurate information to support the selection of hearing aids for children when it is not possible to perform the VRA. <![CDATA[<B>Desempenho sócio-cognitivo e adaptação sócio-comunicativa em diferentes grupos incluídos no espectro autístico</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872010000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: as pesquisas quanto à inter-relação entre os aspectos de linguagem, cognição e socialização, vêm evoluindo desde a década de 70. Na perspectiva pragmática a linguagem é mediadora do desenvolvimento da socialização, permitindo ao indivíduo participar das relações sociais que expressam trocas comunicativas simétricas. OBJETIVO: verificar a efetividade da aplicação do protocolo de adaptação sócio-comunicativa em dois grupos de crianças e adolescentes com diagnósticos inseridos no espectro autístico, em atendimento fonoaudiológico especializado, em diferentes instituições, e verificar a relação entre os dados coletados no protocolo de adaptação sócio-comunicativa e o desempenho sócio-cognitivo. MÉTODO: participaram desta pesquisa 16 crianças e adolescentes na faixa etária de 8,0 a 16,0 anos, de ambos os gêneros, diagnosticados por médicos neurologistas e/ou psiquiatras como portadores de distúrbios incluídos no espectro autístico segundo os critérios específicos1-2. Todas as crianças estavam em atendimento fonoaudiológico semanal especializado por um período mínimo de seis meses. Foram aplicados os protocolos de analise dos Aspectos Sócio-Cognitivos³ e para a coleta de dados da Adaptação Sócio-comunicativa foram utilizados o protocolo e o questionário específico propostos por Sousa4. RESULTADOS: na análise dos resultados obtidos foi possível verificar que não houve diferenças estatisticamente significativas quanto ao desempenho sócio-cognitivo dos dois grupos, sendo a adaptação sócio-comunicativa dessas crianças extremamente variável. CONCLUSÃO: sendo assim, fica claro que, com o grupo de crianças do espectro autistico participantes deste estudo, é possível verificar que o desenvolvimento lingüístico, social e cognitivo não acontece de forma simétrica e linear.<hr/>BACKGROUND: researches about the relationship between language, cognition and socialization have evolved since the 70s. Language mediates social development allowing the individual to participate in social situations that include balanced communicative exchanges. AIM: to assess the effectiveness of the Social-Communicative Adaptation Protocol in two groups of children and adolescents with autistic spectrum disorders and to verify the relationship between the referred protocol and the Social-Cognitive Profile. METHOD: participants were 16 children and adolescents with ages between 8.0 and 16.0 years, of both genders, who were diagnosed within the autistic spectrum by neurologists and/or psychiatrists. All participants were receiving, once a week, specialized language therapy by a speech-language pathologist for a period of at least six months. Participants were assessed using the Social-cognitive Profile and the Social-Communicative Adaptation questionnaire. RESULTS: the analysis of the results indicated absence of significant statistical differences in the Social-Cognitive Profile between the two groups. The Social-Communicative Adaptation demonstrated to be extremely variable among the participants. CONCLUSION: this research shows that autistic spectrum children do not have a symmetric and linear development of language, socialization and cognition. <![CDATA[<B>Treinamento auditivo em escolares com distúrbio de aprendizagem</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872010000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: programa de treinamento auditivo em escolares com distúrbio de aprendizagem. OBJETIVOS: verificar a eficácia de um programa de treinamento auditivo em escolares com distúrbio de aprendizagem e comparar os achados dos procedimentos de avaliação utilizados nas pré e pós-testagem em escolares com distúrbio de aprendizagem e sem dificuldades de aprendizagem, submetidos e não submetidos ao programa de treinamento auditivo. MÉTODO: participaram deste estudo 40 escolares, sendo que esses foram divididos em: GI, subdividido em: GIe (10 escolares com distúrbio de aprendizagem submetidos ao programa de treinamento auditivo), GIc (10 escolares com distúrbio de aprendizagem não submetidos ao programa de treinamento auditivo) e GII, subdividido em: GIIe (10 escolares sem dificuldades de aprendizagem submetidos ao programa de treinamento auditivo) e GIIc (10 escolares sem dificuldades de aprendizagem não submetidos ao programa de treinamento auditivo). Foi realizado o programa de Treinamento Auditivo Audio Training®. RESULTADOS: os resultados mostraram que o GI apresentou desempenho inferior ao de GII em atividades relacionadas com as habilidades auditivas e de consciência fonológica. O GIe e o GIIe apresentaram melhor desempenho em habilidades auditivas e de consciência fonológica depois da aplicação do programa de treinamento auditivo, quando comparados os achados de pré e pós-testagem. CONCLUSÃO: o desempenho de escolares com distúrbio de aprendizagem nas tarefas auditivas e fonológicas apresenta-se inferior no que concerne ao de escolares sem distúrbio de aprendizagem. A utilização do programa de treinamento auditivo mostrou-se eficaz e possibilitou aos escolares o desenvolvimento dessas habilidades.<hr/>BACKGROUND: auditory training program in students with learning disabilities. AIM: to verify the efficacy of an auditory training program in students with learning disabilities; to compare the results of students with and without learning disabilities, who were and were not submitted to the auditory training program, in pre and post-testing. METHOD: participants were 40 students who were divided according to the following: GI, subdivided in: GIe (10 students with learning disabilities who were submitted to the program), GIc (10 students with learning difficulties who were not submitted to auditory training) and GII, subdivided in: GIIe (10 students without learning difficulties submitted to the auditory training program) and GIIc (10 students without learning difficulties who were not submitted to auditory training). The auditory training program Audio Training® was used. RESULTS: the results indicate that GI presented a lower performance when compared to GII in activities related to auditory skills and phonological awareness. When comparing the pre and post-testing results, GIe and GIIe presented better performances in activities involving auditory skills and phonological awareness after the auditory training program. CONCLUSION: the performance of the students with learning disabilities in auditory and phonological tasks is lower when compared to the students without learning disabilities. The use of the auditory training program was effective and allowed students to develop these skills. <![CDATA[<B>Transtornos de linguagem oral em crianças pré-escolares com epilepsia</B>: <B><I>screening</I> fonoaudiológico</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872010000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: transtornos de linguagem oral e epilepsia em pré-escolares. OBJETIVO: verificar a ocorrência de alterações de linguagem oral em pré-escolares com epilepsia atendidos no Setor de Neurologia Infantil de um hospital universitário. MÉTODO: estudo prospectivo realizado com 30 crianças com epilepsia, submetidas à avaliação fonoaudiológica de linguagem oral. Critérios de inclusão: diagnóstico inequívoco de epilepsia segundo a definição da ILAE (2005)12; idade de 3 aos 6 anos; padrão neurológico e desenvolvimento neuropsicomotor normais. Exclusão: diagnóstico de epilepsia duvidoso; padrão neurológico e desenvolvimento neuropsicomotor alterados; crianças com patologias pediátricas associadas. Variáveis analisadas: sexo, idade da primeira crise epiléptica, tipo de crise epiléptica e regime de tratamento. Determinou-se OR (razão de chances), adotando-se < 0,05. RESULTADOS: 18 (60%) crianças com epilepsia apresentaram alterações de linguagem oral e, 12 (40%), linguagem oral dentro dos padrões de normalidade. Em relação às alterações, 12 (67%) apresentaram transtorno de linguagem e 6 (33%) apresentaram desvio fonológico. Crianças do sexo masculino (OR = 2,03) e as com crise epiléptica do tipo parcial (OR = 2,41) mostraram maior chance de apresentar alterações de linguagem oral. CONCLUSÃO: o estudo mostrou em pré-escolares com epilepsia: predomínio de atraso no desenvolvimento da linguagem oral, e o sexo masculino e a crise epiléptica do tipo parcial como fatores de risco para essa faixa etária.<hr/>BACKGROUND: oral language disorder and epilepsy in childhood. AIM: to verify the occurrence of oral language disorders in epileptic preschoolers attended at the Child Neurology Section of a university hospital. METHOD: a prospective study with 30 epileptic children who were submitted to an oral speech-language evaluation. Inclusion criteria: explicit diagnosis of epilepsy according to the ILAE (2005); ages between 3 to 6 years; normal neurological standard and neuropsychomotor development. Exclusion criteria: dubious diagnosis of epilepsy; altered neurological standard and neuropsychomotor development; children with associated pediatric disorders. Analyzed variables were: gender, age of first seizure, types of seizure and treatment regime. OR (odds ration) was determined, with a significance level of < 0.05. RESULTS: 18 (60%) children with epilepsy presented oral language disorders and 12 (40%) presented normal language development. Regarding the observed disorders, 12 (67%) presented language disorder and 6 (33%) presented phonological disorder. Male children (OR = 2.03) and those with partial seizure (OR = 2.41) demonstrated to have a higher risk for oral language disorders. CONCLUSION: the results indicate that preschoolers with epilepsy present a predominance of oral language development delay, and that the male gender and partial seizure are risk factors for this age group. <![CDATA[<B>Alongamento vocálico e apagamento em coda medial nos desvios fonológicos</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872010000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: desvios fonológicos. OBJETIVO: verificar a ocorrência do alongamento vocálico, pela análise acústica, num grupo de 16 crianças (8 meninos e 8 meninas) com desvios fonológicos evolutivos (DFE), que não apresentam na fala as codas /R/ e /S/ mediais, além de levantar as porcentagens de ocorrência das estratégias de alongamento e apagamento nos dois tipos de coda. MÉTODO: gravação de 16 crianças mediante a apresentação de um álbum de figuras que representam 18 pares de palavras que contrastam as estruturas silábicas (C)VC e CV. Após a transcrição, os pares de palavras foram submetidos à análise acústica pelo PRAAT, versão 4.4.16, para medir a duração das vogais nos dois tipos silábicos. Posteriormente, realizou-se a análise estatística dos dados e o teste de significância (qui-quadrado) foi aplicado, considerando-se p < 0,05. RESULTADOS: embora nenhum alongamento tenha sido detectado perceptualmente, eles ocorreram em 93,75% da amostra. A aplicação do teste qui-quadrado revelou que tal ocorrência é altamente significativa. Para a coda /R/, registraram-se 95,52% de alongamentos e 4,48% de apagamentos, enquanto que para a coda /S/, registraram-se 12,5% de alongamentos e 87,5% de apagamentos. Não houve diferenças significativas entre os gêneros. CONCLUSÃO: detectou-se, pela análise acústica, tanto o alongamento vocálico quanto o apagamento; o alongamento vocálico foi mais frequente na coda /R/ do que na /S/, o apagamento foi mais frequente na coda /S/ do que na coda /R/; a criança que apresenta o alongamento pode revelar conhecimento da estrutura (C)VC e, portanto, estaria mais próxima da realização dos fonemas-alvo.<hr/>BACKGROUND: phonological disorders. AIM: to verify the occurrence of vocalic lengthening, through acoustic analysis, in a group of 16 children (8 boys and 8 girls) with evolutive phonological disorders (EPD), who did not present in their speech /R/ and /S/ medial codas; to verify the occurrence percentage of lengthening and omission strategies in the two types of coda. METHOD: recordings of 16 children obtained through the presentation of a picture album representing the 18 pairs of words that contrast the syllabic structures (C)VC and CV. After transcribing the recordings, the pairs of words were submitted to acoustical analysis using PRAAT, version 4.4.16. Vowel duration was measured in both types of syllables. Statistical analysis was performed and the significance test (q-square) was applied considering p<0.05. RESULTS: although lengthening was not perceptually detected, it occurred in 93.75% of the analyzed samples. The q-square test indicated that the occurrence of lengthening is highly significant. Regarding the /R/ coda, results indicated 95.52% of lengthenings and 4.48% of omissions. For the /S/ coda, results indicated 12.5% of lengthenings and 87.5% of omissions. No significant statistical difference was observed between genders. CONCLUSION: acoustic analysis identified both vocalic lengthening and omission. Vocalic lengthening was more frequent in the /R/ coda; omission was more frequent in the /S/ coda. The child who presents lengthening seems to have the knowledge of the structure (C)VC and, therefore, is closer to the production of the target-phoneme. <![CDATA[<B>Validade da prova calórica monotermal em comparação à estimulação bitermal</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-56872010000100013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt TEMA: a estimulação calórica monotermal tem sido considerada como alternativa à prova calórica bitermal para triagem das assimetrias vestibulares. OBJETIVO: avaliar a confiabilidade da estimulação monotermal em relação à bitermal para o diagnóstico das assimetrias labirínticas. MÉTODO: avaliaram-se 389 resultados de vectoelectronistagmografia realizados entre 1998 e 2007. A estimulação monotermal de 30ºC e 44ºC com pontos de corte de predomínio labiríntico (PL) em 20% e em 25% foi comparada à bitermal com ponto de corte em 25% (padrão ouro). Na análise, interessou encontrar qual foi à prova monotemal (30°C ou 44°C) e com qual ponto de corte (20% ou 25%) que apresentou os valores mais elevados de sensibilidade e especificidade quando comparada à prova bitermal. RESULTADOS: a sensibilidade e especificidade da prova monotermal foram respectivamente de: 84% e 80%, a 30°C com PL em 20%; 78% e 90%, a 30°C com PL em 25%; 81% e 78%, a 44°C com PL em 20%; 76% e 85%, a 44°C com PL em 25%. CONCLUSÃO: a prova monotermal com estimulo a 30°C apresentou valores mais elevados de sensibilidade e especificidade quando comparada a bitermal. Contudo, não se observou diferença significativa em relação aos valores observados com estímulo a 44°C. Em todas as análises, a prova monotermal apresentou a limitação da baixa sensibilidade, de modo que testes alterados pela bitermal podem passar como normais pela prova monoternal. Ao se decidir pela realização da prova monotermal como triagem, deve-se realizá-la em indivíduos com menor probabilidade de estar com doença vestibular, a partir da história clínica.<hr/>BACKGROUND: the use of monothermal caloric testing as a screening tool for vestibular asymmetry has been considered as an alternative to bithermal caloric testing. AIM: to evaluate the effectiveness of monothermal stimulation when compared to bithermal stimulation in the diagnosis of labyrinth asymmetry. METHOD: the results of 389 vectoelectronystagmography, performed between 1998 and 2007, were analyzed. Monothermal stimulation at 30oC and 44ºC with unilateral weakness (UW) cut-off at 20% and 25% was compared to bithermal stimulation with cut-off at 25% (gold standard). The analysis was aimed at finding which kind of monothermal caloric test (30oC or 44oC) and which kind of cut-off (20% or 25%) presented the highest specificity and sensitivity values in comparison with bithermal caloric testing. RESULTS: sensitivity and specificity of monothermal caloric tests were: 84% and 80%, at 30°C with UW at 20%; 78% and 90%, at 30°C with UW at 25%; 81% and 78%, at 44°C with UW at 20%; 76% and 85%, at 44°C with UW at 25%. CONCLUSION: monothermal caloric testing with 30°C stimulus presented the highest sensibility and specificity values in comparison to the results obtained with bithermal stimulation. However, no significant difference was observed between such values and those obtained with 44°C stimulus. In all of the analyses, monothermal testing presented low sensitivity. Thus, the abnormal result of bithermal caloric testing might be seen as normal in monothermal stimulation. The use of monothermal testing as a screening tool is better recommended for individuals whose medical history suggests a low probability of vestibular disease.