Scielo RSS <![CDATA[Horizontes Antropológicos]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-718320180001&lang=en vol. 24 num. 50 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[The politics of inclusion as a problem of anthropological engagement]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100007&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[“Imagined States” and new virtues: notes on the construction of transparency policies and the battle against corruption]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100025&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O artigo discute os processos cotidianos da construção da política de transparência e combate à corrupção no Brasil a partir das experiências de campo em dois órgãos de controle. Seu enfoque não é a efetividade dessas políticas ou seus efeitos sobre as formas de accountability, mas a compreensão de sua dimensão moral: como esses valores são incorporados nas práticas cotidianas de auditores e funcionários. Seguindo uma perspectiva da antropologia moral para a compreensão do Estado, buscou-se entender as lógicas de poder atualizadas no ideal de Estado transparente em processo de constituição. As dificuldades encontradas na tentativa de aproximação das burocracias estatais e mesmo de apresentar academicamente os “resultados” de um mundo marcado pelo dilema entre sigilo e “ficções” de transparência serão utilizadas como um caminho para compreender as ambiguidades na constituição do projeto que propõe a “abertura” ou visibilidade do poder como forma segura de controle.<hr/>Abstract This article discusses the routine processes of the construction of transparency policies to combat corruption in Brazil, based on field experiences in two organs of control. Its focus is not on the effectiveness of these policies but on the understanding of its specific moral dimension: how these values are incorporated in the daily practices of auditors. Pursuing a moral anthropology perspective for the understanding of the state, the aim is to understand, in the process of its constitution, the power logics realized in the ideal Transparent State. The difficulties encountered in the attempt to approach state bureaucracies and even to present academically the “results” of a world, characterized by a dilemma between secrecy on the one hand and “fictions” of transparency on the other, are employed as a way to understand the ambiguities in the constitution of a project which proposes “openness” or visibility of power. <![CDATA[Policies in movement: institutions, state and indigenous officials at the Amazonas’ Bureau for Indigenous people, Brazil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100053&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O presente trabalho trata do processo de produção de uma instituição pública vinculada ao poder executivo amazonense: a Secretaria de Estado para os Povos Indígenas do Amazonas (Seind/AM), criada em 2009, e extinta seis anos depois, em 2015. A forma como os servidores indígenas se percebem em tal processo implica a continuidade de um projeto político que, até então, havia tido seus principais desdobramentos através de organizações e associações do movimento indígena. Ao mesmo tempo em que o surgimento da Seind possibilita a ocupação de um lugar inédito na estrutura estatal, estar em tal posição também significa entrar em consonância com um novo universo político e certa ordem e forma da organização estatal brasileira. Busca-se refletir sobre a interação de indígenas, não indígenas, e suas instituições em tal processo, explorando a maneira como diferentes modos de se fazer política, de pensar a administração pública, e de estar no estado, confluem no sentido de compor esse novo espaço indígena.<hr/>Abstract This article deals with the process of making an institution of the Brazilian public administration focused on the attention to indigenous peoples: the Secretariat for Indigenous Peoples of the State of Amazonas (Seind/AM), which operated from 2009 to 2015. It is argued that indigenous public servants perceived this experience as the continuity of a political project that unfolds from the various organizations of the indigenous movement. At the same time that the emergence of the Seind provided access to an unprecedented place in the state structure, being in that position also meant to be in line with a new political universe, and with the particular order and procedures of the state bureaucracy. Based on ethnographic research, the article reflects on the interaction of indigenous and non indigenous actors, and their respective institutions along this process, exploring how different ways of doing politics, conceiving of public administration, and being in the state converge to compose this new indigenous space. <![CDATA[Organize words, fabricate subjects: understandings on inclusive education in the state of Paraná]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100083&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O texto aborda os usos políticos e pedagógicos de uma concepção de inclusão educacional que adquiriu proeminência na gestão pública da educação brasileira durante a primeira década deste novo milênio. Para tanto, lança mão de uma reflexão construída a partir da inserção como técnico do Departamento de Ensino Básico na divisão de sociologia e tomando como eixo de discussão a interlocução com uma profissional que participou ativamente da organização da Secretaria de Estado da Educação do Paraná entre os anos de 2003 e 2011. Desse modo, o objetivo desta análise não se refere às experiências de pessoas em fase de escolarização, mas ao projeto institucional que pretendeu inseri-las em categorias pedagógicas relativamente estáveis e passíveis de inclusão fomentando um processo de organização estatal com base na nomeação e normatização de sujeitos. Trata-se, portanto, de uma tentativa de apresentar as práticas de gestão e sua justificativa discursiva em relação ao multiculturalismo, destacando as prerrogativas da educação inclusiva para pessoas surdas.<hr/>Abstract The text addresses the political and pedagogical uses of a conception of educational inclusion that has gained prominence in the public management of Brazilian education during the first decade of this new millennium. In order to do so, it uses an ethnographic reflection built as a public servant in the Department of Basic Education in the section of sociology and organizing the text around the interaction with a professional who participated actively in the organization of the State Secretariat of Education of Paraná between the years 2003 and 2011. Thus, the objective of this analysis does not refer to the experiences of people in schooling, but to the institutional project that wanted to insert them in relatively stable and inclusionable pedagogical categories producing state organization and departamentalization based on the nomination and normatization of subjects. It is, therefore, an attempt to present state practices as well as their discursive justification related to multiculturalism, giving special emphasis to the prerogatives of inclusive education to deaf people. <![CDATA[“The project has already come to us ready and we can not change much!”: the participatory methodology of the PAC and the role of community leaders in the (re) urbanization project of a favela in Rio de Janeiro]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100117&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Ao apresentar uma breve contextualização sobre as políticas habitacionais no país, o artigo, inicialmente, situa historicamente o projeto de (re)urbanização de favelas do PAC. Mais especificamente, através da etnografia, o texto busca descrever a metodologia participativa proposta pelos agentes da “equipe social do PAC” e a forma como tal metodologia é posta em prática, ressaltando os desafios e limitações dessa metodologia. O trabalho busca ainda analisar como moradores e lideranças se utilizam dos “meios oficiais” que lhes foram disponibilizados pelo PAC, mas também alguns mecanismos acionados por eles em suas práticas para expor demandas e assegurar objetivos diante desse processo.<hr/>Abstract In presenting a brief contextualization on housing policies in the country, the article initially situates the PAC (re) urbanization project. More specifically, through ethnography, the text seeks to describe the participatory methodology proposed by the agents of the “PAC social team” and how such methodology is put into practice, highlighting aspects of an elaborated top-down policy. The paper also seeks to analyze how residents and leaders use the “official means” that were made available to them by the PAC, but also some mechanisms that they have implemented in their practices to expose demands and ensure objectives in this process. <![CDATA[Paradoxes of formalization: the social inclusion of recyclable materials collectors from the case of closing Jardim Gramacho’s garbage dump (RJ)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100145&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O artigo discute a emergência dos catadores de materiais recicláveis no âmbito institucional e jurídico, a partir da organização política da categoria e da criação de um marco regulatório inédito para a gestão de resíduos sólidos no país, com a sanção da Política Nacional de Resíduos Sólidos. A partir do trabalho de campo realizado no bairro de Jardim Gramacho, na Baixada Fluminense, o artigo apresenta o caso do fechamento do aterro de resíduos da localidade, descrevendo a organização e as negociações dos catadores, com foco na atividade das lideranças e sua busca pela criação de alternativas de trabalho e renda para os catadores locais. A narrativa aborda o fazer político dos catadores diante do contexto de execução de políticas públicas voltadas para a inclusão social da categoria, apontando divergências, clivagens e embates relativos à heterogeneidade própria dos catadores e as dificuldades em torno do exercício da representação pelas lideranças no universo estudado. Com isso, busca-se evidenciar contradições e paradoxos que emergem da implementação de medidas vigentes nos novos marcos regulatórios de resíduos e os efeitos dissonantes entre a concepção das políticas governamentais e sua execução prática em contextos específicos.<hr/>Abstract The article discusses the emergence of recyclable materials collectors within the institutional and legal domain, based on the political organization of the category and the creation of an unprecedented regulatory framework for the solid waste management in the country, with the sanction of the National Solid Waste Policy. Based on fieldwork carried out in the neighborhood of Jardim Gramacho, in Metropolitan Region of Rio de Janeiro, the article presents the case of the local garbage dump closure and describes the organization and negotiations of collectors, focusing on the leaders activity and their search for the creation of labor and income alternatives for local collectors. The narrative addresses the collectors political action in the context of the execution of public policies focused on the social inclusion of the category, pointing out divergences, cleavages and conflicts related to the collectors heterogeneity and difficulties related to the exercise of representation by the leaders. The aim is to highlight the contradictions and paradoxes that emerge from the implementation of measures induced by the new waste regulatory framework, pointing out the dissonant effects between the government policies conception and their practical execution in specific contexts. <![CDATA[The weapons of the weak: identity strategies, tactics and impact on the dynamics of health access in the Brazil/Paraguay border]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100181&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O presente artigo objetiva expor e discutir algumas táticas e estratégias adotadas por paraguaios indocumentados para ter acesso à saúde por meio do SUS no Brasil. A pesquisa de campo realizou-se especificamente entre a cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero e a cidade brasileira de Ponta Porã. Outro objetivo é discutir as relações socioculturais de caráter identitário que essas táticas e estratégias engendram e oportunizam na faixa de fronteira em questão. No tocante às táticas e estratégias, elencamos as concepções teóricas de Michel de Certeau a respeito dessas categorias. Fredrik Barth e seus conceitos atinentes aos grupos étnicos dão a tônica de nossa análise acerca das diversas, e por vezes divergentes, identidades étnicas oriundas das inter-relações estabelecidas na dinâmica que propicia a existência de táticas e estratégias – no tocante ao acesso à saúde – na fronteira do Brasil com o Paraguai.<hr/>Abstract This article aims to expose and discuss some of the tactics and strategies adopted by undocumented Paraguayans to access health through SUS in Brazil. Field research was carried out specifically between the Paraguayan city of Pedro Juan Caballero and the Brazilian city of Ponta Porã. Another objective is to discuss the sociocultural relations of identity that these tactics and strategies engender and opportunize in the border area in question. With regard to tactics and strategies, we list Michel de Certeau’s theoretical conceptions of these categories. Fredrik Barth and his concepts concerning ethnic groups emphasize our analysis of the diverse and sometimes divergent ethnic identities arising from the interrelationships established in the dynamics that give rise to tactics and strategies in terms of access to health, On the border of Brazil and Paraguay. <![CDATA[Access to rights and the state bureaucracy: academic mediators, quilombola protagonism and tradition in dispute]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100215&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Discutimos o lugar de mediadores na captação e no direcionamento de recursos para comunidades remanescentes de quilombos em duas chamadas públicas, veiculadas pela Delegação da União Europeia no Brasil e pelo Estado brasileiro, onde nossa participação como antropólogas foi requisitada pelas lideranças comunitárias do Quilombo Sacopã, território localizado na cidade do Rio de Janeiro. Tanto a referida agência de fomento internacional quanto a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) buscavam propostas voltadas à defesa dos direitos humanos no Brasil. Refletimos sobre a captação de recursos através de projetos, na interface entre o acesso a direitos e a moldagem da tradição através das relações políticas com Estados nacionais e suas burocracias, que informam as relações institucionais com esses grupos. A conformação de tradições através dos vínculos sociais que as possibilitam também constituem uma competição com o Estado pela sua definição para além dos moldes generalizados e padronizados assim impostos.<hr/>Abstract We discuss the place of mediators in acquiring and directing resources to comunidades remanescentes de quilombos in the case of two public calls, one by the European Union and the other by the Brazilian state, in which our participation was required by leaderships of Quilombo Sacopã, territory located in Rio de Janeiro city. Both the referred international funding agency and the Special Office for the Promotion of Racial Equality (Seppir) were aiming at propositions for the defense of human rights in Brazil. We discuss the way to give direction to these resources through projects, talking about the access to rights and the shaping of tradition through political relations with national states and its bureaucracies, which inform institutional relations with these groups. Shaping traditions through social bonds which make them possible also constitute a competition with the state for the definition beyond general standards, imposed by these processes. <![CDATA[Between threat and protection: categories, practices and effects of an inclusion policy in Crackland, São Paulo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100243&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O presente artigo parte de pesquisa etnográfica realizada na região conhecida como Cracolândia no centro de São Paulo. Seu objetivo é discutir uma operação para inclusão de beneficiários no De Braços Abertos a partir da experiência de uma jovem excluída do programa. Procuro tratar dos modos de funcionamento, práticas e categorias acionadas pelos agentes nessa intervenção, problematizando a noção de vulnerabilidade, bem como seus efeitos na trajetória dessa personagem. Partindo de seu percurso e reflexões, argumento que o Estado produz “labirintos” ao induzir e condicionar o movimento de diversos sujeitos na cidade.<hr/>Abstract This article is based on ethnographic research carried out in the region known as Cracolândia in the center of São Paulo, considered the most famous territoriality of crack use in the country. Its purpose is to discuss an operation to include beneficiaries in a municipal project from the experience of a young woman excluded from the program. I try to deal with the modes of operation, practices and categories triggered by the agents in this intervention, problematizing the notion of vulnerability, as well as their effects on the trajectory of this character. Grounding on her urban path and reflections, my argument is that the State creats “mazes” by inducting and conditioning people’s movements in the city. <![CDATA[Ethnography of a public policy: social control through community mobilization]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100271&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Nessa análise, partimos de um estudo, realizado entre 2014 e 2015, de “núcleos de Fome Zero” na cidade de Porto Alegre para entender os efeitos naquele contexto de um programa de entrega de alimentos a pessoas em risco de insegurança alimentar. Na primeira parte deste artigo, traçamos um perfil dos beneficiados em dois desses núcleos para ressaltar a extrema heterogeneidade da população beneficiada. Num segundo momento, estendemos nosso olhar para a dimensão organizacional do programa ao explorar a maneira com que pessoas – tanto gestores quanto lideranças comunitárias – reagem à situação problemática do momento: a irregularidade na entrega de alimentos. No início dessa investigação, usamos técnicas clássicas da pesquisa etnográfica nas próprias comunidades. Porém, a irregularidade do programa nos levou a incorporar a análise de documentos administrativos, entrevistas com gestores nos setores municipais e estaduais relevantes, e a observação do espaço político coletivo onde os representantes de núcleos debatiam suas dúvidas quinzenalmente: o Fórum Fome Zero. Sugerimos que enquanto métodos quantitativos fornecem detalhes importantes do programa (quantidade e periodicidade de entregas de alimentos), a abordagem qualitativa que privilegia as dinâmicas microterritoriais e que dá visibilidade às lideranças populares demostra outras formas de produtividade do programa ligadas a experiências de mobilização popular e controle social.<hr/>Abstract In this analysis, we examine the contextualized repercussions of a food distribution program among people considered to be suffering from food and nutrition insecurity in Brazil. We concentrate our efforts on neighborhood centers in the city of Porto Alegre that benefitted from the national social policy, Fome Zero, between 2014 and 2015. In the first part of this article, we sketch a profile of the participants in each of two neighborhoods in order to demonstrate the extreme heterogeneity of the program’s beneficiaries. In a second moment, we extend our gaze to the program’s organizational dimensions in order to explore the way in which people – administrators as well as community leaders – react to the problematic situation, evident at the time, of scarce and irregular food delivery. At the beginning of our investigation, we used classical ethnographic techniques in the local communities. However, the program’s irregularity led us to include the analysis of administrative documents, interviews with administrators in the relevant sectors of municipal and state government, and observation in the collective political space where the community leaders brought their concerns on a biweekly basis: the Forum Fome Zero. We suggest that whereas quantitative methods may aptly describe the quantity and periodicity of food shipments, qualitative methods focused on microterritories and community leaders bring to light other forms of the program’s productivity in the arenas of political mobilization and social control. <![CDATA[Social inclusion policies and relations with difference: considerations about potentialities, transformations and limits in the UFG access and permanence practices]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100305&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O texto descreve e analisa algumas políticas de inclusão e permanência, efetivadas na UFG – Universidade Federal de Goiás, para coletivos culturalmente diferenciados. A partir da comparação entre duas delas, o programa UFGInclui e a criação do Núcleo Takinahakỹ de Formação Superior Indígena (NTFSI), busca-se refletir sobre ambiguidades, potencialidades e transformações observadas na universidade. Aventa-se a hipótese de que a agência de pessoas e coletivos é fundamental no processo de democratização universitária. E, fundamentalmente, que a universidade necessita de transformações estruturais para a concreta efetivação da inclusão e permanência.<hr/>Abstract This article tries to describe and analyze some inclusion policies established at UFG – Federal University of Goiás. Based on the comparison between two of them, the UFGInclui program and the creation of the NTFSI – Takinahakỹ Indigenous Formation Center, aim to reflect on the university ambiguities, potentialities and transformations. It is hypothesized that the agency of people and collectives is fundamental in the process. And, fundamentally, that the university needs structural transformations for the concrete realization of the inclusion and permanence policies. <![CDATA[The emergence and evanescence of Brazil’s new middle class]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100335&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Entre 2001 e 2013, o Brasil cresceu e redistribuiu renda. Fruto da estabilidade inflacionária, do aumento do salário mínimo, da expansão do crédito e das políticas sociais, esse período foi marcado pela mobilidade ascendente de milhões de brasileiros. Economistas, jornalistas, políticos e marqueteiros viram na ascensão econômica dessa população a emergência de uma “nova classe média”, definida na releitura de estatísticas nacionais e tornada alvo de intervenções governamentais e de mercado. A partir de uma etnografia documental e de entrevistas com experts, este artigo propõe uma arqueologia dessa categoria, problematizando os caminhos taxonômicos de sua emergência e evanescência. Argumentamos que a “nova classe média” deve ser pensada como uma assemblage científica, política e econômica, agenciada, respectivamente, através de alinhamentos estatísticos, governamentais e mercadológicos. Essas escalas difusas de conhecimento e poder cristalizaram frentes discursivas que tornaram a mobilidade econômica inteligível, em um país tradicionalmente conhecido pela estagnação e desigualdade.<hr/>Abstract Between 2001 and 2013, Brazil’s economy grew with income redistribution. A result of inflationary stability, minimum wage increase, credit expansion and the widening of social policies, this period was characterized by the upward mobility of dozens of millions of Brazilians. Economists, journalists, politicians and marketers heralded the end of endemic poverty and the incorporation of this population into a newly defined “middle class”. Drawing from a documental ethnography, and from interviews with experts, this article pursuits the archeology of this category, problematizing the taxonomic ways of its emergence and evanescence. We argue that the “new middle class” must be understood as a scientific, political, and economic assemblage – one that is performed through statistic, governmental, and marketing alignments. Such diffuse scales of knowledge and power crystallized discursive fronts that rendered economic mobility legible in a country traditionally known for its stagnation and inequality. <![CDATA[Affirmative action in higher education and indigenous peoples in Brazil: a trajectory]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100377&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Este texto apresenta um relato, à guisa de depoimento, da trajetória de um projeto de intervenção desenvolvido por uma equipe de pesquisadores vinculados ao Laboratório de Pesquisas em Etnicidade, Cultura e Desenvolvimento/Departamento de Antropologia/Museu Nacional-Universidade Federal do Rio de Janeiro no fomento a ações afirmativas para o acesso, permanência e sucesso educacional de estudantes indígenas no ensino superior. A equipe do Laced/MN-UFRJ que desenvolveu tais atividades pensou-as à luz da antropologia e de estar institucionalmente baseada numa instituição de ensino superior voltada para a pesquisa e a pós-graduação. O período abarcado é, grosso modo, aquele da primeira década do século XXI. O texto busca recuperar e documentar as condições de possibilidade que facultaram tal intervenção, financiada com recursos da Fundação Ford, e em relação direta com as lutas por ações afirmativas no ensino superior movidas pelo(s) movimento(s) negro(s), caracterizando-a como marcada pela percepção das demandas essenciais para os povos indígenas por terra e sustentabilidade. Narram-se as formas como a equipe do Laced procedeu à indução da demanda de recursos por universidades disponíveis a desenvolverem ações afirmativas para indígenas, a disseminação do debate em torno dessas ações, as articulações para que fossem desenvolvidas políticas governamentais que as fomentassem a mais longo prazo, os conhecimentos e documentos gerados nesse processo.<hr/>Abstract This paper presents an account, or testimony, of the trajectory of a project developed by a team of researchers associated with the Research Laboratory on Ethnicity, Culture and Development/Department of Anthropology/National Museum-Federal University of Rio de Janeiro that promoted affirmative action policies for access, retention and educational success of indigenous students in higher education in the first decade of the twenty-first century. The Laced/MN-UFRJ team conceived these efforts in dialogue with anthropology, based on a perception that it was carrying out this project in an institution of higher education focused on research and graduate studies. The paper seeks to recover and document the conditions that made this intervention possible. Funded by the Ford Foundation and building on the struggles of black movement organizations for affirmative action in higher education, these actions were based on the perception that demands for land and sustainability are essential for Indigenous Peoples. The paper describes how the Laced team helped universities to develop affirmative action policies for indigenous peoples, how these actions were disseminated and debated, how government policies were developed to sustain affirmative action in the long term, as well as what knowledge and documents were generated by this process. <![CDATA[Art – anthropology – art: the covers of the <em>Horizontes Antropológicos</em> magazine]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100449&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo De suvenir de museu a mote de releituras, o universo da história da arte tem atendido a distintos propósitos extra-artísticos. Cineastas, designers e, em especial, profissionais da área da comunicação referenciam-no constantemente, levando para campanhas publicitárias, cartazes e identidades visuais, entre outros produtos, fragmentos e alusões a esse campo. O mesmo se verifica, com frequência, nas capas da revista Horizontes Antropológicos. A partir de uma reflexão acerca dos usos das imagens artísticas pela comunicação e tomando como escopo cinco edições do periódico, o artigo perscruta as obras adotadas, enfatizando aspectos como representação e simbologia, funções sociais e trajetória. Do diálogo sintético e temático entre arte e antropologia, proposto pelos editores, vai-se a um diálogo analítico, que explicita o valor histórico desse patrimônio, tendo como base o seu valor primordial, artístico. No alinhavo entre as obras e na abordagem das mesmas, ressalta-se a construção, pelos artistas, de suas próprias imagens, como agentes de transformação social.<hr/>Abstract From museum souvenirs to the focus of re-readings, the universe of art history has been used for different extra-artistic purposes. Constantly, filmmakers, designers and, in particular, professionals in the area of communication refer to it, taking fragments and allusions from this field to publicity campaigns, posters, visual identities, among others. This process can be frequently seen on the covers of Horizontes Antropológicos. Based on a reflection about the use of artistic images by the communication area and having as scope five specific issues of the magazine, this article investigates the artworks chosen, emphasizing some aspects such as representation and symbology, social function and trajectory. From a synthetic and thematic dialogue between art and anthropology, proposed by the editors of the magazine, an analytical dialogue emerges and justifies the historical value of this patrimony, taking into account its primordial value: the artistic one. From the artworks outline and approach, the construction by the artists of their own images can be emphasized, showing their role as social transformation agents. <![CDATA[VERDUM, Ricardo. <em>Povos indígenas, meio ambiente e políticas públicas</em>: uma visão a partir do orçamento indigenista federal. Rio de Janeiro: E-papers, 2017. 208 p.]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100483&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo De suvenir de museu a mote de releituras, o universo da história da arte tem atendido a distintos propósitos extra-artísticos. Cineastas, designers e, em especial, profissionais da área da comunicação referenciam-no constantemente, levando para campanhas publicitárias, cartazes e identidades visuais, entre outros produtos, fragmentos e alusões a esse campo. O mesmo se verifica, com frequência, nas capas da revista Horizontes Antropológicos. A partir de uma reflexão acerca dos usos das imagens artísticas pela comunicação e tomando como escopo cinco edições do periódico, o artigo perscruta as obras adotadas, enfatizando aspectos como representação e simbologia, funções sociais e trajetória. Do diálogo sintético e temático entre arte e antropologia, proposto pelos editores, vai-se a um diálogo analítico, que explicita o valor histórico desse patrimônio, tendo como base o seu valor primordial, artístico. No alinhavo entre as obras e na abordagem das mesmas, ressalta-se a construção, pelos artistas, de suas próprias imagens, como agentes de transformação social.<hr/>Abstract From museum souvenirs to the focus of re-readings, the universe of art history has been used for different extra-artistic purposes. Constantly, filmmakers, designers and, in particular, professionals in the area of communication refer to it, taking fragments and allusions from this field to publicity campaigns, posters, visual identities, among others. This process can be frequently seen on the covers of Horizontes Antropológicos. Based on a reflection about the use of artistic images by the communication area and having as scope five specific issues of the magazine, this article investigates the artworks chosen, emphasizing some aspects such as representation and symbology, social function and trajectory. From a synthetic and thematic dialogue between art and anthropology, proposed by the editors of the magazine, an analytical dialogue emerges and justifies the historical value of this patrimony, taking into account its primordial value: the artistic one. From the artworks outline and approach, the construction by the artists of their own images can be emphasized, showing their role as social transformation agents. <![CDATA[TRIGO, Eugenia. <em>De la motricidad humana al paradigma vida</em>. [S.l.]: Fundación Naturaleza, Planeta y Vida: Instituto Internacional del Saber Kon-traste, 2016. 198 p. (Colección Ideas)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100489&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo De suvenir de museu a mote de releituras, o universo da história da arte tem atendido a distintos propósitos extra-artísticos. Cineastas, designers e, em especial, profissionais da área da comunicação referenciam-no constantemente, levando para campanhas publicitárias, cartazes e identidades visuais, entre outros produtos, fragmentos e alusões a esse campo. O mesmo se verifica, com frequência, nas capas da revista Horizontes Antropológicos. A partir de uma reflexão acerca dos usos das imagens artísticas pela comunicação e tomando como escopo cinco edições do periódico, o artigo perscruta as obras adotadas, enfatizando aspectos como representação e simbologia, funções sociais e trajetória. Do diálogo sintético e temático entre arte e antropologia, proposto pelos editores, vai-se a um diálogo analítico, que explicita o valor histórico desse patrimônio, tendo como base o seu valor primordial, artístico. No alinhavo entre as obras e na abordagem das mesmas, ressalta-se a construção, pelos artistas, de suas próprias imagens, como agentes de transformação social.<hr/>Abstract From museum souvenirs to the focus of re-readings, the universe of art history has been used for different extra-artistic purposes. Constantly, filmmakers, designers and, in particular, professionals in the area of communication refer to it, taking fragments and allusions from this field to publicity campaigns, posters, visual identities, among others. This process can be frequently seen on the covers of Horizontes Antropológicos. Based on a reflection about the use of artistic images by the communication area and having as scope five specific issues of the magazine, this article investigates the artworks chosen, emphasizing some aspects such as representation and symbology, social function and trajectory. From a synthetic and thematic dialogue between art and anthropology, proposed by the editors of the magazine, an analytical dialogue emerges and justifies the historical value of this patrimony, taking into account its primordial value: the artistic one. From the artworks outline and approach, the construction by the artists of their own images can be emphasized, showing their role as social transformation agents. <![CDATA[COLLINS, John F. <em>Revolt of the saints</em>: memory and redemption in the twilight of Brazilian racial democracy. Durham: Duke University Press, 2015. 480 p.]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100493&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo De suvenir de museu a mote de releituras, o universo da história da arte tem atendido a distintos propósitos extra-artísticos. Cineastas, designers e, em especial, profissionais da área da comunicação referenciam-no constantemente, levando para campanhas publicitárias, cartazes e identidades visuais, entre outros produtos, fragmentos e alusões a esse campo. O mesmo se verifica, com frequência, nas capas da revista Horizontes Antropológicos. A partir de uma reflexão acerca dos usos das imagens artísticas pela comunicação e tomando como escopo cinco edições do periódico, o artigo perscruta as obras adotadas, enfatizando aspectos como representação e simbologia, funções sociais e trajetória. Do diálogo sintético e temático entre arte e antropologia, proposto pelos editores, vai-se a um diálogo analítico, que explicita o valor histórico desse patrimônio, tendo como base o seu valor primordial, artístico. No alinhavo entre as obras e na abordagem das mesmas, ressalta-se a construção, pelos artistas, de suas próprias imagens, como agentes de transformação social.<hr/>Abstract From museum souvenirs to the focus of re-readings, the universe of art history has been used for different extra-artistic purposes. Constantly, filmmakers, designers and, in particular, professionals in the area of communication refer to it, taking fragments and allusions from this field to publicity campaigns, posters, visual identities, among others. This process can be frequently seen on the covers of Horizontes Antropológicos. Based on a reflection about the use of artistic images by the communication area and having as scope five specific issues of the magazine, this article investigates the artworks chosen, emphasizing some aspects such as representation and symbology, social function and trajectory. From a synthetic and thematic dialogue between art and anthropology, proposed by the editors of the magazine, an analytical dialogue emerges and justifies the historical value of this patrimony, taking into account its primordial value: the artistic one. From the artworks outline and approach, the construction by the artists of their own images can be emphasized, showing their role as social transformation agents. <![CDATA[GOLIN, Célio; LEIVAS, Paulo Gilberto Cogo; RIOS, Roger Raupp (Org.). <em>Homossexualidade e direitos sexuais</em>: reflexões a partir da decisão do STF. Porto Alegre: Sulina, 2011. 198 p.]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100497&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo De suvenir de museu a mote de releituras, o universo da história da arte tem atendido a distintos propósitos extra-artísticos. Cineastas, designers e, em especial, profissionais da área da comunicação referenciam-no constantemente, levando para campanhas publicitárias, cartazes e identidades visuais, entre outros produtos, fragmentos e alusões a esse campo. O mesmo se verifica, com frequência, nas capas da revista Horizontes Antropológicos. A partir de uma reflexão acerca dos usos das imagens artísticas pela comunicação e tomando como escopo cinco edições do periódico, o artigo perscruta as obras adotadas, enfatizando aspectos como representação e simbologia, funções sociais e trajetória. Do diálogo sintético e temático entre arte e antropologia, proposto pelos editores, vai-se a um diálogo analítico, que explicita o valor histórico desse patrimônio, tendo como base o seu valor primordial, artístico. No alinhavo entre as obras e na abordagem das mesmas, ressalta-se a construção, pelos artistas, de suas próprias imagens, como agentes de transformação social.<hr/>Abstract From museum souvenirs to the focus of re-readings, the universe of art history has been used for different extra-artistic purposes. Constantly, filmmakers, designers and, in particular, professionals in the area of communication refer to it, taking fragments and allusions from this field to publicity campaigns, posters, visual identities, among others. This process can be frequently seen on the covers of Horizontes Antropológicos. Based on a reflection about the use of artistic images by the communication area and having as scope five specific issues of the magazine, this article investigates the artworks chosen, emphasizing some aspects such as representation and symbology, social function and trajectory. From a synthetic and thematic dialogue between art and anthropology, proposed by the editors of the magazine, an analytical dialogue emerges and justifies the historical value of this patrimony, taking into account its primordial value: the artistic one. From the artworks outline and approach, the construction by the artists of their own images can be emphasized, showing their role as social transformation agents. <![CDATA[NAKAMURA, Eunice. <em>Depressão na infância</em>: uma abordagem antropológica. São Paulo: Hucitec: Fapesp, 2016. 286 p.]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100501&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo De suvenir de museu a mote de releituras, o universo da história da arte tem atendido a distintos propósitos extra-artísticos. Cineastas, designers e, em especial, profissionais da área da comunicação referenciam-no constantemente, levando para campanhas publicitárias, cartazes e identidades visuais, entre outros produtos, fragmentos e alusões a esse campo. O mesmo se verifica, com frequência, nas capas da revista Horizontes Antropológicos. A partir de uma reflexão acerca dos usos das imagens artísticas pela comunicação e tomando como escopo cinco edições do periódico, o artigo perscruta as obras adotadas, enfatizando aspectos como representação e simbologia, funções sociais e trajetória. Do diálogo sintético e temático entre arte e antropologia, proposto pelos editores, vai-se a um diálogo analítico, que explicita o valor histórico desse patrimônio, tendo como base o seu valor primordial, artístico. No alinhavo entre as obras e na abordagem das mesmas, ressalta-se a construção, pelos artistas, de suas próprias imagens, como agentes de transformação social.<hr/>Abstract From museum souvenirs to the focus of re-readings, the universe of art history has been used for different extra-artistic purposes. Constantly, filmmakers, designers and, in particular, professionals in the area of communication refer to it, taking fragments and allusions from this field to publicity campaigns, posters, visual identities, among others. This process can be frequently seen on the covers of Horizontes Antropológicos. Based on a reflection about the use of artistic images by the communication area and having as scope five specific issues of the magazine, this article investigates the artworks chosen, emphasizing some aspects such as representation and symbology, social function and trajectory. From a synthetic and thematic dialogue between art and anthropology, proposed by the editors of the magazine, an analytical dialogue emerges and justifies the historical value of this patrimony, taking into account its primordial value: the artistic one. From the artworks outline and approach, the construction by the artists of their own images can be emphasized, showing their role as social transformation agents. <![CDATA[MARQUES, Roberto. <em>Cariri eletrônico</em>: paisagens sonoras no Nordeste. São Paulo: Intermeios, 2015. 194 p.]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100507&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo De suvenir de museu a mote de releituras, o universo da história da arte tem atendido a distintos propósitos extra-artísticos. Cineastas, designers e, em especial, profissionais da área da comunicação referenciam-no constantemente, levando para campanhas publicitárias, cartazes e identidades visuais, entre outros produtos, fragmentos e alusões a esse campo. O mesmo se verifica, com frequência, nas capas da revista Horizontes Antropológicos. A partir de uma reflexão acerca dos usos das imagens artísticas pela comunicação e tomando como escopo cinco edições do periódico, o artigo perscruta as obras adotadas, enfatizando aspectos como representação e simbologia, funções sociais e trajetória. Do diálogo sintético e temático entre arte e antropologia, proposto pelos editores, vai-se a um diálogo analítico, que explicita o valor histórico desse patrimônio, tendo como base o seu valor primordial, artístico. No alinhavo entre as obras e na abordagem das mesmas, ressalta-se a construção, pelos artistas, de suas próprias imagens, como agentes de transformação social.<hr/>Abstract From museum souvenirs to the focus of re-readings, the universe of art history has been used for different extra-artistic purposes. Constantly, filmmakers, designers and, in particular, professionals in the area of communication refer to it, taking fragments and allusions from this field to publicity campaigns, posters, visual identities, among others. This process can be frequently seen on the covers of Horizontes Antropológicos. Based on a reflection about the use of artistic images by the communication area and having as scope five specific issues of the magazine, this article investigates the artworks chosen, emphasizing some aspects such as representation and symbology, social function and trajectory. From a synthetic and thematic dialogue between art and anthropology, proposed by the editors of the magazine, an analytical dialogue emerges and justifies the historical value of this patrimony, taking into account its primordial value: the artistic one. From the artworks outline and approach, the construction by the artists of their own images can be emphasized, showing their role as social transformation agents. <![CDATA[CORDOVIL, Daniela (Org.). <em>Religião, gênero e poder</em>: estudos amazônicos. São Paulo: Fonte Editorial, 2015. 206 p.]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832018000100513&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo De suvenir de museu a mote de releituras, o universo da história da arte tem atendido a distintos propósitos extra-artísticos. Cineastas, designers e, em especial, profissionais da área da comunicação referenciam-no constantemente, levando para campanhas publicitárias, cartazes e identidades visuais, entre outros produtos, fragmentos e alusões a esse campo. O mesmo se verifica, com frequência, nas capas da revista Horizontes Antropológicos. A partir de uma reflexão acerca dos usos das imagens artísticas pela comunicação e tomando como escopo cinco edições do periódico, o artigo perscruta as obras adotadas, enfatizando aspectos como representação e simbologia, funções sociais e trajetória. Do diálogo sintético e temático entre arte e antropologia, proposto pelos editores, vai-se a um diálogo analítico, que explicita o valor histórico desse patrimônio, tendo como base o seu valor primordial, artístico. No alinhavo entre as obras e na abordagem das mesmas, ressalta-se a construção, pelos artistas, de suas próprias imagens, como agentes de transformação social.<hr/>Abstract From museum souvenirs to the focus of re-readings, the universe of art history has been used for different extra-artistic purposes. Constantly, filmmakers, designers and, in particular, professionals in the area of communication refer to it, taking fragments and allusions from this field to publicity campaigns, posters, visual identities, among others. This process can be frequently seen on the covers of Horizontes Antropológicos. Based on a reflection about the use of artistic images by the communication area and having as scope five specific issues of the magazine, this article investigates the artworks chosen, emphasizing some aspects such as representation and symbology, social function and trajectory. From a synthetic and thematic dialogue between art and anthropology, proposed by the editors of the magazine, an analytical dialogue emerges and justifies the historical value of this patrimony, taking into account its primordial value: the artistic one. From the artworks outline and approach, the construction by the artists of their own images can be emphasized, showing their role as social transformation agents.