Scielo RSS <![CDATA[Varia Historia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-877520170001&lang=pt vol. 33 num. 61 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA["A escolha de Sofia": impasses enfrentados pelos periódicos impressos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-87752017000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Apresentação. Ciência, raça e eugenia na segunda metade do século XX: novos objetos e nova temporalidade em um panorama internacional]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-87752017000100015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Mudanças de norma em serviços genéticos. Como o discurso da escolha substituiu o discurso da prevenção]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-87752017000100021&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract In the 1960s and '70s, it was generally assumed that reproductive choices have social consequences and thus are a matter of social concern. Socially-responsible reproductive behavior, in turn, was assumed to entail minimizing the risk of transmitting grave genetic diseases. Over time, such a view came increasingly to be labelled "eugenics," a term that would in much of the world acquire strongly negative connotations. By the 1990s, the old view had been largely replaced in the West by the tenet that procreation is a private matter, and that there are no right or wrong reproductive decisions. The primary aim of this essay is to explain and interpret this transformation, which was largely a product of the 1980s. Drawing on social-norms theory, which assumes that norms are always to some degree contested, it asks how those with an interest in changing prevailing attitudes were able to achieve such apparent rapid success.<hr/>Resumo Nos anos 1960 e 1970 era geralmente suposto que as escolhas reprodutivas tinham consequências e, assim, eram uma questão de interesse social. O comportamento reprodutivo socialmente responsável, por sua vez, era presumido como capaz de minimizar o risco de transmitir doenças genéticas graves. Com o tempo, tal visão veio a ser cada vez mais rotulada de "eugenia", um termo que adquiriria na maior parte do mundo conotações fortemente negativas. A partir dos anos 1990, este velho ponto de vista tornou-se amplamente substituído no Ocidente pelo princípio de que a reprodução é uma questão privada e que não haveria certo ou errado nas decisões reprodutivas. O principal propósito deste artigo é explicar e interpretar esta transformação, que foi um produto principalmente dos anos 1980. Baseando-se na teoria das normas sociais, na qual supõe-se que as normas são sempre contestáveis em alguma medida, discute-se como aqueles com um interesse nas mudanças das atitudes predominantes são capazes de alcançar tal sucesso aparente rapidamente. <![CDATA[Teaching to Guard the "Good in Birth". University Studies About Eugenics in Argentina (1942-1980)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-87752017000100049&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumen Este trabajo aborda un aspecto de la variante eugénica latina que se desarrolló en Argentina durante gran parte del siglo XX, caracterizándose por el ejercicio de una coerción disimulada. Ella se sustentó principalmente en el control de la reproducción a través de mecanismos prescriptos por la Iglesia Católica y aceptados por elites liberales, consistentes en un disciplinamiento de la sexualidad que descartó las prácticas esterilizadoras fortaleciendo, en cambio, estrategias moralizadoras de raigambre filofascista en la convicción de que éstas serían el mejor reaseguro para conseguir una prole sana. Se analiza aquí la permeabilidad de esa Eugenesia en el ámbito académico, aún bastante después del Holocausto a través de la consolidación de estudios universitarios de Eugenesia legitimados por el Estado nacional, en coincidencia con el involucramiento de Argentina en la Guerra Fría. Así, las particularidades del proceso de construcción del reconocimiento social del título universitario de "eugenista" y las habilitaciones profesionales para su desempeño, integran una trama singular de ideologías y disputas políticas que aquí se buscan desentrañar.<hr/>Abstract This paper approaches the Latin-Eugenic variant, particularly, in the aspect developed in Argentina during the 20th Century. That aspect was characterized by a "dissimulated coercion". That Eugenics was based in the control of reproduction though mechanisms supported by Catholic Church and accepted by Liberal elites, which consisted in the disciplining sexuality that rejected sterilizing practices but strengthened, instead, moralizing pro-fascistic strategies; considering them as the best decision to get healthy progeny. Then, we will analyse here the permeability of that Eugenics in the academic world, and its survival after Holocaust behind the consolidation of High Studies of Eugenics, which had its legitimacy from the national State, at the same time of Argentina's involvement in the Cold War. In this way, the particularities of the creation process of social recognition of the degree of Graduate in Eugenics (and its professional authorization) have integrated a singular plot of ideologies and politic disputes that this work expects to show. <![CDATA[Dois geneticistas e a miscigenação. Octavio Domingues e Salvador de Toledo Piza no movimento eugenista brasileiro (1929-1933)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-87752017000100079&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo Analiso a participação de dois geneticistas brasileiros no movimento eugenista em fins dos anos 1920 e meados da década de 1930. A partir de 1929, Octavio Domingues e Salvador de Toledo Piza participaram, ao lado de Renato Kehl, do Boletim de Eugenia, principal veículo de divulgação do movimento no Brasil. Além disso, publicaram livros que ou tratavam diretamente da eugenia, como A hereditariedade em face da educação (1929), de Domingues, ou abordavam teorias genéticas com implicações sobre a eugenia, como Localização dos fatores na linina nuclear como base de uma nova teoria sobre a hereditariedade (1930), de Toledo Piza. Apesar do fato de que os principais atores sociais da eugenia no país terem sido médicos e psiquiatras, argumento que a trajetória de ambos é importante para compreender o movimento. Por último, destaco que, embora ambos se identificassem com a teoria mendeliana da hereditariedade, afastavam-se quanto as consequências da miscigenação.<hr/>Abstract I analyze the participation of two Brazilian geneticists in the eugenics movement between the late 1920s and mid-1930s. In 1929, Octavio Domingues and Salvador de Toledo Piza joined Renato Kehl in editing Boletim de Eugenia [Eugenics Bulletin], the main channel for the communication of the movement in Brazil. They also published books that directly addressed eugenics, like A hereditariedade em face da educação [Inheritance in view of Education] (1929), by Domingues, or else addressed genetic theories with implications for eugenics, like Localização dos fatores na linina nuclear como base de uma nova teoria sobre a hereditariedade [Location of the Factors in the Lignin Nucleus as a Basis for a New Theory of Inheritance] (1930), by Toledo Piza. Although the leaders of eugenics in Brazilian society were physicians and psychiatrists, I argue that these two men's trajectories are important for understanding the movement. Finally, I note that although they both identified with the Mendelian theory of inheritance, they diverged when it came to the consequences of miscegenation. <![CDATA[O corpo como substrato da diferenciação. Mudando o foco da ciência racial para a pesquisa dos "cientistas da vida" sobre variação humana]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-87752017000100109&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract This article suggests to focus on the history of human variation instead of focussing on the history of race science. It views the latter as a subset of the former, hence views race science as embedded into the larger field of life scientists' investigations into human variation. This paper explores why human variation is such an attractive and productive object particularly for the life sciences. It proposes that knowledge about human variation is incomplete in a promising way, and that it is of high instrumental value in the life sciences. I briefly illustrate the main points with an exemplary case, namely, population genetic studies of 'Roma'.<hr/>Resumo: Este artigo sugere focar na história da variação humana ao invés de focar na história da ciência racial. Considera-se a última como um subproduto do primeira, por essa razão considera-se a ciência racial como incorporada em um campo mais amplo de investigações dos "cientistas da vida" sobre a variação humana. Este artigo explora porque a variação humana é um objeto tão atrativo e produtivo, particularmente para as ciências da vida. Propõe-se que o conhecimento sobre a variação humana é incompleto, mas de uma maneira promissora, e que é de valor altamente instrumental nas ciências da vida. Ilustro brevemente os principais pontos com um caso exemplar, a saber, os estudos de genética populacional nos "Roma". <![CDATA[A Crítica de Otto Klineberg aos testes de inteligência. O Brasil como laboratório racial]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-87752017000100135&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo Otto Klineberg, professor de psicologia social na Universidade de Columbia, assegurou que os testes de inteligência eram uma ferramenta para legitimar hierarquias raciais. Ele conduziu numerosos estudos sobre as relações entre negros, brancos, índios e grupos de imigrantes nos Estados Unidos e na Europa na qual ressaltou que os aspectos ambientais superavam os fatores raciais. Klineberg concebia o Brasil como um ambiente privilegiado para demonstrar que os testes de inteligência não tinham qualquer base científica. O presente artigo tem um foco triplo: três estudos realizados por Klineberg entre 1927 e 1935; suas experiências no Brasil de 1945 a 1947 como professor da Universidade de São Paulo, quando ele tentou investigar a relação entre testes de inteligência e condições socioeconômicas em escolas do Rio de Janeiro; e sua atuação inicial na Unesco, após a 2a Guerra Mundial, quando muitos ainda estavam convencidos que os testes de inteligência eram uma forma adequada para medir as chamadas habilidades inatas.<hr/>Abstract Otto Klineberg, professor of social psychology at Columbia University, held that intelligence tests were a tool for legitimizing racial hierarchies. He conducted numerous studies of the relations between blacks, whites, Indians, and immigrant groups in the United States and Europe in which he stressed that environmental considerations trumped racial factors. Klineberg came to see Brazil as a prime setting for demonstrating that intelligence testing lacked any scientific basis. The present article has a threefold focus: three studies conducted by Klineberg between 1927 and 1935; his experiences in Brazil from 1945 to 1947 as a professor at the University of São Paulo, where he tried to investigate the relation between intelligence testing and socioeconomic conditions at schools in Rio de Janeiro; and his post-World War II work at UNESCO, when many were still arguing that intelligence tests were an appropriate way to measure so-called innate traits. <![CDATA[Desafiando o racismo no Brasil. Ações judiciais no contexto da "Lei Anti-Discriminação" de 1951]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-87752017000100163&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract This article examines efforts to define the nature of racial discrimination in Brazil, within an environment shaped by perceptions of the meaning of racism in the United States and perceptions about the nature of race relations in the lusophone world. The article asks how did black Brazilians work to define discrimination, and what opportunities did they find to mount challenges? This study elucidates reactions to discrimination, looking for these acts where they occurred rather than where the U.S. experience tells us to find them, exploring efforts to define discrimination and to create means to challenge it. Though these efforts often dialogued with ever-present perceptions about race in the U.S., they were adapted to particular legal, political, social and cultural circumstances in the Brazil of their time. In particular, I examine challenges to discrimination through criminal suits brought under Brazil's 1951 anti-discrimination law.<hr/>Resumo Este artigo analisa os esforços para definir a natureza da discriminação racial no Brasil, em um ambiente moldado por percepções sobre o significado do racismo nos Estados Unidos e sobre a natureza das relações raciais no mundo lusófono. O ensaio interroga como os negros brasileiros operaram na definição da discriminação e quais oportunidades encontraram para encaminhar questionamentos. Este estudo elucida as reações à discriminação, procurando por esses atos não onde a experiência norte-americana nos diz encontrá-los, mas onde onde eles ocorreram, explorando os esforços para definir a discriminação e criar meios de combatê-la. Embora esses esforços tenham frequentemente dialogado com persistentes percepções sobre raça nos Estados-Unidos, eles foram adaptados às circunstâncias legais, políticas, sociais e culturais no Brasil de seu tempo. Em particular, examino as oposições à discriminação por meio de ações judiciais provocadas pela "Lei Anti-discriminação" brasileira de 1951. <![CDATA[A publicação de "A cabana do Pai Tomás" no Brasil escravista. O "momento europeu" da edição Rey e Belhatte (1853)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-87752017000100189&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo Este artigo estuda o processo de publicação no Brasil escravista do principal romance antiescravista do séc. XIX: A Cabana do Pai Tomás , da escritora norte-americana Harriet Beecher Stowe. Apresentamos as condições e modalidades de publicação do romance vigentes no Brasil entre 1853 e 1888 e nos concentramos na análise da edição, em português, publicada em Paris pela casa Rey e Belhatte, em 1853. Articulando referenciais da história social dos escritos, da história do livro e dos estudos de transferências culturais, consideramos as intervenções realizadas pelo tradutor da obra, mediante a análise do material peritextual e os direcionamentos de sentido aí propostos. Analisamos esse processo de edição como um caso de transferência cultural triangular, com destaque para a importância das mediações europeias que marcam a difusão do livro da autora norte-americana no Brasil. Demonstramos, finalmente, como a edição estudada buscou atenuar as expectativas sociais originais do romance. Ao substituir o imediatismo do abolicionismo de Stowe por uma interpretação gradualista, a edição permitia, aos seus leitores, conceber o fim da escravidão num futuro bem mais longínquo, no mundo lusófono.<hr/>Abstract This paper studies the publishing process, in slaveholding Brazil, of the most important nineteenth-century American antislavery novel: Harriet Beetcher Stowe's "Uncle's Tom Cabin". This text presents the conditions and modalities of the novel's publication in Brazil from 1853 to 1888, and focuses specifically on the analysis of the Portuguese-language edition, published in Paris by Rey &amp; Belhatte , in 1853. Drawing on references from the social history of writings, history of the book and cultural transfers studies, we have considered the interventions effected by the translator, by means of an analysis of the peritextual material and the semantic shifts therein proposed. This edition process is herein analyzed as a case of triangular cultural exchange, highlighting the importance of the European mediations marking the circulation of "Uncle Tom's Cabin" in Brazil. We can observe in these analyses how the edition attenuated the novel's social expectations, replacing the immediacy of Stowe's abolitionism for a gradualism that allowed to reader to envision a very protracted end to slavery in the Portuguese-speaking world. <![CDATA[As imagens retirantes. A constituição da figurabilidade da seca pela literatura do final do século XIX e do início do século XX]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-87752017000100225&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo Este texto trata da emergência da chamada "literatura das secas" do Norte, na segunda metade do século XIX, e de como ela construiu uma estrutura narrativa para esse fenômeno, centrada no acontecimento da retirada, que servirá de modelo para toda a produção literária subsequente acerca das estiagens. Partindo de dois modelos narrativos clássicos, presentes na cultura ocidental - a narrativa do êxodo e a narrativa da via sacra - essa literatura construiu um conjunto de imagens e enunciados que, ainda hoje, permanecem como o "ser" mesmo da seca do Nordeste do Brasil. Ignoradas pela vasta produção historiográfica existente a respeito desse fenômeno, essas imagens e cenas vão ser figuradas, inicialmente, e recorrentemente reapresentadas na produção literária que se diz regionalista, sendo posteriormente apropriadas por outros gêneros narrativos e artísticos. Mesmo em permanente reelaboração e reinscrição, essas imagens retirantes, sobrevivem e retornam periodicamente nos discursos em torno desse fenômeno dito regional.<hr/>Abstract This article deals with the emergence of the so-called "drought literature" of Brazilian North in the second half of the nineteenth century, and how this literature built a narrative structure for this phenomenon, centered on the event of migration, which will serve as a template for all subsequent literary production on droughts in this country. Drawing upon two classic narrative models of Western culture - the exodus narrative and the narrative of the Stations of the Cross -, this literature has brought forth a set of images and statements that, even today, remains as if it were the drought in Northeastern Brazil itself. Ignored by the vast historiography on the topic, these scenes and images will be originally shaped and, afterwards, recurrently presented in the self-proclaimed "regionalist" literature. Later on, they were appropriated by other narrative and artistic genres. Even in constant reworking and reinscription, these migrant images survive and return periodically in the discourses on this purportedly regional phenomenon. <![CDATA[Penachos de ideias. A Guerra de Sucessão da Espanha e a formação de Pedro Miguel de Almeida Portugal, 3<sup>o</sup> conde de Assumar]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-87752017000100253&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo O artigo aborda a atuação de Pedro Miguel de Almeida Portugal (1688-1756) na Guerra de Sucessão da Espanha (1701-1714), em meio à embaixada de seu pai, João de Almeida Portugal, 2o conde de Assumar, junto às forças aliadas a Carlos de Habsburgo. Realiza um balanço historiográfico da participação portuguesa no conflito, considera os relatos de batalhas sobre a participação do jovem nobre, e analisa a vida social em Barcelona na estada de pai e filho. A experiência nos âmbitos guerreiro e cortesão contribuiu para a formação do governador da capitania de São Paulo e Minas do Ouro a partir de 1717. Divulgar os feitos de sua casa nobre, representar a monarquia portuguesa numa terra distante, a concepção hierática de sociedade e a erudição conjugada à apologia da violência são posturas e aspectos presentes em escritos atribuídos ao futuro 3o conde de Assumar.<hr/>Abstract The article discusses the role of Pedro Miguel de Almeida Portugal (1688-1756) in the Spanish War of Succession (1701-1714), during the embassy of his father, João de Almeida Portugal, 2nd Earl of Assumar, alongside the forces allied to Charles of Habsburg. The text reviews the historiography on the Portuguese participation in the conflict, considers the battle reports on the participation of the young nobleman, and analyzes the social life in Barcelona while father and son were there. The experience as a warrior and a courtier contributed to the education of the governor of the São Paulo e Minas do Ouro captaincy from 1717 onward. The dissemination of the achievements of his noble house, the representation of the Portuguese monarchy in a distant land, the hieratic conception of society and the erudition coupled with the condonation of violence are postures and aspects present in writings attributed to the future 3rd Earl of Assumar. <![CDATA[Resenha]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-87752017000100287&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo O artigo aborda a atuação de Pedro Miguel de Almeida Portugal (1688-1756) na Guerra de Sucessão da Espanha (1701-1714), em meio à embaixada de seu pai, João de Almeida Portugal, 2o conde de Assumar, junto às forças aliadas a Carlos de Habsburgo. Realiza um balanço historiográfico da participação portuguesa no conflito, considera os relatos de batalhas sobre a participação do jovem nobre, e analisa a vida social em Barcelona na estada de pai e filho. A experiência nos âmbitos guerreiro e cortesão contribuiu para a formação do governador da capitania de São Paulo e Minas do Ouro a partir de 1717. Divulgar os feitos de sua casa nobre, representar a monarquia portuguesa numa terra distante, a concepção hierática de sociedade e a erudição conjugada à apologia da violência são posturas e aspectos presentes em escritos atribuídos ao futuro 3o conde de Assumar.<hr/>Abstract The article discusses the role of Pedro Miguel de Almeida Portugal (1688-1756) in the Spanish War of Succession (1701-1714), during the embassy of his father, João de Almeida Portugal, 2nd Earl of Assumar, alongside the forces allied to Charles of Habsburg. The text reviews the historiography on the Portuguese participation in the conflict, considers the battle reports on the participation of the young nobleman, and analyzes the social life in Barcelona while father and son were there. The experience as a warrior and a courtier contributed to the education of the governor of the São Paulo e Minas do Ouro captaincy from 1717 onward. The dissemination of the achievements of his noble house, the representation of the Portuguese monarchy in a distant land, the hieratic conception of society and the erudition coupled with the condonation of violence are postures and aspects present in writings attributed to the future 3rd Earl of Assumar. <![CDATA[Erratum]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-87752017000100291&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo O artigo aborda a atuação de Pedro Miguel de Almeida Portugal (1688-1756) na Guerra de Sucessão da Espanha (1701-1714), em meio à embaixada de seu pai, João de Almeida Portugal, 2o conde de Assumar, junto às forças aliadas a Carlos de Habsburgo. Realiza um balanço historiográfico da participação portuguesa no conflito, considera os relatos de batalhas sobre a participação do jovem nobre, e analisa a vida social em Barcelona na estada de pai e filho. A experiência nos âmbitos guerreiro e cortesão contribuiu para a formação do governador da capitania de São Paulo e Minas do Ouro a partir de 1717. Divulgar os feitos de sua casa nobre, representar a monarquia portuguesa numa terra distante, a concepção hierática de sociedade e a erudição conjugada à apologia da violência são posturas e aspectos presentes em escritos atribuídos ao futuro 3o conde de Assumar.<hr/>Abstract The article discusses the role of Pedro Miguel de Almeida Portugal (1688-1756) in the Spanish War of Succession (1701-1714), during the embassy of his father, João de Almeida Portugal, 2nd Earl of Assumar, alongside the forces allied to Charles of Habsburg. The text reviews the historiography on the Portuguese participation in the conflict, considers the battle reports on the participation of the young nobleman, and analyzes the social life in Barcelona while father and son were there. The experience as a warrior and a courtier contributed to the education of the governor of the São Paulo e Minas do Ouro captaincy from 1717 onward. The dissemination of the achievements of his noble house, the representation of the Portuguese monarchy in a distant land, the hieratic conception of society and the erudition coupled with the condonation of violence are postures and aspects present in writings attributed to the future 3rd Earl of Assumar.