Scielo RSS <![CDATA[Mana]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-931319970002&lang= vol. 3 num. 2 lang. <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>A emergência dos "remanescentes"</b>: <b>notas para o diálogo entre indígenas e quilombolas</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131997000200001&lng=&nrm=iso&tlng= Motivado pelos efeitos políticos decorrentes da adoção do termo "remanescentes" na legislação relativa a grupos indígenas e negros rurais, assim como baseado em literatura histórica e etnográfica, este artigo discute os limites analíticos e teóricos da polarização, corrente na literatura de ciências sociais no Brasil, entre os classificadores "raça" e "etnia". Analisa a convergência temática e conceitual de estudos recentes baseados nesses dois classificadores e relativiza a consistência dessa repartição em várias situações sociais documentadas, para propor a idéia de "plasticidade identitária". Esta idéia serve de base a uma reflexão sobre a estreita relação entre produção científica, criação jurídica e ação política, levando à sugestão de se pensar as situações vividas por aquelas comunidades chamadas "remanescentes" em termos de emergência étnica e invenção cultural.<hr/>Supported by a reading of the historical and ethnographical literature, this article addresses the political consequences of the adoption of remnants [remanescentes] as a legislative term describing indigenous groups and rural Afro-Brazilian populations, and discusses the analytic and theoretical limits of the current polarization of "race" and "ethnic group" in Brazilian social sciences. Proposing the concept of "plastic identity", it analyzes the thematic and conceptual convergence of recent studies based on these two classifiers and questions the stability of their separation through recourse to a number of documented social situations. This concept allows a reflection on the close relationship between scientific production, juridical training and political action. Finally, a proposal is made to rethink the lifeworlds of communities designated "remnants" in terms of ethnic emergence and cultural invention. <![CDATA[<b>O parentesco como consciência humana</b>: <b>o caso dos piro</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131997000200002&lng=&nrm=iso&tlng= Este artigo analisa o sistema de parentesco dos Piro da Amazônia peruana como um sistema autopoiético, isto é, como um sistema que gera suas próprias condições de existência. O postulado teórico central é que o parentesco é um sistema de subjetividade, pois as estruturas básicas da consciência humana envolvem necessariamente a consciência de um eu em meio aos outros. Um dos objetivos aqui perseguidos é o de contribuir para que a antropologia simbólica possa voltar a fazer um uso fecundo da noção de "natureza humana". A análise parte de uma narrativa, "O Nascimento de Tsla", em que se encontram encapsulados - na mensagem como nas condições pragmáticas de enunciação desse mito - os princípios fundamentais do parentesco piro, acompanhando a ontogênese dos seres humanos e mostrando o papel constitutivo, nessa ontogênese, da linguagem e da alteridade.<hr/>This article analyzes the kinship system of the Piro of Peruvian Amazonia as an autopoeitic system, that is, as a system which generates its own existential conditions. The central theoretical postulate is that kinship is a system of subjectivity, since the basic structures of human consciousness necessarily involve being conscious of an I amid others. One of the article's objectives is to provide schemata enabling symbolic anthropology to return to a fertile use of the notion of "human nature". The analysis departs from a narrative, "The Birth of Tsla", which encapsulates - in both the message and the pragmatic conditions of the myth's enunciation - the fundamental principles of Piro kinship; this is followed by an analysis of the ontogenesis of human beings, which reveals the constitutive role, in this ontogenesis, of language and alterity. <![CDATA[<B>Onde está a antropologia?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131997000200003&lng=&nrm=iso&tlng= Este artigo examina o cenário da antropologia contemporânea mediante o contraste entre quatro livros publicados nos últimos anos, dois nos Estados Unidos (After the Fact, de Clifford Geertz, e Making PCR, de Paul Rabinow) e dois na Índia (Pathways, de T. N. Madan, e Critical Events, de Veena Das). A comparação é realizada no contexto de uma breve etnografia das livrarias norte-americanas, na qual se avaliam algumas publicações recentes, assim como a reclassificação de disciplinas tradicionais. O papel indispensável dos autores e obras considerados clássicos é examinado no contexto atual, finalizando com uma agenda para reflexão sobre as possibilidades de comunicação entre antropólogos de várias origens e vertentes.<hr/>This article examines the setting of contemporary anthropology by means of the contrast between four books recently published in the United States (After the Fact by Clifford Geertz and Making PCR by Paul Rabinow) and India (Pathways by T. N. Madan and Critical Events by Veena Das). The comparison is made in the context of a brief ethnographic study of bookstores in the United States which evaluates several recent publications, as well as the reclassification of traditional disciplines. The indispensable role of the authors in works considered classics is examined in present-day context, concluding with a reflection on the possibility of communication between anthropologists of diverse backgrounds and perspectives. <![CDATA[<b>O "pessimismo sentimental" e a experiência etnográfica</b>: <b>por que a cultura não é um "objeto" em via de extinção (parte II)</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131997000200004&lng=&nrm=iso&tlng= Este artigo (publicado em duas partes) examina e refuta as críticas ao conceito de cultura. A identificação pós-modernista da "cultura" com o colonialismo e o imperialismo é um diagnóstico falso: o contexto histórico-ideológico de gestação da idéia de cultura, marcado pela reação ao universalismo iluminista, aponta na direção oposta. Por sua vez, as ansiedades sobre o fim iminente da variedade cultural humana se mostram sem objeto: a globalização e outras peripécias capitalistas, longe de impor uma hegemonia monótona sobre o planeta, têm gerado uma diversidade de formas e conteúdos culturais historicamente sem precedentes.<hr/>This article (published in two parts) examines and refutes critiques of the concept of culture. The post-modernist identification of "culture" with colonialism and imperialism is a false diagnosis: marked by its reaction to Enlightenment universalism, the historico-ideological context within which the idea of culture took shape indicates the opposite. In turn, anxieties over the imminent end of human cultural variety are revealed to be groundless: globalisation and other capitalist phenomena, far from imposing a monotonous hegemony on the planet, have generated a historically unprecedented diversity of cultural forms and contents. <![CDATA[<b>Tempo e distâncias na produção editorial de literatura</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131997000200005&lng=&nrm=iso&tlng= Este artigo analisa a temporalização observada no campo editorial brasileiro a partir do surgimento da Companhia das Letras no final dos anos 80, interpretando seu prestígio e distinção culturais ao longo de três eixos de oposições. Em primeiro lugar face às editoras economicamente dominantes, como Record e Ediouro; em segundo, frente a um grupo de novas editoras buscando seu lugar no mundo editorial a partir do modelo "profissional" estabelecido pela Companhia das Letras. Finalmente, o artigo situa esse espaço diferencial no contexto de uma história editorial nacional específica, dotada de uma dinâmica própria, de suas genealogias e de suas fórmulas editoriais. Desse modo, procura-se estabelecer a existência de um princípio organizacional básico para a determinação dos estados dos campos de produção cultural, bem como contribuir para o estudo da função desempenhada pelas editoras na construção da cultura nacional.<hr/>The article analyzes the temporalization observed in the field of Brazilian publishing since the appearing of Companhia das Letras at the end of the 1980s. It interprets the extent of the latter's cultural prestige and distinction along three axis. Firstly, in opposition to economically dominant publishing houses such as Record and Ediouro; secondly, in opposition to a group of new publishers searching for a place in the publishing world inspired by the "professional" model established by the Companhia das Letras; lastly, it situates this differential space within a specific national publishing history, with its own dynamics of temporal and spatial production, its genealogies, and its publishing formulae. In this way, the article seeks to provide a basic organizing principle for the determination of states of fields of cultural production, and to contribute to the study of publishing's function in the construction of national culture. <![CDATA[<b>A lingüística como uma ciência natural</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131997000200006&lng=&nrm=iso&tlng= Este artigo analisa a temporalização observada no campo editorial brasileiro a partir do surgimento da Companhia das Letras no final dos anos 80, interpretando seu prestígio e distinção culturais ao longo de três eixos de oposições. Em primeiro lugar face às editoras economicamente dominantes, como Record e Ediouro; em segundo, frente a um grupo de novas editoras buscando seu lugar no mundo editorial a partir do modelo "profissional" estabelecido pela Companhia das Letras. Finalmente, o artigo situa esse espaço diferencial no contexto de uma história editorial nacional específica, dotada de uma dinâmica própria, de suas genealogias e de suas fórmulas editoriais. Desse modo, procura-se estabelecer a existência de um princípio organizacional básico para a determinação dos estados dos campos de produção cultural, bem como contribuir para o estudo da função desempenhada pelas editoras na construção da cultura nacional.<hr/>The article analyzes the temporalization observed in the field of Brazilian publishing since the appearing of Companhia das Letras at the end of the 1980s. It interprets the extent of the latter's cultural prestige and distinction along three axis. Firstly, in opposition to economically dominant publishing houses such as Record and Ediouro; secondly, in opposition to a group of new publishers searching for a place in the publishing world inspired by the "professional" model established by the Companhia das Letras; lastly, it situates this differential space within a specific national publishing history, with its own dynamics of temporal and spatial production, its genealogies, and its publishing formulae. In this way, the article seeks to provide a basic organizing principle for the determination of states of fields of cultural production, and to contribute to the study of publishing's function in the construction of national culture. <![CDATA[<b>Continuidade, integração e horizontes em expansão</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131997000200007&lng=&nrm=iso&tlng= Este artigo analisa a temporalização observada no campo editorial brasileiro a partir do surgimento da Companhia das Letras no final dos anos 80, interpretando seu prestígio e distinção culturais ao longo de três eixos de oposições. Em primeiro lugar face às editoras economicamente dominantes, como Record e Ediouro; em segundo, frente a um grupo de novas editoras buscando seu lugar no mundo editorial a partir do modelo "profissional" estabelecido pela Companhia das Letras. Finalmente, o artigo situa esse espaço diferencial no contexto de uma história editorial nacional específica, dotada de uma dinâmica própria, de suas genealogias e de suas fórmulas editoriais. Desse modo, procura-se estabelecer a existência de um princípio organizacional básico para a determinação dos estados dos campos de produção cultural, bem como contribuir para o estudo da função desempenhada pelas editoras na construção da cultura nacional.<hr/>The article analyzes the temporalization observed in the field of Brazilian publishing since the appearing of Companhia das Letras at the end of the 1980s. It interprets the extent of the latter's cultural prestige and distinction along three axis. Firstly, in opposition to economically dominant publishing houses such as Record and Ediouro; secondly, in opposition to a group of new publishers searching for a place in the publishing world inspired by the "professional" model established by the Companhia das Letras; lastly, it situates this differential space within a specific national publishing history, with its own dynamics of temporal and spatial production, its genealogies, and its publishing formulae. In this way, the article seeks to provide a basic organizing principle for the determination of states of fields of cultural production, and to contribute to the study of publishing's function in the construction of national culture. <![CDATA[<strong>A fabricação do imortal</strong>: <strong>memória, história e estratégias de consagração no Brasil</strong>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131997000200008&lng=&nrm=iso&tlng= Este artigo analisa a temporalização observada no campo editorial brasileiro a partir do surgimento da Companhia das Letras no final dos anos 80, interpretando seu prestígio e distinção culturais ao longo de três eixos de oposições. Em primeiro lugar face às editoras economicamente dominantes, como Record e Ediouro; em segundo, frente a um grupo de novas editoras buscando seu lugar no mundo editorial a partir do modelo "profissional" estabelecido pela Companhia das Letras. Finalmente, o artigo situa esse espaço diferencial no contexto de uma história editorial nacional específica, dotada de uma dinâmica própria, de suas genealogias e de suas fórmulas editoriais. Desse modo, procura-se estabelecer a existência de um princípio organizacional básico para a determinação dos estados dos campos de produção cultural, bem como contribuir para o estudo da função desempenhada pelas editoras na construção da cultura nacional.<hr/>The article analyzes the temporalization observed in the field of Brazilian publishing since the appearing of Companhia das Letras at the end of the 1980s. It interprets the extent of the latter's cultural prestige and distinction along three axis. Firstly, in opposition to economically dominant publishing houses such as Record and Ediouro; secondly, in opposition to a group of new publishers searching for a place in the publishing world inspired by the "professional" model established by the Companhia das Letras; lastly, it situates this differential space within a specific national publishing history, with its own dynamics of temporal and spatial production, its genealogies, and its publishing formulae. In this way, the article seeks to provide a basic organizing principle for the determination of states of fields of cultural production, and to contribute to the study of publishing's function in the construction of national culture. <![CDATA[<b>Exploring the written. Anthropology and the multiplicity of writing</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131997000200009&lng=&nrm=iso&tlng= Este artigo analisa a temporalização observada no campo editorial brasileiro a partir do surgimento da Companhia das Letras no final dos anos 80, interpretando seu prestígio e distinção culturais ao longo de três eixos de oposições. Em primeiro lugar face às editoras economicamente dominantes, como Record e Ediouro; em segundo, frente a um grupo de novas editoras buscando seu lugar no mundo editorial a partir do modelo "profissional" estabelecido pela Companhia das Letras. Finalmente, o artigo situa esse espaço diferencial no contexto de uma história editorial nacional específica, dotada de uma dinâmica própria, de suas genealogias e de suas fórmulas editoriais. Desse modo, procura-se estabelecer a existência de um princípio organizacional básico para a determinação dos estados dos campos de produção cultural, bem como contribuir para o estudo da função desempenhada pelas editoras na construção da cultura nacional.<hr/>The article analyzes the temporalization observed in the field of Brazilian publishing since the appearing of Companhia das Letras at the end of the 1980s. It interprets the extent of the latter's cultural prestige and distinction along three axis. Firstly, in opposition to economically dominant publishing houses such as Record and Ediouro; secondly, in opposition to a group of new publishers searching for a place in the publishing world inspired by the "professional" model established by the Companhia das Letras; lastly, it situates this differential space within a specific national publishing history, with its own dynamics of temporal and spatial production, its genealogies, and its publishing formulae. In this way, the article seeks to provide a basic organizing principle for the determination of states of fields of cultural production, and to contribute to the study of publishing's function in the construction of national culture. <![CDATA[<b>D</b><strong>ancing spirits rhythms and rituals of the Haitian Vodun, the Rada rite</strong>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131997000200010&lng=&nrm=iso&tlng= Este artigo analisa a temporalização observada no campo editorial brasileiro a partir do surgimento da Companhia das Letras no final dos anos 80, interpretando seu prestígio e distinção culturais ao longo de três eixos de oposições. Em primeiro lugar face às editoras economicamente dominantes, como Record e Ediouro; em segundo, frente a um grupo de novas editoras buscando seu lugar no mundo editorial a partir do modelo "profissional" estabelecido pela Companhia das Letras. Finalmente, o artigo situa esse espaço diferencial no contexto de uma história editorial nacional específica, dotada de uma dinâmica própria, de suas genealogias e de suas fórmulas editoriais. Desse modo, procura-se estabelecer a existência de um princípio organizacional básico para a determinação dos estados dos campos de produção cultural, bem como contribuir para o estudo da função desempenhada pelas editoras na construção da cultura nacional.<hr/>The article analyzes the temporalization observed in the field of Brazilian publishing since the appearing of Companhia das Letras at the end of the 1980s. It interprets the extent of the latter's cultural prestige and distinction along three axis. Firstly, in opposition to economically dominant publishing houses such as Record and Ediouro; secondly, in opposition to a group of new publishers searching for a place in the publishing world inspired by the "professional" model established by the Companhia das Letras; lastly, it situates this differential space within a specific national publishing history, with its own dynamics of temporal and spatial production, its genealogies, and its publishing formulae. In this way, the article seeks to provide a basic organizing principle for the determination of states of fields of cultural production, and to contribute to the study of publishing's function in the construction of national culture. <![CDATA[<b>O cuidado dos mortos</b>: <b>uma história da condenação e legitimação do espiritismo</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131997000200011&lng=&nrm=iso&tlng= Este artigo analisa a temporalização observada no campo editorial brasileiro a partir do surgimento da Companhia das Letras no final dos anos 80, interpretando seu prestígio e distinção culturais ao longo de três eixos de oposições. Em primeiro lugar face às editoras economicamente dominantes, como Record e Ediouro; em segundo, frente a um grupo de novas editoras buscando seu lugar no mundo editorial a partir do modelo "profissional" estabelecido pela Companhia das Letras. Finalmente, o artigo situa esse espaço diferencial no contexto de uma história editorial nacional específica, dotada de uma dinâmica própria, de suas genealogias e de suas fórmulas editoriais. Desse modo, procura-se estabelecer a existência de um princípio organizacional básico para a determinação dos estados dos campos de produção cultural, bem como contribuir para o estudo da função desempenhada pelas editoras na construção da cultura nacional.<hr/>The article analyzes the temporalization observed in the field of Brazilian publishing since the appearing of Companhia das Letras at the end of the 1980s. It interprets the extent of the latter's cultural prestige and distinction along three axis. Firstly, in opposition to economically dominant publishing houses such as Record and Ediouro; secondly, in opposition to a group of new publishers searching for a place in the publishing world inspired by the "professional" model established by the Companhia das Letras; lastly, it situates this differential space within a specific national publishing history, with its own dynamics of temporal and spatial production, its genealogies, and its publishing formulae. In this way, the article seeks to provide a basic organizing principle for the determination of states of fields of cultural production, and to contribute to the study of publishing's function in the construction of national culture. <![CDATA[<b>In the name of Eugenics</b>: <b>genetics and the uses of human heredity</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131997000200012&lng=&nrm=iso&tlng= Este artigo analisa a temporalização observada no campo editorial brasileiro a partir do surgimento da Companhia das Letras no final dos anos 80, interpretando seu prestígio e distinção culturais ao longo de três eixos de oposições. Em primeiro lugar face às editoras economicamente dominantes, como Record e Ediouro; em segundo, frente a um grupo de novas editoras buscando seu lugar no mundo editorial a partir do modelo "profissional" estabelecido pela Companhia das Letras. Finalmente, o artigo situa esse espaço diferencial no contexto de uma história editorial nacional específica, dotada de uma dinâmica própria, de suas genealogias e de suas fórmulas editoriais. Desse modo, procura-se estabelecer a existência de um princípio organizacional básico para a determinação dos estados dos campos de produção cultural, bem como contribuir para o estudo da função desempenhada pelas editoras na construção da cultura nacional.<hr/>The article analyzes the temporalization observed in the field of Brazilian publishing since the appearing of Companhia das Letras at the end of the 1980s. It interprets the extent of the latter's cultural prestige and distinction along three axis. Firstly, in opposition to economically dominant publishing houses such as Record and Ediouro; secondly, in opposition to a group of new publishers searching for a place in the publishing world inspired by the "professional" model established by the Companhia das Letras; lastly, it situates this differential space within a specific national publishing history, with its own dynamics of temporal and spatial production, its genealogies, and its publishing formulae. In this way, the article seeks to provide a basic organizing principle for the determination of states of fields of cultural production, and to contribute to the study of publishing's function in the construction of national culture. <![CDATA[<b>Raça, ciência e sociedade</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131997000200013&lng=&nrm=iso&tlng= Este artigo analisa a temporalização observada no campo editorial brasileiro a partir do surgimento da Companhia das Letras no final dos anos 80, interpretando seu prestígio e distinção culturais ao longo de três eixos de oposições. Em primeiro lugar face às editoras economicamente dominantes, como Record e Ediouro; em segundo, frente a um grupo de novas editoras buscando seu lugar no mundo editorial a partir do modelo "profissional" estabelecido pela Companhia das Letras. Finalmente, o artigo situa esse espaço diferencial no contexto de uma história editorial nacional específica, dotada de uma dinâmica própria, de suas genealogias e de suas fórmulas editoriais. Desse modo, procura-se estabelecer a existência de um princípio organizacional básico para a determinação dos estados dos campos de produção cultural, bem como contribuir para o estudo da função desempenhada pelas editoras na construção da cultura nacional.<hr/>The article analyzes the temporalization observed in the field of Brazilian publishing since the appearing of Companhia das Letras at the end of the 1980s. It interprets the extent of the latter's cultural prestige and distinction along three axis. Firstly, in opposition to economically dominant publishing houses such as Record and Ediouro; secondly, in opposition to a group of new publishers searching for a place in the publishing world inspired by the "professional" model established by the Companhia das Letras; lastly, it situates this differential space within a specific national publishing history, with its own dynamics of temporal and spatial production, its genealogies, and its publishing formulae. In this way, the article seeks to provide a basic organizing principle for the determination of states of fields of cultural production, and to contribute to the study of publishing's function in the construction of national culture. <![CDATA[<b>Making Gender</b>: <b>the politics and erotics of culture</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131997000200014&lng=&nrm=iso&tlng= Este artigo analisa a temporalização observada no campo editorial brasileiro a partir do surgimento da Companhia das Letras no final dos anos 80, interpretando seu prestígio e distinção culturais ao longo de três eixos de oposições. Em primeiro lugar face às editoras economicamente dominantes, como Record e Ediouro; em segundo, frente a um grupo de novas editoras buscando seu lugar no mundo editorial a partir do modelo "profissional" estabelecido pela Companhia das Letras. Finalmente, o artigo situa esse espaço diferencial no contexto de uma história editorial nacional específica, dotada de uma dinâmica própria, de suas genealogias e de suas fórmulas editoriais. Desse modo, procura-se estabelecer a existência de um princípio organizacional básico para a determinação dos estados dos campos de produção cultural, bem como contribuir para o estudo da função desempenhada pelas editoras na construção da cultura nacional.<hr/>The article analyzes the temporalization observed in the field of Brazilian publishing since the appearing of Companhia das Letras at the end of the 1980s. It interprets the extent of the latter's cultural prestige and distinction along three axis. Firstly, in opposition to economically dominant publishing houses such as Record and Ediouro; secondly, in opposition to a group of new publishers searching for a place in the publishing world inspired by the "professional" model established by the Companhia das Letras; lastly, it situates this differential space within a specific national publishing history, with its own dynamics of temporal and spatial production, its genealogies, and its publishing formulae. In this way, the article seeks to provide a basic organizing principle for the determination of states of fields of cultural production, and to contribute to the study of publishing's function in the construction of national culture. <![CDATA[<b>Antropologia, voto e representação política</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131997000200015&lng=&nrm=iso&tlng= Este artigo analisa a temporalização observada no campo editorial brasileiro a partir do surgimento da Companhia das Letras no final dos anos 80, interpretando seu prestígio e distinção culturais ao longo de três eixos de oposições. Em primeiro lugar face às editoras economicamente dominantes, como Record e Ediouro; em segundo, frente a um grupo de novas editoras buscando seu lugar no mundo editorial a partir do modelo "profissional" estabelecido pela Companhia das Letras. Finalmente, o artigo situa esse espaço diferencial no contexto de uma história editorial nacional específica, dotada de uma dinâmica própria, de suas genealogias e de suas fórmulas editoriais. Desse modo, procura-se estabelecer a existência de um princípio organizacional básico para a determinação dos estados dos campos de produção cultural, bem como contribuir para o estudo da função desempenhada pelas editoras na construção da cultura nacional.<hr/>The article analyzes the temporalization observed in the field of Brazilian publishing since the appearing of Companhia das Letras at the end of the 1980s. It interprets the extent of the latter's cultural prestige and distinction along three axis. Firstly, in opposition to economically dominant publishing houses such as Record and Ediouro; secondly, in opposition to a group of new publishers searching for a place in the publishing world inspired by the "professional" model established by the Companhia das Letras; lastly, it situates this differential space within a specific national publishing history, with its own dynamics of temporal and spatial production, its genealogies, and its publishing formulae. In this way, the article seeks to provide a basic organizing principle for the determination of states of fields of cultural production, and to contribute to the study of publishing's function in the construction of national culture.