Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Sa├║de Ocupacional]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0303-765720140002&lang=es vol. 39 num. 130 lang. es <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Prevalence studies in RBSO: How to sift the wheat from the chaff?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572014000200125&lng=es&nrm=iso&tlng=es <![CDATA[The (in)visibility of the fatal work-related injury as an external cause of accidents: a qualitative study]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572014000200127&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivo descrever o trabalho das vítimas dos acidentes fatais e as circunstâncias desses óbitos relacionados com o trabalho ocorridos em 2004, em Salvador, Bahia. Métodos coleta de dados realizada através de questões semiabertas obtidas em entrevista domiciliar com os familiares das vítimas, por meio da autópsia verbal (AV). A análise de conteúdo foi empregada na análise das narrativas. A reconstituição dos 91 acidentes de trabalho (AT) é apresentada em duas seções temáticas: a caracterização do trabalho do acidentado e a circunstância da morte. Resultados evidenciou-se a presença marcante do trabalho precário mesmo entre aqueles com vínculo formal, mas essas condições são especialmente flagrantes entre aqueles não regulamentados. A extensão da jornada de trabalho não decorreu de livre escolha, mas de estratégia para auferir a renda mínima necessária. O espaço da rua emergiu como local de AT típico não apenas de AT de trajeto. A morte no trânsito e sua relação com o trabalho, fenômeno ainda pouco explorado, foi evidenciada, além da identificação de homicídio como circunstância de morte decorrente do trabalho precário. Conclusões a prevenção da morte e da violência no trabalho requer uma ação integrada das políticas setoriais. A autópsia verbal mostrou-se técnica promissora na produção de informações sobre as causas dos AT, podendo contribuir para a superação da subnotificação. <hr/> Objective to describe the fatal accident victims’ work and the circumstances of work-related deaths in Salvador, Bahia state, Brazil, in 2004. Methods data collection by means of semi-open questionnaires applied to the victims’ families in household interviews, through verbal autopsy (VA). Content analysis was applied to the narratives. The reconstruction of the 91 work accidents (WA) is presented in two thematic sections: the victims’ work and their death circumstances. Results the strong presence of precarious working conditions, even among those in formal jobs, was evident, but it was especially obvious among non-registered workers. In order to earn the necessary minimum income, they worked longer hours. The streets emerged as a typical WA spot, in contrast to being classified as a commuting accident. Traffic deaths and its relation to work, a phenomenon that has not been sufficiently studied, are evidenced along with murder as circumstances of death caused by precarious working conditions. Conclusions preventing death and violence at the workplace demands integrated actions. Verbal autopsy has proved to be a promising technique to produce information on the WA causes, and it can help decrease underreporting. <![CDATA[Occupational health technicians’ power to act: conflicts and limitations]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572014000200136&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivo conhecer as vivências dos Técnicos de Segurança do Trabalho no desenvolvimento de suas atribuições nas empresas, bem como suas percepções sobre os reflexos do exercício profissional sobre a sua saúde. Métodos pesquisa qualitativa com uso da técnica da Análise Coletiva do Trabalho, na qual trabalhadores em grupo abordam os aspectos materiais e subjetivos de seu fazer, e posterior análise de conteúdo dos relatos dos participantes. Resultados e discussão na percepção dos Técnicos seu trabalho é caracterizado por limitações constantes no exercício de suas atividades e por conflitos com os diferentes níveis hierárquicos das empresas. O desvio de função foi apontado como prática corrente, com destaque para atividades administrativas e vigilância patrimonial. Os aspectos identificados como determinantes dessa situação foram: priorização, pelas empresas, da produção em detrimento da prevenção; inserção frágil do Técnico na política de segurança das empresas; atuação conflituosa por sua posição intermediária entre trabalhadores e gestores; ausência de proteção contra despedida desmotivada; predominância da abordagem comportamental de segurança nas empresas e entre os próprios Técnicos. Essas limitações e constrangimentos foram apontados como prejudiciais ao desenvolvimento de ações preventivas e como causa de sofrimento mental e adoecimento desses trabalhadores. <hr/> Objective to identify Occupational Safety Technicians’ experiences in developing preventive activities, as well as their perceptions on the reflexes of the occupational practice on their personal health. Methods qualitative research, using the Collective Work Analysis technique, in which Technicians in group address the material and subjective aspects of their work, followed by content analysis of the participants’ reports. Results and discussion the perception of the Technicians is that their work is characterized by constant limitations in their daily practices and by conflicts with different hierarchical levels within the companies. Function deviation is indicated as a current practice, especially to managerial activities and property surveillance. The determining aspects to this background of working conditions are as follows: prioritization of production to the detriment of prevention by enterprises; Technicians’ fragile insertion in the companies’ safety policies; continuous conflicts due to Technicians’ intermediate position between workers and managerial level; absence of protection against unmotivated dismissal; prevalence of behavioral security approach by companies, as well as among occupational health professionals. These limitations and constraints were pointed as harmful to the development of preventive actions and as the cause of mental suffering and diseases among these workers. <![CDATA[Work intensification and workers’ health: a theoretical approach]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572014000200150&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivo construir uma definição conceitual para o processo intensificação do trabalho e saúde do trabalhador enquanto um objeto de estudo. Métodos a abordagem teórica baseia-se no materialismo histórico que, na Saúde Coletiva/Saúde do Trabalhador, encontra sua expressão na determinação social do processo saúde-doença. A discussão se apoia na recente produção de conhecimento científico sobre essa problemática estruturada em dois eixos: intensificação do trabalho e intensificação do trabalho e saúde dos trabalhadores. Discussão a análise mostrou que a intensificação do trabalho está implicada em práticas de exploração como o prolongamento da jornada, o intenso ritmo de trabalho e a administração por estresse e, ao mesmo tempo, de expropriação do saber do trabalhador pela gerência, isto é, de suas capacidades físicas, psíquicas e intelectuais. Esses processos determinam uma pluralidade de agravos à saúde e na manifestação do desgaste e do sofrimento difuso dos trabalhadores. Conceitualmente, o objeto intensificação do trabalho e saúde do trabalhador pode ser definido e estudado nas práticas específicas de exploração e expropriação do saber do trabalhador tendentes a enfraquecer sua capacidade coletiva para proteger a saúde e para questionar as determinações dos problemas e agravos à saúde. <hr/> Objective to construct a conceptual definition of the work intensification process and workers’ health as an object of study. Methods the theoretical approach is based on the historical materialism, which, in the field of Collective Health/Worker’s Health, is expressed on the social determination of the health-disease process. The discussion is grounded on the recent scientific knowledge production on this issue, structured on two axes: work intensification, and work intensification and workers' health. Discussion the analysis showed that labor intensification is associated with exploitation practices, such as longer working hours, intense work pace, management by stress and, at the same time, worker's knowledge expropriation by the management, i.e., expropriation of their physical, intellectual and psychic capabilities. These processes determine a variety of health problems and the manifestation of wearing down and diffuse suffering among workers. Conceptually, the object "work intensification and workers' health" can be defined and studied in the exploitation specific practices and worker's knowledge expropriation, tending to weaken their collective ability to protect health and question the determination of health problems. <![CDATA[Occupational Health and Environmental Health: potentials and challenges of the relationship between the university, the Brazilian Health System and social movements]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572014000200161&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivo analisar dificuldades e potencialidades da articulação entre universidade, Sistema Único de Saúde (SUS) e movimentos sociais para fomentar a incorporação de abordagem integrada entre Saúde do Trabalhador e Saúde Ambiental nessas instâncias. Métodos pesquisa-ação realizada em território rural do Nordeste brasileiro, com grupo de atores ligados ao SUS, à universidade e a movimentos sociais. Desenvolveram-se estudos em campo, entrevistas semiestruturadas, oficinas e seminários. Resultados a articulação proposta mostrou-se relevante e potencializada pela oportunidade de diálogo interdisciplinar e intersetorial e de troca de experiências que contribuíram para: a identificação das relações entre produção-trabalho-ambiente-saúde e das necessidades de saúde que envolvem trabalho e ambiente em território rural; a construção coletiva de um plano de ação para intervir sobre a realidade estudada; a ressignificação do trabalho acadêmico e em saúde; e a desconstrução de mitos da ideologia do desenvolvimento junto aos atores sociais envolvidos. Identificaram-se como atores relevantes professores que desenvolvem pensamento crítico, movimentos sociais autônomos e agentes comunitários de saúde. Conclusão a articulação entre universidade, SUS e movimentos sociais mostrou ser um caminho potencial para o fortalecimento da práxis da Saúde do Trabalhador e Ambiental. <hr/> Objective to analyze the difficulties and potentials of articulation between the University, the Unified Health System (SUS) and social movements in order to promote the incorporation of integrated approach to Occupational Health and Environmental Health in these instances. Methods action research conducted in the rural area of northeastern Brazil with a group of actors linked to the SUS, the University and social movements. Field studies, semi-structured interviews, workshops and thematic seminars were carried out. Results the proposed articulation has proved to be relevant and enhanced by the opportunity for interdisciplinary and intersectoral dialogue, as well as by the exchange of experiences, which contributed to the identification of relationships between production-work-environment-health and health needs that involve work and environment in rural territory; the collective construction of an action plan aiming to intervene in this reality; the redefinition of academic and health work; and to deconstruct the myths of the development ideology facing the social actors involved. Professors who develop critical thinking, autonomous social movements and community health workers were identified as relevant actors. Conclusion The articulation between university, SUS and social movements is a potential way to strengthen the practice of Occupational and Environmental Health. <![CDATA[Accidents with sharp instruments and hepatitis B among nursing staff of emergency units in Teresina, Piaui state, Brazil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572014000200175&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivos analisar a ocorrência de acidentes perfurocortantes e as medidas preventivas associadas à hepatite B entre profissionais de Enfermagem em serviços de urgência e emergência. Métodos estudo transversal analítico com aplicação de questionário a 317 participantes de cinco hospitais públicos de Teresina, PI, em 2010. Resultados 152 (47,9%) referiram ter sofrido acidente perfurocortante; entre as categorias, 27,3% dos Enfermeiros, 48,2% dos Auxiliares, 52,6% dos Técnicos de Enfermagem. A chance de um profissional de nível médio (Auxiliar ou Técnico) sofrer um acidente perfurocortante é de 2,8 (1,38-5,67) vezes maior que o de nível superior (Enfermeiros). A agulha foi o instrumento causador mais frequente (77,0%). A não notificação do acidente foi expressiva entre Técnicos (67,0%), Auxiliares (70,0%) e Enfermeiros (75,0%), assim como a não adoção de medidas profiláticas pós-exposição (84,9%, em média). As três categorias profissionais referiram uso de luvas como o EPI mais utilizado. Os Auxiliares de Enfermagem apresentaram o menor percentual (47,0%) de esquema vacinal completo para hepatite B. Discussão um percentual expressivo de profissionais de Enfermagem sofreu acidente perfurocortante no trabalho com baixa adoção de medidas preventivas e profiláticas, reforçando a necessidade de fortalecimento de estratégias que visem à saúde do trabalhador no âmbito hospitalar. <hr/> Objective to analyze accidents with sharp instruments and preventive measures associated with hepatitis B in nursing professionals in emergency and urgency services. Methods analytical cross-sectional study applying a questionnaire to 317 nursing professionals from five public hospitals in Teresina, Piauí state, in 2010. Results 152 (47.9%) reported having suffered sharp instrument accidents; within each category: nurses (27.3%), healthcare assistants (48.2%), nursing assistants (52.6%). The chance of an undergraduate professional (healthcare or nursing assistant) suffering a sharp instrument accident is 2.8 (1.38 to 5.67) times greater than a graduated one (nurse). The needle was the most frequent causative instrument (77.0%). Lack of accident notification was substantial among nursing assistants (67.0%), healthcare assistants (70.0%) and nurses (75.0%), as well as non-adoption of post-exposure prophylactic measures (84.9% on average). The three categories reported gloves as the most used PPE. Healthcare assistants presented the lowest percentage (47.0%) of full vaccination schedule for hepatitis B. Discussion a substantial percentage of nursing professionals has suffered sharp instrument accidents at work with low adoption of preventive and prophylactic measures, reinforcing the need for strengthening strategies aimed at improving worker's health within hospitals. <![CDATA[Night shift workers: gender relationships, production of vulnerabilities and health promotion]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572014000200184&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivo analisar os impactos que o trabalho noturno exerce sobre a saúde de trabalhadoras do setor metal-mecânico. Métodos a partir do olhar sobre as relações de gênero, foca-se como a organização e a divisão social do trabalho afetam a vida cotidiana dessas mulheres. Examinam-se essas experiências à luz das reflexões sobre vulnerabilidades, produzidas na relação gênero/trabalho/saúde. Trata-se de um estudo qualitativo, realizado em 2012, empregando-se entrevistas semiestruturadas com nove trabalhadoras de turno noturno de uma empresa localizada na região metropolitana de Porto Alegre/RS. A análise dos dados foi guiada pelo método de Análise de Discurso. Foram construídos eixos analíticos com base no diálogo entre a literatura e os discursos das entrevistadas. Discussão identificaram-se desigualdades de gênero que impactam nas condições de saúde das trabalhadoras metalúrgicas de turno noturno, apontando-se algumas especificidades das vivências dessas trabalhadoras no local pesquisado: agudo processo de subvalorização do trabalho, descanso limitado, alimentação irregular, dificuldades na organização da vida fora do ambiente de trabalho, falta de acesso a suportes sociais que apoiem as atividades femininas, sobrecarga das responsabilidades assumidas, que, muitas vezes, causam sofrimento mental e/ou outros adoecimentos. <hr/> Objective to analyze the impacts of night shift work on the health of metal-mechanical women workers. Methods from the perspective of gender relations, this study focuses on how the organization and social division of labor affect the everyday lives of these women. It examines experiences in light of these reflections on vulnerabilities, produced in the gender/work/health relationship. It is a qualitative study, held in 2012, using semi-structured interviews with nine night shift workers of a company located in the metropolitan region of Porto Alegre, Rio Grande do Sul state. Data analysis was based in the method of discourse analysis. Analytical lines were built on the dialogue between the literature and the interviewees’ discourses. Discussion we identified gender inequalities that may impact on night shift metal-mechanic workers’ health, pointing at some particularities of these workers’ daily lives in the researched sector, such as: acute process of work underestimation, limited rest hours, irregular eating, difficulties to organize their lives off work, lack of access to the social structures that can back their female activities, and over charge of assumed responsabilities that can cause mental suffering and/or other illnesses. <![CDATA[Train drivers: shiftwork and health impacts]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572014000200198&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivo descrever o impacto do trabalho em turnos na saúde, no sono e na qualidade de vida de maquinistas ferroviários. Métodos foram avaliados 611 maquinistas (escalas de trabalho 4 x 1 e 6 x 2), por meio de polissonografia, Índice da Qualidade do Sono de Pittsburgh, Índice de Gravidade de Insônia, Questionário de Qualidade de Vida SF-36, Questionário de Horne e Östberg, Capacidade de Trabalho e Escala de Sonolência de Epworth. Resultados os maquinistas apresentaram idade média de 36,6 ± 15,1 anos, 22% apresentaram obesidade e 38,1% risco para doenças cardiovasculares. Em relação ao sono, 64,2% dos maquinistas relataram qualidade ruim de sono, 11,6% apresentaram distúrbios do sono e 29,3% sonolência excessiva. Os resultados da polissonografia mostraram que 36,1% deles apresentaram apneia do sono e 47,2% demonstraram eficiência do sono reduzida. Além disso, os maquinistas apresentaram baixos índices de qualidade de vida, especialmente os da escala 4 x 1. Conclusão é possível afirmar, na população estudada, que a exposição ao trabalho em turnos, a rotatividade inversa, pouco tempo dispensado às folgas e horas extras de trabalho estão associados a danos ao bem-estar, saúde, sociabilização e ao sono de qualidade desses trabalhadores e que provavelmente os fatores relacionados aos turnos de trabalho contribuem para esses danos. <hr/> Objective to describe the impact of shiftwork on the health, sleep and quality of life of railway drivers. Methods six hundred eleven railway drivers (schedule 4x1 and 6x2) were evaluated by polysomnography, Pittsburgh Sleep Quality Index, Insomnia Severity Index, Work Capacity Index, Quality of Life questionnaire (SF-36), Morningness-eveningness questionnaire (MEQ), and Epworth Sleepiness Scale. 
Results railway drivers assessed were 36.6 ± 15.1 years of age, 22% were obese, and 38.1% presented risks for cardiovascular disease. Poor sleep quality 64.2%, 11.6% had sleep disorders and 29.3% excessive sleepiness. The polysomnography results showed that 36.1% of them presented sleep apnea and 47.2% had significant reduction in sleep efficiency. The railway drivers showed low levels of quality of life, especially those working under the 4x1 schedule. Conclusion it is possible to assert that exposure to shiftwork, reverse rotation schedule, few days off, and working overtime are associated with impairment to well-being, health, sociability and workers’ sleep quality, and the factors related to shiftwork probably contribute to these findings. <![CDATA[Workplace psychological violence discussed from teenage workers’ experiences]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572014000200210&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivo identificar e discutir situações de trabalho relatadas por adolescentes trabalhadores que pudessem se constituir como violência psicológica no trabalho. Métodos foram realizadas entrevistas individuais semiestruturadas com 30 jovens trabalhadores entre 15 e 20 anos de idade. As informações foram analisadas a partir da análise hermenêutico-dialética. Resultados em geral, os participantes perceberam os “relacionamentos interpessoais” no trabalho como bons, mas relataram inúmeras situações de “mal-estar no trabalho” que incluíram humilhações, abusos de poder, constrangimentos e assédio sexual, revelando ocorrências de violência psicológica no trabalho. Os jovens mais empoderados e autônomos conseguiram enfrentar com mais firmeza as situações abusivas, fossem elas por parte de colegas de trabalho ou de superiores hierárquicos. Conclusão os adolescentes ingressantes no mundo do trabalho estão expostos a situações que ameaçam a saúde mental e se valem, sobretudo, do apoio social como estratégia de enfrentamento. Sugere-se a inclusão de temas de Saúde Mental e Trabalho, não só em organizações de educação para o trabalho, mas também no ensino médio regular, como contribuição ao preparo dos adolescentes e para que possam identificar e desenvolver estratégias de enfrentamento à violência psicológica. <hr/> Objective to identify and discuss work conditions reported by young workers which could be constituted as psychological violence at work. Methods semi-structured individual interviews were conducted with thirty adolescent workers aged 15 to 20 years old. The data were analyzed using the hermeneutic-dialectic method. Results overall, participants perceived the "interpersonal relationships" at work as good, but they reported many situations of "malaise at work", which included humiliation, power abuse, embarrassment and sexual harassment, revealing occurrences of psychological violence at work. Youngsters who were more empowered and autonomous were able to deal more firmly with abusive situations, whether they were produced by coworkers or superiors. Conclusion adolescents entering the labor market are exposed to work conditions that can be harmful to their mental health, and social support is mainly their coping strategy. The mental health and work theme should be included in professional training and high school years as a way to contribute to the better preparedness of teenage workers, so that they could identify and develop coping strategies to deal with psychological violence. <![CDATA[Prevalence of sickness benefits among construction workers in Brazil in 2009]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572014000200224&lng=es&nrm=iso&tlng=es Objetivo estimar a prevalência de Benefícios Auxílio-Doença (BAD) entre trabalhadores do ramo da Construção e a potencial influência do sexo, idade e ramo de atividade no quadro de incapacidade para o trabalho, no Brasil, em 2009. Método estudo transversal de base populacional baseado nos BAD concedidos pela Previdência Social. Do Sistema Único de Benefícios e do Cadastro Nacional de Informações Sociais extraíram-se informações sobre ramo de atividade, sexo, idade, causa clínica e espécie de benefício. A população de estudo correspondeu à média mensal dos vínculos empregatícios declarados em 2009 (1.784.772). Resultados foram concedidos 81.235 BAD, resultando em prevalência de 455,2/10.000 vínculos, com predomínio da espécie BAD previdenciária (Razão de Prevalência [RP] 3,1), do sexo masculino (RP 1,3) e dos ramos de atividade Obras de acabamento, Construção de obras de arte e Obras de terraplenagem. Homens caracterizaram 76,7% mais BAD acidentários que mulheres. As principais causas diagnósticas foram Lesões, Doenças osteomusculares e Doenças digestivas. As categorias clínicas mais prevalentes foram Dorsalgia, Fratura ao nível do punho e da mão, Fratura da perna e Hérnia inguinal. A prevalência aumentou com a idade. Conclusão a prevalência mostrou-se influenciada pela espécie de benefício, ramo de atividade, sexo e idade. Os resultados sugerem potenciais mecanismos de subnotificação/demanda previdenciária. <hr/> Objective to estimate the prevalence of sickness benefits among workers in the construction industry and the potential influence of sex, age and branch of activity within the framework of incapacity for work in Brazil in 2009. Methods a cross-sectional population study based on sickness benefits provided by the Brazilian Social Security. Information about the branch of activity, sex, age, cause and type of clinical benefit of workers was extracted from the Unified Benefits and the National Registry of Social Information. The study population corresponded to the average monthly employment relations declared in 2009 (1,784,772). Results the study population was granted 81,235 sickness benefits, resulting in a prevalence of 455.2/10,000 bonds, predominantly non-work related benefits (Prevalence Ratio [PR] 3,1), male (PR 1,3), and branches of activity: Finishing works, Construction works of art and Earthwork. Men were granted 76.7% more sickness benefits related to work than women. The main causes were Injuries, Musculoskeletal Diseases, and Digestive Diseases. The most prevalent clinical categories were Back pain, Fracture at the wrist and hand, Fracture of the leg and Inguinal hernia. Prevalence increased with age. Conclusion the prevalence of sickness benefits was influenced by the type of benefit, type of activity, age and sex. The results of this study suggest potential mechanisms of underreporting/social security demand. <![CDATA[Characterization of the technical epidemiological nexus in social security sickness benefits by medical experts]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572014000200239&lng=es&nrm=iso&tlng=es Introdução o Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário (NTEP) modificou a caracterização da etiologia ocupacional de agravo que justifica benefício previdenciário auxílio-doença no Brasil. Objetivo descrever o perfil de requerimentos em que houve indicação de NTEP pelo sistema previdenciário e analisar fatores associados à caracterização/descaracterização do nexo pela perícia médica. Métodos estudo retrospectivo analítico, com amostra de 822 laudos médicos periciais emitidos em São Paulo, entre 2008 e 2011. Realizada regressão logística para avaliar a associação entre a caracterização do NTEP e sexo, idade e diagnóstico incapacitante. Resultados o perfil dos segurados foi de homens (60,6%), na faixa etária de 30-39 anos (31,8%), com lesão por causa externa (35,0%). Foi descaracterizado o NTEP em 59% das situações, a maioria devido ao relato dos trabalhadores de que a lesão não tinha ocorrido no trabalho (70,9%). Houve associação entre a caracterização do NTEP e o diagnóstico da doença incapacitante, principalmente em relação aos distúrbios osteomusculares (OR 7,45; IC 95% 4,88-11,38). Conclusão o diagnóstico é um fator fortemente associado à aplicação do NTEP pela perícia médica. Há uma descaracterização frequente da espécie acidentária nos requerimentos, o que pode minimizar a justiça social ao trabalhador lesionado em decorrência do exercício do seu trabalho. <hr/> Background the Technical Epidemiological Nexus of Social Security (NTEP in Portuguese) has modified the characterization of occupational injuries during evaluation for sickness benefits in Brazil. Objective to describe the profile of sickness benefit requirements when NTEP was indicated by the social security system, and to analyze the factors associated with its characterization/mischaracterization through medical evaluation. Methods retrospective analytical study with a sample of 822 expert medical reports issued in Sao Paulo between 2008 and 2011. A logistic regression model analysis was performed to assess the association between the characterization of NTEP and sex, age, and diagnosis. Results the profile of the beneficiaries was as follows: males (60.6%), aged 30-39 (31.8%), and presenting sickness due to injuries by external causes (35.0%). NTEP was mischaracterized in 59% of the cases, mostly because workers reported that the injury had not occurred at work (70.9%). There was an association between NTEP characterization and disabling diagnosis, mainly due to musculoskeletal disorders (OR 7.45; 95%CI 4.88-11.38). Conclusion the disabling diagnosis is a factor strongly associated with NTEP characterization by medical experts. Commonly, there is a mischaracterization of its application, which could minimize social justice for workers with occupational injury.