Scielo RSS <![CDATA[Tempo]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1413-770420170003&lang=en vol. 23 num. 3 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[State and oligarchies in the First Republic: an assessment of key historiographical trends]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042017000300422&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Este artigo tem como objetivo discutir a literatura produzida entre os anos 1950 e 2000 sobre Estado e oligarquias na Primeira República brasileira (1889-1930). A proposta justifica-se em função da existência de um conjunto significativo de textos produzidos por especialistas de diferentes áreas sobre o tema. Como forma de contribuir para o avanço desse debate, pretendemos realizar um balanço mapeando as principais tendências observadas e indicando o que ainda precisa ser objeto de maior investigação por parte dos pesquisadores. Adotamos três critérios na triagem de trabalhos discutidos: a inclusão no universo de análise de livros e artigos produzidos na área das ciências sociais com enfoque histórico, considerados clássicos, que permanecem como referências importantes; uma bibliografia mais atual, ou seja, livros e artigos que retomam essas interpretações para, a partir delas, renovar determinadas chaves de leitura; e a não inclusão de teses (salvo casos excepcionais) e textos de época.<hr/>Abstract The aim of this article is to discuss the literature on State and oligarchies in Brazilian’s First Republic (1889-1930). The proposal is justified by the existence of a significant set of texts produced by specialists from different areas about this subject. As a way to contribute to the advancement of this debate we intend to accomplish a balance mapping the main trends observed and indicate what still needs to be the object of further researchs. We adopted three criteria in the screening of works discussed: the inclusion in the universe of analysis of books and articles produced in the ​​social sciences areas with an explicit historical approach considered classics that remains as important references until today; a more recent bibliography that takes up these consecrated interpretations to renew certains explanatories models; and the non inclusion of theses (only in exceptional cases) and texts produced during the Brazilian’s First Republic. <![CDATA[The smuggling-slave trade in the Colonia do Sacramento (1722-1777)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042017000300444&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo: Abordamos o papel estrutural do comércio ilegal de escravos na história da Colônia do Sacramento durante o século XVIII. Inicialmente, fazemos uma avaliação da dimensão da população escrava na povoação platina, mostrando que os números apontam para contingentes muito superiores às necessidades efetivas de mão de obra na localidade. Isso leva ao destaque dado às redes transimperiais de contrabando de escravos, acionadas a partir do entreposto lusitano. Em seguida, colocamos à prova o potencial informativo das fontes paroquiais para a análise da dinâmica de funcionamento do tráfico de escravos, evidenciando que os registros de batismos e óbitos de africanos adultos são um indicador confiável das conexões entre o rio da Prata e a América portuguesa por meio principalmente dos portos negreiros da cidade da Bahia e do Rio de Janeiro.<hr/>Abstract: We address the structural role of the illegal slave trade in the history of the Colonia de Sacramento, the Portuguese colony established on the eastern bank of the River Plate during the 18th century. Initially we make an assessment of the size of the slave population in the platine settlement, showing that the numbers were much higher than the actual needs of labor in the locality. This leads to the emphasis given to the trans-imperial networks of slave smuggling, driven from the Lusitanian possession. Next, we test the informational potential of the parish sources for the analysis of the dynamics of the slave trade, evidencing that the records of baptisms and deaths of adult Africans are a reliable indicator of the connections between the río de la Plata and Portuguese America through the slave ports of the cities of Salvador and Rio de Janeiro. <![CDATA[Africa and the wider world: creole communities in the Atlantic and Indian Oceans]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042017000300465&lng=en&nrm=iso&tlng=en Abstract: Portuguese creoles were instrumental in bringing sub-Saharan Africa into the intercontinental systems of the Atlantic and Indian Ocean. In the Atlantic Islands a distinctive creole culture emerged, made up of Christian emigrants from Portugal, Jewish exiles and African slaves. These creole polities offered a base for coastal traders and became politically influential in Africa - in Angola creating their own mainland state. Connecting the African interior with the world economy was largely on African terms and the lack of technology transfer meant that the economic gap between Africa and the rest of the world inexorably widened. African slaves in Latin America adapted to a society already creolised, often through adroit forms of cultural appropriation and synthesis. In eastern Africa Portuguese worked within existing creolised Islamic networks but the passage of their Indiamen through the Atlantic created close links between the Indian Ocean and Atlantic commercial systems.<hr/>Resumo: Os crioulos portugueses foram fundamentais para integrar a África subsaariana aos sistemas intercontinentais do Oceano Atlântico e do Oceano Índico. Nas ilhas atlânticas emergiu uma cultura crioula distinta, composta por emigrantes cristãos vindos de Portugal, judeus exilados e escravos africanos. Essas políticas crioulas ofereceram uma base para comerciantes costeiros e se tornaram politicamente influentes na África - em Angola criando seu próprio país continental. Conectar o interior africano com a economia mundial foi, em grande medida, feita em termos africanos, mas a falta de transferência de tecnologia significou que o fosso econômico entre África e o resto do mundo aumentou inexoravelmente. Escravos africanos na América Latina adaptaram-se a uma sociedade já crioulizada, muitas vezes por meio de formas hábeis de apropriação e síntese cultural. Na África Oriental, o português trabalhou em já existentes redes islâmicas crioulizadas, mas a passagem de naus da carreira das Índias através do Atlântico criou vínculos estreitos entre os sistemas comerciais do Oceano Índico e do Atlântico. <![CDATA[Global History: an intellectual enterprise on course]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042017000300483&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo: Este artigo procura debater a história global, um empreendimento intelectual em curso desde o início da década de 1990. A variedade de abordagens e correntes historiográficas, tais como as histórias conectada, cruzada, transnacional, comparada, global, mundial, e muitas outras, desvela as disputas internas desse campo acadêmico. De maneira geral, todas essas tendências compartilham a vontade de superar o nacionalismo metodológico e as visões eurocêntricas/ocidentalistas da história. Entretanto, para praticar uma história global, são necessários uma série de cuidados metodológicos e investimentos intelectuais. Por mais complicada que essa abordagem possa parecer, há uma série de novos temas e objetos extremamente interessantes para diversificar, ampliar e relacionar a produção histórica brasileira com outras historiografias.<hr/>Abstract: This article aims to discuss the global history, an intellectual enterprise on course since the beginning of the 1990’s. The multiplicity of approaches and historical trends, as the connected histories, entangled histories, transnational history, comparative history, global history, world history, and others, reveals the internal dispute on the field. Nevertheless, all this trends share the will to overcome the methodological nationalism and the Eurocentric/occidental views of History. However, to practice a Global History are necessary some methodological cares and intellectual investment. Even it look like complicated, there are many new themes and subjects extremely interesting to diversify, to amplify and to relate the Brazilian historical production with others historiographies. <![CDATA[Amazônia e história global - Apresentação]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042017000300504&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo: Este artigo procura debater a história global, um empreendimento intelectual em curso desde o início da década de 1990. A variedade de abordagens e correntes historiográficas, tais como as histórias conectada, cruzada, transnacional, comparada, global, mundial, e muitas outras, desvela as disputas internas desse campo acadêmico. De maneira geral, todas essas tendências compartilham a vontade de superar o nacionalismo metodológico e as visões eurocêntricas/ocidentalistas da história. Entretanto, para praticar uma história global, são necessários uma série de cuidados metodológicos e investimentos intelectuais. Por mais complicada que essa abordagem possa parecer, há uma série de novos temas e objetos extremamente interessantes para diversificar, ampliar e relacionar a produção histórica brasileira com outras historiografias.<hr/>Abstract: This article aims to discuss the global history, an intellectual enterprise on course since the beginning of the 1990’s. The multiplicity of approaches and historical trends, as the connected histories, entangled histories, transnational history, comparative history, global history, world history, and others, reveals the internal dispute on the field. Nevertheless, all this trends share the will to overcome the methodological nationalism and the Eurocentric/occidental views of History. However, to practice a Global History are necessary some methodological cares and intellectual investment. Even it look like complicated, there are many new themes and subjects extremely interesting to diversify, to amplify and to relate the Brazilian historical production with others historiographies. <![CDATA[Revisiting first contacts on the Amazon 1500-1562]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042017000300509&lng=en&nrm=iso&tlng=en Abstract: This article revisits four well-known accounts of the first European encounters with Amerindians in the Amazon. The sporadic character of these encounters make the impact on Amerindian societies irregular and uneven. My analysis is directed to the present condition as encountered, especially the variety of contacts. This approach obliges the text be treated as a whole, rather than being read selectively. Maintaining the integrity of the text allows us to see the different kinds of relations in their contexts. My intention is to use these reports to search for the bridges across cultural separations. Each drew the other towards them, in their own ways. These steps opened the way for the “refounding” of indigenous riverine societies in the seventeenth century.<hr/>Resumo: Este artigo analisa quatro relatos bem conhecidos dos primeiros encontros europeus com ameríndios na Amazônia. O caráter irregular desses encontros torna o impacto nas sociedades ameríndias desigual. Minha análise é direcionada à condição presente, especialmente à variedade de contatos. Essa abordagem obriga o texto a ser tratado como um todo, em vez de ser lido de forma seletiva. Manter a integridade do texto nos permite ver os diferentes tipos de relações em seus contextos. Minha intenção é usar esses relatos para procurar as pontes entre as separações culturais. Cada um atraía o outro para eles, em seus próprios caminhos. Essas etapas abriram o caminho para a “refundação” das sociedades ribeirinhas indígenas no século XVII. <![CDATA[“Domain” and “possession”: the colonial borders of Portugal and France in the Cabo Norte (first half of the 18th century)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042017000300529&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo: Com o presente artigo, pretendemos analisar o território chamado de Cabo Norte (Amapá), durante a primeira metade do século XVIII, como espaço que agregava diversificados grupos sociais e interesses imperiais - especialmente os das Coroas de Portugal e França. Privilegiaremos as atuações da monarquia portuguesa e do governador do Estado do Maranhão e Grão-Pará, João da Maia da Gama. Portanto, entre outros documentos, o estudo analisará as correspondências trocadas entre Maia da Gama e o governador de Caiena e entre o primeiro e a Coroa portuguesa (por meio do Conselho Ultramarino). Pretendemos demonstrar que a consolidação daquele espaço como território colonial português foi pensada a partir de sua inserção em um contexto imperial, de sua peculiar condição fronteiriça com outras potências coloniais europeias e de sua efetiva ocupação.<hr/>Abstract: With the present article, we intend to analyze the territory called Cabo Norte (Amapá), during the first half of the 18th century, as a space that aggregated diverse social groups and imperial interests - especially the crowns of Portugal and France. We will privilege the actions of the Portuguese monarchy and the governor of the Estado do Maranhão e Grão-Pará, João da Maia da Gama. Therefore, among other documents, the study will analyze the correspondence exchanged between the latter and the governor of Cayenne and between the same Maia da Gama and the Portuguese Crown (through the Conselho Ultramarino). We intend to demonstrate that the consolidation of that space as a colonial territory was conceived from its insertion in an imperial context, its peculiar frontier condition with several European powers and its effective occupation. <![CDATA[“El espíritu de contrabando que reina por estas partes”. Comerciantes portugueses, misioneros y comercio ilícito en el piedemonte andino-amazónico, 1730-1790]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042017000300547&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumen: Este artículo busca analizar las formas de interacción que los miembros de las ordenes misionales, especialmente franciscanos y jesuitas de Quito y Popayán, tuvieron con los comerciantes clandestinos venidos desde los dominios portugueses de América del Sur en el piedemonte andino-amazónico durante los años 1730 y 1790. De acuerdo a la desprotección militar de esta área de frontera, los misioneros tuvieron que buscar posibilidades para subsistir aunque sus actuaciones fueran claramente en contra de las políticas reformistas para la erradicación del contrabando. Según casos específicos se muestran cuáles fueron los desarrollos y las consecuencias del comercio ilícito y cómo la participación de los comerciantes portugueses en estas dinámicas ilegales nunca fue posible de erradicar debido a la complicidad de los misioneros.<hr/>Resumo: Este artigo busca analisar as formas de interação que os membros das ordem missionárias, sobretudo franciscanos e jesuítas de Quito e Popayán, tiveram com os comerciantes clandestinos oriundos dos domínios portugueses da América do Sul na região andino-amazônica entre 1730 e 1790. Dada a vulnerabilidade militar desta área fronteiriça, os missionários tiveram que buscar meios de subsistência que descumpriam abertamente as políticas reformistas para a erradicação do contrabando. Através da análise de casos específicos, apresenta-se como o comércio ilícito era praticado, quais as suas consequências e como a participação dos comerciantes portugueses nestas atividades ilegais manteve-se graças à cumplicidade dos missionários. <![CDATA[In the margin of second slavery? The dynamic of Amazon Valley slavery in the context of capitalist world-economy]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042017000300568&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo: Não é incomum, na historiografia brasileira, a percepção da formação econômica e social da Amazônia como espaço no qual uma economia escravista de base agrícola não chegou a se estabelecer. Embora tal noção venha sendo desconstruída por diversos estudos produzidos ao longo das últimas décadas, que evidenciaram a efetividade econômica e demográfica da escravidão negra no vale amazônico, ainda não foi levado a efeito um esforço de reflexão sobre essa questão nos quadros da economia-mundo capitalista, como se apresenta neste artigo. Para tanto, a economia escravista da região é cotejada com a chamada segunda escravidão, faceta mais conhecida da história global da escravidão no século XIX.<hr/>Abstract: It is not unusually in Brazilian historiography the perception of the economic and social formation of the Amazon as a space in which a slave labor and agricultural-based economy hadn’t been instituted. Although this idea has been deconstructed by several studies carried out in the last decades, which have demonstrated the economic and demographic effectiveness of slavery in the Amazon Valley, an effort has not yet been made to reflect on the insertion of the region’s slave economy in the capitalist world-economy. In this article, we analyze how this insertion occurred in the margin of the most well-known facet of the global history of slavery in the nineteenth century - the second slavery. <![CDATA[Where was the periphery of art? Circulation and reception of European painting copies in Amazonia in the 19th century]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042017000300590&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo: Este artigo analisa a circulação e a recepção de arte sacra e religiosa na Amazônia no contexto do movimento de renovação do catolicismo brasileiro no século XIX, conhecido como romanização ou ultramontanismo. Para isso, analisa o programa iconológico levado a termo pelo bispo do Pará d. Antônio de Macedo Costa, em especial pela substituição de pinturas do século XVIII por obras do século XIX, de acordo com os novos parâmetros artísticos do catolicismo romano e do mercado global de arte. Com isso, busca rever noções fortemente ancoradas em uma concepção hierárquica da produção artística, ainda presentes em boa parte da historiografia da arte, a despeito dos debates em curso nas últimas décadas.<hr/>Abstract: This article analyzes the circulation and reception of sacred and religious art in Amazonia in the context of the renewal of Brazilian Catholicism movement in the nineteenth century known as romanization or ultramontanism. For this, it analyzes the iconological program carried out by the Bishop of Pará D. Antônio de Macedo Costa, in particular the replacement of eighteenth-century paintings for nineteenth century ones, according to the new artistic parameters of Roman Catholicism and the global market of art. With this, it seeks to review notions strongly anchored in a hierarchical conception of artistic production, still present in much of the historiography of art, despite the debates in progress in the last decades. <![CDATA[Lutas camponesas no império do Brasil: a desmitificação da passividade política do “povo” brasileiro]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042017000300610&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo: Este artigo analisa a circulação e a recepção de arte sacra e religiosa na Amazônia no contexto do movimento de renovação do catolicismo brasileiro no século XIX, conhecido como romanização ou ultramontanismo. Para isso, analisa o programa iconológico levado a termo pelo bispo do Pará d. Antônio de Macedo Costa, em especial pela substituição de pinturas do século XVIII por obras do século XIX, de acordo com os novos parâmetros artísticos do catolicismo romano e do mercado global de arte. Com isso, busca rever noções fortemente ancoradas em uma concepção hierárquica da produção artística, ainda presentes em boa parte da historiografia da arte, a despeito dos debates em curso nas últimas décadas.<hr/>Abstract: This article analyzes the circulation and reception of sacred and religious art in Amazonia in the context of the renewal of Brazilian Catholicism movement in the nineteenth century known as romanization or ultramontanism. For this, it analyzes the iconological program carried out by the Bishop of Pará D. Antônio de Macedo Costa, in particular the replacement of eighteenth-century paintings for nineteenth century ones, according to the new artistic parameters of Roman Catholicism and the global market of art. With this, it seeks to review notions strongly anchored in a hierarchical conception of artistic production, still present in much of the historiography of art, despite the debates in progress in the last decades. <![CDATA[Os trabalhadores, a Justiça e a transformação social às vésperas do golpe civil-militar]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042017000300618&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo: Este artigo analisa a circulação e a recepção de arte sacra e religiosa na Amazônia no contexto do movimento de renovação do catolicismo brasileiro no século XIX, conhecido como romanização ou ultramontanismo. Para isso, analisa o programa iconológico levado a termo pelo bispo do Pará d. Antônio de Macedo Costa, em especial pela substituição de pinturas do século XVIII por obras do século XIX, de acordo com os novos parâmetros artísticos do catolicismo romano e do mercado global de arte. Com isso, busca rever noções fortemente ancoradas em uma concepção hierárquica da produção artística, ainda presentes em boa parte da historiografia da arte, a despeito dos debates em curso nas últimas décadas.<hr/>Abstract: This article analyzes the circulation and reception of sacred and religious art in Amazonia in the context of the renewal of Brazilian Catholicism movement in the nineteenth century known as romanization or ultramontanism. For this, it analyzes the iconological program carried out by the Bishop of Pará D. Antônio de Macedo Costa, in particular the replacement of eighteenth-century paintings for nineteenth century ones, according to the new artistic parameters of Roman Catholicism and the global market of art. With this, it seeks to review notions strongly anchored in a hierarchical conception of artistic production, still present in much of the historiography of art, despite the debates in progress in the last decades. <![CDATA[Presença portuguesa, patrimônios e influências plurais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042017000300623&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo: Este artigo analisa a circulação e a recepção de arte sacra e religiosa na Amazônia no contexto do movimento de renovação do catolicismo brasileiro no século XIX, conhecido como romanização ou ultramontanismo. Para isso, analisa o programa iconológico levado a termo pelo bispo do Pará d. Antônio de Macedo Costa, em especial pela substituição de pinturas do século XVIII por obras do século XIX, de acordo com os novos parâmetros artísticos do catolicismo romano e do mercado global de arte. Com isso, busca rever noções fortemente ancoradas em uma concepção hierárquica da produção artística, ainda presentes em boa parte da historiografia da arte, a despeito dos debates em curso nas últimas décadas.<hr/>Abstract: This article analyzes the circulation and reception of sacred and religious art in Amazonia in the context of the renewal of Brazilian Catholicism movement in the nineteenth century known as romanization or ultramontanism. For this, it analyzes the iconological program carried out by the Bishop of Pará D. Antônio de Macedo Costa, in particular the replacement of eighteenth-century paintings for nineteenth century ones, according to the new artistic parameters of Roman Catholicism and the global market of art. With this, it seeks to review notions strongly anchored in a hierarchical conception of artistic production, still present in much of the historiography of art, despite the debates in progress in the last decades.