Scielo RSS <![CDATA[Caderno de Estudos]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1413-925119960001&lang=en vol. num. 13 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Lucro inflacionário e fluxo de caixa</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511996000100001&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste artigo, primeiramente, discutimos o surgimento da demonstração do Fluxo de Caixa e os modelos sugeridos pelo FASB e IASC. Em seguida, fizemos um estudo sobre o verdadeiro significado da conta de correção monetária e, por meio de exemplos, demonstramos a existência do lucro inflacionário. Chegamos à conclusão de que o lucro inflacionário é realizado financeiramente, antes mesmo de ser considerado lucro. Apresentado um modelo simples para o Fluxo de caixa de um Banco, acabamos por demonstrar a influência do ganho com depósitos à vista, no lucro e na montagem desse fluxo. <![CDATA[<b>Lucro inflacionário</b>: <b>uma reposta objetiva</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511996000100002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este trabalho procurou esclarecer algumas das dúvidas existentes quanto ao entendimento do real significado da forma brasileira de reconhecimento da inflação nas demonstrações contábeis. Pela dificuldade de compreensão e aceitação demonstradas por alguns renomados autores, esse assunto tem provocado grandes polêmicas. Das discussões, surgiram excelentes trabalhos, que foram, sem nenhuma dúvida, auxiliando a obtenção de melhores demonstrações contábeis. Aqui, fez-se uma análise crítica de uma dessas publicações. <![CDATA[<b>Os princípios da teoria das restrições sob a ótica da mensuraçào econômica</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511996000100003&lng=en&nrm=iso&tlng=en A Teoria das restrições foi desenvolvida no campo da Administração de Produção, apresentando uma base de princípios, conceitos e procedimentos para a gestão de produção e, ao mesmo tempo, propondo um conjunto de medidas financeiras para substituir as informações geradas pela contabilidade de custos tradicional. Neste artigo, analisamos os princípios propostos pela teoria das restrições através da mensuração econômica e comprovamos que, de fato, a observância de tais princípios conduz à otimização do lucro global da empresa. Evidencia-se, também, o fato de que as informações geradas pela contabilidade de custos, utilizando o método de custeio por absorção não conduzem à tomada de decisões otimizadoras do lucro da empresa. Finalmente, o trabalho evidencia o fato de que as medidas econômicas propostas pela teoria das restrições correspondem àquelas já consagradas no campo da contabilidade de custos, derivadas da utilização de um sistema de informação contábil que adota o método de custeio variável. <![CDATA[<b>Alguns procedimentos e evidências aplicáveis</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511996000100004&lng=en&nrm=iso&tlng=en A preocupação com relação ao tema "derivativos" recai nos riscos envolvidos em tais instrumentos financeiros e na necessidade de informar, com transparência, à comunidade envolvida, sobre os efeitos a que está exposta. Dada a importância dos derivativos no cenário econômico-financeiro atual e considerando-se a escassez de literatura contábil disponível, necessita-se elaborar procedimentos contábeis adequados a essas operações. O estudo teve como objetivo efetuar uma avaliação crítica dos procedimentos contábeis aplicáveis a derivativos, atualmente existentes no Brasil para instituições financeiras á luz da Teoria Contábil. Como resultado do estudo, elaboramos em esboço dos critérios contábeis aplicáveis a derivativos, em consonância com um modelo de contabilidade em termos econômicos, recomendado por conceituados autores, citados no presente artigo.