Scielo RSS <![CDATA[Caderno de Estudos]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1413-925119980002&lang=en vol. num. 18 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Objetividade x relevância</b>: <b>o que o modelo contábil deseja espelhar?</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511998000200001&lng=en&nrm=iso&tlng=en A informação contábil vem sendo severamente criticada nas três últimas décadas. Tais críticas depositam-se, principalmente, sobre a constatação de que, embora a informação contábil seja pretensamente objetiva e verificável, seu modelo atual tem sido ineficaz quanto ao atendimento de seu objetivo principal, qual seja, o de ser útil aos usuários na tomada de decisões econômicas. Esse artigo procura questionar a eficiência do modelo contábil atual, principalmente em relação à objetividade que se supõe ser a ele inerente, e, percebida tal limitação, propor a adoção de princípios e práticas mais sólidos, no sentido de possibilitar a identificação e mensuração dos eventos econômicos que afetam a riqueza das empresas e no sentido de incrementar o valor preditivo da informação fornecida. Para isso, defende a substituição da convenção da objetividade, e todos os princípios e normas contábeis a ela relacionados, pela integração de procedimentos estatísticos e matemáticos na estrutura contábil, a fim de se identificar e relatar, juntamente com a informação fornecida, o risco a ela inerente. <![CDATA[<b>Ativo e sua mensuração</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511998000200002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Uma definição adequada do Ativo, bem como uma análise básica de todas as suas características , podem ser de grande importância para o desenvolvimento da Teoria Contábil. A Contabilidade, desde seus primórdios, tem procurado adaptar-se à evolução do desenvolvimento das organizações e dos negócios, embora essa evolução não tenha acontecido na mesma velocidade que as atividades econômicas Diversos pesquisadores têm contribuído para a evolução da Teoria Contábil, podendo-se dar destaque a Hendriksen, Chambers, Sprouse, Moonitz, Iudícibus e Martins. A identificação e mensuração do Ativo é um assunto extremamente controvertido entre os teóricos da Contabilidade. Foi-se buscar nestes pesquisadores as características comuns para a identificação de Ativo, procurando-se conceituar valor e mensuração para que, através dessas ferramentas o caráter utilitário da Contabilidade, acentue-se como uma fonte muito fértil de informações para decisão. A partir do conceito de valor e mensuração, o enfoque deste estudo foi direcionado para Valor de Troca, mais precisamente, Valores de Entrada e de Saída, abordando-se os aspectos positivos e negativos concernentes. A proposta do trabalho não está centrada em escolher o melhor método de identificação e mensuração de Ativo, mas nas possibilidades existentes para que os Ativos possam ser retratados de acordo com a filosofia e as necessidades das Entidades. <![CDATA[<b><i>Disclosure</i></b><b> de operações com derivativos</b>: <b>panorama internacional</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511998000200003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Uma definição adequada do Ativo, bem como uma análise básica de todas as suas características , podem ser de grande importância para o desenvolvimento da Teoria Contábil. A Contabilidade, desde seus primórdios, tem procurado adaptar-se à evolução do desenvolvimento das organizações e dos negócios, embora essa evolução não tenha acontecido na mesma velocidade que as atividades econômicas Diversos pesquisadores têm contribuído para a evolução da Teoria Contábil, podendo-se dar destaque a Hendriksen, Chambers, Sprouse, Moonitz, Iudícibus e Martins. A identificação e mensuração do Ativo é um assunto extremamente controvertido entre os teóricos da Contabilidade. Foi-se buscar nestes pesquisadores as características comuns para a identificação de Ativo, procurando-se conceituar valor e mensuração para que, através dessas ferramentas o caráter utilitário da Contabilidade, acentue-se como uma fonte muito fértil de informações para decisão. A partir do conceito de valor e mensuração, o enfoque deste estudo foi direcionado para Valor de Troca, mais precisamente, Valores de Entrada e de Saída, abordando-se os aspectos positivos e negativos concernentes. A proposta do trabalho não está centrada em escolher o melhor método de identificação e mensuração de Ativo, mas nas possibilidades existentes para que os Ativos possam ser retratados de acordo com a filosofia e as necessidades das Entidades. <![CDATA[<b>Modelo de gestão e cultura organizacional</b>: <b>conceitos e interações</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511998000200004&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente artigo tem o objetivo de discutir o Modelo de Gestão, sua interação com a cultura organizacional e conseqüentes implicações para a eficácia da organização. Formado a partir do processo de socialização, ratificação ou mudança de crenças, valores e princípios dos líderes (fundadores, proprietários e/ou principais gestores), o modelo de gestão é considerado como o conjunto de normas e princípios que devem orientar os gestores na escolha das melhores alternativas para levar a empresa a cumprir sua missão com eficácia. A cultura organizacional, entendida como o conjunto de crenças, valores e princípios partilhados pelas pessoas em uma organização, sofre interação direta do modelo de gestão em razão do poder exercido pelos principais gestores da organização na primeira. Além de aspectos adicionais da conceituação e interação dos temas, são apresentadas características dos modelo de gestão ideal, aquele capaz de direcionar a cultura organizacional desejada para fazer frente aos desafios do ambiente, tendo em vista a necessária eficácia do sistema empresa. <![CDATA[<b>Decisões financeiras e impactos tempo-conjunturais</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511998000200005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Define-se impactos tempo-conjunturais como ocorrências que afetam o valor patrimonial da empresa, em decorrência da passagem do tempo e de mudanças conjunturais. Tais ocorrências refletem-se em todas as áreas da empresa, sendo todavia mais perceptíveis na área financeira, tendo em vista que esta área concentra a maior parte das decisões decorrentes de negociação de prazo. Enfatiza-se que a abordagem utilizada neste artigo, para discorrer sobre a área financeira também denominada de banco interno, considera que esta área tem como missão assegurar o fluxo de recursos financeiros requeridos pelas diversas áreas da empresa. O presente trabalho está centrado no papel desempenhado pela área financeira/banco interno, contemplados os seus modelos de gestão e decisão, bem como, na importância de corretamente identificar, mensurar e informar os impactos tempo-conjunturais. <![CDATA[<b>O ensino de teoria da contabilidade no Brasil</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511998000200006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste estudo foram abordados os seguintes aspectos do ensino de Teoria da Contabilidade nos cursos de graduação: O porquê da tendência do estudo da teoria contábil estar voltado para as normas e práticas, e a necessidade de conhecimentos científicos por parte dos professores dessa disciplina como condição para o alcance dos objetivos da Resolução nº 003/92, do Ministério da Educação. O objetivo da Resolução nº 003/92 é formar bacharéis em Ciências Contábeis com conhecimento dos fundamentos científicos da Contabilidade. Para atender esse objetivo, um dos pontos tratados foi a falta de conhecimentos científicos e de Teoria da Contabilidade, por parte dos professores. Os professores devem adquirir tais conhecimentos, pois são os mesmos, que possibilitarão aos alunos os primeiros passos rumo à análise dos fenômenos contábeis. De posse dos conhecimentos e no desempenho de suas atividades profissionais, estes graduados poderão dar respostas satisfatórias às questões profissionais que lhes serão encaminhadas.