Scielo RSS <![CDATA[Revista Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1415-541920090005&lang=en vol. 14 num. 5 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>As novas fronteiras em expansão</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Expansão rápida da maxila</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500002&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Abordagem cirúrgica da constrição maxilar unilateral</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500003&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Lesões necróticas na disjunção palatina</b>: <b>explicação e prevenção</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500004&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Eric Liou</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500005&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Rapid maxillary expansion</b>: <b>radiographic analysis of the midpalatal suture density and its correlation in the osteogenesis stages by digital image</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500006&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: avaliar a neoformação óssea da sutura palatina mediana em diferentes fases do procedimento de expansão rápida da maxila por meio de imagem digitalizada e comparar a densidade radiográfica das diferentes áreas selecionadas ao longo dessa sutura nos períodos estabelecidos. MÉTODOS: a amostra foi constituída por 23 indivíduos, na faixa etária de 9 a 12 anos, que foram submetidos à expansão rápida da maxila de acordo com um protocolo que consistiu, inicialmente, em uma volta completa no parafuso, seguida por ¼ de volta pela manhã e ¼ de volta à noite, durante duas semanas. Foram obtidas 69 radiografias oclusais em diferentes momentos do procedimento, as quais passaram pelo processo de digitalização via scanner e, posteriormente, foram submetidas ao programa Digora for Windows 5.6, para a realização das leituras de densidade radiográfica. RESULTADOS: em todas as fases do procedimento, os valores obtidos dos níveis de cinza foram, em média, diferentes entre si, comprovando uma recuperação óssea parcial da sutura palatina mediana. CONCLUSÕES: os resultados revelaram que são necessários mais de três meses para a completa recuperação sutural após a expansão rápida da maxila e que o método utilizado para a leitura das densidades mostrou-se fiel, devido à sua capacidade de exibir detalhes. Portanto, conclui-se que o expansor deve ser removido somente após a total recuperação óssea sutural, a fim de evitar as recidivas.<hr/>AIM: To evaluate the new bone formation of the midpalatal suture in different phases of the rapid maxillary expansion procedure by means of the scanned image and to compare the radiographic density of the different selected areas along this suture in predetermined periods. METHODS: The sample consisted of 23 individuals, aged from 9 to 12 years who underwent rapid maxillary expansion in accordance with a protocol which consisted initially of a full turn on the screw, followed by ¼ turn by morning and ¼ turn at night for two weeks. Were obtained 69 occlusal radiographs at different phases of the procedure, which passed through the scanning process via scanner and then were subjected to the software Digora for Windows 5.6, to perform the readings of radiographic density. RESULTS: In all phases of the procedure, the values of gray levels were, on average, different from each other, showing partial bone healing of the midpalatal suture. CONCLUSIONS: The results revealed that are necessary more than three months for complete sutural recovery after the rapid maxillary expansion and that the method used to read the densities proved to be trustworthy, because of its ability to display details. Therefore, it can be concluded that the expander should be removed only after full sutural bone recovery in order to avoid relapses. <![CDATA[<b>Evaluation with helicoidal computed tomography of rapid maxillary expansion effects in the condylar position of patients with functional posterior crossbite</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500007&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: este estudo clínico avaliou, por meio da tomografia computadorizada helicoidal, os efeitos da expansão rápida da maxila no posicionamento condilar de pacientes com mordida cruzada posterior funcional na fase da dentadura mista. MÉTODOS: dez pacientes com faixa etária entre os 7 anos e 2 meses e os 11 anos e 2 meses - apresentando mordida cruzada posterior funcional, com desvio da linha média de pelo menos 2,5mm para o lado do cruzamento - foram tratados com expansão rápida da maxila. Após a obtenção de cortes tomográficos sagitais da articulação temporomandibular, as medidas dos espaços articulares anterior, posterior e superior foram realizadas e o posicionamento relativo do côndilo foi calculado. Utilizando-se cortes tomográficos axiais, avaliou-se o posicionamento anteroposterior e transversal dos côndilos em relação às estruturas da base craniana. RESULTADOS: foram identificadas diferenças significativas, antes do tratamento, entre os espaços articulares posteriores, na posição relativa do côndilo e um posicionamento mais anterior e mais próximo ao plano sagital mediano do côndilo do lado não-cruzado. Após o tratamento, não foram evidenciadas diferenças significativas nessas medidas. CONCLUSÕES: após a expansão rápida da maxila, um posicionamento mais centralizado dos côndilos nas fossas articulares foi observado, além de uma maior simetria anteroposterior e transversal entre os mesmos.<hr/>AIM: This clinical study evaluated, through helicoidal computed tomography (CT), the effects of rapid maxillary expansion in the condylar position of patients with functional posterior crossbite in mixed dentition stage. METHODS: Ten patients aged between 7 years and 2 months and 11 years and 2 months were selected. This patients which presented functional unilateral posterior crossbite with mandibular midline deviation of at least 2.5mm to the crossbite side were submitted to rapid maxillary expansion. After obtaining sagittal CT slices of the temporomandibular joints, measurements of the anterior, posterior and superior joint spaces were carried out and the relative positioning of the condyle was calculated. Axial slices of the temporomandibular joint were also used to evaluate the anteroposterior and transversal position of the condyles in relation to the cranial base structures. RESULTS: Before treatment, significant differences were observed in the posterior joint spaces, in the relative positioning of the condyle and with the non-crossbite side condyle displaced more anteriorly and medially in relation to midsagittal line. After treatment there was no statistically significant difference. CONCLUSION: After the rapid maxillary expansion, a more centralized position of the condyles in the joint cavities was observed, and a greater anteroposterior and transverse symmetry between them. <![CDATA[<b>Maxillary expansion in adults and adolescents with advanced skeletal maturation</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500008&lng=en&nrm=iso&tlng=en A deficiência transversa da maxila é um fator agravante e complicador do tratamento ortodôntico em adultos. Sua correção ainda gera dúvidas e controvérsias entre clínicos e pesquisadores. O objetivo deste trabalho foi analisar e discutir fatores determinantes para o planejamento da expansão maxilar em adultos e adolescentes com maturação esquelética avançada. Ausências dentárias múltiplas, grandes inclinações dentoalveolares para vestibular, recessão gengival, perda óssea alveolar e mobilidade dos dentes posterossuperiores contraindicam a realização de expansão rápida da maxila em indivíduos adultos ou com maturação esquelética avançada. No entanto, esses fatores não devem ser considerados isoladamente para a escolha do método de expansão palatal nesses pacientes. Nessas situações, a Expansão Rápida da Maxila Assistida Cirurgicamente (ERMAC) pode ser uma opção, entretanto, a escolha por essa técnica deve basear-se principalmente na idade do paciente, no grau de maturação esquelética, na localização da deficiência transversa da maxila e nas estruturas anatômicas que oferecem maior resistência à expansão maxilar. O Hyrax é o aparelho mais indicado para indivíduos que vão se submeter à ERMAC.<hr/>The transverse maxillary deficiency is a complication factor in adults' orthodontic treatment. Its correction still generates doubts and controversies between clinicians and researchers. The aim of this paper is to discuss the determinative factors in planning maxillary expansion in adults and adolescents with advanced skeletal maturation. Multiple dental absences, several dentoalveolar buccal inclination, gingival recession, alveolar bone loss and mobility of posterosuperior teeth contraindicate the rapid maxillary expansion in adults or patients with advanced skeletal maturation. However, these factors should not be considered separately when choosing the method for palatal expansion in adults. In these situations Surgically Assisted Rapid Maxillary Expansion (SARME) can be an option. And the choice of the surgical technique (SARME) should focus mainly the patient's age, grade of skeletal maturation, anatomical structures that offer more resistance to the maxillary expansion and location of the palatal constriction. Hyrax is the expander appliance more indicated for patients that will be submitted to SARME. <![CDATA[<b>Influence of rapid maxillary expansion on the root resorption of primary canines used as anchorage</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500009&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVOS: o presente estudo radiográfico, retrospectivo e longitudinal objetivou determinar se a ancoragem do aparelho expansor fixo tipo Haas, modificado para as dentaduras decídua e mista, interfere na velocidade de rizólise e esfoliação dos caninos decíduos. MÉTODOS: foi feita uma avaliação quantitativa da rizólise do canino decíduo mediante a medição do comprimento coroa-ápice dos caninos decíduos superiores, dos lados direito e esquerdo. Para essa avaliação, 24 crianças submetidas à expansão rápida da maxila (ERM) na dentadura decídua ou no início da dentadura mista foram comparadas com 15 crianças que não passaram por esse procedimento. A medição do comprimento coroa-ápice dos caninos decíduos foi realizada com o programa computadorizado CEF-X Cefalometria Digital, produzido pela CDT Informática, que permitiu calibrar o tamanho dos dentes pela uniformização das imagens radiográficas digitalizadas. RESULTADOS: os dados estatísticos revelaram que não houve diferença na velocidade de rizólise dos caninos decíduos entre as crianças do grupo controle e as do grupo submetido à ERM. CONCLUSÕES: é possível inferir que o aparelho expansor fixo tipo Haas ancorado em dentes decíduos não influencia a rizólise dos caninos decíduos usados como ancoragem.<hr/>AIM: The current radiographic, retrospective longitudinal study aim was to demonstrate whether the Haas fixed appliance, modified for the primary and mixed dentitions, interferes in the velocity of the root resorption and exfoliation of the primary canines. METHODS: It was evaluated the amount of root resorption of primary canines on the basis of measurements of the apex-crown length of right and left upper primary canines. For this measurement twenty-four children submitted to rapid maxillary expansion (RME) in the primary and mixed dentition were compared to 15 children who did not undergo such a procedure. The measurement of the apex-crown length of the primary canines was achieved with the CEF-X program that allowed the calibration and standardization of the image size. RESULTS: Statistical data revealed that no difference was found in the velocity of root resorption of the primary canines between the control and experimental groups. CONCLUSIONS: The findings of this study allow us to conclude that root resorption of primary canines has no relationship with RME. <![CDATA[<b>Evaluation and measurement of midpalatal suture through the digitalized occlusal radiography in patients submitted to rapid maxillary expansion</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500010&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVOS: avaliar e mensurar a sutura palatina mediana por meio de radiografias oclusais totais de maxila digitalizadas, antes e depois da sua disjunção. MÉTODOS: a amostra constou de 17 pacientes, com idades entre 7 e 22 anos. Radiografias oclusais totais da maxila foram executadas antes e depois da abertura da sutura palatina mediana, e digitalizadas em scanner HP Scanjet 6110 C com adaptador de transparências HPC 6261 6100 C, utilizando-se o programa Deskscan II. Para a avaliação e medição, foi utilizado o programa Radioimp® (Radiomemory, MG/Brasil). Na análise estatística, foram utilizados a média, o desvio-padrão, o coeficiente de variação e os testes "t" e ANOVA. CONCLUSÕES: após os resultados, foi possível concluir que (1) na região dos incisivos, houve uma abertura palatina mediana estatisticamente significativa; (2) houve abertura de diastema entre os incisivos centrais superiores em torno de 69,37% dos casos; (3) houve uma maior abertura da sutura palatina mediana na região a 10mm a partir da crista para posterior, em comparação com a região a 3mm para posterior do parafuso expansor; (4) na região a 3mm para posterior do parafuso expansor houve uma abertura de 35,97%, e na região a 10mm para posterior da crista uma abertura de 69,37%.<hr/>AIM: to evaluate and to measure the midpalatal suture through digitalized occlusal radiographies before and after its disjunction. METHODS: The sample was comprised by 17 patients, with ages from 7 to 22 years. Occlusal radiographies of these patients were obtained before and after the suture's opening. The occlusal radiographies were digitalized in a HP Scanjet 6100 C scanner with the HPC 6261 6100 C transparencies adaptor and the Deskscan II software. The statistical analysis used average, standard deviation, variation coefficient, "t" test and ANOVA. CONCLUSIONS: After the results, it was possible to conclude that: (1) statistically, there was a significant midpalatal opening in the incisors area; (2) there was an opening in the diastema between upper central incisors in about 69.37% of the cases; (3) there was a bigger midpalatal suture opening in the 10mm area from the crest to posterior than in the 3mm area to posterior from the screw; (4) in the 3mm area to posterior from the screw there was an opening of 35.97% and in the 10mm area to posterior of the crest there was an opening of 69.37%. <![CDATA[<b>Cephalometric evaluation of the post surgically assisted rapid maxillary expansion stability</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500011&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: avaliar as possíveis alterações e a estabilidade dentária e esquelética no sentido transversal, bem como as possíveis alterações verticais da face (AFAI), produzidas pela Expansão Rápida da Maxila Assistida Cirurgicamente (ERMAC). MÉTODOS: a amostra selecionada para este estudo retrospectivo foi composta por 60 telerradiografias em norma frontal, de 15 pacientes, sendo 6 do gênero masculino e 9 do gênero feminino, com média de idades de 23 anos e 3 meses. O disjuntor Hyrax foi instalado e o procedimento cirúrgico adotado envolveu a separação da sutura palatina mediana e não-abordagem da sutura pterigomaxilar. A ativação foi realizada do terceiro dias após a cirurgia até o término da expansão, determinada por critérios clínicos. Todos os pacientes foram radiografados nas fases pré-expansão (T1); pós-expansão imediata (T2); 3 meses pós-expansão, com o próprio disjuntor como contenção (T3); e 6 meses pós-expansão, com a placa removível de acrílico como contenção (T4). Medidas lineares foram obtidas a partir dos traçados cefalométricos gerados por um programa computadorizado (Radiocef Studio 2) e analisadas estatisticamente pelos testes de variância (ANOVA) e Tukey ao nível de 5% de significância. RESULTADOS E CONCLUSÕES: concluiu-se que a ERMAC produziu aumentos estatisticamente significativos da cavidade nasal, da largura maxilar e da distância intermolares superiores, de T1 para T2, os quais se mantiveram em T3 e T4. A largura facial e as distâncias intermolares inferiores não apresentaram alterações após a ERMAC. Avaliando o comportamento vertical da face, notou-se um aumento da AFAI nas fases T1 para T2, que diminuiu após a contenção de 3 meses (T3) e permaneceu estável em T4, embora aumentada se comparada com T1.<hr/>AIM: This study evaluated the stability of the dental and skeletal changes produced by the Surgically Assisted Rapid Maxillary Expansion (SARME) in transversal and vertical dimensions. METHODS: The sample selected for this retrospective study was comprised by 60 posteroanterior cephalograms, of 15 patients (6 males and 9 females), with mean age of 23.3 years. An Hyrax appliance was used and the surgical procedure was characterized by the midsagittal osteotomy and non approach of pterygopalatine suture. The beginning of activation occurred in the third postoperative day, being that the limits for the expansion were determined by eminently clinical criteria. All the patients were radiographed in the following phases: pre-expansion (T1), immediate post-expansion (T2), three months post-expansion (with the Hyrax appliance as retention) (T3), and six months post-expansion (with the acrylic removable plate as retention) (T4). Linear measurements were obtained from the cephalograms tracings generated by a computerized program (Radiocef Studio 2) and statistically analyzed by the variance test (ANOVA) and Tukey at the 5% level of significance. RESULTS AND CONCLUSION: It was concluded that SARME produced a statistically significant increase of nasal cavity, maxillary width, upper intermolars distance, from T1 to T2, which were maintained in T3 and T4. The facial width and the lower intermolars distance did not presented changes after the SARME. Evaluating the vertical behavior of the face, it was observed an increase of anterior inferior facial height in phases T1 to T2 that decreased after three months of retention (T3) and maintained stable in T4, although increased if compared with T1. <![CDATA[<b>Morphological analysis of the maxillary arch in patients with cleft lip and palate submitted to different protocols of rapid maxillary expansion</b>: <b>maxillary alterations evaluation</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500012&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: em portadores de malformações labiopalatais, a boa conformação do arco superior constitui um dos principais requisitos para a obtenção de uma oclusão adequada e para o aperfeiçoamento estético e funcional. Para tanto, a expansão ortopédica da maxila é frequentemente necessária, uma vez que é alta a incidência de colapso dos segmentos. OBJETIVOS: analisar, por meio de modelos de gesso, as dimensões do arco superior de 15 portadores de fissura transforame incisivo unilateral, com deficiências transversal e anteroposterior da maxila, submetidos à expansão com dois diferentes protocolos de ativação. MÉTODOS: um grupo foi submetido à Expansão Rápida da Maxila (ERM) com protocolo de ativação convencional (Grupo 1), enquanto no outro grupo foi utilizado o protocolo de ativação preconizado por Liou e Tsai em 2005, com expansões e contrações alternadas (Grupo 2), sendo ambos submetidos posteriormente à protração maxilar com máscara de tração reversa. Os modelos foram obtidos em dois momentos: antes da cimentação do disjuntor do tipo Haas modificado (T1) e após 24 semanas de tratamento (T2). As distâncias transversais entre os primeiros pré-molares superiores (região anterior) e a distância entre os primeiros molares superiores (região posterior) foram registradas com um paquímetro digital. Os dados obtidos foram submetidos ao teste t de Student. RESULTADOS E CONCLUSÕES: os dois protocolos de ativação mostraram-se igualmente efetivos na expansão maxilar, não havendo diferença entre os grupos em relação ao aumento transversal obtido.<hr/>INTRODUCTION: Harmonious conformation of the maxillary arch in patients with cleft lip and palate is one of the main requirements for achievement of adequate occlusion and for esthetic and functional improvement. For this purpose, orthopedic maxillary expansion is often required due to the high frequency of the segments collapse. AIM: This study aimed to evaluate the transverse dimensions of maxillary dental arches by analysis of the dental casts of 15 patients with complete unilateral cleft lip and palate who presented sagittal and transverse maxillary constriction and were submitted to two distinct protocols of rapid maxillary expansion. METHODS: Seven patients were submitted to rapid maxillary expansion (RME) by the conventional activation protocol (Group 1), and the others were treated by the protocol proposed by Liou and Tsai in 2005, with alternated expansion and constriction (Group 2). Both groups were later submitted to maxillary protraction with facial mask. Dental casts were obtained at two periods: before placement of a modified Haas expander (T1) and after 24 weeks of treatment (T2). Transverse distances were measured with a digital caliper to register the distances between first upper premolars (anterior area) and first upper molars (posterior area). Data were statistically analyzed by the Student's t test. RESULTS AND CONCLUSION: Both protocols were equally effective, since no differences were observed between the groups as to the transverse increasing achieved. <![CDATA[<b>Surgical maxillary expansion</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500013&lng=en&nrm=iso&tlng=en Embora a expansão rápida da maxila possa ser considerada um procedimento ortodôntico eficaz e amplamente utilizado na correção da deficiência transversa maxilar em crianças e pacientes adolescentes jovens, seu prognóstico não se apresenta muito favorável na correção dessa condição oclusal em pacientes adultos ou no final da adolescência. Nesses pacientes, a correção da deficiência transversa pode ser realizada com sucesso através da intervenção cirúrgica, seja por meio da expansão assistida ou da osteotomia multissegmentada da maxila.<hr/>Although the maxillary expansion may be considered a orthodontic procedure efficient and widely used in the maxillary transverse deficiency correction in children and young adolescent patients, its prognostic is not very favorable in the correction of this occlusal condition in adults or patients in the adolescence end. In these patients the correction of this transverse deficiency may be successfully conducted by means of the surgical intervention, either through the assisted expansion or the multi-segmented maxillary osteotomy. <![CDATA[<b>Evaluation of the midpalatal suture optical density six months after surgically assisted rapid maxillary expansion</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500014&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: avaliar a neoformação óssea da sutura palatina mediana por meio da análise de densidade óptica após a expansão rápida da maxila assistida cirurgicamente (ERMAC). MÉTODOS: a amostra estudada consistiu de 16 pacientes, sendo 6 do gênero masculino e 10 do gênero feminino. Todos os pacientes apresentavam atresia maxilar com mordida cruzada posterior e foram submetidos à ERMAC. Foram realizadas radiografias oclusais parciais da região dos incisivos superiores em quatro fases: antes da ERMAC (fase I), após o fim da ativação do parafuso expansor (fase II), três meses após a ativação do parafuso expansor (fase III), e seis meses após a ERMAC (fase IV). Uma escala de alumínio com oito degraus, variando de 1 a 8mm, foi adaptada no extremo das radiografias. A análise da densidade óptica foi feita após a digitalização das radiografias, utilizando-se o software Image Tool® (UTHSCSA, San Antonio, Texas, EUA). Em cada uma dessas fases, duas áreas foram selecionadas e analisadas. A região "A" (anterior) mediu 8 x 1mm² e localizou-se a 1,2cm da tangente situada nos incisivos centrais superiores na região da sutura palatina mediana. A região "B" (posterior) mediu 5 x 9mm² e localizou-se a 4,3cm da tangente situada nos incisivos centrais superiores na região da sutura palatina mediana. RESULTADOS: na região "A", comparando-se a fase I com a fase II, e a fase I com a fase III, foram encontradas diferenças estatisticamente significativas - p < 0,0001 e p < 0,0001, respectivamente -; comparando-se a fase I com a IV, e a fase II com a III, foram encontradas diferenças estatisticamente significativas - p = 0,0169 e p = 0,0004, respectivamente -; comparando-se as fases II e IV, e a fase III com a IV, diferenças estatisticamente significativas também foram encontradas - p < 0,0001 e p = 0,0023, respectivamente. Na região "B", comparando-se as fases I e II, e a fase I com a III, diferenças estatisticamente significativas foram encontradas - p < 0,0001 e p < 0,0001, respectivamente -; comparando-se a fase I com a fase IV, nenhuma diferença estatisticamente significativa foi observada (p = 0,1152); comparando-se a fase II com a fase III, a fase II com a IV, e a fase III com a IV, diferenças estatisticamente significativas foram encontradas - p = 0,0002, p < 0,0001 e p = 0,0010, respectivamente. CONCLUSÕES: a análise da densidade óptica permite ao cirurgião bucomaxilofacial e ao ortodontista um controle melhor do tratamento após a ERMAC. Seis meses após a ERMAC, a neoformação óssea da sutura palatina mediana não está completa na região "A" (p < 0,05), mas na região "B" nenhuma diferença estatisticamente significativa foi observada (p > 0,05) entre as fases I e IV.<hr/>AIM: This study evaluated the new bone formation in the midpalatal suture after surgically assisted rapid maxillary expansion by optical density analysis. METHODS: The sample was comprised by 16 patients (six males and ten females). All patients presented maxillary atresia with posterior crossbite and were submitted to SARME. Maxillary occlusal radiographs were taken at four stages (before SARME, immediately after SARME, three months after SARME and six months after SARME). An aluminium scale (step wedge) with eight steps varying from 1mm to 8mm was adapted at the end of the films. Optical density analysis was performed after digitization of radiographs using the Image ToolTM software (UTHSCSA, San Antonio, Texas, USA). Region A measured 8 x 1mm² and was located 1.2cm from the tangent to the maxillary central incisors at the region of the midpalatal suture. Region B measured 5 x 9mm² and was located 4.3cm from the tangent to the maxillary incisors at the region to the midpalatal suture. RESULTS: Statistical analysis of region A revealed statistically significant differences between phases I and II (p < 0.0001), and phases I and III (p < 0.0001); statistically significant differences between phases I and IV (p = 0.0169), and phases II and III (p = 0.0004); statistically significant differences between phases II and IV (p < 0.0001), and phases III and IV (p = 0.0023). In region B, there was statistically significant differences between phases I and II (p < 0,0001), and phases II and III (p < 0.0001); no statistically significant differences between phases I and IV (p = 0.1152); in phases II and III (p = 0.0002), phases II and IV (p < 0.0001) and phases III and IV (p = 0.0010) statistically significant differences were observed. CONCLUSIONS: Optical density analysis improves post-treatment control of SARME procedures by surgeons and orthodontists. After six months, new bone formation at the midpalatal suture is not complete in region "A" (p < 0.05), but in region"B" no statistically significant differences were observed (p > 0.05) in phases I and IV. <![CDATA[<b>The treatment of Class III</b>: <b>systematic review - Part I. Magnitude, direction and duration of the forces in the maxillary protraction</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500015&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: para o tratamento da Classe III durante o crescimento, a protração maxilar é a terapia mais relatada na literatura. Durante o tratamento, é requerida especial atenção à mecânica utilizada para a correção do problema. OBJETIVO: sintetizar as informações relativas à magnitude, direção e tempo diário da aplicação das forças, por meio de uma revisão sistemática. MÉTODOS: estudos foram identificados a partir de uma pesquisa eletrônica no Medline database - Entrez PubMed (178 artigos) e Bireme (550 artigos), no período de janeiro de 1983 a dezembro de 2008. Após um criterioso processo de inclusão e exclusão, 56 estudos primários foram selecionados e submetidos a um segundo processo de seleção, restando 39 artigos. Foram calculados a média e o desvio-padrão, bem como os valores mínimos e máximos para a magnitude, a direção e a quantidade de horas de uso das forças de protração maxilar. RESULTADOS E CONCLUSÃO: as médias de magnitude, direção e duração das forças de protração maxilar foram de, respectivamente, 447,8 gramas, 27,5 graus de inclinação em relação ao Plano Oclusal, e 15,2 horas por dia.<hr/>INTRODUCTION: For the treatment of Class III during growth, maxillary protraction therapy is the most reported in the literature. During the treatment is required special attention to the mechanics used to fix the problem. AIM: To synthesize informations about the magnitude, direction and time of daily application of forces, through a systematic review. METHODS: Studies were identified from an electronic search on Medline database - Entrez PubMed (178 articles) and Bireme (550 articles), from January 1983 until December 2008. After rigorous process of inclusion and exclusion 56 primary studies were selected and subjected to a second selection process, remaining 39 articles. It was calculated the average and standard deviation, and the minimum and maximum values for magnitude, direction and usage hours of the maxillary protraction forces. RESULTS AND CONCLUSION: The mean magnitude, direction and duration of the forces of maxillary protraction were, respectively: 447.8 grams, 27.5 degrees of inclination in relation to the occlusal plane and 15.2 hours per day. <![CDATA[<b>Class II division 1 associated with maxillary transverse deficiency treated by Hyrax expander and Herbst appliance</b>: <b>clinical case report </b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500016&lng=en&nrm=iso&tlng=en A má oclusão de Classe II divisão 1 de Angle é, frequentemente, acompanhada da atresia maxilar. Esse problema transversal da maxila deve ser corrigido, sempre que possível, antes da correção anteroposterior, sendo que os aparelhos de expansão rápida são os mais utilizados para isso. Para a correção da Classe II, atualmente, os aparelhos funcionais fixos são os mais estudados e empregados, por serem aparelhos intrabucais e necessitarem de menor colaboração do paciente. O objetivo deste estudo é demonstrar a estabilidade dos resultados obtidos após seis anos de tratamento com expansor tipo Hyrax, seguido do aparelho funcional fixo de Herbst e aparelho fixo. Após uma revisão da literatura, será apresentado um caso clínico, com atresia maxilar e má oclusão de Classe II divisão 1, tratado com essa terapia. O tratamento foi realizado em um curto período de tempo, com resultados funcionais e estéticos satisfatórios e mantidos ao longo dos anos.<hr/>The Angle Class II division 1 malocclusion is often accompanied by maxillary transverse deficiency. When ever is possible, this maxillary transverse problem must be corrected before the anteroposterior correction. The rapid maxillary expanders is the appliance more used to correct the transverse deficiency. For the Class II malocclusion correction the fixed functional appliances are more studied and used. They are a kind of intraoral appliance that almost don't need patient's collaboration. The aim of this study is to show the results' stability after six years of the orthodontic treatment with Hyrax expander, followed by Herbst and straight wire appliances. After a literature review, a clinical case with maxillary transverse deficiency and Class II division 1 malocclusion treated with this therapy is reported. The treatment duration was very brief and the results were functionally and esthetically satisfactory with a long-term stability. <![CDATA[<b>Angle Class I malocclusion, with class III skeletal tendency, treated with growth control</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500017&lng=en&nrm=iso&tlng=en A má oclusão de Classe III de Angle é caracterizada por uma relação dentária anteroposterior inadequada, que pode ou não estar acompanhada de alterações esqueléticas. Em geral, o aspecto facial fica bastante comprometido, principalmente quando associada à deficiência no terço médio da face, sendo esse, na maioria das vezes, o principal fator que motiva o paciente a procurar tratamento. Este caso foi apresentado à Diretoria do Board Brasileiro de Ortodontia e Ortopedia Facial (BBO), representando a categoria livre, como parte dos requisitos para a obtenção do título de Diplomado pelo BBO.<hr/>Angle Class III malocclusion is characterized by an anteroposterior dental alteration, which might be accompanied by skeletal deformities. Usually, the facial aspect becomes aesthetically compromised, mostly when the middle third of the face is affected (this is the main reason why patients seek for treatment).This case was presented to the directorship of the Brazilian Board of Orthodontics and Facial Orthopedics (BBO), standing for the free category, as a part of the requirements to obtain the Board's Certificate. <![CDATA[<b>Transverse dimension alterations using rapid maxillary expansion</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-54192009000500018&lng=en&nrm=iso&tlng=en As deformidades transversais, que se manifestam tipicamente pela mordida cruzada unilateral ou bilateral, são os problemas esqueléticos que mais sequelas podem causar na região craniofacial. Entretanto, são as deformidades que melhor se adaptam às alterações ortopédicas. A expansão rápida da maxila tornou-se rotina na prática ortodôntica. Embora inicialmente tenha sido utilizada na correção da mordida cruzada posterior, atualmente sua indicação ampliou-se para a expansão indireta do arco inferior, obtenção de espaço para correção de apinhamento dentário, correção axial dos dentes posteriores, melhora na estética do sorriso e auxílio no tratamento de pacientes Classe II. A expansão ortopédica da maxila vem atraindo cada vez mais a atenção da comunidade científica devido, principalmente, à sua aplicação e capacidade de alterar o crescimento craniofacial em diversas situações clínicas. Esse tipo de intervenção ortopédica possui grande utilidade terapêutica, pois sua aplicação em diversas anormalidades apresenta maior versatilidade quando comparada aos aparelhos de modificação de crescimento disponíveis atualmente para o tratamento ortodôntico.<hr/>Transverse deformities, typically manifested by unilateral or bilateral crossbite, are the skeletal problems that can cause more sequels in the craniofacial region. However, such deformities are the most adaptable to orthopedic changes. Rapid maxillary expansion has become a routine in the orthodontic practice. Even though initially such procedure has been used for correction of posterior crossbite, today it has been applied for indirect expansion of the lower arch, obtaining space for correction of dental crowding, correction of axial inclination of posterior teeth, improvement in the smile aesthetics characteristics and on treatment of Class II patients. Orthopedic maxillary expansion has gained increasing attention of the scientific community due to its application and ability to change the craniofacial growth in many clinical situations. This type of orthopedic intervention has a positive therapeutic result in several abnormalities and is more versatile when compared to the growth modification devices currently available for orthodontic treatment.