Scielo RSS <![CDATA[Revista de Economia Contemporânea]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1415-984820130003&lang=en vol. 17 num. 3 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Present international patterns of foreign direct investment</b>: <b>underlying causes and some policy implications for Brazil</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482013000300001&lng=en&nrm=iso&tlng=en An important feature of the 1980s has been the substantial fall in the flow of foreign direct investment (FDI) to the developing countries and also, with the limited exception of the Asian NIE (Korea, Taiwan, Malaysia, Singapore) and China, to the newly industrialized countries, in particular those in Latin America. FDI has been concentrated more than ever among the advanced industrialized countries of OECD. The same period has witnessed a number of extremely important changes, both in the nature and location of basic or key technologies, the role of technology in industrial competitiveness; the most appropriate industrial management paradigm following the difficulties of the "Fordist" one; the nature of predominant international supply or market structures; and the relationships between productive and financial capital. Today a number of governments in developing countries and in NIC, among them the new government of Brazil, are again engaged in an attempt to attract FDI and to make foreign capital one of the major pillars of industrial revival and future growth. This paper argues that this policy objective is both fairly illusory and largely mistaken. It is fairly illusory in that it seriously underestimates the nature and strength of the structural factors which have been at work since the mid-1970s and seriously modified the strategies and investment priorities of the TNC which under took the brunt of the investment in developing countries and NICs in the earlier "golden age" of the 1960s and 1970s . The objective of luring foreign capital again to Brazil in ways and on a level similar to the 1960s is also largely mistaken in that it fails to recognize that the change in technological paradigms has modified the parameters of international technology transfers (cf. Ernst and O'Connor, 1989) and made indigenous and endogenous industrial growth dependent to a much higher degree than in the previous period (19601975) on factors which foreign capital cannot and will not bring to or build in host countries and which must be created and built indigenously.<hr/>Uma importante característica da década de 1980 foi a queda substancial no fluxo de investimento direto externo (IDE) para países em desenvolvimento, bem como, com a limitada exceção dos países asiáticos de industrialização recente (República da Coreia, Taiwan, Malásia, Cingapura) e da China, para outros países de industrialização recente, particularmente os situados na América Latina. Mais do que nunca o IDE vem se concentrando entre os países de industrialização mais avançada da OCDE. Esse mesmo período testemunhou um número significativamente grande de importantes mudanças, tanto na natureza quanto na localização das tecnologias básicas ou principais; no papel da tecnologia na competitividade industrial; no mais apropriado paradigma do gerenciamento industrial que sucedeu as dificuldades do paradigma fordista; na natureza das estruturas de mercado e fornecimento predominantes; e nas relações entre o capital produtivo e o financeiro. Hoje vários governos de países em desenvolvimento e de industrialização recente, entre eles o do Brasil, estão novamente engajados na tentativa de atrair IDE e fazer dele um dos principais pilares da revitalização da indústria e do crescimento futuro. Este artigo argumenta que o objetivo de tal política é ao mesmo tempo bastante ilusório e muito equivocado. É bastante ilusório no sentido de que seriamente subestima a natureza e a força dos fatores estruturais que vem atuando desde a metade da década de 1970 e que vem seriamente modificando as estratégias e as prioridades de investimento das corporações transnacionais, as quais assumiram a maioria dos investimentos nos países em desenvolvimento e de industrialização recente no início da "época de ouro" das décadas de 1960-70. O objetivo de atrair novamente capital estrangeiro para o Brasil de maneiras e em patamar similar ao ocorrido na década de 1960 é também largamente equivocado, uma vez que falha em reconhecer que a mudança nos paradigmas tecnológicos modificou os parâmetros das transferências de tecnologia (cf. Ernst and O'Connor, 1989) e tornou o crescimento industrial endógeno e exógeno dependente, em um nível muito mais alto do que em períodos anteriores (1960-1975), de fatores os quais o capital estrangeiro não pode e não irá trazer para ou construir em países que o recebe e os quais devem ser tratados e criados endogenamente. <![CDATA[<b>Elasticities of import substitution in Brazil</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482013000300002&lng=en&nrm=iso&tlng=en As estimativas dos impactos sobre as importações devido a acordos comerciais dependem fundamentalmente das elasticidades de substituição (ES) entre as importações de diferentes fornecedores estrangeiros. Este trabalho estima as ESs das importações do Brasil, para 42 setores da matriz de insumo produto de 2005, destacando as diferenças nos custos de transporte e na tarifa efetivamente paga entre os produtos, segundo os países de procedência. As elasticidades obtidas são estatisticamente significantes a 1% para 39 setores, com média simples de 6,6 e amplitude de 4,7 e 13,7. A disponibilidade das ES próprias para o Brasil permitirá obter cálculos mais precisos dos efeitos provocados por uma eventual participação brasileira em novos acordos de liberalização comercial.<hr/>Estimates of the impacts on imports due to trade agreements depend fundamentally on the elasticity of substitution between imports from different foreign suppliers. This paper estimate the elasticity of substitution for Brazilian imports, for 42 sectors of input-output table for 2005, highlighting the differences in transportation costs and the effectively paid tariffs between products, depending on the country of origin. The elasticities obtained are statistically significant for 1% to 39 sectors, with the arithmetic average of 6.6 and the amplitude of 4.7 and 13.7. The availability of the own elasticities for Brazil will provide more accurate calculations of the effects of a possible Brazilian participation in new trade liberalization agreements. <![CDATA[<b>Structural change in the brazilian economy in the 2000s</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482013000300003&lng=en&nrm=iso&tlng=en This paper investigates the sources of structural change in the Brazilian economy in the 2000s. On that purpose, it uses the input-output structural decomposition analysis and introduces a method to correct the influence of prices on the time behavior of the technical coefficients, making them actually represent changes in the production structure. Results show that most of the growth differential between services and industry in that period was induced by the production structure: more precisely, by a lower intermediate consumption of domestic industrial inputs by the production chain of all economic sectors, concomitant with a higher intermediate consumption of services.<hr/>Este artigo investiga as fontes das mudanças estruturais da economia brasileira ao longo da década de 2000. Para tal, utiliza-se a análise de decomposição estrutural de insumo-produto e introduz-se um método que corrige a influência dos preços sobre o comportamento dos coeficientes técnicos ao longo do tempo, fazendo com que estes reflitam de fato a evolução da estrutura produtiva. Os resultados obtidos mostram que a maior parte do diferencial de crescimento ente os serviços e a indústria durante aquele período foi induzida pela estrutura produtiva: mais precisamente, por um menor consumo intermediário de insumos industriais domésticos pela cadeia produtiva de todos os setores da economia, concomitante a um maior consumo intermediário de serviços. <![CDATA[<b>Distribution and expansion in a neostructuralist model</b>: <b>an application to Brazil</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482013000300004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo apresenta um modelo neo-estruturalista unisetorial de equilíbrio geral para investigar os efeitos de choques em variáveis econômicas sobre o desempenho da economia brasileira. A matriz de contabilidade social para 2006 foi construída empregando os dados do Sistema de Contas Nacionais (SCN). Três experimentos são analisados: uma desvalorização cambial; uma transferência de renda aos trabalhadores; e a combinação da desvalorização cambial com transferências de renda aos trabalhadores. Os resultados indicam efeitos positivos da política que combina a desvalorização cambial e a transferência de renda governamental na economia brasileira.<hr/>This paper presents a neo-estruturalist model that attempts to evaluate the impact of simulation exercises on the economic performance of the Brazilian economy. The data from the National Accounting System is employed to build a Social Accounting Matrix that serves as base for our model. Three experiments are applied: a rise in the investment level, an income transfer to workers, and a policy mix that combines both the preceding simulations (devaluation with redistribution). The results suggest that every experiment impacts positively the Brazilian economy; it validates the neo-structuralist claims about the positive effects of exchange devaluation and redistribution on the level of economic activity. <![CDATA[<b>Export financing</b>: <b>a review on the impacts of brazilian public programs</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482013000300005&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo procura avaliar qual o impacto dos programas públicos de financiamento às exportações existentes no Brasil. Especificamente o artigo analisa os resultados do PROEX e do BNDES-EXIM. Para cumprir o objetivo o trabalho utiliza a metodologia de propensity score matching combinada com análise de painel. Os resultados apontam que os programas públicos brasileiros, em especial o BNDES-EXIM, tem impacto positivo sobre o valor exportado das firmas apoiadas.<hr/>The aim of this paper is to assess the impact of public programs of exports financing in Brazil. Specifically, the paper analyses the results of PROEX and BNDES-EXIM. To achieve that objective, a propensity score matching, combined with panel data analysis was used. The results show that Brazilian government programs to finance exports, specially the BNDES-EXIM has a positive impact on the export value of supported firms. <![CDATA[<b>Distributional analysis of ICMS in the State of Rio de Janeiro – Periods 2002-2003 and 2008-2009</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482013000300006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo analisou os aspectos distributivos ligados ao principal tributo sobre o consumo brasileiro, o ICMS, tomando o estado do Rio de Janeiro como foco para a realização do estudo. Tendo por base as informações dos microdados das Pesquisas de Orçamento Familiares de 2002-2003 e 2008-2009, foi possível efetuar o cálculo da carga tributária do ICMS fluminense por grupos de famílias e a análise distributiva do imposto no estado, com o cálculo dos Índices de Kakwani e de Reynolds-Smolensky para os dois períodos. Confirmou-se o fato de que o ICMS do estado do Rio de Janeiro é muito regressivo com peso elevado para as famílias de baixa renda (10,91% da renda total) e relativamente reduzido para as de renda mais elevada (3,66% da renda total). Não se verificou grande diferença entre a tributação no período 2002/2003 e 2008/2009, mas houve melhora na distribuição de renda e menor concentração do ICMS fluminense. Como consequência, os efeitos sobre a regressividade do imposto foram ambíguos, com melhoria no indicador de Kakwani e piora no de Reynolds-Smolensky.<hr/>This study examined the distributional aspects related to the principal tax on consumption of Brazil, the ICMS, taking the state of Rio de Janeiro as a focus for study. Based on information from individual data on Household Budget Surveys of 2002-2003 and 2008-2009, it was possible to calculate the tax burden of the ICMS by groups of households and to make distributional analysis of tax in the state, by the calculation of Kakwani and Reynolds-Smolensky indices for the two periods. It confirmed the fact that the ICMS on the State of Rio de Janeiro is very regressive with high burden for the low-income families (10.91% of total income) and relatively low for the highest income (3.66% of total income). There was no great difference between the burden of the tax in the period 2002/2003 and 2008/2009, but there has been improvement in income distribution and lower concentration of GST fluminense. As a result, the effects on the regressivity of the tax were ambiguous, with improved index Kakwani index and worsening of the Reynolds-Smolensky. <![CDATA[<b>An analysis of the agglomeration economies and its effects on the brazilian industrial wages</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482013000300007&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente artigo investiga a influência das economias de aglomeração, subdivididas em economias de especialização/localização e urbanização/diversificação, sobre os salários industriais brasileiros nos anos de 2001 e 2010. A análise se deu sobre 84 pólos industriais, e foram aplicados os métodos de análise de componentes principais (ACP) e regressão econométrica, encontrando evidências de economias de urbanização, mas não de economias de especialização, e também constatando que o quadro de disparidades regionais pouco se alterou ao longo da década abordada.<hr/>The present work investigates the influence of agglomeration economies, subdivided in specialization/localization and urbanization/diversification economies, over the Brazilianindustrial wages in the years of 2001 and 2010. The analysis was took over 84 industrial poles, and it were applied the methods of principal component analysis (PCA) and econometric regression, founding out evidences of urbanization economies, but not specialization economies, and also noting that the context of regional disparities has changed little in the course of the decade approached. <![CDATA[<b>Harvey e o enigma da crise econômica recente</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482013000300008&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente artigo investiga a influência das economias de aglomeração, subdivididas em economias de especialização/localização e urbanização/diversificação, sobre os salários industriais brasileiros nos anos de 2001 e 2010. A análise se deu sobre 84 pólos industriais, e foram aplicados os métodos de análise de componentes principais (ACP) e regressão econométrica, encontrando evidências de economias de urbanização, mas não de economias de especialização, e também constatando que o quadro de disparidades regionais pouco se alterou ao longo da década abordada.<hr/>The present work investigates the influence of agglomeration economies, subdivided in specialization/localization and urbanization/diversification economies, over the Brazilianindustrial wages in the years of 2001 and 2010. The analysis was took over 84 industrial poles, and it were applied the methods of principal component analysis (PCA) and econometric regression, founding out evidences of urbanization economies, but not specialization economies, and also noting that the context of regional disparities has changed little in the course of the decade approached.