Scielo RSS <![CDATA[Revista de Economia Contempor├ónea]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1415-984820140002&lang=en vol. 18 num. 2 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Export conditions and formal employment in brazilian manufacturing industries in the period 2003-2008]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482014000200157&lng=en&nrm=iso&tlng=en A recomposição da base produtiva brasileira, após a década 1990, ocorreu em um contexto de economia aberta e exposta à maior concorrência internacional, muitas vezes estabelecida em condições desfavoráveis, mas caracterizada por maior inserção externa da indústria brasileira. Este ensaio analisa os efeitos desse contexto econômico para a geração de empregos no setor industrial, segundo a condição de inserção das empresas no mercado internacional. Busca elucidar se a inserção externa das empresas está associada a perfis ocupacionais mais favoráveis em termos de qualificação e estabilidade do emprego. Os resultados confirmam que a continuidade da trajetória de crescimento com inserção externa representa um vetor relevante para maior qualificação da força de trabalho.<hr/>The rearrangement of Brazil's production base took place after the 1990s, in a period of an open economy and greater international insertion of the Brazilian industry, on the one hand, and of greater exposure to international competition, often under unfavourable conditions, on the other. This study examines to which extent economic determinants affected job creation in manufacturing industries according to the degree of international insertion of the firms. It aims to determine whether the internationalization of Brazilian firms is associated to more favourable occupational profiles in terms of qualification and job stability. Results confirm that the continued growth trend associated with external insertion is a relevant propeller to a greater qualification of the workforce. <![CDATA[Context and features of brazilian public debt issues denominated in reais abroad]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482014000200185&lng=en&nrm=iso&tlng=en A estabilidade macroeconômica e a menor vulnerabilidade externa possibilitaram a emissão de títulos da dívida pública externa brasileira denominados em reais, a partir de 2005. A importância dessas emissões está em criar uma referência para a emissão de títulos corporativos, porque os títulos soberanos refletem o risco sistemático associado à economia do país. Uma vantagem da emissão em reais no exterior é a ausência do risco de câmbio para o devedor doméstico, o que também pode ser utilizado como operação de hedge por parte de investidores externos, e não estão sujeitos ao risco de conversibilidade. As emissões brasileiras ocorreram com prazos mais longos que o dostítulos comparáveis emitidos no mercado doméstico. O fato de o país não depender dos recursos das captações externas para fazer frente ao serviço de sua dívida permitiu a escolha dos momentos favoráveis à emissão em termos de custos.<hr/>Macroeconomic stability and lower external vulnerability have allowed the issuance of Brazilian external debt bonds denominated in Brazilian reais since 2005. Those issuances have not been used to finance current account deficits. They are important to build a benchmark for corporate bond issuances, associated with the systemic risk of the Brazilian economy. Bond emissions in local currency usually have the advantage of eliminating the exchange rate risk for the debtor. It might also be used as hedge for an external investor, and they are not exposed to the convertibility risk, related to foreign reserve shortages or capital controls. Brazilian issuances of securities abroad denominated in local currency have had longer maturity than comparable bonds in the domestic market in the period. Since the country does not depend on foreign issuances to pay its debt, the monetary authority has been able to choose more favorable moments for the issuances in terms of the returns paid on the bonds. <![CDATA[Technological development by multinational companies in Brazil and South Korea]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482014000200210&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente artigo compara o desempenho tecnológico de empresas norte-americanas no Brasil e na Coreia do Sul. Revela que, apesar das mencionadas diferenças históricas em relação ao papel do investimento estrangeiro no desenvolvimento destes países, a performance das empresas estrangeiras é, atualmente, significativamente mais intensiva em tecnologia na Coreia do Sul, em comparação ao Brasil. Além de identificar este fenômeno, o texto levanta hipóteses explicativas para sua ocorrência. Apesar de existirem trabalhos clássicos que se concentram no modelo de desenvolvimento sul-coreano, comparando-o com o do Brasil, a maior parte se concentra na atuação das empresas locais. O diferencial deste artigo está em comparar e discutir o desempenho tecnológico das empresas estrangeiras (norte-americanas) em ambos os temas ainda pouco explorado na literatura.<hr/>The present article compares the technological performance of US enterprises in Brazil and South Korea. This analysis is based on the differences between the industrialization models adopted in those countries. While in Brazil industrialization was based on the attraction of multinational companies, South Korea historically based its development on the support of national companies and limited FDI until the 1990s. The article shows that the performance of foreign enterprises is technologically more intensive in South Korea compared to Brazil, and it offers an explanatory hypothesis to this phenomenon. Although a number of classical works compare the development models of Brazil and South Korea, this article innovates by focusing on the technological performance of foreign enterprises in those countries, a relatively unexplored subject in the literature. <![CDATA[Reflections on the brazilian banking industry: evidence of the formation of multinational financial institutions]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482014000200241&lng=en&nrm=iso&tlng=en Neste trabalho, o objetivo é caracterizar o movimento de internacionalização e formação de multinacionais bancárias brasileiras. Para isso, buscou-se identificar se a indústria bancária do país apresenta condições para criar esse tipo de conglomerado financeiro e quais são as instituições líderes e os primeiros passos rumo à internacionalização. Em seguida, discutem-se os fatores propulsores e inibidores do movimento de expansão e internacionalização. Os resultados indicam que tais processos existem, e as instituições envolvidas são o Banco do Brasil, Itaú/Unibanco e Bradesco. Os fatores propulsores são identificados como solidez institucional, reestruturação bancária dos anos 1990 - que deu solidez e forçou as instituições a repensarem seus negócios - e, o momento favorável da economia brasileira com o fortalecimento do mercado interno. Como inibidores surgem o risco gerado pela incerteza e instabilidade provocado pela crise financeira de 2008 que ainda não possui um desdobramento previsível.<hr/>The present paper discusses the process of internationalization and the emergence of Brazilian multinational banks. For this matter we discuss whether the banking industry has created prosperous conditions to financial conglomerates develop, identifies the leading institutions in the country, and describe the first steps taken towards internationalization. The paper also discusses the incentives and inhibitors to the international expansion of Brazilian banks. The results indicate that Bank of Brazil, Itaú/Unibanco and Bradesco are leaders. Incentive factors are the institutional robustness, the economic restructuring that took place in the 1990s and gave strength to national banks, and the momentum of Brazil's economy due to a stronger domestic market. Inhibitors are the threats posed by the uncertainty and the instability due to the financial crisis of 2008, with an unpredictable unfolding. <![CDATA[Types of commodities, exchange rate and economic growth: evidences from natural resource curse for Brazil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482014000200267&lng=en&nrm=iso&tlng=en A literatura sobre a maldição dos recursos naturais argumenta que a especialização das exportações em commodities acarreta menores taxas de crescimento econômico. Este trabalho sugere que esse resultado depende do tipo de commodity analisada. Para isso, utiliza a metodologia de Vetores Autorregressivos e Funções de Resposta aos Impulsos para investigar a existência de efeitos negativos das exportações de alimentos, matérias-primas, minerais e energia sobre o crescimento econômico e a taxa de câmbio real brasileira, com base no período 2000-2011. Os resultados sinalizam alguma evidência da maldição dos recursos naturais no Brasil, uma vez que alimentos, matérias-primas e minerais contribuíram para explicar as menores taxas de crescimento econômico e a apreciação cambial. Todavia, tais evidências são fracas, pois ocorrem com alguma defasagem e têm curta duração.<hr/>The natural resource curse literature argues that commodities exports promote lower economic growth rates. This paper suggests that this result depends on the type of commodity analyzed. This paper uses Vector Autoregressive and Impulse Response Functions to investigate the existence of negative effects between food, raw materials, minerals and energy exports on Brazilian economic growth and real exchange rate, based in period 2000-2011. The results indicate some evidence of the natural resources curse in Brazil, since food, raw materials and minerals contribute to explain the lower rates of economic growth and exchange rate appreciation. However, such evidence is weak because they occur with some lag and have short duration. <![CDATA[The effects of monetary policy on brazilian product: empirical evidence using signs restrictions]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482014000200296&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente trabalho tem por objetivo examinar os efeitos dos choques da política monetária sobre o Produto Interno Bruto (PIB) e sobre a produção industrial, usando, respectivamente, dados de periodicidades trimestral e mensal, cobrindo o período de 1995 a 2010. O método empregado foi o de Vetores Autorregressivos (VAR), tal como proposto por Uhlig (2005), que consiste em permitir que as dinâmicas do PIB e do produto industrial se ajustem livremente às restrições dos sinais das funções de impulso-resposta das demais variáveis do modelo. Os resultados obtidos revelam que choques na taxa de juros da política monetária produzem efeitos mais expressivos quando comparados com estudos anteriores. A decomposição histórica da variância mostra que os choques mantêm o PIB abaixo de sua tendência no período de 1996 a 2002, enquanto no caso do produto industrial, esse padrão ocorre em todo o período estudado.<hr/>This study aims to examine the effects of monetary policy shocks on quarterly GDP and monthly industrial production in Brazil, from 1995 to 2010. The method employed was Vectors Autoregression (VAR), as proposed by Uhlig (2005), which allows the dynamics of GDP and industrial production to freely adjust to the remaining variables' sign restrictions. The results show that shocks to the monetary policy variable produce effects of greater intensity when compared to previous studies. The historical variance decomposition shows that shocks have kept GDP below its trend during the period 1996-2002, whereas in the case of industrial product, this pattern occurs throughout the entire studying period. <![CDATA[Sistema financeiro, bancos e financiamento da economia: uma abordagem keynesiana]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482014000200317&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente trabalho tem por objetivo examinar os efeitos dos choques da política monetária sobre o Produto Interno Bruto (PIB) e sobre a produção industrial, usando, respectivamente, dados de periodicidades trimestral e mensal, cobrindo o período de 1995 a 2010. O método empregado foi o de Vetores Autorregressivos (VAR), tal como proposto por Uhlig (2005), que consiste em permitir que as dinâmicas do PIB e do produto industrial se ajustem livremente às restrições dos sinais das funções de impulso-resposta das demais variáveis do modelo. Os resultados obtidos revelam que choques na taxa de juros da política monetária produzem efeitos mais expressivos quando comparados com estudos anteriores. A decomposição histórica da variância mostra que os choques mantêm o PIB abaixo de sua tendência no período de 1996 a 2002, enquanto no caso do produto industrial, esse padrão ocorre em todo o período estudado.<hr/>This study aims to examine the effects of monetary policy shocks on quarterly GDP and monthly industrial production in Brazil, from 1995 to 2010. The method employed was Vectors Autoregression (VAR), as proposed by Uhlig (2005), which allows the dynamics of GDP and industrial production to freely adjust to the remaining variables' sign restrictions. The results show that shocks to the monetary policy variable produce effects of greater intensity when compared to previous studies. The historical variance decomposition shows that shocks have kept GDP below its trend during the period 1996-2002, whereas in the case of industrial product, this pattern occurs throughout the entire studying period.