Scielo RSS <![CDATA[Revista de Economia Contemporânea]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1415-984820120002&lang=en vol. 16 num. 2 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Notas em homenagem ao professor Antônio Barros de Castro</b><b> - seminário</b>: <b>o Brasil no espelho da China: as reflexões de Barros de Castro</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482012000200001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Antonio Barros de Castro's last lecture</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482012000200002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Seis dias antes de seu falecimento, o professor Antonio Barros de Castro proferiu a primeira aula de seu curso na pós-graduação do Instituto de Economia da UFRJ, a qual seria a última de sua vida. Nessa aula, apresentou sua atual agenda de pesquisa, que procurava articular os temas em que concentrava seu estudo e reflexão atuais - a ascensão da China no cenário mundial, a crise financeira do Ocidente e os desafios da economia brasileira diante deste novo mundo que está emergindo Apresentamos aqui uma síntese organizada das notas que tomamos daquela aula, acrescidas de algumas observações que contribuem para contextualizá-las no conjunto das preocupações de Castro.<hr/>Six days before his death, Professor Antonio Barros de Castro gave the first lecture of his graduate course at the Institute of Economics of the Federal University of Rio de Janeiro, which happened to be the last lecture of his life. He presented his current research agenda, whose main subjects were China's rise in the world economy, the financial crisis of the West and the challenges Brazil has been facing in this new emerging world. This article is intended to present a synthesis of the notes we took from China's last lecture, in addition to some personal comments that may help contextualise his ideas and current research agenda. <![CDATA[<b>Brazil as a mirror of China</b>: <b>new trends after the global financial crisis</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482012000200003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este trabalho analisa como a reação do governo chinês à crise financeira global afetou a América Latina, particularmente o Brasil. A despeito das intenções de reorientação do seu modelo de crescimento, a resposta chinesa à crise reforçou, pelo menos a curto e médio prazos, a dependência das exportações e dos investimentos. Em um quadro de lenta recuperação das economias centrais, passa ganhar destaque o acesso a mercados mais dinâmicos, como os países emergentes. Assim, para além do papel de fornecedora de recursos naturais, as economias latino-americanas passam a ter uma importância renovada como destino das exportações de manufaturas e capitais chineses. Países com estruturas produtivas mais maduras e diversificadas, como o Brasil, irão deparar-se com o risco de um processo de regressão em seus padrões de especialização.<hr/>This paper analyses how China's response to the global financial crisis (GFC) has affected Latin American countries, particularly Brazil. We argue that, despite the intentions of a growth model re-orientation, Chinese policymakers' response to the GFC, at least in the short and medium terms, will reinforce the previous reliance on exports and investments. Considering the sluggish recovery in advanced economies, that strategy will amplify Chinese pressures to access dynamic domestic markets in emerging countries. In this context, Latin America will represent not only a source of natural resources, but also an increasingly important market for Chinese manufactured products. As a result, countries with more diverse productive might experience a regressive pattern of specialization. <![CDATA[<b>The hukou system and migration in China</b>: <b>some notes on the division of labour</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482012000200004&lng=en&nrm=iso&tlng=en O principal objetivo deste artigo é analisar as novas condições de trabalho na China e sua importância para o recente desenvolvimento econômico do país. Para tanto, nos concentramos nas relações e condições de trabalho dos trabalhadores migrantes do país, que constituem a maioria da força de trabalho empregada nas empresas com fundos externos, assim como nas companhias privadas que atuam no leste e sudoeste do país. Nossa proposta é mostrar, ao menos parcialmente, como as mudanças recentes e a divisão do trabalho histórica entre campo e cidade na China geraram as condições singulares da força de trabalho do país. A reforma agrária e o sistema de registro de residência (chamado hukou em chinês) juntamente com o grande volume de investimentos feitos depois do início das reformas geraram o maior fluxo migratório interno que o mundo já viu.<hr/>The main purpose of this paper is to analyze the new labour conditions in China and its importance on the countryís recent economic development. For that matter we focus on the labour conditions and labour relations of the migrant workers, who are the majority of the labour force employed by the foreign funded enterprises in China, as well as by the private companies working on the east and southeast regions of China. We aim at showing, at least partially, how the recent changes and the countryís historical division between the urban and rural areas shaped some of the unique conditions of Chinese labor force. The land reform and the household registration system (called hukou in Chinese), along with the huge amount of investments made after the adoption of the reforms, produced the biggest internal migration flux that the world has ever seen. <![CDATA[<b>Who's afraid of China</b>: <b>analysis and implications for the major Brazilian states</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482012000200005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este trabalho busca examinar os impactos da expansão da China no comércio mundial sobre os estados brasileiros. A principal hipótese considerada aqui é que tais impactos variam de acordo com o padrão de especialização produtiva e comercial dos diversos estados. Neste sentido, regiões exportadoras de produtos primários teriam sido as mais beneficiadas pela expansão chinesa e a consequente elevação da demanda e dos preços internacionais de commodities ao longo da última década, ao passo que estados produtores e exportadores de bens manufaturados tenderiam a sofrer mais fortemente a concorrência da China, tanto no mercado internacional quanto no doméstico. Para avaliar tal questão, o perfil exportador dos principais estados brasileiros foi analisado, e as exportações estaduais foram classificadas de acordo com seu conteúdo tecnológico. Utilizando tal classificação, foram construídos índices de qualidade das exportações para cada estado estudado. Além disso, o perfil exportador dos estados foi avaliado em comparação ao da China, calculando-se os coeficientes de especialização para cada estado em relação à China, e foi analisada a correlação entre esses coeficientes e as taxas de crescimento econômico estadual durante o período 1996-2009. Os resultados sugerem que o crescimento econômico dos estados brasileiros no período recente foi influenciado positivamente pela complementaridade em relação à pauta de exportações da China, devido a sua demanda crescente por commodities agrícolas e minerais. Assim, os estados produtores e exportadores de matérias-primas tenderam a crescer acima da média nacional no período.<hr/>This paper examines the impacts of China's expansion in international trade on Brazilian states. The main hypothesis of the study is that such impacts vary according to the pattern of trade specialization of the several states. In this case, commodity-export regions would have benefited the most from the Chinese expansion and the consequent raise in international demand and prices of commodities in the 2000s, whereas producers and exporters of manufactured goods would tend to face competition with China, both in domestic and international markets. In order to address this issue, the export profile of the main Brazilian states was analyzed, and exports were classified according to their technological content. Based on this classification, we built indexes of export quality for each state. In addition, the pattern of export specialization of Brazilian states was analyzed in comparison to the one of China. We calculated coefficients of specialization for each state in relation to China, and investigated the correlation between these coefficients and economic growth rates for the period of 1996-2009. Results suggest that economic growth in Brazilian states has been strongly influenced by the degree of complementarity in relation to the Chinese exports, and its growing demand for agricultural and mineral commodities. Thus, states which produce and export raw materials tended to grow above the national average between 2000 and 2009. <![CDATA[<b>Is China only assembling parts and components?</b>: <b>the recent spurt in high tech industry</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482012000200006&lng=en&nrm=iso&tlng=en The purpose of this paper is to evaluate to which degree China is climbing up the technology ladder and increasing its domestic content in high tech industry. More specifically, we will assess whether China has increased its share in world trade of high tech goods and, at the same time, increased its domestic content, changing its role from a mere final assembler to a producer of more intense technology goods. We have built an indicator of domestic value added calculated as the difference between exports of final goods and imports of its parts and components. The main conclusion is that this measure has increased significantly since the early 1990ís, putting in evidence the profound changes that occurred in Chinaís high tech exports in the last two decades.<hr/>O objetivo deste artigo é avaliar até que ponto a China vem evoluindo ao longo da cadeia tecnológica e aumentando o conteúdo doméstico de sua indústria de alta tecnologia. Especificamente, será avaliado se a China aumentou sua participação no comércio mundial de bens relativamente intensivos em tecnologia e, ao mesmo tempo, elevou seu conteúdo doméstico, transformando seu papel de mero montador de bens finais para o de produtor de bens mais intensivos em tecnologia. Foi construído um indicador de valor doméstico agregado calculado como a diferença entre as exportações de bens finais e as importações de partes e componentes. A conclusão principal é que esse indicador elevou-se significativamente desde o início da década de 1990, pondo em evidência as profundas modificações operadas nas exportações chinesas nas duas últimas décadas. <![CDATA[<b>Understanding <i>guanxi</i> and its influence on international relations</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482012000200007&lng=en&nrm=iso&tlng=en A influência do crescimento econômico chinês em nível global vai além dos impactos econômicos e financeiros nos países. As organizações que realizam Investimento Direto Estrangeiro na China e as empresas chinesas que investem no exterior lidam com um aspecto em comum: o guanxi. Enquanto "o que você sabe" é valorizado na cultura ocidental, na China a ênfase está em "quem você conhece", ou seja, nas conexões sociais com autoridades e outros indivíduos. Este estudo tem como objetivo proporcionar um esclarecimento teórico sobre o que é guanxi, evidenciando as suas origens na China, as principais características intrínsecas do construto e como um ocidental pode desenvolver guanxi, tornando-o um ativo intangível para a sua organização. Além disso, algumas pesquisas que comprovam a relação do guanxi com os fluxos de IDE, com o desempenho empresarial e com os modelos de financiamento no Brasil foram apresentadas.<hr/>The influence of Chinese economic growth at the global level goes beyond the financial and economic impacts in the countries. The organizations that carry out Foreign Direct Investment (FDI) in China and Chinese companies investing abroad deal with one thing in common: guanxi. While "what you know" is valued in Western culture, in China the emphasis is on "who you know", ie, the social connections with authorities and others. Therefore, this study aims to provide a theoretical clarification about what is guanxi, showing its origins in China, the main intrinsic characteristics of the construct, and how a Westerner can develop guanxi, making it an intangible asset to your organization. Furthermore, some studies that show the relationship between guanxi with FDI flows, corporate performance and financing models in Brazil were presented. <![CDATA[<b>The evolution of food consumption in China and its effects on the Brazilian agricultural exports</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482012000200008&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo tem o intuito de avaliar as mudanças no consumo de alimentos na China e seu impacto sobre as exportações agroindustriais brasileiras. O crescimento econômico chinês provocou nas últimas décadas importantes mudanças na estrutura mundial da demanda por alimentos. Em decorrência dessas transformações, ocorreram importantes aumentos das exportações brasileiras de origem agrícola para a China. As análises apresentadas no trabalho baseiam-se na sistematização de informações sobre o consumo disponíveis no site da Food and Agriculture Organization of the United Nations (FAO) e sobre o comércio exterior do Brasil fornecidas pela Secretaria de Comércio Exterior (SECEX) e pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Dentre os resultados encontrados, podem ser destacadas a redução já observada do dinamismo em muitos dos mercados de alimentos na China, a baixa penetração das importações nos mercados chineses de alimentos para uso humano e a forte concentração das exportações agroindustriais brasileiras para o país em um número pequeno de cadeias produtivas.<hr/>This paper analyzes the changes in food consumption in China and its impact on Brazilian agribusiness exports. Chinese economic growth in recent decades has caused major structural changes in world demand for food and huge increases in Brazilian exports of agricultural origin to China. The analysis is based on consumption information made available by FAO and the foreign trade of Brazil provided by SECEX. We have analyzed the data on Chinese consumption of most food products and by contrasting them with the path of consumption in richer countries, searched for evidences of market saturation. The main findings are: (i) evidences of declining growth rates in most food markets in China; (ii) for some very important foodstuffs, the achievement of consumption levels close to the Japanese and Korean standards; (iii) low penetration of imports in the Chinese markets of final food products for human use; and (iv) high concentration of Brazilian agribusiness exports to the country in a small number of productive chains. <![CDATA[<b>Contributions of Mao Zedong era for chinese industrialization</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-98482012000200009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo busca resgatar algumas reformas realizadas por Mao Tsé-Tung (1949-1976) para o processo de industrialização chinesa. Usualmente quando se analisa este processo de industrialização parte-se da Reorientação da Estratégia de Desenvolvimento de Deng Xiaoping a partir de 1978; no entanto, será argumentado que o legado deixado por Mao Tsé-Tung foi fundamental para garantir a acelerada modernização industrial vivenciada no período seguinte.<hr/>The main purpose of this paper is to present some of Mao Zedong's contributions to the industrialization process of China. Usually China's industrial transformation is analized taking the year 1978 and Deng Xiaoping as a starting point; however, we argue that the economic reforms introduced by Mao Zedong helped underpin the success obtained by Deng Xiaoping's industrial transformation after 1978.