Scielo RSS <![CDATA[Revista CEFAC]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1516-184620120050&lang=en vol. num. AHEAD lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>The generalization through the treatment with fricatives</b>: <b>favorable environments versus unfavorable and neutral environments</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462013005000016&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo deste estudo foi analisar e comparar a ocorrência e os tipos de generalização observados a partir do tratamento das fricativas /z/, /ζ/ e /k/ em dois grupos de crianças, um utilizando palavras com contextos fonológicos favoráveis e outro os contextos pouco favoráveis e neutros. Seis crianças com desvio fonológico e idades entre 4:7 e 7:8 participaram do estudo com a autorização dos responsáveis. Realizaram-se avaliações fonoaudiológicas e complementares para o diagnóstico do desvio fonológico. Os sujeitos foram pareados de acordo com a gravidade do desvio, sexo, faixa etária e aspectos do sistema fonológico em relação aos fonemas alterados. Metade das crianças foi tratada com palavras em que os fonemas /z/, /ζ/ e /k/ encontravam-se em ambientes fonológicos favoráveis e a outra metade com ambientes pouco favoráveis e neutros. Foram realizadas oito sessões e, após estas, nova avaliação de fala foi realizada para verificar os tipos de generalização obtidos. Os percentuais de generalizações foram comparados entre os grupos por meio do teste estatístico de Mann-Whitney (p<0.05). Ao término da terapia, observou-se aumento dos percentuais de generalização para todos os sujeitos. Na comparação entre os grupos não foi verificada diferença estatística para as generalizações analisadas. Entretanto, houve vantagem do grupo favorável em relação às generalizações "para outra posição na palavra" e "dentro de uma classe de sons". Os resultados obtidos podem estar relacionados ao pequeno número de sujeitos ou a outros fatores mencionados no artigo.<hr/>The aim of this study was to analyze and compare the occurrence and the types of generalization observed through the treatment of the fricatives /z/, /ζ/ and /k/ in two groups of children, one using words with favorable phonological contexts and another with unfavorable and neutral contexts. Six children with phonological disorder between 4:7 and 7:8 year-old participated in the study, with their parents' authorization. There were speech-language and complementary evaluations to diagnose the phonological disorder. The subjects were matched according to the severity of the phonological disorder, sex, age and aspects of the phonological system in relation to the altered phonemes. Half the children were treated with words in which the phonemes /z/, /ζ/ and /k/ were in favorable phonological environments and the other half with unfavorable and neutral environments. There were eight sessions and, after them, a new speech evaluation was performed in order to verify the types of generalization that were obtained. The generalization percentages were compared between the groups by statistical test Mann-Whitney (p<0.05). At the end of therapy, it was observed an increasing in generalization percentage for all the subjects. In the comparison between the groups, no statistical difference was found to the analyzed generalizations. However, there was an advantage to for the favorable group regarding to the generalizations "to another position in the word" and "inside a sound class". The obtained results can be related to the small number of subjects or to other factors mentioned in the article. <![CDATA[<b>Evaluation of pragmatic aspects of children with phonological disorders</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462013005000030&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: investigar as habilidades pragmáticas em crianças com desvio fonológico. MÉTODO: por meio de triagem fonoaudiológica foram selecionadas 12 crianças com diagnóstico de desvio fonológico, com idades entre 3:7 e 7:8, sendo três do sexo feminino e nove do sexo masculino. Foi realizada análise dos aspectos pragmáticos destas crianças, utilizando-se o instrumento ABFW - pragmática. Além disso, as crianças foram classificadas de acordo com a gravidade do desvio fonológico por meio de uma abordagem quantitativa - Percentual de Consoantes Corretas-Revisado e outra qualitativa. RESULTADOS: não foi encontrada correlação estatisticamente significante entre gravidade do desvio fonológico e desempenho pragmático. Os sujeitos com desvio fonológico apresentaram número de atos comunicativos por minuto inferior aos parâmetros oferecidos pelo teste, de acordo com cada faixa etária. CONCLUSÃO: a partir dos resultados obtidos não foi possível afirmar que existe uma relação significante entre a gravidade do desvio fonológico e o desempenho pragmático, no entanto, estes sujeitos apresentam desempenho inferior aos parâmetros do teste.<hr/>PURPOSE: to investigate the pragmatic abilities in children with phonological disorder. METHOD: 12 children (three girls and nine boys) with phonological disorders aged from 3:7 to 7:8 were chosen by triage. Pragmatic analysis was executed using the instrument ABFW - pragmatic through speech and hearing screening. Furthermore, we calculated the level of severity of the phonological evolutionary disorder using a quantitative - Percentage of Consonants Correct - Revised (Shiriberg & Kwiatkowski, 1982) and a qualitative approach (Keske-Soares, 2001). RESULTS: there are no statistically significant correlation between the level of severity of the phonological disorder and pragmatic performance. However, we observed that subjects with phonological disorder showed a number of communicative acts per minute lower than the default values of the test when ranged by age group. CONCLUSION: based on the results, it is not possible to state a direct relationship between level of severity of the phonological disorder and pragmatic performance even if these subjects have a lower performance than the default values of the test. <![CDATA[<b>Characterization of uncommon repair strategies used by a group of children with phonological disorders</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462013005000031&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: caracterizar e analisar o uso das estratégias de reparo incomuns por crianças com desvio fonológico e relacionar a sua utilização com as variáveis faixa etária e sexo; e com as variáveis linguísticas grau do desvio, estrutura silábica, classe de sons e posição na palavra. MÉTODO: os dados são provenientes do banco de dados do Centro de Estudos de Linguagem e Fala da Universidade Federal de Santa Maria, todos os sujeitos apresentam Termo de Consentimento Livre e Esclarecido autorizando o uso dos dados em pesquisas. Foram selecionados os dados de 178 sujeitos que apresentaram diagnóstico de desvio fonológico e idade entre 4:0-7:11. Foram analisados os resultados da primeira avaliação fonológica da criança. RESULTADOS: houve significância estatística na relação entre a utilização ou não de estratégias de reparo incomuns na amostra estudada, predominando a não utilização. Foi significante a relação entre a utilização de tais estratégias e a faixa etária, com predomínio na faixa de 5:0-5:11, e o grau do desvio, com maior ocorrência no desvio moderadamente-grave. A relação entre as classes de sons também foi significante, predominando a classe das fricativas. Observou-se ocorrência de estratégias de reparo incomuns apenas na posição de onset, sendo a estrutura consoante vogal a única encontrada no estudo. CONCLUSÃO: verificou-se que as estratégias de reparo incomuns são pouco utilizadas por crianças com desvio fonológico. Além disso, encontrou-se relação significante entre a utilização de estratégias de reparo incomuns e as variáveis faixa etária, grau do desvio fonológico e classes de sons.<hr/>PURPOSE: to verify and identify the use of uncommon repair strategies in children with phonological disorders, relating the use of those to age and gender variables to linguistic variables such as degree of deviation, syllable structure, classification of the sounds and the position of the word. METHOD: the data are taken from a database of the Department of Language and Speech studies of the Federal University of Santa Maria. We selected the data according to these criteria: diagnosis of phonological disorder, ages from 4:0 to 7:11, and the ones who were allowed to participate by signing the consent form. The results obtained at the first phonological assessment of the child were analyzed. RESULTS: there were significant differences in the use of the uncommon repair strategies in our sample, as well as the relationship between the use of those strategies and age, mainly between the ages from 5:0 to 5:11, and the degree of deviation with more occurrences in the moderate-severe disorder. It was also obtained a significant relation between the classes of sounds, with predominant use of the fricatives. An occurrence of the unusual repair strategies in onset position was observed, being the consonant-vowel the only structure found. CONCLUSION: it was found that the unusual repair strategies are not widely used by children with phonological disorders. In addition, it was found a significant relationship between the use of repair strategies and unusual variables, such as age, grade of phonological disorders and classes of sounds. <![CDATA[<b>The relationship between the lack of stapedial muscle reflex and the presence of (central) auditory processing disorders</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462013005000040&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: caracterizar e relacionar os achados do reflexo acústico do músculo estapédio em indivíduos com diagnóstico de distúrbios do processamento auditivo (central). MÉTODO: pesquisa transversal descritiva retrospectiva, submetida e aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa, sob o protocolo nº 0047/11. Amostra constituiu-se de 83 prontuários de indivíduos de ambos os gêneros (57 masculino e 26 feminino) que apresentaram alteração na avaliação do processamento auditivo (central) associada à ausência do reflexo acústico. RESULTADOS: os resultados demonstraram numericamente que as frequências com maior número de ausência do reflexo acústico, tanto na pesquisa contralateral quanto na ipsilateral, foram 4KHz, 3KHz e 500Hz respectivamente, para ambos os gêneros, mas, sem diferença significante no tratamento estatístico. Também, em ambos os grupos, as habilidades auditivas que apresentaram maior frequência de alterações foram figura fundo e ordenação temporal, que sobressaíram em número quando comparadas com as demais habilidades, e sem diferença significante no tratamento estatístico realizado com os testes de Fisher, Quiquadrado e Anova. CONCLUSÃO: os resultados da presente pesquisa nos levam a concluir que as estruturas do sistema nervoso auditivo central responsáveis pelo sistema do arco reflexo do músculo estapédio, também relacionam-se aos mecanismos fisiológicos auditivos das habilidades auditivas, o que evidencia a possível relação entre a ausência do RA com alterações do distúrbio do processamento auditivo (central).<hr/>PURPOSE: to characterize and relate the findings of the acoustic reflex of the stapedial muscle in individuals diagnosed with Auditory Processing Disorder. METHOD: descriptive retrospective cross-sectional research submitted and approved by the Ethics in Research Committee, under protocol number 0047/11. The sample consisted of 83 individuals (57 males and 26 females), who showed abnormalities in auditory processing associated with the absence of acoustic reflex. RESULTS: the results showed that the frequencies which lack more in the acoustic reflex both in the ipsilateral and in contralateral research were 4000 Hz, 3000 Hz and 500 Hz, respectively for both, but without significant difference in the statistical analysis. Also, in both groups the auditory skills which presented more change frequency were the speech in noise and temporal ordering which called the attention to their number when compared to other skills without significant difference in the statistical analysis performed by the Fisher, chi-square and ANOVA tests. CONCLUSION: with shown results we can conclude that the nervous system structures for the central hearing are responsible for the bridge reflex system of the stapedial muscle, which also relate to the acoustic physiologic of the auditory skills which shows a possible relation to the lack of RA to the changes of the disorder of the (central) auditory processing. <![CDATA[<b>The use of electroglottography, electromyography, spectrography and ultrasound in speech research </b>: <b>theoretical review</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462013005000049&lng=en&nrm=iso&tlng=en O emprego de novas tecnologias na avaliação e terapia de fala a partir de uma revisão de artigos publicados nos últimos 5 anos é o tema deste estudo, que tem por objetivo realizar uma revisão bibliográfica dos estudos nacionais e internacionais que utilizaram os recursos: eletroglotografia, espectrografia, ultrassonografia e eletromiografia na avaliação e terapia das alterações de fala. Existe um crescente interesse da inserção desses recursos nos estudos de fala, contudo, os trabalhos existentes que os correlacionam ainda são escassos.<hr/>The use of new technologies in the evaluation and speech therapy from a review of articles published over the past 5 years is the theme of this study which also has as a purpose to conduct a literature review of national and international studies that used the keywords: electroglottography, spectrography, ultrasonography and electromyography in the evaluation and therapy of speech disorders. There is a growing interest in the integration of these resources in studies of speech; however, the existing studies that correlate the assessment are still scarce. <![CDATA[<b>Phonological changes obtained by treatment based on ABAB-Withdrawal and Multiple-Probes Approach in different severity levels of phonological disorders</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462013005000053&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBEJTIVO: analisar as mudanças fonológicas obtidas (sistema fonológico, inventário fonético e alterações de traços distintivos) pré e pós-tratamento utilizando o Modelo ABAB-Retirada e Provas Múltiplas em diferentes gravidades do desvio fonológico. MÉTODO: foram realizadas avaliações fonoaudiológicas em oito crianças com diferentes gravidades do desvio fonológico, cuja média de idade no início do tratamento era de 5:5. Todos receberam tratamento fonológico pelo Modelo "ABAB-Retirada" e Provas Múltiplas. Foram analisadas as evoluções quanto ao inventário fonético, sistema fonológico e alterações nos traços distintivos. RESULTADOS: todas as gravidades apresentaram evoluções no sistema fonológico. CONCLUSÕES: os desvios fonológicos graves apresentaram maiores evoluções.<hr/>PURPOSE: to analyze the phonological changes obtained (phonological system, phonetic inventory and distinctive features alterations) pre and post-treatment by ABAB-Withdrawal and Multiple Probes Approach in different severity levels of phonological disorders. METHOD: the diagnosis was determined by the phonoaudiological evaluation in eight children with different severity level of phonological disorders, whose average age was 5:5 in the beginning of the treatment. All of them were treated by ABAB-Withdrawal and Multiple Probes Approach. It was analyzed the phonetic inventory, phonological system and distinctive features alterations. RESULTS: all severity levels of phonological disorders demonstrated some improvement in the phonological system. CONCLUSIONS: the severe phonological disorders presented the highest improvement among the different levels. <![CDATA[<b>Repair strategies employed in the production of affricates by children with speech disorders</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462013005000054&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBEJTIVO: investigar a ocorrência e os tipos de estratégias de reparo empregadas por crianças com desvio fonológico na produção das africadas, comparando-as entre si e quanto às variáveis faixa etária e gravidade do desvio. MÉTODO: critérios de inclusão: idade entre 4:0 e 7:11; autorização para participar da pesquisa; diagnóstico de desvio fonológico e não ter adquirido os alofones [t<img border=0 width=32 height=32 id="_x0000_i1026" src="../../../../../img/revistas/rcefac/nahead1113/10-12img06.jpg" align=absmiddle>] e/ou [d<img border=0 width=32 height=32 id="_x0000_i1027" src="../../../../../img/revistas/rcefac/nahead1113/10-12img02.jpg" align=absmiddle>][d<img border=0 width=32 height=32 id="_x0000_i1028" src="../../../../../img/revistas/rcefac/nahead1113/10-12img02.jpg" align=absmiddle>], utilizando estratégias de reparo com porcentagem igual ou superior a 40%. De 197 crianças, atenderam aos critérios da pesquisa 34. Analisou-se a primeira avaliação fonológica e determinou-se a gravidade do desvio fonológico por meio do Cálculo do Percentual de Consoantes Corretas-Revisado. RESULTADOS: não houve diferença estatística em relação aos tipos de estratégias de reparo predominantes para a africada [t<img border=0 width=32 height=32 id="_x0000_i1029" src="../../../../../img/revistas/rcefac/nahead1113/10-12img06.jpg" align=absmiddle>]. Contudo, essa diferença ocorreu para [d<img border=0 width=32 height=32 id="_x0000_i1030" src="../../../../../img/revistas/rcefac/nahead1113/10-12img02.jpg" align=absmiddle>], sendo a dessonorização mais frequente. Quanto ao emprego de estratégias de reparo, em todos os cruzamentos realizados, percebeu-se uma tendência no predomínio do uso de estratégias para a africada [d<img border=0 width=32 height=32 id="_x0000_i1031" src="../../../../../img/revistas/rcefac/nahead1113/10-12img02.jpg" align=absmiddle>]. Não foi encontrada relação significante na comparação do emprego de estratégias de reparo entre os graus do desvio fonológico e faixas etárias. CONCLUSÃO: a ocorrência de estratégias de reparo para os alofones africados é baixa, sendo o alofone sonoro mais acometido do que seu par surdo, o que também foi encontrado na relação com a gravidade do desvio fonológico e as faixas etárias, porém sem significância estatística.<hr/>PURPOSE: to investigate the occurrence and the types of repair strategies employed by children with speech disorders in the production of affricates, comparing them with each other and variables such as age and speech disorder severity. METHOD: inclusion criteria: age from 4:0 to 7:11; authorization for participating in the research; diagnosis of speech disorder and not having acquired allophones [t<img border=0 width=32 height=32 id="_x0000_i1033" src="../../../../../img/revistas/rcefac/nahead1113/10-12img06.jpg" align=absmiddle>] and [d<img border=0 width=32 height=32 id="_x0000_i1034" src="../../../../../img/revistas/rcefac/nahead1113/10-12img02.jpg" align=absmiddle>], using repair strategies with percentage equal or greater than 40%. Out of 197 children, 34 met the research criteria. The first phonological evaluation was analyzed and the speech disorder severity was defined through the Percentage of Correct Consonants-Revised. RESULTS: no statistical significance was found concerning the types of repair strategy predominant by the affricate [t<img border=0 width=32 height=32 id="_x0000_i1035" src="../../../../../img/revistas/rcefac/nahead1113/10-12img06.jpg" align=absmiddle>]. However, this difference was statistical significant for [d<img border=0 width=32 height=32 id="_x0000_i1036" src="../../../../../img/revistas/rcefac/nahead1113/10-12img02.jpg" align=absmiddle>], being the devoicing more frequent. Regarding the employment of repair strategies, in all performed crossings, we noticed a trend to the prevalence of repair strategies to use the affricate [d<img border=0 width=32 height=32 id="_x0000_i1037" src="../../../../../img/revistas/rcefac/nahead1113/10-12img02.jpg" align=absmiddle>]. No statistical significance was found in the comparison of the repair strategies among the severity degrees of phonological disorder and ages. CONCLUSION: the occurrence of repair strategies to the affricate allophones is low, being the voiced allophone more affected than its voiceless pair. That occurrence was also found in the relationship with the phonological disorder severity and ages, however without statistical significance. <![CDATA[<b>Aspects of speech fluency in children with or without evolutive phonological disorder</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462011005000063&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: descrever e comparar os padrões de fluência da fala de crianças com e sem desvio fonológico evolutivo. MÉTODO: a amostra foi constituída de 20 sujeitos com idades entre 4:6 e 7:6 anos, sendo 10 crianças com diagnóstico de desvio fonológico evolutivo e 10 com desenvolvimento fonológico típico. Os sujeitos de ambos os grupos foram submetidos a uma avaliação da fluência da fala que faz parte do Teste de Linguagem Infantil-ABFW. Com base neste protocolo, analisaram-se as tipologias das rupturas do fluxo de fala, as quais são classificadas como disfluências comuns e disfluências gagas. Foi realizado o cálculo da freqüência de rupturas da fala e da porcentagem de disfluências gagas. Por meio deste teste também se analisou a velocidade de fala, medindo-se o fluxo de palavras e de sílabas por minuto. RESULTADOS: não houve diferença estatisticamente significante entre os grupos quanto às variáveis analisadas. Contudo, pode-se perceber que o grupo com desvio fonológico evolutivo apresentou maiores médias do que o grupo com desenvolvimento fonológico típico na maioria das variáveis, com exceção do fluxo de sílabas e palavras por minuto. Quanto à velocidade de fala, no que se refere ao fluxo de sílabas por minuto houve uma tendência de um menor fluxo no grupo com desvio fonológico evolutivo. CONCLUSÃO: no grupo estudado, crianças com desvios fonológicos evolutivos e crianças com desenvolvimento fonológico típico não diferem quanto aos aspectos de fluência de suas falas.<hr/>PURPOSE: to describe and to compare the fluency patterns of children speech with or without evolutive phonological disorder. METHOD: the sample was made up by 20 subjects aged between 4:6 and 7:6; 10 with diagnosis of evolutive phonological disorder and 10 with a typical speech development. The subjects of both groups were submitted to speech fluency evaluation, which is part of the Language Test for Young Children - ABFW. Based on this protocol, we analyzed the typologies of speech flow ruptures, which are classified as common disfluency and stutterer's non-fluency. We calculated the speech rupture frequency and the percentage of stutterer's disfluency. Through this test we also analyzed the speech speed, measuring the flow of words and syllables per minute. RESULTS: there was no statistically significant difference between the groups related to the analyzed variables. However, we could perceive that in all variables, except for the flow of words and syllables per minute, that the group with evolutive phonological disorder shows higher averages than the group with typical phonological development. As for the speech speed, there seems to be a mild trend for the flow of syllables per minute, in which the group with evolutive phonological development showed a lower flow value. CONCLUSION: we were able to verify that there is a trend to occur disfluency in the group of children with evolutive phonological development, as well as a slower speech in all subjects making up this group. <![CDATA[<b>Acoustic characterization of the voicing of plosives phones in Brazilian Portuguese</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462011005000143&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: investigar e comparar as características acústicas das plosivas surdas e sonoras na fala de crianças com desenvolvimento fonológico típico e, de adultos com padrões de fala típicos da língua. MÉTODO: a amostra do estudo é composta por dois grupos - 17 adultos e 11 crianças com desenvolvimento fonológico típico. Por meio de palavras/pseudopalavras (['papa], ['baba], ['tata], ['dada], ['kaka] e ['gaga]) inseridas em frases-veículo ("Fala ___ papa de novo"), mediu-se o voice onset time, a duração da vogal, a amplitude do burst e a duração da oclusão. Foram comparados os registros acústicos de plosivas surdas e sonoras intra e intergrupo por meio de testes estatísticos (p<0,05). RESULTADOS: em geral, observou-se que: (1) o voice onset time foi maior para as plosivas sonoras em comparação às surdas; (2) a duração da vogal quando seguida ou precedida por uma plosiva sonora foi mais longa do que diante de uma plosiva surda; (3) a amplitude do burst foi levemente superior durante a produção dos segmentos sonoros e; (4) a duração da oclusão se mostrou superior no contexto de plosivas surdas. Também se observou que adultos e crianças apresentam muitas similaridades em relação à produção desses parâmetros. CONCLUSÃO: pode-se concluir que as pistas acústicas investigadas apresentam-se como fortes parâmetros envolvidos na caracterização do contraste de sonoridade das plosivas. Além disso, os resultados também indicam muitas semelhanças entre adultos e crianças com padrões fonológicos típicos. No entanto, quando algumas diferenças são evidentes, essas ocorrem na posição de sílaba átona e medial.<hr/>PURPOSE: to investigate and compare the acoustic characteristics of voiceless and voiced plosives in the speech of children with typical phonological development and adults with typical language speech patterns. METHOD: the study's sample is arranged in two groups - 17 adults and 11 children with typical phonological development. Through words/pseudowords (['papa], ['baba], ['tata], ['dada], ['kaka] and ['gaga]) inserted into carrier phrases ("Say ___ papa again"), the voice onset time, the length of the vowel, and we measured the burst amplitude and the length of the occlusion. The acoustic records of voiceless and voiced plosives intragroup and intergroup were compared through statistical tests (p<0.05). RESULTS: in general, the results suggest that: (1) the voice onset time was longer for voiced plosives when compared to the voiceless plosives; (2) the vowel length when followed or preceded by a voiced plosive was longer than in front of a voiceless plosive; (3) the burst amplitude was slightly superior during the production of voiced segments and; (4) the length of the occlusion was superior in the context of voiceless plosives. Furthermore, the adults and children showed many similarities related to the production of these parameters. CONCLUSION: the investigated acoustic cues present themselves as strong parameters involved in the characterization of plosives voicing contrasts. Furthermore, the results also indicate many similarities among adults and children with typical phonological patterns. However, when some differences are evident, they occur on medial and unstressed syllables. <![CDATA[<b>Relevant variables in the therapeutic process for the consonant clusters acquisition in the speech of children with phonological disorder</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462012005000049&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: apresentar variáveis relevantes no processo terapêutico de aquisição do onset complexo (OC) em crianças que realizam a simplificação dessa estrutura. MÉTODO: participaram do estudo quatro crianças com diagnóstico de desvio fonológico (DF), com idades entre 5:4 a 7:7, que utilizavam a estratégia de alongamento compensatório (EAC), possuíam [r] e [l] no seu inventário fonético e realizavam a simplificação do OC. As crianças foram submetidas a diferentes modelos terapêuticos e, a partir dos dados obtidos nas sondagens, realizaram-se análises das variáveis linguísticas e extralinguísticas relevantes durante o processo terapêutico. A análise dos dados de fala foram realizadas por meio do programa estatístico VARBRUL. RESULTADOS: a variável gravidade do desvio foi a que o programa selecionou como relevante para a produção correta do OC, para sua simplificação e para a distorção da líquida da estrutura. Ele apontou que quando o sujeito é submetido à terapia articulatória (TA), há maior probabilidade de ocorrência de produção correta de CCV, realização de distorção e metátese. O fonema /d/ se mostrou favorecedor da estratégia de metátese. A substituição da líquida foi influenciada pela variável sujeito e pelo tipo de líquida formadora do OC. CONCLUSÃO: quanto às variáveis, a gravidade do DF mostra-se importante tanto para o sucesso da terapia (produção correta de CCV), como para o uso de estratégias de reparo. Observou-se que aplicar tipos de terapia distintos faz com que as crianças respondam de forma diferenciada a cada um deles, com melhor desempenho na TA.<hr/>PURPOSE: to provide relevant variable aspects in the therapeutic process of consonant clusters (CC) acquisition in children but maintains the CCV simplification. METHOD: four children diagnosed with phonological disorders, aged 5:4 to 7:7 took part in the study, using the strategy of compensatory lengthening, having [r] and [l] in the phonetic inventory and performed to simplify the CC. Children were subjected to different speech therapies, and from data obtained in those we obtained reviews of linguistic and extra-linguistic variables that are relevant for therapy. Data were analyzed using the VARBRUL statistic program. RESULTS: the program selected the variable 'severity’ of the disorder as being relevant for the appropriate production, CC simplification and for the distortion of the CC liquid. There was highlighted the highest possibility of correct production of CCV when the subject is under phonetic therapy. The /d/ phoneme enhances the metathesis strategy. The replacement of the liquid was due to the variable 'subject’ and the kind of liquid forming the CC. CONCLUSION: the variable 'severity’ is very relevant to the success of the therapy as well as to the use of strategies to repair the problem. It was also observed that children who were under different kinds of therapies had different results to each of the therapies and had better performance using the phonetic therapy. <![CDATA[<b>Phonological evolution of children with speech disorders submitted to different therapeutic approaches</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462012005000071&lng=en&nrm=iso&tlng=en No Português Brasileiro, aproximadamente entre 4 ou 5 anos de idade, a criança já adquiriu todos os fonemas do sistema fonológico adulto. Porém, este processo nem sempre ocorre de acordo com o esperado, verificando-se afastamentos/desvios na aquisição dos sons da fala. O objetivo deste trabalho foi verificar e comparar a evolução do sistema fonológico de crianças com desvio fonológico submetidos à terapia fonológica, acrescida ou não de estimulação das habilidades práxicas orofaciais. A amostra foi composta por seis sujeitos (três meninas e três meninos), com idades entre 5:4 e 7:0 no início da terapia. Os sujeitos foram divididos em três grupos, recebendo todos terapia fonológica, sendo os do grupo estudo tratados com estimulação de habilidades práxicas de face e língua (GFoLFa), e com exercícios de habilidades práxicas de língua (GFoL), e o grupo controle submetido apenas à terapia fonológica (GFo). Todos foram avaliados pré e pós-terapia quanto ao sistema fonológico (Yavas, Hernandorena e Lamprecht, 1991); ao Teste de Praxias Orofaciais (Berzoatti, Tavano e Fabbro, 2007); e ao Teste de Praxias Articulatórias e Bucofaciais (Hage, 2000). Os resultados foram analisados e descritos comparando os três grupos. Os resultados obtidos evidenciaram que todos os grupos apresentaram evoluções no inventário fonético, o GFoLFa obteve evoluções maiores no PCC-R. Conclui-se que os grupos que receberam intervenção práxica obtiveram maiores evoluções fonológicas, porém, sugerem-se novos estudos aplicando este modelo, para que possam ser confirmados esses resultados, com outras amostras.<hr/>Approximately between 4 or 5 years old, the child has already acquired all the phonemes of the Portuguese adult phonological system. However, this process does not always occur according to expectations, being noted separations/deviations in the acquisition of speech sounds. This study aimed to verify and compare the phonological evolution of, with phonological deviation submitted to phonological therapy associated with the stimulation or not of oral praxis skills. The sample was composed by six subjects (three girls and three boys) aged between 5:4 and 7:0 at the beginning of therapy. The subjects were divided in three groups, all receiving phonological therapy; to one group was added praxis stimulation of face and tongue (GFoLFa); tongue praxis stimulation (GFoL) to another and the third group was submitted only to phonological therapy (GFo). All of them were evaluated before and after therapy regarding: phonological system (Yavas, Hernandorena and Lamprecht, 1991); Orofacial Praxis Test (Bearzotti, Tavano e Fabbro, 2007) and Bucofacial Articulatory Praxis test (Hage, 2000). The results were analyzed descriptively by comparing the three groups. The results evidenced that all groups presented evolution in the phonetic inventory, the GFoLFa obtained bigger evolution in the PCC-R. At this, new ways of study applying this model are suggested, so that these results can be confirmed. <![CDATA[<b>Audiological evaluation in children with low level of cumulative lead exposure</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462012005000096&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: verificar a ocorrência de perda auditiva sensorioneural em crianças com baixo nível de exposição cumulativa ao chumbo. MÉTODO: 156 crianças intoxicadas por chumbo, 94 do sexo masculino e 62 do sexo feminino, na faixa etária entre 18 meses a 14 anos e 5 meses, foram submetidas a análise longitudinal do nível de Plumbemia em sangue, bem como audiometria tonal liminar e emissões otoacústicas evocadas por estímulo transiente. RESULTADOS: a população pesquisada apresentou um valor médio de Plumbemia estimada de 12,2±5,7mg/dL (faixa entre 2,4-33mg/dL); todas as crianças apresentaram resposta normal na audiometria tonal liminar em 20 dBNA nas frequências testadas, 0,5; 1; 2 e 4 kHz, para ambas as orelhas; as emissões otoacústicas evocadas por estímulo transiente estiveram presentes para todas as frequências bilateralmente, nas 79 crianças pesquisadas. CONCLUSÃO: não foi constatada perda auditiva sensorioneural em crianças com histórico de baixo nível de exposição cumulativa por chumbo, assim como não foi encontrada lesão de células ciliadas externas na cóclea, mesmo que subclínicas.<hr/>PURPOSE: to verify the occurrence of sensorineural hearing loss in children with low level of cumulative lead exposure. METHOD: 156 lead-poisoned children, 94 males and 62 females, ranging in age from 18 months old to 14 years and 5 months old were subjected to analysis of longitudinal lead level in blood as well as pure tone audiometry and transient evoked otoacoustic emissions. RESULTS: the population studied had a mean estimated blood lead level of 12,2±5,7mg/dL (range between 2,4 and 33mg/dL); all children had a normal response in pure tone audiometry at 20 dBHL in the frequencies tested, 0.5, 1, 2 and 4 kHz, in both ears; the transient evoked otoacoustic emissions were presented for all frequencies bilaterally in 79 children surveyed. CONCLUSION: there has been no hearing loss in children with a history of low cumulative lead exposure, as there was no injury of cochlear outer hair cells, even if subclinical.