Scielo RSS <![CDATA[Sao Paulo Medical Journal]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1516-318020000004&lang=en vol. 118 num. 4 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Environmental tobacco smoke exposure among non-smoking waiters</b>: <b>measurement of expired carbon monoxide levels</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802000000400001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Prognosis related to staging systems for chronic lymphocytic leukemia</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802000000400002&lng=en&nrm=iso&tlng=en CONTEXT: Chronic lymphocytic leukemia (CLL) is a clonal lymphoproliferative disorder, characterized by B lymphocytic proliferation. CLL is the most frequent adult leukemia in Western countries, accounting for 25 to 30% of all white leukemic patients. OBJECTIVE: To evaluate clinical and staging characteristics in prognosis of chronic lymphocytic leukemia. DESIGN: Evaluation of clinical-staging data. SETTING: Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina / Universidade de Alfenas. SAMPLE: 73 patients diagnosed from 1977 to 1994. MAIN MEASUREMENTS: Sex, ethnic origin, age, lymphadenopathy, splenomegaly, hepatomegaly, three or more areas of lymphoid enlargement, hemoglobin (g/dl), lymphocytes/mm³, Platelets/mm³ RESULTS: Mean survival of patients was 76 months, median age was 65 years, ranging from 33 to 87. Forty-four patients (60.3%) were male and 29 (39.7%) female. CONCLUSION: The Binet system determined a better prognosis than Rai.<hr/>CONTEXTO: Diversas variáveis clínicas se relacionam ao prognóstico na leucemia linfocítica crônica; no entanto, o estadiamento de Binet determina melhor o prognóstico do que o estadiamento de Rai e Rai modificado. OBJETIVO: Avaliar características clínicas e laboratoriais no prognóstico da leucemia linfocítica crônica. TIPO DE ESTUDO: Estudos de correlação. LOCAL: Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina / Universidade de Alfenas. PARTICIPANTES: 73 patients diagnosticados entre 1977 e 1994. VARIÁVEIS ESTUDADAS: Sexo, origem étnica, idade, linfadenomegalia, esplenomegalia, hepatomegalia, três ou mais áreas com aumento linfóide, hemoglobina, linfocitos, plaquetas. RESULTADOS: A sobrevida média dos pacientes foi 76 meses, idade média de 65 anos, variando de 33 a 87 anos. Quarenta e quatro pacientes (60,3%) eram do sexo masculino e 29 (39,7%) do sexo feminino. A análise univariada mostrou que o nível de hemoglobina (P = 0,001), número de plaquetas (P = 0,03), linfocitose periférica (P = 0,03), número de áreas linfóides acometidas (P = 0,01), assim como os estadiamentos de Rai (P = 0,02), Rai modificado (0,007) e Binet (P = 0,003) relacionaram-se significantemente com a sobrevida. A análise multivariada, pela regressão de Cox, demonstrou que o sistema de Binet determina melhor o prognóstico do que os estadiamentos de Rai e Rai modificado. CONCLUSÃO: O estadiamento de Binet é melhor que o estadiamento de Rai e Rai modificado na determinação do prognóstico. <![CDATA[<B>Environmental tobacco smoke exposure among non-smoking waiters</B>: <B>measurement of expired carbon monoxide levels</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802000000400003&lng=en&nrm=iso&tlng=en CONTEXT: Exposure to environmental tobacco smoke is a health risk that is of concern to patrons and of particular concern to employees of restaurants and bars. OBJECTIVE: To assess environmental tobacco smoke exposure (using expired carbon monoxide levels) in non-smoking waiters before and after a normal day's shift and to compare pre-exposure levels with non-smoking medical students. DESIGN: An observational study. SETTING: Restaurants with more than 50 tables or 100 places in São Paulo. SUBJECTS: 100 non-smoking restaurant waiters and 100 non-smoking medical students in São Paulo, Brazil. MAIN MEASUREMENTS: Levels of expired carbon monoxide, measured with a Smokerlyser (Bedfont EC 50 Scientific), before and after a normal day's work. RESULTS: Waiters' pre-exposure expired carbon monoxide levels were similar to those of medical students, but after a mean of 9 hours exposure in the workplace, median levels more than doubled (2.0 ppm vs. 5.0 ppm, P <0.001). Post-exposure carbon monoxide levels were correlated with the number of tables available for smokers (Kendall's tau = 0.2, P <0.0001). CONCLUSIONS: Exposure to environmental tobacco smoke is the most likely explanation for the increase in carbon monoxide levels among these non-smoking waiters. These findings can be used to inform the ongoing public health debate on passive smoking.<hr/>CONTEXTO: O ambiente exposto à fumaça do cigarro traz graves riscos à saúde e preocupa tanto os empregadores quanto empregados de restaurantes e bares. No entanto, os fumantes passivos correm riscos elevados de desenvolverem doenças cancerígenas, pulmonares e cardíacas. Baseados nestes parâmetros e na experiência de países que sancionaram leis que proíbem fumar ou restringem o fumar em áreas restritas e, antes de sancionar leis municipais na cidade de São Paulo, dá-se a importância de realizar este estudo. OBJETIVO: Avaliar a exposição à fumaça de cigarro no ambiente de trabalho (através da medida do nível de monóxido de carbono) em garçons não fumantes, antes e depois do expediente de trabalho, e comparar os níveis pré-exposição com os de estudantes universitários não fumantes. TIPO DE ESTUDO: Estudo observacional LOCAL: Restaurantes com mais de 50 mesas ou 100 assentos, todos localizados em São Paulo. PARTICIPANTES: A amostra é constituída por 100 garçons não fumantes e 100 estudantes não fumantes. VARIÁVEIS ESTUDADAS: O nível de monóxido de carbono expirado foi medido com um aparelho Smokerlyser (Bedfont EC 50 Scientific), antes e depois do expediente de cada garçom. RESULTADOS: Os níveis pré-exposição de monóxido de carbono expirado foram semelhantes entre os garçons e os estudantes, mas após uma média de 9 horas no local de trabalho, o nível mediano entre os garçons foi mais que o dobro (de 2,0 ppm para 5,0 ppm, P < 0,001). Os níveis pós-exposição de monóxido de carbono correlacionaram com o número de mesas disponíveis para fumantes (Kendall's tau = 0,2, P < 0,0001). CONCLUSÃO: A exposição à fumaça de cigarro no ambiente de trabalho é a explicação mais provável para este aumento no nível de monóxido de carbono expirado entre os garçons. Estes achados podem ser utilizados para direcionar o debate sobre fumo passivo e a saúde pública. <![CDATA[<b>Increased exhalation of hydrogen peroxide in healthy subjects following cigarette consumption</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802000000400004&lng=en&nrm=iso&tlng=en CONTEXT: Increased hydrogen peroxide has been described in the expired breath condensate (H2O2-E) of several lung conditions, such as acute respiratory distress syndrome, chronic obstructive pulmonary disease and asthma. This technique has been advocated as being a simple method for documenting airway inflammation. OBJECTIVE: To evaluate H2O2-E in healthy cigarette smokers, and to determine the acute effects of the consumption of one cigarette on H2O2-E levels. TYPE OF STUDY: Prospective, controlled trial. SETTING: A pulmonary function laboratory in a University Hospital. PARTICIPANTS: Two groups of healthy volunteers: individuals who had never smoked (NS; n=10; 4 men; age = 30.6 ± 6.2 years) and current cigarette smokers (S; n=12; 7 men; age = 38.7 ± 9.8). None of the volunteers had respiratory symptoms and all showed normal spirometric tests. INTERVENTION: Expired air was collected from all volunteers through a face mask and a plastic collecting system leading into a flask with dry ice and pure ethanol. Samples from the group S were collected twice, before and half an hour after the combustion of one cigarette. MAIN MEASUREMENTS: Expired hydrogen peroxide using the Gallati and Pracht method. RESULTS: The S and NS groups showed comparable levels of H2O2-E at basal conditions [NS = 0.74 muM (DP 0.24) vs. S = 0.75 muM (DP 0.31)]. The smokers showed a significant increase in H2O2-E levels half an hour after the consumption of only one cigarette [0.75 muM (DP 0.31) vs. 0.95 muM (DP 0.22)]. CONCLUSION: The present results are consistent with the concept that smokers increase oxidative stress with elevated production of reactive oxygen species, contributing to the development of smoking-related disorders.<hr/>CONTEXTO: Elevações do peróxido de hidrogênio exalado (H2O2-E) tem sido descritas em diversas doenças pulmonares tais como a síndrome do desconforto respiratório agudo, doença pulmonar obstrutiva crônica e asma. Essa técnica tem sido preconizada como um método simples capaz de refletir inflamação ao nível das vias aéreas. OBJETIVO: Avaliar os níveis de H2O2-E em indivíduos normais e determinar os efeitos agudos do consumo de um cigarro sobre seus valores. TIPO DE ESTUDO: Ensaio clínico, prospectivo, controlado. LOCAL: Laboratório de função pulmonar de um Hospital Universitário. PARTICIPANTES: Dois grupos de voluntários sadios: indivíduos que nunca fumaram [NS; n = 10; 4 homens; idade = 30,6 anos (DP 6,2)] e indivíduos fumantes atuais [S; n = 12; 7 homens; idade = 38,7 anos (DP 9,8)]. Todos os voluntários não apresentavam sintomas respiratórios e exibiam testes espirométricos dentro da normalidade. INTERVENÇÃO: Ar expirado foi coletado de todos os voluntários utilizando-se uma máscara facial e um sistema colocado em um frasco com gelo seco e etanol absoluto. Amostras do grupo S foram coletadas duas vezes, antes e meia hora após o consumo de um cigarro. VARIÁVEIS ESTUDADAS: Peróxido de hidrogênio expirado utilizando-se o método de Gallati e Pracht. RESULTADOS: Ambos os grupos mostraram níveis comparáveis de H2O2-E em condições basais [NS = 0,74 miM (DP 0,24) vs. S = 0,75 miM (DP 0,31)]. Os fumantes mostraram um aumento significante dos níveis de H2O2-E meia hora após o consumo de apenas um cigarro [0,75 miM (DP 0,31) vs. 0,95 miM (DP 0,22)]. CONCLUSÃO: Os resultados obtidos estão de acordo com o conceito de que o consumo de cigarros aumenta o estresse oxidativo com produção elevada de espécies reativas do oxigênio (ROS) contribuindo para o desenvolvimento de doenças relacionadas ao tabagismo. <![CDATA[<B>Antidepressant efficacy of sertraline and imipramine for the treatment of major depression in elderly outpatients</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802000000400005&lng=en&nrm=iso&tlng=en CONTEXT: Most double-blind studies of efficacy and tolerability of sertraline as compared to tricyclics in the treatment of late-life major depression have used amitriptyline as a standard, leading to the inevitable conclusion that the former drug is better tolerated than the latter, with both being equally efficacious. OBJECTIVE: To compare the antidepressant efficacy and tolerability of sertraline (50 mg/day) and imipramine (150 mg/day) in the first 6 weeks of the treatment of major depression in the elderly. DESIGN: A randomized double-blind parallel study with 6 weeks of follow-up. SETTING: The psychogeriatric clinic at the Institute of Psychiatry, Hospital das Clínicas, Faculty of Medicine of the University of São Paulo. PARTICIPANTS: 55 severe and moderately depressed non-demented outpatients aged 60 years or more. INTERVENTION: Patients were assigned to sertraline 50 mg/day or imipramine 150 mg/day. MAIN MEASUREMENTS: CAMDEX interview. Psychiatric diagnosis followed the guidelines for "Major Depressive Episode" according to DSM-IV criteria. Severity of symptoms was evaluated using the "CGI" and "MADRS" scales. Cognitive state was assessed using the Mini-Mental State Examination. Side effects were assessed using the "Safetee-Up" schedule. RESULTS: Both groups had a significant decrease in depressive symptoms according to the MADRS scores after 6 weeks of treatment (P = 0.01). No significant differences between groups were detected regarding treatment outcome (t = 0.4; P = 0.7). Although the dropout rate was greater in the imipramine group, the overall tolerability among patients who completed the 6-week trial was similar in both test groups. CONCLUSIONS: Both sertraline and imipramine exhibited good efficacy and an acceptable side-effect profile for elderly depressed patients after 6 weeks of antidepressant treatment.<hr/>CONTEXTO: A maioria dos estudos duplo-cegos sobre eficácia e tolerabilidade da sertralina em comparação aos antidepressivos tricíclicos no tratamento da depressão maior em idosos, tomaram como base a resposta à amitriptilina e conduziram à inevitável conclusão de que a primeira droga é mais bem tolerada do que a última, sendo ambas igualmente eficazes. OBJETIVOS: Comparar a eficácia antidepressiva e a tolerabilidade da sertralina (50 mg/dia) e da imipramina (150 mg/dia) em pacientes idosos nas primeiras seis semanas de tratamento ambulatorial. DESENHO: Estudo randomizado, duplo-cego, paralelo. LOCAL: Ambulatório de psiquiatria geriátrica (Projeto Terceira Idade) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. PARTICIPANTES: 55 pacientes ambulatoriais com 60 anos de idade ou mais, acometidos por episódio depressivo maior de moderada ou grave intensidade (segundo DSM-IV), não-demenciados. INTERVENÇÃO: Tratamento com sertraline 50 mg/dia ou imipramine 150 mg/dia. VARIÁVEIS ESTUDADAS: Anamnese com CAMDEX. O diagnóstico psiquiátrico seguiu as recomendações para "episódios depressivos maiores" de acordo com o critério do DSM-IV. Os simtomas de gravidade foram avaliados com as escalas "CGI" and "MADRS". O estado cognitivo foi avaliado pelo "Mini-Mental State Examination". Os efeitos colaterais foram avaliados com a lista "Safetee-Up". RESULTADOS: Ambos os grupos apresentaram redução significante dos escores para sintomas depressivos segundo a escala de MADRS após 6 semanas de tratamento (P = 0.01); não foram identificadas diferenças estatisticamente significantes entre os grupos no que diz respeito à evolução clínica (t = 0.4; P = 0.7); embora a taxa de abandono tenha sido maior entre os pacientes que receberam imipramina, a tolerabilidade para os pacientes que concluíram seis semanas de tratamento foi comparável nos dois grupos. CONCLUSÕES: Sertralina e imipramina foram drogas eficazes e satisfatoriamente toleráveis para o tratamento ambulatorial de pacientes deprimidos idosos. <![CDATA[<B>Incidence of <I>Gardnerella vaginalis, Candida sp</I> and human papilloma virus in cytological smears</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802000000400006&lng=en&nrm=iso&tlng=en CONTEXT: In spite of the wide-ranging literature on the microbiology of normal and abnormal flora of the vagina, there are few studies on the relationship between human papilloma virus (HPV) and other vaginal microorganisms. OBJECTIVE: To analyze the frequency of infection by human papilloma virus (HPV) and other agents like Candida sp., Gardnerella vaginalis and Trichomonas vaginalis in cytological smears. DESIGN STUDY: Retrospective study SETTING: A public tertiary referral center. SAMPLE: An analysis of 17,391 cytologies from outpatients seen between January 1997 and August 1998. The control group was made up of patients in the same age group and same period with no cytological evidence of HPV infection. Patients with a diagnosis of cervical intraepithelial neoplasia (CIN) II or III were excluded from this analysis. MAIN MEASUREMENTS: The diagnosis of HPV infection was made in accordance with the criteria of Schneider et al. and the diagnosis of Gardnerella vaginalis was made with a finding of clue cells. RESULTS: 390 (2.24%) had alterations consistent with infection by HPV, sometimes associated with CIN I. The results showed that Gardnerella vaginalis was the most frequent agent in women with HPV infection (23.6% versus 17.4%; P <0.05), while in the control group the most frequent agent was Candida sp. (23.9% versus 13.8%; p <0.001). CONCLUSION: In spite of this study being based solely on cytological criteria, in which specific HPV and Gardnerella diagnostic tests were not used, the cytological smear is widely used in clinical practice and the data presented in this investigation show that there is an association between Gardnerella vaginalis and HPV infection. It remains to be established whether the microorganisms favor each other.<hr/>CONTEXTO: Apesar da extensa literatura sobre a microbiologia da flora vaginal normal e anormal, há poucos trabalhos sobre a relação entre papilomavírus humano (HPV) e outros microorganismos vaginais. OBJETIVO: Analisar a freqüência de infecção por HPV e outros agentes como Candida sp., Gardnerella vaginalis e Trichomonas vaginalis no exame citológico. TIPO DE ESTUDO: Estudo retrospectivo. LOCAL: Centro público de referência terciária. AMOSTRA: 17.391 citologias de pacientes ambulatoriais atendidas entre janeiro de 1997 e agosto de 1998. O grupo controle foi composto por mulheres da mesma idade sem sinais citológicos de infecção por HPV. As pacientes com diagnóstico de neoplasia intraepitelial cervical (NIC) II ou III foram excluídas desta análise. VARIÁVEIS ESTUDADAS: O diagnóstico citológico de infecção por HPV foi feito segundo os critérios de Schneider, et al. e o diagnóstico de Gardnerella vaginalis foi feito pelo achado de "clue cells". RESULTADOS: 390 (2,24%) tinham alterações compatíveis com infecção por HPV associada ou não a NIC I. Os resultados mostraram que a Gardnerella vaginalis foi o agente mais freqüente nas mulheres com infecção por HPV (23,6% versus 17,4%; P <0,05), enquanto no grupo controle o agente mais frequente foi a Candida sp. (23,9% versus 13,8%; P <0,001). CONCLUSÃO: Apesar deste estudo ser baseado somente em critérios citológicos, em que testes diagnósticos específicos não foram usados, o exame citológico é largamente usado na prática clínica e os dados apresentados nesta investigação mostram a associação entre a Gardnerella vaginalis e a infecção por HPV. Se os microorganismos favorecem um ao outro, isto ainda está por ser estabelecido. <![CDATA[<B>Efficacy in treatment of subclinical cervical HPV infection without intraepithelial neoplasia</B>: <B>systematic review</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802000000400007&lng=en&nrm=iso&tlng=en CONTEXT: The treatment of the subclinical Human papillomavirus (HPV) infection of the uterine cervix is controversial. OBJECTIVE: To assess the efficacy of any therapy for subclinical HPV infection of the cervix without intraepithelial neoplasia, via a search in the medical literature. METHOD: We performed a systematic review with a comprehensive reference search in Medline, LILACS, Excerpta Medica, AIDSLINE, Popline, Cochrane Library and other authors' reference lists to identify experimental studies of therapy for subclinical HPV infection without intraepithelial neoplasia of the uterine cervix. In order to identify unpublished studies, we also contacted experts in the area, clinical trial registries, pharmaceutical industries, government and research institutions. We also searched on the Internet and in the book-of-abstracts of some medical conferences. The studies identified were masked and selected by inclusion criteria to help ascertain their internal validity. The data about regression or progression of HPV infection were extracted from the studies included. RESULTS: We identified 67 studies related to the treatment of subclinical HPV infection without intraepithelial neoplasia of the uterine cervix. Only five clinical trials matched the inclusion criteria and none demonstrated significant differences between the experimental group and the control group concerning regression of HPV infection (with or without CIN I) or progression to higher grades of CIN. CONCLUSION: The evidence we found in the medical literature regarding the efficacy of any therapy for subclinical HPV infection without intraepithelial neoplasia of the uterine cervix was unsatisfactory.<hr/>CONTEXTO: O tratamento da infecção subclínica pelo papilomavírus humano (HPV) no colo uterino é controverso. OBJETIVO: Avaliar a eficácia de alguma terapia para infecção pelo HPV no colo uterino sem neoplasia intraepitelial. MÉTODO: Realizamos uma revisão sistemática com uma busca abrangente de estudos no Medline, LILACS, Excerpta medica, AIDSLINE, Popline, Cochrane Library e listas de referências de outros autores para identificar estudos experimentais sobre terapia para a infecção subclínica pelo HPV sem neoplasia intraepitelial no colo uterino. Para identificar artigos não publicados, também contactamos especialistas da área, registros de ensaios clínicos, indústrias farmacêuticas, instituições governamentais e de fomento à pesquisa. Também procuramos por estudos através da Internet e em livros de abstracts de alguns eventos médicos. Os estudos identificados foram mascarados e selecionados por critérios de inclusão que auxiliaram a garantir sua validade interna. Os dados sobre regressão ou progressão da infecção pelo HPV foram extraídos dos estudos incluídos. RESULTADOS: Identificamos 67 estudos relacionados ao tratamento da infecção subclínica pelo HPV sem neoplasia intraepitelial do colo uterino (NIC). Apenas cinco ensaios clínicos atenderam aos critérios de inclusão e nenhum demonstrou diferenças significativas entre o grupo em teste e o grupo-controle no que se refere a regressão da infecção pelo HPV (com ou sem NIC I) ou progressão para graus mais altos de NIC. CONCLUSÃO: As evidências de eficácia de alguma terapia para infecção subclínica pelo HPV sem neoplasia intraepitelial no colo uterino encontradas na literatura médica foram insatisfatórias. <![CDATA[<B>Duodenal damage complicating percutaneous access to kidney</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802000000400008&lng=en&nrm=iso&tlng=en CONTEXT: Since the first percutaneous nephrostomy performed by Goodwin in 1954, technical advances in accessing the kidneys via percutaneous puncture have increased the use of this procedure and thus the complications too. Among these complications, digestive tract damage is not common. DESIGN: Case report. CASE REPORT: We report a duodenal lesion that was corrected using surgical exploration and we touch on the therapeutic options, which may be conservative or interventionist. We chose conservative treatment, which has been approached in diverse manners in the literature.<hr/>CONTEXTO: Desde a primeira nefrostomia por punção realizada por Goodwin em 1954, os avanços técnicos no acesso percutâneo ao rim aumentaram a freqüência destes procedimentos e, como conseqüência, maior número de complicações. Dentre essas, as lesões do trato digestivo são raras. TIPO DE ESTUDO: Relato de caso. RELATO DE CASO: Relatamos lesão duodenal que foi corrigida com exploração cirúrgica e abordamos as opções terapêuticas que podem ser conservadora ou intervencionista. Optando-se pelo tratamento conservador, encontra-se nas publicações diferentes formas de abordagem. <![CDATA[<b>Frontal sinus adenocarcinoma</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802000000400009&lng=en&nrm=iso&tlng=en CONTEXT: Paranasal sinus cancer is considered rare, with an incidence of less than 1 per 100,000 per year, with the frontal sinus being the primary site in only 0.3%. We report a case of adenocarcinoma arising in the frontal sinus. DESIGN: Case report. CASE REPORT: A 59-year-old woman, secretary, came in February 1998 with a 4-month history of low intensity frontal headache. She denied contact with wood dust. On examination a non-tender swelling was noted over her right forehead next to the medial aspect of the right orbit. CT scan showed a soft-tissue mass involving frontal sinus with intracranial invasion through the posterior wall. The anterior ethmoid sinus and the medial aspect of the right orbit were also involved. MRI demonstrated dural thickening in communication with the frontal mass. She underwent an en-bloc tumor resection by craniotomy including orbital clearance. Histology revealed an adenocarcinoma. After surgery she had tumor recurrence, and chemotherapy and radiotherapy were started resulting in partial improvement.<hr/>CONTEXTO: O câncer dos seios paranasais é considerado raro com uma incidência menor que 1 por 100.000 por ano. O seio frontal é o sítio primário em apenas 0,3% dos casos. A seguir relatamos um caso de adenocarcinoma do seio frontal. TIPO DE ESTUDO: Relato de caso. RELATO DO CASO: Paciente do sexo feminino, 59 anos, secretária, com queixa de quatro meses de cefaléia frontal de leve intensidade (fevereiro de 1998). Negava contato com serragem. Ao exame notava-se um abaulamento frontal à direita, adjacente a borda medial da órbita direita, de característica endurecida. A tomografia computadorizada mostrava um tumor com densidade de partes moles preenchendo o seio frontal com invasão intracraniana através da parede posterior. O seio etmoidal anterior e a borda medial da órbita direita também estava envolvida. A ressonância nuclear magnética demonstrava espessamento dural em comunicação com o tumor. A paciente foi submetida a exérese tumoral em bloco através de craniotomia bicoronal incluindo exenteração orbitária à direita. O exame histopatológico revelou adenocarcinoma. Após a cirurgia a paciente apresentou recidiva tumoral com resposta parcial a radioterapia e quimioterapia.