Scielo RSS <![CDATA[Sao Paulo Medical Journal]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1516-318020020004&lang=en vol. 120 num. 4 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<B>Should we spend less or control a greater percentage of hypertensive patients?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802002000400001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>Cost-effectiveness of hypertension treatment</B>: <B>a population-based study</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802002000400002&lng=en&nrm=iso&tlng=en CONTEXT: The cost-effectiveness of the treatment of hypertension has scarcely been investigated in population-based studies. Most data come from secondary analysis of clinical trials and administrative sources. OBJECTIVE: To describe the healthcare costs for outpatient hypertension treatment in comparison with diabetes mellitus and chronic bronchitis, and to examine the cost-effectiveness of different classes of antihypertensive drugs. DESIGN: Cross-sectional population-based study. SETTING: Urban area of Pelotas, southern Brazil. PARTICIPANTS: Individuals aged 20-69 years, identified through multi-stage probability sampling. METHODS: Participants were interviewed at home. Demographic data, education, income, smoking, previous morbidity, use of medicine and other characteristics were assessed via a pre-tested questionnaire, and blood pressure while seated was measured in a standardized way. RESULTS: Approximately 24% of the participants had high blood pressure or were taking antihypertensive drugs, and among these, 33% had had a physician consultation during the month preceding the interview. The monthly mean costs of care for hypertension (R$ 89.90), diabetes (R$ 80.64) and bronchitis (R$ 92.63) were similar. Treatment of hypertension consumed 22.9% of the per-capita income, corresponding to R$ 392.76 spent per year exclusively on antihypertensive drugs. Most of the direct costs associated with hypertension and diabetes were spent on drugs, while patients with bronchitis had greater expenditure on appointments. The cost-effectiveness relationship was more favorable for diuretics (116.3) and beta blockers (228.5) than for ACE inhibitors (608.5) or calcium channel blockers (762.0). CONCLUSION: The costs of hypertension care are mainly dependent on the expenditure on blood pressure-lowering drugs. Treatment of hypertension with diuretics or beta blockers was more cost-effective than treatment with ACE inhibitors and calcium channel blockers.<hr/>CONTEXTO: O custo-efetividade do tratamento da hipertensão tem sido pouco investigado em estudos de base populacional. A maior parte do conhecimento nesta área provém de dados sobre participantes de ensaios clínicos randomizados e do controle administrativo. OBJETIVO: Descrever os custos com a atenção à saúde para o tratamento da hipertensão em comparação com diabetes mellitus e bronquite crônica e examinar o custo-efetividade de diferentes classes de anti-hipertensivos, desconsiderando admissão hospitalar. TIPO DE ESTUDO: estudo transversal de base populacional. LOCAL: Região urbana de Pelotas, sul do Brasil. PARTICIPANTES: Indivíduos com idade entre 20-69 anos, identificados por meio de uma amostra probabilística por estágios múltiplos. MÉTODOS: Participantes foram entrevistados no domicílio. Dados demográficos, sobre educação, renda, tabagismo, morbidade prévia, uso de medicamentos e outras características foram avaliados por um questionário pré-testado, sendo a pressão arterial aferida com o indivíduo sentado e de maneira padronizada. RESULTADOS: Aproximadamente 24% dos participantes tinham pressão alta ou faziam uso de anti-hipertensivos e, entre eles, 33% tinham realizado consulta médica no mês precedente à entrevista. O custo médio mensal do cuidado com a hipertensão (R$ 89,90), diabetes (R$ 80,64) e bronquite (R$ 92,63) foi semelhante. O tratamento da hipertensão consumiu 22,9% da renda per capita, correspondendo a R$ 392,76 gastos anualmente exclusivamente em medicamentos anti-hipertensivos. A maior parte dos custos diretos associados com hipertensão e diabetes foi devida a medicamentos, enquanto pacientes com bronquite crônica tiveram mais despesas com consultas. A relação de custo-efetividade foi mais favorável para diuréticos (116.3) e betabloqueadores (228.5) do que para inibidores da enzima de conversão da angiotensina (608.5) ou bloqueadores dos canais de cálcio (762.0). CONCLUSÃO: O custo do cuidado ambulatorial com a hipertensão foi dependente principalmente do tratamento anti-hipertensivo. O tratamento da hipertensão com diuréticos ou betabloqueadores foi mais custo-efetivo do que o tratamento com inibidores da enzima de conversão de angiotensina e bloqueadores dos canais de cálcio. <![CDATA[<B>Pulmonary thromboembolism</B>: <B>retrospective study of necropsies performed over 24 years in a university hospital in Brazil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802002000400003&lng=en&nrm=iso&tlng=en CONTEXT: Pulmonary thromboembolism is the third most frequent cause of morbidity and mortality among acute cardiovascular diseases. The incidence of pulmonary embolism in necropsies has remained unchanged over the last few decades. Cardiac diseases, neoplasia, trauma, recent surgery and systemic diseases are important predisposing clinical conditions. The relationship between male and female sexes is estimated at 1.24. Various studies have shown an increase in morbidity in spring and autumn. There is great difficulty in precise anatomopathological diagnosis in relation to the localization of the emboli in the pulmonary vessels, although they are preferentially located in the right lung and lower lobes. OBJECTIVE: To study the incidence of lethal and non-lethal pulmonary thromboembolism in relation to epidemiological and anatomical variables. DESIGN: Retrospective study performed via reports on the necropsy findings. SETTING: University hospital providing tertiary-level attendance. SAMPLE: 16,466 consecutive necropsies performed from January 1972 to December 1995. MAIN MEASUREMENTS: Frequency of lethal and non-lethal pulmonary thromboembolism, predisposing diseases, occurrence in relation to the seasons of the year, and location where the embolus is lodged. RESULTS: Pulmonary thromboembolism was found in 4.7% of all the necropsies performed. There was a predominance of lethal cases (68.2%). There was no difference in relation to sex or seasons of the year for the occurrence of this disease. Cardiovascular diseases were more frequently associated with thromboembolic phenomena. With regard to the location where the embolus was lodged, various lung segments showed greater incidence of being bilaterally compromised. CONCLUSION: Over the period of this study, it was observed that there was a reduction in the incidence of pulmonary thromboembolism, which was probably due to the increase in prophylactic measures over the last few decades. Nonetheless, lethal thromboembolism predominated in frequency, probably because of the abrupt onset of a condition of attack across a large area of the lung, lack of clinical suspicions and consequently a lack of early diagnosis, and delay in instituting fibrinolytic therapy in the cases with hemodynamic repercussions or a large number of lung segments affected.<hr/>CONTEXTO: O tromboembolismo pulmonar é a terceira doença cardiovascular aguda mais freqüente como causa de morbidade e mortalidade. A incidência de embolia pulmonar em necropsias não se modificou nas últimas décadas. Doenças cardíacas, neoplasias, traumas, cirurgias recentes e doenças sistêmicas são condições clínicas predisponentes importantes. A relação entre os sexos masculino e feminino é estimada em 1,24. Vários estudos mostram aumento da morbidade no inverno. Há grande dificuldade para o diagnóstico anátomo-patológico preciso quanto a localização dos êmbolos nos vasos pulmonares, havendo preferência por localizarem-se no pulmão direito e lobos inferiores. OBJETIVO: Estudar a incidência de tromboembolismo pulmonar letal e não letal, de acordo com variáveis epidemiológicas e anatômicas. TIPO DE ESTUDO: Estudo retrospectivo realizado através relatórios dos laudos de necropsias. LOCAL: Hospital Universitário de atendimento terciário. AMOSTRA: 16.466 necropsias consecutivas realizadas de janeiro de 1972 a dezembro de 1995. VARIÁVEIS ESTUDADAS: Freqüência de tromboembolismo pulmonar letal e não letal, doenças predisponentes, ocorrência de acordo com as estações do ano e o local de impactação do êmbolo. RESULTADOS: O tromboembolismo pulmonar foi encontrado em 4,7% de todas as necropsias realizadas. Houve predomínio dos casos letais (68,2%). Não houve diferença em relação ao sexo ou estações do ano para a ocorrência desta doença. As doenças cardiovasculares estiveram mais freqüentemente associadas aos fenômenos tromboembólicos. Quanto ao local de impactação do êmbolo, houve maior incidência no comprometimento bilateral de vários segmentos dos pulmões. CONCLUSÃO: Durante o período deste estudo observou-se que houve redução na incidência de tromboembolismo pulmonar, provavelmente pelo aumento de medidas profiláticas nas últimas décadas. Contudo, a freqüência de tromboembolismo letal predominou, provavelmente em função da instalação abrupta do quadro com acometimento de grande área pulmonar, falta de suspeita clínica e portanto do diagnóstico precoce e, demora da instituição de terapêutica fibrinolítica nos casos com repercussão hemodinâmica ou com grande número de segmentos pulmonares afetados. <![CDATA[<B>Atopy, passive smoking, respiratory infections and asthma among children from kindergarten and elementary school</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802002000400004&lng=en&nrm=iso&tlng=en CONTEXT: It has been demonstrated that children exposed to parents who smoke have more respiratory infections and asthma. OBJECTIVE: To study the association of both respiratory infections and asthma attacks with atopy, passive smoking and time spent daily at school, among children aged 4 to 9 years old from a kindergarten and elementary school in the city of São Paulo between May and July of 1996. TYPE OF STUDY: Descriptive study. SETTING: A kindergarten and elementary school with linkages to Universidade Federal de São Paulo/Escola Paulista de Medicina. PARTICIPANTS: 183 children between 4 and 9 years old. MAIN MEASUREMENTS: A questionnaire consisting of 31 questions was answered by the parents of 183 children, and skin tests for inhaled antigens were performed on 88 children whose parents had given prior agreement for the procedure. RESULTS: Among the children, 51% had had respiratory infections during the preceding 3 months and 25.7% were asthmatic, of whom 52.1% had had one or more asthma attacks during the preceding 3 months. Children exposed to passive smoking did not have more respiratory infections or asthma attacks in comparison with those not exposed. We observed a significant association between atopic disorders in parents and children who were not exposed to passive smoking. There were also associations between atopic disorders in parents and asthma attacks in their infants, and between such disorders and a higher incidence of respiratory infections in the infants during the preceding 3 months. However, the presence of two or more positive skin tests for allergies did not have a correlation with respiratory infections and asthma attacks in this sample. In addition to this, children who studied full time at school did not have a higher occurrence of respiratory infections and asthma attacks. CONCLUSIONS: The presence of respiratory infections and asthma was associated with atopic parents but not with the presence of two or more positive skin tests for allergies among the children. Also, respiratory infections and asthma attacks were not associated with smoking parents or with the length of time spent by the children at school.<hr/>CONTEXTO: Foi demonstrado que crianças de pais fumantes estão mais predispostas a infecções respiratórias e asma. OBJETIVO: Estudar a associação de infecções respiratórias e crises de asma em crianças de quatro a nove anos de idade, matriculadas em uma escola que funciona como pré-escola e 1o. grau em São Paulo, Capital, nos meses de maio a julho de 1996, com presença de atopia, exposição ao fumo passivo e tempo de permanência na escola (parcial ou integral). TIPO DE ESTUDO: Estudo descritivo. LOCAL: Pré-escola e de primeiro grau da Universidade Federal de São Paulo. CASUÍSTICA: 183 crianças, sendo 104 meninos e 79 meninas, entre 4 e 9 anos. VARIÁVEIS ESTUDADAS: Foi administrado um questionário contendo 31 questões aos responsáveis pelas crianças e realizados 88 testes cutâneos de alergia para inalantes, nas crianças cujos pais haviam fornecido consentimento prévio. RESULTADOS: Do total de crianças, 51% tiveram infecções respiratórias nos últimos três meses e 25,7% eram asmáticas, sendo que 52,1% delas tiveram uma ou mais crises nos últimos três meses. As crianças expostas à fumaça de cigarro no domicílio não tiveram mais infecções respiratórias e crises de asma que as não-expostas. A positividade a dois ou mais testes cutâneos de alergia não se correlacionou significantemente à presença de infecções respiratórias e crises de asma nas crianças estudadas, embora tenha havido associação estatisticamente significante entre pais com história de atopia e filhos com mais infecções respiratórias e/ou crises de asma, assim como pais com história de atopia e filhos com menor exposição à fumaça de cigarro. As crianças com permanência em tempo integral na escola não tiveram maior ocorrência de infecções respiratórias e crises de asma. CONCLUSÃO: A presença de infecções respiratórias e crises de asma está associada à atopia dos pais, mas não à presença de positividade a dois ou mais testes cutâneos de alergia nas crianças. Por outro lado, a presença de infecções respiratórias e crises de asma não estiveram associadas com exposição passiva à fumaça de cigarro no domicílio e com tempo de permanência na escola. <![CDATA[<B>Weight changes during chemotherapy for breast cancer</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802002000400005&lng=en&nrm=iso&tlng=en CONTEXT: Patients receiving adjuvant chemotherapy for breast cancer have a tendency to gain weight. This tendency has determining factors not completely defined and an unknown prognostic impact. OBJECTIVE: To evaluate weight change during chemotherapy for breast cancer in a defined population and to identify its predisposing factors and possible prognostic significance. DESIGN: Observational, retrospective cohort study. SETTING: Private clinical oncology service. PARTICIPANTS: 106 consecutive patients with breast cancer treated between June 1994 and April 2000, who received neoadjuvant (n = 8), adjuvant (n = 74) or palliative (n = 24) chemotherapy. INTERVETION: Review of medical records and gathering of clinical information, including patients’ body weights before treatment and at follow-up reviews. MAIN MEASUREMENTS: Body weight change, expressed as percentage of body weight per month in treatment; role of clinical data in weight change; and influence of weight change in overall survival and disease-free survival. RESULTS: There was a mean increase of 0.50 ± 1.42% (p = 0.21) of body weight per month of treatment. We noted a negative correlation between metastatic disease and weight gain (r = -0.447, p < 0.0001). In the adjuvant and neoadjuvant therapy groups there was a mean weight gain of 0.91 ± 1.19 % (p < 0.00001) per month, whereas in the metastatic (palliative) group, we observed a mean loss of 0.52 ± 1.21% (p = 0.11) of body weight per month during the treatment. We did not observe any statistically significant correlation between weight changes and disease-free survival or overall survival. CONCLUSIONS: Women with breast cancer undergoing adjuvant or neoadjuvant chemotherapy gain weight, whereas metastatic cancer patients will probably lose weight during palliative chemotherapy. Further studies are needed in order to evaluate the prognostic significance of weight changes during chemotherapy.<hr/>CONTEXTO: Pacientes recebendo quimioterapia adjuvante por câncer de mama têm tendência a ganhar peso. Esta tendência tem fatores determinantes não completamente definidos e seu significado prognóstico é incerto. OBJETIVO: Avaliar a variação de peso durante tratamento quimioterápico por câncer de mama em uma população definida, identificar fatores predisponentes e seu possível significado prognóstico. TIPO DE ESTUDO: Observacional, de coorte retrospectiva. LOCAL: Serviço privado de oncologia clínica. PARTICIPANTES: Cento e seis pacientes consecutivas com câncer de mama tratadas entre junho de 1994 e abril de 2000 e que receberam quimioterapia neoadjuvante (n = 8), adjuvante (n = 74) ou paliativa (n = 24). PROCEDIMENTOS: Revisão de prontuários médicos com coleta de dados clínicos incluindo peso corporal das pacientes antes do tratamento e nas avaliações subseqüentes. VRIÁVEIS ESTUDADAS: Variação de peso corporal expresso em percentual do peso corporal por mês em tratamento, influência de variáveis clínicas nesta variação de peso e influência da variação de peso na sobrevida global e sobrevida livre de doença. RESULTADOS: Houve um ganho de peso médio de 0,50 ± 1,42% (p = 0,21) do peso corpóreo por mês de tratamento. Constatamos uma correlação negativa entre presença de doença metastática e ganho de peso (r = -0,447, p < 0,0001). No grupo em quimioterapia adjuvante e neoadjuvante, houve um ganho de peso médio de 0,91 ± 1,19 % (p < 0,00001) do peso corpóreo por mês de tratamento, enquanto que, no grupo com doença metastática (paliativo), observamos uma perda de peso média de 0,52 ± 1,21% (p = 0,11) do peso corpóreo por mês de tratamento. Não observamos correlação estatisticamente significante entre variação de peso e sobrevida livre de doença ou sobrevida global. CONCLUSÕES: Mulheres com câncer de mama recebendo tratamento quimioterápico adjuvante e neo-adjuvante ganham peso, enquanto mulheres com câncer de mama metastático possivelmente perdem peso durante quimioterapia paliativa. Estudos subseqüentes são necessários para avaliar o valor prognóstico da variação de peso durante quimioterapia. <![CDATA[<B>MIDAS (Migraine Disability Assessment)</B>: <B>a valuable tool for work-site identification of migraine in workers in Brazil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802002000400006&lng=en&nrm=iso&tlng=en CONTEXT: MIDAS was developed as a fast and efficient method for identification of migraine in need of medical evaluation and treatment. It was necessary to translate MIDAS, originally written in English, so as to apply it in Brazil and make it usable by individuals from a variety of social-economic-cultural backgrounds. OBJECTIVE: To translate and to apply MIDAS in Brazil. SETTING: Assessment of a sample of workers regularly employed by an oil refinery. SETTING: Refinaria Presidente Bernardes, Cubatão, São Paulo, Brazil. PARTICIPANTS: 404 workers of the company who correctly answered a questionnaire for the identification and evaluation of headache. When the individual considered it to be pertinent to his own needs, there was the option to answer MIDAS as well. METHODS: MIDAS, originally written in English, was translated into Brazilian Portuguese by a neurologist and by a translator specializing in medical texts. The final version of the translation was obtained when, for ten patients to whom it was applied, the text seemed clear and the results were consistent over three sessions. MAIN MEASUREMENTS: Prevalence and types of primary headaches, evaluation of MIDAS as a tool for identification of more severe cases. RESULTS: From the total of 419 questionnaires given to the employees, 404 were returned correctly completed. From these, 160 persons were identified as presenting headaches, 44 of whom considered it worthwhile answering MIDAS. Nine of these individuals who answered MIDAS were identified as severe cases of migraine due to disability caused by the condition. An interview on a later date confirmed these results. Three were cases of chronic daily headache (transformed migraine) and six were cases of migraine. CONCLUSIONS: MIDAS translated to Brazilian Portuguese was a useful tool for identifying severe cases of migraine and of transformed migraine in a working environment. The workers did not consider MIDAS to be difficult to answer. Their high level of voluntary participation demonstrates that this medical condition was of real interest among the workers, whether they were sufferers or not.<hr/>CONTEXTO: MIDAS foi desenvolvido como um método rápido e eficaz na identificação de casos de enxaqueca para orientar auxílio médico e tratamento. Tornou-se necessário traduzir o MIDAS, originalmente escrito em inglês, para aplicar no Brasil para que pudesse ser utilizado por indivíduos de vários níveis socioeconômicos e culturais. OBJETIVO: Traduzir e aplicar MIDAS no Brasil. TIPO DE ESTUDO: Avaliação de uma amostra de indivíduos regularmente empregados em uma refinaria de petróleo. LOCAL DE EXECUÇÃO: Refinaria Presidente Bernardes, Cubatão, SP. PARTICIPANTES: 404 funcionários da empresa que responderam corretamente a um questionário para identificação e avaliação de cefaléia. Quando considerado pertinente, o funcionário tinha a opção de preencher também o MIDAS. MÉTODOS: MIDAS, originalmente escrito em inglês, foi traduzido para português do Brasil por uma neurologista e por um tradutor especializado em textos médicos. A versão final da tradução foi obtida quando, em 10 pacientes consecutivos a quem foi aplicada, o texto foi considerado claro e os resultados foram consistentes em três sessões. VARIÁVEIS ESTUDADAS: Prevalência e tipos de cefaléias primárias, avaliação do MIDAS como uma ferramenta de identificação de casos mais graves. RESULTADOS: Dos 419 questionários distribuídos, recolhidos e respondidos no mesmo dia, 404 retornaram completamente preenchidos. Destes, 160 pessoas foram identificadas como portadoras de cefaléia, 44 delas considerando adequado responder também ao MIDAS. Nove destes indivíduos que responderam ao MIDAS foram identificados como casos graves de enxaqueca devido à incapacidade produzida pela doença. Uma entrevista posterior e individual confirmou estes dados. CONCLUSÃO: MIDAS traduzido para o português do Brasil foi uma ferramenta útil na identificação de casos graves de enxaqueca em um ambiente de trabalho. Os funcionários não consideraram que MIDAS fosse difícil de responder. O elevado índice de participação voluntária dos funcionários demonstrou que esta condição médica era de interesse entre os trabalhadores, portadores ou não de cefaléia. <![CDATA[<B>Testicular sperm results in elevated miscarriage rates compared to epididymal sperm in azoospermic patients</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802002000400007&lng=en&nrm=iso&tlng=en CONTEXT: Several sperm retrievel techniques are available for use on azoospeermic men. Comparisons between spermatozoa retrieved from the testicles and epidymis in relation to pregnancy and miscarriage rates are not well established. OBJECTIVE: To compare pregnancy and miscarriage rates using sperm retrieved from the testes and epididymis using intracytoplasmic sperm injection. Furthermore, we evaluated the fertilization and pregnancy rates according to the status of the spermatozoa retrieved (motile or immotile). DESIGN: Retrospective study. SETTING: A private center for assisted fertilization. PARTICIPANTS: One hundred and eight consecutive patients who presented with azoospermia were included in our study, on whom a total of 144 retrieval procedures were performed. PROCEDURES: Of the 144 retrieval procedures, 104 were testicular sperm aspirations (TESA) and 40 were epididymal sperm aspirations (PESA). PESA was the first approach in obstructive patients (n = 68), whereas TESA was used when the former failed. For non-obstructive patients (n = 40), TESA was the method of retrieval. MAIN MEASUREMENTS: Pregnancy and miscarriage rates according to spermatozoa characteristics (motile or immotile). RESULTS: The number of cycles performed using spermatozoa retrieved from the testicles and epididymis was 81 and 30, respectively. Motile spermatozoa had higher fertilization (2PN) and pregnancy rates compared to immotile spermatozoa (p < 0.05). Also, motile spermatozoa had lower miscarriage rates compared to immotile spermatozoa (p < 0.0001). No differences were seen in pregnancy rates with testicular spermatozoa (n = 28) compared to epididymal spermatozoa (n = 13) (p = 0.1). However, the miscarriages rates were higher in spermatozoa retrieved from the testicles (n = 12) compared to epididymis retrievals (n = 1) (p = 0.01). CONCLUSIONS: Although pregnancy rates were similar when the intracytoplasmic sperm injection was performed with spermatozoa retrieved from the testicles and epididymis, the use of testicular spermatozoa yields a significantly higher miscarriage rate. It is possible that the higher miscarriage rate seen in patients using spermatozoa retrieved from the testicles is linked to high genetic sperm abnormalities.<hr/>CONTEXTO: Técnicas de recuperação de espermatozóides podem ser empregadas juntamente com reprodução assistida em homens azoospérmicos que desejam uma gestação. Entretanto, comparações entre recuperação de espermatozóides testiculares e epididimários em relação às taxas de gestação e aborto não estão bem estabelecidas. OBJETIVOS: O objetivo deste estudo foi comparar taxas de gestação e aborto em casais submetidos à recuperação de espermatozóide testicular e epididimário associada à técnica de injeção intracitoplasmática de espermatozóide. Além disso, avaliamos as taxas de fertilização e gestação de acordo com o status dos espermatozóides recuperados (móveis ou imóveis). TIPO DE ESTUDO: Estudo retrospectivo. LOCAL: Centro privado de fertilização assistida. PARTICIPANTES: Cento e oito homens azoospérmicos foram incluídos em nosso estudo, totalizando 144 ciclos de recuperação espermática. PROCEDIMENTOS: Do total de procedimentos, em 104 procedeu-se à aspiração de espermatozóides testiculares e em 40 a recuperação espermática ocorreu por aspiração espermática epididimária. Esta foi o primeiro acesso em pacientes com azoospermias obstrutivas (n = 68), enquanto a aspiração de espermatozóides testiculares foi indicada nos casos de falhas prévias da aspiração espermática epididimária (nos pacientes com azoospermias obstrutivas) e em todos os casos com diagnóstico de azoospermias não-obstrutivas (n = 40). VARIÁVEIS ESTUDADAS: Taxas de gestação e aborto de acordo com a origem e características do espermatozóide (móvel ou imóvel). RESULTADOS: Oitenta e um e 30 ciclos foram realizados com espermatozóides recuperados de testículos e epidídimos, respectivamente. Espermatozóides móveis resultaram em altas taxas de fertilização (2PN) e gestação comparadas com espermatozóides imóveis (p < 0,05) e baixas taxas de aborto comparados com espermatozóides imóveis (p < 0,0001). Não foi encontrada diferença significativa na taxa de gestação com espermatozóides testiculares (n = 28) comparados com espermatozóides epididimários (n = 13) (p = 0,1). Entretanto, as taxas de aborto foram maiores com espermatozóides recuperados dos testículos (n = 12) comparados com espermatozóides epididimários (n = 1) (p = 0,01). CONCLUSÕES: Apesar das taxas de gestação serem semelhantes quando ICSI foi realizada com espermatozóides recuperados dos testículos e epidídimos, neste estudo, o uso de espermatozóide testicular produziu uma taxa de aborto significativamente maior, provavelmente devido à presença de aberrações cromossômicas nos espermatozóides.