Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Psiquiatria]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1516-444620110005&lang=en vol. 33 num. lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Mensagem do presidente</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462011000500001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Incorporating Brazilian and Latin American perspectives in the ICD-11 classification of mental and behavioral disorders</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462011000500002&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>The contribution of Latin American and Caribbean countries on culture bound syndromes studies for the ICD-10 revision</b>: <b>key findings from a working in progress</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462011000500003&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Esta revisão visa identificar as evidências dos estudos de países da América Latina e do Caribe para a inclusão das síndromes transculturais na versão da Classificação Internacional de Doenças para sua 11ª Edição. MÉTODO: Os estudos foram identificados nas bases do Medline, LILACS e EMBASE, no período de 1992 a 2008, e classificados segundo o tipo de estudo, tipo de transtorno, país e número de publicações por ano. RESULTADOS: Foram selecionadas e classificadas 163 publicações: 33 no Medline, 90 no EMBASE e 40 no LILACS. A percentagem das síndromes transculturais ("culture bound-syndrome") correspondeu a 9% no Medline, 12% no EMBASE e 2,5% no LILACS. Dos 15 estudos sobre síndromes transculturais, dois eram sobre "nervios e ataque de nervios", dois sobre "susto", quatro sobre a relação entre crenças religiosas, "feitiçaria", transe e apresentação dos transtornos mentais, um sobre proposta de uma nova categoria diagnóstica, três artigos teóricos e três sobre psicopatoplastia dos transtornos mentais. CONCLUSÃO: A escassez de estudos sobre síndromes transculturais pode ter ocorrido pela dificuldade em rastrear os estudos por problema de indexação das publicações, falta de interesse em publicar tais estudos em periódicos indexados e a dificuldade de acesso às publicações. Dentre os estudos identificados, não há uma evidência clara que aponte quais modificações são necessárias nas classificações diagnósticas atuais.<hr/>OBJECTIVE: This review aims to verify the scientific evidences for the inclusion of culture bound syndromes in the International Classification of Diseases towards its 11th edition based on studies from Latin American and Caribbean countries. METHOD: Studies were identified in Medline, LILACS and EMBASE databases for the period between 1992 and 2008, and then classified according to the type of study, to the mental disorder, country and number of publications per year. RESULTS: 163 studies were selected and classified: 33 in MedlLne, 90 in EMBASE e 40 in LILACS. The percentage of culture bound-syndrome corresponded to 9% in Medline, 12% in EMBASE e 2.5% in LILACS. Among fifteen studies on cultural bound syndromes, two were about "nervios and ataque de nervios", two about "susto", four about the relationship between religion beliefs, witchery, trance and mental disorders, one with a proposal for new diagnostic category, three about theoretic issues and three about the pathoplasty of mental disorders. CONCLUSION: The scarcity of studies on culture bound syndromes might be due to the indexation problems hindering the screening of studies; lack of interest on publishing such studies in indexed journals (publication bias) and due to difficulty to access them. There is no robust evidence identified among cross-cultural studies to recommend changes for International Classification of Diseases-11th edition. <![CDATA[<b>Differential diagnosis between non-pathological psychotic and spiritual experiences and mental disorders</b>: <b>a contribution from Latin American studies to the ICD-11</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462011000500004&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Contribuir para a validade da Classificação Internacional de Doenças-11ª edição no diagnóstico diferencial entre experiências espirituais/anômalas e transtornos mentais revisando artigos de pesquisa sobre o tema em psiquiatria e psicologia envolvendo populações latino-americanas e/ou produzidos por pesquisadores latino-americanos. MÉTODO: Pesquisa em bases de dados (PubMed, PsycINFO, Scopus, and SciELO) por meio de palavras-chave (possessão, transe, experiência religiosa, experiência espiritual, Latin, Brazil) em busca de artigos com dados psicológicos e psiquiátricos originais em experiências espirituais. Também foram analisadas as referências dos artigos selecionados e autores na área foram contactados em busca de dados e referências adicionais. RESULTADOS: Há evidências consistentes que experiências psicóticas e anômalas são frequentes na população geral e que em sua maioria não estão relacionadas a transtornos psicóticos. Frequentemente, experiências espirituais envolvem experiências dissociativas e psicóticas de caráter não patológico. Embora as experiências espirituais não estejam habitualmente relacionadas a transtornos mentais, elas podem causar sofrimento transitório e são frequentemente relatadas por pacientes psicóticos. CONCLUSÃO: Propomos algumas características que sugerem a natureza não patológica de uma dada experiência espiritual: ausência de sofrimento, de prejuízo funcional ou ocupacional, compatibilidade com o contexto cultural do paciente, aceitação da experiência por outros, ausência de comorbidades psiquiátricas, controle sobre a experiência e crescimento pessoal ao longo do tempo.<hr/>OBJECTIVE: To review research articles in psychiatry and psychology involving Latin American populations and/or produced by Latin American scholars to investigate the differential diagnosis between spiritual/anomalous experiences and mental disorders in order to contribute to the validity of the International Classification of Diseases towards its 11th edition in this area. METHOD: We searched electronic databases (PubMed, PsycINFO, Scopus, and SciELO) using relevant keywords (possession, trance, religious experience, spiritual experience, latin, Brazil) for articles with original psychiatric and psychological data on spiritual experiences. We also analyzed the references of the articles found and contacted authors for additional references and data. RESULTS: There is strong evidence that psychotic and anomalous experiences are frequent in the general population and that most of them are not related to psychotic disorders. Often, spiritual experiences involve non-pathological dissociative and psychotic experiences. Although spiritual experiences are not usually related to mental disorders, they may cause transient distress and are commonly reported by psychotic patients. CONCLUSION: We propose some features that suggest the non-pathological nature of a spiritual experience: lack of suffering, lack of social or functional impairment, compatibility with the patient's cultural background and recognition by others, absence of psychiatric comorbidities, control over the experience, and personal growth over time. <![CDATA[<b>Melancholia in Latin American studies</b>: <b>a distinct mood disorder for the ICD-11</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462011000500005&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: A depressão melancólica é um diagnóstico psiquiátrico de história de vida, geralmente com episódios recorrentes. Melancolia é uma síndrome com longa duração e características específicas de psicopatologia, insuficientemente diferenciada de depressão maior por um especificador no DSM-IV e parcialmente descrito nos critérios da Classificação Internacional de Doenças-10ª Edição. Dentro da classificação atual, é frequentemente vista em pacientes gravemente doentes com depressão e transtorno bipolar. No entanto, a melancolia possui uma homogeneidade psicopatológica e biológica distinta na experiência clínica e nos marcadores de testes laboratoriais, e é diferencialmente sensível às intervenções terapêuticas específicas. O objetivo deste estudo é revisar a literatura de artigos publicados por autores latino-americanos sobre a melancolia. MÉTODO: Realizou-se busca de artigos latino-americanos de informações relevantes para a revisão da Classificação Internacional de Doenças-10ª Edição de transtornos mentais e comportamentais em pacientes com depressão melancólica. Foi avaliada a qualidade do design de todos os estudos e realizada uma revisão abrangente sobre o assunto, com o objetivo de considerar a contribuição latino-americana para inclusão da melancolia como uma entidade distinta na futura Classificação Internacional de Doenças-11ª Edição. RESULTADOS E CONCLUSÃO: Os estudos latino-americanos fundamentam o diagnóstico da melancolia com uma psicopatologia e psiconeuroendocrinologia própria que fundamentam ser reconhecida como um transtorno de humor identificável e merecedor de uma atenção específica nos sistemas de classificação, como um transtorno de humor distinto, identificável e especificamente tratável.<hr/>OBJECTIVE: Melancholic depression is a lifetime diagnosis, typically with recurrent episodes. Melancholia, a syndrome with a long history and distinctive psychopathological features, is differentiated from major depression by the DSM-IV specifiers and partly described in the International Classification of Diseases - 10th edition. Within the present classification, it is frequently seen in severely ill patients with major depression and bipolar disorder. Nevertheless, it has a distinctive psychopathology and biological homogeneity in clinical experience and laboratory test markers, and it is differentially responsive to specific treatment interventions according to international studies. The objective of this study is to review the literature published by Latin American authors about Melancholia. METHOD: We conducted a systematic search to identify scientific literature published by Latin American authors gathering information relevant to the revision of the classification of mental and behavioral disorders in patients with melancholic depression of the International Classification of Diseases - 10th edition. The review was specifically focused on literature from Brazil and Latin America in order to examine the specific Latin American contribution for the study of melancholia as a distinct entity. RESULTS AND CONCLUSION: Melancholia can be identified as a separate mood disorder with unique psychopathology and psychoneuroendocrinology, worthy of separate attention in the classification systems. We therefore suggest that melancholia be positioned as a distinct, identifiable mood disorder that requires specific treatment. <![CDATA[<b>Somatization in Latin America</b>: <b>a review of the classification of somatoform disorders, functional syndromes and medically unexplained symptoms</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462011000500006&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Os sintomas sem explicação médica são frequentes e estão associados a sofrimento mental em vários contextos. Estudos prévios apontam que as populações latino-americanas são propensas à somatização. Diante da reformulação da Classificação Internacional de Doenças para sua 11ª edição, as particularidades dos nativos desta região do mundo devem ser levadas em consideração. O objetivo deste estudo é prover informações sobre somatização na população latino-americana para a tomada de decisões quanto às categorias diagnósticas ligadas a sintomas sem explicação médica na Classificação Internacional de Doenças-11ª edição. MÉTODO: Revisão extensa da produção de 1995 a 2011 sobre somatização em populações de origem latino-americana. RESULTADOS: A análise dos 106 estudos incluídos nesta revisão foi dividida em 15 categorias: revisões sistemáticas, revisões conceituais, prevalências, atenção primária, depressão e ansiedade, fatores de risco, violência, quadros orgânicos, relacionamento com profissionais e o sistema de saúde, etnia, síndromes ligadas à cultura, síndrome da fadiga crônica, fibromialgia, transtorno dismórfico corporal, e conversão e dissociação. CONCLUSÃO: Os estudos latino-americanos confirmam a dificuldade na definição categorial de quadros com sintomas sem explicação médica. O suposto "traço somatizador" das culturas latinas pode estar associado mais à expressão cultural e linguística do que a um caráter de natureza étnica, e tais particularidades devem estar na agenda na nova classificação destes fenômenos na Classificação Internacional de Doenças-11ª edição.<hr/>OBJECTIVE: medically unexplained symptoms are common and associated with mental illness in various contexts. Previous studies show that Latin American populations are prone to somatization. Given the reformulation of the International Classification of Diseases towards its 11th edition the peculiarities of the population from this region of the world shall be taken into consideration. The objective of this study is to provide information on somatization in Latin American populations to help the decision making about medically unexplained symptoms diagnostic categories in the 11th edition of the International Classification of Diseases. METHOD: Extensive review of the academic production from 1995 to 2011 on somatization in populations of Latin American origin. RESULTS: The analysis of 106 studies included in this review was divided into 15 categories: systematic reviews, conceptual reviews, prevalence, primary care, depression and anxiety, risk factors, violence, organic conditions, relationship with health care, ethnicity, culture-bound syndromes, chronic fatigue syndrome, fibromyalgia, body dysmorphic disorder, and conversion and dissociation. CONCLUSION: The Latin American studies confirm the difficulty in defining medically unexplained symptoms categories. The supposed "somatizing trace" of Latin cultures may be linked more to cultural and linguistic expression than to an ethnic nature, and these peculiarities must be on the agenda for the new classification of these phenomena in the Classification of Diseases-11th edition. <![CDATA[<b>A review of Latin American studies on binge eating disorder</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462011000500007&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Revisar o estado de arte da literatura latino-americana sobre o transtorno da compulsão alimentar periódica. MÉTODO: Foi feita uma busca sobre estudos realizados em países latino-americanos usando-se o termo "binge eating", nas seguintes bases eletrônicas: PubMed, LILACS, SciELO e PsycINFO. O critério de inclusão foi selecionar estudos desenvolvidos com amostras latino-americanas que preencheram critérios parciais ou completos do transtorno da compulsão alimentar periódica pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais-4ª Edição. RESULTADOS: Foram rastreados 8.123 artigos e 30 preencheram o critério de inclusão (18 estudos de corte transversal, cinco ensaios clínicos, quatro relatos de casos, dois estudos de validade, um estudo de coorte). A maioria dos estudos foi conduzida no Brasil (27), um na Argentina, um na Colômbia e um na Venezuela. A prevalência de transtorno da compulsão alimentar periódica em obesos em programas para perda de peso esteve entre 16% e 51,6%. A comparação entre obesos com e sem transtorno da compulsão alimentar periódica mostrou uma maior tendência para peso mais alto, oscilação ponderal, preocupação com peso e forma corporal e associação com comorbidades psiquiátricas naqueles com transtorno da compulsão alimentar periódica. CONCLUSÃO: O transtorno da compulsão alimentar periódica mostra-se um fenômeno verificável na América Latina com características clínicas semelhantes às encontradas na literatura internacional. Esta revisão fornece subsídios para que o transtorno da compulsão alimentar periódica seja considerado uma categoria distinta de transtorno alimentar na Classificação Internacional de Doenças-11ª Edição.<hr/>OBJECTIVE: To review the state of the art of the scientific literature on binge eating disorder in Latin America. METHOD: A literature search of studies conducted in Latin American countries using the term "binge eating" was performed in the following electronic databases: PubMed, LILACS, SciELO, and PsycINFO. Selected articles described studies developed with Latin American samples that met partial or complete DSM-IV diagnostic criteria for binge eating disorder. RESULTS: 8,123 articles were screened and 30 studies met the inclusion criteria (18 cross-sectional studies, 5 clinical trials, 4 case reports, 2 validity studies, and 1 cohort study). Most of the studies were conducted in Brazil (27), one in Argentina, one in Colombia, and one in Venezuela. The prevalence of binge eating disorder among obese people attending weight loss programs ranged between 16% and 51.6%. The comparison between obese people with and without binge eating disorder showed a tendency of higher weight, longer history of weight fluctuation, more concern about shape and weight, and association with psychiatric comorbidity in those with binge eating disorder. CONCLUSION: Binge eating disorder is a detectable phenomenon in Latin America with clinical features similar to those found in the international literature. This review provides support for the consideration of binge eating disorder as a distinct eating disorder in the International Classification of Diseases - 11th edition. <![CDATA[<b>Gender-related issues in the diagnosis and classification of alcohol use disorders among Mexican patients seeking specialized services</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462011000500008&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: O objetivo do estudo foi examinar o papel do gênero no endosso dos sintomas incluídos tanto na Classificação Internacional de Doenças-10ª Edição quanto no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais-4ª Edição. MÉTODO: Seiscentos pacientes tratados por problemas ligados ao álcool em serviços ambulatórios de saúde no México foram avaliados com o Módulo sobre Abuso de Substâncias da Composite International Diagnostic Interview. RESULTADOS: A análise fatorial confirmatória com a Classificação Internacional de Doenças-10ª Edição e o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais-4ª Edição produziu dois fatores, que incluíram uma combinação de abuso/uso nocivo de álcool e sintomas de dependência, que explicaram 40% e 49,2% da variância total, respectivamente. No grupo de pacientes abuso/uso nocivo, os sintomas e as consequências sociais diferiram entre os gêneros: síndrome de abstinência, falta de controle e problemas jurídicos foram mais frequentes nos homens, enquanto as mulheres apresentaram maiores taxas de tentativas de abandonar o álcool e dificuldades para realizar atividades diárias. Fatores específicos de gênero diferenciaram abuso/uso nocivo da dependência, como a perda de controle e o tempo gasto para beber, no caso dos homens, e do desejo de beber entre as mulheres, de acordo com os critérios de dependência do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais-4ª Edição, e presença de sintomas físicos em homens, problemas sociais/família, e desejo e esforço fútil de parar de beber em mulheres, segundo o critério de dependência da Classificação Internacional de Doenças-10ª Edição. CONCLUSÃO: Futuros sistemas de classificação da toxicomania devem levar em conta as diferenças entre os sexos, a fim de ajudar a suprimir a lacuna de tratamento para as mulheres.<hr/>OBJECTIVE: The objective of the study was to examine the role of gender in the endorsement of symptoms included in both the International Classification of Diseases-10th Edition and the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders-4th Edition. METHOD: Six hundred patients treated for alcohol-related problems in outpatient services in Mexico were evaluated with the Substance Abuse Module of the Composite International Diagnostic Interview. RESULTS: Confirmatory factor analyses using the International Classification of Diseases-10th Edition and Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders-4th Edition criteria produced two factors that included a combination of abuse/harmful alcohol use and dependence symptoms, which explained 40% and 49.2% of the total variance, respectively. In the abuse/harmful use groups of patients, symptoms and social consequences differed according to gender: withdrawal syndrome, lack of control and legal problems were more frequent in men, while women exhibited higher rates of attempts to give up alcohol and difficulties to accomplish daily activities. Specific gender-related factors differentiated abuse/harmful use from dependence, such as loss of control and time spent to drink in the case of men and desire to drink among women, according to the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders-4th Edition dependence criteria; and presence of physical symptoms in men and family/social problems, craving, and futile effort to stop drinking in women, according to the International Classification of Diseases-10th Edition dependence criteria. CONCLUSION: Future classification systems of substance abuse disorders should take into account differences between genders in order to help closing the treatment gap for women.