Scielo RSS <![CDATA[Sociologias]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1517-452220010002&lang=en vol. num. 6 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Ciência, tecnologia e desenvolvimento</b>: <b>estratégias sustentáveis</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222001000200001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Helices, systems, environments and models</b>: <b>challenges to Sociology of innovation</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222001000200002&lng=en&nrm=iso&tlng=en A revolução científico-tecnológica dos últimos vinte anos operou mudanças profundas e aceleradas nas formas de produzir e nas relações sociais que as acompanham. O objeto primordial da Sociologia, a mudança social, adquire complexidade cada vez maior e desafia os potenciais teóricos e metodológicos da disciplina. Esses processos atuais de mudança podem ser sintetizados na expressão "sociedade do conhecimento". A inovação (em seu sentido mais amplo, tecnológico e social) torna-se objeto-chave - tanto para a ciência social quanto para as políticas e estratégias de desenvolvimento. Se no estudo de processos de inovação a sociologia pode construir conceitos com alto poder explicativo para as especificidades de ambientes culturais e político-institucionais, constata-se que a maioria das pesquisas sobre inovação e desenvolvimento até agora realizadas no Brasil ainda não satisfaz as necessidades de compreensão e análise de processos de inovação. Este artigo expõe um conjunto de três fatores intimamente articulados que parecem estar restringindo a capacidade de análise e explicação desses processos, acompanhados por contrapontos estratégicos que visam a enriquecer e potencializar os estudos no campo da inovação.<hr/>The scientific-technological revolution in the past twenty years has operated deep and fast changes in production ways and in the social relations that follow. Sociology's primary object, i.e., social change, becomes increasingly complex and challenges the discipline's theoretical and methodological potential. Those current processes of change can be summarized in the expression "knowledge society". Innovation (in its broader sense, technological and social) becomes a key object both for social science and for the development of policies and strategies. While sociology can build concepts with a high explanatory power for the specificity of cultural and political-institutional environments though the study of innovation processes, it has been demonstrated that most of the research on innovation and development so far carried out in Brazil does not fulfill the needs of understanding and analyzing innovation processes. This article presents a set of three closely related factors that seem to be restraining the capability to analyze and explain those processes, followed by strategic counterarguments aimed at contributing and strengthening the studies in the innovation field. <![CDATA[<b>Scientific community, State and universities in the current stage of scientific technological development</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222001000200003&lng=en&nrm=iso&tlng=en O trabalho discute a relação entre a comunidade científica, o Estado e a universidade no contexto atual do desenvolvimento científico-tecnológico. Enfatiza a dimensão política das transformações recentes, sobretudo no tocante aos sistemas decisórios, contrapondo momento mais verticalizado com cenário mais democratizado, e as conseqüências das transformações políticas contemporâneas, na sociedade brasileira. Procura analisar as mútuas correlações entre o Estado, as universidades e as comunidades científicas, a partir do entendimento da especificidade de cada um destes atores na condução do desenvolvimento científico-tecnológico nacional. A esse respeito, é analisado todo um conjunto de ações que se coadunam com o novo modo de produção do conhecimento, buscando destacar a natureza controversa e polêmica da inserção do Estado e o caráter conservador da comunidade científica, bem como a resistência da universidade na proposição de novas linhas de atuação no enfrentamento dos desafios trazidos pela ciência e tecnologias contemporâneas.<hr/>This article discusses the relationship between scientific community, the State and university in the current circumstances of scientific-technological development. It stresses the political dimension of recent changes, specially regarding decision systems, comparing a more vertical moment and a more democratic scenario and the consequences of contemporary political changes in Brazilian society. It examines mutual relations between the State, universities and the scientific community, based on the understanding of each of those actors' specificities in advancing national scientific-technological development. A whole set of actions is examined in accordance with knowledge's new mode of production in order to highlight the controversial nature of the State and the conservative character of the scientific community as well as the resistance of the university in proposing new lines of action to face the challenges brought about by contemporary science and technology. <![CDATA[<b>Processos de inovação e políticas de ciência e tecnologia</b>: <b>um olhar sobre a função social da escola brasileira na contemporaneidade</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222001000200004&lng=en&nrm=iso&tlng=en O trabalho discute a relação entre a comunidade científica, o Estado e a universidade no contexto atual do desenvolvimento científico-tecnológico. Enfatiza a dimensão política das transformações recentes, sobretudo no tocante aos sistemas decisórios, contrapondo momento mais verticalizado com cenário mais democratizado, e as conseqüências das transformações políticas contemporâneas, na sociedade brasileira. Procura analisar as mútuas correlações entre o Estado, as universidades e as comunidades científicas, a partir do entendimento da especificidade de cada um destes atores na condução do desenvolvimento científico-tecnológico nacional. A esse respeito, é analisado todo um conjunto de ações que se coadunam com o novo modo de produção do conhecimento, buscando destacar a natureza controversa e polêmica da inserção do Estado e o caráter conservador da comunidade científica, bem como a resistência da universidade na proposição de novas linhas de atuação no enfrentamento dos desafios trazidos pela ciência e tecnologias contemporâneas.<hr/>This article discusses the relationship between scientific community, the State and university in the current circumstances of scientific-technological development. It stresses the political dimension of recent changes, specially regarding decision systems, comparing a more vertical moment and a more democratic scenario and the consequences of contemporary political changes in Brazilian society. It examines mutual relations between the State, universities and the scientific community, based on the understanding of each of those actors' specificities in advancing national scientific-technological development. A whole set of actions is examined in accordance with knowledge's new mode of production in order to highlight the controversial nature of the State and the conservative character of the scientific community as well as the resistance of the university in proposing new lines of action to face the challenges brought about by contemporary science and technology. <![CDATA[<b>Research, technology and competitiveness in brazilian agrarian activity</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222001000200005&lng=en&nrm=iso&tlng=en As transformações estruturais que ocorrem na agropecuária brasileira estão em interface com o desenvolvimento científico e tecnológico voltados para o setor. A consolidação de um novo referencial em Ciência e Tecnologia Agropecuária, apresenta-se como possibilidade de reconstruir um consenso pela noção de competitividade, a qual reintroduz a centralidade positiva do trabalho, porém vinculada à responsabilidade e eficiência individual, perpetuando e acentuando as diferenças pelo acesso diferenciado às oportunidades. A análise leva em conta o conflito conceitual entre a racionalidade competitiva das agroindústrias, que priorizam a produtividade para a cumulação - recriando formas de sujeição pela desqualificação do tradicional e pela desmobilização política - e a racionalidade daqueles agricultores que, através de suas organizações, priorizam a sua reprodução social e a sustentabilidade de seu modo de produção e de vida. A contraposição do conceito de produtividade pelo de reprodutibilidade ou sustentabilidade social como parte do conceito de competitividade contribui para a produção de uma cultura de resistência, especialmente entre agricultores familiares. A instabilidade e diminuição dos investimentos públicos em pesquisa e em tecnologia, não compensados pelo privado, comprometem a competitividade futura da agropecuária brasileira.<hr/>Structural changes going on in Brazilian agrarian activity interface with scientific and technological development within the field. The establishment of a new reference in agrarian Science and Technology is a new possibility for rebuilding consensus around the notion of competitiveness, which brings backs labor's positive central role, now linked to individual responsibility and efficiency, perpetuating and deepening differences through unequal access to opportunities. The study includes the conceptual conflict between agroindustries' competitive rationality, which prioritize productivity aimed at accumulation _ recreating forms of submission by downplaying what is traditional and through political demobilization _ and the rationality of those farmers which, through their organizations, prioritize social reproduction and sustainability of their like and production mode. The opposition between the concept of productivity and that of social reproducibility or sustainability as part of the notion of competitiveness adds to the generation of a resistance culture, specially between family farmers. Instability and decrease in public investments in research and technology, not offset by private ones, compromise Brazilian agrarian activity future competitiveness. <![CDATA[<b>Individual and society in higher education policy discourse</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222001000200006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este ensaio busca compreender algumas das visões de sociedade presentes no processo de construção dos discursos oficiais que legitimam as atuais políticas públicas de educação superior, a partir de uma reflexão que explicite os referenciais teóricos e metodológicos da oposição clássica entre indivíduo e sociedade na teoria sociológica.<hr/>This essay is an effort to understand some of society's views within the process of building official discourses legitimating public policies for higher education. Its starting point is a reflection that expresses the theoretical and methodological references of the classical opposition between individual and society in sociological theory. <![CDATA[<b>Globalization and inequality</b>: <b>issues of conceptualization and of explanation</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222001000200007&lng=en&nrm=iso&tlng=en O título do artigo refere-se a três conjuntos de questões fundamentais e controvertidas, não resolvidas entre os cientistas sociais, para não falar dos cidadãos sociais. Duas delas são basicamente conceituais e teóricas, a outra é, ao mesmo tempo, conceitual e empírica. Em primeiro lugar, o que é globalização? De que forma devemos conceitualizá-la? Em segundo, que tipos de desigualdade podem ser identificados e quais são os mais pertinentes? E, em terceiro lugar, que tipos de processos geram a desigualdade global que estamos observando e vivenciando? Não podemos esperar encontrar uma resposta direta para qualquer dessas perguntas, já que nenhuma delas a tem. Os objetivos deste artigo são o de contribuir para o esclarecimento das alternativas, bem com de eventuais implicações para a sua adoção, propor uma determinada abordagem conceitual-analítica e apresentar argumentos empíricos para uma abordagem multifacetada sobre a geração de desigualdade no mundo. A globalização e a desigualdade são duas encruzilhadas das ciências sociais e da filosofia social, abordadas aqui pelo autor a partir de sua formação como sociólogo e cientista político.<hr/>This paper refers to three sets of fundamental issues which are still controversial and unsettled among social scientists. Two are basically conceptual or theoretical, one is both conceptual and empirical. First, what is globalization? How should it be conceptualized? Second, what kinds of inequality can be distinguished, and what are the most pertinent? Third, what kinds of processes produce the global outcomes of inequality that we are observing and experiencing? None of the three questions above has, and can be expected to get one straight answer. The aims of this paper are to conribute to a clarification of alternatives and their implications, to argue a certain conceptual-analytical viewpoint, and to provide some empirical arguments for a multi-faceted approach to the production of inequality in the world. Globalization and inequality are two crossroads of the social sciences and of social philosophy. This writer is reaching them from a background as a sociologist and as a political scientist. <![CDATA[<b>Globalization and exclusion</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222001000200008&lng=en&nrm=iso&tlng=en O propósito deste trabalho é repensar o processo de desenvolvimento do capitalismo, apontando para algumas das inúmeras contradições da sociedade global. São analisadas duas questões fundamentais: o crescente processo de exclusão social, de grande parte da população mundial, e o papel do Estado-Nação. Considera-se esta última questão extremamente relevante, pois diante de uma tendência intrínseca do sistema à concentração da riqueza, de um lado, e a expansão da pobreza, de outro, o Estado se apresenta como a única salvaguarda real dos interesses vitais dos excluídos em cada país. Discutem-se também alguns aspectos da crise atual do sistema capitalista e o impacto do modelo neoliberal no acirramento das contradições sociais e na polarização dos interesses de classe. Propõe-se uma reflexão sobre formas alternativas de organização social.<hr/>The purpose of this work is to rethink the process of capitalist development, pointing out to some of global society's numerous contradictions. Two central issues are examined: the growing process of social exclusion of a sizable part of the world population and the role of the nation-state. The latter is seen as extremely relevant in the light of the system's intrinsic trend to concentrate wealth while expanding poverty, when the state comes as the only real safeguard for vital interests of those excluded in each country. Some aspects of the current crisis in the capitalist system and the impact of the neoliberal model in deepening social contradictions and polarizing class interests are also discussed. A reflection on alternative forms of social organization is put forward. <![CDATA[<b>Globalization and its consequences on "stable" workers</b>: <b>Oil workers at Fafen/Petrobras</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222001000200009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Esse trabalho busca contribuir para discussão da globalização e seus reflexos sobre os trabalhadores ditos estáveis, suas organizações, a subjetividade operária e o chão da fábrica a partir de Sergipe na década de 90, no caso particular da Fábrica de Fertilizantes da Petrobrás (Fafen/Petrobrás). A tabulação e análise dos dados coletados, nos possibilita algumas conclusões: 1) As mudanças ocorridas no chão da fábrica denotam uma precarização das condições de trabalho externalizadas em: menos postos de serviço, mais tarefas, menos segurança, menos estabilidade, perda e flexibilização de direitos. Esse processo atinge diretamente os trabalhadores tidos como estáveis permitindo-nos concluir que não são precisas as afirmações que os denominam de "elite" ou privilegiados; 2) o sindicato da categoria, apesar da experiência dos seus quadros diretivos, que estavam à frente do movimento desde o início dos anos 80, tendo inclusive posição destacada a nível nacional, apesar do seu nível de organização e da sua inserção no interior da unidade fabril, foi incapaz de encontrar formas alternativas ao avanço da empresa, que consegue retirar muitas conquistas anteriores e cooptar antigas lideranças, criando um clima de impotência e atingindo diretamente a subjetividade da classe.<hr/>The article is aimed at contributing to the debate on so-called stable workers, their organizations, worker's subjectivity and the factory's environment in the state of Sergipe in the 1990s, in the particular case of the Fafen/Petrobras fertilizer maker. Tabulation and analysis of collected data points out to some conclusions: 1) Changes in the factory environment show impoverishment in work conditions, materialized as: less positions, more tasks, less safety, less stability, loss and flexibilization of rights. That process strikes workers seen as stable, which shows the inaccuracy of calling them "elite" or privileged.; 2) Their Union, in spite of their leaders' experience, who were ahead of the national movement since the 1980s, even though it has a high organizational level and inside-factory links, was not able to find alternative ways to face the Company's canceling several prior benefits and co-opting old leadership, generating a weakness feeling and directly damaging worker's subjectivity. <![CDATA[<b>Crisis-paradigmatic regeneration of sociology and economic system</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222001000200010&lng=en&nrm=iso&tlng=en Trata o presente texto de análise de aspectos do estado atual de desenvolvimento da Sociologia, utilizando como ponto de partida a polarização de suas preocupações, definidas entre o campo da economia e da política. Busca, neste sentido, estabelecer a conexão histórica entre as transformações paradigmáticas experimentadas pela Sociologia nos últimos quarenta anos, a crise da política econômica keynesiana, juntamente com seus desdobramentos na esfera das relações políticas, e o processo de globalização. Ensaia também uma análise das perspectivas que se apresentam à disciplina em face do conjunto de situações novas que se delineiam no horizonte da evolução do processo de conhecimento, especialmente a partir da difusão das teorias que sustentam a unificação dos campos científicos.<hr/>The article analyses currents aspects of sociology's development having as its starting point the polarizing of its concerns, defined between the fields of economy and politics. It aims at establishing the historical connection between paradigmatic changes in sociology during the last forty years, the crisis of Keynesian economic policy with its consequences in the political relations arena and the process of globalization. It also attempts to examine the discipline's perspective in the face of the new circumstances seen in the developments in the knowledge process, specially after the spreading of theories favoring the unification of scientific fields. <![CDATA[<b>Education and cooperation</b>: <b>related practices</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222001000200011&lng=en&nrm=iso&tlng=en A educação e a cooperação são duas práticas sociais que, sob certos aspectos, uma contém a outra. Na educação pode-se identificar práticas cooperativas e na cooperação pode-se identificar práticas educativas. Entrelaçam-se e potencializam-se como processos sociais. A organização da cooperação exige de seus atores uma comunicação de interesses, de objetivos, a respeito do qual precisam falar, argumentar e decidir. Nesse processo de interlocução de saberes de cada associado acontece a educação. Há, portanto, uma estreita relação entre esses dois fenômenos: na prática cooperativa, para além de seus propósitos e interesses específicos, produz-se conhecimento, aprendizagem, educação; na prática educativa, como um processo complexo de relações humanas, produz-se cooperação. Assim, as práticas cooperativas na escola podem constituir-se em privilegiados "espaços pedagógicos", através dos quais os seus sujeitos tomam consciência das diferentes dimensões da vida social.<hr/>Education and cooperation are two social practices which somewhat contain each other. We can identify cooperative practices in the former and educative ones in the latter. Both entangle and empower each other. Organizing cooperation demands communication of interests, objectives from its actors, on which they need to talk, argue and decide. Education happens in that process of interlocution between each one's knowledge. Therefore, there is a strict relationship between the two phenomena: in cooperative practice, beyond its purposes and specific interests, knowledge, learning, education are produced; in educational practice, as a complex process of human relations, cooperation is produced. Thus, cooperative practices in school can become privileged "pedagogical spaces", to which subjects acquire awareness of social life's several dimensions. <![CDATA[<b>Morality and responsibility in somber times</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222001000200012&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este ensaio pretende discutir a questão da moralidade em tempos de crise a partir das contribuições do psicanalista inglês Donald Winnicott sobre o surgimento da preocupação-com-o-outro e da reflexão do sociólogo polonês Zygmunt Baumann sobre moralidade e responsabilidade. Concluímos com a sugestão de que nosso desafio talvez esteja exatamente no desenvolvimento de nossa capacidade de imaginação tendo como objetivo a superação da equação proposta entre proximidade-moralidade/distância-imoralidade. Talvez apenas o poder da imaginação, o poder com o qual uma pessoa consegue se imaginar no lugar da outra, possa nos dar alguma esperança, e possibilitar que, mesmo à distância, possamos nos sentir moralmente responsáveis uns pelos outros.<hr/>This essay aims at debating the morality issue from British psychoanalyst Donald Winnicot's point of view on the appearance of the concern for the other and Polish sociologist Zygmund Baumann's ideas on morality and responsibility. We close with the suggestion that our challenge might reside precisely in developing our imaginative capability in order to overcome the proximity-morality/distance-immorality equation. Perhaps only the power of imagination - "the power through which one person can imagine himself or herself in the other's place" - is able to give some hope and allow us to feel morally responsible for each other. <![CDATA[<b>... sobre medusas, sexo & ...</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222001000200013&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este ensaio pretende discutir a questão da moralidade em tempos de crise a partir das contribuições do psicanalista inglês Donald Winnicott sobre o surgimento da preocupação-com-o-outro e da reflexão do sociólogo polonês Zygmunt Baumann sobre moralidade e responsabilidade. Concluímos com a sugestão de que nosso desafio talvez esteja exatamente no desenvolvimento de nossa capacidade de imaginação tendo como objetivo a superação da equação proposta entre proximidade-moralidade/distância-imoralidade. Talvez apenas o poder da imaginação, o poder com o qual uma pessoa consegue se imaginar no lugar da outra, possa nos dar alguma esperança, e possibilitar que, mesmo à distância, possamos nos sentir moralmente responsáveis uns pelos outros.<hr/>This essay aims at debating the morality issue from British psychoanalyst Donald Winnicot's point of view on the appearance of the concern for the other and Polish sociologist Zygmund Baumann's ideas on morality and responsibility. We close with the suggestion that our challenge might reside precisely in developing our imaginative capability in order to overcome the proximity-morality/distance-immorality equation. Perhaps only the power of imagination - "the power through which one person can imagine himself or herself in the other's place" - is able to give some hope and allow us to feel morally responsible for each other. <![CDATA[<b>Renato Oliveira</b>: <b>C&T e o Estado do Rio Grande do Sul</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222001000200014&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este ensaio pretende discutir a questão da moralidade em tempos de crise a partir das contribuições do psicanalista inglês Donald Winnicott sobre o surgimento da preocupação-com-o-outro e da reflexão do sociólogo polonês Zygmunt Baumann sobre moralidade e responsabilidade. Concluímos com a sugestão de que nosso desafio talvez esteja exatamente no desenvolvimento de nossa capacidade de imaginação tendo como objetivo a superação da equação proposta entre proximidade-moralidade/distância-imoralidade. Talvez apenas o poder da imaginação, o poder com o qual uma pessoa consegue se imaginar no lugar da outra, possa nos dar alguma esperança, e possibilitar que, mesmo à distância, possamos nos sentir moralmente responsáveis uns pelos outros.<hr/>This essay aims at debating the morality issue from British psychoanalyst Donald Winnicot's point of view on the appearance of the concern for the other and Polish sociologist Zygmund Baumann's ideas on morality and responsibility. We close with the suggestion that our challenge might reside precisely in developing our imaginative capability in order to overcome the proximity-morality/distance-immorality equation. Perhaps only the power of imagination - "the power through which one person can imagine himself or herself in the other's place" - is able to give some hope and allow us to feel morally responsible for each other.