Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Medicina do Esporte]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1517-869219970004&lang=en vol. 3 num. 4 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <link>http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921997000400001&lng=en&nrm=iso&tlng=en</link> <description/> </item> <item> <title><![CDATA[<b>On combining samples that differ allometrically with size</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921997000400002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Um introdução ilustrada à teoria dimensional é utilizada para enfocar a questão do agrupamento de amostras que diferem alometricamente em tamanho. Nenhuma das idéias foram originadas pelo autor. Na realidade, os princípios são bem conhecidos. Os proponentes do índice de massa corporal que utilizam uma escala comum para indivíduos entre 20 e 65 anos de idade os ignoram escandalosamente. O erro ao agrupar amostras é demonstrado utilizando-se regressões log-log do peso em relação ao preditor altura para homens, mulheres e amostras combinadas de homens e mulheres em incrementos de 5 anos de 20 a 65 anos de idade. Este artigo serve como um convite para examinar a premissa da constância biológica ilustrada pelo tão conhecido índice de massa corporal, que nunca foi verdadeiro e, agora na era do microcomputador, é desnecesário.<hr/>An anecdotal introduction to dimensional theory is used to focus on the issue of combining samples that differ allometrically with size. None of the ideas are original with the author. Indeed, the principles are well-known. Proponents of the body mass index who propose a common scale for individuals 20 to 65 years old blatantly ignore them. The error of combining samples is demonstrated using log log regressions of weight on one predictor height for men, women, and combined samples of men and women in five-year age increments from age 20 to 65 years. This paper serves as an invitation to examine the assumption of biological constancy illustrated by the so-called body mass index that was never true and now in the microcomputer age is unnecessary. <![CDATA[<b>Effect of specific exercise training in metabolic and cardiorespiratory responses at rest and maximum exercise in professional soccer players</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921997000400003&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo deste estudo foi analisar as alterações provocadas pelo treinamento físico específico (TFE) nas respostas cardiorrespiratórias e metabólicas de 16 jogadores de futebol profissional, com média de idade de 24,2 ± 3,6 anos. Todos os atletas foram avaliados antes e depois de quinze semanas de um programa de TFE, durante período competitivo. Os futebolistas foram submetidos a teste máximo em esteira rolante, utilizando-se o protocolo de Ellestad20. A resposta de freqüência cardíaca (FC) foi registrada por meio de um eletrocardiógrafo de 3 derivações simultâneas e a pressão arterial (PA), por meio de método auscultatório. A ventilação pulmonar (V E), o consumo de oxigênio (VO2), a produção de dióxido de carbono (VCO2) e a razão de troca respiratória (RER) foram calculados a partir de valores medidos por um sistema espirométrico computadorizado (Beckman) e a capacidade anaeróbia máxima, por meio da concentração sanguínea de ácido lático, utilizando-se analisador automático. O TFE não modificou significativamente a FC máxima (192 ± 8 vs. 186 ± 6bpm) e a PA sistólica máxima (196 ± 10 vs. 198 ± 8mmHg). A resposta ventilatória máxima foi significativamente aumentada (129 ± 19 vs. 140 ± 16L.min_1 [p< 0.05]), enquanto a capacidade aeróbia máxima não foi significativamente modificada (50,0 ± 6,0 vs. 53,0 ± 5,0ml.kg._1min_1) por esse treinamento. Ao contrário, a capacidade anaeróbia máxima aumentou significativamente (8,3 ± 0,2 vs. 9,8 ± 2,4mmol.L_1 [p< 0,05]). Concluiu-se: 1) o TFE não modificou as respostas de FC e PA no repouso e no exercício máximo; 2) a maior V E no exercício máximo associada a elevada concentração sanguínea de ácido lático demonstraram que o TFE utilizado nesse estudo foi caracterizado por exercícios predominantemente intensos; e 3) o TFE não representou estímulo adequado para aumentar a capacidade aeróbia máxima dos futebolistas.<hr/>The purpose of this investigation was to study the effect of specific training on cardiorespiratory and metabolic responses in sixteen male professional soccer players, aged 24.2 ± 3.6 years old. They were evaluated before and after fifteen weeks of specific training. All subjects were submitted to an exercise test on treadmill, using Ellestad's protocol. The heart rate was recorded by means of ECG, and the arterial blood pressure by auscultatory measurement. Oxygen uptake, carbon dioxide production, and pulmonary ventilation were measured by a Measurement Metabolic Cart (Beckman). Maximum anaerobic capacity was evaluated by blood lactate concentration, using an automated analyzer. Specific training did not modify the maximum heart rate (192 ± 8 vs. 186 ± 6 beats.min_1) and the maximum systolic blood pressure (196 ± 10 vs. 198 ± 8 mmHg). Maximum respiratory ventilation was significantly increased by specific training (129 ± 19 vs. 140 ± 16 L.min_1), whereas maximum aerobic capacity was not significantly increased (50 ± 6 vs. 53 ± 5 ml.kg._1 min_1 ofO2). On the other hand, maximum aerobic capacity improved significantly (8.3 ± 0.2 vs. 9.8 ± 2.4 mmol.L_1). Conclusion: 1) the specific training used in the present study did not modify heart rate and arterial blood pressure responses at rest and during maximum exercises; 2) improvement of maximum pulmonary ventilation and higher lactic acid concentrations during maximum exercise showed that the exercise training used in this study was predominantly characterized by intense exercise, and 3) specific training was not an adequate stimulus to improve maximum aerobic capacity of the soccer players. <![CDATA[<b>Physical activity for the elderly</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921997000400004&lng=en&nrm=iso&tlng=en A população de idosos vem crescendo de forma importante no mundo e o que parecia ser um problema dos países desenvolvidos vem se reproduzindo nos países mais pobres. A atividade física aparece como uma forma de permitir que os indivíduos mais velhos tenham mais saúde e se tornem mais independentes. Para que isso possa ocorrer, o programa de exercícios deve ser feito com segurança, habitualmente precedido de um teste ergométrico com protocolo individualizado, com programas de atividades apresentando períodos de aquecimento e relaxamento mais longos e graduais. Os benefícios são evidentes tanto na aptidão física quanto na esfera psicológica, levando essa população a maior integração na sociedade.<hr/>The elderly population is growing in the world in such an important proportion, that what seemed to be a trend only in developed countries is also occurring in the less developed nations. In this scenario, physical activity comes as an interesting manner to provide the elderly with an opportunity to maintain their health and to assure independence. In order to accomplish this goal, an exercise program must be carried out with safety, usually preceded by an exercise tests and a customized protocol, and with activity programs including long and gradual periods of warming-up and cooling-down. Benefits on physical fitness and psychological conditions are evident, providing a better social integration of these individuals. <![CDATA[<b>Climacteric women</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921997000400005&lng=en&nrm=iso&tlng=en O autor faz uma revisão sobre os diversos aspectos envolvidos na abordagem clínica do climatério. É enfatizado o papel do exercício, salientando que os dados da literatura, relacionando a atividade física com a síndrome climatérica, são, muitas vezes, oriundos de estudos com importantes falhas metodológicas.<hr/>The author reviews many aspects that involve the clinical approach of climacteric women. Emphasis is placed on exercise practice and on the fact that inconsistent results in the literature regarding physical activity and climacteric syndrome may result from inadequate assessment measurements. <![CDATA[<b>Hipertensão arterial sistêmica e atividade física</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921997000400006&lng=en&nrm=iso&tlng=en O autor faz uma revisão sobre os diversos aspectos envolvidos na abordagem clínica do climatério. É enfatizado o papel do exercício, salientando que os dados da literatura, relacionando a atividade física com a síndrome climatérica, são, muitas vezes, oriundos de estudos com importantes falhas metodológicas.<hr/>The author reviews many aspects that involve the clinical approach of climacteric women. Emphasis is placed on exercise practice and on the fact that inconsistent results in the literature regarding physical activity and climacteric syndrome may result from inadequate assessment measurements. <![CDATA[<b>Treinamento físico excessivo em crianças e adolescentes</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921997000400007&lng=en&nrm=iso&tlng=en O autor faz uma revisão sobre os diversos aspectos envolvidos na abordagem clínica do climatério. É enfatizado o papel do exercício, salientando que os dados da literatura, relacionando a atividade física com a síndrome climatérica, são, muitas vezes, oriundos de estudos com importantes falhas metodológicas.<hr/>The author reviews many aspects that involve the clinical approach of climacteric women. Emphasis is placed on exercise practice and on the fact that inconsistent results in the literature regarding physical activity and climacteric syndrome may result from inadequate assessment measurements. <![CDATA[<b>Programas adequados e inadequados para redução de peso</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921997000400008&lng=en&nrm=iso&tlng=en O autor faz uma revisão sobre os diversos aspectos envolvidos na abordagem clínica do climatério. É enfatizado o papel do exercício, salientando que os dados da literatura, relacionando a atividade física com a síndrome climatérica, são, muitas vezes, oriundos de estudos com importantes falhas metodológicas.<hr/>The author reviews many aspects that involve the clinical approach of climacteric women. Emphasis is placed on exercise practice and on the fact that inconsistent results in the literature regarding physical activity and climacteric syndrome may result from inadequate assessment measurements.