Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Medicina do Esporte]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1517-869219990004&lang=en vol. 5 num. 4 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>O exercício na insuficiência cardíaca</b>: <b>da contra-indicação à evidência científica</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921999000400001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Posicionamentos e orientações institucionais</b>: <b>uma nota de cautela</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921999000400002&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Ventilatory threshold profile during exercise and peak oxygen uptake verified in female soccer players</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921999000400003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Foram avaliadas 37 jogadoras de futebol, com média de idade de 21,5 ± 5,9 anos, peso de 57,0 ± 8,3kg, estatura de 161 ± 7cm e índice de massa corpórea de 21,8 ± 2,1kg/m². Todas as atletas foram submetidas à avaliação espirométrica e metabólica, por meio de um sistema computadorizado de análise de gases expirados (modelo Vmax 29c, SensorMedics, EUA). A resposta cardiovascular foi verificada por meio de um eletrocardiógrafo computadorizado (modelo 6.4, HeartWare, BRA). A capacidade física máxima foi avaliada por meio de teste de esforço realizado em esteira rolante (modelo ATL-10.100, Inbramed, BRA) utilizando-se protocolo escalonado contínuo. Os seguintes parâmetros e os resultados encontrados foram: no limiar ventilatório 1 (LV1): VO2 = 30,5 ± 3,7ml O2.kg-1.min-1; % VO2 = 64 ± 7%; velocidade de corrida = 8,1 ± 0,3km.h-1; FC = 154 ± 9bpm. No limiar ventilatório 2 (LV2): VO2 = 40,9 ± 4,5ml O2.kg-1.min-1; % VO2 = 85,7 ± 4,9%; velocidade de corrida = 11,4 ± 1,1km.h-1; FC = 179 ± 7bpm. O VO2 de pico foi de 47,4 ± 4,1ml O2.kg-1.min-1. CONCLUSÃO: A verificação de limiares ventilatórios e a potência aeróbia em jogadoras de futebol são parâmetros fisiológicos de grande importância, pois permitem ampliar suas aplicações práticas, qualificando, controlando e desenvolvendo de modo mais adequado e objetivo o treinamento físico dessas atletas.<hr/>Thirty-seven female soccer players aged 21.5 ± 5.9, weight 57.0 ± 8.3 kg, height 161 ± 7 cm and body mass index 21.8 ± 2.1 kg/m² were submitted to spirometric and metabolic evaluation by a computerized analysis system of expired gases (model Vmax 29c, SensorMedics, EUA). Cardiovascular response was recorded by means of a computerized ECG (model 6.4, HeartWare, BRA). Maximum physical capacity was evaluated by a treadmill test (model ATL 10.100, Inbramed, BRA), using incremental continuous protocol. The parameters and results were: in ventilatory threshold 1 (VT1): VO2 = 30.5 ± 3.7 ml O2.kg-1.min-1; %VO2 = 64 ± 7%; running velocity = 8.1 ± 0.3 km.h-1; HR = 154 ± 9 bpm; in ventilatory threshold 2 (VT2): VO2 = 40.9 ± 4.5 ml O2.kg-1.min-1; %VO2 = 85.7 ± 4.9%; running velocity = 11.4 ± 1.1 km.h-1; HR = 179 ± 7 bpm. The peak VO2 was 47.4 ± 4.1 ml O2. kg-1.min-1. In conclusion, the ventilatory thresholds and the aerobic power verified in female soccer players are physiological parameters of great importance, as they make it possible to enlarge their practical application, qualifying, controlling and developing the physical training of such athletes in a more practical and objective manner. <![CDATA[<b>Descriptive study on visual acuity response without correction and computerized non-contact intraocular pressure in amateur and professional (football) soccer players</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921999000400004&lng=en&nrm=iso&tlng=en O principal objetivo deste estudo foi verificar as possíveis alterações de acuidade visual e pressão intra-ocular em jogadores de futebol. A clínica Oftalmos e Cirurgia Oftalmológica submeteu à avaliação oftalmológica 127 atletas futebolistas provenientes de várias categorias, incluindo mulheres, com idades variando de 14 a 33 anos. Todos foram submetidos a testes de acuidade visual sem correção, utilizando-se a tabela de Snellen e avaliando-se a pressão intra-ocular de não contato com um tonômetro computadorizado (modelo TX-10, Canon, EUA). Além disso, os atletas foram submetidos a exame de auto-refração, no equipamento auto-refrator (modelo R-30, Canon, EUA). Os seguintes parâmetros utilizados e os resultados encontrados foram: dos 127 atletas avaliados, 56 (44%) apresentaram alterações de auto-refração, consideradas de grau mais ou menos importante em um ou ambos os olhos. No teste de acuidade visual, 3% e 2,4% dos atletas apresentaram, no OD e OE, somente 20/100 e 20/200 pés de visão, respectivamente. Em uma jogadora, foi constatada catarata puntata congênita. Os resultados da tonometria mostraram, em 5 atletas de cor negra, quadro suspeito de glaucoma (necessitando investigação mais apurada).Concluindo, o estudo comprovou a importância da oftalmologia como medida preventiva e/ou corretiva na identificação de possíveis alterações oftalmológicas em atletas futebolistas, devendo ser uma prática rotineira nesse esporte.<hr/>The main purpose of this study was to verify possible visual acuity alterations and intraocular pressure in soccer players. An ophthalmological evaluation in 127 soccer athletes belonging to various categories, including female (ages ranging from 14 to 33), was carried out by the Ophthalmologic Clinic Oftalmos. The athletes were all submitted to visual acuity tests without correction, using the Snellen chart and the non-contact intraocular pressure by means of computerized tonometer (TX-model, Canon , USA). They were also submitted to a self-refraction examination using a self refractor (R-30 model, Canon, USA). The parameters used and the results obtained were the following: 56 (44%) of the 127 athletes submitted to evaluation presented self-refractions considered fairly important in one or both eyes. In the visual acuity test 3% and 2.4% of the athletes presented in the right and left eye only 20/100 and 20/200 feet of sight, respectively. The presence of a congenital punctate cataract was found in a female player. Tonometry results in five black athletes showed signs of glaucoma, which, however, will require more detailed investigation. In conclusion, the study confirmed the importance of ophthalmology as a preventive and/or corrective measure in order to identify possible ophthalmological alterations in soccer-playing athletes. <![CDATA[<b>Rehabilitation and physical training after heart transplantation</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921999000400005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Nas últimas décadas a prática regular de atividade física tem sido estimulada entre pessoas saudáveis e pacientes cardiopatas. Os programas de reabilitação cardíaca têm objetivos profiláticos e terapêuticos. Entretanto, existem poucos relatos de programas de reabilitação e condicionamento físico pós-transplante cardíaco no Brasil. O presente trabalho relata a experiência dos autores com pacientes pós-transplante cardíaco submetidos a programa de reabilitação física, na fase hospitalar e pós-alta hospitalar em programas de condicionamento físico supervisionados e não supervisionados. Finalmente, é apresentado o guia de reabilitação e condicionamento físico pós-transplante cardíaco, com indicações e contra-indicações para o procedimento.<hr/>In the last decades, the regular practice of physical activity has been stimulated among healthy people and cardiac patients. Cardiac rehabilitation programs have prophylactic and therapeutic objectives. However, there are few reports of rehabilitation programs and physical training after heart transplantation in Brazil. The present paper reports the authors' experience with patients after heart transplantation, undergoing a physical rehabilitation program, in-hospital and ambulatorial phases, in physical training programs, both supervised and non-supervised. Finally, a guide of rehabilitation and physical training post heart transplantation is presented, with indications and contraindications to the procedure. <![CDATA[<b>Atividade física e sáude pública</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921999000400006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Nas últimas décadas a prática regular de atividade física tem sido estimulada entre pessoas saudáveis e pacientes cardiopatas. Os programas de reabilitação cardíaca têm objetivos profiláticos e terapêuticos. Entretanto, existem poucos relatos de programas de reabilitação e condicionamento físico pós-transplante cardíaco no Brasil. O presente trabalho relata a experiência dos autores com pacientes pós-transplante cardíaco submetidos a programa de reabilitação física, na fase hospitalar e pós-alta hospitalar em programas de condicionamento físico supervisionados e não supervisionados. Finalmente, é apresentado o guia de reabilitação e condicionamento físico pós-transplante cardíaco, com indicações e contra-indicações para o procedimento.<hr/>In the last decades, the regular practice of physical activity has been stimulated among healthy people and cardiac patients. Cardiac rehabilitation programs have prophylactic and therapeutic objectives. However, there are few reports of rehabilitation programs and physical training after heart transplantation in Brazil. The present paper reports the authors' experience with patients after heart transplantation, undergoing a physical rehabilitation program, in-hospital and ambulatorial phases, in physical training programs, both supervised and non-supervised. Finally, a guide of rehabilitation and physical training post heart transplantation is presented, with indications and contraindications to the procedure. <![CDATA[<b>A tríade da atleta</b>: <b>posicionamento oficial</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921999000400007&lng=en&nrm=iso&tlng=en A tríade da atleta é uma síndrome que ocorre em adolescentes e mulheres fisicamente ativas. Os seus componentes inter-relacionados são distúrbios alimentares, amenorréia e osteoporose. A pressão à qual adolescentes e mulheres jovens são submetidas para atingir ou manter um peso corporal irrealmente baixo está por trás dessa síndrome. Possuem maior risco as adolescentes e mulheres que praticam esportes nos quais um baixo peso corporal é importante para o desempenho ou por razões estéticas. As jovens e mulheres com um dos componentes dessa tríade devem ser investigadas para os outros. <![CDATA[<b>O sistema imunológico (II)</b>: <b>importância dos imunomoduladores na recuperação do desportista</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921999000400008&lng=en&nrm=iso&tlng=en De uma forma geral, a atividade física produz processos de adaptação no organismo que são determinados pelo tipo, pela intensidade e pela duração das cargas. Quando os processos de adaptação orgânica e muscular são insuficientes, ocorre a síndrome da fadiga. Esta não deve ser considerada somente como um fator negativo, já que a fadiga deve ser compreendida também como um sistema de alerta e um potente fator de mobilização dos recursos funcionais, o que a torna um poderoso elemento de adaptação. O surgimento da fadiga produz uma série de sinais e sintomas caracterizados por uma redução da força com hiperexcitabilidade muscular, alterações metabólicas e eletrolíticas e alterações neuroendócrinas, todos esses fatores levando a uma redução do desempenho físico. Nessas condições é originado um grau importante de "estresse" físico e psíquico, com um grande comprometimento muscular (inflamação e lesão), que são mais evidentes à medida em que o estado de fadiga se prolonga. Ou seja, ocorre um processo de comprometimento do sistema imunológico, já que acaba se tornando incompetente para lidar com os fenômenos inflamatórios acima mencionados. Essa situação de "estresse" origina uma supressão de diversos índices da função imunológica. Por trás do período de recuperação, o surgimento tardio de hidroxiprolina excretada e a liberação tardia das enzimas CPK e LDH musculares sugerem uma lesão no tecido muscular. Por outro lado, o processo inflamatório inclui a participação de diversos fatores fisiopatológicos: sanguíneos, imunológicos, tissulares, metabólicos e vasculares. A instauração de tratamentos com imunomoduladores pode prevenir e auxiliar na recuperação da inflamação e do dano tissular causado pelo estresse devido ao exercício intenso e mantido.