Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Medicina do Esporte]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1517-869220010005&lang=en vol. 7 num. 5 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922001000500001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<B>Lactacidemic levels during water polo game</B>: <B>preliminary study</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922001000500002&lng=en&nrm=iso&tlng=en O jogo de pólo aquático é uma modalidade de característica intermitente, disputada em quatro períodos de 7min com 2min de intervalo entre estes. Em caso de prorrogação, há um período de repouso de 5min e, a seguir, serão jogados dois períodos de 3min cada, com um intervalo de 1min para as equipes trocarem de lado. Para modalidades com estas características, tem sido sugerida a utilização da mensuração de lactato sanguíneo como indicador da solicitação metabólica. Em função disso, o presente estudo tem como objetivo analisar a concentração de lactato sanguíneo [La] imediatamente após cada um dos períodos de um jogo do Campeonato Paulista Infanto-Juvenil de 1999 (disputa de 3&ordm; lugar) e verificar se ocorre diferença na [La] entre os períodos e a prorrogação. Foram sujeitos deste estudo cinco atletas da equipe de nível estadual do Clube Internacional de Regatas (idade = 15,8 ± 0,4 anos; massa corporal = 71,5 ± 11,0kg e estatura = 180 ± 4cm). O sangue foi coletado no lóbulo da orelha e analisado pelo lactímetro Yellow Springs modelo 1500 Sport. Para a comparação da [La] entre os períodos foi utilizada a estatística não paramétrica de Kruskal-Wallis Anova. Os resultados da [La] não diferiram (qui-quadrado = 0,9615; gl = 4; p = 0,9156) entre os períodos (período 1 = 4,64 ± 1,21mM; período 2 = 5,08 ± 1,95mM; período 3 = 4,72 ± 1,33mM; período 4 = 4,32 ± 1,12mM; prorrogação = 4,11 ± 1,03mM). Os resultados indicam que a contribuição da glicólise anaeróbia não foi predominante, sugerindo haver solicitação do sistema anaeróbio aláctico (ATP-CP) nos momentos decisivos do jogo e do metabolismo aeróbio no intervalo entre as ações. Devido a carência de estudos dessa natureza relacionados a essa modalidade esportiva, é oportuna a elaboração de trabalhos subseqüentes que possam trazer informações mais conclusivas.<hr/>The water polo game is an sport event of intermittent characteristic, with four periods of 7 min and 2 min of interval between the periods. In cases of game extension, after a 5-min resting period, the game follows on with two game periods of 3 min each, with a 1-minute interval for the teams to change sides. In events with these characteristics, the use of blood lactate measurement has been suggested as an indicative of metabolic response. For this reason, the aim of the present study was to check blood lactate accumulation [La] immediately after each period of a game of the 1999 State Championship for Children and Adolescents (a game to classify the 3rd place in the Championship), and to verify if there are [La] differences between game periods and extension periods. The sample was made of five athletes of the Clube Internacional de Regatas Team (age = 15.8 + 0.4 years; body mass = 71.5 + 11.0 kg and height = 180 + 4 cm). Blood was drawn from the ear lobe and analyzed by a Yellow Springs model 1500 Sport analyzer. Kruskal-Wallis Oneway statistical analysis was used to compare [La] among the periods. The results of the [La] are not different (chi-square = 0.9615; p = 0.9156), in the different periods (period 1 = 4.64 + 1.21 mM; period 2 = 5.08 + 1.95 mM; period 3 = 4.72 + 1.33 mM; period 4 = 4.32 + 1.12 mM; extension = 4.11 + 1.03 mM). Results indicate low demand from the anaerobic glycolysis, and suggest that there is a higher demand from the anaerobic system (ATP-CP) in the decisive moments of the game, and from the aerobic metabolism in the interval between the periods. Due to the lack of studies involving water polo, the preparation of new papers that bring more conclusive information may be appropriate. <![CDATA[<B>Maximal muscle power in unilateral and bilateral elbow flexion</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922001000500003&lng=en&nrm=iso&tlng=en FUNDAMENTAÇÃO: Exercícios de fortalecimento muscular podem ser realizados de forma uni e bilateral, contudo, pouco é sabido sobre a potência muscular (PM) e a carga máxima (CM) nessas condições. OBJETIVO: Comparar a PM e a CM na flexão do cotovelo entre os dois braços e entre a soma (das ações unilaterais e os resultados obtidos pela execução simultânea do gesto motor). Desses dois resultados com aquele obtido simultaneamente pelos dois braços. METODOLOGIA: Submetemos 24 adultos jovens (14 homens) (PAR-Q negativo) e inexperientes no exercício de flexão de cotovelo ao teste de 1 RM - duas repetições em velocidade máxima na fase concêntrica com 3s de intervalo para cada carga -, com medida da potência (Fitrodyne, Bratislava), em cada braço e nos dois simultaneamente, em ordem randômica, para determinar a PM e a CM. METODOLOGIA: 24 adultos jovens (14 homens) (PAR-Q negativo) foram submetidos ao teste de 1-RM (exercício flexão de cotovelo) com o objetivo de avaliarmos a PM e CM, todos sem experiência prévia no exercício proposto. O protocolo consistia de duas tentativas, com intervalo de 3s entre as mesmas, quando o avaliado procurava imprimir o máximo de velocidade possível na fase concêntrica do movimento, utilizando ações unilaterais e bilaterais definidas randomicamente. Utilizou-se para medir a potência em cada braço e nos dois simultaneamente o Fitrodyne (Bratislava). RESULTADOS: Os resultados para braço esquerdo e direito na CM - 29,3 ± 2,8 e 29,7 ± 2,9kg - e na PM - 106 ± 14 e 109 ± 12W - foram similares (p > 0,05) e fortemente associados (p > 0,94). Comparando a soma dos valores unilaterais com os da execução bilateral, a CM era 5% maior (p = 0,02) e a PM 5% menor (p = 0,053). CONCLUSÃO: Apesar de todos serem destros, não houve diferenças unilaterais em CM e PM, provavelmente devido à inexperiência nesse exercício (fatores neurais). A soma dos resultados unilaterais difere em 5% daquele obtido bilateralmente, mostrando, contudo, tendências opostas entre PM e CM, provavelmente refletindo uma limitação central na coordenação motora de um movimento complexo feito em máxima velocidade e com carga relativamente alta.<hr/>RATIONALE: muscular strength exercises may be performed both unilaterally and bilaterally. However, little is known about muscular power (MP) and maximum load (ML) in these situations. PURPOSE: To compare MP and ML in elbow flexion between the two arms separately, and between the sum of these two results and the result of the exercise performed with both arms simultaneously. METHODOLOGY: Twenty-four young adults (14 male and 10 female; negative PAR-Q) with no experience in the elbow flexion test were submitted to the 1 RM test - two repetitions in maximum speed at the concentric phase, with 3 s interval for each load, measuring the power (Fitrodyne, Bratislava) in each arm and in both arms simultaneously on a randomized basis, in order to determine MP and ML. RESULTS: The results for MP in left and right arm - 29.3 ± 2.8 and 29.7 ± 2.9 kg, respectively, and for ML, 106 ± 14 and 109 ± 12 W, respectively - were similar (p > 0.05) and strongly associated (r = 0.94). Comparing the sum of the unilateral values to the values of the bilateral exercise, ML was 5% higher (p = 0,02), and MP was 5% smaller (p = 0,053). CONCLUSION: While all subjects were right-handed, there was no unilateral difference in ML and MP, probably due to their lack of experience in this exercise. The sum of unilateral results differs in about 5% of the bilateral results. There is, however, opposite trends between MP and ML, probably a reflex of central limitation in the motor coordination of a complex movement, performed with maximum speed and with a relatively high load. <![CDATA[<B>Morte súbita relacionada ao exercício</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922001000500004&lng=en&nrm=iso&tlng=en FUNDAMENTAÇÃO: Exercícios de fortalecimento muscular podem ser realizados de forma uni e bilateral, contudo, pouco é sabido sobre a potência muscular (PM) e a carga máxima (CM) nessas condições. OBJETIVO: Comparar a PM e a CM na flexão do cotovelo entre os dois braços e entre a soma (das ações unilaterais e os resultados obtidos pela execução simultânea do gesto motor). Desses dois resultados com aquele obtido simultaneamente pelos dois braços. METODOLOGIA: Submetemos 24 adultos jovens (14 homens) (PAR-Q negativo) e inexperientes no exercício de flexão de cotovelo ao teste de 1 RM - duas repetições em velocidade máxima na fase concêntrica com 3s de intervalo para cada carga -, com medida da potência (Fitrodyne, Bratislava), em cada braço e nos dois simultaneamente, em ordem randômica, para determinar a PM e a CM. METODOLOGIA: 24 adultos jovens (14 homens) (PAR-Q negativo) foram submetidos ao teste de 1-RM (exercício flexão de cotovelo) com o objetivo de avaliarmos a PM e CM, todos sem experiência prévia no exercício proposto. O protocolo consistia de duas tentativas, com intervalo de 3s entre as mesmas, quando o avaliado procurava imprimir o máximo de velocidade possível na fase concêntrica do movimento, utilizando ações unilaterais e bilaterais definidas randomicamente. Utilizou-se para medir a potência em cada braço e nos dois simultaneamente o Fitrodyne (Bratislava). RESULTADOS: Os resultados para braço esquerdo e direito na CM - 29,3 ± 2,8 e 29,7 ± 2,9kg - e na PM - 106 ± 14 e 109 ± 12W - foram similares (p > 0,05) e fortemente associados (p > 0,94). Comparando a soma dos valores unilaterais com os da execução bilateral, a CM era 5% maior (p = 0,02) e a PM 5% menor (p = 0,053). CONCLUSÃO: Apesar de todos serem destros, não houve diferenças unilaterais em CM e PM, provavelmente devido à inexperiência nesse exercício (fatores neurais). A soma dos resultados unilaterais difere em 5% daquele obtido bilateralmente, mostrando, contudo, tendências opostas entre PM e CM, provavelmente refletindo uma limitação central na coordenação motora de um movimento complexo feito em máxima velocidade e com carga relativamente alta.<hr/>RATIONALE: muscular strength exercises may be performed both unilaterally and bilaterally. However, little is known about muscular power (MP) and maximum load (ML) in these situations. PURPOSE: To compare MP and ML in elbow flexion between the two arms separately, and between the sum of these two results and the result of the exercise performed with both arms simultaneously. METHODOLOGY: Twenty-four young adults (14 male and 10 female; negative PAR-Q) with no experience in the elbow flexion test were submitted to the 1 RM test - two repetitions in maximum speed at the concentric phase, with 3 s interval for each load, measuring the power (Fitrodyne, Bratislava) in each arm and in both arms simultaneously on a randomized basis, in order to determine MP and ML. RESULTS: The results for MP in left and right arm - 29.3 ± 2.8 and 29.7 ± 2.9 kg, respectively, and for ML, 106 ± 14 and 109 ± 12 W, respectively - were similar (p > 0.05) and strongly associated (r = 0.94). Comparing the sum of the unilateral values to the values of the bilateral exercise, ML was 5% higher (p = 0,02), and MP was 5% smaller (p = 0,053). CONCLUSION: While all subjects were right-handed, there was no unilateral difference in ML and MP, probably due to their lack of experience in this exercise. The sum of unilateral results differs in about 5% of the bilateral results. There is, however, opposite trends between MP and ML, probably a reflex of central limitation in the motor coordination of a complex movement, performed with maximum speed and with a relatively high load. <![CDATA[<B>Isokinetic evaluation of athletes' knee</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922001000500005&lng=en&nrm=iso&tlng=en A avaliação isocinética tem sido usada nas últimas três décadas como método para se determinar o padrão funcional da força e do equilíbrio muscular. No nosso meio cresceu nos últimos 10 anos. É possível quantificar valores absolutos do torque, do trabalho e da potência de grupos musculares, bem como valores relativos, ou seja, da proporção agonista/antagonista de tais grupos. Outro recurso valioso consiste como método auxiliar na reabilitação das lesões esportivas. O exame é realizado com velocidade angular constante e predeterminada, seja lenta, intermediária e/ou rápida. O joelho é a articulação em que se observa maior aplicação e estudos isocinéticos. Na prática esportiva, temos por um lado a importância da proporção do equilíbrio muscular agonista/antagonista, ou seja, do equilíbrio flexor/extensor representado, respectivamente, pelos isquiotibiais/quadríceps. De outro, a comparação dos valores absolutos da função muscular entre os lados direito e esquerdo, quer seja para o quadríceps, ou para os isquiotibiais. Resultados alterados estão relacionados, geralmente, às lesões esportivas ou suas seqüelas. De interesse para o atleta e para a equipe multidisciplinar é poder dispor de um método de avaliação funcional muscular objetivo e seguro, que forneça dados confiáveis e reprodutíveis. Aspecto relevante reside no fato do resultado do teste isocinético poder ser útil nos critérios de retorno a atividade esportiva pós-lesão. Este artigo de revisão consiste em abordar alguns aspectos práticos da avaliação isocinética no joelho e sua utilização para os indivíduos que realizam atividade física.<hr/>The isokinetic evaluation has been used in the last three decades as a method to determine both the strength functional pattern and the muscle balance. In our environment, this evaluation has been spread over the last 10 years. It is possible to quantify absolute values of torque, effort, and power of muscle groups, and to determine relative values, that is, the agonist/antagonist proportion of such groups. Another valuable resource of this evaluation may be used as an auxiliary method in the rehabilitation of sports lesions. The examination is performed with a constant and preset angular speed, that is, low, intermediate, and/or high speed. Most isokinetic studies are applied to the knee. In the sports practice, the agonist/antagonist muscle balance, that is, the flexor/extensor balance represented, respectively, by the ischiotibial muscle/quadriceps plays an important role. On the other hand, the comparison between the absolute values of the muscle function for the left and right sides is also relevant. Changed results usually relate to sports lesions or their sequels. The development of an objective and safe method to evaluate the muscle functionality which provides for reliable and reproducible results is of utmost importance to athletes and to multidisciplinary teams. Also significant are the results obtained from isokinetic tests, which may be useful to establish criteria for athletes to resume and practice sports activities after lesions. This review aims at addressing some practical aspects of the isokinetic evaluation in the knee and its use in individuals performing sports activities. <![CDATA[<B>Geração e transmissão do conhecimento</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922001000500006&lng=en&nrm=iso&tlng=en A avaliação isocinética tem sido usada nas últimas três décadas como método para se determinar o padrão funcional da força e do equilíbrio muscular. No nosso meio cresceu nos últimos 10 anos. É possível quantificar valores absolutos do torque, do trabalho e da potência de grupos musculares, bem como valores relativos, ou seja, da proporção agonista/antagonista de tais grupos. Outro recurso valioso consiste como método auxiliar na reabilitação das lesões esportivas. O exame é realizado com velocidade angular constante e predeterminada, seja lenta, intermediária e/ou rápida. O joelho é a articulação em que se observa maior aplicação e estudos isocinéticos. Na prática esportiva, temos por um lado a importância da proporção do equilíbrio muscular agonista/antagonista, ou seja, do equilíbrio flexor/extensor representado, respectivamente, pelos isquiotibiais/quadríceps. De outro, a comparação dos valores absolutos da função muscular entre os lados direito e esquerdo, quer seja para o quadríceps, ou para os isquiotibiais. Resultados alterados estão relacionados, geralmente, às lesões esportivas ou suas seqüelas. De interesse para o atleta e para a equipe multidisciplinar é poder dispor de um método de avaliação funcional muscular objetivo e seguro, que forneça dados confiáveis e reprodutíveis. Aspecto relevante reside no fato do resultado do teste isocinético poder ser útil nos critérios de retorno a atividade esportiva pós-lesão. Este artigo de revisão consiste em abordar alguns aspectos práticos da avaliação isocinética no joelho e sua utilização para os indivíduos que realizam atividade física.<hr/>The isokinetic evaluation has been used in the last three decades as a method to determine both the strength functional pattern and the muscle balance. In our environment, this evaluation has been spread over the last 10 years. It is possible to quantify absolute values of torque, effort, and power of muscle groups, and to determine relative values, that is, the agonist/antagonist proportion of such groups. Another valuable resource of this evaluation may be used as an auxiliary method in the rehabilitation of sports lesions. The examination is performed with a constant and preset angular speed, that is, low, intermediate, and/or high speed. Most isokinetic studies are applied to the knee. In the sports practice, the agonist/antagonist muscle balance, that is, the flexor/extensor balance represented, respectively, by the ischiotibial muscle/quadriceps plays an important role. On the other hand, the comparison between the absolute values of the muscle function for the left and right sides is also relevant. Changed results usually relate to sports lesions or their sequels. The development of an objective and safe method to evaluate the muscle functionality which provides for reliable and reproducible results is of utmost importance to athletes and to multidisciplinary teams. Also significant are the results obtained from isokinetic tests, which may be useful to establish criteria for athletes to resume and practice sports activities after lesions. This review aims at addressing some practical aspects of the isokinetic evaluation in the knee and its use in individuals performing sports activities.