Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Medicina do Esporte]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1517-869220070004&lang=en vol. 13 num. 4 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Relation between medical clinical monitoring and the incidence of sports injuries in young athletes of São Paulo</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000400001&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo deste estudo foi relacionar a estrutura médica de atendimento de 20 clubes de São Paulo com a incidência de lesões esportivas de atletas jovens praticantes do basquetebol, futsal e voleibol. Para isso, foi utilizado um questionário de lesão com 323 atletas e uma entrevista estruturada com os médicos responsáveis. Foram identificadas 343 lesões esportivas ou 1,7 lesão/atleta/ano. Dos 20 clubes avaliados, apenas oito possuem atendimento médico especializado dentro da instituição. No basquetebol, não houve relação estatística entre a presença ou não do médico dentro do clube com as ocorrências de lesão. No futsal e no voleibol, o número de lesões foi maior com a presença do médico dentro do clube; isso porque nos clubes que não possuem médico, as lesões de menor gravidade não são detectadas. O estudo sugeriu reestruturação no atendimento médico oferecido aos atletas jovens.<hr/>The objective of this study was to evaluate the relation between medical clinical monitoring and the incidence of the main sports injuries found in young athletes in sports modalities such basketball, indoor soccer and volleyball from 20 clubs located in São Paulo (Brazil). To obtain those data, a questionnaire was applied to 323 athletes and surveys were performed among eight physicians. The results of the study showed a total of 343 injuries or 1,7 injury/athlete/year. In basketball, there was not statistic relation between rates of injury and clinical monitoring in the club. In indoor soccer and volleyball, the rate of injury was bigger with clinical monitoring, because the injuries of less gravity do not are detected in clubs without physician. This study suggest specialized clinical care for young in sports clubs. <![CDATA[<b>Effects of a training program using the Pilates method in flexibility of sub-20 indoor soccer athletes</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000400002&lng=en&nrm=iso&tlng=en A flexibilidade consiste na capacidade motora relacionada com a amplitude de movimento atingida por cada articulação. A flexibilidade sofre decréscimo com a idade; durante a adolescência, devido ao estirão de crescimento puberal, ocorre considerável perda dessa característica. Sabe-se, também, que atletas de futebol e futsal, como resultado dos programas de fortalecimento visando o gesto do chute, tendem a apresentar considerável encurtamento da musculatura posterior da coxa, o que promove perda de rendimento e predispõe o atleta a lesões musculares. Assim, o objetivo do presente estudo foi verificar o efeito sobre a flexibilidade proporcionado por um programa de Pilates® em uma equipe de futsal da categoria juvenil (17-20 anos), considerada uma população altamente propensa a limitações dessa capacidade e que pode usufruir de inúmeros benefícios com o incremento da mesma. Para tal, dividiu-se o grupo de atletas em grupo Pilates (GP, n = 6) e grupo controle (GC, n = 5). Optou-se por avaliar a flexibilidade dos atletas com dois métodos (flexímetro e banco de Wells). Realizaram-se avaliações em três momentos distintos: pré (24 horas antes do início do programa), pós-imediato (24 horas após o fim do programa) e pós-tardio (15 dias após o fim do programa). O programa foi realizado em três sessões semanais de aproximadamente 25 minutos, durante quatro semanas. Os resultados obtidos com o presente estudo comprovam que o protocolo de treinamento com o método Pilates® empregado pelos pesquisadores conseguiu incrementar a flexibilidade dos atletas juvenis de futsal. Tal programa apresentou efeitos agudos, representados pelo aumento estatisticamente significante da flexibilidade no pós-imediato (p < 0,05 no banco de Wells e p < 0,01 no flexímetro) e crônicos, observados no ligeiro declínio (não significativo estatisticamente, p > 0,05) no período pós-tardio para ambos os métodos. Sugere-se que mais estudos sejam realizados com o método Pilates® a fim de elucidar todas as possibilidades de aplicação dessa modalidade terapêutica.<hr/>The flexibility consists in the motor capacity related with the amplitude of movement reached by each joint. The flexibility suffers decrease with the age, being that during the adolescence, in result of the fast pubertal growth, considerable loss of this characteristic occurs. It is known, also, that athletes of soccer and futsal, as result of the programs of force aiming the gesture of the kick, tend to have considerable shortening of posterior thigh muscles, that promotes a loss of income and it premakes the athletes to the muscular injuries. Thus, the objective of the present study was to verify the effect in the flexibility by a program of Pilates® in a sub-20 futsal team, that is considerate a highly inclined population to limitations of this capacity, and that can afford a lot of benefits with the increment of it. For such, it was divided the athletes group in Pilates group (GP, n = 6) and control group (GC, n = 5). It was opted to evaluate the flexibility of athletes with two methods (fleximeter and Wells's bench). Evaluations were realized in three distinct moments: pre (24 hours before the start of the program), post-immediate (24 hours after the end of the program) and post-delayed (15 days after the end of the program). The program was realized three times per week with approximately 25 minutes, during four weeks. The results of the present study prove that the training protocol with the Pilates® method used by the researchers did increase the flexibility of sub-20 futsal athletes. This program presented acute effects, represented by the statistically significant increase to the flexibility in post-immediate (p < 0.05 in Wells's bench and p < 0.01 in Fleximeter), and chronics, observed on the small decline (no statistically significant, p > 0.05) in post-delayed period to the both methods. It is suggested that more studies should be to realize with the Pilates® method aiming to elucidate all possibilities of application of this therapeutic modality. <![CDATA[<b>Relationship between body mass index and gross motor skill in four to six year-old children</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000400003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este estudo teve por objetivo verificar a relação entre o desempenho em tarefas de habilidade motora grossa com o índice de massa corporal (IMC) em meninos e meninas de quatro a seis anos de idade. Para tanto, foram analisadas 27 crianças, sendo 16 meninos e 11 meninas, com idade média de 5,64 &plusmn; 0,67 anos. As crianças foram submetidas ao Test of Gross Motor Development - Second Edition (TGMD-2), proposto por Ulrich (2000) e ao Körperkoordinations-test für Kinder (KTK), proposto por Kiphard e Schilling (1974). A pontuação obtida nos dois testes foi reduzida a uma escala comum a ambos. Foi verificada a correlação entre essa escala e o IMC das crianças por meio do teste de correlação de Spearman, com P < 0,05. Não houve interação significativa entre as variáveis quando analisados meninos e meninas ou quando a análise foi conduzida com distinção de gêneros. Inclusive, não houve interação do IMC com tarefas que exigiam maior demanda de capacidades físicas, o que deve ser verificado em futuros estudos. A partir dos resultados, concluímos que o desempenho das crianças de quatro a seis anos em tarefas que envolviam habilidade motora grossa não se relacionou com o IMC.<hr/>This study had to aim to verify the relationship between performance in gross motor skill tasks and body mass index (BMI) in four to six year-old boys and girls. 27 children were analyzed, 16 boys and 11 girls, mean age of 5.64 &plusmn; 0.67 years. The children were submitted to the Test of Gross Motor Development-Second Edition (TGMD-2), proposed by Ulrich (2000) and to the Körperkoordinations-test für Kinder (KTK), proposed by Kiphard and Schilling (1974). The punctuation obtained in the two tests was reduced to a scale common to both. The correlation between this scale and the BMI of the children was verified through the Spearman correlation test, with P < 0.05. No significant interaction was observed among variables when boys and girls were analyzed or when the analysis was conducted with gender distinction. Moreover, no interaction between the BMI and tasks which required higher demand of physical capacities was observed, which should be verified in further studies. It was possible to conclude from our results, that the performance of four to six year-old children in tasks which involved gross motor skill did not relate with BMI. <![CDATA[<b>Characterization of heart rate variability and baroreflex sensitivity in sedentary individuals and male athletes</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000400004&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: A capacidade de variar a freqüência cardíaca representa importante papel fisiológico na vida diária. As variações dos intervalos RR estão na dependência de moduladores biológicos, como o sistema nervoso autônomo. Essas variações constituem a variabilidade da freqüência cardíaca (VFC). MÉTODOS: 10 indivíduos atletas (Atl) e 10 sedentários (Sed) (20-35 anos) foram submetidos a eletrocardiografia digital, em repouso, antes, durante e após a manobra. Os valores de RR foram tratados (software Matlab 6.1), no domínio do tempo. RESULTADOS: Os grupos Sed e Atl apresentaram freqüência cardíaca média igual a 73,59bpm &plusmn; 2,5 e 51,01bpm &plusmn; 2,4, respectivamente. Quanto aos intervalos RR, o grupo de Sed apresentou média de 826,58ms &plusmn; 5,3 e o grupo Atl, 1.189,18 &plusmn; 6,9. O tempo de retorno simpático após a manobra 72 &plusmn; 12s (Sed) 37 &plusmn; 6s (Atl). O tempo de retorno parassimpático foi de 80 &plusmn; 11s (Sed) 40 &plusmn; 8s (Atl). O pNN50 foi de 10 &plusmn; 3,3 (Sed) e 42,10 &plusmn; 6,9 (Atl). O valor da variação dos RR acima da média de todo o sinal foi de 343 &plusmn; 40ms (Sed) e 175 &plusmn; 39ms (Atl). A variação abaixo da média de todo o sinal foi de 281 &plusmn; 27ms (Sed) e 425 &plusmn; 26ms (Atl). CONCLUSÕES: A análise da VFC associada à manobra de Valsalva pode representar uma ferramenta simples, mas importante, para possíveis inferências sobre aptidão física.<hr/>INTRODUCTION: The capacity to vary the heart rate represents important physiologic role in the daily life. The variations of the RR intervals is dependent of biological modulators as the autonomic nervous system. Those variations constitute the heart rate variability (HRV). METHODS: 10 athletes (Atl) and 10 sedentary (Sed) male individuals (20-35 age) were submitted to digital electrocardiography, in rest, before, during and after the maneuver. The values of RR were analyzed (software Matlab 6.1), in the time domain. RESULTS: Both Sed and Atl presented mean heart rate of 73.5 bpm &plusmn; 2,5 and 51 bpm &plusmn; 2,4, respectively. Related to the RR intervals, the group of Sed presented average of 826.58 bad &plusmn; 5.3 and the group Atl, 1189.18 &plusmn; 6.9. The return time of sympathetic system after the maneuver was 72 &plusmn; 12 s (Sed) 37 &plusmn; 6 s (Atl). The return time of parasympathetic system was 80 &plusmn; 11 s (Sed) and 40 &plusmn; 8 s (Atl). The pNN50 was of 10 &plusmn; 3,3 (Sed) and 42,10 &plusmn; 6,9 (Atl). The value of RR variation above the average of the whole sign was 343 &plusmn; 40 (Sed) and 175 &plusmn; 39 (Atl). The RR variation below the average of the whole sign was 281 &plusmn; 27 (Sed) and 425 &plusmn; 26 (Atl). CONCLUSIONS: The analysis of HRV associated to the Valsalva maneuver can represent a simple, but important tool, for possible inferences on physical aptitude. <![CDATA[<b>Risk factors associated with high blood pressure in adolescents</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000400005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Níveis elevados de pressão arterial (PA) na infância e adolescência têm sido freqüentemente associados a outros fatores de risco cardiovasculares, além de hipertensão arterial na fase adulta da vida. O presente estudo objetivou identificar fatores de risco associados à PA elevada em adolescentes. Participaram do estudo 674 adolescentes de escolas públicas e privadas, de ambos os sexos (303 rapazes e 371 moças), com idade de 14 a 17 anos (16,5 DP 0,9), da cidade de João Pessoa, Paraíba. Mediante aplicação de um questionário, foram levantadas informações sobre: a) indicadores sociodemográficos; b) nível de prática da atividade física; c) hábitos alimentares; c) índice de massa corporal; e) fumo e bebidas alcoólicas; e foram realizadas medidas de PA. A prevalência de PA elevada foi de 7,4%, sendo maior nos rapazes (10,2%) quando comparada com a das moças (5,1%, p < 0,01). Os resultados da análise multivariada demonstraram que adolescentes com excesso de peso apresentaram probabilidade cerca de cinco a seis vezes maior de ter PA elevada, comparados com os de baixo peso/peso normal (rapazes: OR = 5,5; IC 95% = 1,11-27,53 e moças: OR = 4,8; IC 95% = 1,51-15,45). As demais variáveis não se mostraram associadas à PA elevada. Nesse estudo, entre os diversos fatores de risco analisados, o excesso de peso corporal se apresentou como o único fator de risco potencial para elevação da PA em adolescentes.<hr/>High levels of arterial blood pressure in childhood and adolescence have been often associated with other cardiovascular risk factors apart from arterial hypertension in the adult stage of life. The present study aimed at identifying risk factors associated with high blood pressure in adolescents. The subjects were 674 adolescents from public and private schools in the city of João Pessoa, Paraíba. These subjects were of both sexes (i.e., 303 boys and 371 girls) and their ages spanned from 14 to 17 years old. By means of a questionnaire, information about the following aspects was gathered: a) socio-demographic status; b) physical activity levels; c) eating habits; d) body mass index; e) consumption of alcohol and smoking. Moreover, measurements of arterial pressure (AP) showed that the prevalence of high AP was 7.4 %, being higher in boys (10.2%) when compared with girls (5.1%, p < 0.01). The results of the multivaried analysis indicated that overweight adolescents displayed from five to six times more chance of having high AP than adolescents with light/normal weight (boys: OR = 5.5; CI 95% = 1.11-27.53, and girls: OR = 4.8; CI 95% = 1.51-15.45). The other variables did not seem to be associated with high AP. In this study, among the various risk factors analyzed, body overweight acted out as the only potential risk factor increasing arterial blood pressure in adolescents, irrespective of their sex and age. <![CDATA[<b>Comparison between different methods of analysis of slow component of oxygen uptake</b>: <b>a view in severe exercise domain</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000400006&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo do presente estudo foi comparar, em domínio muito intenso de exercício, diferentes técnicas utilizadas para medir a amplitude do componente lento (CL) da cinética do consumo de oxigênio. Dez ciclistas treinados, do gênero masculino [média &plusmn; DP (idade: 25 &plusmn; 3,6 anos, massa corporal: 67,2 &plusmn; 4,5kg, altura: 174,8 &plusmn; 6,5cm e VO2max: 62,4 &plusmn; 3,1ml.kg¹.min¹)], realizaram duas idênticas transições de carga constante (intensidade de 75%delta: 75% da diferença entre o VO2 no limiar de lactato e o VO2max) em dias diferentes. O CL foi calculado a partir de diferentes métodos: (1) modelo biexponencial [VO2(t) = VO2base + A1 (1 e-(t-TA1/t1)) + A2 (1 e(tTA2/t2))], (2) intervalos predeterminados (o deltaVO26-2: diferença do VO2 entre o segundo e o sexto minuto de exercício e o deltaVO263: diferença do VO2 entre o terceiro e o sexto minuto de exercício) e (3) diferença entre o VO2 obtido no final do exercício e o valor obtido a partir de um ajuste monoexponencial do "componente primário" (tempo predeterminado de 120s) (CL6"CP"). Todos os métodos foram comparados entre si. Os resultados demonstraram significante subestimação do CL obtido pelo método de intervalos predeterminados (deltaVO26-2: 432 &plusmn; 126ml.min¹ e deltaVO263: 279 &plusmn; 88ml.min¹) quando comparado com o modelo biexponencial (676 &plusmn; 136ml.min¹) e ao CL6"CP" [(719 &plusmn; 265ml.min¹ (p < 0,05)]. Não houve diferenças significativas entre as outras comparações. Os resultados sugerem que a utilização de tempos predeterminados pode subestimar o CL quando comparado com o modelo biexponencial e com o CL6"CP".<hr/>The objective of the present study was to compare in severe exercise domain, different techniques used for measuring the amplitude of the slow component (SC) of oxygen uptake kinetics. Ten trained cyclists, male (age: 25 &plusmn; 3.6 years, body mass: 67.2 &plusmn; 4.5 kg, height: 174.8 &plusmn; 6.5 cm and VO2max: 62.4 &plusmn; 3.1 mL.kg¹.min¹), performed two identical bouts transitions at constant load [mean &plusmn; SD (intensity 75%delta: 75% of the difference between the VO2 lactate threshold and the VO2max)] in different days. The SC was calculated from different methods: (1) bi-exponential model [VO2(t) = VO2base + A1 (1 e(tTA1/t1)) + A2 (1 e(tTA2/t2))], (2) predetermined intervals (deltaVO262: difference between the second min VO2 and the end VO2; deltaVO263: difference between the third min VO2 and the end VO2) and (3) difference between the end VO2 and the value obtained from a mono-exponential adjustment of the "primary component" (predetermined time of 120 s) (SC6"PC"). All the methods were compared among themselves. The results showed a significant underestimation of the SC obtained by method of predetermined intervals (deltaVO262: 432 &plusmn; 126 ml.min¹ and deltaVO26-3: 279 &plusmn; 88 ml.min-1) when compared with bi-exponential model (676 &plusmn; 136 ml.min-1) and SC6-"PC" [(719 &plusmn; 265 ml.min-1 (p < 0.05)]. There was not significant difference among the other comparison. The results suggest that the use of predetermined time may underestimate the SC when compared with bi-exponential model and SC6"PC". <![CDATA[<b>Correlations between anaerobic threshold determination protocols and aerobic performance in adolescent swimmers</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000400007&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo do presente estudo foi correlacionar as velocidades de limiar anaeróbio (LAn) obtidas a partir de concentrações fixas de lactato (VLAn 4 e VLAn 3,5mM), velocidade de lactato mínimo (VLac min) e velocidade crítica (VC) determinada a partir de diferentes distâncias e número de coordenadas: VC1 (50/100/200m), VC2 (100/200/400m), VC3 (50/100/200/400m) e VC4 (200/400m) com o desempenho nos 400m(s) em nadadores adolescentes. Fizeram parte da amostra 15 nadadores (10 meninos e cinco meninas = 14,7 &plusmn; 0,7 anos; 61,9 &plusmn; 8,5kg; 171,1 &plusmn; 8,8cm) de nível nacional, com experiência entre cinco e sete anos na natação competitiva. Para análise das correlações entre os índices e o desempenho nos 400m(s) foi utilizado o coeficiente de correlação de Pearson. O nível de significância adotado foi de p < 0,01. As correlações entre a VLAn 4mM, VLAn 3,5mM, VLac min e o desempenho nos 400m(s) foram de r = -0,63, r = -0,90 e r = -0,91, respectivamente (p < 0,01). As correlações entre a VC1 (50/100/200m), VC2 (100/200/400m), VC3 (50/100/200/400m), VC4 (200/400m) e o desempenho nos 400m(s) foram: r = -0,62, r = -0,97, r = -0,98 e r = -0,94, respectivamente (p < 0,01). Sugere-se que o LAn determinado a partir da concentração fixa de lactato de 3,5mM, bem como a VLac min e a VC obtidas por meio de distâncias maiores parecem ser os mais adequados índices preditores do desempenho aeróbio nos nadadores adolescentes estudados. Além disso, o número de coordenadas parece não influenciar a relação entre a VC e desempenho aeróbio.<hr/>The purpose of this study was to correlate the anaerobic threshold speeds (ATS) obtained from fixed lactate blood concentration (ATS 4 e ATS 3.5 mM), lactate minimum speed (Lac minS) and the critical speed (CS) determined from different distances and number of coordinates: CS1 (50/100/200 m), CS2 (100/200/400 m), CS3 (50/100/200/400 m) and CS4 (200/400 m) with the performance in 400 meters (s) in adolescent swimmers. The sample was constituted by 15 swimmers (10 boys and five girls = 14.7 &plusmn; 0.7 years; 61.9 &plusmn; 8.5 kg; 171.1 &plusmn; 8.8 cm) of national level, with five to seven years of experience in competitive swimming. The correlation between the indexes and the performance in 400 m (s) was made using Pearson correlation coefficients. Significance was set at p < 0.01. The correlations between ATS 4 mM, ATS 3.5 mM, Lac minS and the performance in 400 m (s) were: r = -0.63, r = -0.90 e r = 0.91, respectively (p < 0.01). The correlations between CS1 (50/100/200 m), CS2 (100/200/400 m), CS3 (50/100/200/400 m), CS4 (200/400 m) and the performance in 400 m (s) were: r = -0.62, r = -0.97, r = -0.98 e r = -0.94, respectively (p < 0.01). We suggest that ATS obtained from fixed lactate blood concentration of 3.5 mM, as well as Lac minS and the CS obtained through larger distances seem to be the most fitted indexes of prediction of the aerobic performance in the studied adolescent swimmers. Additionally, the number of coordinates seems no influencing the relation between CS and aerobic performance. <![CDATA[<b>Injuries among professional surfers</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000400008&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo do presente estudo foi verificar a ocorrência de lesões relatadas por surfistas profissionais brasileiros, integrantes do circuito brasileiro. O estudo foi realizado durante a etapa do Campeonato Brasileiro de Surfe Profissional masculino, realizado em Maresias, São Sebastião, SP, em junho de 2005. Participaram do estudo 32 surfistas profissionais; cada participante respondeu a um questionário sobre as lesões que havia sofrido durante a prática do esporte. Foram encontradas 112 lesões entre todos os participantes do estudo. O ferimento corto-contuso foi a lesão de maior ocorrência, 38 (33,9%); seguido das entorses, 29 (25,9%); das contusões, 16 (14,2%); estiramentos musculares, 14 (12,5%); queimaduras, 9 (8,0%); fraturas, 6 (5,3%). Concluímos que a maioria das lesões ocorreu durante manobras, no contato com a prancha e com o fundo, sugerindo que os fatores extrínsecos inerentes a esse esporte são potencialmente lesivos para os atletas.<hr/>The aim of this study was to verify the occurrence of injuries in Brazilian professional surfers who took part in one of the stages of the Professional Brazilian Surf Championship for men. There were 32 professional surfers participating in the study and each one of them filled in a questionnaire about the injuries they had suffered during the surf practice. There were found 112 injuries among all the participants of the study. Lacerations/cuts was the most frequent injury, 38 (33.9%); followed by sprains, 29 (25.9%); contusions, 16 (14.2%); strains, 14 (12.5%); burns, 9 (8.0%); fractures, 6 (5.3%). We conclude that most of the injuries were originated by trauma, suggesting that the extrinsic factors inherent to this sport are potentially harmful to the athletes. <![CDATA[<b>The visual acuity variability during physical efforts in low vision athletes from the athletics Brazilian team</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000400009&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO E OBJETIVO: Esta pesquisa teve como objetivo avaliar o comportamento da acuidade visual em atletas com baixa visão, durante um protocolo de esforço contínuo. Pesquisas apontam que a acuidade visual apresenta variações de rendimento quando submetida a esforços físicos em sujeitos sem deficiência visual. MÉTODO: A população estudada foi composta por seis pessoas, praticantes de atletismo e integrantes da seleção brasileira em provas de pista. No primeiro dia aplicou-se o teste de esforço físico progressivo, realizado em esteira. No segundo dia realizou-se o teste de esforço contínuo, o qual foi dividido em três níveis, cada um com 15 minutos de duração e 30 minutos de intervalo entre eles. Como delimitador das intensidades aplicadas utilizaram-se os resultados obtidos no teste de físico progressivo (60% do VE pico, limiar de VE e 90% do VE pico). A aferição da acuidade visual aconteceu antes, durante e após cada nível de intensidade no protocolo de esforço contínuo. O teste t de Student foi utilizado para a análise estatística (p < 0,05). RESULTADOS: A acuidade visual apresentou, nos três níveis de esforço, queda de seu desempenho. A variação entre os resultados da aferição da acuidade visual estática inicial e a mensuração da mesma variável ao final da fase de corrida foi de 44,5% no primeiro nível, 52,5% no segundo e 60% no terceiro nível. Os resultados apresentaram maior degradação do componente visual durante as aferições dinâmicas. As fases de recuperação que sucediam os níveis de esforço mais intensos tiveram os melhores resultados da acuidade visual, após o déficit encontrado durante o exercício. CONCLUSÃO: Pode-se inferir que nessa população específica ocorre queda da acuidade visual durante o esforço. Tal fato implica a necessidade de a classificação esportiva ser direcionada para avaliar a funcionalidade visual de cada atleta com baixa visão durante o esforço físico, já que tais variações podem ocorrer durante o mesmo.<hr/>INTRODUCTION AND OBJECTIVE: This study had as an objective to evaluate the visual acuity behavior in athletes with low vision, during a continuous effort protocol. Researches point out that visual acuity presents performance varieties when submitted to physical efforts in subjects without visual impairment. METHOD: The studied population was composed by six peoples, who practiced athletics and were part of the Brazilian team in track events. The progressive physical effort test was applied on the first day in a treadmill. On the second day the continuous effort test was applied, which was divided in three levels, each one had a 15 and 30 minutes break between them. To determine the intensities, the results obtained in the progressive physical effort test (60% of VE peak, limiar VE and 90% VE peak) were used. The visual acuity was measured before, during and after each level of intensity in the continuous effort protocol. The t Student test was used for statistics analysis (p < 0.05). RESULTS: The visual acuity presented a decrease in the three levels of effort in its performance. The variety between the initial static visual acuity measure results and the measurement of the same variable in the end of the running phase was 44.5% in the first level, 52.5% in the second and 60% in the third level. The results presented higher degradation of the visual component during the dynamic measurements. The recuperation phases, which succeeded the most intense levels of effort, had the results of the visual acuity, after the deficit found during the exercise. CONCLUSION: It can be inferred that in this specific population there is a decrease in the visual acuity during the effort. This fact implies on the necessity of the visual sportive classification being directed to evaluate the visual functionality of each athlete with low vision during the physical effort, since these varieties can occur during it. <![CDATA[<b>Association between copper plasma concentration and copper-dependent metaloproteins in elite athletes</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000400010&lng=en&nrm=iso&tlng=en O cobre é um elemento-traço essencial para a manutenção de vários processos biológicos, tais como metabolismo energético, homeostase de ferro e mecanismos de proteção antioxidante através da atividade da cobre-zinco superóxido dismutase (Cu-Zn SOD), da ceruloplasmina e da metalotioneína. No entanto, o cobre também participa de reações oxidativas que promovem a liberação de radicais livres, podendo prejudicar a integridade e a funcionalidade celular. A atividade física afeta a homeostase do cobre e promove maior utilização de oxigênio, favorecendo a instalação do estresse oxidativo quando mecanismos naturais de proteção antioxidante, incluindo os dependentes de cobre, não atuam adequadamente. Não há relatos na literatura sobre a associação de diferentes níveis de concentração plasmática de cobre com indicadores antioxidantes cobre-dependentes em atletas de elite. O presente estudo objetivou verificar a associação entre diferentes níveis plasmáticos de cobre e metaloproteínas cobre-dependentes, com atividade antioxidante, em atletas de elite. Os indicadores bioquímicos (metalotioneína e Cu-Zn SOD eritrocitárias, ceruloplasmina e cobre plasmáticos) foram avaliados em 50 atletas, homens e adultos, utilizando metodologias já consolidadas. Os resultados mostraram que 32% dos atletas apresentaram níveis de cobre plasmático inferiores a 11µmol/L, 38% entre 11-13µmol/L e 30% > 13µmol/L. As associações encontradas entre cobre plasmático e ceruloplasmina (r = 0,31; p = 0,04) e Cu-Zn SOD (r = 0,32, p = 0,02); metalotioneína eritrocitária e ceruloplasmina (r = 0,40, p = 0,006) e Cu-Zn SOD (0,73, p = 0,001) e entre Cu-Zn SOD e ceruloplasmina (r = 0,37, p < 0,001) demonstraram que a atividade da Cu-Zn SOD e a concentração de metalotioneína eritrocitárias são sensíveis a menor concentração, enquanto que a ceruloplasmina é sensível a elevadas concentrações plasmáticas de cobre, sugerindo que há um equilíbrio homeostático entre antioxidantes, cobre-dependentes, intra e extracelulares em atletas de elite.<hr/>Copper is a trace element essential in several biological processes, some of them important for physical activity, such as energy metabolism, iron homeostasis and antioxidant protection through the plasma ceruloplasmin, erythrocyte Cu-Zn superoxide dismutase (Cu-Zn SOD) and metallothionein. However, copper also participates in oxidative reactions releasing free radicals, which may adversely affect cell integrity and function. Physical activity is known to affect copper homeostasis and may interfere in the copper antioxidant capacity. Intense physical activity results in higher oxygen consumption, which favors the release of free radicals and may cause irreversible damage to the body when the natural mechanisms of protection, including those copper-dependent, are not properly stimulated. Few studies related exercise with plasma copper level and copper-dependent metalloproteins in elite athletes. The present study aimed at evaluating the association between different levels of plasma copper and copper-dependent metalloproteins in male elite athletes (n = 50). The biochemical indices studied were plasma copper and ceruloplasmin, and erythrocyte Cu-Zn superoxide dismutase and metallothionein by validated methods. The results showed that 32% of the athletes had plasma copper levels lower than 11µmol/L, 38% between 11-13 µmol/L and 30% higher than 13 µmol/L. Plasma copper was associated with plasma ceruloplasmin level (r = 0.31, p = 0.004), and with Cu-Zn SOD (r = -0.32, p = 0.02); metallothionein erythrocyte were associated with Cu-Zn SOD (r = 0.73, p = 0.001) and with ceruloplasmin (r = 0.40, p = 0.006). These results suggest that both plasma and erythrocyte antioxidant capacity favor homeostatic adjustments in agreement with plasma copper levels in elite athletes. <![CDATA[<b>Leptin and endurance exercise</b>: <b>implications of adiposity and insulin</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000400011&lng=en&nrm=iso&tlng=en Atualmente, a obesidade pode ser classificada como uma pandemia e suas conseqüências vão desde o diabetes mellitus até a doença cardíaca. Tanto fatores genéticos como ambientais contribuem para isso, porém, em humanos, o componente genético ainda é pouco definido. Com a clonagem do gene ob de ratos e do seu receptor, foi descoberta a leptina, o "hormônio da saciedade". A leptina é secretada, principalmente, pelo tecido adiposo e reflete a quantidade de gordura depositada no tecido adiposo de um indivíduo. Entretanto, diversos fatores influenciam sua expressão e síntese, tais como jejum, atividade simpática, exercício físico e alterações no balanço energético. Os efeitos da atividade física aeróbia sobre esse hormônio ainda não estão muito claros, visto que existem muitas contradições na literatura sobre sua possível ação na regulação da leptina. Estudos transversais sugerem que as concentrações plasmáticas de leptina não são alteradas após uma sessão de exercício aeróbio. Entretanto, se o esforço físico for extremo, como em uma ultramaratona, na qual há um balanço energético negativo, induzido pela atividade física extenuante, ocorre diminuição dessas concentrações. Além disso, exercícios de longa duração (> 60 min) parecem estar associados à diminuição tardia das concentrações de leptina, aproximadamente 48h após a atividade, provavelmente em função de um possível desequilíbrio energético. Em relação aos estudos longitudinais, após o treinamento aeróbio, alguns autores não observam alterações na leptina plasmática, outros encontram alterações em função apenas das alterações da adiposidade e, por fim, alguns estudos observam diminuição da concentração plasmática e/ou expressão de leptina, independentemente de alterações da massa gorda. Tal fato sugere que haja outro, ou outros, fatores, além do conteúdo de gordura corporal, que modulam a diminuição das concentrações plasmáticas de leptina após o treinamento aeróbio, sendo a insulina a principal candidata a tal modulação. Dessa forma, esta revisão aborda os principais aspectos do hormônio leptina, sua ação, função e regulação, associação com a insulina, além dos efeitos do exercício físico agudo e crônico na síntese e secreção da leptina, e possíveis implicações da insulina e adiposidade em função desse estímulo.<hr/>Obesity currently is qualified as a worldwide health epidemic and its consequences include diabetes mellitus as far as cardiac disease. Genetic and environmental factors contribute to obesity, although the genetic component is still poorly understood in humans. With the cloning of mouse ob gene and its receptor, leptin was discovered, the "satiety hormone". Leptin is expressed and secreted primarily by adipose tissue and is highly correlated to body fat mass. Nevertheless, many factors can regulate leptin synthesis and expression, such as fasting, sympathetic activity, insulin, exercise and changes in energy balance. Aerobic physical activity effects on leptin are still not very clear, seeing that there are contradictory studies about its effects on leptin regulation. Transversal studies suggest that leptin concentrations are not acutely affected after an exercise bout. However, reductions in leptin concentrations are observed following extreme bouts of exercise such as ultramarathons, where the extenuating physical activity induces a deficit in energy balance. Also, long-term (> 60 min) exercise seems to be associated with a delayed reduction in leptin concentrations 48 hr after the exercise bout, possibly due to an energy imbalance. Some longitudinal studies show that aerobic exercise training does not affect leptin levels, others that any changes in leptin levels are due to possible changes in body fat, and, lastly, some studies show a reduction in leptin levels and/or expression independently of any changes in adiposity. That suggests there may be other factors besides adiposity that regulate the reduction in leptin levels after exercise training, being insulin the main candidate for such role. Therefore, this review analyses the main aspects of leptin, its action, function and regulation, its association with insulin, and also the effects of acute and chronic endurance exercise on leptin synthesis and secretion and possible implications of insulin and adiposity. <![CDATA[<b>Urinary incontinence and physical activity practice</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000400012&lng=en&nrm=iso&tlng=en A incontinência urinária é definida como "toda perda involuntária de urina". Ela atinge com maior freqüência mulheres e é causada principalmente por partos e gestações que podem lesar os músculos responsáveis pela continência na mulher. É muito comum mulheres que praticam atividades físicas e esportes apresentarem incontinência. Muitas dessas mulheres abandonam suas atividades para evitar perder urina durante essa prática, pois essa perda causa vergonha, constrangimento, além de interferir no desempenho durante o exercício. Inexistem pesquisas na área da educação física que discutam esse tema. O objetivo deste estudo consistiu de uma revisão bibliográfica acerca da incontinência urinária, analisando sua relação com atividades físicas e esportivas por mulheres, o impacto causado pela incontinência nessa prática, e de que forma o profissional de educação física pode contribuir com essas mulheres para uma prática mais segura e confortável. Os dados da literatura a respeito desse tema são muito recentes, mas suficientes para evidenciar que a prática de atividades físicas e esportivas constituídas de exercícios que exijam muito esforço e alto impacto pode levar ao desenvolvimento da incontinência urinária. As mulheres que não abandonam suas atividades por causa da incontinência utilizam algumas estratégias para prevenir a perda de urina, como o uso de absorventes e restrição hídrica. O profissional de educação física tem um papel fundamental na orientação adequada de exercícios, transformando essa prática numa intervenção preventiva da incontinência urinária entre mulheres fisicamente ativas.<hr/>The urinary incontinence is defined as "every involuntary loss of urinary". It happens with women more frequently, and is mainly caused by childbirths and gestations that can injure the muscles responsible for the women continence. Indeed, it is very common women who practice physical activities and sports to present incontinence. Many of these women abandon their activities to prevent discharging urine during these practices which causes shame, embarrassment besides interference with the performance during the exercise. There is no research that argues this subject in the area of the physical education. The objective of this study consisted in a bibliographical revision about urinary incontinence, analyzing its relation with physical activities and sports for women, the impact caused by the incontinence in these practices, and in what form the physical education professional can facilitate a more comfortable and safe practices to these women. The literature data on this subject is very recent, but they are enough to evidence that the physical and sport practices of exercises demanding a lot of efforts and high impact can lead to the urinary incontinence. The women who do not abandon their activities because of this incontinence use some strategies to prevent the discharge of urine, as the use of absorbents and water restriction. The physical education professional has a basic role in the adequate orientation of exercises transforming this practice into a urinary incontinence preventive intervention among physically active women. <![CDATA[<b>Oxidative stress and physical exercise in HIV positive individuals</b><b></b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000400013&lng=en&nrm=iso&tlng=en A infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) é acompanhada por alterações estruturais e funcionais relacionadas ao sistema imunológico. Além disso, o aumento do estresse oxidativo (EO) nos portadores do HIV, caracterizado por diminuição nos níveis de glutationa (GSH), aumentos na glutationa oxidada (GSSG), na razão GSSG/GSH e lipoperoxidação, bem como redução da atividade de enzimas antioxidantes - catalase, superóxido dismutase (SOD) e glutationa peroxidase (GPx) - é uma conseqüência da evolução dos pacientes infectados com HIV. As células do sistema imunológico necessitam de altas concentrações de antioxidantes para manter o balanço redox e preservar a sua integridade e função. Quando ocorre a depleção dos antioxidantes, há diminuição da resposta imunológica e aumento na replicação do HIV. O uso da terapia anti-retroviral combinada (TARV) melhorou significativamente a evolução clínica dos pacientes, porém, mesmo assim, alguns continuam apresentando EO aumentado e outros efeitos da TARV, como alterações no metabolismo lipídico e muscular. O treinamento físico é utilizado como intervenção não farmacológica nos pacientes infectados pelo HIV para proporcionar melhoria nos parâmetros antropométricos, aeróbios, musculares e psicológicos, porém, há carência de estudos sobre a sua utilização em relação ao estresse oxidativo. Nesta revisão, foram analisados os tópicos referentes ao estresse oxidativo nos pacientes HIV positivos e os possíveis benefícios do exercício físico na capacidade antioxidante. O treinamento físico é uma estratégia auxiliar para os pacientes, com ou sem uso da TARV, uma vez que melhora os aspectos cardiorrespiratórios, musculares, antropométricos e psicológicos sem induzir a imunossupressão. Referindo-se ao estresse oxidativo, infere-se, a partir dos dados em indivíduos HIV negativos, que o treinamento físico pode gerar adaptações que minimizam os efeitos deletérios provocados pelo EO através de melhorias nos níveis das defesas antioxidantes enzimáticas e não enzimáticas.<hr/>Human immunodeficiency virus (HIV) infection is characterized by functional and structural changes related to the immunological system. Moreover, increase in oxidative stress (OS) in HIV patients, characterized by a reduction in the glutathione (GSH) levels, increases in glutathione disulfide (GSSG), in the ratio GSSG/GSH and in lipid peroxidation, as well as a reduction in antioxidant enzymes - catalase, superoxid dismutase (SOD) and gluthatione peroxidase (GPx) - is a consequence of the evolution in HIV-infected patients. Higher levels of antioxidant activity are necessary to maintain the immunological system cells redox balance and preserve their function. In an antioxidant depleted state, there is a reduction in the immunological response and an increase in HIV replication. The use of highly active antiretroviral therapy (HAART) has improved the clinical evolution of these patients. However, some patients remain showing higher OS and other effects of HAART, such as changes in lipidic and muscle metabolism. Exercise training has been used as a non pharmacological treatment in HIV-infected patients to promote improvements in anthropometrics, aerobic, muscle and psychological outcomes; however, there are insufficient data about the effects of exercise training in OS. This review analyzes the topics related to the oxidative stress in HIV-infected patients and the possible benefits of the physical exercise in the antioxidant capacity. Physical training is a complementary procedure for the patients, with or without use of the HAART, since it improves the cardiorespiratory, muscle, anthropometrics and psychological performance without inducing immunodepression. In relation to oxidative stress, it is inferred, from the data obtained in non-HIV individuals, that the physical training could promote adaptations that minimize the deleterious effect induced by OS through improvements in the activity of the enzymatic and non-enzymatic antioxidant defenses. <![CDATA[<b>Traumatic hip fracture-dislocation in soccer</b>: <b>a case report</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000400014&lng=en&nrm=iso&tlng=en De ocorrência rara no futebol, esporte coletivo mais praticado no mundo, as fraturas de acetábulo que se associam às luxações da articulação do quadril são lesões com grande potencial de gerar seqüelas graves e limitantes. O rápido atendimento, a precisão do diagnóstico e procedimentos de salvamento da articulação pela redução e correta fixação são essenciais para perspectiva de retomar a atividade física regular praticada anteriormente ou outra que se adapte à nova situação.<hr/>Uncommon in soccer, the world's most popular sport, the acetabular fractures with hip dislocation are injuries with high incidence of long-term serious sequelae. Prompt attending with accurate diagnosis and reduction and fixation are important to produce a stable and congruent joint for returning to the usual sports practice prior the injury. <![CDATA[<B>Errata</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000400015&lng=en&nrm=iso&tlng=en De ocorrência rara no futebol, esporte coletivo mais praticado no mundo, as fraturas de acetábulo que se associam às luxações da articulação do quadril são lesões com grande potencial de gerar seqüelas graves e limitantes. O rápido atendimento, a precisão do diagnóstico e procedimentos de salvamento da articulação pela redução e correta fixação são essenciais para perspectiva de retomar a atividade física regular praticada anteriormente ou outra que se adapte à nova situação.<hr/>Uncommon in soccer, the world's most popular sport, the acetabular fractures with hip dislocation are injuries with high incidence of long-term serious sequelae. Prompt attending with accurate diagnosis and reduction and fixation are important to produce a stable and congruent joint for returning to the usual sports practice prior the injury.