Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Medicina do Esporte]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1517-869220090006&lang=en vol. 15 num. 5 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Incidence of pre-menstrual syndrome in sports practice</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000600001&lng=en&nrm=iso&tlng=en Apesar do grande aumento do número de mulheres no esporte, é escassa a literatura sobre aspectos anatômicos, psicológicos e principalmente hormonais que afetam o desempenho das mulheres praticantes de exercício físico. Embora existam muitas pesquisas relatando como o exercício afeta a menstruação, são poucos os estudos de como o ciclo menstrual interfere no desempenho feminino. A maioria dos estudos cita a relação do desempenho e o ciclo menstrual, mas não leva em consideração as alterações do ciclo, as moléstias perimenstruais (MPM)(1). OBJETIVO: Observar a incidência e a frequência dos sintomas da síndrome pré-menstrual em atletas. CASUÍSTICA E MÉTODOS: Em 31 atletas de handebol em idade fértil foi aplicado um diário de sintomas pré-menstruais(2) por um período de três meses consecutivos. RESULTADOS: A prevalência de SPM em atletas foi de 71%, sendo o sintoma mais relatado o de irritabilidade, em 86,4% das atletas, seguidos de mudanças de humor (77,3%) e cólicas (72,7%); 59% das atletas indicaram algum outro sintoma no período pré-menstrual. CONCLUSÕES: Observou-se alta prevalência de SPM em atletas.<hr/>Despite the increasing number of women who practice physical exercise, there are still few reports concerned with anatomy, psychology and mainly hormones that could affect their performance. Although there is a multitude of articles about the effects of physical exercise in menstruation, only a few of them report how this function interferes in women's performance. The association physical exercise - menstruation has been studied but without considering the changes during the cycle, the perimenstrual symptoms. Therefore, the aim of this article was to investigate the incidence and periodicity of pre-menstrual symptoms in athletes. A daily questionnaire was applied with the aim to follow the pre-menstrual symptoms during a period of 3 consecutive months. The population of the study was composed by 31 female athletes in fertile age. RESULTS: The prevalence of PMS in athletes was of 71% and the mainly reported symptoms were irritability (86.5%), mood swings (77.3%) and cramps (72.7%). Other symptoms were reported by 59% of the athletes during the pre-menstrual period. CONCLUSION: Our data show a high prevalence of PMS among athletes. <![CDATA[<b>Influence of moderate physical training on the artery wall structure of rats submitted to gestational and neonatal protein malnutrition</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000600002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Avaliamos o efeito do treinamento físico moderado (TFM) associado à reposição nutricional na parede das artérias carótida comum esquerda e aorta horizontal em 24 ratos Wistar machos adultos jovens, submetidos à desnutição proteica nas fases gestacional e neonatal. Os animais foram divididos em grupos Nutrido (N, n = 12, caseína 17%) e Desnutrido (D, n = 12, caseína 8%). Após o desmame, todos os animais receberam dieta padrão (Labina®) e aos 60 dias de vida, os dois grupos foram subdivididos em quatro com seis animais cada: Nutrido Não Treinado (NNT), Nutrido Treinado (NT), Reposição Não Treinado (RNT) e Reposição Treinado (RT). O TFM foi realizado em esteira durante oito semanas, cinco dias por semana, 60 minutos por dia. A histomorfometria de ambas as artérias foi realizada com o programa Scion Image for Windows (Beta 4.0.2). A espessura das paredes das artérias foi obtida a partir da média de aferição de quatro pontos diferentes (0°, 90°, 180°, 270°) e o diâmetro do lúmen dos vasos, a partir da média de aferição de dois valores, partindo de quatro pontos diametralmente opostos. Para a comparação entre os grupos utilizou-se o teste t de Student com os dados apresentados em média ± desvio padrão. A espessura média das artérias carótida comum esquerda (µm) e aorta horizontal (mm) foi menor no grupo RNT (32,51 ± 5,54; 0,11 ± 0,02, respectivamente), comparado com o NNT (40,91 ± 3,56; 0,15 ± 0,01). O diâmetro (µm) da artéria carótida comum esquerda foi maior nos animais RT (724 ± 44,64) do que nos RNT (630,73 ± 79,67). Conclui-se que o TFM associado à reposição nutricional não foi capaz de recuperar as alterações estruturais provocadas pela desnutrição na parede das artérias carótida comum esquerda e aorta horizontal.<hr/>We evaluated the effects of moderate physical training (MPT) associated with nutritional recovery on the left common carotid artery and horizontal carotid walls in 24 male, Wistar adult male rats submitted to protein malnutrition on the gestational and neonatal phases. The animals were divided in Nourished (N, n=12, casein 17%) and Malnourished (D, n=12, casein 8%). After weaning, all animals received standard diet (Labina®) and at the 60th day of life, both groups were subdivided in 4 groups with 6 animals each: Not-Trained Nourished (NTN), Trained Nourished (TN), Not-Trained Recovery (NTR) and Trained Recovery (TR). The MST was performed on treadmill during eight weeks, five days per week, 60 minutes a day. Histophotometry of both arteries was done with the Scion Image software for Windows (Beta 4.0.2). Arteries walls thickness was obtained by the mean value of 4 different points (0°, 90°, 180°, 270°), and the diameter of the lumen of the vessels from 2 values, starting from 4 opposite points. For the comparison between groups, Student's t test was used and data were shown in mean±standard deviation. Mean thickness of the left common carotid artery (µm) and horizontal aorta (mm) was lower on the NTR group (32.51 ± 5.54; 0.11 ± 0.02, respectively) in comparison with the NTN group (40.91± 3.56; 0.15 ± 0.01). The diameter of the common left carotid artery was higher in the TR animals (724 ± 44.64) when compared with the NTR (630.73 ± 79.67). Therefore, the MPT associated with nutritional recovery was not capable of recovering the structural alterations due to malnutrition on the common left carotid and horizontal aorta arteries wall. <![CDATA[<b>Influence of resistance exercises order performance on post-exercise hypotension in hypertensive elderly</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000600003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Existem evidências de que exercícios resistidos contribuem para o controle de hipertensão arterial sistêmica, porém, são necessários estudos que indiquem a melhor forma de utilizá-los. O objetivo deste estudo foi analisar a influência da ordem de execução de exercícios resistidos na hipotensão pós-exercício em idosos com hipertensão arterial bem controlada. A amostra foi composta por oito idosos com hipertensão arterial sistêmica bem controlada (quatro homens e quatro mulheres). No protocolo 1 (P1) foram realizados inicialmente três exercícios para membros superiores e, posteriormente, três exercícios para membros inferiores. No protocolo 2 (P2) a sequência foi inversa. Já no protocolo 3 (P3) os exercícios foram realizados de forma alternada. Todos os exercícios foram realizados em três séries de 12 RM. Após cada protocolo a pressão arterial (PA) foi verificada em intervalos de 10 minutos, até 60 minutos pós-exercício. Os dados obtidos foram analisados através da ANOVA de fator duplo e fator único com post-hoc de Tukey e teste t de Student pareado com distribuição bicaudal (p < 0,05). Em relação ao repouso, as seis verificações de PA pós-exercício de P1 não apresentaram diferenças significativas; no P2 foram significantemente diferentes apenas as verificações de 20 e 40 minutos na PAS; no P3 foram observadas diferenças significativas em todas as seis verificações da PAS e nas de 10, 20, 30 e 60 minutos da PAD. A verificação de 20 minutos na PAD do P3 demonstrou-se significantemente diferente das de 20 minutos de P1 e P2. Conclui-se que a ordem de realização de exercícios resistidos em idosos com hipertensão arterial bem controlada influenciou na duração da resposta hipotensiva, mas não diretamente em sua magnitude.<hr/>There is evidence that resistance training can help to control hypertension, although further studies are needed to show the best way to perform it. The objective of this study was to analyze the influence of the resistance exercises order performance in post-exercise hypotension in elderly with controlled hypertension. The study sample consisted of eight elderly with controlled hypertension (four men and four women). In exercise protocol 1 (P1), they performed three upper limb exercises and then three lower limb exercises. In exercise protocol 2 (P2) the sequence was reversed. In exercise protocol 3 (P3) the subjects performed the same exercises in an alternate way. All exercises were performed in three sets of 12RM. Blood pressure (BP) was measured after each protocol at every 10 min until 60 min post-exercise. The data obtained were assessed using two-way ANOVA with post-hoc Tukey and paired Student's t test (p<0.05). Concerning rest values, P1 did not show statistically significance in any moment; however, in P2 at 20 and 40 min Systolic Blood Pressure (SBP) values were statistically significant. Moreover, P3 showed differences in all SBP moments and also in the 10, 20, 30 and 60 min of Diastolic Blood Pressure (DBP). When all the moments in the three protocols were compared just in the 20 min moment, P3 showed statistically difference compared with P1 and P2. It was concluded that the performed order of resistance exercises in elderly with controlled hypertension has influenced on the duration, but not directly on its magnitude. <![CDATA[<b>Association between scapular dyskinesia and shoulder pain in swimmers</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000600004&lng=en&nrm=iso&tlng=en A escápula possui funções essenciais no ombro do atleta de arremesso. Qualquer desequilíbrio presente entre as estruturas responsáveis pela sua estabilidade originará uma condição denominada discinesia escapular, a qual é comumente acompanhada de dor no ombro. Este estudo tem o objetivo de verificar se há associação entre a discinesia escapular e a dor no ombro de praticantes de natação. Foi realizado um estudo analítico observacional de corte transversal, incluindo 36 praticantes de natação do sexo masculino, com idade de 18 a 36 anos. Como métodos diagnósticos sugestivos de discinesia escapular foram utilizados o Slide Lateral Scapular Test e a filmagem proposta por Kibler. A existência de proporções significativas entre as variáveis nominais foi comprovada pelo teste do qui-quadrado ou pelo teste exato de Fisher. Para identificar associações entre as variáveis contínuas e os grupos de estudo foi utilizado o teste t de Student. Um p < 0,05 foi considerado estatisticamente significante. O grau de concordância interexaminador (Kappa; p < 0,0001) foi considerado substancial, correspondendo a 86,1% (0,7656) no ombro direito e 83,3% (0,6412) no esquerdo. Constatou-se que a grande maioria (80%) dos indivíduos que apresentaram positividade no Slide Lateral Scapular Test relatou dor no ombro. Dentre os nadadores que apresentaram discinesia escapular durante a filmagem, em 70,8% também foi constatada a presença dessa condição no teste estático. Este é um estudo original no que diz respeito à abordagem da discinesia escapular em nadadores e em relacioná-la com a presença de dor no ombro. Porém, a hipótese inicial de que haveria uma associação significante não foi correspondida.<hr/>The scapula plays an essential role in the throwing motion performed by athletes. Scapular dyskinesia is a condition characterized by imbalance in the structures responsible for the joint stability, which is often accompanied by shoulder pain. The main objective of this study is to assess the relationship between scapular dyskinesia and shoulder pain in swimmers. A total of 36 male swimmers aged between 18 and 36 years were diagnosed for scapular dyskinesia utilizing two different methods: the Lateral Slide Scapular Test and the video recording method suggested by Kibler. Statistical analysis was performed using the Chi-square test or Fisher's exact test. Comparisons between groups were performed using the t-test. The degree of p< 0.05 was considered statistically significant. Significance was set at α=0.05. There was a high inter-rate reliability concerning the video analysis (Kappa; p<0.0001), corresponding to 86.1% (0.7656) on the right shoulder and 83.3% (0.6412) on the left shoulder. The majority of the individuals that had positive diagnosis assessed by the Lateral Slide Scapular Test (80%) reported pain on the shoulder. Furthermore, 70.8% of the subjects who had positive diagnosis by the video recording also had positive diagnosis in the static test. Although a significant association between scapular dyskinesia and shoulder pain was not found, this is an important study to approach these conditions in swimmers. <![CDATA[<b>Effect of the Use of the <i>Active Ankle System</i> Stabilizer in The Vertical Jump Height in Volleyball Players</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000600005&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO E OBJETIVO: Na prática do voleibol, as entorses de tornozelo representam 25 a 50% das lesões agudas. Medidas preventivas, como estabilizadores dinâmicos de tornozelo (EDT), são frequentemente utilizadas, porém, há controvérsias se esse dispositivo pode ou não interferir no desempenho esportivo. O objetivo deste estudo foi analisar o efeito do EDT Active Ankle System® (AAS) na altura do salto vertical em jogadoras de voleibol. MÉTODOS: Selecionou-se uma amostra de conveniência de 14 atletas entre 14 e 18 anos de idade, do gênero feminino. Estas foram instruídas a saltar simulando o gesto esportivo do ataque e do bloqueio com e sem o EDT, sobre placas de contato conectadas a um computador portátil que, através de um programa, calculava a altura do salto vertical. Previamente, foi feito um estudo-piloto para determinação do coeficiente de correlação intraclasse para as quatro condições de teste (n = 4), no qual os valores encontrados foram: ataque com EDT, 0,95; ataque sem EDT, 0,76; bloqueio com EDT, 0,92; bloqueio sem EDT, 0,89. Os dados de altura de cada tipo de salto vertical nas condições com e sem EDT foram comparadas através de testes t de Student para amostras pareadas. RESULTADOS: Para um nível de significância de α = 0,05, não foi encontrada diferença significativa entre os saltos do ataque com o EDT (0,41 + 0,073m) e sem o EDT (0,41 + 0,086m), p = 0,517. Também não foi encontrada diferença significativa para os saltos do bloqueio com o EDT (0,31 ± 0,048m) e sem o EDT (0,32 ± 0,050m), p = 0,06. CONCLUSÃO: Os resultados do presente estudo apontam para não interferência do uso do EDT AAS no desempenho do salto vertical em atletas de voleibol.<hr/>INTRODUCTION AND OBJECTIVES: In volleyball practice, ankle sprains represent 25 to 50% of the acute injuries. Preventive measures such as dynamic ankle bracing (DAB) are very often used; however, there is controversy on whether this would affect athletic performance or not. The aim of this study was to assess the effect of the Active Ankle System® (AAS) DAB on the vertical jump height in volleyball players. METHODS: The sample consisted of 14 female athletes aged between 14 and 18 years. The sample was told to jump, simulating the sportive gesture of attack and block (with and without DAB), over contact plates plugged to a notebook computer that calculated the height of the jump using a software. Previously, a pilot study was performed to establish the Intraclass Correlation Coefficient at the four testing conditions (n=4), and the outcomes were: attack with DAB 0.95; attack without DAB 0.76; block with DAB 0.92 and block without DAB 0.89. The height data from each sort of vertical jump with or without DAB were matched using paired Student's t test samples. RESULTS: To a significance level of α=0.05, no significant difference was found between the attack jumps with DAB (0.41 + 0.073m) and without DAB (0.41 + 0.086m), p=0.517. In addition, no significant difference was found between the block jumps with DAB (0.31 + 0.048m) and without DAB (0.32 + 0.050m), p=0.06. CONCLUSION: Therefore, the results of the present study point out that the use of the AAS DAB does not influence volleyball players' vertical jumping performance. <![CDATA[<b>Injury incidence in sub-21 male soccer players during Regional Games of Sertãozinho-SP 2006</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000600006&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: O futebol, o esporte mais popular e praticado pelo mundo, é também uma das modalidades esportivas onde o atleta é submetido a diversos tipos e intensidades de esforços. Atualmente essa modalidade sofreu modificações, deixando de dar ênfase à técnica e passando a privilegiar os componentes físicos, aumentando assim a probabilidade da ocorrência de lesões. OBJETIVO: Realizar um levantamento epidemiológico das lesões no Futebol de Campo Sub-21 durante os 50°s Jogos Regionais de Sertãozinho de 2006. METODOLOGIA: Este é um trabalho do tipo epidemiológico descritivo e analítico, com desenho transversal. Realizou-se o acompanhamento de todas as partidas da modalidade, registrando as lesões ocorridas, seguido de um levantamento e caracterização das lesões. As mesmas foram classificadas de acordo com seu perfil e segmento anatômico, posteriormente divididas por posição dos atletas. RESULTADOS: Houve maior incidência das lesões nos membros inferiores, com 127 (74,7%); quanto ao perfil, as lesões musculares foram mais prevalentes, com 64 (37,6%) lesões. Os atletas do meio-campo foram os mais acometidos, com 72 (42,4%) lesões. Dentro da classe de goleiros e defensores a maior prevalência de contusões foi de sete (63,6%) e 11 (50%), respectivamente. Já os atacantes, laterais e meio-campistas apresentaram como predomínio as lesões musculares, sendo os primeiros com 11 (36,7%), seguidos de 12 (34,3%) dos laterais e 33 (45,8%) dos meio-campistas. CONCLUSÃO: Constatou-se que ocorreu maior índice de lesões em membros inferiores, sendo estas caracterizadas como as musculares de maior prevalência. Demonstrou-se ainda que as lesões apresentadas estão diretamente relacionadas com as características de cada posição.<hr/>Soccer is one of the most popular and practiced sports in the world. It is a sport in which athletes are submitted to many types and effort intensities. This sport has changed over the years, and instead of emphasizing technique, currently the physical components are more favored, increasing hence the injury risk. OBJECTIVE: The aim of this study was to perform an epidemiological survey of sub-21 male soccer player's injuries in the Regional Games 2006. METHODS: This study was of epidemiological descriptive and analytical type, with a transversal design. All games of the modality were followed, and the injuries found were registered by their prevalence and classification. Injuries were classified according to their profile and anatomical segment and according to athletes' position as well. RESULTS: The highest prevalence of injuries was found in the lower extremities 127 (74.7%), and muscular injuries were the most frequent 64 (37.6%). Midfielders were the most affected players 72 (42.4%). The most frequent injury type in goalkeepers and defenders were contusions with 7 (63.6%) and 11 (50%), respectively. Strikers, outside midfielders and midfielders showed mostly muscular injuries, with 11 (36.7%), 12 (34.3%) and 33 (45.8%), respectively. CONCLUSIONS: In conclusion, this study demonstrated higher incidence of injuries in lower extremities in sub-21 soccer players, being muscular injuries the most common ones. The results also suggest that injuries are directly related with the characteristics of each athlete's position. <![CDATA[<b>Physical exercise dependence</b>: <b>mood, quality of life in amateur and professional athletes</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000600007&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo do presente estudo foi verificar se existem diferenças nos escores de Dependência de Exercício (DE), escores de humor e qualidade de vida em atletas profissionais e amadores de modalidade esportivas coletivas e individuais. MÉTODOS: Participaram deste estudo 116 atletas praticantes de modalidades esportivas coletivas (n = 60, sendo 20 profissionais e 40 amadores) e individuais (n = 56, sendo 16 profissionais e 40 amadores) do gênero masculino. As médias (± desvio-padrão) da idade, estatura, massa corporal e índice de massa corpórea (IMC) foram: 22,13 ± 6,16 anos; 1,77 ± 0,10cm; 72,76 ± 10,04kg; e 23,10 ± 2,04kg/m², respectivamente. Os atletas responderam aos seguintes questionários: Escala de Dependência de Exercício (EDE), Inventário Beck de Depressão, Idate Traço e Estado de Ansiedade, Questionário POMS de perfil de humor, Questionário SF-36 de Qualidade de Vida, em um dia de folga dentro da periodização normal de treinamento, caracterizando o estudo como transversal. O trabalho foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Unifesp (# 0616/06). RESULTADOS: Atletas amadores e profissionais apresentaram escores similares de DE, mas quando considerados os tipos de modalidade, os amadores praticantes de modalidades coletivas apresentam maiores escores, o que se inverte quando considerados atletas profissionais. Em relação aos resultados de humor, atletas profissionais apresentaram mais qualidade de vida e menores escores de humor. CONCLUSÃO: Atletas amadores e profissionais praticantes de modalidades esportivas coletivas e individuais respondem diferentemente à DE; o tipo de modalidade e seu envolvimento social e competitivo parecem ser o grande determinante. Além disso, pode-se concluir que atletas profissionais de modalidades coletivas apresentam melhor perfil de humor e qualidade de vida, tanto quando comparados com profissionais de modalidades individuais, quando com atletas amadores praticantes de modalidades coletivas ou individuais.<hr/>The purpose of this study was to verify if there are differences between exercise dependence (ED), mood and quality of life scores in professional and amateur athletes of individual and collective sport modalities. METHODS: 116 male athletes of collective sport modalities (n=60, 20 professionals and 40 amateurs) and individual sport modalities (n=56, 16 professionals and 40 amateurs) participated in this study. Age, height, weight, BMI mean (± standard-deviation) were: 22.13 ± 6.16 years; 1.77 ± 0.10 cm; 72.76 ± 10.04 kg and 23.10 ± 2.04 kg/m², respectively. The athletes answered the following questionnaires: Exercise Dependence scale (EDE), Beck Depression Inventory, Trait and State of Anxiety - IDATE, POMS - profile of mood states, SF-36 Questionnaire of Quality of Life. The study was approved by the Ethics in Research Committee of UNIFESP (#0616/06). RESULTS: Amateur and professional athletes presented similar scores of ED, but when the kind of modality was considered, the amateurs of collective modalities presented higher scores than professional athletes. CONCLUSION: Amateur and professional athletes of collective and individual sport modalities answered differently to ED, and the sports modality and competitive and social involvement could be determinant. Moreover, it is possible to conclude that professional athletes of collective sports present better profile of mood and quality of life when compared with professional athletes of individual sports when compared with amateur athletes from collective or individual sport modalities. <![CDATA[<b>Resting metabolic rate of cyclists estimated by mathematical equations and obtained by indirect calorimetry</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000600008&lng=en&nrm=iso&tlng=en A taxa metabólica de repouso (TMR) pode ser determinada por calorimetria indireta (CI). Porém, em função da praticidade, na prática clínica na maioria das vezes esta é estimada por equações de predição, as quais foram desenvolvidas em estudos envolvendo indivíduos não atletas. Apesar de alguns autores terem indicado que tais equações não estimam adequadamente a TMR, estas têm sido bastante utilizadas para calculá-la e prescrever dietas, inclusive para atletas. O objetivo deste estudo foi comparar a TMR determinada por CI com a estimada pelas equações de Harris & Benedict (HB), Schofield, FAO/WHO/UNU e Henry & Rees (HR), em 15 homens ciclistas, de 24,4 ± 3,68 anos, apresentando índice de massa corporal de 21,97 ± 1,46kg/m² e VO2máx de 70,00 ± 5,32mL(kg.min)-1. Para comparar a TMR determinada por CI e pelas equações, utilizou-se o tratamento estatístico testes t de Student (variáveis com distribuição normal) e de Mann-Whitney (variáveis sem distribuição normal), considerando p < 0,05. Além disso, foi realizada correlação de Pearson entre TMR e massa livre de gordura (MLG). Verificou-se que a TMR foi subestimada em 23,5%, 16,7%, 16,8% e 16,9%, respectivamente, quando se utilizaram as equações de HR, FAO/WHO/UNU, Schofield e HB, em relação à TMR obtida por CI. A TMR se correlacionou com a MLG (r = 0,551, p = 0,03). Os resultados confirmam que as equações avaliadas não são adequadas para estimar a TMR em atletas. Tais resultados podem ser explicados pela maior quantidade de MLG apresentada por atletas e possivelmente maior resposta dos receptores β-adrenérgicos aos estímulos do sistema nervoso simpático, resultando em TMR mais alta que em indivíduos sedentários. Diante disso, desenvolveu-se uma equação com as variáveis MLG e idade para melhor estimativa da TMR de ciclistas. Recomenda-se, no entanto, que a equação desenvolvida seja validada em estudo envolvendo um número maior de ciclistas, para que esta seja utilizada na prática clínica.<hr/>The resting metabolic rate (RMR) can be determined by indirect calorimetry (IC). However, the clinical estimation of this parameter has been done using mathematical equations, which were developed in studies involving non-athletes. Although some authors have indicated that such equations do not estimate correctly the RMR, they have been constantly used to estimate such parameter and to prescribe diets, including for athletes. The objective of this study was to compare the RMR determined by IC with the ones estimated using the equations proposed by Harris & Benedict (HB), Schofield, FAO/WHO/UNU and Henry & Rees (HR), in 15 male cyclists, aged 24.4±3.68 years, body mass index of 21.97±1.46 kg/m² and VO2max of 70.00±5.32 mL(kg.min)-1. Student's t test (when data presented normal distribution) and Mann-Whitney (when data did not present normal distribution) were used to compare the RMR determined by IC and the ones estimated by the equations. Probability values below 0.05 were considered statistically significant. Pearson bivariate correlation coefficients were calculated to evaluate the relationship between RMR and fat free mass (FFM). It was verified that the RMR was significantly underestimated in 23.5%, 16.7%, 16.8% and 16.9%, respectively by the equations proposed by HR, FAO/WHO/UNU, Schofield and HB in comparison to RMR obtained by IC. RMR values were significantly correlated with FFM (r=0.551, p=0.03). These results confirm that the equations evaluated in this study are not appropriate to estimate the RMR of athletes. Such results can be explained by the fact that athletes have more FFM and possibly a greater β- adrenergic receptors response to the sympathetic nervous system, which in turn leads to RMR higher than in sedentary people. Therefore, we created an equation considering the FFM and age variables to better estimate athletes´ RMR. However, this equation should be validated in a study involving a greater number of cyclists before it can be clinically used. <![CDATA[<b>Running training effects in different intensities on the aerobic capacity and lactate production by the muscle of Wistar rats</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000600009&lng=en&nrm=iso&tlng=en São raros os estudos que associam indicadores de capacidade aeróbia e os substratos produzidos pelo metabolismo muscular em ratos. Dessa forma, o objetivo do presente estudo foi verificar o efeito do treinamento de corrida em duas diferentes intensidades sobre a capacidade aeróbia e a produção de lactato pelo músculo sóleo isolado de ratos. Ratos Wistar (90 dias) tiveram a transição metabólica aeróbio-anaeróbia determinada pelo teste de máxima fase estável de lactato (MFEL). Em seguida, os ratos foram treinados 40 minutos/dia, cinco dias/semana, na velocidade equivalente à MFEL (TT) ou 5% superior a essa (TS), por oito semanas. Como controles foram usados ratos mantidos sedentários (S). Ao final, todos os animais foram sacrificados para análise da produção de lactato pelo músculo sóleo isolado. No inicio do experimento, a maior parte dos animais obteve a MFEL na velocidade de 25m/min à concentração de 4,38 ± 0,22mmol/L sanguínea de lactato. Ao final do experimento, a maior parte dos ratos treinados na TT apresentou MFEL na velocidade de 25m/min, à concentração sanguínea de lactato 3,10 ± 0,27mmol/L. A maioria dos treinados TS teve MFEL na velocidade de 25m/min à concentração sanguínea de lactado de 3,36 ± 0,62mmol/L. Os sedentários mostraram a MFEL na velocidade de 20m/min à concentração sanguínea de lactato de 4,83 ± 0,67mmol/L. A produção de lactato (μmol/g.h) pelo músculo sóleo isolado foi menor no grupo TS (3,83 ± 0,62) do que nos demais (S 4,31 ± 0,58 e TT 4,71 ± 0,39). A partir dos resultados obtidos no presente estudo, pode-se concluir que o treinamento aeróbio evitou a deterioração do condicionamento aeróbio imposta pelo avanço da idade e que o treinamento físico na intensidade superior à MFEL reduziu a produção muscular de lactato.<hr/>There are few studies that associate indicators of aerobic capacity and the substrates produced by the muscular metabolism in rats. The aim of the present study was to analyze the effects of physical training in different intensities on the aerobic capacity and lactate production by the isolated soleus muscle of Wistar rats (90 days) that had the aerobic/anaerobic metabolic transition determined by the Maximal Lactate Steady State Test (MLSS). Subsequently, the rats were trained 40 minutes/day, 5 days/week, in the speed equivalent to MLSS (MT) or 5% above it (AT), for 8 weeks. Rats maintained sedentary (S) were used as controls. At the end, all rats were sacrificed for analysis of lactate production by the isolated soleus muscle. The main results were: in the beginning of the experiment, in most of the rats the MLSS was obtained in the speed of 25m/min, to the concentration of 4.38+0.22mmol/L of blood lactate. At the end of the experiment, most of the rats trained at the MLSS intensity presented MLSS in the speed of 25m/min, to the concentration of 3.10+0.27 mmol/L of blood lactate. Most of the animals trained above-MLSS had MLSS in the speed of 25m/min, to the concentration of 3.36+0.62 mmol/L of blood lactate. Sedentary rats showed MLSS in the speed of 20m/min to the concentration of blood lactate of 4.83+0.67mmol/L. The lactate production (μmol/g.h): S 4.31+0.58, MT 4.71+0.39, AT 3.83+0.62 was lower in the ST group., It can be concluded from the results of the present study that the aerobic training prevented the deterioration of the aerobic conditioning imposed by the age advance, and that physical training above the MLSS reduced muscle lactate production. <![CDATA[<b>Maximal lactate steady state and critical power in well-trained cyclists</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000600010&lng=en&nrm=iso&tlng=en O principal objetivo deste estudo foi comparar a intensidade correspondente à máxima fase estável de lactato (MLSS) e a potência crítica (PC) durante o ciclismo em indivíduos bem treinados. Seis ciclistas do sexo masculino (25,5 ± 4,4 anos, 68,8 ± 3,0kg, 173,0 ± 4,0cm) realizaram em diferentes dias os seguintes testes: exercício incremental até a exaustão para a determinação do pico de consumo de oxigênio (VO2pico) e sua respectiva intensidade (IVO2pico); cinco a sete testes de carga constante para a determinação da MLSS e da PC; e um exercício até a exaustão na PC. A MLSS foi considerada com a maior intensidade de exercício onde a concentração de lactato não aumentou mais do que 1mM entre o 10º e o 30º min de exercício. Os valores individuais de potência (95, 100 e 110% IVO2pico) e seu respectivo tempo máximo de exercício (Tlim) foram ajustados a partir do modelo hiperbólico de dois parâmetros para a determinação da PC. Embora altamente correlacionadas (r = 0,99; p = 0,0001), a PC (313,5 ± 32,3W) foi significantemente maior do que a MLLS (287,0 ± 37,8W) (p = 0,0002). A diferença percentual da PC em relação à MLSS foi de 9,5 ± 3,1%. No exercício realizado na PC, embora tenha existido componente lento do VO2 (CL = 400,8 ± 267,0 ml.min-1), o VO2pico não foi alcançado (91,1 ± 3,3 %). Com base nesses resultados pode-se concluir que a PC e a MLSS identificam diferentes intensidades de exercício, mesmo em atletas com elevada aptidão aeróbia. Entretanto, o percentual da diferença entre a MLLS e PC (9%) indica que relação entre esses dois índices pode depender da aptidão aeróbia. Durante o exercício realizado até a exaustão na PC, o CL que é desenvolvido não permite que o VO2pico seja alcançado.<hr/>The main objective of this study was to compare the intensity corresponding to the maximal lactate steady state (MLSS) and critical power (CP) in well-trained cyclists. Six male cyclists (25.5 ± 4.4 years, 68.8 ± 3.0 kg, 173.0 ± 4.0 cm) performed in different days the following tests: incremental exercise test until exhaustion to determine peak oxygen uptake (VO2peak) and its respective intensity (IVO2peak); five to seven constant workload tests to determine MLSS and CP and; one exhaustion test at CP. MLSS was defined as the highest workload at which blood lactate concentration did not increase by more than 1 mM between minutes 10 and 30 of the constant workload. Individual values for power-Tlim from the constant workload tests (95, 100 and 110% IVO2peak) were fit to the hyperbolic model of two-parameter to determine CP. Although highly correlated (r = 0.99; p = 0.0001), CP (313.5 + 32.3 W) was statistically higher than MLSS (287.0 + 37.8 W) (p = 0.0002). The percentual difference between CP and MLSS was 9.5 + 3.1 %. During exercise performed at CP, although a slow component of VO2 has developed (SC = 400.8 + 267.0 ml.min-1), the VO2peak was not attained (91.1 + 3.3 %). Based on these results, it can be concluded that CP and MLSS identify different exercise intensities, even in athletes with high fitness level. However, the percentual difference between CP and MLSS (9%) indicates that the relationship between these indexes may depend on aerobic fitness. During exercise performed at CP, the SC does not allow VO2peak to be attained. <![CDATA[<b>Anaerobic power output of elite off-road cyclists with acute oral creatine supplementation</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000600011&lng=en&nrm=iso&tlng=en Com o objetivo de investigar os efeitos da suplementação aguda com creatina no desempenho da potência anaeróbia de atletas de elite do mountain bike, 20 atletas em período básico do macrociclo de treinamento foram distribuídos aleatoriamente (duplo-cego) em dois grupos: placebo (PLA, n = 10) e creatina (CRE, n = 10). Foram avaliados quanto à composição corporal (pesagem hidrostática) e potência anaeróbia (teste de Wingate - TW) antes (PRÉ) e depois (PÓS) de sete dias de suplementação. A creatina ou maltodextrina foi usada em três doses diárias de 0,3g/kg de massa corporal diluídos em meio líquido adoçado. Não foram observadas diferenças significativas nas variáveis morfológicas após sete dias de suplementação (PRÉ x PÓS), e os grupos não diferiram apesar da variação percentual (Δ%) contrária (positiva para o grupo CRE e negativa para o PLA). A potência anaeróbia pico (PP) e o instante da potência pico (IPP) aumentaram e o índice de fadiga diminuiu do PRÉ para o PÓS-testes no grupo CRE, enquanto que o grupo PLA não apresentou diferenças significantes. A PP apresentou forte tendência em ser maior e o IPP foi maior no grupo CRE comparado com o PLA. Conclui-se que existem evidências de que a suplementação com creatina (0,3g/kg) em curto prazo (sete dias) pode retardar o IPP (CRE 3,0 ± 0,5/3,6 ± 0,8 Δ%= 20%) no teste de Wingate em atletas de elite do mountain bike, sugerindo que a suplementação com creatina pode melhorar o desempenho físico quanto à potência anaeróbia durante o trabalho de alta intensidade e curta duração.<hr/>In order to investigate the effect of a high dose, acute oral creatine supplementation on anaerobic power of male off-road cyclists, twenty elite athletes training at the basic period were randomly (double-blind) assigned into 2 groups: placebo (PLA n=10) and creatine (CRE n=10). They were submitted to a body composition evaluation (underwater weighting) and Wingate Anaerobic Test (TW) before (PRE) and after (POS) seven days of supplementation. The oral supplements (creatine and maltodextrine) were taken in sweetened vehicle with three equal doses per day (0. 3 g/kg body mass/dose). After a seven-day period, no significant differences were found on morphological variables (PRE x POS) and there was no difference between the groups in spite of the opposite percent variation (Δ%) (positive for CRE and negative for PLA group). The anaerobic power output (PP) and the moment of pick power (IPP) increased and the fatigue index decreased from PRE to POST tests in CRE group; however, the PLA group did not show significant differences. The PP showed strong tendency to increased values and IPP was greater in the CRE compared with the PLA group. The results of the present study indicated that short-term creatine supplementation (0.3g/kg) can postpone the anaerobic IPP (CRE 3.0 ± 0.5/3.6 ± 0.8 Δ%= 20%) leading to significant improvement on the performance of power output and peak power moment in off-road cyclists. <![CDATA[<b>Obesity and inflammatory adipokines</b>: <b>practical implications for exercise prescription</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000600012&lng=en&nrm=iso&tlng=en A obesidade é uma doença complexa de etiologia multifacetada, com sua própria fisiopatologia, comorbidades e capacidades desabilitantes. Aceitar a obesidade como uma doença é fundamental para o seu tratamento. Atualmente, o tecido adiposo é um dos principais focos das pesquisas em obesidade, devido a uma revolução no entendimento da função biológica desse tecido desde a última década. Já está muito claro que o tecido adiposo branco secreta múltiplos peptídeos bioativos, denominados adipocinas (proteínas sintetizadas e secretadas pelo tecido adiposo). Dessa forma, o objetivo deste trabalho de revisão foi investigar a relação entre obesidade e adipocinas inflamatórias, buscando discutir o papel do exercício físico no tratamento dessa patologia. Os resultados demonstram que uma das mais importantes descobertas das pesquisas recentes em obesidade é o conceito de que ela é caracterizada por uma inflamação crônica. Dentre todas as adipocinas, sem dúvida, a IL-6, o TNF-α, a leptina (pró-inflamatórias) e a adiponectina (anti-inflamatória) vêm recebendo atenção especial da literatura especializada. O aumento da concentração dessas adipocinas promove grande impacto em diversas funções corporais que estão fortemente correlacionadas com doenças cardiovasculares. Uma vez que a obesidade é considerada uma doença inflamatória e o exercício físico modula de forma direta tais processos, é essencial que tenhamos como um dos objetivos principais de nossos programas de exercícios físicos a melhora da resposta inflamatória de obesos.<hr/>Obesity is a complex disease with a multifaceted etiology with its own physiopathology, co-morbidities and disabiliting capacities. It is crucial that obesity is acknowledged as a disease in order to treat it. Nowadays, the adipose tissue is the main focus of obesity research due to the improvement in the last decade on biological function of this tissue. It is now clear that white adipose tissue release a large amount of bioactive peptides called adipokines (which are proteins synthesized and released by adipose tissue). Thus, the aim of this review was to investigate the relationship between obesity and inflammatory adipokines, trying to discuss the role of physical exercise in the treatment of this pathology. The results have shown that one of the most important recent discoveries is the concept that obesity is characterized by a chronic inflammation state. Among all adipokines, IL-6, TNF- α, leptin (pro-inflammatory) and adiponectin (anti-inflammatory), have received special attention from the specialized literature. High concentration of these adipokines promotes impact in several body functions, which is strongly linked with cardiovascular diseases. Since obesity is considered an inflammatory disease, and exercise directly modulates this process, it is essential that one of the main aims of exercise therapies is the improvement of the inflammatory response of obese individuals. <![CDATA[<b>Safety and accuracy of physical training in chronic renal insufficiency</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000600013&lng=en&nrm=iso&tlng=en A doença renal crônica acarreta alterações em todos os sistemas corporais. Os pacientes cursam com marcada redução do condicionamento cardiorrespiratório, alterações musculares, reduzida performance física e pior qualidade de vida. A atividade física tem sido cada vez mais utilizada como forma de tratamento para essa população. Programas de treinamento físico aeróbio e/ou resistidos de moderada ou baixa intensidade no período interdialítico e durante a hemodiálise têm sido utilizados. Entretanto, os benefícios dessas intervenções no doente renal crônico, a escolha mais apropriada do tipo de treinamento e a segurança da aplicabilidade de atividades específicas não estão bem esclarecidos. Esta revisão tem como objetivo abordar os aspectos relacionados com o tipo de treinamento, período em que este é realizado, assim como os possíveis benefícios que o treinamento físico pode induzir nessa população.<hr/>Chronic renal disease has consequences on several physiological systems. Patients present decrease on cardiorespiratory capability, muscular changes, reduced physical performance and worse quality of life. Physical activity has been increasingly used as therapy for these patients, including training programs with aerobic and resistance exercises of low to moderate intensity in the interdialytic period and during hemodialysis. However, the benefits of physical exercise therapy to chronic renal patients, the choice of better training programs and the applicability safety of specific exercises are not clear yet. Thus, this review has the objective to discuss the aspects concerned with the type of training, better period to perform it and the relevance of their benefits to patients. <![CDATA[<b>Physical and sports activity after hip arthroplasty</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000600014&lng=en&nrm=iso&tlng=en A artroplastia é utilizada para reconstrução da articulação do quadril, visando minimizar a dor e possibilitar o retorno às atividades de vida diária, esportivas e de lazer. O objetivo deste artigo é analisar na literatura as indicações e contraindicações referentes à prática de atividade física, esportiva e lazer após a artroplastia de quadril. Essa revisão aborda estudos publicados entre os anos de 1980 e 2009, obtidos por buscas em bancos de dados eletrônicos Medline, Scielo, Ovid, Infomaworld, Sciencedirect, Springerlink, Interscience, Sportdiscuss, Bireme, Informglobal, Opas, Ovid, Diseasedex, Eric, que totalizaram 39 artigos. Os artigos analisados apontam para a utilização de atividade física, esportiva e de lazer de baixo impacto. como a caminhada, natação, boliche, ciclismo, dentre outras. Outra indicação constatada na literatura é a utilização da atividade física e esportiva visando à manutenção do condicionamento físico, qualidade óssea e controle do peso corporal. Há ressalvas na literatura sobre a utilização de atividades de alto impacto, esporte com giro como o basquete e futebol ou com grande intensidade como tênis e a corrida, bem como os esportes de luta. As atividades físicas, esportivas e de lazer mais indicadas após uma atroplastia de quadril são as de baixo impacto como a hidroginástica, natação, caminhada, dentre outras. O início dessas atividades deve aguardar a liberação do médico, mas em média iniciam 60 dias após a cirurgia.<hr/>Hip arthroplasty is used for reconstruction of the hip joint to reduce pain and to make the return to daily life, physical, sports and leisure activities possible. The objective of this article was to analyze in the literature the indications and counter-indications referring to practice of physical, sportive and leisure activities after hip arthroplasty. This revision approaches studies published between 1980 and 2009, obtained in searches in the Medline, Scielo, Ovid, Infomaworld, Sciencedirect, Springerlink, Interscience, Sportdiscuss, Bireme, Informglobal, Opas, Ovid, Diseasedex and Erics electronic databases with a total of 39 articles. The analyzed articles point to the use of physical, leisure and sports of low impact activities such as walking, swimming, bowling, cycling and others. Another indication evidenced in the literature is the use of physical and sportive activity aiming at the maintenance of physical fitness, bone quality and body weight control. The literature shows concerns with the use of activities of high impact or with great intensity like tennis and jogging, as well as fights. <![CDATA[<b>Glutamine</b>: <b>biochemical, metabolic, molecular aspects and supplementation</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000600015&lng=en&nrm=iso&tlng=en A glutamina é o aminoácido livre mais abundante no plasma e no tecido muscular. Nutricionalmente é classificada como um aminoácido não essencial, uma vez que pode ser sintetizada pelo organismo a partir de outros aminoácidos. A glutamina está envolvida em diferentes funções, tais como a proliferação e desenvolvimento de células, o balanço acidobásico, o transporte da amônia entre os tecidos, a doação de esqueletos de carbono para a gliconeogênese, a participação no sistema antioxidante e outras. Por meio de técnicas de biologia molecular, estudos demonstram que a glutamina pode também influenciar diversas vias de sinalização celular, em especial a expressão de proteínas de choque térmico (HSPs). As HSPs contribuem para a manutenção da homeostasia da célula na presença de agentes estressores, tais como as espécies reativas de oxigênio (ERO). Em situações de elevado catabolismo muscular, como após exercícios físicos intensos e prolongados, a concentração de glutamina pode tornar-se reduzida. A menor disponibilidade desse aminoácido pode diminuir a resistência da célula a lesões, levando a processos de apoptose celular. Por essas razões, a suplementação com L-glutamina, tanto na forma livre, quanto como dipeptídeo, tem sido investigada. Alguns aspectos bioquímicos, metabólicos e mecanismos moleculares da glutamina, bem como os efeitos de sua suplementação, são abordados no presente trabalho.<hr/>Glutamine is the most frequent free amino acid in the serum and muscular tissue. Nutritionally, it is classified as a non-essential amino acid, once it can be synthesized by the body from other amino acids. Glutamine is involved in different functions, such as cell proliferation and development, basic acid balance, ammonia transportation between tissues, carbon skeleton donation to the gluconeogenesis, participation in the antioxidant system, among others. Molecular biology techniques show that it may also influence several cell signaling ways, especially the expression of heat shock proteins (HSP). The HSPs contribute to the maintenance of the cellular homeostasis in the presence of stress agents such as oxygen reactive species (ORE). In situations of high cellular catabolism, as after intense and prolonged physical exercises, the glutamine concentration may become reduced. Lower availability of this amino acid may decrease the cell resistance to injuries, leading to cellular apoptosis processes. Therefore, L-glutamine supplementation either in free form or as dipeptide has been investigated. Some biochemical and metabolic aspects, molecular mechanism of glutamine, as well as the effects of its supplementation are approached in the present article.