Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Medicina do Esporte]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1517-869220120001&lang=en vol. 18 num. 1 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Protein consumption by bodybuilding practitioners aiming muscle hypertrophy</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000100001&lng=en&nrm=iso&tlng=en A grande procura por academia frequentemente está relacionada com o visual estético e na maioria dos casos com o aumento de massa muscular, principalmente por praticantes de musculação. Existe uma crença entre os atletas de que proteína (PTN) adicional aumenta a força e melhora o desempenho. Este estudo teve como objetivo avaliar o consumo de proteína dos praticantes de musculação que objetivam hipertrofia muscular em uma academia do interior do Estado do Rio Grande do Sul. A amostra foi composta por 23 praticantes de musculação, do sexo masculino, com idade entre 19 e 33 anos. Participaram do estudo os praticantes de musculação que realizavam treino para ganho de massa muscular com frequência mínima de três vezes por semana e que tinham experiência em treinamento resistido de no mínimo 12 semanas. Um formulário foi preenchido, sobre informações pessoais e alguns dados específicos em relação ao treino e à alimentação. Foi realizado registro alimentar de três dias. As medidas antropométricas foram retiradas do banco de dados do software de avaliação física da academia. Também foi avaliado o estado nutricional, através do cálculo do índice de massa corporal (IMC). A média de ingestão de proteína foi de 1,7g/kg. A massa magra atual (61,7kg) apresentou valores mais elevados que a massa magra inicial (59,9kg), sendo que esta mostrou-se menor para as três classificações (abaixo, recomendado e acima do recomendado) da ingestão de PTN. Foi detectada diferença estatística significativa para as classificações dentro da faixa recomendada (p < 0,001) e acima do recomendado (p < 0,05), em que, nas duas situações, a massa magra atual se mostrou significativamente mais elevada que a massa magra inicial. Os achados neste estudo sugerem que a amostra não se caracteriza por apresentar o consumo de PTN acima ou abaixo do recomendado, tendo característica de dieta hiperproteica.<hr/>The high demand for health clubs is often related to aesthetics and in most cases to increase of muscle mass, especially by practitioners of bodybuilding. There is a belief among athletes that additional protein (LWA) increases strength and improves performance. This study aimed to evaluate the protein consumption of bodybuilding practitioners aiming muscle mass increase, in a health club from Rio Grande do Sul. The sample consisted of 23 male bodybuilding practitioners, aged between 19 and 33 years. Bodybuilding practitioners who trained to gain muscle mass with minimum frequency of three times per week and had experience in endurance training for at least twelve weeks participated in the study. A form with personal information and some specific data concerning training and nutrition was filled out. Food record was held for three days. The anthropometric measurements were taken from the physical evaluation software database of the health club. Nutritional status was also assessed by the calculation of the Body Mass Index (BMI). Average protein intake was 1.7 g / kg. The current lean mass (61.7 kg) presented values higher than the initial lean mass (59.9 kg), which was lower for the three LWA intake classifications (low, recommended and above recommended).Statistically significant difference was detected for the classifications within the recommended range (p <0.001) and higher than recommendation (p <0.05), where, in both situations, the current lean mass was significantly higher than the initial lean mass. The findings in this study suggest that the sample is not characterized by the consumption of LWA above or below the recommendation, and presents hyperprotein diet feature. <![CDATA[<b>Comparison of the rating of perceived exertion and oxygen uptake during exercise between pregnant and non-pregnant women and between water and land-based exercises </b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000100002&lng=en&nrm=iso&tlng=en O objetivo do presente estudo foi comparar o índice de esforço percebido (IEP) e o consumo de oxigênio (VO2) durante o exercício aquático e terrestre, na intensidade do primeiro limiar ventilatório entre gestantes e não-gestantes. Sete gestantes (idade gestacional entre 27ª e 30ª semanas) e sete não-gestantes realizaram dois testes contínuos em cicloergômetro (água e terra) na intensidade do primeiro limiar ventilatório. Durante os testes, os gases respiratórios foram coletados com um analisador de gases portátil KB1-C da marca Aerosport. A frequência cardíaca (FC) foi obtida através de um Polar modelo F1. Os dados foram coletados a cada 20s. O IEP era indicado ao término do exercício através da escala RPE de Borg (6-20). Utilizou-se ANOVA para medidas repetidas de 1 FATOR, com post hoc de Bonferroni (p < 0,05). Não foram encontradas diferenças significativas para o VO2 e para o IEP comparando os exercícios aquático e terrestre. Além disso, não foram encontradas diferenças significativas entre gestantes e não-gestantes. Concluímos que o IEP pode ser usado para prescrição do exercício aquático e terrestre e para gestantes e não-gestantes, quando este for realizado na intensidade do primeiro limiar ventilatório e em cicloergômetro.<hr/>The purpose of the present study was to assess the differences in ratings of perceived exertion (RPE) and oxygen uptake (VO2) behavior during water and land-based exercise, performed in the exercise intensity of the first ventilatory threshold between pregnant and non-pregnant women. Seven pregnant (gestational ages between the 27th and 30th week) and seven non-pregnant women performed two continuous cycle ergometer tests (water and land-based) at the first ventilatory threshold intensity. During all sessions, respiratory gases were collected with a portable AEROSPORT KB1-C mixing box gas analyzer. A pneumotach was used with a neoprene mask. Heart rate (HR) measurements were obtained with a POLAR F1. Data were collected every 20s. RPE on Borg scale from 6 to 20 was derived at the end of the exercise. One-way ANOVA was applied for repeated measures using the post-hoc Bonferroni test (p<0.05). No significant differences were found in VO2 or RPE when comparing water with land-based exercise. In the same way, no significant difference was found between pregnant and non-pregnant subjects. We suggest that RPE can be used for water and land-based exercise prescription on cycle ergometer at the intensity of first ventilatory threshold, for both pregnant and non-pregnant women. <![CDATA[<b>Caloric expenditure of different domains of physical activity as predictors of the absence of diabetes in adults </b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000100003&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: A atividade física apresenta efeito protetor contra doenças crônicas e fatores de risco cardiovascular; no entanto, o gasto calórico necessário para promover a prevenção do diabetes permanece especulativo. OBJETIVO: Analisar o gasto calórico dos diferentes domínios da atividade física (trabalho, deslocamento, atividade doméstica, tempo livre e atividade física total) como preditores da ausência de diabetes em adultos de ambos os sexos. MÉTODOS: Estudo transversal realizado na cidade de Lauro de Freitas, Bahia, Brasil (2007-2008) com amostra constituída por 522 indivíduos maiores de 18 anos, sendo 302 do sexo feminino e 220 do sexo masculino. Foram construídas curvas Receiver Operating Characteristic (ROC) e comparadas as áreas sob as mesmas, além de verificar-se a sensibilidade e especificidade para identificar os melhores pontos de corte entre os diferentes domínios da atividade física e a ausência de diabetes. Foi utilizado o intervalo de confiança a 95%. RESULTADOS: Entre os diferentes domínios de atividade física analisados encontrou-se significância estatística nas áreas sob a curva ROC para o tempo livre, deslocamento e para atividade física total. Observou-se também que o gasto calórico na atividade física total de 830kcal/semana quando analisados apenas os homens, e 1,774kcal/semana quando analisados homens e mulheres conjuntamente, foram os melhores pontos de corte para predizer a ausência de diabetes. CONCLUSÃO: A prática da atividade física deve ser sugerida em níveis adequados para indivíduos de ambos os sexos visando contribuir para a prevenção do diabetes.<hr/>BACKGROUND: Physical activity had a protective effect against chronic diseases and cardiovascular risk factors; however, the caloric expenditure necessary to promote diabetes prevention remains speculative. OBJECTIVE: To analyze the caloric expenditure of different domains of physical activity (work, commuting, household, leisure time and total physical activity) as predictors of the absence of diabetes in adults of both sexes. METHODS: This was a cross-sectional study in the town of Lauro de Freitas, Bahia, Brazil (2007 - 2008) with a sample of 522 individuals over 18 years of age; 302 female and 220 male. Receiver Operating Characteristic Curves (ROC) were constructed and the areas below them were compared. Additionally, the sensitivity and specificity to identify the best cutoff points among the different domains of physical activity and the absence of diabetes were verified. Confidence interval at 95% was used. RESULTS: Among the different domains of physical activity analysed, statistical significance was only found in the areas under the ROC curve for leisure time, commuting and total physical activity. Additionally, it was observed that the caloric expenditure in total physical activity ranging from 830 kcal/week and 1.774 kcal/week were the best cutoff points for predicting the absence of diabetes. CONCLUSION: Physical activity should be suggested at appropriate levels for individuals of both sexes to contribute to diabetes prevention. <![CDATA[<b>Blood pressure and heart rate variability after aerobic and weight exercises performed in the same session </b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000100004&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Verificar o comportamento da PA sistólica (PAS), diastólica (PAD), média (PAM), frequência cardíaca (FC) e a variabilidade da frequência cardíaca (VFC) após sessões de exercício aeróbio e com pesos combinadas em diferentes ordens. MÉTODOS: Nove homens normotensos realizaram aleatoriamente em dias diferentes uma sessão de exercício aeróbio (cicloergômetro; 60% do <img border=0 src="/img/revistas/rbme/v18n1/v.jpg" align=absbottom>O2pico; 50 min) seguido pelo exercício com pesos (oito exercícios, três séries de 10-15 repetições, 60% de 1RM) e outra sessão iniciada pelo exercício com pesos seguido pelo exercício aeróbio. PA, FC e VFC foram medidas antes do exercício e durante 60 min após o término das sessões em intervalos de 10 min. RESULTADOS: Não foram observadas diferenças entre as sessões experimentais. A média dos 60 min do período de acompanhamento foi menor para a PAS (repouso = 121,3 ± 3,9; pós = 114,4 ± 2,1mmHg) e maior para a FC (repouso = 75,8 ± 4,3; pós = 89,5 ± 5,8bpm) na sessão iniciada pelo exercício aeróbio. Em contrapartida, não houve diferenças na média do período de recuperação para a PAD, PAM e VFC. CONCLUSÃO: Como não houve diferenças entre as variáveis das diferentes sessões, conclui-se que a ordem de execução dos exercícios aeróbio e com pesos não interfere nas respostas cardiovasculares e autonômicas após o esforço de sujeitos normotensos.<hr/>PURPOSE: To verify the systolic blood pressure (SBP), diastolic blood pressure (DBP), mean arterial pressure (MAP), heart rate (HR) and heart rate variability (HRV) response after resistance and aerobic exercises in different combinations. METHODS: Nine normotensive men performed in non-consecutive days a single session of aerobic exercise (cicloergometer; 60% of <img border=0 src="/img/revistas/rbme/v18n1/v.jpg" align=absbottom>O2pico; 50 min) plus resistance exercises (eight exercises; three sets; 10-15 reps; 60% of 1RM) and a single session of resistance exercises plus aerobic exercise. SBP, DBP, MAP, HR and HRV were evaluated at rest and at each 10 min (during 60 min) after exercises. RESULTS: Difference between sessions has not been found. In the session which initiated with the aerobic exercise, SBP decreased in the total mean post-exercise period (resting = 121.3 ± 3.9; post = 114.4 ± 2.1 mmHg) while HR increased (resting = 75.8 ± 4.3; post = 89.5 ± 5.8 bpm). On the other hand, there was no difference in the DBP, MAP or HRV. CONCLUSION: The exercise sessions order does not alter cardiovascular and autonomic post-exercise response in normotensive subjects. <![CDATA[<b>Resistance training influence on the quality of life of hypertensive elderly women </b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000100005&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é um dos principais problemas de saúde pública em todo o mundo, afetando principalmente mulheres idosas. O hipertenso pode ter sua qualidade de vida (QV) prejudicada em função das comorbidades inerentes à doença em questão. Dessa forma, o treinamento resistido (TR) vem sendo cada vez mais recomendado como terapêutica não-farmacológica dessa moléstia, uma vez que contribui para redução de incapacidades em indivíduos com e sem doenças cardiovasculares. OBJETIVO: Avaliar a QV, dada pelos questionários genérico (SF-36) e específico (MINICHAL), em idosas hipertensas controladas submetidas a programa de treinamento resistido. MÉTODOS: O TR foi realizado durante oito semanas, três vezes por semana, em dias alternados. A intensidade do treinamento foi periodizada ao longo do treinamento. Para avaliação da QV, utilizaram-se os questionários SF-36 e MINICHAL, antes e após o programa de TR. Na análise estatística utilizaram-se os testes Kolmogorov-Smirnov para verificar a normalidade dos dados, bem como o t de Student, considerando significativo p < 0,05. RESULTADOS: A análise do SF-36 mostrou um aumento no valor médio de quase todas as variáveis analisadas, contrapondo-se apenas aos domínios aspectos sociais e saúde mental. Houve diferença significativa com relação ao estado geral de saúde (EGS) (p = 0,02). Para o MINICHAL não foi observada diferença significativa nos domínios analisados, embora tenha apresentado redução do valor médio de todos os quesitos analisados. CONCLUSÃO: Nossos dados sugerem que o TR mostrou-se eficaz com relação ao domínio EGS pertencente ao SF-36. Em contrapartida, não foram evidenciadas alterações na QV das idosas quando avaliadas com o questionário específico MINICHAL.<hr/>INTRODUCTION: High Blood Pressure (HBP), also known as Hypertension, is one of the major worldwide public health problems and mainly affects elderly women. Hypertensive patients may have their quality of life (QOL) affected by comorbidities associated with this disease. Thus, resistance training (RT) has been increasingly recommended as a non-pharmacological therapy for HBP since it contributes to reduce the disability level in individuals with and without cardiovascular disease. OBJECTIVE: To assess QOL through generic (SF-36) and specific (MINICHAL) questionnaires in elderly with controlled hypertension undergoing a resistance training program. METHODS: RT was developed for eight weeks, three times per week on alternated days. The intensity of the RT was periodized throughout the training. For the QOL assessment, the SF-36 and MINICHAL were used before and after the RT program. The Kolmogorov-Smirnov test was used for statistical analysis to verify data normality, and the t-Student test was applied to compare pre and post training results, with the significance level set as p < 0.05. RESULTS: The analysis of the SF-36 showed increase in the average value of almost all variables, in contrast only to the social and mental health domains. There was significant difference only for general health (GH) (p = 0.02). Concerning the MINICHAL, no significant difference was observed in the areas examined, although reduction in the average value of all variables had been identified. CONCLUSION: Our data suggest that the RT was effective when related to the GH field from the SF-36. However, no change was evident in the QOL of the elderly women when they were evaluated through the MINICHAL questionnaire. <![CDATA[<b>Relationship among physical activity level, balance and quality of life in individuals with hemi paresis </b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000100006&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: A atividade física proporciona benefícios sobre o sistema neurológico, em particular, sobre as deficiências motoras e de equilíbrio, sendo estes déficits importantes em indivíduos com sequelas após acidente vascular encefálico (AVE). OBJETIVO: Avaliar a relação existente entre o equilíbrio e nível de confiança no equilíbrio com o nível de atividade física e com a qualidade de vida (QV) de indivíduos com hemiparesia após AVE. Método: Participaram 19 indivíduos (57,8 ± 14,1 anos) com hemiparesia crônica (44,1 ± 37,9 meses). Avaliou-se o perfil de atividade humana (PAH), o nível de confiança no equilíbrio (ABC), o equilíbrio funcional (BERG) e a QV (EQVE­AVE). Os dados foram submetidos ao teste de coeficiente de correlação de Spearman. RESULTADOS: O PAH ajustado apresentou uma correlação positiva forte para o BERG (ρ = 0,73) e uma correlação positiva moderada para o ABC (ρ = 0,64). A QV (total) e os domínios de papéis familiares e mobilidade da EQVE-AVE apresentaram correlações moderadas para BERG e ABC (ρ entre 0,53 e 0,67). O PAH total e ajustado apresentaram correlação positiva moderada com os domínios mobilidade (respectivamente, ρ = 0,48 e ρ = 0,71), autocuidado (ρ = 0,48 e ρ = 0,65), função do membro superior (ρ = 0,56 para ambos) e visão (ρ = 0,49 e ρ = 0,69). CONCLUSÃO: Sugere-se que quanto mais ativo o indivíduo se apresenta melhor será seu equilíbrio e sua confiança no equilibrar-se, tanto na realização das atividades de vida diária (AVDs) como também nas atividades físicas, com um impacto positivo na sua QV. Diante disto, é de extrema importância o desenvolvimento de programas de atividade física voltados para indivíduos com hemiparesia após AVE.<hr/>INTRODUCTION: Physical activity brings benefits to the neurological system, especially to motor and balance impairment, which are important deficits in individuals with sequels after a stroke. OBJECTIVE: To assess the correlation between the level of physical activity and balance in the quality of life of individuals with hemiparesis after a stroke. Method: 19 individuals (57.8 ± 14.1 years old) with chronic hemiparesis (44.1 ± 37.9 months) were involved in this study. The study evaluated the human activity profile (HAP), the balance confidence level (ABC), the functional balance (BERG) and quality of life (SSQOL). Data were submitted to analysis of Spearman's correlation coefficient. RESULTS: HAP presented a positive strong correlation with the scores of functional balance (BERG; ρ = 0.73) and a moderated positive correlation with the scores of balance confidence (ABC; ρ = 0.64). Total HAP and the HAP set showed moderate positive correlation with the mobility (respectively ρ = 0.48 and ρ = 0.71), self-care (ρ = 0.48 and ρ = 0.65), upper limb function (ρ = 0.56 for both) and vision (ρ = 0.49 and ρ = 0.69) domains. Quality of life and the family roles and mobility domains showed moderate correlations with both functional and balance with balance confidence. CONCLUSION: The results of this study suggest that the more active the person is, the greater his/her balance and quality of life will be. Considering this, the development of physical activity programs for individuals with hemiparesis after strokes becomes extremely important. <![CDATA[<b>Translation and cultural adaptation to Brazilian portuguese of the western ontario shoulder instability index (WOSI) </b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000100007&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: A instabilidade no ombro é um problema comum que afeta pacientes, mais frequentemente, na segunda e terceira décadas de vida e atletas que participam de esportes de arremesso ou de contato. Entre suas consequências estão dor, decréscimo no nível de atividade e um decréscimo geral na qualidade de vida. Muitos tratamentos têm sido propostos para os diversos tipos de instabilidade; entretanto, existem poucos instrumentos de avaliação que comprovem sua eficácia. Para utilização de medidas de avaliação em saúde desenvolvidas e utilizadas em outro idioma é necessário realizar a equivalência transcultural, sendo desnecessário criar e validar outro instrumento que avalie a condição de interesse. O objetivo deste estudo foi realizar a tradução e a adaptação cultural do questionário WOSI (The Western Ontario Shoulder Instability Index) para a língua portuguesa do Brasil. MATERIAIS E MÉTODOS: O protocolo aplicado consistiu em: 1) preparação, 2) tradução, 3) tradução de volta à língua original (retrotradução), 4) interrogatório cognitivo, e 5) relato de informações. Ao serem concluídas as etapas de tradução e retrotradução, as versões foram enviadas para os autores do WOSI original, que aprovaram para continuação do estudo. A versão em português foi aplicada em 35 pacientes com instabilidade no ombro para verificar o nível de compreensão do instrumento. A versão brasileira final do WOSI foi definida após conseguir menos que 15% de "não compreensão" em cada item. Para análise das variáveis, foi utilizada estatística descritiva. RESULTADOS: Para obter a equivalência cultural foram realizadas modificações e alterações de termos sugeridas pelos pacientes para os itens "não compreendidos". CONCLUSÃO: Após a tradução e adaptação cultural do questionário, a versão em português do WOSI foi concluída.<hr/>INTRODUCTION: Shoulder instability is a common problem that usually affects patients on their second or third decade of life and athletes who practice throwing or contact sports. Its consequences are pain, decrease of activity level and general decrease in the quality of life. Many treatments have been used to the different types of instability; however, there are few instruments of evaluation that prove their efficacy. In order to apply evaluation measures in health used and developed for another idiom, it is necessary to do the transcultural equivalency, being unnecessary the creation and validation of another instrument that evaluates the condition under interest. The objective of this study was to do the translation and cultural adaptation of the WOSI scale (The Western Ontario Shoulder Instability Index) to Brazilian Portuguese. Materials and METHODS: The applied protocol consisted of: 1) Preparation, 2) Translation, 3) Back-Translation, 4) Cognitive Interrogatory and 5) Information Report. After the conclusion of the translation and back-translation, the versions were sent to the original WOSI authors who approved the continuation of the study. The Portuguese version was applied in 35 patients with shoulder instability to verify the instrument's level of comprehension. The final Brazilian WOSI version was concluded after reaching less than 15% of "no comprehension" in each item. To analyze the variables, descriptive statistics was applied. RESULTS: To obtain the cultural equivalency, modifications and terms alterations suggested by the patients for the items "no comprehension" were done. CONCLUSION: After the translation and cultural adaptation of the scale, the WOSI Portuguese version was accomplished. <![CDATA[<b>Intra and inter examiner reliability and measurement error of goniometer and digital inclinometer use </b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000100008&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: A amplitude de movimento articular (ADM) é um importante componente avaliado durante o exame físico; porém, para que essa mensuração possa ser utilizada, é necessário que ela seja confiável e que suas propriedades de medida sejam conhecidas. OBJETIVOS: Verificar a confiabilidade inter e intraexaminadores das medidas realizadas pelo goniômetro e inclinômetro na avaliação da ADM de flexão e extensão de joelho e cotovelo, e determinar o erro padrão da medição (EPM) dos instrumentos em questão. MÉTODOS: Foi avaliada ADM de flexão e extensão de cotovelo e joelho, bilateralmente, de uma amostra de indivíduos jovens saudáveis do gênero masculino, com faixa etária entre 18 e 30 anos, utilizando um inclinômetro digital e um goniômetro universal. RESULTADOS: A confiabilidade interexaminador variou de pequena a muito alta para os dois instrumentos, apresentando CCI de 0,24 a 0,96 para as medidas feitas com o goniômetro, e de 0,02 a 0,98 para o inclinômetro. O único movimento que obteve confiabilidade muito alta para ambos os aparelhos e examinadores foi a flexão de joelho. O EPM determinado por meio da goniometria e inclinometria variou entre 0,21 e 12,75 graus. CONCLUSÃO: O inclinômetro digital apresenta melhores índices de confiabilidade que o goniômetro para as medidas de ADM. Apenas quatro medidas obtiveram CCI alto e EPM abaixo de dois graus, e, assim, foram consideradas apropriadas para serem utilizadas clinicamente, todas essas realizadas com o inclinômetro.<hr/>INTRODUCTION: Articular range of motion (ROM) is one of the important components measured during physical assessment. Goniometry is employed to measure and to register ROM available in a joint; however, it is necessary that it supplies reliable and standardized measures. OBJECTIVES: To verify the inter and intra-examiners reliability of the measures performed by the goniometer and inclinometer in the knee and elbow flexion and extension ROM and to determine the standard error of measurement (SEM) of the instruments in question. METHODS: The knee and elbow flexion and extension ROM was evaluated in a sample of healthy young males aged between 18-30 years, using a digital inclinometer and a universal goniometer. RESULTS: The interexaminer reliability ranged from small to very high for both instruments presenting ICC of 0.24 to 0.96 for the measures performed with the goniometer and of 0.02 to 0.98 for the inclinometer. The only movement which presented very high reliability for both products and examiners was the knee flexion. The SEM performed with the goniometry and the inclinometry ranged between 0.21 and 12.75 degrees. CONCLUSION: The present study presented higher reliability for ROM measures obtained with the digital inclinometer when compared with the goniometer. Only four measurements were considered appropriate to be clinically used: those which obtained high ICC and SEM below two degrees, all of these were made with the inclinometer. <![CDATA[<b>Heart rate response during a karate training session </b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000100009&lng=en&nrm=iso&tlng=en A prática do karatê pode promover adaptações benéficas sobre os componentes da aptidão física relacionada com a saúde. Dentre esses componentes, o consumo máximo de oxigênio (VO2max) é um importante indicador de aptidão cardiorrespiratória, como também forte preditor de risco de morte por doença cardiovascular. Estudos anteriores avaliaram as respostas da Frequência Cardíaca na modalidade de karatê durante protocolos elaborados pelos pesquisadores que simularam o treinamento. No entanto, esses resultados devem ser interpretados com cautela, uma vez que protocolos podem comprometer a validade ecológica do comportamento da FC. Dessa forma, o objetivo deste estudo foi, através do monitoramento da FC, investigar a distribuição da intensidade durante uma sessão de treinamento de karatê (ST) com a validade ecológica preservada. Nove atletas (M (DP) = 22 (5,2) anos; 60,3 (12,9) kg; 170,0 (0,10) cm; 11,6 (5,7) % gordura) realizaram teste incremental máximo (T I) e uma ST, com monitoramento contínuo da FC, distribuída posteriormente conforme método proposto por Edwards. O tempo médio de duração da ST foi de 91,3 (11,9) minutos (IC95% = 82,0 - 100,5). Os valores de FC média e máxima da ST foram equivalentes a 72% (IC95% = 66-78%) e 94% (IC95% = 89-99%) da FC máxima alcançada durante T I (FCmax), respectivamente. Durante 79,9% (IC95% = 65,7-94,1%) do tempo total da ST, os karatecas permaneceram em uma intensidade superior a 60% da FCmax. Deste modo, conclui-se que a intensidade da ST de karatê atende às recomendações do ACSM com relação à intensidade, duração e frequência semanal, apresentando-se como uma interessante alternativa de exercícios físicos para promoção da aptidão cardiorrespiratória.<hr/>Karate practice can promote beneficial adaptations on the health-related components of physical fitness. Among the components, the maximum oxygen uptake (VO2max) is an important indicator of cardiorespiratory fitness, as it is also a strong and independent predictor of the risk of death from cardiovascular disease and all other causes. Previous studies have evaluated the heart rate (HR) responses in the karate modality during protocols elaborated by researchers who simulated training. However, the results should be carefully interpreted, since elaborated protocols can compromise the ecological validity of the HR behavior. Thus, the aim of the study was to monitor the HR to investigate the distribution of intensity during a karate training session (TS) with ecological validity preserved. Nine athletes (M (SD) = 22 (5.2) years; 60.3 (12.9) weight; 170.0 (0.10) height; 170.0 (0.10) cm; 11.6 (5.7) % fat) performed a maximal incremental test (IT) and one TS with continuous HR monitoring, subsequently distributed by Edward´s method. The mean TS duration was 91.3 (11.9) min (IC95% = 82.0 - 100.5). The values of average and maximum HR of the TS were equivalent to 72 % (IC95% = 66 - 78 %) and 94 % (IC95% = 89 - 99 %) respectively, of maximum HR reached in the incremental test (HRmax). During 79.9 % (IC95% = 65.7 - 94.1 %) of the total time of TS the athletes remained at intensity above 60% of HRmax. Thus, it was concluded that the TS lies within the ACSM recommendations concerning intensity, duration and weekly frequency, presenting itself as an interesting alternative of exercise to promote cardiorespiratory fitness. <![CDATA[<b>Morphological profile of <i>Brazilian Jiu-Jitsu</i> elite athletes </b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000100010&lng=en&nrm=iso&tlng=en Atletas de diversas modalidades esportivas categorizadas pela massa corporal a reduzem para se enquadrarem em categorias inferiores. Essas reduções podem comprometer o desempenho e a saúde dos atletas. Para a determinação da categoria mais adequada é de suma importância o conhecimento da composição corporal, para que se evite a redução excessiva. Desta forma, o presente estudo buscou analisar o perfil morfológico de atletas de elite de Brazilian Jiu-Jitsu. A amostra constitui-se de 11 atletas com 25,8 ± 3,3 anos, medalhistas em competições de nível nacional e/ou internacional. Realizou-se análise antropométrica para determinação de composição corporal e somatotipo. Observou-se percentual de gordura (10,3 ± 2,6%) dentro das indicações para esta população, alto percentual de massa muscular (61,3 ± 1,5%), assim como componente mesomórfico predominante (5,5 ± 1,0). Os pontos de maior e menor acúmulo de gordura foram as regiões abdominal (15,7 ± 6,3mm) e peitoral (6,8 ± 1,5mm), respectivamente. Conclui-se que atletas desta modalidade em período preparatório apresentam peso superior ao peso competitivo (4,4 ± 2,4%), embora apresentem níveis de massa gorda dentro das recomendações, alto percentual de massa muscular e componente mesomórfico predominante.<hr/>Athletes from many sports that are categorized by body mass tend to reduce it to fit in lower categories. Such reduction can compromise the athlete's performance and health. In order to determine the most appropriate category, the body composition is highly relevant, especially to avoid excessive reduction. Thus, this study analyzed the morphological profile of Brazilian Jiu-Jitsu elite athletes. The sample was composed of 11 athletes, aged 25.8 ± 3.3 years, medalists in national and/or international competitions. The analysis was performed to determine the anthropometric body composition and somatotype. Body fat score from this population was 10.3 ± 2.6 % fat, a high percentage of muscle mass (61.3 ± 1.5 %), and predominant mesomorphic component (5.5 ± 1.0) was observed. The points of highest and lowest fat accumulation were respectively abdominal (15.7 ± 6.3 mm) and chest (6.8 ± 1.5 mm) regions. It can be concluded that athletes from this sport showed higher body mass during the preparatory period than in competitive conditions (4.4 ± 2.4 %); however, they showed low body fat, high muscle mass percentage and predominant mesomorphic component. <![CDATA[<b>Experimental infection with <i>Trypanosoma cruzi</i> in mice</b>: <b>influence of exercise versus strains and sexes </b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000100011&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: A doença de Chagas é uma infecção causada pelo Trypanosoma cruzi que afeta oito milhões de pessoas na América Latina. Um fator ligado ao estilo de vida que interfere significativamente na resposta à infecção é o exercício físico, dependendo do tipo, intensidade e frequência da atividade praticada. OBJETIVO: Avaliar a influência do exercício físico aeróbio moderado crônico pré-infecção na evolução da infecção experimental pelo T. cruzi em camundongos de duas linhagens distintas pertencentes aos dois sexos. MÉTODOS: Camundongos Swiss e BALB/c (machos e fêmeas) com 30 dias de idade foram divididos em quatro grupos para cada linhagem e sexo (total de 16) e nomeados como segue: SM (Swiss machos), SF (Swiss fêmeas), BM (BALB/c machos) e BF (BALB/c fêmeas). Os grupos foram: NT+NI (não treinado+não infectado), T+NI (treinado+não infectado), NT+I (não treinado+infectado) e T+I (treinado+infectado). O programa de exercício físico aeróbio moderado crônico pré-infecção foi realizado durante oito semanas, com uma sessão diária de treinamento, cinco vezes na semana. O inóculo foi de 1.400 tripomastígotas sanguíneos da cepa Y do T. cruzi, via intraperitoneal. Foi avaliado o pico de parasitos, parasitemia total média e as medidas das atividades séricas de CK e CK-MB. RESULTADOS E CONCLUSÃO: O treinamento físico promoveu nas duas linhagens e em ambos os sexos redução no pico de parasitos e na parasitemia total média em animais infectados pelo T. cruzi. O treinamento físico promoveu redução nas atividades séricas de CK e CK-MB em animais infectados pelo T. cruzi, de ambos os sexos, das duas linhagens, exceto para fêmeas Swiss na atividade de CK e CK-MB.<hr/>BACKGROUND: Chagas disease is an infection caused by Trypanosoma cruzi that affects eight million people in Latin America. One factor linked to the lifestyle that significantly interferes in the response to infection is physical exercise, depending on the kind, intensity and frequency of the activity practiced. OBJECTIVE: To evaluate the influence of pre-infection chronic moderate aerobic exercise in the development of experimental infection with T. cruzi in mice of two distinct lineages from both sexes. METHODS: 30-day old Swiss and BALB/c mice (male and female) were divided into four groups for each strain and sex (total 16) and named as follows: SM (Swiss males), SF (Swiss females) BM (BALB/c mice) and BF (BALB/c mice). The groups were: NT NI (untrained uninfected) T NI (trained not infected); NT I (untrained infected), TI (trained infected). The aerobic exercise pre-moderate chronic infection training was performed with one daily session for eight weeks, five times a week. The inoculum was 1,400 blood trypomastigotes of Y strain of T. cruzi intraperitoneally. The peak of parasites, parasitemia total and average measurements of the serum activities of CK and CK-MB were evaluated. RESULTS AND CONCLUSIONS: The physical training promoted reduction in peak, parasitemia parasites and total average in animals infected with T. cruzi in both strains and sexes. Physical training induced reduction in serum activities of CK and CK-MB in animals infected with T. cruzi of both sexes and from the two strains, except for females in the Swiss CK activity. <![CDATA[<b>Effects of physical training during pregnancy on body weight gain, blood glucose and cholesterol in adult rats submitted to perinatal undernutrition </b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000100012&lng=en&nrm=iso&tlng=en A incompatibilidade entre a desnutrição perinatal e uma nutrição adequada durante o desenvolvimento aumenta o risco de aparecimento precoce de doenças não transmissíveis na vida adulta. Todavia, acredita-se que a atividade física materna possa atenuar estas consequências. O presente estudo teve como objetivo avaliar os efeitos do treinamento físico durante a gestação na evolução ponderal, circunferência abdominal, glicemia e colesterolemia de filhotes adultos submetidos à desnutrição perinatal. Ratas Wistar (n = 12) foram divididas em quatro grupos: controle (C, n = 3), treinada (T, n = 3), desnutrida (D, n = 3) e treinada desnutrida (T+D, n = 3). Durante a gestação e lactação, os grupos D e T+D receberam dieta baixa em proteína (8% caseína) e os grupos C e T receberam dieta normoproteica (caseína a 17%). O protocolo de treinamento físico moderado foi realizado em esteira ergométrica (cinco dias/semana, 60 min/dia, a 65% do VO2max) e iniciou quatro semanas antes da gestação. Na gestação, a duração e a intensidade do treinamento foram reduzidas (cinco dias/semana, 20 min/dia, a 30% do VO2max) até o 19º dia pré-natal. Após o desmame, os filhotes (C F = 9, T F = 9, D F = 7, T+D F = 9) receberam dieta padrão de biotério e foram avaliados aos 270 dias de idade. A circunferência abdominal (CA) foi avaliada relativa ao peso corporal. Para avaliação da glicemia e colesterolemia foi utilizado o método enzimático colorimétrico da glicose-oxidase/peroxidase e da colesterol-oxidase, respectivamente. Ratos do grupo D F apresentaram um maior ganho de peso corporal ao longo do crescimento, maiores valores de CA, glicemia e colesterolemia quando comparados ao grupo C F. Para o grupo T+D F, o ganho de peso foi atenuado, e a CA, a glicemia e a colesterolemia foram normalizadas (p < 0,05). Esses resultados demonstram que o treinamento físico durante a gestação atenua os efeitos da desnutrição perinatal sobre alguns indicadores murinométricos e bioquímicos nos filhotes adultos.<hr/>The incompatibility of perinatal undernutrition and adequate nutrition during development increases the risk of early onset of non-communicable diseases in adulthood. However, it has been considered that maternal physical activity may attenuate these effects. This study aimed to evaluate the effects of physical training during pregnancy on body weight gain, waist circumference, glycaemia and cholesterolemia in adult offspring submitted to perinatal undernutrition. Female Wistar rats (n = 12) were divided into four groups: control (C, n = 3), trained (T, n = 3), undernourished (D, n = 3) undernourished and trained (T+D, n = 3). During gestation and lactation, D and T+D groups were fed a low protein diet (8% casein) and C and T groups fed a normal protein diet (17% casein). The protocol of moderate physical training was performed on a treadmill (5 days/week, 60 min/day, at 65% of VO2max) and began 4 weeks before pregnancy. At pregnancy, the duration and intensity of training were reduced (5 days/week, 20 min/day, at 30% VO2max) until the 19th prenatal day. At weaning, male pups (CP = 9, TP = 9, DP = 7, T+DP = 9) received standard diet and evaluations took place at 270 days old. Abdominal circumference (AC) was evaluated in relation to body weight. Enzymatic colorimetric method glucose-oxidase/peroxidase and cholesterol-oxidase was used to evaluate fasting glycaemia and cholesterolemia, respectively. Rats from DP group showed high body weight gain during growth, values of CA, glycaemia and cholesterolemia when compared to CP. Concerning the T+DP group,body weight gain was attenuated, and the CA, glycaemia and cholesterolemia were normalized (p<0.05). These results demonstrate that physical training during pregnancy reduces the effects of perinatal undernutrition on some murinometric and biochemical indicators of adult offspring. <![CDATA[<b>Errata</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000100013&lng=en&nrm=iso&tlng=en A incompatibilidade entre a desnutrição perinatal e uma nutrição adequada durante o desenvolvimento aumenta o risco de aparecimento precoce de doenças não transmissíveis na vida adulta. Todavia, acredita-se que a atividade física materna possa atenuar estas consequências. O presente estudo teve como objetivo avaliar os efeitos do treinamento físico durante a gestação na evolução ponderal, circunferência abdominal, glicemia e colesterolemia de filhotes adultos submetidos à desnutrição perinatal. Ratas Wistar (n = 12) foram divididas em quatro grupos: controle (C, n = 3), treinada (T, n = 3), desnutrida (D, n = 3) e treinada desnutrida (T+D, n = 3). Durante a gestação e lactação, os grupos D e T+D receberam dieta baixa em proteína (8% caseína) e os grupos C e T receberam dieta normoproteica (caseína a 17%). O protocolo de treinamento físico moderado foi realizado em esteira ergométrica (cinco dias/semana, 60 min/dia, a 65% do VO2max) e iniciou quatro semanas antes da gestação. Na gestação, a duração e a intensidade do treinamento foram reduzidas (cinco dias/semana, 20 min/dia, a 30% do VO2max) até o 19º dia pré-natal. Após o desmame, os filhotes (C F = 9, T F = 9, D F = 7, T+D F = 9) receberam dieta padrão de biotério e foram avaliados aos 270 dias de idade. A circunferência abdominal (CA) foi avaliada relativa ao peso corporal. Para avaliação da glicemia e colesterolemia foi utilizado o método enzimático colorimétrico da glicose-oxidase/peroxidase e da colesterol-oxidase, respectivamente. Ratos do grupo D F apresentaram um maior ganho de peso corporal ao longo do crescimento, maiores valores de CA, glicemia e colesterolemia quando comparados ao grupo C F. Para o grupo T+D F, o ganho de peso foi atenuado, e a CA, a glicemia e a colesterolemia foram normalizadas (p < 0,05). Esses resultados demonstram que o treinamento físico durante a gestação atenua os efeitos da desnutrição perinatal sobre alguns indicadores murinométricos e bioquímicos nos filhotes adultos.<hr/>The incompatibility of perinatal undernutrition and adequate nutrition during development increases the risk of early onset of non-communicable diseases in adulthood. However, it has been considered that maternal physical activity may attenuate these effects. This study aimed to evaluate the effects of physical training during pregnancy on body weight gain, waist circumference, glycaemia and cholesterolemia in adult offspring submitted to perinatal undernutrition. Female Wistar rats (n = 12) were divided into four groups: control (C, n = 3), trained (T, n = 3), undernourished (D, n = 3) undernourished and trained (T+D, n = 3). During gestation and lactation, D and T+D groups were fed a low protein diet (8% casein) and C and T groups fed a normal protein diet (17% casein). The protocol of moderate physical training was performed on a treadmill (5 days/week, 60 min/day, at 65% of VO2max) and began 4 weeks before pregnancy. At pregnancy, the duration and intensity of training were reduced (5 days/week, 20 min/day, at 30% VO2max) until the 19th prenatal day. At weaning, male pups (CP = 9, TP = 9, DP = 7, T+DP = 9) received standard diet and evaluations took place at 270 days old. Abdominal circumference (AC) was evaluated in relation to body weight. Enzymatic colorimetric method glucose-oxidase/peroxidase and cholesterol-oxidase was used to evaluate fasting glycaemia and cholesterolemia, respectively. Rats from DP group showed high body weight gain during growth, values of CA, glycaemia and cholesterolemia when compared to CP. Concerning the T+DP group,body weight gain was attenuated, and the CA, glycaemia and cholesterolemia were normalized (p<0.05). These results demonstrate that physical training during pregnancy reduces the effects of perinatal undernutrition on some murinometric and biochemical indicators of adult offspring.