Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Medicina do Esporte]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1517-869220120003&lang=pt vol. 18 num. 3 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Elaboração de tabelas de percentis através de parâmetros antropométricos, de desempenho, bioquímicos, hematológicos, hormonais e psicológicos em futebolistas profissionais</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000300001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: A carência de valores de referência de parâmetros antropométricos, de desempenho, bioquímicos, hematológicos, hormonais e psicológicos é uma limitação importante nas investigações envolvendo futebolistas profissionais. OBJETIVO: Elaborar tabelas de percentis para servirem como referencial de comparação para estudos posteriores. MÉTODOS: Foram utilizados 82 jogadores profissionais de futebol que foram avaliados aproximadamente 30 dias após o início da principal competição disputada pelas equipes. No primeiro dia de avaliação foram coletadas amostras de sangue (25mL) em jejum para determinação dos parâmetros hematológicos (eritrócitos, hemoglobina, hematócrito, volume corpuscular médio - VCM, hemoglobina corpuscular média - HCM, concentração de hemoglobina corpuscular média - CHCM, leucócitos, neutrófilos, eosinófilos, linfócitos, monócitos e plaquetas) e das concentrações de adrenalina, cortisol, creatina quinase, creatinina, noradrenalina, testosterona e ureia. Posteriormente, os atletas foram submetidos à avaliação antropométrica e psicológica. Em seguida, a avaliação da eficiência do sistema anaeróbio lático foi realizada em pista oficial de atletismo. No segundo dia foram realizadas as avaliações para determinação da eficiência do sistema anaeróbio alático e aeróbio. RESULTADOS: A distribuição de percentis (P0, P15, P30, P50, P70, P85 e P100) foi utilizada para apresentação dos resultados. CONCLUSÃO: A elaboração de tabelas de percentis pode ser utilizada como referencial de comparação para investigações posteriores.<hr/>INTRODUCTION: The lack of reference values of anthropometric, performance, biochemical, hematological, hormonal and psychological parameters is an important limitation in the investigations with soccer players. OBJECTIVE: To elaborate percentile tables to be used as comparison reference for further studies. METHODS: 82 professional soccer players were evaluated approximately 30 days after the beginning of the main competition played by their teams. On the first day of evaluation, fast blood samples were collected for measurement of hematological parameters (i.e. erythrocytes, hemoglobin, hematocrit, mean corpuscular volume - MCV, mean corpuscular hemoglobin - MCH, mean corpuscular hemoglobin concentration - MCHC, leukocytes, eosinophils, lymphocytes, monocytes and platelets) and of concentrations of adrenaline, cortisol, creatine kinase, creatinine, norepinephrine, testosterone and urea. Subsequently, the soccer players had their anthropometric characteristics and psychological parameters assessed. In addition, the evaluation of the lactic anaerobic system efficiency was performed on a 400-m track. On the second day, both the alactic anaerobic and aerobic system efficiency was measured. RESULTS: The percentile distribution (P0, P15, P30, P50, P70, P85 e P100) was used to present the results. CONCLUSION: The elaboration of the percentile tables can be used as comparison reference for further studies. <![CDATA[<b>Contribuição de diferentes conteúdos das aulas de educação física no ensino fundamental I </b><b>para o desenvolvimento das habilidades motoras fundamentais</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000300002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO E OBJETIVO: Este estudo investigou a contribuição das aulas de educação física (EF) no ensino fundamental I para o desenvolvimento de habilidades motoras fundamentais de crianças de duas escolas públicas da mesma região da cidade de São Paulo, e se a prática de esportes radicais, além das aulas de EF, poderia diferenciar tal desenvolvimento. MÉTODOS: Dezenove crianças (9,5 ± 0,3 anos) que tiveram semanalmente duas aulas de EF formaram o grupo controle (GC) e 22 crianças (9,6 ± 0,5 anos) que tiveram semanalmente duas aulas de EF e três aulas de esportes radicais formaram o grupo experimental (GE). Todas as crianças foram filmadas realizando as habilidades motoras dos subtestes locomotor e controle de objetos do Test of Gross Motor Development (TGMD-2). As filmagens foram analisadas posteriormente e escores brutos foram atribuídos de acordo com a qualidade do movimento observado, e idade motora equivalente também foi estimada para os dois subtestes. RESULTADOS: Os resultados indicaram que as crianças do GE apresentaram escores brutos maiores que as crianças do GC no subteste locomotor e os dois grupos apresentaram escores brutos similares no subteste controle de objetos. Ainda, as crianças do GE apresentaram idade motora equivalente maior que a idade cronológica no subteste locomotor enquanto que as crianças do GC não apresentaram diferença entre as duas idades, e os dois grupos não apresentaram diferenças entre idade motora equivalente e idade cronológica no subteste controle de objetos. CONCLUSÃO: Com base nos resultados, concluímos que aulas de EF nos quatro primeiros anos do ensino fundamental I contribuíram adequadamente para o desenvolvimento de habilidades motoras fundamentais, uma vez que os dois grupos não apresentaram idade motora equivalente inferior à idade cronológica; e que aulas de esportes radicais contribuíram ainda mais para o desenvolvimento de habilidades locomotoras.<hr/>INTRODUCTION AND OBJECTIVE: This study investigated the contribution of physical education (PE) classes in elementary school I for the development of basic motor skills of children from two public schools in the same neighborhood of São Paulo city, and if the practice of extreme sports besides the PE classes could differently contribute to the development of those skills. METHODS: Nineteen children (9.5 ± 0.3 years) who had two weekly PE classes composed the control group (CG) and 22 children (9.6 ± 0.5 years) who had two weekly PE classes and three extreme sports classes composed the experimental group (EG). All children were videotaped while performing locomotor and object control motor skill subtests from the Test of Gross Motor Development (TGMD-2). The videos were analyzed and raw scores were obtained according to the quality of the observed movement, and equivalent motor age was also estimated for both subtests. RESULTS: The results indicated that the EG presented higher raw scores compared to CG in the locomotor subtest and both groups presented similar scores in the object control subtest. Moreover, EG presented higher equivalent motor age in the locomotor subtest compared to CG and neither group presented differences between equivalent motor age and chronological age in the object control subtest. CONCLUSION: Based on these results we conclude that PE classes in elementary school appropriately contributed to the development of basic motor skills, since neither group presented difference between equivalent motor age and chronological age, and that extreme sports classes contributed even more for the development of locomotor skills. <![CDATA[<b>Resposta da frequência cardíaca e da concentração de lactato após cada segmento do triathlon olímpico</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000300003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: As respostas fisiológicas de cada uma das modalidades envolvidas no triathlon são diferentes. Cargas de treino poderiam ser melhores prescritas se consideradas as individualidades fisiológicas de cada segmento para cada atleta. OBJETIVO: Observar o comportamento das variáveis fisiológicas, frequência cardíaca (FC) e concentração de lactato sanguíneo, antes e depois de cada segmento do triathlon: natação, ciclismo e corrida. MÉTODOS: Doze atletas do sexo masculino cumpriram uma prova de triathlon com distância olímpica. Coletas de sangue da polpa digital foram feitas antes do início da prova, após a natação, após o ciclismo, após a corrida e, ainda, uma hora após a prova. Cada atleta foi monitorizado com frequencímetro (Polar® S610) durante toda a prova. Análises estatísticas foram realizadas através da correlação de Spearman e teste de Wilcoxon para amostras não paramétricas (p<0,05). RESULTADOS: Nesta pesquisa, a maior intensidade foi registrada, em ambos os parâmetros fisiológicos, durante o ciclismo (86,3% da frequencia cardíaca máxima (FCmáx); 6,98mmol), seguida pela natação (85,2% FCmáx; 5,75mmol) e corrida (83,6% FCmáx; 4,47mmol), respectivamente. CONCLUSÃO: Conclui-se que a prescrição da carga de treino para o triathlon será mais eficiente se baseada nas respostas fisiológicas (FC e o lactato sanguíneo) individuais de cada modalidade.<hr/>INTRODUCTION: The physiological responses of each part of Triathlon are different; better training loads could be prescribed for athletes considering each segment of this sport. OBJECTIVE: The purpose of this study was to investigate the behavior of physiological variables - heart rate and blood lactate concentration - before the event, after each segment of an Olympic Triathlon: swimming, cycling and running, and after recovery time. METHODS: The sample included twelve male triathletes who participated in a triathlon event with Olympic distance. Capillary blood samples were taken from the fingertip in the beginning of the event (pre-event), after each segment (swimming, cycling, running) and after 1 hour of recovery. Each athlete was monitored during the entire event by a heart rate monitor (Polar® S610). Statistical procedures included: Spearman correlations and Wilcoxon non parametric tests (p<0.05). RESULTS: The study results showed that the highest intensity was reached during cycling (HRmax: 86.3%; Lac: 6.98 mmol/L) in both physiological parameters, followed by swimming (HRmax: 85.2%, Lac: 5.75 mmol/L) and running (HRmax: 83.6%, lac: 4.47mmol), respectively. CONCLUSIONS: Training load prescription based on different physiological markers responses - such as heart rate and blood lactate concentration - of each triathlon segment will be more efficient for the Olympic triathlon demands. <![CDATA[<b>A idade do início do treinamento, e não a composição corporal, está associada com disfunções menstruais em nadadoras adolescentes competitivas</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000300004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: No esporte, o corpo atlético com baixo percentual de gordura é o mais desejado. OBJETIVO: Estimar a prevalência de disfunções menstruais e identificar se a composição corporal, especialmente a gordura corporal e o treinamento, são fatores associados a estas disfunções em adolescentes brasileiras nadadoras competitivas. MÉTODOS: Foram estudadas 78 atletas, 11-19 anos, da cidade do Rio de Janeiro, Brasil. A presença de disfunções mentruais e o treinamento foram avaliados por meio de questionário validado; a composição corporal por DXA e as análises estatísticas pelo SPSS 17.0. RESULTADOS: A idade média foi de 14,6 ± 0,2 anos. Das atletas pós-menarca, 26,3% preencheram os critérios de disfunções menstruais. Atletas oligomenorreicas iniciaram o treinamento esportivo mais novas quando comparadas às eumenorreicas (5,7 ± 3,1 anos versus 7,3 ± 2,4 anos, p = 0,04), porém não houve diferença em relação à composição corporal (massa corporal total e gordura corporal: 56,1 ± 6,5kg e 26,3% ± 4,9 versus 53,3 ± 6,9kg e 25,5 ± 6,5%, respectivamente). CONCLUSÃO: A idade de início do treinamento esportivo, mas não a composição corporal, apresentou diferença entre adolescentes nadadoras brasileiras em nível competitivo com e sem disfunção menstrual.<hr/>INTRODUCTION: in sports, an athletic body type with low body fat is the most desired. OBJECTIVE: to estimate the prevalence of menstrual disorders and identify if body composition, especially body fat and training are associated factors of menstrual disorders in Brazilian competitive adolescent swimmers. METHODS: the sample consisted of 78 female athletes, 11 - 19-year olds, from the city of Rio de Janeiro. The presence of menstrual disorder and training were assessed through a validated questionnaire. Body composition was measured by DXA. Statistical analyses were conducted using SPSS 17.0. RESULTS: the athletes' mean age was 14.6 ± 0.2 years. Concerning the post-menarcheal athletes, 26.3% met the criteria for menstrual irregularity. Oligomenorrheic athletes started training younger than eumenorrheic ones (5.7 ± 3.1 years versus 7.3 ± 2.4 years, p=0.04), but there was no difference in relation to body composition (total body mass and body fat: 56.1 ± 6.5 kg and 26.3% ± 4.9 versus 53.3 ± 6.9 kg and 25.5 ± 6.5%, respectively). CONCLUSION: age of beginning of training instead of body composition is associated with menstrual disorder in Brazilian competitive adolescent swimmers. <![CDATA[<b>Associação do valgo dinâmico do joelho no teste de descida de degrau com a amplitude de rotação medial do quadril</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000300005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: O joelho corresponde a uma articulação muito estudada devido à alta incidência de lesões. Grande parte dos estudos correlaciona estas lesões com o valgo durante movimentos de flexão do joelho (dinâmico), que é atribuído principalmente ao fraco desempenho muscular do glúteo médio. OBJETIVO: Este estudo teve por objetivo avaliar a associação entre a rotação medial do quadril e o ângulo do valgo (bidimensional) durante o teste de descida do degrau, obtidos através da biofotogrametria (software SAPO). MÉTODOS: 104 voluntários, esportistas do sexo feminino, foram avaliados na mensuração da rotação interna de quadril (teste de Craig) e o valor angular do valgo do joelho durante a descida de degrau; as análises foram submetidas a confiabilidade interobservadores com o teste de concordância de Bland e Altman. Os dados foram analisados através de regressão linear múltipla de modo a ajustar os resultados pela idade dos avaliados. RESULTADOS: O ângulo gerado na rotação medial do quadril teve média de 45,3 graus, já o valgo do joelho durante o movimento de descer um degrau apresentou média de 8,6 graus. Foi encontrada relação inversa significativa na associação da rotação medial e o valgo do joelho. CONCLUSÃO: Os dados apresentados mostram uma possível associação entre a diminuição da rotação medial do quadril com o aumento do valgo do joelho, porem os dados não são conclusivos devido a avaliação ter sido bidimensional. Os resultados obtidos sugerem a necessidade de mais estudos conclusivos.<hr/>INTRODUCTION: The knee is a widely studied joint due to its high incidence of injuries. Most studies correlate these lesions with the valgus during flexion of the knee (dynamic), which is attributed mainly to the poor performance of the gluteus medius muscle. OBJECTIVE: This study had the aim to evaluate the association between the hip medial rotation and the valgus angle (in two dimensions) during the stair descent test obtained through photogrammetry (SAPO software). METHODS: 104 female volunteer athletes were evaluated in the measurement of the hip internal rotation (Craig's test) and the angle value of knee valgus during the descending of a step; the analyses were submitted to inter-rater reliability assessment observed with the Bland and Altman plot. The data were analyzed through multiple linear regression in order to adjust the results to the age of the evaluees. RESULTS: The angle generated in the medial rotation of the hip presented average of 45.3 degrees, with the increase of the knee valgus, while the valgus during the descent movement presented average of 8.6 degrees. Significant inverse relation in the association of the medial rotation and knee valgus was found. CONCLUSION: The presented data show a possible association between the reduction of the medial rotation of the hip with the increase of the knee valgus; however, the data are not conclusive since the evaluation was bidimensional. The obtained results suggest the need of more conclusive studies. <![CDATA[<b>Estudo comparativo de dois protocolos de exercícios excêntricos sobre a dor e a função do joelho em atletas com tendinopatia patelar</b>: <b>estudo controlado e aleatorizado</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000300006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: O agachamento excêntrico em plano inclinado tem-se mostrado eficaz no tratamento conservador da tendinopatia patelar, especialmente na população atlética. Entretanto, diversos aspectos, como intensidade e dor durante a realização da terapia, ainda apresentam divergências entre autores. Objetivos: Comparar a eficácia de dois protocolos de exercício excêntrico (executado com e sem dor), na melhora da função do joelho e na intensidade da dor em atletas com tendinopatia patelar. MÉTODOS: Foram selecionados 17 atletas de ambos os gêneros com diagnóstico de tendinopatia patelar e aleatoriamente distribuídos em dois grupos de tratamento. Os voluntários do primeiro grupo realizaram exercícios de agachamento excêntrico em plano inclinado com dor no tendão patelar. Os voluntários do segundo grupo foram orientados a realizar o mesmo exercício, porém sem apresentar dor no tendão patelar durante a realização. O tratamento teve a duração de 12 semanas e a avaliação de dor e função foi realizada pelo VISA-P e pela EVA antes de iniciar o tratamento, com oito semanas de intervenção e ao término do tratamento. RESULTADOS: Houve uma melhora em ambos os grupos quando comparados os resultados das avaliações realizadas após oito e 12 semanas do início do tratamento com a avaliação inicial, porém não houve diferença significativa entre o grupo que realizou exercício com dor e o grupo que executou os exercícios sem dor. Na análise da probabilidade de obtenção de uma melhora clínica para os escores de VISA e EVA em oito e 12 semanas, não houve nenhuma diferença entre os dois grupos. CONCLUSÃO: Um programa de exercício excêntrico usando agachamento em plano inclinado, realizado com ou sem a presença de dor, foi eficaz na melhora da dor e da função em atletas com tendinopatia patelar.<hr/>INTRODUCTION: The eccentric squat on a slope has been proved effective in conservative treatment of patellar tendinopathy, especially in the athletic population. However, several aspects such as intensity and pain during therapy still differ among authors. OBJECTIVES: To compare the effectiveness of two protocols of eccentric exercise (performed with and without pain), in the improvement of knee function and pain intensity in athletes with patellar tendinopathy. METHODS: 7 athletes of both genders with diagnosis of patellar tendinopathy were selected and randomly assigned to two treatment groups. The first group of volunteers performed eccentric squat exercises on a slope with pain in the patellar tendon. The second group of volunteers was instructed to perform the same exercise, but without presenting pain in the patellar tendon during performance. The treatment lasted 12 weeks and the evaluation of pain and function was performed by the VISA-P and VAS before starting treatment, at eight weeks of intervention, and at treatment completion. RESULTS: There was improvement in both groups when results of evaluations carried out after eight and 12 weeks of beginning of the treatment were compared with the initial evaluation; however, no significant difference between the group that performed exercise with pain and the group that performed exercises without pain was found. Analysis of the probability of obtaining clinical improvement for VISA and VAS scores at eight and 12 weeks, there was no difference between the two groups. CONCLUSION: A program of eccentric exercise on an inclined plane using squat, performed with or without the presence of pain, was effective in improving pain and function in athletes with patellar tendinopathy. <![CDATA[<b>Avaliação do déficit de rotação medial e do encurtamento posterior do ombro em jogadores profissionais de basquetebol</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000300007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O arremesso destaca-se como um dos principais gestos que envolvem a articulação do ombro. Atletas que praticam arremessos acima da cabeça possuem maior propensão a desenvolver lesões no ombro e podem apresentar significativo aumento da rotação lateral (RL) e diminuição da rotação medial (RM). O déficit de RM é chamado GIRD (glenohumeral internal rotation deficit). O objetivo do estudo foi verificar a existência de alterações na mobilidade da articulação glenoumeral em atletas profissionais de basquetebol, bem como verificar se existe correlação entre a ADM de RM e o encurtamento posterior do ombro. MÉTODO: Foram avaliados 19 jogadores profissionais de basquetebol. A mensuração da RM e RL do ombro foi realizada através dos métodos de goniometria e biofotogrametria, e também foi realizado o teste para encurtamento posterior do ombro. RESULTADOS: Não foram observadas diferenças significantes entre os gêneros e também entre as rotações (RL e RM) quando comparados o ombro dominante e o não dominante, assim como, no teste de encurtamento posterior, não foram observadas diferenças estatisticamente significantes. Não houve correlações entre a diminuição de RM e o teste para encurtamento posterior do ombro. CONCLUSÃO: Alterações na mobilidade da articulação glenoumeral em atletas profissionais de basquetebol não foram encontradas nessa amostra, assim como não houve correlação entre a ADM de RM e o encurtamento posterior do ombro.<hr/>Throwing is distinguished as one of the main gestures that involve the shoulder joint. Athletes who practice throwing over the head are more prone to develop lesions in the shoulder and can provide significant increase in lateral rotation (LR) and decreased medial rotation (MR). The deficit of MR is called GIRD (Glenohumeral Internal Rotation Deficit). The objective of this study was to verify the existence of changes in mobility of the glenohumeral joint in basketball professional athletes and if there is a correlation between range of motion (ROM) of MR and shoulder posterior shortening. METHOD: 19 professional basketball players were evaluated. The MR and LR shoulder were measured through goniometry and photogrammetry in addition to the test for shoulder posterior shortening. RESULTS: There were no significant differences between genders or between rotations (LR and MR) when dominant and non-dominant shoulders were compared. Concerning the shortening test, no statistically significant differences were observed either. There were no correlations between RM decrease and the test for shoulder posterior shortening. CONCLUSION: No changes in mobility of the glenohumeral joint in professional basketball athletes in this sample, or correlation between ROM of MR and shortening of the shoulder posterior shortening were found. <![CDATA[<b>Utilização da biofotogrametria para a avaliação da flexibilidade de tronco</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000300008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: a ginástica rítmica (GR) é uma modalidade de ginástica que requer alto grau de flexibilidade, em virtude dos movimentos complexos que são requeridos. OBJETIVO: esta pesquisa objetivou comparar o teste de sentar e alcançar (TSA) e a técnica de biofotogrametria como indicadores de flexibilidade de tronco, em praticantes iniciantes de GR. METODOLOGIA: a amostra contou com 60 meninas (de cinco a 11 anos de idade) de um universo de 110, todas matriculadas em um centro de iniciação esportiva no estado do Paraná. A coleta de dados foi realizada no mês de novembro do ano de 2009. Para a comparação TSA com a biofotogrametria, foram traçados os ângulos de flexão da pelve (WP), flexão da coluna lombar (WC) e flexão do total do tronco (WT). RESULTADOS: o resultado médio atingido pelas participantes na escala do TSA foi de 27,75cm. Encontrou-se forte correlação do ângulo WT com o TSA. Por ser uma composição de WC e WP, o WT possibilita uma visualização global da distância do tronco até os membros inferiores quando ocorre a flexão durante o teste. Por isso, as correlações entre os ângulos são boas e significativas. CONCLUSÃO: uma vez que o TSA apresenta alguns fatores intervenientes que podem mascarar o seu resultado, a biofotogrametria é discutida como um teste que permite observar, através de imagens fotográficas e cálculos angulares, dados fidedignos para a mensuração de flexibilidade e compensações musculares não identificadas normalmente.<hr/>INTRODUCTION: Rhythmic Gymnastics (RG) is a type of gymnastics that requires a high degree of flexibility due to the complexity of the required movements. OBJECTIVE: this study aimed to compare the sit and reach test (SRT) and the Biophotogrammetry technique as indicators of trunk flexibility in beginning GR practitioners. METHODS: the sample included 60 girls (5-11 years old) from a universe of 110, all enrolled in a Center for Sports Initiation in Parana State. Data collection was performed in November, 2009. IN order to compare the TSA and biophotogrammetry, angles of the pelvis (WP), spinal flexion (WC) and total trunk flexion (WT) were drawn. RESULTS: the average score achieved by the participants on theTSA scale was 27.75 cm. A strong correlation was found between WT angle and the TSA values. Since it is a combination of the WC and WP, the WT provides a global view of the distance from the trunk to the legs when bending occurs during the test. Therefore, the correlations between the angles are good and meaningful. CONCLUSION: since the TSA has some intervening factors that may mask the result, biophotogrammetry is discussed as a test that allows the observation of reliable data for measuring flexibility and muscle compensation which are not usually identified, through photographs and angular calculations. <![CDATA[<b>Efeitos crônicos do flexionamento estático sobre parâmetros neuromusculares </b><b>em adultos jovens</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000300009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: O treinamento engloba, dentre outras qualidades físicas, a flexibilidade e a força. Assim, conhecer as inter-relações mútuas entre essas qualidades físicas potencializaria a eficácia do treino. OBJETIVO: Verificar as alterações nos parâmetros neuromusculares em um programa de flexionamento estático, após 12 semanas de intervenção. MÉTODOS: Participaram 70 cadetes, com idade média de 17,03 ± 1,14 anos, divididos em dois grupos: grupo experimental (GF, n = 35) e grupo controle (GC, n = 35). A força foi avaliada através de 1RM de contração estática nos movimentos de flexão e extensão horizontal de ombro (FFHO/FEHO) e extensão da coluna lombar (FECL). A flexibilidade foi avaliada pelo protocolo LABIFIE de goniometria nos movimentos de flexão e extensão horizontal de ombro (FHO/EHO) e flexão da coluna lombar (FCL). A concentração de hidroxiprolina na urina coletada pelo método Nordin foi realizada pelo protocolo HPROLI 2h. RESULTADOS: A ANOVA de medidas repetidas demonstrou aumento significativo para FHO (∆% = 3,9%; p = 0,001), EHO (∆% = 21,1%; p = 0,001), FCL (∆% = 73,8%; p = 0,001), FFHO (∆% = 20,4%; p = 0,001) e FECL (∆% = 4,0%; p = 0,008) do pré para o pós-teste. Os níveis de hidroxiprolina não apresentaram alterações significativas. Nas comparações intergrupos, foram encontradas diferenças significativas para FHO (p = 0,016), EHO (p = 0,005), FCL (p = 0,004), FFHO (p = 0,001) e FECL (p = 0,007). O poder do experimento observado foi de 86% para um beta calculado de 0,14. CONCLUSÃO: O flexionamento estático foi capaz de melhorar tanto a flexibilidade como a força.<hr/>INTRODUCTION: Training includes, among other physical qualities, flexibility and strength. Thus, knowing the mutual inter-relationships between these physical qualities would increase the effectiveness of training. OBJECTIVE: The purpose of this study was to verify changes in neuromuscular parameters in a static flexibilizing program, after 12 weeks of intervention. METHODS: 70 cadets, mean age of 17.03 ± 1.14 years, participated in the present survey, were randomly selected and equally divided into two groups: experimental group (EG, n = 35) and control group (CG, n = 35). Strength levels were assessed by 1RM static contraction in horizontal shoulder flexion and extension (HSF/ HSE) and lumbar spine extension (LSE). Flexibility was assessed by the goniometry LABIFIE protocol in shoulder horizontal flexion and extension (SHF /SHE) and lumbar spine flexion (LSF). The urinary hydroxyproline concentration collected by the Nordin method was performed through HPROLI 2h protocol. RESULTS: ANOVA for repeated measures evidenced significant increase for SHF (Δ% = 3.9%, p = 0.001), SHE (Δ% = 21.1%, p = 0.001), LSF (Δ% = 73.8%, p = 0.001), SHF (Δ% = 20.4%, p = 0.001) and FELS (Δ% = 4.0%, p = 0.008) from pre to post-test. The hydroxyproline levels did not change significantly. Concerning intergroup comparisons, significant differences were found for SHF (p = 0.016), SHE (p = 0.005), LSF (p = 0.004), SHF (p = 0.001) and FELS (p = 0.007). The power of the experiment observed was of 86% for an estimated beta of 0.14. CONCLUSION: The static flexibilizing was able to improve both flexibility and strength. <![CDATA[<b>Prevalência de lesões em atletas do futsal feminino brasileiro</b>: <b>um estudo retrospectivo</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000300010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: O futsal vem se destacando no cenário internacional como uma das modalidades em maior ascensão. Na literatura, são escassos os estudos que relatam as lesões no gênero feminino nesta modalidade. OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi identificar a prevalência de lesões em atletas do futsal feminino brasileiro. MÉTODOS: A amostra correspondeu às atletas que participaram da Liga Nacional de Futsal 2011, totalizando 135 atletas. Investigou-se a prevalência de lesões apresentadas durante toda a temporada de 2010. RESULTADOS: Das 135 atletas, 73 (54,1%) apresentaram algum tipo de lesão, sendo identificados 104 traumas. As lesões nos membros inferiores corresponderam a 86,5% do total, com 28,9% (n = 30) no tornozelo, 24% (n = 25) na coxa e o joelho correspondeu a 23,1% (n = 24). Quanto à forma, 51,9% (n = 54) ocorreram sem contato e 46,1% (n = 48) por contato direto. Durante o treinamento técnico/tático ou treinamento físico ocorreram 59,6% das lesões (n = 62) e 40,4% (n = 42), durante os jogos. Das lesões, 58,6% ocorreram pela primeira vez e 40,4% são recidivas. Não foi encontrada associação entre acompanhamento fisioterapêutico em treinos e competições, com o número e a gravidade das lesões. Também não há relação com o membro dominante e o hemicorpo do trauma. CONCLUSÕES: As atletas do futsal feminino brasileiro apresentam grande prevalência de lesões, principalmente no tornozelo, coxa e joelho, sendo que a maioria delas ocorre nos treinamentos. Lesões que acontecem sem contato com outro adversário prevaleceram em relação aos traumas com contato, fato que se opõe aos demais achados da literatura. O número de primeiras lesões foi maior em relação às recidivas e, quanto à gravidade, prevaleceram as lesões moderadas. Para minimizar o número de lesões, são necessárias estratégias específicas de prevenção, enfatizando os segmentos do tornozelo, joelho e coxa.<hr/>INTRODUCTION: Futsal has become one of the most popular modalities in the international scenario. There are not many articles in the literature which report injuries in the female gender. OBJECTIVE: The purpose of this study was to identify the prevalence of injuries in female athletes of Brazilian futsal. METHODS: The sample corresponded to the athletes who participated in the National League of Futsal from 2011, totalizing 135 athletes. The prevalence of injuries reported during the entire 2010 season was investigated. RESULTS: Out of the 135 athletes, 73 (54.1%) presented some kind of injury and 104 injuries were identified. Lower limb injuries accounted for 86.5% of the total, 28.9% (n = 30) on the ankle, 24% (n = 25) on the thigh and 23.1% on the knee (n = 24). Regarding the kind, 51.9% (n = 54) occurred without contact and 46.1% (n = 48) by direct contact. 59.6% of injuries occurred during technical/tactical or physical training (n = 62) and 40.4% (n = 42) occurred during during games. 58.6% of injuries occurred for the first time and 40.4% were recurrent. No association between physiotherapeutic follow-up in training and competitions and the number and severity of injuries was found. Furthermore, no correlation between the dominant limb and hemi-body of the injury was found. CONCLUSIONS: The Brazilian women's futsal athletes have high prevalence of injuries, especially in the ankle, thigh and knee, and they mainly occur during training. Injuries that occur without contact with another opponent prevail in relation to with contact injury, a fact that contradicts the other findings in the literature. The number of first injuries was higher in comparison to recurrences, while in severity, moderate injuries were more common. In order to minimize the number of injuries, specific strategies are needed for prevention, focusing on the ankle, knee and thigh segments. <![CDATA[<b>Efeito de dietas hiperlipídicas com extrato de baru e chocolate sobre a área de adipócitos de ratos submetidos ao exercício físico</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000300011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: O acúmulo de tecido adiposo provoca uma série de distúrbios metabólicos, os quais poderiam ser atenuados pela modulação dietética e prática de exercícios físicos. OBJETIVO: Avaliar os efeitos de dietas hipercalóricas/hiperlipídicas com extrato de baru e chocolate associadas ao exercício aeróbio sobre a área de adipócitos e triglicérides hepáticos (TGLhep) de ratos. MÉTODOS: Após o desmame, ratos da linhagem Wistar, com exceção dos controles (dieta Nuvilab®; 3,48kcal/g), foram alimentados com dieta à base de chocolate (4,17kcal/g), por dois meses, para indução da obesidade. Feito isso, os animais foram distribuídos em seis grupos: controle sedentários (CS), controle exercitados (CE), baru sedentários (BS), baru exercitados (BE), chocolate sedentários (CHOS), chocolate exercitados (CHOE), de acordo com a introdução da dieta com extrato de baru e treinamento de natação (2% do peso corporal., 8 sem., 5x/semana, 1h/sessão). Após a morte dos animais, o conteúdo de TGLhep foi determinado e os tecidos adiposos retroperitoneal, inguinal e omental foram removidos, pesados e submetidos à avaliação da área de adipócitos. RESULTADOS: As dietas hipercalóricas aumentaram o peso e a área de células do tecido retroperitoneal em relação à dieta controle (p < 0,05). O exercício reduziu a área de células do tecido omental (CHOE: 6.370,91 ± 7.776,13 < CHOS: 7.341,28 ± 5.862,24µm²) e inguinal (CHOE: 5.147,49 ± 5.712,71 < CHOS: 7.083,11 ± 7.682,40µm²) do grupo chocolate e inguinal do controle (CE: 2.212,87 ± 1.920,34 < CS: 3.386,11 ± 3.973,09µm²). O conteúdo de TGLhep dos animais sedentários apresentou-se mais elevado em relação aos animais exercitados e alimentados com as dietas hipercalóricas (BS: 1,36 ± 0,50 &gt; BE: 0,88 ± 0,43mg.100mg-1; CHOS: 1,77 ± 0,64 &gt; CHOE: 0,86 ± 0,41mg.100mg-1). CONCLUSÃO: O treinamento físico em intensidade leve à moderada reduziu significativamente os depósitos adiposos omental (visceral) e inguinal dos animais alimentados com dieta controle e chocolate. Esse mesmo comportamento não foi reproduzido com a dieta à base de extrato de baru. Os animais exercitados apresentaram menor conteúdo de TGLhep, mesmo na persistência das dietas hiperlipídicas/hipercalóricas.<hr/>INTRODUCTION: Fat tissue accumulation provokes several metabolic disorders, which may be attenuated by dietetic modulation and physical exercise. OBJECTIVE: The effects of hypercaloric/hyperlipidic diets with additional baru extract associated to aerobic exercise on adipocytes from different regions as well as on hepatic triglycerides (TGLhep)of Wistar rats were evaluated. METHODS: The animals, except for the control ones (Nuvilab® diet: 3.48kcal/g), were fed with a chocolate-based diet (4.17 kcal/g) during 2 months in order to induce obesity. The animals were then distributed into 6 groups, according to the introduction of baru extract diet as well as to swimming training: Sedentary Control (SC); Trained Control (TC); Sedentary Baru (SB); Trained Baru (TB); Sedentary Chocolate (SCho) and Trained Chocolate (TCho). The trained animals were subjected to swimming exercise supporting overload equivalent to 2% of body weight, during 8 weeks, 5x/week, and 1h/day. At the end, the animals were killed and the TGLhep content was determined. The retroperitoneal (RET), inguinal (IN), and omental (OM) fat tissues were excised, weighted, and submitted to adipocyte area evaluation. RESULTS: The hypercaloric diet increased both body weight and cell areas of RET if compared to the control diet (P<0.05). The physical training decreased the OM (TCho: 6370.91 ± 7776.13 < SCho: 7341.28 ± 2.24 µm2) and IN (TCho: 5147.49 ± 5712.71 < SCho: 7083.11±7682.40 µm2) cell areas of chocolate group as well as IN cell areas of TC (TE: 2212.87 ± 1920.34 < SC: 3386.11 ± 3973.09µm²). The TGLhep contents of sedentary animals were higher in comparison to the trained rats fed with hypercaloric diets (SB: 1.36 ± 0.50 &gt; TB: 0.88 ± 0.43mg.100mg-1; SCho: 1.77 ± 0.64 &gt; TCho: 0.86 ± 0.41mg.100mg-1). CONCLUSION: In the conditions of the present study, the exercise training protocol seemed more effective than the diet protocol in attenuating lipid tissue accumulation in rats. <![CDATA[<b>Análise da correlação entre o protocolo Polar <i>Fitness</i><i> Test</i><sup>®</sup> para predição de VO<sub>2máx</sub> e ergoespirometria</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000300012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: A importância da mensuração do consumo máximo de oxigênio (<img border=0 id="_x0000_i1026" src="/img/revistas/rbme/v18n3/v.jpg" align=absmiddle>O2máx)é justificada por sua aceitação internacional como o melhor parâmetro fisiológico para avaliar a capacidade funcional do sistema cardiorrespiratório tanto em atletas como em não atletas que treinam fisicamente com objetivo de obter melhor saúde. OBJETIVO: Verificar a concordância entre os protocolos Polar Fitness Test® para a estimativa do <img border=0 id="_x0000_i1027" src="/img/revistas/rbme/v18n3/v.jpg" align=absmiddle>O2máx e o teste de esforço máximo com medida direta de gases. MÉTODOS: Dezessete homens ativos (22,5 ± dois anos) participaram. Em repouso, aplicou-se o protocolo Polar Fitness Test® e, em seguida, a coleta direta de gases sob o esforço máximo, em esteira, seguindo o protocolo de Bruce. RESULTADOS: Houve diferença significativa entre os valores médios dos métodos para estimativa do <img border=0 id="_x0000_i1028" src="/img/revistas/rbme/v18n3/v.jpg" align=absmiddle>O2máx. O protocolo Polar Fitness Test® subestimou o <img border=0 id="_x0000_i1029" src="/img/revistas/rbme/v18n3/v.jpg" align=absmiddle>O2máx, em média 15% (IC95%: 24; -53%) comparado com a medida direta de gases. Os valores obtidos pelo Polar Fitness Test® não tiveram boa correlação com a medida direta em ergoespirômetro (r = 0,1). CONCLUSÃO: O protocolo Polar Fitness Test® não é válido para a estimativa do <img border=0 id="_x0000_i1030" src="/img/revistas/rbme/v18n3/v.jpg" align=absmiddle>O2máx em homens jovens ativos fisicamente.<hr/>INTRODUCTION: The importance of maximal oxygen consumption (<img border=0 id="_x0000_i1032" src="/img/revistas/rbme/v18n3/v.jpg" align=absmiddle>O2máx) measurement is justified by its international acceptance as the best physiological parameter to assess the functional capacity of the cardiorespiratory system in both athletes and non-athletes who physically train in order to achieve better health. OBJECTIVE: To determine the agreement between the Polar Fitness Test® protocols to estimate of <img border=0 id="_x0000_i1033" src="/img/revistas/rbme/v18n3/v.jpg" align=absmiddle>O2máx and the maximal exercise test with direct gas measurement. METHODS: Seventeen active males (22.5 ± 2 years) participated in the study. At rest, the Polar Fitness Test® protocol by direct gas collection under maximum effort on treadmill and the Bruce protocol were applied. RESULTS: Significant difference in the <img border=0 id="_x0000_i1034" src="/img/revistas/rbme/v18n3/v.jpg" align=absmiddle>O2máx estimation was observed between methods. The Polar Fitness Test® protocol underestimated <img border=0 id="_x0000_i1035" src="/img/revistas/rbme/v18n3/v.jpg" align=absmiddle>O2máx a mean of 15% (CI95%: 24;-53%) when compared to the direct protocol. The values obtained by the Polar Fitness Test® did not correlate well with direct measurement in ergospirometer (r = 0.1). CONCLUSION: The Polar Fitness Test® protocol is not valid to estimate <img border=0 id="_x0000_i1036" src="/img/revistas/rbme/v18n3/v.jpg" align=absmiddle>O2máx in physically active young men. <![CDATA[<b>Efeito do exercício físico e estatinas na função muscular em animais com dislipidemia</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000300013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt As estatinas são utilizadas no tratamento das dislipidemias, com grande tolerância; no entanto, vários efeitos colaterais podem surgir, destacando-se miopatia. A prática regular do exercício físico (EF) produz modificações favoráveis no perfil lipídico; entretanto, pode gerar lesões musculares. OBJETIVO: Avaliar o efeito da associação entre exercício físico e estatinas na função muscular, pela análise histológica, em modelo experimental animal com dislipidemia. MÉTODOS: Foram utilizados 80 ratos machos Wistar, distribuídos em oito grupos, incluindo animais submetidos à dieta hipercolesterolêmica (DH), sinvastatina com (G1) e sem (G2) EF; DH e fluvastatina, com (G3) e sem EF (G4); alimentados com ração comercial (RC) na presença (G5) e ausência de (G6) EF; DH submetidos (G7) ou não (G8) a EF. A DH foi administrada por 90 dias, as estatinas e prática de EF em esteira rolante por oito semanas. Os animais foram sacrificados, e o músculo sóleo retirado para análise histológica. Aplicaram-se os testes t de Student pareado e análise multivariada, com nível significante para p < 0,05. RESULTADOS: As principais alterações histológicas encontradas foram fibras de diferentes diâmetros, atróficas, em degeneração, splitting, edema, infiltrado inflamatório. Essas alterações foram observadas em 90% dos animais do grupo G1, 80% do G2, 70% do G3, 30% do G4, 40% do G5 e 30% do G7. Nos grupos G6 e G8 identificaram-se fibras musculares com morfologia preservada. CONCLUSÕES: Na avaliação histológica muscular, a associação entre fluvastatina, sinvastatina e exercício físico acarreta alterações morfológicas com predomínio no uso da sinvastatina, variando de grau leve a grave, no músculo sóleo de ratos, induzidos pelos inibidores da HMG-CoA redutase.<hr/>Statins are used in the treatment of dyslipidemias with great tolerance; however, several side effects can arise, mainly myopathies. Regular practice of physical exercises (PE) produces beneficial alteration in the lipid profile, but it can result in muscular lesions. OBJECTIVE: to evaluate the effect of the association between physical exercise and statins in the muscular function through histological analysis in an experimental animal model with dyslipidemia. METHODS: 80 male Wistar mice, distributed in 8 groups, namely: animals submitted to a hypercholesterolemic diet (HD), symvastatin with (G1) and without PE (G2) ; HD and fluvastatin with (G3) and without PE (G4); fed with commercial food (CR) in the presence (G5) and absence of PE (G6); HD submitted (G7) or not (G8) to PE were used. The HD was administered statins and PE practice on treadmill for 90 days for 8 weeks. The animals were sacrificed, and the soleus muscle was removed for histological analysis. Paired t-tests and multivariate analysis were applied with significance level of p<0.05. RESULTS: The most important histological alterations found were fibers with different diameters and atrophic, with degeneration, splitting, edema and inflammatory infiltrate. These alterations were observed in 90% of animals from G1; 80% from G2; 70% from G3; 30% from G4; 40% from G5 and 30% from G7. In the G6 and G8 groups muscular fibers with preserved morphology were identified. CONCLUSION: In the muscular histological evaluation, the association of fluvastatin, symvastatin and physical exercise results in morphological alterations with predominance with the use of simvastatin, varying from a light to a high level, in the soleus muscle of mice, induced by HMG-CoA reductase inhibitors. <![CDATA[<b>Influência do nível de desempenho de jogadores de <i>badminton</i> em aspectos neuromotores durante uma tarefa de apontar um alvo</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000300014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O badminton é um esporte no qual os atletas devem responder a golpes rápidos e potentes de maneira acurada. Assim, o objetivo do estudo foi investigar se jogadores de badminton de alto nível apresentam melhores índices de desempenho neuromuscular do que jogadores de nível intermediário na tarefa de apontar um alvo. Doze jogadores de alto nível (GAN), que defendem ou defenderam a seleção brasileira de badminton, e 12 jogadores de nível intermediário (GNI) participaram do estudo. Eles permaneceram em pé, com o dedo indicador da mão dominante sobre um interruptor localizado à frente e direcionado à linha média do corpo, e foram instruídos a tocar um alvo em uma tela sensível ao toque posicionada à frente assim que ele se tornasse luminoso. O alvo foi apresentado ipsilateralmente ou contralateralmente ao membro superior dominante, em blocos (tempo de reação simples) ou randomicamente (tempo de reação de escolha). As variáveis tempo de reação (TR), tempo de movimento (TM) e erro radial (ER) foram computadas. Os resultados não revelaram efeito de grupo para TM e ER, mas revelaram que o GAN apresentou TR menor que o GNI. Ainda, o TR foi menor para a condição em blocos e o TR e o TM foram menores para o alvo ipsilateral. O fato de o GAN apresentar TR menor que o GNI indica que jogadores de alto nível teriam melhor capacidade reativa que jogadores de níveis inferiores. Assim, concluímos que o TR poderia ser uma variável importante na seleção de atletas que teriam maiores chances de alcançar altos níveis de desempenho no badminton. Ainda, apesar de o teste utilizado não representar integralmente as ações de jogo, ele é um avanço quando comparado aos testes comumente utilizados na investigação do TR e TM em atletas e deveria ser utilizado na avaliação de atletas de outros esportes.<hr/>Badminton is a racket sport where athletes have to accurately react to powerful and rapid strokes from their opponents. Therefore, the aim of the study was to investigate whether expert badminton players (members of the national team) would present better indices of neuromuscular performance than intermediate level badminton players in a target-pointing task. Twelve expert badminton players (EPG), who currently play or have already played for the Brazilian national team, and 12 intermediate-level players (IPG) participated in the study. The standing participant was instructed to press a switch placed in front of him and at his midline with the tip of the index finger and touch a target displayed in a touch screen located in front of him as soon as this target was lighted. The target was shown either ipsi- or contralateral to the dominant upper limb and either in blocks (simple reaction time - SRT) or randomly (choice reaction time - CRT). The dependent variables reaction time (RT), movement time (MT), and radial error (RE) were calculated. The results revealed no effect of group on MT and RE, but revealed that RT was shorter for EPG than for IPG. Moreover, RT was lower in SRT than in CRT condition and RT and MT was lower when the target was ipsilaterally presented and during STR condition. The shorter RT presented by expert badminton players when compared to intermediate level players could indicate that RT could be a key neuromuscular variable to distinguish expert from non-expert badminton players. Finally, although the experimental protocol does not integrally represent the actions performed during the game, it is a progress when compared to the tests commonly used to investigate the response time (RT and MT) in athletes, and should be used to assess those neuromuscular variables in athletes of sports that use the upper extremity. <![CDATA[<b>Efeito do exercício no sistema imune</b>: <b>resposta, adaptação e sinalização celular</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000300015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt INTRODUÇÃO: Durante o último século, o homem tornou-se menos ativo fisicamente, adotando hábitos cada vez mais sedentários. Isto promoveu aumento na incidência de doenças crônicas tais como doenças cardiovasculares, diabetes do tipo 2 e síndrome metabólica. A prática de atividade física pode influenciar o estado de higidez alterando estados metabólicos e também o sistema imunológico. OBJETIVO: Revisar na literatura estudos que abordem os efeitos promovidos pelo exercício físico no desenvolvimento da resposta imunológica e suas possíveis vias de transdução de sinais. MÉTODOS: Foram consultadas as bases de dados SciELO e PubMed. RESULTADOS: A literatura disponível mostra que durante a prática de exercício, várias subpopulações de leucócitos são alteradas de acordo com a intensidade e duração da atividade desempenhada. Exercícios de intensidade moderada estimulam uma resposta pró-inflamatória, enquanto aqueles de alta intensidade tendem a promover respostas anti-inflamatórias visando diminuir os danos na musculatura esquelética. Tais alterações são vistas em células apresentadoras de antígeno (como macrófagos e células dendríticas), neutrófilos, células natural killers (NK) e em moléculas de superfície como os receptores do tipo Toll (TLR) e do complexo principal de histocompatibilidade de classe II (MHC II), além das modificações promovidas em todo o repertório de citocinas. CONCLUSÃO: O estado atual do conhecimento permite considerar que as alterações no sistema imune são dependentes dos parâmetros inerentes ao exercício e que para que todas estas alterações ocorram, algumas cascatas de sinalização celular são acionadas, dando origem a um complexo processo de fosforilação/desfosforilação que culmina em ativação de fatores de transcrição, tradução de RNAm, síntese proteica e proliferação celular.<hr/>INTRODUCTION: Over the last century, people have become less active, adopting more sedentary habits. This scenario has increased the incidence of chronic diseases such as cardiovascular diseases, type 2 diabetes and metabolic syndrome. The practice of physical activities can influence healthiness by altering the metabolic state and also the immune system. OBJECTIVE: To review the literature for studies that address the effects promoted by physical exercise on the development of immune responses and the possible signal transduction pathways. METHODS: The SciELO and PubMed data bases were consulted. RESULTS: The available literature shows that during the practice of exercise, various subpopulations of leukocytes are altered in accordance with the intensity and duration of the activity performed. Exercise of moderate intensity stimulates a pro-inflammatory response, while those of high intensity tend to promote anti-inflammatory responses with the purpose to decrease damage to skeletal muscle. Such alterations are observed in cells that present antigens (such as macrophages and dendritic cells), neutrophils, natural killer cells (NK) and in surface molecules like Toll-like receptors (TLR) and major histocompatibility complex class II, as well as the entire repertoire of cytokines. CONCLUSION: The current state of knowledge suggests that the alterations in the immune system are dependent on parameters inherent to exercise and that in order to have all these alterations occurring, some cell signaling cascades are activated, giving rise to a complex process of phosphorylation/dephosphorylation that culminates in the activation of transcription factors, translation of mRNA's, protein synthesis and cell proliferation.