Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Medicina do Esporte]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1517-869220120004&lang=en vol. 18 num. 4 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Effects of different rest intervals between sets on muscle performance in the leg press exercise in untrained elderly women</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000400001&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJETIVO: Verificar a influência de dois diferentes intervalos de recuperação (IR) entre as séries no exercício leg-press sobre o número e sustentabilidade das repetições e no volume total, em idosas não treinadas. MÉTODOS: Onze idosas (66,5 ± 5,0 anos; 59,2 ± 9,1kg; 146,4 ± 34,9cm) foram submetidas a duas sessões experimentais de exercícios com pesos com intensidade de 15 repetições máximas. Cada sessão experimental foi composta por três séries realizadas até a fadiga muscular utilizando IR de um (IR-1) ou três minutos (IR-3). As sessões experimentais foram separadas por, no mínimo, 48 horas. Todas as participantes realizaram ambos os protocolos e um delineamento cross-over balanceado foi utilizado para determinar a ordem das sessões experimentais. RESULTADOS: Para ambos os IR entre as séries, reduções significativas (P < 0,05) no número e na sustentabilidade das repetições foram observadas da primeira para a segunda e terceira séries e da segunda para a terceira séries. Diferenças significativas (P < 0,05) entre os IR foram observadas nas duas séries finais. O volume total da sessão realizada com IR-3 foi estatisticamente superior (20,4%; P < 0,05) quando comparada a sessão IR-1. CONCLUSÃO: O número e a sustentabilidade das repetições e o volume total de treino de idosas não treinadas são influenciados pelo IR empregado entre as séries. Maiores IR devem ser utilizados quando a finalidade for otimizar o volume de treino por meio da sustentabilidade das repetições. Em contrapartida, menores IR devem ser utilizados quando a meta for obter maiores níveis de fadiga muscular.<hr/>OBJECTIVE: To assess the influence of two different rest intervals (RI) between sets in the leg-press exercise on the number and sustainability of repetitions and total volume in untrained elderly women. METHODS: Eleven untrained elderly women (66.5 ± 5.0 years; 59.2 ± 9.1 kg; 146.4 ± 34.9 cm) were submitted to two experimental sessions of resistance exercise with intensity of 15 maximum repetitions. Each experimental session consisted of three sets performed until muscle fatigue with an RI of one (RI-1) or 3 minutes (RI-3). The experimental sessions were separated by at least 48 hours. All participants performed both protocols and a balanced cross-over outlining was used to determine the experimental sessions order. RESULTS: For both RI between sets, significant reduction (P < 0.05) in the number and sustainability of repetitions was observed from the first to the second and third sets, and the second to the third sets. Significant differences (P < 0.05) between the RI were observed in the two final sets. The total volume of the session with RI-3 was statistically higher (20.4%, P < 0.05) when compared with RI-1 session. CONCLUSION: The number and sustainability of repetitions and the total volume of training in untrained elderly women are influenced by the RI employed between sets. Longer RI should be used when the training goal is to increase training volume through the sustainability of repetitions. Conversely, a shorter RI should be used when the goal is to obtain higher levels of muscle fatigue. <![CDATA[<b>Objective and subjective variables for monitoring of different season cycles in basketball players</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000400002&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente estudo teve o objetivo de avaliar, comparar e relacionar carga e cansaço causado por treinamento durante um ciclo de periodização em jogadores de basquete. Oito atletas profissionais masculinos com idade de 21,9 ± 3,4 anos, todos participantes do Campeonato Paulista de Basquete, divisão especial, foram sujeitos deste estudo. O macrociclo analisado incluiu 19 semanas divididas nos seguintes períodos: preparatório, competitivo I e competitivo II (tendo 4,6 e nove semanas, respectivamente). Os autores avaliaram os atletas diariamente quanto à percepção subjetiva de cansaço e carga de treinamento e monitoraram a potência de membro superior dos atletas através da quantificação de sua capacidade de lançar uma bola medicinal. Os atletas apresentaram menos fadiga (p < 0,005) no período preparatório (13,71 ± 1,30) em comparação com os períodos competitivo I (14,68 ± 1,51) e competitivo II (14,63 ± 1,22). Sua habilidade de lançar a bola medicinal diminuiu (p < 0,005) no período competitivo II (3,59 ± 0,30) em comparação com os períodos preparatório (3,80 ± 0,36) e competitivo I (3,86 ± 0,26). Sua monotonia diminuiu (p < 0,001) no período competitivo II (1,18 ± 0,43) em comparação com o preparatório (2,50 ± 2,01) e competitivo I (2,10 ± 1,61). Os resultados revelaram a efetividade na monitoração da carga e cansaço dos atletas através do método proposto para auxiliar na organização do treinamento durante um macrociclo.<hr/>The present study aimed to evaluate, compare and relate load and training tiredness during a periodization cycle in basketball players. Eight professional male athletes aged 21.9 ± 3.4 years, all of whom participated in the São Paulo basketball championship, special division, took part in this study. The macrocycle analyzed encompassed 19 weeks divided into the following periods: Preparatory, Competitive I, and Competitive II (having 4, 6, and 9 weeks, respectively). The authors daily evaluated the athletes on subjective perception of tiredness and training load and monitored the athletes' upper limb power by quantifying their ability to throw a medicine ball. Athletes presented less fatigue (p <0.005) in the Preparatory period (13.71 ± 1.30) compared with the Competitive I (14.68 ± 1.51) and Competitive II (14.63 ± 1.22) periods. Their ability to throw the medicine ball decreased (p <0.005) in the Competitive period II (3.59 ± 0.30) compared with the Preparatory (3.80 ± 0.36) and Competitive I (3.86 ± 0.26) periods. Their monotony decreased (p <0.001) in the Competitive period II (1.18 ± 0.43) compared with the Preparatory (2.50 ± 2.01) and Competitive I (2.10 ± 1.61) periods. The results revealed the effectiveness of monitoring load and tiredness of athletes by means of the proposed method to assist in training organization during a macrocycle. <![CDATA[<b>Comparative study of functional independence and quality of life among active and sedentary elderly</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000400003&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: O sedentarismo tem sido apontado como fator de risco para o desenvolvimento de doenças crônico-degenerativas em idosos; assim, a atividade física tem sido preconizada como forma de prevenção destas doenças, porém existe uma escassez de estudos que relacionem o sedentarismo e a prática de atividade física com a independência funcional (IF) e a qualidade de vida (QV) desta população. OBJETIVO: Comparar a IF e a QV entre idosos ativos e sedentários. MÉTODOS: Foi realizado um estudo, analítico, comparativo e de caráter temporal transversal, tendo como amostra 30 idosos de ambos os sexos, divididos em dois grupos. O grupo 1 foi composto por 15 idosos ativos e o grupo 2, por 15 idosos sedentários. Para avaliação da IF foi utilizada a medida de independência funcional, para a QV foi utilizado o questionário perfil de saúde de Nottingham, já adaptados e validados no Brasil. Como os dados foram não paramétricos, foi utilizado o teste de Mann-Whitney para comparação entre os grupos; a análise foi realizada com o software SPSS versão 14.0, sendo estabelecido um nível de significância α = 0,05. RESULTADOS: A média de idade do grupo 1 foi de 68,06 ± 7,82, e no grupo 2 a média foi de 71,20 ± 10,26. Na comparação das médias não foi encontrada diferença significativa, p = 0,12. Na comparação da IF e QV, o grupo 1 apresentou melhores resultados que o grupo 2, com p = 0,001 e p = 0,016, respectivamente. CONCLUSÃO: Destaca-se a importância da realização da atividade física para manutenção de uma boa IF e QV em idosos.<hr/>INTRODUCTION: Physical inactivity has been implicated as a risk factor for development of chronic diseases in the elderly. Thus, physical activity has been advocated as a way of preventing these diseases; however, few studies have correlated sedentarism and practice of physical functional independence (FI) and quality of life (QOL) in this population. OBJECTIVE: To compare the FI and QOL between active and sedentary elderly. METHODS: An analytical, comparative study of cross-temporal character was conducted with a sample of 30 patients of both sexes, divided into two groups. Group 1 was composed of 15 active elderly and group 2 of 15 sedentary elderly individuals. For evaluation of the FI, the measurement of functional independence was used, while for the QOL, the Nottingham Health Profile questionnaire, already adapted and validated in Brazil, was used. Since the data were nonparametric, the Mann-Whitney test was used for comparison between groups and the analysis applied the SPSS software version 14.0 with significance level of α = 0.05. RESULTS: mean age of group 1 was 68.06 ± 7.82 while in group 2 it was 71.20 ± 10.26, presenting no significant difference p = 0.12. When FI and QOL were compared, group 1 presented better results than group 2, p = 0.001 and p = 0.016, respectively. CONCLUSION: This study highlights the importance of physical activity practice for maintenance of good FI and QOL in the elderly. <![CDATA[<b>Level of psychological commitment to exercise and comparison of body dissatisfaction of athletes participating in the pan-american school games</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000400004&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: O esporte de rendimento parece ser um agente potencializador para o surgimento de transtornos psicopatológicos, sendo, portanto, pertinente avaliar o grau de comprometimento psicológico ao exercício e aspectos da imagem corporal em atletas adolescentes de elite, já que estas variáveis são fatores de risco para desencadeamento de transtornos alimentares. OBJETIVO: Comparar a insatisfação corporal entre diferentes modalidades esportivas e verificar a influência da mesma sobre o grau de comprometimento psicológico ao exercício em atletas adolescentes competitivos. MÉTODOS: A amostra do estudo foi constituída por 65 atletas adolescentes de diversas modalidades esportivas de ambos os sexos. Para avaliar a insatisfação corporal foi aplicado o body shape questionnaire (BSQ) e o grau de comprometimento psicológico com o hábito de se exercitar foi avaliado pela escala de dedicação ao exercício (EDE). RESULTADOS: A insatisfação com a própria imagem foi observada em 21,5% dos participantes com diferença entre as modalidades (p < 0,05), o que não ocorreu com a EDE (p &gt; 0,05). Além disso, a insatisfação influenciou 12% na modulação do grau de comprometimento psicológico ao exercício (p < 0,05). CONCLUSÃO: Dessa forma, conclui-se que, para esta amostra, a taxa de satisfação corporal foi alta e pouco relacionada ao grau de comprometimento ao exercício.<hr/>INTRODUCTION: Performance sports seem to be a booster for the onset of psychopathological disorders and therefore it becomes relevant to assess the level of psychological commitment to exercise and aspects of body image in adolescent elite athletes, since these variables are risk factors for triggering of eating disorders. OBJECTIVE: To compare body dissatisfaction among different sports and check its influence on the level of psychological commitment to exercise performance in competitive adolescent athletes. METHODS: The study sample consisted of 65 teenage athletes from many sports of both sexes. To assess body dissatisfaction, the Body Shape Questionnaire (BSQ) was applied and the level of psychological commitment to the habit of exercising was assessed by the Scale of Dedication Exercise (EDE). RESULTS: The dissatisfaction with self-image was seen in 21.5% of participants with difference between modalities (p <0.05), which did not occur with the EDE (p&gt; 0.05). Moreover, dissatisfaction influenced 12% in modulating the level of psychological commitment to exercise (p <0.05). CONCLUSION: Therefore, it can be concluded that for this sample, the rate of body satisfaction was high and little related to the level of commitment to exercise. <![CDATA[<b>Assessment of hand grip strength after neural mobilization</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000400005&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: A mobilização neural é uma técnica que visa a restauração do movimento e da elasticidade do sistema nervoso; contudo, ainda são poucos os estudos que avaliam sua eficácia sobre variáveis clínicas. OBJETIVO: Avaliar a força de preensão palmar em indivíduos submetidos à intervenção com mobilização neural. Metodologia: Estudo cruzado em que compuseram a amostra 20 sujeitos, com média de idade de 19,5 ± 0,92 anos, divididos em dois grupos (G1 e G2) que receberam, a cada semana, uma sessão única de intervenção de forma que o G1 recebeu mobilização neural e o G2 alongamentos convencionais para o supraespinal na primeira semana; o inverso aconteceu na segunda semana, em que o G1 recebeu alongamentos convencionais para o supraespinal e o G2 a mobilização neural. Os alongamentos para o supraespinal serviram apenas como placebo e não impuseram tensão aos nervos em estudo. As mobilizações neurais foram aplicadas nos nervos radial, mediano e ulnar. A força de preensão palmar foi avaliada por meio de um dinamômetro de preensão palmar em vários momentos: antes e imediatamente, 20 minutos e uma hora após cada intervenção. RESULTADOS: Não houve resultados significativos para a mobilização neural, nem para o alongamento. CONCLUSÃO: A mobilização neural não foi eficaz para produzir o aumento da força de preensão palmar em indivíduos saudáveis.<hr/>INTRODUCTION: Neural mobilization is a technique that seeks the restoration of motion and elasticity of the nervous system; however, there are few studies evaluating its effectiveness on clinical variables. OBJECTIVE: To assess hand grip strength among individuals undergoing intervention with neural mobilization. Methodology: a crossover study in which 20 subjects were sampled, mean age 19.5 ± 0.92 years, divided in two groups (G1 and G2) that received each week a single intervention session so that G1 received neural mobilization and G2 was submitted to conventional stretching exercises for the supraspinal in the first week. The opposite happened on the second week, in which G1 was submitted to conventional stretching exercises for the supraspinal and G2 received neural mobilization. Stretching for the supraspinal served only as placebo and did not impose tension to the nerves under study. The neural mobilization was applied in the radial, median and ulnar nerves. The hand grip strength was assessed using a grip dynamometer at various times: before and immediately after, 20 minutes and one hour after each intervention. RESULTS: no significant results were found for the neural mobilization or the stretch. CONCLUSION: Neural mobilization was not effective to produce increase in hand grip strength in healthy subjects. <![CDATA[<b>Can thermography aid in the diagnosis of muscle injuries in soccer athletes?</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000400006&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: Considerando que as lesões musculares desencadeiam processos inflamatórios e que a inflamação gera calor em decorrência do aumento do metabolismo local, então, o nível inflamatório pode ser avaliado por meio do gradiente de temperatura. OBJETIVO: Verificar a viabilidade da aplicação da termografia no diagnóstico de lesões causadas pelo treinamento físico. MÉTODOS: O estudo foi realizado com atletas adolescentes do Paraná Clube, Curitiba, PR, Brasil, que foram divididos em dois grupos, denominados controle e experimental. O grupo controle participou de uma sessão de treinamento de baixa intensidade e o grupo experimental de alta intensidade. Primeiramente, foi capturada uma imagem termográfica do quadríceps femoral de cada atleta antes do início da sessão de treinamento. Após a sessão de treinamento, coletou-se uma amostra de sangue para verificar o nível sérico de lactato de cada atleta. Posteriormente, 24h após o treinamento, efetuou-se outra coleta de sangue para verificar o nível sérico de CK de cada atleta. Outra imagem termográfica individual do quadríceps femoral também foi adquirida nessa etapa. RESULTADOS: A correlação entre os índices de lactato e CK foi positiva e estatisticamente significativa, com valor rho = 0,661 (p = 0,038). Não houve correlação estatisticamente significativa entre os valores de CK 24h pós-treino e na variação de temperatura (24h pós-treino - pré-treino) nos músculos avaliados para o grupo controle. Houve diferença de temperatura (24h pós-treino - pré-treino) estatisticamente significativa (p < 0,05) para os três músculos estudados apenas no grupo experimental. CONCLUSÃO: Os resultados do presente estudo sugerem a possibilidade da utilização de imagens termográficas para, em conjunto com a creatina-quinase, determinar a intensidade e a localização de lesões musculares pós-treino, uma vez que o citado marcador bioquímico não consegue determinar a localização anatômica da lesão muscular.<hr/>INTRODUCTION: Since muscle injuries trigger inflammatory processes and inflammation generates heat due to increased local metabolism, hence the level of inflammation can be measured by the temperature gradient. OBJECTIVE: To assess the feasibility of application of thermography in the diagnosis of injuries caused by physical training. METHODS: The study was conducted with adolescent athletes of the Paraná Club, Curitiba, Brazil, who were divided into two groups, namely control and experimental. The control group attended a training session of low intensity and the experimental group a high intensity one. First, a thermographic image of the quadriceps of each athlete was acquired before the training session. After the training session, a blood sample was collected to check the level of serum lactate of each athlete. Subsequently, 24 hours after training, an extra blood sample was performed to check the level of serum CK of each athlete. Another individual thermographic image of the quadriceps was acquired at that stage. RESULTS: The correlation between the lactate and CK was positive and statistically significant rho value = 0.661 (p = 0.038). There was no statistically significant correlation between CK values 24 h post-training and the change in temperature (24 h post-training - pre-training) in the muscles evaluated for the control group. There was a statistically significant difference in temperature (24 h post-training - pre-training) (p<0.05) for the three muscles studied only in the experimental group. CONCLUSION: The results of this study suggest the possibility of use of thermographic images, together with creatine kinase, in order to determine the intensity and location of post-training muscle damage, since the previously mentioned biochemical marker cannot determine the anatomic location of the muscle injury. <![CDATA[<b>Prevalence and asociated risks of injury in amateur street runners from Belo Horizonte, MG</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000400007&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: A prática da corrida de rua tem aumentado nos últimos anos, tanto por sua facilidade quanto pelo baixo custo envolvido. Essa prática, todavia, envolve risco de lesões musculoesqueléticas. OBJETIVO: Verificar a prevalência de lesões osteomioarticulares e analisar os fatores associados em corredores de rua amadores de Belo Horizonte, MG. MÉTODOS: Foi realizado um estudo observacional do tipo transversal. A seleção da amostra foi por conveniência. Participaram da pesquisa 100 atletas amadores com pelo menos três meses de prática de corrida com frequência mínima de duas vezes por semana. Foram coletados os dados referentes à prevalência de lesões e os fatores associados através de um questionário estruturado. RESULTADOS: A prevalência de lesões entre os atletas foi de 40%. Dentre os fatores associados à lesão destacam-se a distância média diária e a variação no volume do treinamento. CONCLUSÃO: A prevalência de lesões em corredores amadores é considerável, apesar de ter sido relatada por menos da metade dos participantes. As características do treinamento podem desencadear lesões e devem ser analisadas com cautela para que a corrida seja realizada de forma segura.<hr/>INTRODUCTION: The practice of street racing has increased in recent years, both for its ease and the low cost involved. This practice, however, involves risks of musculoskeletal injuries. OBJECTIVE: To assess the prevalence of musculoskeletal injuries and analyze associated factors among street racers amateur of Belo Horizonte /MG. METHODS: We conducted a cross-sectional observational study. Sample selection was by convenience. The participants were 100 amateur athletes with at least three months of practice running with minimum frequency of twice a week. We collected data on the prevalence of injuries and associated factors using a structured questionnaire. RESULTS: The prevalence of injuries among athletes was 40%. Among the factors associated with injury include the distance and the variation in average daily volume of training. CONCLUSION: The prevalence of injuries in amateur runners is considerable, although it was reported by less than half of the participants. The characteristics of training may trigger injury and should be carefully analyzed so that the race is held securely. <![CDATA[<b>Gait analysis on incline and decline surfaces of adult and elderly women with different volume of weekly activities</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000400008&lng=en&nrm=iso&tlng=en A marcha é um dos mais naturais movimentos humanos, porém com o envelhecimento, sua eficiência vai se reduzindo, principalmente durante a transposição de superfícies inclinadas, onde o risco de acidentes aumenta. OBJETIVO: Avaliar as diferenças do padrão da marcha de indivíduos idosos ativos (ATI) e sedentários (SED) em relação aos indivíduos adultos (ADU) durante a locomoção em um terreno inclinado (rampa). MÉTODOS: Quarenta e cinco indivíduos (15 ADU, 15 ATI e 15 SED) caminharam, subindo e descendo uma rampa com 10% de inclinação. A análise cinemática (Vicon MX-13) e cinética (Plataforma de Força AMTI) de variáveis relacionadas com a marcha foi realizada. RESULTADOS: Foram identificadas reduções na amplitude e potência do impulso ao redor do tornozelo dos indivíduos SED e ATI em comparação aos ADU durante a subida da rampa. Na descida, as principais diferenças entre o grupo ADU e os grupos SED e ATI foram com relação à velocidade de deslocamento, provavelmente por limitações musculares de ordem elástica, principalmente ao redor do quadril. CONCLUSÃO: Aparentemente, o nível de atividades físicas não influenciou a marcha dos SED e ATI; entretanto, uma limitação do IPAQ de conseguir classificar adequadamente diferentes níveis de atividades físicas pode ter influenciado o resultado. Futuros estudos longitudinais nos quais os indivíduos são submetidos a diferentes volumes de atividades físicas diárias são necessários para que os resultados aqui encontrados possam ser confirmados.<hr/>Walking is one of the most natural human movements; however, its efficiency decreases with age progression, mainly during the transposition of incline surfaces, where the risk of accident increases. OBJECTIVE: To evaluate the differences in gait patterns between active (ACT) and sedentary (SED) elderly compared to adult individuals (ADU) during locomotion on incline surface (ramp). METHODS: Forty-five subjects (15 ADU, 15 ACT and 15 SED) walked up and down a ramp with 10% of inclination. The kinematic (Vicon MX-13) and kinetic (Force Plate AMTI) analysis of the gait variables was performed. RESULTS: Reduction on amplitude and impulse power around SED and ACT ankle was identified during the incline gait on the ramp compared with ADU. Major differences between ADU and SED/ACT groups concerning displacement velocity during decline gait were identified, probably due to elastic muscle limitations around the hip. CONCLUSION: Apparently, the level of physical activity does not influence on the SED and ACT gait; however, an IPAQ limitation in accurately classify this level, may have affected the results. Future longitudinal studies in which individuals are submitted to different physical activity volume are necessary to confirm these findings. <![CDATA[<b>Electromyographic analysis of lower limb muscles in proprioceptive exercises performed with eyes open and closed</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000400009&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUÇÃO: A propriocepção é um termo utilizado para descrever todas as informações neurais originadas nos proprioceptores das articulações, músculos, tendões, cápsulas e ligamentos, que são enviadas por meio das vias aferentes ao sistema nervoso central. A eletromiografia (EMG) é o estudo da função muscular por meio da averiguação do sinal elétrico que emana do músculo, sendo também, o estudo da atividade da unidade motora. OBJETIVO: Realizar uma análise eletromiográfica dos músculos reto femoral (RF) e tibial anterior (TA), em diferentes exercícios proprioceptivos (disco de Freeman-DIS e balancim-BAL) com os olhos abertos (OA) e fechados (OF). MÉTODOS: A análise foi realizada com 10 indivíduos do gênero masculino, fisicamente ativos, em um tempo de coleta de 10 segundos em cada aparelho tanto com olhos abertos como fechados. RESULTADOS: De acordo com nossos achados, observamos uma diferença significativa quando os exercícios proprioceptivos são realizados com olhos abertos e olhos fechados, obtendo uma ativação muscular maior, de acordo com a análise eletromiográfica, nos exercícios com olhos fechados, ressaltando a importância do sistema visual e como ele interfere na posição do corpo quando este é submetido a variações de equilíbrio causadas pelos aparelhos pesquisados. CONCLUSÃO: Concluímos que o músculo reto femoral não apresentou diferenças significativas evidentes entre os aparelhos balancim e disco de Freeman, assim como quando o exercício era realizado com os olhos abertos ou fechados. A diferença significativa ocorrida foi entre o balancim OA e OF e entre balancim OA e disco de Freeman OF. Já o músculo tibial anterior, apresentou diferenças significativas maiores, principalmente com os olhos fechados, independente do aparelho, os quais não apresentaram diferenças significativas entre eles.<hr/>INTRODUCTION: Proprioception is a term used to describe all the neural information originated from the proprioceptors of the joints, muscles, tendons, ligaments and capsules, which is sent via afferent pathways to the central nervous system. EMG is the study of muscle function through the investigation of the electrical signal emanated from the muscle and it is also the study of the motor unit activity. OBJECTIVE: To perform electromyographic analysis of the rectus femoris (RF) and tibialis anterior (TA) in different proprioceptive exercises (disc Freeman and rocker) with eyes open (OE) and closed (CE). METHODS: The analysis was conducted with 10 physically active male subjects, in a collection time of 10 seconds on each device with eyes both open and closed. RESULTS: Thus, according to our findings, significant difference is observed when the proprioceptive exercises are performed with eyes open and closed, obtaining higher muscle activation, according to the electromyographic analysis, in the exercises with eyes closed, highlighting the importance of the visual system and how it interferes in the body's position when it is subjected to balance changes caused by the studied devices. CONCLUSION: Therefore, it can be concluded that the rectus femoris muscle did not show evident significant differences between the rocker and Freeman disc, as well as when the exercise was performed with eyes open or closed. The significant difference occurred was between the OE and CE Rocker and between Rocker OE and disk Freeman CE. Since the tibialis anterior muscle showed greater differences, especially with eyes closed, regardless of the device, which showed no significant differences between them. <![CDATA[<b>Aerobic exercise training corrects capillary rarefaction and alterations in proportions of the muscle fibers types in spontaneously hypertensive rats</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000400010&lng=en&nrm=iso&tlng=en O treinamento físico (TF) aeróbio tem sido utilizado como um importante tratamento não farmacológico na hipertensão arterial (HA), uma vez que ele reduz a pressão arterial. Estudos mostram que as anormalidades do músculo esquelético na HA estão associados à rarefação capilar, um aumento na porcentagem de fibras de contração rápida (tipo II), com predominância do metabolismo glicolítico e um aumento da fadiga muscular. Entretanto, pouco se conhece sobre os efeitos do TF sobre estes parâmetros na HA. Nós hipotetizamos que o TF corrija a rarefação capilar potencialmente contribuindo para a restauração da proporção dos tipos de fibras musculares. Ratos espontaneamente hipertensos (SHR, n=14) e Wistar Kyoto (WKY, n=14) com 12 semanas de vida e divididos em 4 grupos: SHR, SHR treinado (SHR-T), WKY e WKY treinado (WKY-T) foram estudados. Como esperado, 10 semanas de TF foi efetivo em reduzir a pressão arterial em SHR-T. Além disso, avaliamos os principais marcadores de TF. A bradicardia de repouso, o aumento da tolerância a realização de esforço, do consumo de oxigênio de pico e da atividade da enzima citrato sintase muscular nos grupos de animais treinados (WKY-T e SHR-T) mostram que a condição aeróbia foi alcançada com este TF. O TF também corrigiu a rarefação capilar no músculo sóleo em SHR-T. Em paralelo, foi observada uma redução na porcentagem de fibras do tipo IIA e IIX, ao passo que aumentou a porcentagem de fibras do tipo I induzidas pelo TF na HA. Estes resultados sugerem que o TF previne as alterações na composição dos tipos de fibras no músculo sóleo em SHR, uma vez que a angiogênese e o aumento da atividade da enzima citrato sintase são umas das mais importantes adaptações ao TF aeróbio, atuando na manutenção do metabolismo oxidativo e do perfil de fibras do músculo.<hr/>Aerobic exercise training (ET) has been established as an important non-pharmacological treatment of hypertension, since it decreases blood pressure. Studies show that the skeletal muscle abnormalities in hypertension are directly associated with capillary rarefaction, higher percentage of fast-twitch fibers (type II) with glycolytic metabolism predominance and increased muscular fatigue. However, little is known about these parameters in hypertension induced by ET. We hypothesized that ET corrects capillary rarefaction, potentially contributing to the restoration of the proportion of muscle fiber types and metabolic proprieties. Twelve-week old Spontaneously Hypertensive Rats (SHR, n=14) and Wistar Kyoto rats (WKY, n=14) were randomly assigned into 4 groups: SHR, trained SHR (SHR-T), WKY and trained WKY (WKY-T). As expected, ten weeks of ET was effective in reducing blood pressure in SHR-T group. In addition, we analyzed the main markers of ET. Resting bradycardia, increase of exercise tolerance, peak oxygen uptake and citrate synthase enzyme activity in trained groups (WKY-T and SHR-T) showed that the aerobic condition was achieved. ET also corrected the skeletal muscle capillary rarefaction in SHR-T. In parallel, we observed reduction in percentage of type IIA and IIX fibers and simultaneous augmented percentage of type I fibers induced by ET in hypertension. These data suggest that ET prevented changes in soleus fiber type composition in SHR, since angiogenesis and oxidative enzyme activity increased are important adaptations of ET, acting in the maintenance of muscle oxidative metabolism and fiber profile. <![CDATA[<b>Effects of aerobic training on the lipid profile of rats with hyperthyroidism</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000400011&lng=en&nrm=iso&tlng=en Há poucos estudos analisando a importante relação entre o exercício físico, agudo e crônico, e alterações metabólicas decorrentes do hipertireoidismo. O objetivo do presente estudo foi analisar o efeito de quatro semanas de treinamento aeróbio sobre o perfil lipídico de ratos com hipertireoidismo experimental. Foram utilizados 45 ratos da linhagem Wistar, divididos aleatoriamente em quatro grupos: Controle Sedentário (CS) - administrados com salina durante o período experimental, não praticaram exercício físico (n = 12); Controle Treinado (CT) - administrados com salina, participaram do treinamento (n = 11); Hipertireoidismo Sedentário (HS) - induzidos ao hipertireoidismo, não praticaram exercício físico (n = 12); e Hipertireoidismo Treinado (HT) - induzidos ao hipertireoidismo, participaram do treinamento (n = 10). O treinamento aeróbio teve duração de quatro semanas, cinco vezes na semana, com duração de uma hora por sessão. Após o término do período experimental todos os ratos foram anestesiados em câmara de CO2 até sua sedação. Coletaram-se amostras de sangue para dosagem de colesterol total, triglicerídeos, HDL-colesterol e LDL-colesterol e hormônio T3; e amostras do coração, fígado, músculo gastrocnêmio e tecido adiposo das regiões mesentérica, retroperitonial e subcutânea para pesagem e dosagem de triglicerídeos. Para análise estatística utilizou-se ANOVA two-way, seguida do post hoc LSD de Fischer. Observaram-se menores valores de AGL no grupo HS quando comparado ao CS. O grupo HS teve nível de triglicerídeos significativamente superior nas regiões mesentérica, do gastrocnêmio e retroperitonial quando comparado com os grupos CS e CT, e apenas o tecido adiposo da região retroperitonial apresentou diferenças significativas na qual o grupo HT apresentou menor peso quando comparado com o grupo CS. Pode-se concluir que os ratos hipertireoidicos apresentaram perfil lipídico diferente dos ratos controle, e o treinamento aeróbio em ratos Wistar pode ter alterado o perfil lipídico dos animais com hipertireoidismo experimental quando comparados com o grupo sedentário e grupos controle.<hr/>The relationship between physical exercise, either acute or chronic, and metabolic changes resulting from hyperthyroidism has been little studied in the literature. The aim of this study was to analyze the effects of four weeks of aerobic training on the lipid profile of rats with experimental hyperthyroidism. 45 Wistar rats were randomly divided in four groups: Sedentary Control (SC) -administered saline solution during the experimental period and did not exercise (n = 12); Trained Control (TC) - administered saline solution and underwent physical training (n = 11); Sedentary Hyperthyroidism (SH) - induced hyperthyroidism and did not exercise (n=12) and Trained Hyperthyroidism (TH) - induced hyperthyroidism and underwent physical training (n = 10). The aerobic training lasted one hour per day, five times a week, during four weeks. After the training period, the rats were anesthetized in CO2 chamber until their sedation. The blood was collected for total cholesterol, triglycerides, HDL-cholesterol and LDL-cholesterol and serum T3 dosage. Additionally, heart, liver, gastrocnemius muscle and adipose tissue of the mesenteric, retroperitoneal and subcutaneous regions were collected for weighing and triglycerides dosage. Two-way ANOVA, followed by Fisher LSD Post-Hoc was applied for statistical analysis. Lower AGL values were observed in the SH group when compared with SC. The TH group presented lower weight of adipose tissue in the retroperitoneal compared with the SC group. The triglycerides concentrations in the mesenteric, gastrocnemius and retroperotoneal regions were higher in SH group compared with the SC and TC groups. Therefore, it can be concluded that the hyperthyroidism rats presented lipid profile different from the control rats and that aerobic training in rats may have altered the lipid profile of animals with experimental hyperthyroidism compared with the sedentary and control groups. <![CDATA[<b>Application of different load quantification methods during a karate training session</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000400012&lng=en&nrm=iso&tlng=en A percepção subjetiva de esforço (PSE) da sessão tem se destacado dentre os métodos de quantificação de cargas de treinamento (QCT) em algumas modalidades, sobretudo pelo seu baixo custo e fácil aplicabilidade. No entanto, não há relatos na literatura de sua aplicação na modalidade de karate. O objetivo deste estudo foi analisar a relação entre o método PSE da sessão com BanisterTRIMP, EdwardsTL, LuciaTRIMP, StagnoTRIMP e LacTRIMP. Para tanto, oito atletas de ambos os sexos (21,6 ± 5,5 anos; 58,8 ± 13,8kg; 170,0 ± 0,11cm) realizaram uma sessão de treinamento com monitoramento constante da frequência cardíaca (FC), coleta de amostras sanguíneas a cada 10 minutos e aferição da PSE através da escala CR-10, 30 minutos após o término do treinamento, para posterior cálculo dos impulsos de treinamento. Significantes correlações (P < 0,05) foram encontradas entre PSE da sessão e BanisterTRIMP (r = 0,79), EdwardTL (r = 0,81), LuciaTRIMP (r = 0,71), StagnoTRIMP (r = 0,71) e LacTRIMP (r = 0,91). Dessa forma, os resultados deste estudo sugerem a PSE da sessão como um método eficiente para a QCT em atletas de karate estilo shotokan.<hr/>The subjective ratings of perceived exertion (RPE) of the session have stood out among the methods of load training quantification (LTQ) in some modalities, mainly due to their low cost and easy applicability. However, there are no reports in the literature on their application in the karate modality. The aim of this study was to analyze the relationship between RPE session with Banister TRIMP , Edwards TL , Lucia TRIMP, Stagno TRIMP and Lac TRIMP. Eight well-trained athletes of both sexes (21.6 ± 5.5 years; 58.8 ± 13.8 weight; 170.0 ± 0.11 height) performed a single training session with continuous heart rate monitoring, blood lactate collections every 10 min and RPE quantification through the CR-10 scale, 30 min after the end of the training, for subsequent calculation of training impulse. Significant correlations (P<0.05) were found between RPE session and Banister TRIMP (r = 0.79), Edward TL (r = 0.81), Lucia TRIMP (r = 0.71), Stagno TRIMP (r = 0.71) and Lac TRIMP (r = 0.91). Thus, the results of this study suggest the RPE session as an efficient method from the LTQ in shotokan karate athletes.