Scielo RSS <![CDATA[Educação e Pesquisa]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1517-970220160003&lang=en vol. 42 num. 3 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Science, its rationality and governments]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300581&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[Slaves, freedmen, free African descendants, non-free, blacks, <em>ingênuos</em><strong>:</strong> Education legislation concerning the black population in nineteenth century Brazil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300591&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Pretende discutir a relação entre o ordenamento jurídico da educação e a população negra como um aspecto da história da educação brasileira. Analisa como esse segmento da população apareceu em leis e regulamentos imperiais sobre instrução, destacando permanências e mudanças nas permissões e proibições no acesso e frequência à escola. Foram lidos conjuntos integrais de leis e regulamentos da instrução primária e secundária de nove províncias, e indiretamente o de outras sete localidades, em busca de termos que referenciem a condição jurídica ou racial dos alunos permitidos e dos indesejados. Acompanhando as mudanças nas denominações ao longo do período século XIX – escravos, não livres, libertos, pretos, filhos de africanos livres, ingênuos – nas diferentes províncias, destacam-se interdições e permissões para matrícula e/ou frequência negra entre 1835 (ano das primeiras menções à proibição de matrícula a não livres) e 1887 (última proibição à matrícula de escravos). Utiliza a perspectiva thompsoniana da lei como resultado de disputas e costumes a fim de sugerir explicações sobre a relação entre população negra e instrução no Império. Conclui que a relação entre ordenamento legal e educação ilumina a história da educação no que se refere à presença/ausência negra na escola pública do período Imperial no Brasil.<hr/>Abstract This paper seeks to discuss the relationship between the legal framework for education and the black population in Brazil, seen through the prism of history of education. It analyzes how this segment of the population has been depicted in laws and imperial ordinances related to instruction, while highlighting the changes and continuities regarding permissions and prohibitions in the access to school enrollment and attendance. Whole sets of laws and regulations were perused regarding primary and secondary education of nine provinces and seven others indirectly, in search of terms that make reference to the legal or racial condition of welcome or unwelcome students. When monitoring the changes in the use of terms throughout the nineteenth century – slaves, non-free, freedmen, blacks, descendants of free Africans, ingênuos – in different provinces, we encounter prohibitions and permissions for the enrollment and/or attendance of blacks between 1835 (when prohibition against enrollment of non-free people was first mentioned) and 1887 (when the last prohibition of slave enrollment occurred). We use Thompson’s perspective in regarding the law as a result of disputes and customs in order to offer explanations about the relation between the black population and education when Brazil was an empire. We conclude that the relationship between legal order and education sheds light on the history of education with respect to the presence/absence of blacks in public schools during the Empire. <![CDATA[Collective construction of rural inclusive education: reflections on an experience in teacher education]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300607&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo A educação do campo é resultado de um processo de transformação de valores e práticas na sociedade civil na forma de política do movimento social do campo. Neste artigo, exploramos a proposta de uma educação do campo inclusiva através de uma pesquisa realizada em um curso de formação de professores sobre o tema. A educação do campo se apresenta como um espaço aberto para trabalhar ideias sobre educação inclusiva, uma vez que pauta suas práticas em uma educação que saia dos moldes tradicionais e que valorize os sujeitos envolvidos. O trabalho de formação de professores realizado foi pautado em práticas reflexivas sobre o tema, em quatro encontros para uma pesquisa de mestrado de uma das autoras. Para este artigo, optamos por analisar as discussões e falas que emergiram durante o segundo encontro, uma vez que este foi o início do processo de construção de um espaço reflexivo aberto a possibilidades. A reflexão de futuros educadores sobre as questões com as quais irão lidar em sala de aula apareceu como um ponto bastante interessante para que seja realizada uma construção coletiva em cursos de licenciatura em educação do campo e se elabore uma possibilidade real e contextualizada de uma educação do campo inclusiva.<hr/>Abstract Rural education is the result of the transformation of values and practices in civil society presented as a policy of the rural social movement. In this paper, we explore the proposal of inclusive rural education based on a study conducted in a teacher education course on that topic. Rural education is an open space to work on inclusive education ideas, since its practices are guided by a non-traditional model of education that values the subjects involved in the process. This teacher education work was guided by reflection on the topic in four meetings conducted for the Master’s research of one of the authors. In this article, we analyze the discussions and discourses of the second meeting, since it was the beginning of the construction of a reflective space open to possibilities. The reflection of future educators on issues that they will deal with in classroom appeared as a very interesting point for collective construction in undergraduate courses in rural education and for a real and contextualized possibility of inclusive rural education. <![CDATA[<strong>Including who?</strong> An examination of socioeconomic indicators of the Social Inclusion Program of the University of São Paulo (USP)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300625&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Em 2006, a Universidade de São Paulo (USP) criou o Programa de Inclusão Social da USP (Inclusp), um sistema de pontuação acrescida, cujo principal objetivo é ampliar o número de estudantes egressos de escolas públicas (EP) na USP. Contudo, uma das críticas que esse programa recebe é a de que ele não conseguiria incluir estudantes com perfil socioeconômico muito diferente daqueles que já seriam aprovados no exame do vestibular, independentemente de sua ação. Assim, o objetivo deste trabalho é o de aprofundar o conhecimento de alguns indicadores do Inclusp, com vistas a melhor responder à questão: quem o programa tem contribuído para incluir na USP? Mais especificamente, são examinados alguns dados socioeconômicos de estudantes que ingressaram na USP por essa via. Comparamos o perfil socioeconômico, nos três cursos mais e menos concorridos, dos estudantes em geral, daqueles oriundos de EP e, dentre estes, dos que ingressaram na USP em função do bônus concedido pelo Inclusp. A análise de indicadores socioeconômicos mostra que o programa tem contribuído para incluir estudantes de EP provenientes de famílias com renda familiar mais baixa do que seus pares também provenientes de EP. No entanto, aponta também que não há variação do nível de instrução do pai entre esses dois grupos, o que indica que, se por um lado, o Inclusp contribui para reduzir a desvantagem econômica, por outro, ele não tem sido capaz, de modo geral, de eliminar obstáculos culturais que impedem ou dificultam o acesso de estudantes de meios populares à USP.<hr/>Abstract In 2006, the University of São Paulo (USP) created the Social Inclusion Program of USP (named Inclusp, and its acronym in Portuguese), an added scoring system whose main purpose is to expand the number of students coming from public schools (PS) within the institution. However, one of the criticisms this program gets is that it would not be able to include students with socioeconomic profile very different from those who would pass the “vestibular” (in Brazil, it is an exam which classifies candidates to a university according to their score), regardless of the program´s actions. Thus, the objective of this work is to obtain in-depth knowledge of some the Inclup´s indicators, with the aim of providing a better answer to the question: who the program has been contributing to include in USP? More specifically, some socioeconomic data are examined from students who entered USP this way. We compared the socioeconomic profile, for the three most and least attractive degree courses, of students in general, of those coming from PS and, among them, of those who were admitted at USP as a result of getting a bonus granted by Inclusp. The analysis of the socioeconomic indicators shows that the program has contributed to include PS students from families with a family income lower than their peers who also come from a PS. Notwithstanding, it also points to the fact that there is no variation in the education level of the father between those two groups, which indicates that, whereas Inclusp helps reduce the economic disadvantage, it has not been able, generally speaking, of eliminating cultural obstacles that prevent or make it difficult the access of students from working class backgrounds to the University of Sao Paulo. <![CDATA[Michael Apple’s contributions to research on educational policy]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300651&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Este artigo tem como objetivo analisar as contribuições de Michael Apple para o campo da pesquisa em políticas educacionais. Na extensa obra de Michael Apple, destacamos seis elementos que podem auxiliar aqueles que estão interessados na área de políticas em educação: o princípio epistemológico da análise relacional; o exame do Estado como relação; a herança de Antonio Gramsci e de Raymond Williams que Michael Apple incorpora no uso de conceitos como hegemonia e senso comum; a análise que Michael Apple faz das políticas educacionais como políticas culturais, como disputas por visão de mundo, como luta por consolidação de uma hegemonia que vai além do econômico; a sua postura de pesquisador; e a capacidade que Michael Apple tem de ir além da lógica da reprodução e determinação para enfatizar o papel da agência e da contra-hegemonia. Através de exemplos práticos da própria obra de Apple e de outras pesquisas empíricas, apresentam-se as implicações de cada um dos seis pontos acima citados para os pesquisadores interessados na área de políticas educacionais. Conclui-se que muitas das contribuições de Apple podem auxiliar em pesquisas nessa área, tendo em vista a discussão que o autor realiza em sua obra e sua crítica ao determinismo econômico nas análises do campo educacional, salientando a importância, assim, de aspectos que estão relacionados à esfera da cultura.<hr/>Abstract This paper aims at analyzing Michael Apple’s contributions to research on educational policy. Among the vast work of Apple, we point to six elements that can help those interested in the field of educational policy: the epistemological principle of relational analysis; examining the State as a relation; the legacy of Antonio Gramsci and Raymond Williams that Michael Apple incorporates into the use of concepts such as hegemony and common sense; Apple’s analysis of educational policy as cultural policy, as disputes over worldview, as a struggle for the consolidation of hegemony that goes beyond economy; his attitude as a researcher; and his ability of going beyond the logics of reproduction and determination to emphasize the role of agency and counter-hegemony. Through concrete examples of Apple’s own work and of other empirical research, we present the implications of each of the six elements aforementioned to the scholars interested in educational policy. We conclude by showing that many of Apple’s contributions can indeed improve on current research in the area, particularly taking into consideration his critique of economic determinism in educational analysis, pointing out to the crucial role of culture in research. <![CDATA[Undoing the heteronormative tangles of school: contributions of cultural studies and LGBTTT movements]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300665&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo IV<hr/>Abstract IV <![CDATA[<strong>FHC’s</strong> <em><strong>transverse</strong></em> <strong>veto to LDB:</strong> religious education in public schools]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300681&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Este artigo analisa o processo de reforma da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional-LDB (9.394/1996), pela Lei 9.475/1997, acerca do ensino religioso nas escolas públicas. Essa reforma foi desencadeada pelo veto transverso do presidente Fernando Henrique Cardoso, ao convidar o Congresso Nacional a proceder as mudanças na LDB, conforme as demandas da Conferência Nacional dos Bispos (Católicos) do Brasil. A principal fonte das informações foram o Diário da Câmara dos Deputados e o Diário do Senado Federal. Os argumentos de deputados e senadores a respeito dos temas em discussão foram postos em confronto, de modo a desenhar um panorama em que os defensores das demandas da Igreja Católica assumiram posição hegemônica. A principal demanda foi a supressão do impedimento de uso de recursos públicos para o ensino religioso nas escolas públicas, especificamente para o pagamento de professores. Cláusula desse tipo existia na primeira LDB, de 1961, mas fora suprimida em 1971, no auge da ditadura. Semelhante procedimento foi acionado em 1997, com igual sucesso. Além de mostrar as posições em confronto, o autor levanta hipóteses a respeito das razões que levaram à rápida mudança de posição dos partidos políticos. Além do financiamento, o autor focaliza a dimensão ideológica da reforma da LDB, especialmente a definição do ensino religioso como parte integrante da formação básica do cidadão. A conclusão do artigo foi que a reforma da LDB reduziu a autonomia do campo educacional no Brasil, por institucionalizar sua imbricação com o campo religioso.<hr/>Abstract This article analyzes the reform of Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB – Law of Directives and Bases of National Education 9,394/1996), by Law 9,475/1997, regarding religious education in public schools. Such reform was triggered by the transverse veto of President Fernando Henrique Cardoso (FHC), who invited the National Congress to implement the changes in the LDB, according to the demands of the National Conference of the Brazilian [Catholic] Bishops. The main source of information were Diário da Câmara dos Deputados and Diário do Senado Federal (Journal of the House of Representatives and Journal of the Senate). The arguments of deputies and senators about the issues under discussion were confronted, which resulted in a panorama in which the defenders of the demands of the Catholic Church assumed a hegemonic position. Their main demand was the removal of the impediment to use public funds for religious education in public schools, specifically for the payment of teachers. Such clause existed in the first LDB (1961), but was abolished in 1971, at the height of the dictatorship. A similar procedure was adopted in 1997, with equal success. In addition to showing the positions in confrontation, the author raises hypotheses about the reasons for the rapid change in the positions of political parties. In addition to funding, the author focuses on the ideological dimension of the reform of LDB, especially the definition of religious education as an integral part of the basic training of citizens. The conclusion of the article is that the reform of LDB reduced the autonomy of the educational field in Brazil by institutionalizing its overlap with the religious field. <![CDATA[<strong>Masculinities, femininities and mathematics education:</strong> gender analysis from the discursive view of mathematics teachers]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300697&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O questionamento central que se constitui como um disparador para as discussões aqui realizadas é: existem relações entre as concepções de gênero e o ensino da matemática? Diante da suposta evidência de que meninos possuem rendimento superior em matemática, o presente trabalho objetiva investigar as problematizações que podem ser feitas à educação matemática quando a relacionamos com questões de gênero, isto é, com as masculinidades, feminilidades e demais representações sociais que se alinham a essa perspectiva. E, também nesse sentido, pretende-se investigar quais os desdobramentos para o ensino da matemática quando determinadas concepções de gênero se encontram implícitas na prática docente. De fato, não é muito incomum depararmo-nos com afirmações do tipo “meninos têm mais facilidade para aprender matemática do que meninas” ou “a mulher é muito emotiva e pouco racional”, dentre outras, que podem trazer certas implicações para o ensino da matemática, como, por exemplo, a legitimação e a reafirmação de certas desigualdades já materializadas no âmbito social. No intuito de se problematizar tais afirmações que, de certa forma, podem acabar exercendo um papel fundamental na fixação de determinados binarismos concernentes às identidades de gênero, este trabalho apresenta uma discussão pós-estruturalista e investiga de que forma as relações de gênero estão presentes no ensino da matemática por meio da aplicação de entrevistas semiestruturadas com professores dessa disciplina.<hr/>Abstract The central question that triggers the discussions held here is: Are there links between gender conceptions and mathematics teaching? In the face of the supposed evidence that boys have superior performance in mathematics, this study aims to investigate possible problematizations of mathematics education when we relate it to gender issues, that is, masculinities, femininities, and other social representations aligned to this approach. It also investigates the consequences that certain conceptions of gender implicit in the teaching practice may have on mathematics teaching. Indeed, it is not uncommon to encounter statements such as “boys are better at mathematics than girls”, or “women are very emotional and not rational enough”, which can bring consequences to mathematics teaching, such as the legitimation and reaffirmation of certain inequalities already materialized in the social sphere. In order to challenge such claims that may somehow end up playing a key role in fixing certain binarisms of gender identities, this work presents a poststructuralist discussion and, by means of semi-structured interviews with mathematics teachers, investigates how gender relations are present in the teaching of this subject. <![CDATA[Early childhood teachers and the inclusion of children with disabilities in regular schools]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300713&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Politicas públicas para a educação infantil propõem aumento do número de crianças atendidas e incentivam a educação continuada. No entanto, conflitos são gerados e a qualidade desse nível de ensino está aquém da desejada. Este estudo tem por objetivo analisar a percepção de conhecimento de professores que atuam nesse nível de ensino sobre temas relativos à inclusão de crianças com deficiências em aulas regulares, e como eles procedem nesses casos. Trata-se de um estudo de campo com amostra aleatória, com professores regentes de classe e professores de educação física. Foi feito com aplicação de questionário que versava sobre autonomia; inclusão social; especificidade de crianças com deficiência; avaliação; adaptações e possibilidades de movimento corporal. A primeira parte de cada questão se referia à percepção do professor sobre seu conhecimento do tema em uma escala Likert, e a segunda solicitava que o professor fornecesse exemplos de como agiria com a situação. Na maioria das questões, mais da metade do grupo de professores relatou ter conhecimento precário, grande parte deles preferiu apresentar justificativas, ao invés de exemplificar ações que pudessem ser realizadas. Os poucos exemplos apresentados demonstram superficialidade no tratamento dos temas e ou desconhecimento do mesmo. Há um paradoxo: é desejável que a educação ocorra cada vez mais cedo, para possibilitar uma sociedade mais igualitária, mas o cuidado necessário com essas crianças pode estar em risco, bem como a oferta de vivências que lhes possibilitem atingir seu potencial de desenvolvimento. É necessário enriquecer diálogos entre diferentes setores da sociedade.<hr/>Abstract Public policy on early childhood education proposes increasing the number of children and encourages continuing education. However, conflicts are generated and the quality of this level of education is below expectations. This study aims to analyze the perception of knowledge of teachers who work at this level of education on issues related to the inclusion of children with disabilities in regular classes and how they proceed in these cases. It is a field study with a random sample of classroom teachers and physical education teachers, which used a questionnaire about: autonomy, social inclusion, the specificity of children with disabilities, evaluation, adaptation, and possibilities of body movement. The first part of each question referred to teachers’ perception of their knowledge on the subject, in a Likert scale, and the second part asked teachers to give examples of how they would act. For most questions, more than half the group of teachers stated they had poor knowledge, and most preferred to present justifications rather than examples of actions that could be undertaken. The few examples given demonstrated superficiality in addressing the issues and or lack of knowledge. There is a paradox: it is desirable that education occurs earlier and earlier, to promote a more equitable society, but the care of these children and to their full development may be at risk. It is necessary to enrich the dialogue between different sectors of society. <![CDATA[<strong>Academic trajectories in gender and sexuality studies:</strong> tensions between professionalization, activism, and biographic experiences]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300727&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumen Este trabajo analiza las relaciones entre profesionalización, activismo y experiencia biográfica en las trayectorias de tres académicas que se desempeñan en los estudios sobre géneros y sexualidades, un área con tradición en el campo político extrauniversitario. Como hipótesis se sostiene que el análisis de estas trayectorias permite reconstruir tanto el proceso de institucionalización de esta área de conocimiento y las trasformaciones en las formas de investigar y enseñar en ciencias sociales, como también los cambios entre los espacios público, privado e íntimo que reconfiguran las biografías de los sujetos institucionales. Partiendo de una estrategia cualitativa, se realizaron entrevistas en profundidad a partir de la construcción de una muestra intencionada que indagaron el proceso de formación universitaria, la inserción en el ámbito académico y el ingreso y desarrollo en el sistema científico. Interesó atender a las particularidades de una generación que ha ingresado a la actividad académica en el marco de una profesionalización que está reconvirtiendo de manera acelerada la labor cotidiana en las universidades argentinas. Como conclusiones se destaca que el ingreso en esta área de conocimiento propicia una relectura de sus propias biografías, politizando la propia narrativa personal a partir de un saber específico. A su vez, que la tarea docente es resignificada en términos de activismo por su posibilidad de intervención sobre las biografías de estudiantes y las dinámicas pedagógicas actuales. Por último, que esta actividad constituye un modo de resistencia frente a la actual desvalorización de la transmisión de conocimiento por sobre su circulación en revistas internacionales.<hr/>Abstract This study analyzes relations between professionalization, activism, and biographic experience within trajectories of three female scholars of gender and sexuality studies, an area with tradition in the political field outside the university. As a hypothesis, we maintain that analyzing these trajectories allows rebuilding both this area’s institutionalization process and its transformations regarding how social sciences are researched and taught, as well as changes among public, private, and intimate spaces that reconfigure biographies of institutional subjects. In a qualitative strategy, in-depth interviews were conducted with a purposive sample of researchers to inquire into their university development, academic insertion, and incorporation into and development in the scientific system. Our interest is to take into account the particularities of a generation that entered the academic system in a context of professionalization that rapidly changed the daily work of Argentinean universities. As part of our conclusions, we claim that the interviewees’ incorporation into this knowledge area encourages them to reread their biographies and politicizes their personal narratives through a specific (type) of knowledge. At the same time, teaching work is re-signified in terms of activism for its chances of intervening in students’ biographies and current pedagogical dynamics. Finally, we claim that this activity is a form of resistance against the current devaluation of knowledge transmission and also against the over-valorization of the circulation of knowledge in peer-review international journals <![CDATA[Cecília Meireles and religious education in the 1930s:confrontation in favor of the New School]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300741&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo O artigo analisa a atuação de Cecília Meireles no combate ao decreto do ensino religioso nas escolas públicas de 1931. Esse tema adquire importância ao percebermos que alguns estudos que analisaram a trajetória de Cecília Meireles e sua relação com a educação não aprofundaram os aspectos das críticas à educação religiosa por parte dessa educadora. O objetivo do artigo é trazer novos elementos do percurso de Cecília Meireles e seu conflito com as políticas do governo provisório de Getúlio Vargas. Entre os anos 1930 e 1933, Meireles escreveu suas críticas aos acontecimentos do período na Página de Educação do jornal Diário de Notícias. Inicialmente, notamos que essa educadora assumiu de forma radical o pensamento escolanovista e com ele fundamentou suas posições em defesa da escola pública. A metodologia utilizada foi a análise das fontes primárias, a partir de suas relações com os acontecimentos históricos do período, de uma perspectiva dialética, procurando entender a produção escrita da educadora em e com o seu tempo. Constatamos no estudo o afastamento e a desilusão de Cecília Meireles quanto aos rumos do governo Getúlio Vargas. Entretanto, Meireles manteve seu otimismo na crença em uma escola que atendesse aos interesses da população brasileira, referenciada no pensamento da Escola Nova e, com isso, teceu suas críticas ao conservadorismo e à presença da religião no campo educacional brasileiro.<hr/>Abstract This article analyzes the performance of Cecília Meireles against the decree on religious education in public schools in 1931. This subject is particularly important because some studies which analyzed the path of Cecília Meireles and her connection with education have not deeply examined the elements of her criticism regarding religious education. This article aims to bring new aspects of Cecília Meireles’ path and her conflict with the policies of the provisional government of Getúlio Vargas. Between 1930 and 1933, Meireles criticized the events within this period in Página de Educação (Education Page) of Diário de Notícias, a daily newspaper. Initially, we note that this educator adhered to the New School ideas and founded on them her defense of the public school. The methodology consisted of reviewing, from a dialectical perspective, primary sources from her connections with the historical events in that period, seeking to understand this educator’s writing in her time. We found the isolation and disappointment of Cecília Meireles about the course of Getúlio Vargas’ government. However, Meireles kept her optimism, believing in a school which, referenced in the New School ideas, met the interests of the Brazilian population, and, therefore, she criticized conservatism and the presence of religion in the Brazilian educational field. <![CDATA[Technologies of gender, device of infantilization, advance of literacy: conflict in the production of gendered bodies]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300755&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Com o processo de ampliação do ensino fundamental, as crianças de seis anos foram inseridas em relações de poder-saber diferenciadas. Ao longo de uma investigação, realizada com o uso de técnicas etnográficas articuladas à análise de discurso foucaultiana, em uma turma de primeiro ano do ensino fundamental de uma escola pública da rede municipal de Belo Horizonte, foi possível perceber que, entre essas novas relações de poder-saber, destacam-se aquelas que articulam o dispositivo de antecipação da alfabetização (que preconiza que as crianças devem estar alfabetizadas ao final do primeiro ano de escolarização), o dispositivo de infantilidade e a tecnologia de gênero. Tendo em vista essa articulação, este artigo tem como objetivo discutir como se dá a produção de corpos generificados nesse currículo. Argumenta-se que a articulação do dispositivo de infantilidade com a tecnologia do gênero é posta em funcionamento no currículo que opera com a antecipação da alfabetização por meio de técnicas de distinção (que separam “coisas de meninos de coisas de meninas”, geralmente infantilizando-os/as) e técnicas de responsabilização (que responsabilizam professoras, alunos/as e famílias a assumirem certas funções, tendo em vista o seu gênero) com implicações tanto no processo de alfabetização, como no processo de construção do gênero de meninos/as e professora.<hr/>Abstract Due to the expansion of primary education, six-year-old children have experienced differentiated power-knowledge relations. During an investigation carried out using ethnographic techniques coordinated with Foucauldian discourse analysis in a class of the first year of primary education of a public school of Belo Horizonte city, in Minas Gerais state, it was possible to notice that, among such new relations of power-knowledge, the ones that coordinated advance of literacy (it advocates that children must be literate by the end of the 1st year of schooling), the device of infantilization and technologies of gender stood out. In view of such coordination, this article aims to discuss how the production of gendered bodies in this curriculum occurs. It is argued that the combination of the device of infantilization with technologies of gender is operationalized in the curriculum that works with the advance of literacy by means of techniques of distinction (which separate “boys’ stuff from girls’ stuff”, usually infantilizing them) and accountability techniques (which place responsibility on teachers, students and families to a take certain functions in view of their gender) with implications both in the literacy process and in the construction of the gender of boys, girls and teachers. <![CDATA[The color of school failure:factors associated with academic failure of high-school students]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300773&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Atualmente, o ensino fundamental (EF) está praticamente universalizado no Brasil e as taxas de escolarização bruta e líquida têm aumentado no ensino médio (EM). Apesar dos avanços, os resultados educacionais fornecidos pelos órgãos governamentais demonstram que o desempenho dos alunos, tanto no EF quanto no EM, tem declinado para diferentes subgrupos da população. Particularmente, alguns trabalhos têm evidenciado diferenciais educacionais importantes, segundo sexo e raça. No entanto, os estudos voltados para se entender quais os fatores associados ao desempenho escolar são, em sua maioria, direcionados para o EF. Diante disso, o objetivo deste trabalho é verificar a relação entre raça/cor, segundo sexo, para os adolescentes matriculados no 2º ano do EM, em escolas da rede estadual de ensino (REE) de nove municípios mineiros integrantes da região metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Os dados utilizados foram os da Pesquisa Jovem (PJ) e os do Censo Escolar, referentes ao ano de 2009, e foram aplicados modelos multivariados de regressão logística. No geral, os resultados mostraram diferenciais importantes segundo raça/cor e sexo. Os riscos de reprovação no 2º ano do EM foram maiores para aqueles que se autodeclararam como sendo da raça/cor parda, sendo a situação ainda pior para o sexo feminino (OR=2,23) comparada ao sexo masculino (OR=1,66).<hr/>Abstract Currently, elementary/middle school is virtually offered to all children in Brazil, and crude and net schooling rates have increased for high school. Despite the advancements, educational results provided by governmental bodies demonstrate that student academic performance, both in elementary/middle school and in high school, have declined in all different subgroups of the population. Some studies have shown important educational differentials, according to gender and race. However, studies intended to understand which factors associated with school achievement are, in their majority, related to elementary/middle school. In light of this, the purpose of this work is to verify the relationship between race/color, according to gender, to students enrolled in the 11th grade of high school, from the state education system of nine municipalities that are part of the metropolitan area of Belo Horizonte, capital of the state of Minas Gerais. Data utilized came from Pesquisa Jovem (Youth Research) and from School Census, regarding the year 2009. Logistic regression models were applied. In general, results have shown major differentials according to race/color and gender. Risks of failure at the 10th grade of high school were higher for those who declared themselves as being brown (pardo) and the situation was even worse for the females (OR=2,23) compared to the males (OR=1,66). <![CDATA[Education, empowerment and struggles for recognition:citizenry rights]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300789&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo A revisão em baixa de certos direitos de cidadania, como os sociais e os laborais, em contextos de ajustamento estrutural e de crise econômica, está a reacender as lutas pelo reconhecimento, já não propriamente em termos de reconhecimento cultural ou identitário, como de fato se verificou, com intensidade, nas duas últimas décadas, mas em termos de reconhecimento jurídico, ou seja, de respeito por expectativas que podem ser satisfeitas porque estão legalmente protegidas. A educação, sendo fiel à sua vocação de defesa da integridade da pessoa humana, pelo menos desde a afirmação iluminista desse valor, não se pode alhear dessas brigas pelo reconhecimento jurídico. Tem seguramente um papel a desempenhar nessas contendas, mas qual, e de que modo? Esta é a questão de investigação que leva a demandar três objetivos: o primeiro consiste em associar a educação às brigas pelo reconhecimento, convocando, para o efeito, a “gramática moral dos conflitos sociais” de Honneth; o segundo, vinculando educação e empoderamento, procura mostrar que este último, não obstante dissensos interpretativos, pode ser interessante para definir o envolvimento da educação nas lutas pelo reconhecimento jurídico; o terceiro, por fim, consiste em delimitar as principais articulações desse papel em termos de empoderamento. A investigação, conjugando o quadro analítico honnethiano com a revisão de literatura sobre diagnósticos da “recessão jurídica” que hoje se vive em diversos contextos, nomeadamente nos países europeus mais fortemente atingidos pelas políticas de austeridade como modelo ou paradigma de resposta à crise do euro, das dívidas públicas e do Estado de bem-estar social, leva a concluir que a “era dos direitos” está sob ameaça e que a educação, mediante práticas de empoderamento bem delineadas, pode ser estratégica na potenciação de reações individuais e sociais ao ressurgimento desse tipo de ameaça.<hr/>Abstract The downward revision of certain citizenry rights, such as social and labor rights, in contexts of structural adjustment and economic crisis, is rekindling the struggles for recognition, not exactly as cultural or identity recognition as one has observed with intensity in the last two decades, but in terms of legal recognition, that is, the respect for the expectations that can be met because they are legally protected. Education, faithful to its vocation to defend the integrity of the human person, at least since the Enlightment statement of such value, cannot be unaware of such fights for legal recognition. It certainly has a role to play in these disputes, but which one and how? This is the subject of the this investigation which leads us to demand three objectives: the first one consists of associating education with the fights for recognition, calling for that effect the “moral grammar of the social conflicts” by Honneth; the second, linking education to empowerment, seeks to show that the latter, notwithstanding interpretative dissentions, may be interesting to define the involvement of education in the struggles for legal recognition; the third and final objective consists of outlining the main articulations of such role in terms of empowerment. The research, by combining Honneth´s framework with the review of the literature on diagnostics of “legal recession” that we have been going through in several contexts, namely in the European countries more strongly affected by the austerity policies as a model or paradigm to respond to the crisis of Euro, of the public debt and the of welfare State, leads us to conclude that the “era of rights” is under threat and that education, by means of those well-defined practices of empowerment, may be strategic in potentiating individual and social reactions to the revival of this kind of threat. <![CDATA[Gender inequality in public university:the practice of professors of agricultural science]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300803&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Este estudo teve como objetivo analisar as desigualdades de gênero existentes entre os docentes do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Federal de Viçosa (UFV), procurando identificar os fatores que poderiam influenciar esse viés de gênero. Buscou-se não apenas descrever as desigualdades de gênero nos espaços ocupados por homens e mulheres nos cursos de graduação e nos programas de pós-graduação do CCA/UFV, mas também compreender os mecanismos através dos quais as assimetrias de gênero se perpetuavam. Para tanto, utilizou-se o Currículo Lattes dos professores como fonte de informação para a análise das variáveis que apresentavam padrões diferenciados entre os docentes de ambos os sexos que atuavam nos programas de pós-graduação no campo das ciências agrárias na UFV. A análise dos dados relativos à distribuição por sexo também nos cursos de graduação do CCA visou a apresentar uma perspectiva completa das configurações de gênero em todas as instâncias acadêmicas: graduação, pós-graduação e docência. A grande pista que guiou as conclusões finais desta pesquisa foi alcançada a partir da percepção de que o vínculo de origem do docente mostrava relação com os padrões de orientação estabelecidos pelos professores na pós-graduação.<hr/>Abstract This study has aimed to analyze gender inequality among professors of Centro de Ciências Agrárias (CCA – Agricultural Science Center), Universidade Federal de Viçosa (UFV), to identify the factors that could influence this gender bias. We sought not only to describe gender inequalities in the spaces occupied by men and women in undergraduate and graduate programs of CCA/UFV, but also to understand the mechanisms through which gender differences were perpetuated. To this end, we used the Lattes Curriculum of professors as a source of information for the analysis of the variables that showed different patterns between professors of both sexes who worked in the graduate programs in the field of agricultural science at UFV. The analysis of data on the distribution by sex also in undergraduate courses of CCA aimed to present a comprehensive overview of gender configurations at all academic levels: undergraduate and graduate education, as well as faculty. The big clue that guided the final conclusions of this research was the perception that professors’ original link was related to the guidance standards set by professors in the graduate program. <![CDATA[Sociology of education, reproduction of inequalities and new forms of domination]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300821&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo Jean-Pierre Faguer tem se dedicado à análise dos processos de reprodução e reprodução das desigualdades sociais e já foi professor convidado no Brasil em diferentes ocasiões. Nesta entrevista, o autor, que foi colaborador de Pierre Bourdieu no Centre de Sociologie Européenne, discute sua trajetória como pesquisador, o processo de constituição de seus objetos de pesquisa e alguns resultados de suas investigações, bem como apresenta suas reflexões sobre como a sociologia da educação contribui para o adensamento dos estudos da sociologia do trabalho e da sociologia econômica.<hr/>Abstract Jean-Pierre Faguer has dedicated himself to the analysis of reproduction processes and of reproduction of social inequalities and has been a guest professor in Brazil on several occasions. In this interview, the author, who was Pierre Bourdieu’s collaborator at Centre de Sociologie Européenne, discusses his career as a researcher, the process of defining his research objects and some results of his investigations. The author also presents reflections on how sociology of education contributes to the consolidation of the studies of labor sociology and economic sociology. <![CDATA[Travels in Troy with Freire:technology as an agent of emancipation]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300837&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo A rápida penetração de novas tecnologias na escola constitui uma oportunidade para a disseminação da filosofia de dois importantes teóricos da educação: Seymour Papert e Paulo Freire. As tecnologias digitais possibilitam formas diversas e inovadoras de trabalhar, expressar e construir. Essa adaptabilidade camaleônica da mídia computacional promove diversidade epistemológica (TURKLE; PAPERT, 1991), criando um ambiente no qual os alunos, na sua própria voz, podem concretizar suas ideias e projetos com motivação e empenho. Este artigo descreve uma implementação conduzida em uma escola pública brasileira e gera uma série de princípios de design de ambientes Papert/Freireanos, analisando o empenho intelectual e emocional dos estudantes, suas trajetória de aprendizado e a complexidade de seus projetos, que variaram de robôs controlados por computador a filmes de ficção científica. O artigo discute um modelo de implementação com quatro componentes: primeiro, identificar um tema gerador relevante para a comunidade; segundo, partir da cultura e da experiência tecnológica da comunidade como base para a introdução de novas tecnologias; terceiro, deliberadamente usar uma abordagem de mídia mista, em que alta e baixa tecnologia coexistem; por fim, deslocar certos protocolos sociais e comportamentais considerados normais nas escolas, mesmo aqueles aparentemente irrelevantes para o ensino e a aprendizagem. Conclui-se que tal utilização de tecnologias expressivas pode ser um poderoso agente de emancipação à Paulo Freire e, em especial, em comunidades economicamente carentes.<hr/>Abstract The rapid dissemination of new technologies in schools is an opportunity for the popularization of the educational philosophies of two important theorists of education: Seymour Papert and Paulo Freire. Digital technologies enable diverse and innovative ways of working, expressing, and building. This chameleonesque adaptivity of computational media enables the acknowledgement and embracing of epistemological diversity (TURKLE; PAPERT, 1991), engendering an environment in which students, finding their own voice, can concretize their ideas and projects with motivation and engagement. This article describes an implementation conducted in a Brazilian public school and proposes a series of principles for the design of Papertian/Freirean learning environments, by analyzing the intellectual and emotional commitments of students, their learning paths, and the complexity of their designs, which ranged from robots and computer programs to fiction movies. The article discusses an implementation model with four components. First, we identify a community-relevant generative theme. Second, we depart from the community’s technological culture and expertise as a basis for introducing new technologies. Third, we deliberately use a mixed-media approach, in which high- and low-tech, on- and off-screen, and high- and low-cost expressive tools coexist for students’ production of artifacts. Lastly, we question (or “displace”) taken-for-granted school practices and mindsets, even those that are apparently irrelevant to teaching and learning. We conclude that such use of expressive technologies can be a powerful agent of emancipation à la Paulo Freire, especially in economically disadvantaged communities. <![CDATA[Errata]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022016000300871&lng=en&nrm=iso&tlng=en Resumo A rápida penetração de novas tecnologias na escola constitui uma oportunidade para a disseminação da filosofia de dois importantes teóricos da educação: Seymour Papert e Paulo Freire. As tecnologias digitais possibilitam formas diversas e inovadoras de trabalhar, expressar e construir. Essa adaptabilidade camaleônica da mídia computacional promove diversidade epistemológica (TURKLE; PAPERT, 1991), criando um ambiente no qual os alunos, na sua própria voz, podem concretizar suas ideias e projetos com motivação e empenho. Este artigo descreve uma implementação conduzida em uma escola pública brasileira e gera uma série de princípios de design de ambientes Papert/Freireanos, analisando o empenho intelectual e emocional dos estudantes, suas trajetória de aprendizado e a complexidade de seus projetos, que variaram de robôs controlados por computador a filmes de ficção científica. O artigo discute um modelo de implementação com quatro componentes: primeiro, identificar um tema gerador relevante para a comunidade; segundo, partir da cultura e da experiência tecnológica da comunidade como base para a introdução de novas tecnologias; terceiro, deliberadamente usar uma abordagem de mídia mista, em que alta e baixa tecnologia coexistem; por fim, deslocar certos protocolos sociais e comportamentais considerados normais nas escolas, mesmo aqueles aparentemente irrelevantes para o ensino e a aprendizagem. Conclui-se que tal utilização de tecnologias expressivas pode ser um poderoso agente de emancipação à Paulo Freire e, em especial, em comunidades economicamente carentes.<hr/>Abstract The rapid dissemination of new technologies in schools is an opportunity for the popularization of the educational philosophies of two important theorists of education: Seymour Papert and Paulo Freire. Digital technologies enable diverse and innovative ways of working, expressing, and building. This chameleonesque adaptivity of computational media enables the acknowledgement and embracing of epistemological diversity (TURKLE; PAPERT, 1991), engendering an environment in which students, finding their own voice, can concretize their ideas and projects with motivation and engagement. This article describes an implementation conducted in a Brazilian public school and proposes a series of principles for the design of Papertian/Freirean learning environments, by analyzing the intellectual and emotional commitments of students, their learning paths, and the complexity of their designs, which ranged from robots and computer programs to fiction movies. The article discusses an implementation model with four components. First, we identify a community-relevant generative theme. Second, we depart from the community’s technological culture and expertise as a basis for introducing new technologies. Third, we deliberately use a mixed-media approach, in which high- and low-tech, on- and off-screen, and high- and low-cost expressive tools coexist for students’ production of artifacts. Lastly, we question (or “displace”) taken-for-granted school practices and mindsets, even those that are apparently irrelevant to teaching and learning. We conclude that such use of expressive technologies can be a powerful agent of emancipation à la Paulo Freire, especially in economically disadvantaged communities.