Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil ]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1519-382920160002&lang=en vol. 16 num. 2 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Gestational Diabetes Mellitus: the importance of the production in knowledge]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-38292016000200085&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[Excess weight and dyslipidemia and their complications during pregnancy: a systematic review]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-38292016000200093&lng=en&nrm=iso&tlng=en Abstract Objectives: to identify bibliographically disorders related to excess weight, dyslipidemia and their complication during pregnancy and in the fetus and newborn. Methods: a systematic review including observational and interventional studies and reviews, based on MEDLINE, LILACS, Embase and the Cochrane Library between 2000 and 2015. The key-words "lipids, pregnancy, obesity and newborn" were used to establish a selective stage for inclusion/exclusion of titles, repeated studies, key-words, abstracts, methodological incompatibility and correlation with objectives. Results: 58 studies were selected, of which 36 (62%) addressed prevention and the risk in pregnancy of excess weight and lipid disorders and 19 (32.7%) suggestions and/or consequences for the fetus and newborn. Conclusions: excess weight and lipidemic disorders in pregnancy are causes for concern in scientific studies, posing risks both for the mother and the newborn. Higher prevalence of caesarian and pre-eclampsia were the two most noteworthy complications for gestational outcomes. In short, the impact on care of maternal habits and excess weight during pregnancy is highly significant, owing to the different degrees of complication in obstetric outcomes and their influence on the clinical characteristics of the newborn.<hr/>Resumo Objetivos: identificar bibliograficamente as alterações referentes ao excesso de peso, dislipidemias e suas intercorrências no período gestacional, no feto e no recém-nascido. Métodos: trata-se de uma revisão sistemática incluindo estudos observacionais, intervencionais e de revisão, com base na MEDLINE, LILACS, Embase e da biblioteca Cochrane entre os anos de 2000 à 2015. Através dos descritores "lipídios, gravidez, obesidade e recém-nascido "implementou-se uma etapa seletiva de inclusão/exclusão pelos títulos, trabalhos repetidos, descritores, resumos, incompatibilidade de metodologia e correlação com os objetivos. Resultados: foram selecionados 58 estudos, dos quais 36 (62%) direcionados para prevenções e riscos na gestação referentes ao excesso de peso e as alterações lipídicas na gravidez e 19 (32,7%) sugestões e /ou consequências para o feto e o recém-nascido. Conclusões: o excesso de peso e as alterações lipidêmicas na gestação são preocupantes nos estudos científicos, evidenciando riscos tanto para mãe quanto para o recém-nascido. O maior número de cesarianas e a pré-eclâmpsia foram as duas intercorrências mais notáveis para os desfechos gestacionais. Em síntese, o impacto sobre os cuidados com os hábitos maternos e o excesso de peso durante a gestação é de significativa relevância, devido aos diferentes graus de complicações nos desfechos obstétricos e a influência nas características clínicas do recém-nascido. <![CDATA[Late preterm birth in the far south of Brazil: a population based study]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-38292016000200113&lng=en&nrm=iso&tlng=en Abstract Objectives: to describe the prevalence of late preterm birth (LPB) and identify factors associated with its occurrence in the municipality of Rio Grande, RS. Methods: a standardized questionnaire was applied to allpuerperal women resident in the municipality who had children in theyear 2013. Preterm birth was defined as birth occur-ring between the 34th and 36th week of gestation, preferably evaluated by means of ultra-sonography in the 6th to 20th weeks. The analysis used Poisson regression with robust adjustment of variance, following the hierarchical model.The effect measure used was the preva-lence ratio (PR). Results: of the 2286 births included in the study, 11.8% (CI95%: 10.5-13.1) were LPBs. After adjusted analysis, the PRfor occurrence of LPB among black-skinned motherswas 1.40 (1.01-1.96) in relation to white-skinned women; 1.74 (1.23-2.45) among those who attended less than sixprenatal consults compared to those who attended nine or more; the PR was 1.36 (1.11-1.68) for those classified as depressives compared to others and 1.29 (1.01-1.65) for those undergoing caesarian. Conclusions: the results suggest the existence of inequality in relation to skin color and the important impact of the number ofprenatal consults on the outcome. More appropriately designed studies are needed to confirm the causal relation among maternal depression, caesarian and LPB.<hr/>Resumo Objetivos: descrever a prevalência de prematuridade tardia (PTT) e identificar fatores associados a sua ocorrência no município de Rio Grande, RS. Métodos: utilizou-se delineamento transversal com questionário aplicado a todas as puérperas residentes no município que tiveram filhos no ano de 2013. Considerou-se prematuridade o nascimento ocorrido entre a 34ª e 36ª semana gestacional avaliada preferencialmente por ultrassonografia da 6ª a 20ª semanas. Na análise utilizou-se regressão de Poisson com ajuste robusto da variância, obedecendo à modelo hierárquico A medida de efeito utilizada foi razão de prevalências (RP). Resultados: dentre os 2286 nascimentos incluídos no estudo, 11,8% (IC95%: 10,5-13,1) apresentavam PTT. Após analise ajustada, a RP para ocorrência de PTT entre mães de cor da pele preta foi de 1,40 (1,01-1,96) em relação aquelas de cor branca; de 1,74 (1,23-2,45) entre aquelas que fizeram menos de seis consultas de pré-natal em comparação às que realizaram nove ou mais; de 1,36 (1,11-1,68) se classificadas como depressivas e de 1,29 (1,01-1,65) para aquelas submetidas à cesariana em comparação às demais. Conclusões: os resultados sugerem existência de iniquidade em relação à cor da pele e importante impacto do número de consultas pré-natais sobre o desfecho. São necessários estudos com delineamento mais adequado para confirmar a relação causal entre depressão materna, cesariana e PTT. <![CDATA[Childbirth care in Brazil: a critical situation has not yet been overcome. 1999-2013]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-38292016000200129&lng=en&nrm=iso&tlng=en Abstract Objectives: to analyze the evolution of childbirth care in Brazil, between 1999-2013. Methods: a time-series ecological study, using data from Ministry of Health, Brazilian Institute of Geography and Statistics, and Interagency Network of Information for Health. 18 indicators were analyzed related to childbirth and mortality. Results: there was a reduction in rates of fertility, natality and the total number of births, with increased cesarean surgeries. Growth of prenatal consultation, intensive care beds and reduction of beds in obstetrics sector. The significant growth of caesarean deliveries, prenatal consultation coverage and concentration of births in hospitals occurred simultaneously with the growth: of preventable child deaths by adequate attention, management causes and appropriate delivery, prematurity; low weight; Down's syndrome; and the persistence of maternal deaths due to direct obstetric causes. Conclusions: persists hegemonic technocratic model of childbirth care without considering the observed changes in the profile of mothers and births, with slow reduction of perinatal and neonatal deaths and maintenance of high maternal mortality demonstrating that the critical situation of delivery care model in Brazil has not, yet, been overcome.<hr/>Resumo Objetivos: analisar a evolução da assistência ao parto no Brasil, entre 1999-2013. Métodos: foi realizado um estudo ecológico de séries temporais, utilizando dados dos sistemas de informações do Ministério da Saúde, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e Rede Interagencial de Informações para a Saúde. Analisaram-se 18 indicadores referentes aos nascimentos e óbitos. Resultados: percebeu-se redução da fecundidade, natalidade e número total de partos. Houve crescimento dos leitos em UTI adulto, e redução dos leitos de obstetrícia. Identificou-se aumento dos nascimentos entre mulheres com 40 anos e mais, com crescimento maior de 100% de primíparas nesse grupo etário, e 19% de nascimentos de mães adolescentes. O expressivo crescimento dos partos cesarianos, da cobertura de consultas pré-natal e hospitalização dos partos ocorreram simultaneamente com o crescimento: dos óbitos infantis preveníveis por adequada atenção na gestão e parto, da prematuridade; do baixo peso; da síndrome de Down; e da persistência das mortes maternas por causas obstétricas diretas. Conclusões: persiste hegemônico o modelo tecnocrático de assistência ao parto, frente às mudanças observadas no perfil das mães e nascimentos, com redução lenta dos óbitos perinatais e neonatais e manutenção de elevada mortalidade materna demonstrando que a situação crítica do modelo de assistência ao parto no Brasil ainda não foi superada. <![CDATA[Healthcare and unhealthy eating among children aged under two years: data from the National Health Survey, Brazil, 2013]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-38292016000200149&lng=en&nrm=iso&tlng=en Abstract Objectives: to examine indicators relating to access to child health care and markers of unhealthy patterns of eating in Brazilian children aged under two years and to set these in the context of the National Health System 's current child healthcare agenda. Methods: a descriptive cross-sectional study using data from the 2013 National Health Survey. Prevalences and confidence intervals of 95% (CI95%) were estimated for the total population, Brazilian macroregions and urban or rural location of household. Results: a first medical consult before the seventh day of life was reported in only 28.7% of children. Supervision of growth and child development was carried out primarily at basic health units (57.2%; CI95%: 54.8-59.6). Theneonatal screening, newborn hearing screening and red reflex tests were conducted with a frequency of 70.8% (CI95%: 69.0-72.7), 56.0% (CI95%: 53.8-58.3) and 51.1% (CI95%: 48.9-53.3), respectively. Disparities were found in preventive health care, with lower access among children living in rural households or in the North and Northeast regions. Soda consumption was reported for 32.3% and consumption of biscuits or cake for 60.8% of children,indicating premature introduction of unhealthy foods into the child's diet. Conclusions: the findingspoint to disparities in access to child healthcare and a high prevalence of unhealthy eating habits in infancy.<hr/>Resumo Objetivos: explorar indicadores de acesso à assistência em saúde infantil e de marcadores de padrões não saudável de alimentação em crianças brasileiras menores de dois anos e contextualizá-los na agenda atual de atenção à saúde da criança no Sistema Único de Saúde. Métodos: estudo transversal descritivo com dados da Pesquisa Nacional de Saúde de 2013. Estimaram-se as prevalências e intervalos de confiança de 95% (IC95%) para a população total, macrorregiões brasileiras e localização urbana ou rural do domicílio. Resultados: realização da primeira consulta médica até o sétimo dia foi referido para apenas 28,7% das crianças. O acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil foi realizado principalmente nas unidades básicas de saúde (57,2%; IC95%: 54,8-59,6). A frequência de realização dos testes do pezinho, orelhinha e olhinho foi de 70,8% (IC95%: 69,0-72,7), 56,0% (IC95%: 53,8-58,3) e 51,1% (IC95%: 48,9-53,3), respectivamente. Observam-se desigualdades nos cuidado preventivos em saúde, com menor acesso entre as crianças residentes em domicílios rurais e nas Regiões Norte e Nordeste. O consumo de refrigerantes foi referido para 32,3% e de biscoitos, bolacha ou bolo para 60,8% das crianças,apontando uma inoportuna introdução de alimentos não saudáveis na alimentação infantil. Conclusões: os achados apontam desigualdades de acesso à assistência infantil, assim como alta prevalência de comportamentos alimentares não saudáveis na infância. <![CDATA[Hospitalizations for conditions susceptible to primary care among children and adolescents in Minas Gerais, Brazil, 1999-2007]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-38292016000200169&lng=en&nrm=iso&tlng=en Abstract Objectives: to describe the evolution of rates of Hospitalizations for Conditions Susceptible to Primary Care (HCSPCs) in children and adolescents in Minas Gerais, testing the correlation with population coverage of the Family Health Strategy (FHS). Methods: an ecological study analyzing the evolution over time and correlation with rates of coverage of the FHS between 1999 and 2007. Analyses were carried out for three age groups: 0 - 4 years, 5 - 9 years and 10 - 19 years. Pearson's correlation coefficient was used with a level of significance of 5%. Results: the rates of HCSPAs were found to decline during the period studied. In the population aged 0 - 4 years, a decrease of 19.1% was observed. For the 5 - 9 and 10 - 19 year age groups, the rates fell by 0.6% and 18.5% respectively. There was no significant correlation between the decline in rates and increased FHS coverage. The main causes of hospitalization for all age groups were infectious gastroenteritis, bacterial pneumonia and asthma. Conclusions: despite the decrease observed, the lack of correlation between coverage and rates of HCSPA draws attention to the need for improvement in access to and better professional qualification for child and adolescent healthcare.<hr/>Resumo Objetivos: descrever a evolução das taxas das Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária (ICSAP) em crianças e adolescentes em Minas Gerais, testando a correlação com a cobertura populacional pela Estratégia Saúde da Família (ESF). Métodos: estudo ecológico, com análise da evolução temporal e correlação com as taxas de cobertura pela ESF entre 1999 a 2007. Foram realizadas análises para três faixas etárias: 0 a 4 anos, de 5 a 9 anos e de 10 a 19 anos. Utilizou-se o coeficiente de correlação de Pearson, admitindo-se um nível de significância de 5%. Resultados: as taxas de ICSAP mostraram declínio no período estudado. Na população de 0 a 4 anos, o declínio observado foi de 19,1%. Em relação às faixas etárias de 5 a 9 e de 10 a 19 anos, as taxas apresentaram reduções de 0,6% e 18,5%, respectivamente. Não houve correlação significativa do declínio das taxas com aumento da cobertura da ESF. As principais causas de internação em todas as faixas etárias foram gastroenterites infecciosas, pneumonias bacterianas e asma. Conclusões: apesar do declínio observado, a falta de correlação entre a cobertura e as taxas de ICSAP alerta para a necessidade de melhoria no acesso e melhor qualificação profissional para a atenção à saúde da criança e do adolescente. <![CDATA[Factors associated with non-adherence to prescribed iron supplement use: a study with pregnant women in the city of Rio de Janeiro]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-38292016000200189&lng=en&nrm=iso&tlng=en Abstract Objectives: to identify factors associated with non-use of iron supplements (IS) by pregnant women attending National Health System (SUS) prenatal care in the Municipality of Rio de Janeiro. Methods: a cross-sectional study was conducted in 2007/2008 with a representative sample of pregnant women using SUS hospitals and basic care in the Municipality of Rio de Janeiro. The group that had gestational age of ≥ 20 weeks at the time of the interview and who had been prescribed IS (n=1407) was subjected to a Poisson multiple regression model to estimate the association between use and independent variables. Results: of the 1407 pregnant women, 65% reported use of IS. Younger age, black skin/race, larger number of births, not having received guidance on use of IS, not having tried to obtain IS at the SUS (with a stronger association between pregnant women with lower levels of education and lower household assets indicator - HAI) and not having been able to obtain them at the SUS (amongpregnant women with lower HAI) were significantly associated with non-use. Conclusions: the guidance of health professionals regarding use of IS and their regular availability may increase adherence to prescription among pregnant women and prevent iron deficiency anemia.<hr/>Resumo Objetivos: identificar fatores associados ao não uso de suplemento de ferro (SF) por gestantes usuárias da atenção pré-natal do Sistema Único de Saúde (SUS) no Município do Rio de Janeiro. Métodos: foi conduzido um estudo seccional em 2007/2008 com amostra representativa de gestantes usuárias de unidades básicas e hospitais do SUS no Município do Rio de Janeiro. Com o grupo que tinha idade gestacional ≥20 semanas na entrevista e que recebeu prescrição para o uso do SF (n=1407), realizou-se um modelo de regressão de Poisson múltiplo para estimar a associação entre o uso e variáveis independentes. Resultados: entre as 1407 gestantes, 65% referiram o uso do SF. Idade mais jovem, raça/cor preta, maior número de partos, não ter recebido orientação para o uso do SF, não ter tentado obter SF no SUS (com maior força de associação entre as gestantes de menor escolaridade e menor indicador de bens - IB) e não ter conseguido obtê-lo no SUS (entre gestantes com menor IB) associaram-se significativamente ao seu não uso. Conclusões: as orientações dos profissionais de saúde para o uso do SF e sua disponibilidade regular podem aumentar a adesão à prescrição entre as gestantes e prevenir a anemia por deficiência de ferro.