Scielo RSS <![CDATA[Biota Neotropica]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1676-060320180003&lang=pt vol. 18 num. 3 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Biodiversity at risk in the Americas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032018000300101&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Nicho isotópico dos bagres Bagre bagre e Genidens barbus em área costeira do sudeste do Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032018000300201&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract: The isotopic niche of Bagre bagre and Genidens barbus target of commercial fisheries in a marine coastal area from northern Rio de Janeiro State (~21ºS), south-eastern Brazil was compared to evaluate the feeding assimilation and the trophic relationship. The mean isotopic values of the catfishes and their food items in the δ13C-δ15N space were coherent with their respective trophic positions. The relative contributions of the food items highlighted the shrimp Xiphopenaeus kroyeri as the most assimilated item in the diet of B. bagre, while for G. barbus the model highlighted the fish Porichthys porosissimus. The absence of niche overlap together with the trophic evenness point to a reduced feeding overlap between B. bagre and G. barbus in northern Rio de Janeiro State.<hr/>Resumo: O nicho isotópico de Bagre bagre e Genidens barbus alvos de pescarias comerciais em uma área costeira marinha do norte do estado do Rio de Janeiro (~21ºS), sudeste do Brasil, foi comparado para avaliar a assimilação alimentar e a relação trófica. Os valores isotópicos médios dos bagres e de seus itens alimentares em δ13C-δ15N foram coerentes com suas respectivas posições tróficas. As contribuições relativas dos itens alimentares destacaram o camarão Xiphopenaeus kroyeri como o item mais assimilado na dieta de B. bagre, enquanto para G. barbus o modelo destacou o peixe Porichthys porosissimus. A ausência de sobreposição de nicho juntamente com a uniformidade trófica aponta para uma sobreposição alimentar reduzida entre B. bagre e G. barbus no norte do estado do Rio de Janeiro. <![CDATA[Distribuição e conservação das espécies de <em>Aniba</em> Aubl. (Lauraceae Jussieu) no Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032018000300202&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract: This study conducts a biogeographical review of Aniba in Brazil, including its actual and potential distribution, and a review on the species conservation status. The potential distribution of each Aniba species was modeled using the Brazilian Plants and Fungi Biogeography system, which is interconnected with the SpeciesLink network. A consensus model based on up to five algorithms was used to model the potential distribution of each species. The endemism, conservation status and rarity of each species in Brazil were also analyzed. A total of 3059 records of 30 Brazilian Aniba species were found. In total, 16.1% of the records were excluded because of the lack of valid names, and 53.4% were excluded because of the lack of georeference and name of the person who identified the record. The consensus model showed good results for species with 20 or more pixels. The other species had many errors, and their models could only be used to determine new areas for collections. Nine species were endemic to Brazil, and only three species showed no indicator of rarity. The geographical distribution of Brazilian Aniba species shows a predominantly Amazonian pattern. Only four species are not actually found in the Amazon. Some Amazonian species may also be found in Atlantic Forest areas, and many other species have the potential to live there. Our results indicate that only three species have no conservation problems, whereas 14 species have conservation problems, and 13 other species require further population studies to be best evaluated.<hr/>Resumo: Este estudo objetiva apresentar uma revisão biogeográfica de Aniba no Brasil, incluindo a distribuição real e potencial, além de uma revisão sobre o estado de conservação das espécies. A distribuição potencial de cada espécie de Aniba foi modelada através do sistema Biogeografia da Flora e Fungos do Brasil (Biogeo), interligado à Rede SpeciesLink que integra em tempo real dados primários de coleções científicas com os quais foram estabelecidas a distribuição real das espécies. Um modelo de consenso, baseado em até cinco algoritmos, foi usado para modelar a distribuição potencial de cada espécie. Também foram analisadas a situação de endemismo no Brasil, o estado de conservação e raridade de cada espécie. Foram encontrados 3059 registros de 30 espécies de Aniba no Brasil. Em média houve uma perda 16,1% dos registros por falta de nomes válidos e 53,4% dos registros por falta de georreferenciamento e identificador. A avaliação do modelo consenso mostrou bons resultados para as espécies com 20 ou mais pixels, as demais espécies apresentaram muitos erros; sendo que seus modelos servem apenas para orientar novas áreas para coletas. Nove espécies são endêmicas do Brasil. Apenas três espécies não apresentaram nenhum indicador de raridade. A distribuição geográfica das espécies de Aniba no Brasil mostra um padrão predominante amazônico. Apenas quatro espécies não possuem ocorrência conhecida na Amazônia. Algumas espécies amazônicas também podem ser encontradas em áreas da Mata Atlântica e muitas outras apresentam potencial para ocorrer lá. Nossos resultados indicam que apenas três espécies não possuem nenhum problema referente à conservação, 14 espécies possuem problemas e 13 outras espécies necessitam de mais estudos populacionais para melhor serem avaliadas. <![CDATA[Anfíbios anuros do estado do Paraná, sul do Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032018000300203&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract: The state of Paraná, located in southern Brazil, was originally covered almost entirely by the Atlantic Forest biome, with some areas of Cerrado savanna. In the present day, little of this natural vegetation remains, mostly remnants of Atlantic Forest located in the coastal zone. While some data are available on the anurans of the state of Paraná, no complete list has yet been published, which may hamper the understanding of its potential anuran diversity and limit the development of adequate conservation measures. To rectify this situation, we elaborated a list of the anuran species that occur in state of Paraná, based on records obtained from published sources. We recorded a total of 137 anuran species, distributed in 13 families. Nineteen of these species are endemic to the state of Paraná and five are included in the red lists of the state of Paraná, Brazil and/or the IUCN. Two anuran species were categorized as Near Threatened by the IUCN and 27 species were listed as Data Deficient in one or more lists. According to IUCN 49.6% of the anuran species recorded had their population trends stable, 19% in declined, only 1.4% is increased and 20.4% had your population trends unknown. We also recorded the occurrence in Paraná of the exotic invader anuran Lithobates catesbeianus. We consider our list of species to be a relatively reliable estimate of the anuran diversity of the Brazilian state of Paraná, although new species records are expected, mainly because there are many regions that have not yet been sampled.<hr/>Resumo: O estado do Paraná, localizado no sul do Brasil, originalmente possuía praticamente toda sua área coberta pelo bioma Mata Atlântica com algumas porções do bioma Cerrado. Atualmente, pouco resta das formações destes biomas, sendo a maior parte remanescentes florestais de Mata Atlântica, localizados na região costeira do Estado. Apesar de haver estudos sobre anuros no estado do Paraná, até então nenhum deles proveu uma lista dos anuros com ocorrência no Estado, o que pode dificultar o conhecimento sobre a potencial diversidade de anuros e restringir medidas de conservação. A partir dessa lacuna, elaboramos uma lista das espécies de anuros com registro para o Paraná, a partir de dados de estudos publicados. Registramos um total de 137 espécies de anuros, pertencentes a 13 famílias. Dentre estas, 19 espécies de anuros são endêmicas do estado do Paraná e cinco encontram-se relacionadas sob algum grau de ameaça de extinção na lista vermelha do estado do Paraná, do Brasil e/ou da lista global da IUCN. Duas espécies de anuros foram categorizadas como Quase Ameaçada pela IUCN e 27 espécies foram listadas como Dados Insuficientes nestas listas. De acordo com a IUCN, 49,6% das espécies de anuros registradas apresentaram tendências populacionais estáveis, 19% diminuíram, apenas 1,4% aumentaram e 20,4% apresentaram tendências de sua populações desconhecidas. Registramos também a ocorrência do anuro exótico e invasor Lithobates catesbeianus para diferentes áreas do estado do Paraná. Consideramos nossa lista de espécies uma estimativa relativamente confiável da diversidade de anuros do estado brasileiro do Paraná, embora sejam esperados novos registros de espécies, principalmente porque existem muitas regiões que ainda não foram amostradas. <![CDATA[Ictiofauna da bacia do rio Mamanguape, Nordeste, Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032018000300204&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract: The Mamanguape River Basin is located in a peripheral semi-arid area of South America, with its headwaters and middle reaches running through the Caatinga (from wetter to drier) and its lower reaches through the Atlantic Forest. The objective of this study was to inventory the fish fauna of the Mamanguape river basin through a comprehensive sampling and to discuss its ichthyofaunal dominance pattern. Sampling was conducted between 2015 and 2016 at 38 points throughout. The main river course was sampled at 18 fixed points during two expeditions (dry and wet seasons) using traw nets, cast nets, and dip nets, with a standardized effort. The tributaries were sampled during the dry season at 20 points using an adaptaptation of the AquaRAP methodology. A total of 32 freshwater fish species belonging to 26 genera, 16 families and six orders were recorded, predominantly from the order Characiformes and the family Characidae. Astyanax fasciatus had widest distribution and greatest abundance in the basin. Siluriformes were the second most prevalent order, with five species recorded. Cichla cf. monoculus, Poecilia reticulata and Oreochromis niloticus were non-native records for the basin. Apareiodon davisi, an Endangered species, was recorded.<hr/>Resumo: A bacia do rio Mamanguape está situada numa área periférica do semiárido, suas nascentes e porção média correndo em área de domínio da Caatinga - de mais úmida a mais seca, e sua porção baixa em área de Mata Atlântica. O estudo teve por objetivo inventariar a fauna de peixes da bacia do rio Mamanguape, através de uma amostragem abrangente de suas drenagens, e discutir o padrão de dominância de sua ictiofauna. O trabalho de coleta foi realizado entre os anos de 2015 e 2016, em 38 pontos distribuídos em toda a bacia. Dezoito pontos foram amostrados ao longo do curso principal do rio (Pontos Fixos), em duas expedições (seca e cheia), através de arrasto, tarrafa e puçá, com esforço padronizado. Os afluentes foram amostrados durante a estação seca, em 20 pontos, utilizando-se uma adaptação da metodologia AquaRap. Foram registradas 32 espécies de peixes de água doce pertencentes a 26 gêneros, 16 famílias e seis ordens, com predominância da ordem Characiformes e da família Characidae, sendo Astyanax fasciatus a espécie de maior distribuição e abundância na bacia. Siluriformes foi a segunda ordem de maior predominância, com cinco espécies. Cichla cf. monoculus, Oreochromis niloticus e Poecilia reticulata constituíram registros de introdução na bacia; foi registrada Apareiodon davisi, uma espécie ameaçada de extinção (Em Perigo). <![CDATA[<em>Gomphonema</em> Ehrenberg (Bacillariophyceae, Gomphonemataceae) do rio São Francisco Falso, Paraná, Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032018000300205&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract: Gomphonema Ehrenberg is a genus well represented in periphytic algal flora of epicontinental environments. The substrate colonization is facilitated by the secretion of mucilage by the pore field, allowing cell adhesion. Samples were scraped off and analyzed from vegetative portions of the macrophyte Eichhornia azurea Kunth, collected in São Francisco Falso River, located in Santa Helena City, Paraná State. The sampling occurred in four different sites, in four different periods, totaling 16 samples. The quantitative material analysis resulted in 28 identified taxa, in which Gomphonema brasiliense ssp. pacificum, Gomphonema neoapiculatum Lange-Bertalot, Reichardt &amp; Metzeltin Gomphonema pantropicum Reichardt and Gomphonema perapicatum Metzeltin &amp; Lange-Bertalot represented pioneer citations for Paraná diatomflorula. The ultrastructure observations of some species were crucial to distinguish a few taxa, as Gomphonema brasiliense and Gomphonema brasiliensoide D. Metzeltin, Lange-Bertalot &amp; F. García-Rodríguez. We suggest future studies in this environment, once it has propitious characteristics to the development of epilithic diatoms. Moreover, phylogenetic studies are also recommended for a better distinction of taxa with a wide morphologic variation.<hr/>Resumo: Gomphonema Ehrenberg é um gênero bem representado na flora algal perifítica de ambientes epicontinentais. A colonização de substratos é facilitada pela secreção de mucilagem pelo campo de poros permitindo a adesão das células. As amostras analisadas foram removidas das porções vegetativas da macrófita Eichhornia azurea Kunth, coletadas no rio São Francisco Falso, localizado no município de Santa Helena, Paraná. As coletas ocorreram em quatro estações de amostragem, em quatro períodos diferentes, totalizando 16 amostras. A análise qualitativa do material resultou na identificação de 28 táxons, sendo que Gomphonema brasiliense ssp. pacificum, Gomphonema neoapiculatum Lange-Bertalot, Reichardt &amp; Metzeltin Gomphonema pantropicum Reichardt e Gomphonema perapicatum Metzeltin &amp; Lange-Bertalot constituíram citações pioneiras para a diatomoflórula do Paraná. As observações da ultra-estrutura de algumas espécies foram decisivas para distinção entre alguns táxons, como por exemplo, Gomphonema brasiliense Grunow e Gomphonema brasiliensoide D. Metzeltin, Lange-Bertalot &amp; F. García-Rodríguez. Sugerem-se futuros estudos desse ambiente, uma vez que o mesmo possui características propícias ao desenvolvimento de diatomáceas epilíticas, além de estudos filogenéticos para melhor distinção dos táxons com ampla variação morfológica. <![CDATA[Diagnóstico, presença de endoparasitas e conhecimento local sobre a infestação do caracol gigante exótico africano (gastropoda: pulmonata: achatinidae), na zona urbana de Rio Branco, Acre, Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032018000300206&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract The giant African land snail, Lissachatina fulica is considered to be one of the world's worst invader species. This snail can provoke major economic and public health problems in urban areas, in particular as a potential vector of nematodes that infect both humans and animals. In this context, the present study investigated the extent of the infestation of this exotic snail in the urban neighborhoods of the city of Rio Branco, verified the presence of endoparasites in these snails, and evaluated the knowledge of local residents with regard to the presence of this invader species. For this, daytime surveys were conducted between August 2015 and June 2016. For the analysis of endoparasites, 44 live specimens were sent to the National Reference Laboratory for Schistosomiasis-Malacology (LRNEM) of the Oswaldo Cruz Institute (FIOCRUZ). The knowledge of local residents in the infested neighborhoods was investigated using questionnaires with direct, closed questions. The exotic invader species (L. fulica) was detected in 24 of the 36 neighborhoods visited. A total of 858 L. fulica specimens were collected, of which, 329 were alive and 527 were dead. The total length of the shell ranged from 0.7 to 14.2 cm, with a mean±standard deviation of 4.8±2.21 cm. The density of snails in the areas surveyed varied from 0.34 individuals/m2 to 3.54 individuals/m2, while the mean density within the whole study area was estimated to be 0.54 individuals/m2. Mature eggs were found in only 9 (2.7%) of the 329 specimens dissected. The endoparasitological analysis revealed the presence of rhabditiform larvae in 84% of the specimens examined, as well as the nematodes Aelurostrongylus abstrusus (22.7% of the specimens) and Strongyluris sp. (2.2%). A total of 39 local residents were interviewed, and while all were conscious of the presence of the mollusk, none knew its origin or the most adequate way of dealing with it. The results of the study indicate an ample infestation of the city of Rio Branco by L. fulica, and confirmed a complete lack of intervention on the part of the local authorities for the implementation of measures foe the control and management of this pest within the urban zone of Rio Branco.<hr/>Resumo Conhecido como caracol gigante africano a espécie Lissachatina fulica é considerada uma das piores espécies invasoras do mundo. Em áreas urbanas pode causar grandes problemas econômicos e para a saúde pública por ser um potencial vetor de nematódeos de interesse médico e veterinário. Desta forma, o presente trabalho teve como objetivos averiguar a extensão da infestação do caracol exótico nos bairros da zona urbana da cidade de Rio Branco; verificar a presença de endoparasitos, bem como avaliar o conhecimento da população local em relação a presença desta espécie invasora. Para isso, foram realizadas coletas diurnas no período de agosto de 2015 a junho de 2016. Para verificar a presença de endoparasitos foram enviados 44 indivíduos vivos ao Laboratório de Referência Nacional para Esquistossomose-Malacologia (LRNEM) da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ). A avaliação do grau de conhecimento dos moradores dos bairros infestados deu-se pela utilização de questionários com perguntas fechadas e diretas. A espécie exótica e invasora (L. fulica) foi detectada em 24 dos 36 bairros visitados. Dos 858 indivíduos coletados, 329 estavam vivos e 527 mortos. O comprimento total das conchas variou de 0,7 a 14,2 cm com uma média±desvio padrão de 4,8±2,21 cm. A densidade de indivíduos nas áreas amostradas variou do mínimo de 0,34 ao máximo de 3,54 indivíduos/m2 enquanto que a densidade média de espécimes tendo como base a área total amostrada foi de 0,54 indivíduos/m2. Somente em 2,7% (9) dos 329 espécimes dissecados foram encontrados ovos maduros. A busca por endoparasitos revelou a presença larvas rabditiformes em 84% dos espécimes investigados além dos nematódeos Aelurostrongylus abstrusus (22,7%) e Strongyluris sp. (2,2%). Ao todo foram entrevistados 39 moradores, onde verificou-se que eles têm consciência da presença do molusco mas desconhecem sua origem e a forma de manejá-lo adequadamente. Nossos resultados apontam para uma ampla infestação da espécie L. fulica na cidade de Rio Branco e constata a total ausência do poder público no que diz respeito a implementação de medidas de controle e manejo desta praga nos limites da cidade. <![CDATA[Flora da Paraíba, Brasil: subfamílias Ajugoideae e Viticoideae (Lamiaceae)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032018000300301&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract: The Lamiaceae family includes about 7,000 species allocated in 236 genera, with almost cosmopolitan distribution, currently divided into nine subfamilies. In Brazil 46 genera and 525 species occur, distributed in four subfamilies. Among these subfamilies, Ajugoideae and Viticoideae were originally parts of the Verbenaceae family, being transferred to Lamiaceae as a result of several systematic studies on the two families. Ajugoideae is characterized by having drupes with four mericarps, non-persistent styles and pollen grains with exine formed by granular and branched columns. On the other hand, Viticoideae is characterized to have drupes with 4-locular pyrenes or 2 2-locular pyrenes and exine microreticulate or slightly rough. We present here the results of a taxonomic survey of the subfamilies Ajugoideae and Viticoideae (Lamiaceae) for Paraíba State, Brazil, based on excursions to collect fertile material, analyses of specimens incorporated into herbaria in Paraíba (ACAM, CSTR, EAN and JPB) and Pernambuco State (IPA and PEUFR), and consultations of the SpeciesLink and Herbário Virtual REFLORA databases. Identifications were based on the specialized literature and the examination of type and protolog specimens. Ten species belonging to three genera, five belonging to the subfamily Ajugoideae (Aegiphila integrifolia (Jacq.) Moldenke, A. luschnathii Schauer, A. pernambucensis Moldenke, A. verticillata Vell. and Amasonia campestris (Aubl.) Moldenke) and five to the subfamily Viticoideae (Vitex gardneriana Schauer, V. megapotamica (Spreng.) Moldenke, V. orinocensis Kunth, V. rufescens A. Juss. and V. schaueriana Moldenke) were recorded. The taxonomic treatment includes a key to identify genera and species, descriptions, illustrations, taxonomic comments, geographic distribution, habitats and phenological data of the species.<hr/>Resumo: A família Lamiaceae engloba cerca de 7.000 espécies alocadas em 236 gêneros, com distribuição quase cosmopolita, atualmente dividida em nove subfamílias. No Brasil ocorrem 46 gêneros e 525 espécies, distribuídas em quatro subfamílias. Dentre estas subfamílias, Ajugoideae e Viticoideae eram originalmente partes da família Verbenaceae, sendo transferidas para Lamiaceae como resultado de diversos estudos sistemáticos sobre as duas famílias. Ajugoideae caracteriza-se por possuir drupas com quatro mericarpos, estiletes não persistentes e grãos de pólen com exina formada por colunas granulares e ramificadas. Por outro lado, Viticoideae caracteriza-se por possuir drupas com um pirênio 4-locular ou 2 pirênios 2-loculares e exina microrreticulada ou levemente rugosa. O presente trabalho compreende o levantamento taxonômico das subfamílias Ajugoideae e Viticoideae (Lamiaceae) para o estado da Paraíba, Brasil. O estudo foi baseado em espécimes coletados em campo, na análise de coleções depositadas nos herbários ACAM, CSTR, EAN, IPA, JPB e PEURF) e na consulta às bases de dados SpeciesLink e Herbário Virtual REFLORA. Foram registradas 10 espécies em três gêneros, sendo cinco pertencentes à subfamília Ajugoideae (Aegiphila integrifolia (Jacq.) Moldenke, A. luschnathii Schauer, A. pernambucensis Moldenke, A. verticillata Vell. e Amasonia campestris (Aubl.) Moldenke) e cinco à subfamília Viticoideae (Vitex gardneriana Schauer, V. megapotamica (Spreng.) Moldenke, V. orinocensis Kunth., V. rufescens A. Juss. e V. schaueriana Moldenke). O tratamento taxonômico inclui uma chave para identificação dos gêneros e das espécies, descrições, ilustrações, comentários taxonômicos, distribuição geográfica, hábitats e dados fenológicos das espécies. <![CDATA[Ictiofauna do Ribeirão Frutal e afluentes, bacia do alto Rio Paraná, Minas Gerais, Sudeste do Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032018000300302&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract: The Ribeirão Frutal basin is located within the upper Rio Paraná system, in the Frutal municipality, Minas Gerais State, Southeastern Brazil. Until now, there was no complete ichthyological survey published for this small basin. Therefore, here we provided a list of fish species from the Ribeirão Frutal and some of its tributaries. We found 31 species of fishes representing five orders and ten families. We identify a likely undescribed and five non-native species in the Frutal basin. Lastly, we recommend new surveys of fishes in small hydrographic basins within upper Rio Paraná system.<hr/>Resumo: A bacia do Ribeirão Frutal está localizada no sistema do alto Rio Paraná, no município de Frutal, Estado de Minas Gerais, Sudeste do Brasil. Até o momento, não existe publicação de um levantamento ictiológico completo para essa bacia. Portanto, aqui fornecemos uma lista das species de peixes do Ribeirão Frutal e alguns de seus tributários. Nós encontramos 31 espécies de peixes representando cinco ordens e 10 famílias. Identificamos uma provável espécie não descrita e cinco não nativas na bacia do Frutal. Por fim, recomendamos novos levantamentos de peixes em pequenas bacias hidrograficas do sistema do alto Rio Paraná. <![CDATA[Malpighiaceae na Ecorregião Raso da Catarina, Bahia, Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032018000300303&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract This study presents a floristic survey of Malpighiaceae species from in the Raso da Catarina Ecoregion in the state of Bahia, Brazil. After extensive field and herbarium studies, we identified 18 genera and 32 species of Malpighiaceae in the study area: Aspicarpa harleyi W.R.Anderson, Banisteriopsis C.B.Rob. (3 spp.), Barnebya harleyi W.R.Anderson &amp; B.Gates, Bronwenia ferruginea (Cav.) W.R.Anderson &amp; C.C.Davis, Bunchosia pernambucana W.R.Anderson, Byrsonima Rich. ex Kunth (4 spp.), Carolus chasei (W.R.Anderson) W.R.Anderson, Diplopterys lutea (Griseb.) W.R.Anderson &amp; C.C.Davis, Galphimia brasiliensis (L.) A.Juss., Heteropterys Kunth (5 spp.), Janusia anisandra (A.Juss.) Griseb., Mascagnia Bertero (2 spp.), Mcvaughia bahiana W.R.Anderson, Peixotoa hispidula A.Juss., Ptilochaeta Turcz. (2 spp.), Stigmaphyllon A.Juss. (3 spp.), Tetrapterys Cav. (2 spp.) and Thryallis longifolia Mart. Among the species recorded, three represent new records for the Caatinga biome, 25 are endemic to Brazil, and six are exclusive to the Caatinga. We present an identification key to all species, comments on morphology, taxonomy, distribution and phenology, besides illustrations to most species.<hr/>Resumo Este estudo apresenta o levantamento florístico das espécies de Malpighiaceae na Ecorregião Raso da Catarina, no estado da Bahia, Brasil. Após extensos estudos de campo e herbário, identificamos 18 gêneros e 32 espécies de Malpighiaceae na área de estudo: Aspicarpa harleyi W.R.Anderson, Banisteriopsis C.B.Rob. (3 spp.), Barnebya harleyi W.R.Anderson &amp; B.Gates, Bronwenia ferruginea (Cav.) W.R.Anderson &amp; C.C.Davis, Bunchosia pernambucana W.R.Anderson, Byrsonima Rich. ex Kunth (4 spp.), Carolus chasei (W.R.Anderson) W.R.Anderson, Diplopterys lutea (Griseb.) W.R.Anderson &amp; C.C.Davis, Galphimia brasiliensis (L.) A.Juss., Heteropterys Kunth (5 spp.), Janusia anisandra (A.Juss.) Griseb., Mascagnia Bertero (2 spp.), Mcvaughia bahiana W.R.Anderson, Peixotoa hispidula A.Juss., Ptilochaeta Turcz. (2 spp.), Stigmaphyllon A.Juss. (3 spp.), Tetrapterys Cav. (2 spp.), e Thryallis longifolia Mart. Entre as espécies catalogadas, três são novos registros para o bioma Caatinga, 25 são endêmicas do Brasil e seis são exclusivas da Caatinga. Apresentamos chave de identificação para todas as espécies, comentários sobre morfologia, taxonomia, distribuição e fenologia, além de ilustrações para a maioria espécies. <![CDATA[Fauna de peixe em riachos florestados e rurais de uma ecoregião de alto endemismo, bacia do baixo rio Iguaçu, Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032018000300304&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract The fish fauna of eight streams with different land uses of their watersheds (forested and rural areas) in the lower Iguaçu River basin was inventoried, in order to evaluate the composition and species richness. The fishes were sampled quarterly from May 2015 to February 2016, using the electrofishing technique. In total, 4,239 individuals were captured, belonging to six orders, 11 families and 26 species. The orders Siluriformes and Characiformes, and the families Characidae and Trichomycteridae were the most specious. Of the total species sampled, 65% were endemic to the Iguaçu River basin, four are not described and four are non-native. As expected to the Iguaçu River basin, the inventoried fauna revealed low richness and high endemism, however was highly nested within the species composition reported for main channel of Iguaçu River and their larger tributaries. The species recorded here corresponded to a subset of 24.5% of the 106 species documented for the basin. The streams presented different faunas, with only two species (Astyanax bifasciatus and Trichomycterus stawiarski) common to both forested and rural streams. In addition, higher species richness was recorded in streams inserted in conservation units. The presence of non-native species was more frequent in rural streams. These results highlight the importance of the preservation of forested areas in the watersheds of lower Iguaçu, which presents a peculiar fish fauna, along with several threats to biodiversity such as habitat loss by intensive agriculture use.<hr/>Resumo A fauna de peixes foi inventariada em oito riachos com diferentes usos do entorno (áreas florestadas e rurais) na porção do baixo rio Iguaçu, em ordem para avaliar possíveis diferenças na composição e riqueza de espécies. Os peixes foram amostrados trimestralmente entre maio de 2015 e fevereiro de 2016, por meio da técnica de pesca elétrica. No total foram capturados 4239 indivíduos, pertencentes a seis ordens, 11 famílias e 26 espécies. As ordens Siluriformes e Characiformes foram as mais especiosas, assim como as famílias Characidae e Trichomycteridae. Do total de espécies amostradas, 65% foram endêmicas da bacia do rio Iguaçu, quatro foram não descritas e outras quatro foram não-nativas. Como esperado para a bacia do rio Iguaçu, a fauna inventariada revelou baixa riqueza e elevado endemismo, contudo, foi altamente aninhada dentro da composição de espécies relatada para o canal principal do rio Iguaçu e seus grandes tributários. As espécies aqui registradas corresponderam a um subconjunto de espécies de 24,5% das 106 documentadas para a bacia. Os riachos apresentaram faunas distintas, sendo que apenas duas espécies (Astyanax bifasciatus e Trichomycterus stawiarski) foram comuns a ambos os grupos de riachos florestados e rurais. Além disso, houve maior riqueza de espécies em riachos florestados. A presença de espécies não nativas foi maior em riachos rurais. Esses resultados ressaltam a importância da preservação de áreas florestadas nas bacias do baixo rio Iguaçu, as quais apresentam uma fauna de peixes peculiar, com várias ameaças para a biodiversidade tais como a perda de habitat por intensivo uso do solo pela agricultura. <![CDATA[Estaríamos subestimando o impacto de estradas sobre espécies arborícolas? Atropelamento de fauna como uma importante ameaça para <em>Chaetomys subspinosus</em> (Mammalia: Rodentia)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032018000300501&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract: The Thin-spined Porcupine (Chaetomys subspinosus) is a medium-sized and mainly arboreal rodent, endemic to the Brazilian Atlantic Forest, and threatened with extinction. Habitat loss, hunting, forest fires, agriculture and livestock are threats identified for the species. Here we raise the alert to the impact of roads on remaining populations of C. subspinosus based on roadkill records from the state of Espírito Santo, southeastern Brazil. Mortality due to roadkill is likely to impact C. subspinosus in different regions of the state, and is a widespread problem, not unique to a single location or population. The pattern of roadkills in the studied regions suggest that the species is more susceptible to collisions with vehicles in the breeding period. Additionally, concrete barriers that divide lanes on highways seens to increase the likelihood of roadkill for Thin-spined Porcupines. We recommend that roadkill should be included in the list of threats to C. subspinosus in the Espírito Santo. Mortality due to roadkill is probably relevant also for populations in the states of Bahia and Sergipe, and it should be evaluated locally. The installation of road-crossing structures for wildlife, such as arboreal overpasses, is recommended on roads crossing or close to protected areas with C. subspinosus presence in Espírito Santo and elsewhere.<hr/>Resumo: O ouriço-preto (Chaetomys subspinosus) é um roedor essencialmente arborícola, de médio porte, endêmico da Mata Atlântica brasileira. Atualmente está classificado como Vulnerável à extinção. Perda de habitat, caça, incêndios florestais, agricultura e pecuária são identificados como ameaças para a espécie. A presente comunicação alerta para o impacto de estradas sobre as populações remanescentes de C. subspinosus com base em registros de atropelamento obtidos no estado do Espírito Santo, sudeste do Brasil. Os registros aqui apresentados indicam que a morte de espécimes devido a atropelamentos afeta populações de C. subspinosus em diferentes regiões do estado, sendo um problema generalizado, não consistindo em ameaça para uma única localidade ou população. O padrão observado nas regiões estudadas sugere que a espécie é mais suscetível a atropelamentos durante o período reprodutivo. Além disso, a presença de barreiras de concreto dividindo as faixas das rodovias parece aumentar a ocorrência de atropelamentos de ouriços-pretos. Recomenda-se que o atropelamento de espécimes seja incluído entre as ameaças à conservação de C. subspinosus no Espírito Santo, podendo representar uma ameaça relevante para a espécie também nos estados da Bahia e Sergipe, o que deve ser avaliado localmente. A instalação de estruturas para transposição rodoviária pela fauna, como passagens aéreas, é recomendada para estradas que atravessam ou que estão associadas a áreas protegidas com confirmação da presença de C. subspinosus no Espírito Santo e em outros estados. <![CDATA[Erratum: Biological survey of a cloud forest in southwestern Mexico: plants, amphibians, reptiles, birds, and mammals]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032018000300901&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract: The Thin-spined Porcupine (Chaetomys subspinosus) is a medium-sized and mainly arboreal rodent, endemic to the Brazilian Atlantic Forest, and threatened with extinction. Habitat loss, hunting, forest fires, agriculture and livestock are threats identified for the species. Here we raise the alert to the impact of roads on remaining populations of C. subspinosus based on roadkill records from the state of Espírito Santo, southeastern Brazil. Mortality due to roadkill is likely to impact C. subspinosus in different regions of the state, and is a widespread problem, not unique to a single location or population. The pattern of roadkills in the studied regions suggest that the species is more susceptible to collisions with vehicles in the breeding period. Additionally, concrete barriers that divide lanes on highways seens to increase the likelihood of roadkill for Thin-spined Porcupines. We recommend that roadkill should be included in the list of threats to C. subspinosus in the Espírito Santo. Mortality due to roadkill is probably relevant also for populations in the states of Bahia and Sergipe, and it should be evaluated locally. The installation of road-crossing structures for wildlife, such as arboreal overpasses, is recommended on roads crossing or close to protected areas with C. subspinosus presence in Espírito Santo and elsewhere.<hr/>Resumo: O ouriço-preto (Chaetomys subspinosus) é um roedor essencialmente arborícola, de médio porte, endêmico da Mata Atlântica brasileira. Atualmente está classificado como Vulnerável à extinção. Perda de habitat, caça, incêndios florestais, agricultura e pecuária são identificados como ameaças para a espécie. A presente comunicação alerta para o impacto de estradas sobre as populações remanescentes de C. subspinosus com base em registros de atropelamento obtidos no estado do Espírito Santo, sudeste do Brasil. Os registros aqui apresentados indicam que a morte de espécimes devido a atropelamentos afeta populações de C. subspinosus em diferentes regiões do estado, sendo um problema generalizado, não consistindo em ameaça para uma única localidade ou população. O padrão observado nas regiões estudadas sugere que a espécie é mais suscetível a atropelamentos durante o período reprodutivo. Além disso, a presença de barreiras de concreto dividindo as faixas das rodovias parece aumentar a ocorrência de atropelamentos de ouriços-pretos. Recomenda-se que o atropelamento de espécimes seja incluído entre as ameaças à conservação de C. subspinosus no Espírito Santo, podendo representar uma ameaça relevante para a espécie também nos estados da Bahia e Sergipe, o que deve ser avaliado localmente. A instalação de estruturas para transposição rodoviária pela fauna, como passagens aéreas, é recomendada para estradas que atravessam ou que estão associadas a áreas protegidas com confirmação da presença de C. subspinosus no Espírito Santo e em outros estados.