Scielo RSS <![CDATA[Biota Neotropica]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1676-060320160003&lang=pt vol. 16 num. 3 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Algas perifíticas em lago e rio de planície de inundação sob condições de águas baixas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032016000300201&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Drought events will become more frequent due the climate change. In floodplains, periphytic algae are responsible for part of the primary production, are the principal source of organic carbon deposition, play an important role in mineralization and nutrient cycling, and are the base of the food web for many organisms. As algae distribution in aquatic environments is a strong indicator of physical and chemical conditions of the sites, we aimed to determine the structure of periphytic algae in lentic and lotic environments during drought conditions and to uncover the main local abiotic factors in community structuring. We hypothesized diatoms would be more frequent than green algae and desmids at both sites, due to their resistance characteristics, and that higher periphyton algal richness, density and diversity would occur in the lake due to the greater availability of nutrients and the absence of flow. The study was carried out in the Finado Raimundo lake and the Ivinhema river in the Upper Paraná river floodplain during the low water period of 2011. Petioles of the aquatic macrophyte Eichhornia azurea (Sw.) Kunth were used as a substrate for periphytic algae. We found a total of 171 species, 104 species in the lake and 80 in the river. Diatoms were predominant at both sites due to their strategic traits, and between sites, there were different patterns in the periphytic algal community structure, owing to the distinctive physical and chemical characteristics of the lake and the river. Achnanthidium minutissimum (Kützing) Czarnecki and Nitzschia palea (Kützing) W. Smith were the most abundant species in both environments. Our results showed patterns of periphytic algae in a floodplain during drought conditions, which will assist in understanding their structuring during future drought scenarios.<hr/>Resumo Eventos de seca serão mais frequentes, devido as mudanças climáticas. Em planícies de inundação, as algas perifíticas são responsáveis por parte da produção primária, são a principal fonte de deposição de carbono orgânico, desempenham um papel importante na mineralização e ciclagem de nutrientes, e são a base da cadeia alimentar de muitos organismos. Considerando que a distribuição de algas nos ambientes aquáticos é uma forte indicadora das condições físicas e químicas dos locais, objetivamos determinar a estrutura de algas perifíticas em ambientes lênticos e lóticos em condições de seca e de descobrir os principais fatores abióticos locais na estruturação da comunidade. Nossa hipótese é que as diatomáceas seriam mais frequentes do que as algas verdes e desmídias em ambos os locais, devido as suas características de resistência, e que a maior riqueza, densidade e diversidade de algas perifíticas que ocorreria no lago devido à maior disponibilidade de nutrientes e a ausência de fluxo. O estudo foi realizado no lago Finado Raimundo e rio Ivinhema na planície de inundação do alto rio Paraná, durante o período de águas baixas de 2011. Pecíolos das macrófitas aquáticas Eichhornia azurea (Sw.) Kunth foram utilizados como substrato para algas perifíticas. As diatomáceas foram predominantes em ambos os locais, devido às suas características estratégicas, e entre os locais, houve padrões diferentes na estrutura da comunidade de algas perifíticas, devido as características físicas e químicas distintas do lago e do rio. Achnanthidium minutissimum (Kützing) Czarnecki e Nitzschia palea (Kützing) W. Smith foram as espécies mais abundantes em ambos os ambientes. Nossos resultados mostraram padrões de algas perifíticas em uma planície de inundação em condições de seca, o que vai ajudar na compreensão de sua estruturação em futuros cenários de secas. <![CDATA[The South-American rattlesnake <em>Crotalus durissus</em>: feeding ecology in the central region of Brazil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032016000300202&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract We investigated food patterns in the diet composition of 452 specimens of Crotalus durissus from Central Brazil. Thirty-three items were recorded corresponding to four categories: rodents (75.76%), marsupials (6.06%), unidentified mammals (9.09%) and reptiles (9.09%). Adults of both sexes and some juveniles feed mostly on mammals, specifically rodents, it is the most active and abundant prey throughout the year mainly in areas from Cerrado. In addition, we observed that in C. durissus there is a trend in the diet of females could be more diverse, maybe this can be associated to sexual differences involving different strategies of the feeding biology of this rattlesnake.<hr/>Resumen Patrones de alimentación fueron investigados en la composición de la dieta de 452 ejemplares de Crotalus durissus de Brasil central. Treinta y tres ítems fueron registrados, correspondientes a cuatro categorías: roedores (75.76%), marsupiales (6.6%), mamíferos no identificados (9.09%) y reptiles (9.09%). Los adultos de ambos sexos e individuos jóvenes se alimentaron básicamente de mamíferos, en específico de roedores, esta es la presa más activa y abundante durante todo el año, principalmente en las áreas de Cerrado. Además fue observado que en C. durissus existe una tendencia a que la dieta de las hembras sea más diversa, factor que podría estar relacionado a las diferencias sexuales que implican diferentes estrategias de alimentación en la biología de esta serpiente cascabel. <![CDATA[Ictiofauna de riachos da bacia do baixo rio Iguaçu, estado do Paraná, Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032016000300203&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract The drainages of the Iguaçu River basin, as well as the main channel of the river, have peculiar characteristics resulting from geomorphological processes in this area, including the formation of the Iguaçu River Falls. This slope in the lower portion of the basin is a biogeographical barrier to many organisms. In this study was inventoried the fish fauna of streams of the lower Iguaçu River basin, evaluating possible differences in the species composition upstream and downstream of this biogeographical barrier. Sampling were conducted between 2004 and 2013, in five streams, three upstream and two downstream of the Iguaçu River Falls, using electrofishing. The nMDS analysis was run to investigate possible groupings of similar fauna between the streams sampled. The scores of this test were tested as to the significance of groupings with the Hotelling T2 test. The indicator value method (IndVal) was used to detect the distribution of species among the groups of the streams upstream and downstream of the Iguaçu River Falls. We collected 18,908 individuals of six orders, 11 families, and 40 species. Siluriformes and Characiformes had the highest species richness; Cyprinodontiformes presented the highest abundance. Considering the species recorded, 21 are considered natives to the Iguaçu River basin, including 15 endemic, wich were found only in streams upstream of the falls. Additional 18 species were verified only in the streams downstream of such barrier. Four species were common to both stretches. The axis 1 of the nMDS separated two groups: streams upstream (S1, S2 and S3) and streams downstream of the Iguaçu River Falls (S4 and S5). The indicator species analysis also indicated a distinction between the groups of streams, that were significantly different (Hotelling's T2 = 234.36, p ˂ 0.0001). The number of endemic species in the streams upstream of the Falls (15 spp.) evidences a significant effect of isolation promoted by the Iguaçu River Falls, and confirms the role of this barrier in the vicariant processes and endemism typical of this basin. These results emphasize the importance of conserving these ecosystems, once the extinction of species in this region means the irreversible loss of them.<hr/>Resumo As drenagens da bacia do rio Iguaçu, bem como o canal principal do rio, possuem características peculiares resultantes de processos geomorfológicos dessa área, incluindo a formação das Cataratas do rio Iguaçu. Esse desnível na porção inferior da bacia constitui uma barreira biogeográfica para muitos organismos. Neste trabalho inventariamos a fauna de peixes de riachos na porção do baixo rio Iguaçu, avaliando possíveis diferenças na composição de espécies acima e abaixo dessa barreira biogeográfica. Entre 2004 e 2013, foram amostrados cinco riachos, sendo três localizados acima das Cataratas do Iguaçu e dois abaixo, por meio de pesca elétrica. Para investigar possíveis padrões de agrupamentos de fauna similares entre os riachos amostrados foi realizada uma análise nMDS, cujos escores foram testados quanto à significância dos agrupamentos utilizando o teste de T2 de Hotelling. O valor indicador (IndVal) foi usado para detectar a distribuição das espécies entre os grupos de riachos. Foram amostrados 18.908 indivíduos, pertencentes a seis ordens, 11 famílias e 40 espécies. As ordens Siluriformes e Characiformes destacaram-se em riqueza de espécies; Cyprinodontiformes apresentou maior abundância. Do total de espécies amostradas, 21 são consideradas nativas da bacia do rio Iguaçu, sendo 15 delas endêmicas e registradas somente nos riachos acima das Cataratas do rio Iguaçu. Outras 18 espécies foram registradas somente nos riachos que desembocam abaixo das cataratas. Quatro espécies foram comuns em ambos os ambientes. A dimensão do eixo 1 da análise nMDS resultou na separação de dois grupos: riachos acima (S1, S2 e S3) e riachos abaixo das cataratas (S4 e S5). A análise de espécies indicadoras também indicou a distinção entre os grupos de riachos, sendo que esses agrupamentos foram significativamente diferentes (Hotelling's T2 = 234.36, p ˂ 0.0001). O número de espécies endêmicas registrado nos riachos acima das cataratas (15 spp.), demonstra um significativo efeito de isolamento da fauna proporcionado pelas Cataratas do rio Iguaçu e confirmam o papel dessa barreira nos processos vicariantes e endemismos característicos dessa bacia. Esses resultados ressaltam a importância da preservação desses ecossistemas, pois a extinção de espécies nessa região significa a perda global dessas entidades biológicas. <![CDATA[A herpetofauna do Parque Nacional da Serra das Confusões, Piauí, Brasil, com uma lista regional para uma área ecotonal entre o Cerrado e a Caatinga]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032016000300301&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Different physiognomies at Parque Nacional da Serra das Confusões (PNSCo) were intensively sampled aiming to access the distribution pattern of its herpetofauna. Sixty six species were found in the park (47 reptiles and 19 amphibians); the rarefaction curve for lizards, although not fully stabilized in an asymptote, indicates that the sampling effort was enough to reveal most lizard species occurring in the area; and richness estimators recovered values close to observed. For amphibians, the curve shows a weak tendency to stabilization with richness estimators indicating that additional records could be done. Field work carried out at PNSCo has highlighted an unique herpetofauna: five new species were described and there are three candidates as new species. The regional list including Cerrados's units - Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins (EESGT) and Estação Ecológica de Uruçuí-Una (EEUU) with Caatinga's ones - PNSCo and Parque Nacional da Serra da Capivara (PNSCa), shows a high herpetofaunal diversity (191 species) to the region. The cluster analysis recovered the Cerrados's units and Caatinga's ones, in separate clusters evidencing a species turnover between domains, despite its geographical proximity. Thus, although there is widespread fauna throughout region shared by the units, each reserve holds its own faunal identity, harboring a singular assemblage of species.<hr/>Resumo Diferentes fisionomias foram intensivamente amostradas no Parque Nacional da Serra das Confusões (PNSCo) com o objetivo de acessar o padrão de distribuição da sua herpetofauna. Sessenta e seis espécies foram encontradas no parque (47 répteis e 19 anfíbios); a curva de rarefação de lagartos, embora não totalmente estabilizada em uma assíntota, indica que o esforço amostral foi suficiente para revelar a maioria das espécies de lagartos que ocorrem na área; e estimadores de riqueza recuperaram valores perto dos observados. Para os anfíbios, a curva mostra uma fraca tendência para a estabilização com estimadores de riqueza indicando que registros adicionais podem ser feitos. O trabalho de campo realizado no PNSCo destacou uma herpetofauna única: cinco novas espécies foram descritas e há três candidatos como novas espécies. A lista regional, incluindo unidades de Cerrado - Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins (EESGT) e Estação Ecológica Uruçuí-Una (EEUU) com aqueles da Caatinga - PNSCo e Parque Nacional da Serra da Capivara (PNSCa), mostra uma alta diversidade da herpetofauna (191 espécies) para a região. A análise de agrupamento recupera as unidades do Cerrado e as da Caatinga em grupos separados, evidenciando uma substituição de espécies entre os domínios, apesar da sua proximidade geográfica. Assim, embora haja fauna ocorrente em toda a região e compartilhada pelas unidades, cada uma das reservas mantém a sua própria identidade, abrigando um conjunto singular de espécies. <![CDATA[Inventário da ictiofauna da bacia do rio Ivaí, Paraná, Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032016000300302&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract We compiled data on fish fauna of the Ivaí River basin from recent specialised literature, standardised sampling and records of species deposited in fish collections. There were 118 fish species of eight orders and 29 families. Of these, 100 species are autochthonous (84.8%), 13, allochthonous (11.0%) and five, exotic (4.2%). The main causes for the occurrence of non-native species are escapes from aquaculture, introduction for fishing purposes and the construction of the Itaipu hydroelectric plant. The predominance of small and medium-sized Characiformes and Siluriformes, including 13 species new to science, accounts for approximately 11.0% of all species and 13.0% of all native species. About 10.2% of all species and 12.0% of all native species are endemic to the upper stretch of the Ivaí River, isolated by numerous waterfalls in tributary rivers and streams. The Ivaí River basin is subjected to various anthropogenic interferences such as pollution, eutrophication, siltation, construction of dams, flood control, fisheries, species introduction and release of fingerlings. These activities raise concerns about biodiversity of Brazilian inland waters especially regarding the fish fauna; the basin of the Ivaí River already has species classified in categories of extinction risk: Brycon nattereri and Apareiodon vladii (Vulnerable) and Characidium heirmostigmata and Steindachneridion scriptum (Endangered). The high species richness of native fish, endemism of some, high environmental heterogeneity, high risk of extinction and lack of knowledge of several other species along with the eminent human activities raise the need to enrich the scientific knowledge for future conservation efforts for the studied basin.<hr/>Resumo Nós compilamos dados sobre a diversidade da ictiofauna da bacia do rio Ivaí proveniente de recentes informações contidas em estudos divulgados na literatura especializada, coletas padronizadas e registros das espécies depositadas em coleções ictiológicas. Foram registradas 118 espécies de peixes pertencentes a oito ordens e 29 famílias. Dessas, 100 são autóctones, (84.8%), 13 são alóctones (11.0%) e cinco são exóticas (4.2%). As principais causas da ocorrência de espécies não nativas são escapes da piscicultura, introduções para pesca e a construção da usina hidrelétrica de Itaipu. Ocorre o predomínio de espécies de Characiformes e Siluriformes com porte pequeno e médio, sendo que 13 espécies são novas, o que representa aproximadamente 11.0% do total de espécies e 13.0% do total de espécies nativas. Ainda, aproximadamente 10.2% do total de espécies e 12.0% do total de espécies nativas correspondem a espécies endêmicas, isoladas pela presença de inúmeras cachoeiras em rios e riachos afluentes no trecho superior do rio Ivaí. A bacia do rio Ivaí está sujeita a uma variedade de interferências antrópicas como poluição, eutrofização, assoreamento, construção de represas, controle do regime de cheias, pesca, introduções de espécies e soltura de alevinos. Tais atividades apontam alarmantes preocupações com a biodiversidade das águas continentais brasileiras sobretudo para a ictiofauna, sendo que a bacia do rio Ivaí já apresenta espécies listadas em categorias de ameaças de extinção como Brycon nattereri e Apareiodon vladii (Vulneráveis) e Characidium heirmostigmata e Steindachneridion scriptum (Em Perigo). Devido à alta riqueza de espécies de peixes nativos, endemismo de algumas, alta heterogeneidade ambiental, sérios riscos de extinções e desconhecimento de várias outras espécies somados às eminentes ações antrópicas deve-se enriquecer o aporte científico de futuros apelos conservacionistas para a bacia aqui inventariada. <![CDATA[Lista de Odonata da Floresta Nacional de São Francisco de Paula (FLONA - SFP), com dois novos registros de distribuição para o Rio Grande do Sul, Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032016000300303&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract A survey of Odonata was carried out in the National Forest FLONA - SFP, Northeastern region of the Rio Grande do Sul state, Brazil. This conservation unit is mainly covered by Mixed Ombrophilous Forest (MOF), a subtype of Atlantic Forest biome, being also areas covered in planted Pinus, planted Araucaria and open fields. Our sampling efforts were conducted in thirty aquatic environments inside this reserve during the period between January 2014 and November 2014. The sampling sites were selected randomly, comprehending lakes, bogs, small streams and river sections, all inserted in the four vegetation types occurring in the reserve. Fortysix species of Odonata were collected and grouped into 23 genera and seven families. The dominant families were Coenagrionidae (32%), Libellulidae (32%), Aeshnidae (12%), and, Calopterygidae and Lestidae (9%). As expected, the findings revealed the presence of a highly diverse Odonate assemblage, mainly represented by generalist species in the most human disturbed sectors (Pinus and Open fields) and some specialist species in the pristine forest. Two species were registered for the first time in the state of Rio Grande do Sul, Brazil: Libellula herculea Karsch, 1889 (Libellulidae) and Heteragrion luizfelipei Machado, 2006 (Heteragrionidae).<hr/>Resumo Uma pesquisa de Odonatas foi desenvolvida na Floresta Nacional de São Francisco de Paula (FLONA - SFP), Rio Grande do Sul, Brasil. Esta unidade de conservação é, em grande parte, coberta por Floresta Ombrófila Mista, um subtipo de floresta do Bioma Mata Atlântica, sendo também áreas cobertas com plantação de Pinus, Araucaria, além de áreas de campo aberto. Nossos esforços de coleta abrangeram 30 ambientes aquáticos dentro da reserva, no período de Janeiro de 2014 e Novembro de 2014. Os locais de coleta foram selecionados aleatoriamente, compreendendo lagos, banhados, pequenos arroios e seções de rio, todos inseridos nos quatro tipos de vegetação ocorrentes na reserva. Foram coletadas 46 espécies de Odonata, agrupadas em 23 gêneros e sete famílias. As famílias dominantes foram Coenagrionidae (32%), Libellulidae (32%), Aeshnidae (12%), e, Calopterygidae e Lestidae (9%). Como esperado, os resultados revelaram a presença de uma alta diversidade de Odonata, em sua maioria generalistas, encontrados nos setores mais impactados pelo homem (Pinus e Campos abertos) e algumas espécies especialistas na floresta primária. Duas espécies foram registradas pela primeira vez no estado do Rio Grande do Sul, Brasil: Libellula herculea Karsch, 1889 (Libellulidae) e Heteragrion luizfelipei Machado, 2006 (Heteragrionidae). <![CDATA[<em>Addisonia enodis</em> (Vetigastropoda: Lepetelloidea) associada a uma cápsula ovígera de elasmobrânquio no Oceano Atlântico sul e a descoberta da espécie em águas profundas no nordeste do Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-06032016000300501&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract A gastropod specimen of the subfamily Addisoniinae Dall, 1882 is reported here for the first time associated with an elasmobranch egg capsule from the South Atlantic Ocean. A specimen of Addisonia enodis Simone, 1996 was found living inside an egg capsule of Atlantoraja castelnaui (Miranda Ribeiro, 1907) (Arhynchobatidae Fowler, 1934) from shallow waters off southeastern Brazil. Previous studies have reported the association of members of the genus Addisonia Dall, 1882 only with the egg capsules of sharks from the family Scyliorhinidae Gill, 1862 and skates from the family Rajidae de Blainville, 1816. Other specimens of A. enodis are also here reported to occur off northeastern Brazil based on shells found in deep waters off the state of Sergipe, which fills a gap in its distribution in the Southwestern Atlantic to the north of this region. Addisonia enodis was recognized as a synonym of A. excentrica (Tiberi, 1855). However, we consider A. enodis as a valid species until further data clarify this issue based on a large sample of Addisonia from Brazilian waters.<hr/>Resumo Um espécime de gastrópode da subfamília Addisoniinae Dall, 1882 é reportado aqui pela primeira vez associado a uma cápsula ovígera de elasmobrânquio encontrada no Oceano Atlântico sul. Um espécime de Addisonia enodis Simone, 1996 foi achado vivendo na parte interna da cápsula ovígera de Atlantoraja castelnaui (Miranda Ribeiro, 1907) (Arhynchobatidae Fowler, 1934) em águas rasas do sudeste do Brasil. Estudos prévios mencionaram a associação de membros do gênero Addisonia Dall, 1882 somente com desovas de tubarões da família Scyliorhinidae Gill, 1862 e raias da família Rajidae de Blainville, 1816. Outros espécimes de A. enodis também são aqui reportados para o nordeste do Brasil com base em conchas coletadas em águas profundas ao largo de Sergipe, as quais preenchem uma lacuna em sua distribuição no sudoeste do Atlântico. Addisonia enodis foi reconhecida como um sinônimo de A. excentrica (Tiberi, 1855). No entanto, essa espécie é considerada válida, neste estudo, até que mais dados demonstrem com clareza que tratam-se da mesma espécie.