Scielo RSS <![CDATA[Jornal Vascular Brasileiro]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1677-544920070004&lang= vol. 6 num. 4 lang. <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<B>The ups and downs in the treatment of carotid disease</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400001&lng=&nrm=iso&tlng= <![CDATA[<B>Current scientific publication</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400002&lng=&nrm=iso&tlng= <![CDATA[<B>A new vascular substitute</B>: <B>femoral artery angioplasty in dogs using sugarcane biopolymer membrane patch - hemodynamic and histopathologic evaluation</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400003&lng=&nrm=iso&tlng= CONTEXTO: A obtenção de um substituto arterial ideal para o emprego nas reconstruções das artérias de pequeno e médio calibre é ainda o principal objetivo da maioria das pesquisas científicas desenvolvidas no campo dos substitutos vasculares. A membrana de biopolímero de cana-de-açúcar pode ser de grande utilidade para a realização das reconstruções arteriais em vasos de calibre inferior a 4 mm e assim permitir o tratamento de doenças que afetam milhões de pessoas no Brasil e em todo o mundo. OBJETIVO: Avaliar do ponto de vista hemodinâmico e histopatológico o comportamento da membrana do biopolímero de cana-de-açúcar quando utilizada com remendo em arterioplastias femorais em cães. MÉTODO: Oito cães adultos mestiços sob anestesia geral foram submetidos no Núcleo de Cirurgia Experimental do Centro de Ciências da Saúde-UFPE a velocimetria Doppler percutânea das artérias femorais direita e esquerda para controle pré-operatório. Sob condições de assepsia e anti-sepsia, os cães foram submetidos a arterioplastia femoral bilateral com remendos da membrana de biopolímero de cana-de-açúcar no lado esquerdo e de PTFE expandido (e-PTFE) no lado direito. Na primeira semana pós-operatória, os cães foram submetidos a avaliação clínica diária e semanal a partir do oitavo dia. A avaliação clínica consistiu no exame dos pulsos femorais, na avaliação da marcha e na observação da presença de tumor pulsátil, hematoma ou hemorragia e infecção da ferida operatória. Após 180 dias das arterioplastias, sob anestesia geral, procedeu-se nova fluxometria Doppler percutânea das artérias femorais. Os animais foram submetidos à dissecção das artérias femorais, medido o diâmetro arterial e realizada velocimetria Doppler trans-operatória em pontos proximal e distal à arterioplastia. A seguir foi realizada laparotomia e exposição da aorta abdominal para acesso arteriográfico. Os segmentos das artérias femorais com os remendos foram retirados para estudo histopatológico e os animais foram mortos com dose tóxica de anestésico. RESULTADOS: No período de avaliação de 180 dias, nos dois grupos, não foram observados casos de infecção da ferida operatória, dilatação, ruptura, falso-aneurisma ou trombose. Nos dois grupos foi encontrada, na superfície externa dos remendos, uma resposta inflamatória crônica com neutrófilos e linfócitos além de fibrose. Na superfície interna dos remendos, em ambos os grupos, foi encontrada fibrose. No grupo controle ocorreu invasão dos remendos de e-PTFE por fibroblastos. CONCLUSÕES: Com base nos resultados obtidos com o modelo experimental utilizado, durante o período de observação de 180 dias, conclui-se que a membrana do biopolímero de cana-de-açúcar constitui-se em um substituto arterial adequado quando utilizado sob forma de remendos em artérias femorais de cães.<hr/>BACKGROUND: Achievement of an ideal arterial substitute to be used in the reconstruction of small- and medium-caliber arteries is still the main objective of most scientific research studies developed in the area of vascular substitutes. Sugarcane biopolymer membrane could be extremely useful to perform vascular reconstruction in arteries with diameter smaller than 4 mm, allowing treatment of diseases that affect millions of people in Brazil and worldwide. OBJECTIVE: To evaluate the hemodynamic and histopathologic behavior of sugarcane biopolymer membrane when used as a patch in femoral artery angioplasty in dogs. METHOD: Eight adult mongrel dogs, under general anesthesia, underwent percutaneous Doppler velocimetry of the left and right femoral arteries for preoperative control at the Health Sciences Center Experimental Research Laboratory of Universidade Federal de Pernambuco. After being disinfected, the dogs underwent femoral artery patch angioplasty using a sugarcane membrane biopolymer patch on the left side and an expanded PTFE (e-PTFE) patch on the right side. The dogs underwent daily clinical evaluation for the first week and weekly thereafter. Clinical evaluation consisted of an examination of femoral artery pulses, gait assessment and verification as to whether there was any pulsatile tumor, bruising, hemorrhage or surgical wound infection. One hundred and eighty days after the angioplasties, percutaneous Doppler velocimetry of the femoral arteries was performed under general anesthesia. Next, the dogs underwent dissection of the femoral arteries, measurement of the arterial diameter and perioperative Doppler velocimetry proximally and distally to the artery angioplasty. Laparotomy was then performed to expose the abdominal aorta for angiographic access. The femoral artery segments with patches were harvested for histopathologic analysis, and the animals were sacrificed under a toxic dosage of anesthetic. RESULTS: At 180 days, no cases of surgical wound infection, aneurysm, rupture, pseudoaneurysm or thrombosis were observed in either group. A chronic inflammatory reaction with lymphocytes and neutrophils was seen in both groups on the outer surface of patches. Fibrosis was seen on the inner and outer surfaces of the patches. Invasion by fibroblasts of all e-PTFE patches occurred in the control group. CONCLUSIONS: Based on the results obtained with the experimental model employed, for a 180-day period, it may be concluded that the sugarcane biopolymer membrane is an adequate arterial substitute when used as a patch in femoral artery angioplasty in dogs. <![CDATA[<B>Effects of prostaglandin E<SUB>1</SUB> (PGE<SUB>1</SUB>) in the genesis of blood capillaries in rat ischemic skeletal muscle</B>: <B>histological study</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400004&lng=&nrm=iso&tlng= CONTEXTO: A angiogênese terapêutica é uma modalidade de tratamento para pacientes com insuficiência arterial crônica que não têm indicação para revascularização direta ou angioplastia e que não tiveram uma resposta satisfatória ao tratamento clínico. Entre as drogas utilizadas para essa finalidade está a prostaglandina E1 (PGE1). OBJETIVO: Estudar os aspectos morfológicos na gênese de capilares sanguíneos em músculo esquelético do membro caudal de ratos submetidos à isquemia sob a ação da PGE1, administrada por via intramuscular (IM) ou endovenosa (EV). MÉTODOS: Foram utilizados 48 ratos, linhagem Wistar-UEM, distribuídos aleatoriamente em três grupos de 16, redistribuídos igualmente em dois subgrupos, observados no 7º e 14º dias, sendo um grupo controle onde apenas foi provocada a isquemia no membro, outro com a isquemia e a injeção da PGE1 via IM e outro com a isquemia e a injeção da PGE1 EV. Para análise dos resultados, foram realizadas a coloração com hematoxilina e eosina (HE) e coloração imuno-histoquímica. RESULTADOS: Constatou-se um aumento estatisticamente significativo no número de capilares nos subgrupos com o uso da PGE1 IM e EV, através da contagem nos cortes corados com HE. A imunomarcação não foi eficiente para a quantificação dos capilares. CONCLUSÕES: A PGE1, administrada por via IM ou EV, promoveu, após 14 dias de observação, um aumento no número de capilares no músculo esquelético de ratos submetido à isquemia, identificáveis histologicamente com a coloração em HE. A imunocoloração não permitiu estabelecer uma correlação com o aumento de vasos encontrados na coloração com HE.<hr/>BACKGROUND: Therapeutic angiogenesis is a treatment modality for patients with chronic arterial insufficiency who do not have indication for direct reconstruction or angioplasty and who were not successfully submitted to clinical treatment. Prostaglandin E1 (PGE1) is one of the drugs used for this purpose. OBJECTIVE: To study morphologic aspects in the genesis of blood capillaries in the lower limb skeletal muscle of rats submitted to ischemia under the action of intramuscular (IM) or endovenous (EV) PGE1. METHODS: Forty-eight Wistar-UEM rats were randomly distributed into three groups of 16, equally redistributed into two subgroups, observed at the 7th and 14th days as follows: one control group, which had only limb ischemia; one group with ischemia and IM injection of PGE1; and one group with ischemia and EV injection of PGE1. To analyze the results, hematoxylin-eosin (HE) and immunohistochemical staining were used. RESULTS: There was a statistically significant increase in the number of capillaries in the subgroups using IM or EV PGE1, through counting in the samples containing HE staining. Immunostaining was not efficient for the quantification of capillaries. CONCLUSIONS: IM or EV PGE1 resulted in an increase in number of capillaries in the skeletal muscle of rats submitted to ischemia after 14 days of observation, which was histologically identifiable through HE staining. Immunostaining was not successful in establishing a correlation with the increase in vessels found in HE staining. <![CDATA[<B>Nailfold video capillaroscopy in Turner syndrome</B>: <B>a descriptive study</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400005&lng=&nrm=iso&tlng= BACKGROUND: An increased prevalence of impaired glucose homeostasis is reported in Turner syndrome. Endothelial changes are described in patients with insulin resistance, which may be present in patients with Turner syndrome. Video capillaroscopy is a noninvasive examination that allows assessment of vascular patency. OBJECTIVE: To describe the nailfold morphology of capillaries in Turner syndrome using video capillaroscopy. METHODS: Subjects were studied in a temperature-controlled room, 20 days after no nailfold manipulations. The capillaries were visualized by microscope connected to a television and computer and were studied and classified according to these patterns: loop distribution, papilla, avascular fields, edema, form, capillary limbs, flow and hemorrhagic extravasation. RESULTS: Fifty patients aged between 6-37 years with Turner syndrome were studied. Eighteen (36%) patients had normal capillaroscopy with hairpin pattern in loop distribution and no avascular fields. The papilla was ratified in 13 (26%) and enlarged in four (8%). Edema occurred in 22 (44%) cases. There were three (6%) macrocapillaries and three (6%) were branched. Tortuosity was present in five (10%) patients. Hemorrhagic extravasation occurred in one (2%) case. Flow was fast in seven (14%), granulous in five (10%) and slow in six (12%). CONCLUSION: There was a high prevalence of nailfold capillaroscopy changes in Turner syndrome and the most prevalent alterations found were edema and ratified papilla.<hr/>CONTEXTO: Estudos evidenciam distúrbios no metabolismo da glicose na síndrome de Turner. As alterações no endotélio estão descritas em pacientes com resistência insulínica, que pode ocorrer em pacientes com síndrome de Turner, e o estudo dos capilares pela videocapilaroscopia é um exame não-invasivo que permite avaliação da permeabilidade vascular. OBJETIVO: Descrever a morfologia dos capilares na síndrome de Turner usando a videocapilaroscopia. MÉTODO: As pacientes foram estudadas em sala com temperatura controlada, após 20 dias sem manipulação das cutículas. Os capilares foram visualizados por microscópio conectado à televisão e computador, sendo estudados de acordo com os seguintes parâmetros: distribuição de alças, papila, praias desertas, edema, forma, tamanho, fluxo e hemorragia. RESULTADOS: Cinqüenta pacientes com síndrome de Turner foram estudadas, com idades entre 6 e 37 anos. Dezoito (36%) tiveram exame normal com distribuição de alças com padrão em paliçada e sem praias desertas. A papila foi retificada em 13 (26%) e alargada em quatro (8%). Edema ocorreu em 22 (44%) casos. Havia três (6%) capilares ectasiados e três (6%) eram ramificados. Tortuosidade estava presente em cinco (10%) pacientes. Hemorragia ocorreu em um (2%) caso. O fluxo foi rápido em sete (14%), granuloso em cinco (10%) e lento em seis (12%). CONCLUSÃO: Houve uma maior prevalência de anormalidades na videocapilaroscopia na síndrome de Turner, e as alterações mais comuns foram edema e papila retificada. <![CDATA[<B>Correlation between ankle-brachial index before and after shuttle walk test</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400006&lng=&nrm=iso&tlng= CONTEXTO: A alteração de fluxo sangüíneo observada nos pacientes com doença arterial obstrutiva periférica (DAOP) contribui para a redução da capacidade deambulatórida. Entretanto, ainda existe uma grande variabilidade nas correlações entre medidas inferenciais de comprometimento de fluxo e testes de deslocamento. OBJETIVO: Estabelecer o nível de correlação entre as medidas do índice tornozelo-braço (ITB), pré e pós-esforço, com um novo teste de deambulação chamado teste de deslocamento bidirecional progressivo (TDBP). MÉTODOS: Vinte e um pacientes claudicantes, com diagnóstico de DAOP, tiveram registrados o ITB antes e após a realização de um teste de caminhada no solo, com controle externo e progressivo de velocidade (TDBP). RESULTADOS: Foram registrados a distância (261,07&plusmn;160,63 metros), o tempo (292,30&plusmn;122,61 segundos) e a velocidade (1,23&plusmn;0,34 m/s) obtidos no início do surgimento de sintoma claudicante, bem como durante o surgimento de sintoma limitante (369,52&plusmn;157,97 metros, 377,71&plusmn;104,60 segundos, 1,46&plusmn;0,29 m/s, respectivamente). A média do ITB de repouso foi de 0,66&plusmn;0,14, e de pós-esforço foi de 0,42&plusmn;0,19. Não se observou nenhuma correlação importante entre as variáveis do teste (distância, tempo e velocidade) com o ITB de repouso e nem após esforço. CONCLUSÃO: O tempo, velocidade e distância de surgimento de sintoma claudicante e de sintoma claudicante limitante durante o teste de caminhada progressiva são independentes da medida inferencial de fluxo sangüíneo através do ITB de repouso e pós-exercício.<hr/>BACKGROUND: Patients with peripheral occlusive artery disease (POAD) show changes in blood flow that may impair their walking ability. However, variability between inferential measurements of blood flow and walking performance is still high. OBJECTIVE: To correlate the ankle-brachial index (ABI) before and after performing the shuttle walk test (SWT). METHODS: Twenty-one patients with claudication due to POAD had their ABI values registered before and after walking based on a progressive external controlled speed walking protocol. RESULTS: Distance (261.07&plusmn;160.63 m), time (292.30&plusmn;122.61 seconds) and speed (1.23&plusmn;0.34 m/s) obtained at claudication onset and when the limiting walking symptom started (369.52&plusmn;157.97 m, 377.71&plusmn;104.60 seconds, 1.46&plusmn;0.29 m/s, respectively) were registered. Mean ABI before and after the SWT was 0.66&plusmn;0.14 and 0.42&plusmn;0.19, respectively. There was no substantial correlation between ABI pre- and post-walking and the variables obtained with the SWT (distance, time and speed). CONCLUSION: Time, speed and distance for claudication onset and walking limiting symptom during a progressive speed walking protocol are independent of inferential blood flow measurements obtained by ABI before and after exercise. <![CDATA[<B>Retroperitoneal endoscopic lumbar sympathectomy</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400007&lng=&nrm=iso&tlng= CONTEXTO: A simpatectomia ainda encontra indicação no tratamento de várias doenças, tais como a insuficiência arterial periférica crônica aterosclerótica grau IV (Fontaine) sem condições de revascularização, úlceras hipertensivas e o fenômeno de Raynaud acompanhado de lesões tróficas. A cirurgia clássica é realizada através do acesso retroperitoneal, mas também pode ser realizada por meio de técnicas minimamente invasivas. OBJETIVO: Este trabalho tem o objetivo de mostrar os resultados da simpatectomia lombar por pneumoretroperitonioscopia. MÉTODOS: Trinta e um pacientes foram submetidos a simpatectomia lombar por pneumoretroperitonioscopia (22 homens e nove mulheres), com média de idade de 48 anos (41-70). Vinte eram pacientes com insuficiência arterial periférica crônica, sem possibilidade de revascularização, todos com lesões (necroses ou úlceras); sete pacientes eram portadores de tromboangeite obliterante; três tinham úlcera hipertensiva; e um apresentava fenômeno de Raynaud secundário. As cirurgias foram realizadas por pneumoretroperitoneoscopia, sendo feita a exérese do segundo ao quarto gânglio da cadeia lombar. RESULTADOS: Não houve complicações intra-operatórias, havendo necessidade de apenas uma conversão para cirurgia convencional por dificuldade técnica. A duração média do procedimento foi de 103 minutos e o tempo médio de internação foi de 2 dias. CONCLUSÃO: A simpatectomia pode ser realizada por pneumoretroperitonioscopia com as vantagens de uma cirurgia minimamente invasiva.<hr/>BACKGROUND: Sympathectomy can still be performed in the treatment of many diseases, such as chronic atherosclerotic peripheral arterial disease stage IV without conditions of revascularization, hypertensive ulcer and necrosis associated with Raynaud phenomenon. The classical treatment is performed through retroperitoneal access, but can also be performed through minimally invasive techniques. OBJECTIVE: This study aims at evaluating results of retroperitoneal endoscopic lumbar sympathectomy. METHODS: Thirty-one patients were submitted to retroperitoneal endoscopic lumbar sympathectomy (22 males and nine females), mean age of 48 years (41-70). Twenty patients had chronic peripheral arterial disease, with no possibility of revascularization, all presenting with necrosis or ulcer; seven patients had thromboangiitis obliterans, three had hypertensive ulcer, and one patient had secondary Raynaud phenomenon. Surgical procedures were performed by retroperitoneal endoscopic access, besides excision of ganglia L2-L4 of the lumbar sympathetic chain. RESULTS: There were no intraoperative complications, only the need of converting to open surgery due to technical difficulties. Mean operative time was 103 minutes and mean hospital stay was 2 days. CONCLUSION: Sympathectomy can be performed by retroperitoneal endoscopy using the advantages of a minimally invasive surgery. <![CDATA[<B>Evaluation of the use of prophylaxis for deep venous thrombosis in a teaching hospital</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400008&lng=&nrm=iso&tlng= CONTEXTO: A trombose venosa profunda (TVP) é uma doença freqüente e grave. A profilaxia é o melhor meio para reduzir a sua incidência, diminuindo a morbimortalidade gerada por suas complicações. Na relação custo x efetividade, é melhor manter uma rotina profilática do que tratar a doença já instalada. OBJETIVO: Verificar se a profilaxia da TVP está sendo utilizada de maneira adequada e rotineira no Hospital Escola Doutor José Carneiro (HEJC), de Maceió (AL). MÉTODOS: Foi realizado um estudo transversal descritivo no HEJC durante o período de 6 meses. A amostra foi de 298 pacientes, de diferentes especialidades. Os dados foram coletados nos prontuários, divididos em clínicos (68,5%) e cirúrgicos (31,5%). Analisou-se, em cada paciente, como se procedeu a utilização da profilaxia para a TVP. Foram pesquisados fatores clínicos, medicamentosos e cirúrgicos para todos os pacientes e, com base nesses dados, foi realizada estratificação do risco conforme a classificação recomendada pela Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV). O estudo estatístico foi realizado através do software SPSS, utilizando os testes qui-quadrado e de correção bivariada, considerando o valor de p < 0,05. RESULTADOS: Dos 298 pacientes analisados, 204 eram da clínica médica, onde 28,9% eram de baixo risco, 60,3% médio risco e 10,8% alto risco para TVP; e 94 pacientes eram da clínica cirúrgica, onde 43,6% apresentaram baixo risco, 52,1% médio risco e 4,3% alto risco. Apenas 23% dos pacientes do grupo clínico e 2,1% para o grupo cirúrgico receberam a profilaxia de forma adequada. CONCLUSÃO: Apesar da eficácia da profilaxia para a TVP já ter sido comprovada e difundida, em nosso meio ainda não atinge os níveis desejados de utilização.<hr/>BACKGROUND: Deep venous thrombosis (DVT) is a frequent and severe disease. Prophylaxis is the best means to reduce its incidence, lowering morbidity and mortality rates caused by its complications. In a cost-effectiveness ratio, it is better to maintain a prophylactic routine than to treat an established disease. OBJECTIVE: To verify whether DVT prophylaxis is being properly and routinely used at Hospital Escola Doutor José Carneiro (HEJC), in Maceió, Brazil. METHODS: A descriptive, cross-sectional study at HEJC was carried out for a 6-month period. The sample was composed of 298 patients within different specialties. Data were collected from medical records, and divided into clinical (68.5%) and surgical (31.5%). How DVT prophylaxis was performed was analyzed for each patient. Clinical, pharmacological and surgical factors were investigated for all patients. Based on these data, risk stratification was performed in accordance with the classification recommended by Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. Statistical analysis was performed using software SPSS and the qui-square and bivariate correction tests, considering p value < 0.05. RESULTS: Of the 298 patients analyzed, 204 belonged to medical clinic, in which 28.9% were low risk, 60.3% average risk and 10.8% high risk for DVT; and 94 patients belonged to surgical clinic, in which 43.6% were low risk, 52.1% average risk and 4.3% high risk. Only 23% of patients in the clinical group and 2.1% in the surgical group were given adequate prophylaxis. CONCLUSION: Despite the efficiency of prophylaxis for DVT having been confirmed, it does not reach satisfactory levels in our country. <![CDATA[<B>Influence of shoe heel height on venous function in young women</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400009&lng=&nrm=iso&tlng= CONTEXTO: A influência da altura do salto de sapatos na função venosa é ainda assunto controverso na literatura mundial. A importância da ergonomia na qualidade de vida é um fator consagrado e situações que a prejudiquem como permanência prolongada na posição supina, qualidade dos calçados e condições do local de trabalho podem interferir na saúde do indivíduo. OBJETIVO: Estudar a influência da altura do salto do sapato na drenagem venosa dos membros inferiores, utilizando-se a pletismografia a ar (PGA). MÉTODO: Quinze mulheres, com idade média de 24,6 anos, assintomáticas, utilizando calçados de tamanhos apropriados, foram examinadas em três momentos: descalças (0 cm), salto médio (3,5 cm) e alto (7 cm). Apresentavam índice de massa corporal < 25 e foram classificadas de acordo com a Classificação Internacional CEAP, em critérios: clínico (C0 ou C1), etiológico (Ep), anatômico (As) e fisiopatológico (Pr). Os valores do índice de enchimento venoso (IEV), da fração de ejeção (FE) e da fração de volume residual (FVR) foram separados em três categorias pela altura do salto e comparados entre si, utilizando-se a análise de variância para médias repetidas (ANOVA). RESULTADOS: Houve diminuição da FE e aumento da FVR no grupo de salto alto em relação ao grupo descalço (p < 0,005). Não ocorreu diferença desses parâmetros entre o grupo de salto médio e os outros grupos. O IEV comportou-se de maneira semelhante nas três situações avaliadas. CONCLUSÃO: O salto alto diminui a função de bomba muscular demonstrado pela queda da FE e aumento da FVR, podendo, com o seu uso contínuo, provocar hipertensão venosa nos membros inferiores, o que poderia ser preditivo de sintomatologia na doença venosa.<hr/>BACKGROUND: The influence of shoe heel height on venous function is still a controversial subject in the international literature. The importance of ergonomics for quality of life is a universally accepted factor, and situations that impair it, such as prolonged permanence in the supine position, shoe quality and workplace conditions may interfere with the individual"s health. OBJECTIVE: To analyze the influence of shoe heel height on lower limb venous drainage using air plethysmography. METHOD: Fifteen asymptomatic women with mean age of 24.6 years, wearing shoes of appropriate size were examined in three different situations: barefoot (0 cm), medium heels (3.5 cm) and high heels (7 cm). Body mass index was < 25 and the subjects were classified according to the CEAP International Classification based on clinical (C0 or C1), etiologic (Ep), anatomic (As) and physiopathological (Pr) criteria. The values of venous filling index (VFI), ejection fraction (EF) and residual volume fraction (RVF) were divided into three categories according to heel height and compared to one another by repeated means analysis of variance (ANOVA). RESULTS: EF was decreased and RVF was increased in the high heel group compared to the barefoot group (p < 0.005). These parameters did not differ between the medium heel group and the other groups. VFI showed a similar behavior in the three situations evaluated. CONCLUSION: High heels reduce muscle pump function, as demonstrated by the fall in EF and increase in RVF, and their continued use may provoke venous hypertension in the lower limbs, possibly representing a predictive factor of venous disease symptoms. <![CDATA[<B>Variability of venous hemodynamics detected by air plethysmography in CEAP clinical classes</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400010&lng=&nrm=iso&tlng= CONTEXTO: A variabilidade hemodinâmica da pletismografia a ar é conhecida, mas o exato papel dessa variabilidade no cotidiano clínico não foi investigado, podendo ter algum significado clínico ainda não explorado. Sabe-se que há sobreposição entre as classes clínicas (C0 a C6) da classificação CEAP e mesmo entre membros inferiores de uma mesma classe clínica. OBJETIVO: Avaliar a variabilidade hemodinâmica dos parâmetros da pletismografia a ar nas classes clínicas da classificação CEAP. MÉTODO: Este estudo retrospectivo confronta a doença varicosa de membros inferiores classificada de C0 a C6 pela classificação CEAP com os parâmetros hemodinâmicos venosos obtidos pela pletismografia a ar. Os dados obtidos foram tabulados e analisados em suas classes clínicas pelos testes de variância de Kruskal-Wallys e Barllett. RESULTADOS: Foram realizados 310 exames em 230 pacientes cujas idades variaram entre 19 a 81 anos, com uma média de 46,2 anos. Os parâmetros índice de enchimento venoso e volume venoso funcional mostraram aumento da variabilidade hemodinâmica quando analisados na classe clínica C0 do CEAP, demonstrada por meio do coeficiente de variabilidade que, para o índice de enchimento venoso foi de 28,12% na classe clínica C0 e se manteve acima de 57% nas classes de C2 a C6. A fração de ejeção e a fração de volume residual não aumentaram a variabilidade quando comparados com a classe clínica C0 do CEAP. CONCLUSÃO: O índice de enchimento venoso foi o melhor parâmetro para avaliação e triagem de pacientes com insuficiência venosa crônica, mas tem grande variabilidade nas classes clínicas C2 a C6 do CEAP.<hr/>BACKGROUND: The hemodynamic variability of air plethysmography is known in the literature, but the clinical significance of this event has not been investigated yet, and there may be some unexplored clinical meaning. There is known superpositioning of CEAP clinical classes (C0-C6) and even in lower limbs of the same clinical classes. OBJECTIVE: To evaluate hemodynamic variability of air plethysmography parameters in CEAP clinical classes. METHODS: This retrospective study compares lower limb varicose disease between C0 and C6 CEAP clinical classes with venous hemodynamic parameters obtained by air plethysmography. Data were tabled and analyzed according to their clinical classes by Kruskal-Wallys and Barllet variance tests. RESULTS: A total of 310 examinations were performed in 230 patients, aged between 19-81 years (mean = 46.2 years). Venous filling index and functional venous volume increased hemodynamic variability when compared with CEAP C0. This was demonstrated by the variability coefficient, which was 28.12% for venous filling index in C0 and higher than 57% between clinical classes C2 and C6. Ejection fraction and residual venous fraction had no increase in variability when compared with CEAP C0. CONCLUSION: Venous filling index is the best parameter for assessment and screening patients with chronic venous insufficiency, but has great variability in C2 to C6 CEAP clinical classes. <![CDATA[<B>Critical analysis of indications and outcomes of surgical treatment for carotid disease</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400011&lng=&nrm=iso&tlng= O tratamento da doença carotídea tem ganhado enfoque nos últimos anos, principalmente com o advento da técnica endovascular, que defende o emprego da angioplastia e stent de carótida (CAS), principalmente em pacientes considerados de "alto risco" para a endarterectomia carotídea (ECA). Através da revisão bibliográfica, analisamos os resultados do tratamento da lesão carotídea em ambas as técnicas, realizando comentários embasados na experiência pessoal e nos dados da literatura, sobretudo nos pacientes de alto risco. Até o presente momento, não há evidência e justificativa para o emprego da CAS em larga escala nos pacientes com doença carotídea, inclusive nas situações de alto risco, tais como nos octogenários. No entanto, acreditamos que a CAS possa ser um coadjuvante no tratamento de pequeno número de pacientes com lesão carotídea (até 4% dos casos), como na presença de pescoço hostil, radioterapia prévia e alguns casos de estenose carotídea alta. Quando realizada com os cuidados técnicos necessários, a ECA ainda continua a melhor opção terapêutica aos doentes com lesão carotídea.<hr/>Treatment of carotid disease has been in focus over the past years, especially with the advent of the endovascular technique, which supports use of carotid angioplasty and stenting (CAS) in "high-risk" patients for carotid endarterectomy (CAE). We analyzed current outcomes of the treatment for carotid disease using both techniques. Furthermore, we performed some comments based on data from the literature, particularly in high-risk patients. We conclude that, up to the present moment, there is no evidence and justification for large use of CAS in patients with carotid disease, even in high-risk patients, such as in octogenarians. However, we believe that CAS could be useful in the treatment of a small number of patients with carotid disease (less than 4%), such as those with hostile neck, previous cervical radiation and in some cases of high carotid stenosis. When performed using the required technical skills, CAE is still the best choice for patients with carotid disease. <![CDATA[<B>Antimicrobial prophylaxis in peripheral vascular surgery</B>: <B>is cephalosporin still the gold standard?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400012&lng=&nrm=iso&tlng= Nas cirurgias vasculares periféricas, as cefalosporinas têm seu uso consagrado como agente antimicrobiano profilático de escolha. Recentemente, observamos uma mudança nos padrões de colonização, prevalência de patógenos e suscetibilidade geral aos antimicrobianos. Os patógenos multirresistentes vêm se tornando cada vez mais freqüentes nas infecções de ferida cirúrgica vascular, demonstrando variações regionais e locais quanto à suscetibilidade aos antimicrobianos profiláticos utilizados na rotina cirúrgica. Os dados e a literatura disponível até o momento demonstram que não existe evidência suficiente para uma mudança na rotina profilática perioperatória. Entretanto, devemos levar em consideração os padrões regionais e institucionais de prevalência de patógenos resistentes e padrões de suscetibilidade aos antimicrobianos para estabelecer guias e orientações específicas para a utilização de antimicrobianos profiláticos alternativos.<hr/>In peripheral vascular surgery, cephalosporins are nowadays regarded as the first choice for operative antibiotic prophylaxis. We have recently observed changes in colonizing patterns, pathogen prevalence and antibiotic susceptibility to antimicrobials. Multiresistant pathogens are becoming more frequent in vascular surgical wound infections, showing regional and local variations as to prophylactic antibiotic susceptibility. Data from the available literature so far have shown no strong evidence for a change in routine surgical antibiotic prophylaxis. We must consider regional and institutional prevalence of pathogen resistance and patterns of antibiotic susceptibility to establish specific guidelines for the use of alternative antibiotics. <![CDATA[<B>Extrinsic compression of the external iliac vein and lower limb edema caused by hip joint synovial cyst</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400013&lng=&nrm=iso&tlng= A trombose venosa profunda (TVP) é uma freqüente causa de edema unilateral de membros inferiores. O cisto sinovial da articulação coxofemoral pode ser uma causa rara desse sintoma e deve ser considerado no diagnóstico diferencial. Apresentamos um caso clínico em que o eco-Doppler colorido revelou a presença de compressão extrínseca da veia ilíaca externa. A ressonância magnética demonstrou tratar-se de cisto sinovial como fator etiológico, confirmado pela ressecção cirúrgica.<hr/>Deep venous thrombosis frequently results in unilateral lower limb edema. A synovial cyst in the hip joint may be a rare cause of this symptom and should be considered in the differential diagnosis. We report on a case in which color-flow Doppler ultrasonography showed presence of extrinsic compression of the external iliac vein. Magnetic resonance imaging showed a synovial cyst as etiologic factor, confirmed by surgical excision. <![CDATA[<B>Case report</B>: <B>transhepatic insertion of long-term dialysis catheter</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400014&lng=&nrm=iso&tlng= O implante transhepático de cateteres de diálise de longa permanência é um procedimento de exceção, utilizado para obter um acesso em pacientes com oclusão de veias centrais de membros superiores e inferiores. O caso descrito relata um paciente jovem, com história de 15 anos de diálise, que foi submetido no passado a um transplante renal sem sucesso. Esse paciente encontrava-se em urgência dialítica e oclusão comprovada de veias centrais de membros superiores e de veias ilíacas. Foi realizado o implante do cateter de longa permanência pelo acesso transparietohepático sob anestesia geral. A ponta do cateter foi posicionada ao nível do átrio direito. A diálise foi realizada satisfatoriamente no mesmo dia.<hr/>Transhepatic insertion of long-term dialysis catheter is an exception procedure used to obtain access in patients with central vein occlusion of lower and upper limbs. We report on a case of a young patient with history of dialysis for 15 years, who was submitted to an unsuccessful renal transplantation. This patient was in dialytic emergency and had confirmed occlusion of upper limb central veins and iliac veins. Transhepatic insertion of a long-term catheter was performed under general anesthesia. The catheter tip was placed at the level of the right atrium. Dialysis was satisfactorily performed on the same day. <![CDATA[<B>New technologies, new complications</B>: <B>complications after use of new arterial closure and thrombectomy devices</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400015&lng=&nrm=iso&tlng= Relatamos aqui um caso singular de complicação isquêmica, e também traumática, referente ao uso de dois novos dispositivos para utilização endovascular, ambos no mesmo paciente. Um é um dispositivo hemostático para selamento de punção (Angio-Seal®; - St. Jude Medical) e o outro, um cateter para trombectomia rotacional aspirativa percutânea (Rotarex®; - Straub Medical). Discutimos a indicação destes dispositivos em pacientes gravemente enfermos, com quadro de instabilidade hemodinâmica ou em estado de hipercoagulabilidade, associado à doença aterosclerótica femoral, por seu elevado potencial de complicações.<hr/>We describe a singular case of both ischemic and traumatic complication, referring to use of new devices used for endovascular approach, in the same patient. One is a hemostatic closure device (Angio-Seal®; - St. Jude Medical) and the other is a catheter for percutaneous rotational and aspiration thrombectomy (Rotarex®; - Straub Medical). We discuss indication to use these devices in severely ill patients, with hemodynamic instability, or in a state of hypercoagulability, associated with femoral atherosclerotic disease, due to its high potential of complications. <![CDATA[<B>Anomalous formation of the portal vein</B>: <B>a case report</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400016&lng=&nrm=iso&tlng= The knowledge about the formation and relations of the portal vein is important for surgeons and radiologists. The variations in the level of formation and the pattern of formation of portal vein might lead to confusions during radiological and surgical procedures. Here we present a rare variation in the formation of the portal vein as found during the cadaveric dissections. The portal vein was formed by the union of splenic vein, superior mesenteric vein and inferior mesenteric veins. The abnormal termination of left gastric vein into superior mesenteric vein before the formation of portal vein was also seen in the same cadaver. Identification of these variations is useful in managing traumatic rupture of the mesentery.<hr/>O conhecimento sobre a formação e as relações da veia porta é importante para cirurgiões e radiologistas. As variações no nível de formação e o padrão de formação da veia porta podem causar confusões durante procedimentos cirúrgicos e radiológicos. Neste relato, apresentamos uma variação na formação da veia porta encontrada durante as dissecções cadavéricas. A veia porta foi formada pela união da veia esplênica, veia mesentérica superior e veias mesentéricas inferiores. A terminação anormal da veia gástrica esquerda na veia mesentérica superior antes da formação da veia porta também foi observada no mesmo cadáver. A identificação dessas variações é útil para tratar a ruptura traumática do mesentério. <![CDATA[<B>Reflections on the main epistemological currents regarding health sciences</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-54492007000400017&lng=&nrm=iso&tlng= The knowledge about the formation and relations of the portal vein is important for surgeons and radiologists. The variations in the level of formation and the pattern of formation of portal vein might lead to confusions during radiological and surgical procedures. Here we present a rare variation in the formation of the portal vein as found during the cadaveric dissections. The portal vein was formed by the union of splenic vein, superior mesenteric vein and inferior mesenteric veins. The abnormal termination of left gastric vein into superior mesenteric vein before the formation of portal vein was also seen in the same cadaver. Identification of these variations is useful in managing traumatic rupture of the mesentery.<hr/>O conhecimento sobre a formação e as relações da veia porta é importante para cirurgiões e radiologistas. As variações no nível de formação e o padrão de formação da veia porta podem causar confusões durante procedimentos cirúrgicos e radiológicos. Neste relato, apresentamos uma variação na formação da veia porta encontrada durante as dissecções cadavéricas. A veia porta foi formada pela união da veia esplênica, veia mesentérica superior e veias mesentéricas inferiores. A terminação anormal da veia gástrica esquerda na veia mesentérica superior antes da formação da veia porta também foi observada no mesmo cadáver. A identificação dessas variações é útil para tratar a ruptura traumática do mesentério.