Scielo RSS <![CDATA[Scientiae Studia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1678-316620150004&lang=en vol. 13 num. 4 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Editorial]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-31662015000400727&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[The value of currency in Oresme and Copernicus]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-31662015000400731&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO Este artigo apresenta a noção de valor aplicado à análise da moeda, elaborada por Nicole Oresme, em 1355, e Nicolau Copérnico, em 1526. Mostramos que, para os autores, o valor da moeda deve ser estável e determinado pela comunidade em atividades de compra e venda. Também mostramos como esses autores opõem-se à instabilidade do valor, especialmente a desvalorização promovida pelo governante. Argumentamos que ambos os autores criam sistemas de medição e controle do valor da moeda em tempos de turbulência monetária. De acordo com Oresme e Copérnico, a instabilidade no valor da moeda não só mantém o comércio distante, em outros reinos ou repúblicas, mas também revela a má conduta do príncipe, aquele que é investido de autoridade política e monetária nas sociedades europeias dos séculos XIV e XVI.<hr/>ABSTRACT This paper presents the notion of value applied to the analysis of currency, elaborated by Nicole Oresme, in 1355, and Nicolas Copernicus, in 1526. It shows that, to these authors, currency value must be stable and determined by the community engaged in activites of buying and selling. It also shows how they are opposed to instability of value, especially to its devaluation promoted by the government. It argues that both authors create systems for measuring and controlling of currency value in times of monetary turmoil. According to Oresme and Copernicus, instability of currency value not only keeps commerce faraway, in other kingdoms or republics, but also reveals the misconduct of the prince, the one who is invested with political and monetary authority in European societies of the fourteenth and sixteenth centuries. <![CDATA[Style of reasoning and technical-cultural capillary action in the Chemistry of 18th century]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-31662015000400759&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO Neste artigo pretendo identificar um "estilo de raciocínio" próprio à química e apontar a disseminação de seus produtos e conceitos. O objetivo é o de explicitar alguns elementos que caracterizam o estilo de pensar e de fazer da química na segunda metade do século XVIII, sua capilarização técnico-cultural. O delineamento de um estilo químico de raciocinar origina-se da constância dos espaços técnico-epistêmicos em que o saber químico é construído. A química é uma ciência de laboratório, eminentemente técnica e operatória, quer dizer, trata-se de um conhecimento técnico-científico stricto sensu. Produtora de artefatos, a ciência química é inseparável da técnica, da tecnologia e da indústria, de maneira que sua identidade epistêmica é indissociável de sua história. Seu estilo caracteriza um valor profundo na cultura técnica do homo faber, do poder de agir sobre a natureza e de transformá-la através de manipulações e de rearranjos.<hr/>ABSTRACT In this paper I will identify a "style of reasoning" that is proper to to Chemistry and to point to the dissemination of its products and concepts. My aim is to explain some elements that characterize the style of thinking and engaging in Chemistry in the second half of the 18th century, its techno-cultural capillary action. The shaping of a chemical style of reasoning originated from the constancy of the techno-epistemic sites in which chemical knowledge is formed. Chemistry is a laboratory science, eminently technical and operative, i.e., it deals with a techno-scientific knowledge stricto sensu. A producer of artifacts, chemical science is inseparable from technique, technology and industry, in such a way that its epistemic identity is inseparable from its history. Its style marks a profound value in the technical culture of the homo faber, the power of acting upon nature and transforming it through manipulations and rearrangements. <![CDATA[On the origins of Freud's conception of the natural sciences]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-31662015000400781&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO O artigo examina algumas influências teóricas de Freud para recuperar os valores epistemológicos que subjazem à composição de sua concepção de ciência da natureza. Se, por um lado, Freud teve acesso ao pensamento de autores específicos (Brücke e Helmholtz, dentre outros) que participaram efetivamente dos caminhos percorridos pela psicologia em sua reivindicação de uma identidade científica, por meio de entrelaçamentos com a física e a fisiologia, por outro lado, ele também teve contato com certos filósofos (Brentano e Stuart Mill) que lhe permitiram uma aproximação a alguns defensores da cientificidade da psicologia que não abandonam o naturalismo, nem recorrem ao solo fisiológico. Nossa avaliação histórica constituiu-se como uma defesa de que Freud sofreu diversas influências no tocante ao status da psicologia no campo das ciências da natureza. A pluralidade dessas influências evoca uma necessidade de abertura para a avaliação do modo pelo qual podemos colocar em perspectiva a epistemologia e a concepção do naturalismo de Freud.<hr/>ABSTRACT This article examines some of the theoretical outlooks Freud used to acquire the epistemological values that underlie the foundation of his notion of natural science. On the one hand Freud was familiar with the ideas of specific authors (Brücke, Helmholtz, among others), who had made major contributions that support of psychology's status as a science by appealing to physics and physiology. On the other hand, his contact with certain philosophers (Brentano and Stuart Mill) allowed him to use their defenses of psychology's scientific status without abandoning naturalism and without recourse to physiology. Our historical evaluation of these struggles supports that Freud was affected by various points of view concerning psychology's standing within the natural sciences. Owing to the diverse influences on Freud, we need to figure out how we can put his epistemology and his concept of naturalism into perspective. <![CDATA[From the mystery of ice ages to abrupt climate change]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-31662015000400811&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO O problema da era do gelo foi o primeiro e, até algumas décadas atrás, o único debate relevante sobre as mudanças climáticas, emergindo como uma discussão da geologia, que não foi capaz de equacioná-lo. Ficou como um mistério que transitou, no século XIX, pela matemática e astronomia e foi objeto de especulações na geofísica e geoquímica sem que uma solução satisfatória fosse encontrada. A resposta básica para a ocorrência das eras do gelo foi dada por Milankovitch, com sua teoria matemática da insolação, na década de 1940. Todavia somente a consolidação da paleoclimatologia, na década de 1970, ofereceu as evidências necessárias para comprová-la. O refinamento desses estudos paleoclimatológicos acabou revelando, todavia, um fenômeno inesperado, a saber, que as transições de estados de equilíbrio no sistema climático aconteceram muito rapidamente no passado. As mudanças climáticas da era do gelo do pleistoceno ocorreram de maneira abrupta e radical, em uma negação do gradualismo. Em consequência, o atual aquecimento global deve ser visto como um fenômeno muito mais perigoso e imprevisível do que usualmente apresentado.<hr/>ABSTRACT The ice age problem was the first and, until a few decades ago, the only relevant debate on climate change, emerging as a discussion in geology, which was unable to frame it. It remained a mystery in the nineteenth century, being discussed in mathematics and astronomy, and it was a matter of speculation in geophysics and geochemistry without a satisfactory solution. The basic explanation for the occurrence of ice ages was given by Milankovitch, by means of his mathematical theory of insolation in the 1940s. Nevertheless, only the consolidation of paleoclimatology, in the 1970s, provided the necessary evidence to prove it. The refinement of these studies in paleoclimatology, however, brought to light an unexpected phenomenon: the transition between equilibrium state in the climate system took place very quickly in the past. Climate change in the Pleistocene Ice Age was abrupt and radical, contrary to any gradualism. Therefore, the current global warming should be seen as a much more dangerous and unpredictable phenomenon, in comparison with the way it is usually presented. <![CDATA[Emergence without levels]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-31662015000400841&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO Este artigo analisa a questão da causalidade descendente em relação a sistemas emergentes. A partir das considerações de Emmeche, Køppe e Stjernfelt (2000), que são aqui criticadas, e em parte com base naquelas de Pattee (2000), o artigo apresenta uma interpretação do tipo de relação que existe entre as condições de base de um evento e este último, e as relações entre a totalidade de um sistema e suas partes, empregando as noções de comunidade e de finalidade interna, noções essas devidas a Kant.<hr/>ABSTRACT This paper deals with the question of downward causation in connection with emergent systems. Beginning with the comments offered by Emmeche, Køppe, and Stjernfelt (2000), which are criticized here, and partially based on those of Pattee (2000), the paper puts forward an interpretation of the kind of relation that exists between the basal conditions for a given event and the event itself, and the relations between a given system as a whole and its parts making use of the concepts of community and internal purposiveness, concepts due to Kant. <![CDATA[The epidemic of misconduct in science: the collapse of the moralizer treatment]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-31662015000400867&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO O tema do artigo é a proliferação de más condutas na ciência que vem ocorrendo nas últimas décadas, designada ao longo do texto pelo termo "a epidemia". As más condutas são violações de normas éticas da ciência, sendo os tipos mais importantes as várias modalidades de fraude (principalmente a fabricação e a falsificação de dados empíricos), e de falsidades autorais (plágio, autoplágio etc.). O artigo divide-se em seis seções. Na primeira, apresenta-se o tema e alguns esclarecimentos terminológicos. Na segunda, são expostas as evidências que corroboram a existência da epidemia. A terceira versa sobre a reação à epidemia, caracterizando sua dinâmica, marcada pelo conflito entre duas posições: a moralizadora, que aplica o tratamento moralizador no combate à epidemia; e a negacionista, que tende a negar a existência da epidemia e que resiste às medidas moralizadoras. A quarta seção versa sobre as causas da epidemia, introduz uma distinção entre produtivismo e producionismo e propõe uma análise das formas como o produtivismo fomenta as más condutas. A quinta consiste em uma crítica ao tratamento moralizador, fundamentada em suas inadequações, principalmente sua ineficácia. Na conclusão, procura-se dar uma ideia de qual seria uma alternativa satisfatória ao tratamento moralizador.<hr/>ABSTRACT The article deals with the proliferation of violations of ethical norms of science, that started to develop a few decades ago. It will be referred to as "the epidemic". The most important types of these violations are varieties of fraud (mainly falsification and fabrication of empirical data), and such forms of author misconduct as plagiarism, self-plagiarism, etc. The article is divided into six sections. In the first, the topic is introduced and some terminology clarified. In the second, evidence is presented which corroborates the existence of the epidemic. The third deals with the reaction to the epidemic, by characterizing its dynamics in terms of being dominated by conflict between two positions: the moralizing one - which promotes the application of the moralizing treatment to combat the epidemic; and the negationist one - which tends to deny the existence of the epidemic, and resists the moralizing measures. The fourth explores the causes of the epidemic. A distinction is introduced between productivism and productionism, and an analysis is proposed of the ways productivism fosters violations of ethical norms of science. The fifth consists of a critique of the moralizing treatment, based on its inadequacies, mainly its inefficacy. The conclusion points to an alternative to the moralizing treatment. <![CDATA[Trajectories and division of labor in a laboratory of human genetics]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-31662015000400899&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO Este artigo discute a divisão do trabalho científico entre pesquisadores seniores e juniores em um centro de pesquisa brasileiro de genética humana e médica. Partindo do debate contemporâneo sobre a progressiva imbricação entre ciência e tecnologia - com progressiva fusão entre ambas, que evoca noções como a de tecnociência - é possível verificar, na subárea específica, velocidades crescentes na produção de dados, que pressionam os pesquisadores de maneiras distintas, seja pelo crescente custo das inovações tecnológicas, seja pela necessidade de métodos mais complexos para a análise. Nesse contexto, analiso questões relativas à especialização do trabalho científico, à separação entre concepção e execução, e às transformações correlatas na formação de novos pesquisadores. Parte-se do pressuposto teórico-metodológico de que a atividade científica não pode ser tratada de forma homogênea, existindo configurações distintas de acordo com o espaço disciplinar, a organização institucional e a tradição científica local, entendida enquanto empreendimento historicamente enraizado e social e culturalmente contingente.<hr/>ABSTRACT The article discusses the division of scientific labour among senior and junior researchers in a Brazilian research center for human and medical genetics. Starting with the contemporary debate on the progressive intertwining of science and technology - with progressive fusion of both, evoking notions such as technoscience - it is possible to verify, in this specific subarea, rising speed in data production that pressure scientists in different manners: through the rising cost of technological innovations and through the necessity for more complex methods of analysis. In this context I analyze issues concerning the specialization of scientific work, the separation between conception and execution as well as correlate changes in the formation of new researchers. The theoretical-methodological pressupposition is that scientific activity cannot be treated in a homogeneous way, and that there exist distinct configurations according to the disciplinary space, the institucional organization and local scientific tradition, understood as a historically rooted and socially and culturally contingent undertaking. <![CDATA[Materiality and society: social-technical tendencies in mobile technologies]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-31662015000400929&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO Analisar linhas delimitadoras de um certo desenvolvimento tecnológico é uma tarefa já empreendida por diversos autores. Este é um tipo de abordagem que se inspira em parte em ação semelhante empreendida em relação à ciência. Neste artigo pretendemos apresentar algumas linhas, a que chamamos tendências, que marcam as tecnologias móveis, como celulares, smartphones ou tablets. Estudamos alguns artefactos e funcionalidades que, não sendo exclusivos deste tipo de dispositivo, marcam direções e hegemonias. Para o efeito, desenvolvemos uma análise sociotécnica que se centra em uma observação e utilização desse tipo de tecnologia. O resultado é uma tipologia que mostra cinco tendências: realismo; continuidade técnico-corporal; prioridade ao contexto; velocidade; e compatibilidade/multifuncionalidade. Essas diferentes formulações sociotécnicas permitem compreender como essas materialidades inscrevem-se no espaço social, ao mesmo tempo que exibem projetos que emergem de intenções sociais. O proliferar das tecnologias móveis faz com que a compreensão dessas dinâmicas seja de enorme relevância para questionarmos o futuro tecnológico que se instala.<hr/>ABSTRACT The delimitation of defining lines of certain technological development is something that several authors already established. This kind of approach is inspired in similar task applied to science. In this work it is intended to present some lines, that we call tendencies, which mark mobile technologies development, like mobile phones, smartphones or tablets. This work makes an analysis of some artifacts and its features, which make some directions and hegemonic dominations, although they are not exclusive of these technologies. It is applied a sociotechnical analysis based on observation and on the use of this kind of technologies. The output is the identification of five tendencies: realism; techno-body continuity; priority to context; velocity; and compatibility/multi-functionality. This different sociotechnical forms allow the understanding of how these materialities are inscribed in social space, and how some projects are a result of social intentions. The proliferation of mobile technologies shows by itself the relevance of this approach in order to question technological future.