Scielo RSS <![CDATA[RAM. Revista de Administração Mackenzie]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1678-697120180002&lang=es vol. 19 num. 2 lang. es <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[A LOOK AT WOMEN'S TRANSITION FROM FORMAL LABOR TO SELF-EMPLOYMENT BASED ON ENDOGENOUS STIMULI]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-69712018000200300&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT Purpose: The objective of this study is to analyze the stimuli that lead women to leave formal jobs and seek self-employment. Originality/value: Changes in the social patterns and lifestyle of the population have made research aimed at career and gender gain relevance. There is, however, a lack of research on women who have left their organizations and the main stimuli of this movement, exogenously and endogenously driven, which are relevant as result of social and cultural factors intrinsic to the family environment that leads to a career change. Design/methodology/approach: The qualitative methodology of narrative analysis was used, adequate to the examination of the phenomenon in question. Findings: The following stimuli were highlighted: self-fulfillment and search for flexibility; professional achievement; personal challenges; high level of career ambition; and search for a feminine identity. The results diverged in relation to the existing literature, mainly focused on exogenous factors. Although mentioning difficulties in reconciling work with domestic activities, the professionals under study, previously occupying formal positions in companies, did not perceive or did not undergo any type of limitation at work, such as the phenomenon of glass ceiling, difficulties in working on the masculinized leadership model, family pressures, and fear of misuse of sexuality. Entrepreneurship emerged mainly as a career option as a form of personal self-actualization and not through imposition arising from social, family or labor difficulties.<hr/>RESUMO Objetivo: O objetivo deste estudo é analisar os estímulos que levam mulheres a deixarem empregos formais a buscarem o auto emprego. Originalidade/relevância: Mudanças nos padrões sociais e estilo de vida da população têm feito com que pesquisas direcionadas à carreira e ao gênero ganhem relevância. Existe, no entanto, carência em pesquisas sobre mulheres que tenham deixado suas organizações e os principais estímulos a esse movimento, de natureza exógena e endógena, que são relevantes como fatores sociais e culturais intrínsecos ao ambiente familiar e que levam a uma mudança de carreira. Principais aspectos metodológicos: Foi utilizada a metodologia qualitativa de análise de narrativas, adequada ao exame do fenômeno em questão. Síntese dos principais resultados: Os resultados destacaram os seguintes estímulos: realização profissional e busca por flexibilidade; sucesso profissional; desafios pessoais; alta ambição nas carreiras; e busca por uma identidade feminina. Os resultados apontaram pontos de divergência em relação à literatura existente, principalmente focada em fatores exógenos. Embora narrando dificuldades em conciliar trabalho com as atividades domésticas, as profissionais objeto do estudo, previamente ocupantes de cargos formais em empresas, não perceberam ou não passaram por qualquer tipo de limitação no trabalho, como no fenômeno do teto de vidro, dificuldades em trabalhar no modelo de liderança mas­culinizada, pressões familiares e medo do uso indevido da se­xualidade. O empreendedorismo aflorou, principalmente, como opção de carreira, como forma de autorrealização pessoal e não por imposição originada de dificuldades sociais, familiares ou trabalhistas.