Scielo RSS <![CDATA[RAM. Revista de Administração Mackenzie]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1678-697120090003&lang=en vol. 10 num. 3 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Apresentação</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-69712009000300001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>Introdução</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-69712009000300002&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[<b>The structure of values</b>: <b>its stability across instruments, theories, age, and cultures</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-69712009000300003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Na literatura científica, existe somente concordância parcial sobre como definir e medir valores. Por isso, não se podem simplesmente comparar os resultados de investigação, e, por sua vez, os leitores não sabem se, e até que ponto, tais resultados podem ser generalizados. Por essa razão necessita-se de uma abordagem teoricamente sólida e empiricamente comprovada que possa servir de ponto de referência para comparar e integrar os resultados de pesquisa. Neste artigo, parte-se do pressuposto de que a teoria de Schwartz (1992) sobre o conteúdo e a estrutura de valores pode desempenhar esta função.<hr/>There exists only partial agreement in the scientific literature about how to define values. Consequently, it is difficult to compare research results from different investigations, and the reader does not know whether and to what extent he may generalize the respective findings. Hence there is a need for a theoretically sound and empirically tested approach which may serve as a frame of reference for comparing and integrating research results. This article starts from the assumption that Schwartz (1992) theory about the content and structure of values can serve this function. <![CDATA[<b>Functional theory of human values</b>: <b>applications to organizations</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-69712009000300004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo descreve a teoria funcionalista dos valores humanos e a relaciona com variáveis importantes para as organizações. A teoria identifica duas funções consensuais dos valores: os valores guiam as ações e dão expressão às necessidades humanas. A primeira função diferencia três tipos de orientações valorativas (social, central e pessoal), enquanto a segunda função classifica os valores como humanitários ou materialistas. A união dessas duas funções origina seis subfunções de valores (experimentação, realização, existência, suprapessoal, interacional e normativa). Três estudos empíricos são apresentados, examinando a influência das subfunções no comprometimento organizacional de funcionários de uma empresa privada (Estudo 1), no bem-estar afetivo de funcionários de uma prefeitura (Estudo 2) e na fadiga e burnout de enfermeiros, médicos e psicólogos (Estudo 3). Os resultados demonstram a influência dos valores nessas variáveis e são discutidos de acordo com a teoria funcionalista dos valores.<hr/>This paper describes a functional theory of human values and links the theory to important organizational variables. The theory identifies two consensual value functions: values as guides of human actions, and values as expressions of human needs. The first function differentiates three types of value orientations (social, central, and personal), while the second function classifies values as either humanitarian or materialistic. A combination of these two functions yields six sub-functions of values (excitement, promotion, existence, suprapersonal, interactive, and normative). Three empirical studies are described that examines the influence of these sub-functions of values on the organizational commitment of employees in a private organization (Study 1), job-related affective well-being of public servants (Study 2), and fatigue and burnout of nurses, psychologists and physicians (Study 3). Results support the influence of values on these variables, and are discussed in light of the functional theory of values. <![CDATA[<b>Measuring cultural values at the individual-level</b>: <b>considering morality in cross-cultural value research</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-69712009000300005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Shared values are typically seen as one of the core aspects of culture. The usual procedure for deriving shared cultural values is through analyzing individuals' value priorities at the cultural-level. This paper outlines the conceptual and methodological problems associated with this procedure. Findings from selected empirical studies are presented to corroborate this critique. Alternative ways of measuring cultural values at the individual-level are presented and classified into a value taxonomy. Within this taxonomy past studies have so far focused on measuring values through importance ratings reflecting what individuals or social groups "desire". However, the argument is made that if cultural values are supposed to be shared they should reflect what is "desirable", i.e. what one "ought" to value or to strive for as a goal in life in a certain society. This constitutes a new approach for the measurement of cultural values. It is proposed that cultural values are measurable at the individual-level using the concept of morality. Suggestions are made how moral values could be operationalized referring to either the individual's moral values or those of a social group. The benefits of the value taxonomy for future research are eventually described.<hr/>Valores compartilhados são tipicamente vistos como um dos aspectos centrais da cultura. O procedimento comum para derivar valores culturais compartilhados é feito por meio da análise das prioridades dos valores individuais no nível cultural. Este artigo delineia os problemas conceituais e metodológicos associados com esse procedimento. Descobertas feitas por meio de estudos empíricos selecionados são apresentadas para corroborar essa crítica. Meios alternativos para medir valores culturais no nível individual são apresentados e classificados em uma taxonomia de valores. Nessa taxonomia, estudos anteriores têm até agora focalizado a medição de valores por meio da importância atribuída, refletindo o que os indivíduos ou grupos sociais desejam. Contudo, argumenta-se que, se valores culturais são supostamente compartilhados, eles deveriam refletir o que é desejável, isto é, o que o indivíduo deve valorizar ou empenhar-se para alcançar como um objetivo de vida em uma determinada sociedade. Isso constitui uma nova abordagem para a mensuração de valores culturais que propõe que sejam medidos no nível individual, utilizando-se perguntas que envolvam moralidade. Sugestões são feitas sobre como os valores culturais poderiam ser operacionalizados, referindo-se aos valores morais individuais ou àqueles de um grupo social. Os benefícios da utilização de taxionomia de valores para pesquisas futuras são eventualmente descritos. <![CDATA[<b>Organizational values</b>: <b>a survey of Brazilian academic literature from 2000 to 2008 in business and psychology fields</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-69712009000300006&lng=en&nrm=iso&tlng=en O presente trabalho teve por objetivo realizar um balanço da produção nacional recente na área de valores organizacionais, veiculada nos periódicos das áreas de Administração e Psicologia. Para tanto, foram consultados todos os artigos publicados em oito dos principais periódicos nacionais da área de Psicologia e nove da área de Administração, e selecionados os que se referiam a valores organizacionais. Os artigos selecionados foram posteriormente classificados e analisados com base em diferentes indicadores. À guisa de conclusão, são discutidas as lacunas de pesquisa na área e oferecidas sugestões de pesquisas futuras com possibilidades potenciais de contribuir para o avanço do conhecimento teórico-empírico sobre esse campo de estudos em nosso país.<hr/>The present work had the aim of making a survey of the recent Brazilian academic literature about organizational values, published in business and psychology journals. As such, all articles in eight of the main Brazilian Psychology journals and nine of the main Brazilian Business journals were examined and all of them that were related to the topic of organizational values were selected. These articles were further classified and analyzed according to different indicators. In conclusion, the gaps in the research in the area are discussed, as well as suggestions for future research that can contribute for the development of the theoretical and empirical knowledge about organizational values in our country. <![CDATA[<b>The human values system of Brazilian executives</b>: <b>adaptation of the PVQ scale for studying personal values in Brazil</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-69712009000300007&lng=en&nrm=iso&tlng=en O sistema de valores humanos dos administradores e suas implicações na prática gerencial têm se tornado objeto de um interesse crescente por parte de especialistas em ciências sociais de todo o mundo, facilitado pelas contribuições recentes da psicologia para a compreensão do tema e operacionalização dos conceitos. Nesse âmbito, destaca-se a teoria motivacional de Schwartz. O objetivo desta pesquisa é estudar o sistema de valores dos administradores brasileiros por meio da aplicação de uma versão adaptada da nova escala PVQ proposta e revista por Schwartz. Os resultados confirmam a validade dessa versão adaptada da escala para estudar os valores de ordem superior no contexto brasileiro, embora se apresente menos robusta para estudar os tipos motivacionais de valores. Os administradores brasileiros revelam um sistema de valores centrados na autonomia individual como motivador da cooperação voluntária e da busca do bem-estar social, sobrepondo-se a valores baseados na hierarquia e na formalidade.<hr/>The human values of managers and their implications in corporate performance have increasingly became a subject of interest for social scientists all over the world, much due to the recent contributions from psychology which provided reasoning and practical solutions for understanding and studying values. In this context, Schwartz's motivational theory is one of the most representative contributions. This paper aims at studying the human values system of Brazilian managers through the application of a revised version of the PVQ scale originally proposed by Schwartz. Results confirm the validity of this new adapted version of the PVQ for studying higher order values in Brazilian context, although it seems less robust for studying motivational type values. Brazilian managers seem to attribute higher value to individual autonomy as motivator for volunteer cooperation and pursuit of social well-being, valuing freedom and igualitarism over hierarchy and formality in social interactions. <![CDATA[<b>The influence of culture, basic human values, and product meaning in the consumption prediction</b>: <b>summarizing two multicultural studies in Australia and Brazil</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-69712009000300008&lng=en&nrm=iso&tlng=en A predição da opção de compra por um produto ou serviço é um desafio que faz do comportamento do consumidor um campo de estudos que requer aprofundamento contínuo das pesquisas na área. Analisar os efeitos de elementos da cultura e dos valores humanos no comportamento de consumo significa explorar as variáveis mais subjetivas de uma pessoa. Nesse sentido, o presente artigo descreve dois estudos comparativos realizados na Austrália e no Brasil, a fim de determinar se características culturais têm correlação com o comportamento do consumidor. Os resultados revelaram que há um efeito de país em termos culturais. Entre os australianos predomina o padrão cultural individualista, que se correlaciona com um julgamento passo a passo, com maior importância para os atributos tangíveis de um produto ou serviço. Por sua vez, entre os brasileiros prevalece o padrão cultural coletivista, que se correlaciona com um julgamento afetivo e um significado simbólico para com um produto ou serviço. Esse tipo de pesquisa propiciou informações relevantes para o avanço dos estudos sobre o comportamento do consumidor e para uma maior efetividade das estratégias mercadológicas das organizações, tanto para atuação local como global.<hr/>Using a model of consumers' choice based on cultural meanings of products, judgment-type, and motivation, the present study had the objective of observing which implications cultural differences had on consumer behavior. 793 participants (52% Brazilians; 51% Men; Ages between 17 and 61y, median = 25y; Education 52% High School) responded to a questionnaire, including a Values Scale, and measures of Meaning and Judgment, Car Attributes, and Consumption Behavior. The main effect of the country on cultural patterns between Brazil and Australia was observed, such that Australians scored higher on individualism than collectivism. Australians preferred a piecemeal judgment and placed more importance on tangible attributes, while Brazilians preferred affective judgment. As predicted, the direct route was stronger for Brazilians than for Australians, indicating that the indirect route is the preferred for this group. Results are discussed in terms of the etic validity of the model for individuals who endorse cultural values other than individualism. <![CDATA[<b>The value of values</b>: <b>a global brand's assessment across Brazilian cultural diversity</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-69712009000300009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este trabalho explora as influências dos valores pessoais e de outros elementos da cultura brasileira, na avaliação de uma marca de alcance mundial, por meio de quatro subculturas regionais que são utilizadas como unidades de análise. Utiliza as escalas de Rokeach (1968, 1973) para medir os valores humanos e a de Aaker (1997) para avaliar os atributos da marca, numa amostra de 308 pessoas, entre estudantes e profissionais de nível superior. O resultado confirma a existência de relações significativas entre os valores pessoais e a percepção da marca Nike, bem como a influência dos rituais, dos símbolos e de algumas variáveis demográficas, na forma como aquela marca é percebida e avaliada pelos consumidores. Confirma também a existência de diferenças significativas entre os elementos culturais das diversas subculturas, que podem ser bastante úteis na formulação de estratégias de marketing voltadas às diversas regiões do país.<hr/>This paper explores the influences of personal values and of other cultural elements in the assessment of a global brand across four Brazilian regional subcultures. It uses the Rokeach Values Survey (1968, 1973) to measure personal values, and the Brand Personality Scale, of Aaker (1997), to interpret brand attributes in a sample 308 university students and high-schooled people. Results detected significant relationship amongst personal values and the brand evaluation, and confirmed some influence of rituals, symbols and demographics in the way consumers perceive an international brand like Nike. Personal values and other cultural elements of subcultures showed significant differences that can be useful for marketing strategies intended to the specific areas of that country.