Scielo RSS <![CDATA[Cadernos EBAPE.BR]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1679-395120150001&lang=en vol. 13 num. 1 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Editorial]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512015000100001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[Academic productivity and its impacts in Postgraduate programs: is it a threat to solidarity between peers?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512015000100002&lng=en&nrm=iso&tlng=en O produtivismo acadêmico, entendido neste ensaio como um fenômeno derivado dos processos de avaliação da pós-graduação, se caracteriza pela excessiva valorização da quantidade da produção acadêmica, tendendo a desconsiderar a sua qualidade. Já a solidariedade acadêmica é entendida aqui como um compromisso mútuo entre os pesquisadores, que voluntariamente dedicam-se à avaliação de produtos da atividade de um programa de pós-graduação. Entre essas atividades, escolhemos a avaliação de artigos por pares como "paradigma exemplar" da solidariedade acadêmica. Objetiva-se, com este texto, discutir os impactos do produtivismo na pós-graduação stricto sensu e avaliar o quanto o produtivismo ameaça a solidariedade acadêmica que o torna possível. A partir da distinção entre os conceitos de colaboração e solidariedade, forjados pelos autores, chama-se a atenção para o risco de o produtivismo corroer a noção de solidariedade acadêmica. Mesmo que isso ocorra, não haverá produtivismo sem colaboração, sem o trabalho silencioso e anônimo de um sem-número de avaliadores de periódicos que disponibilizam o seu tempo e sua expertise para avaliar os trabalhos de seus pares. Tal colaboração, entretanto, ocorreria de forma algo alienada, sem a noção de participação em uma comunidade de pesquisadores. Em suma, não pode existir produtivismo sem colaboração, embora possa haver produtivismo sem solidariedade.<hr/>Academic productivity, understood in this essay as a phenomenon derived from the evaluation processes of Post-graduation, is characterized by the excessive appreciation of the amount of academic production rather than its quality. Academic solidarity is understood here as a mutual commitment among researchers, who voluntarily dedicate their time to evaluate products of the activity of a Post-graduate program. Among these activities, we chose peer review as an "exemplary paradigm" of academic solidarity. This article aims to discuss the impacts of academic productivity in post-graduate programs and evaluate how it threatens academic solidarity that makes it possible. Based on the distinction between the concepts of collaboration and solidarity, made by the authors, the article alerts to the risk of academic solidarity be destroyed by academic productivity. Even if it happens, there will be no productivity without collaboration, without the silent and anonymous work of many and many reviewers that offer their time and expertise to evaluate their peers' papers. Such collaboration, however, would be alienated without the notion of participation in a community of researchers. In short, there is not productivity without collaboration, although productivity may exist without solidarity. <![CDATA[Workplace harassment: tearing opportunities to pieces]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512015000100003&lng=en&nrm=iso&tlng=en O assédio moral é um tema recorrente na literatura de negócios, com perspectivas, embora distintas, convergentes em um aspecto: essa prática deve ser banida das organizações, e, para isso, é necessário compreendê-la em maior profundidade. Nesse sentido, este estudo analisa processos de assédio moral com o objetivo de identificar as divergências e convergências entre as sentenças/processos procedentes verificados na Justiça do Trabalho, bem como analisa os discursos dos autos, das vítimas e dos gestores das organizações responsabilizadas, adotando como referência algumas das categorias de assédio moral. Diferentemente das pesquisas tradicionais, que consideram a perspectiva das vítimas, esta pesquisa vai além ao considerar, também, os gestores das organizações onde ocorreram os casos analisados. A estratégia de pesquisa utilizada é o estudo de caso, a partir da triangulação de dados obtidos com entrevistas com as vítimas e os gestores e análise de documentos. Com esse delineamento, o estudo foi dirigido em duas fases complementares: na primeira realizou-se o mapeamento das ocorrências de assédio moral na Justiça do Trabalho e na segunda analisaram-se dez casos de assédio moral contra mulheres que trabalharam em empresas privadas de grande porte. Os resultados mostram divergências expressivas nas categorias entre a ótica das vítimas e dos gestores Além disso, eles revelam, não apenas nos discursos dos entrevistados, uma miopia em relação às múltiplas causas de assédio moral no mundo do trabalho, mas, também, nos elementos dos processos jurídicos. Com ênfase nos gestores, as contradições e equívocos sobre o tema preocupam, e os álibis naturalizados, em suas expressões e falas, tentam levar a problemática para a margem, utilizando o tom de "brincadeira" e eufemismos.<hr/>Harassment is a recurrent theme in business literature, with perspectives, although different, converging on one aspect: this practice should be banned from organizations, and, to do this, there is a need to understand it in greater depth. Thus, this study analyzes harassment lawsuits in order to identify divergences and convergences between the sentences/lawsuits pursued by the Labor Justice, and it also analyzes discourses in the court records, as well as discourses by the victims and managers from organizations held accountable, adopting as reference some harassment categories. Unlike traditional scientific studies, which take into account the victims' perspective, this study goes beyond by also considering managers from organizations where the cases under analysis took place. The research strategy used is case study, by means of triangulation of data obtained through interviews with victims and managers and documentary analysis. With this design, the study was conducted in two complementary phases: the first mapped cases of harassment filed with Labor Justice and the second analyzed ten cases of harassment against women who have worked in large private companies. The results show significant differences in the categories between the victims and managers' perspectives. Moreover, they reveal, not only in respondents' discourses, myopia regarding the multiple causes of harassment in the labor world, but also in the elements of legal proceedings. With an emphasis on managers, the contradictions and mistakes on the theme are a matter of concern and naturalized alibis, in their expressions and speeches, try to bring the issue to the borderland, by using the tone of "joke" and euphemisms. <![CDATA[Administering the immeasurable: a critique of academic organizations]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512015000100004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este ensaio teórico focaliza temas concernentes à administração das universidades. Os ensaístas refletem sobre o papel do administrador universitário, oferecendo críticas à utilização de modelos empresariais que não observam as características e complexidade das organizações acadêmicas. De um lado, os autores criticam a utilização de abordagens gerenciais racionais com excessivo foco na eficiência e em elementos mensuráveis, desconsiderando princípios e valores essenciais à natureza das organizações acadêmicas. Por outro lado, destaca-se a inexistência de modelos e teorias administrativas prontas, que atendam às especificidades dessas organizações. Os ensaístas lembram que a teoria da administração universitária ainda está em formação, com base em estudos científicos e na análise de boas práticas observadas em instituições de Ensino Superior. Conclui-se que há necessidade de adoção de uma prática gerencial que privilegie diversas dimensões de caráter objetivo e, principalmente, de caráter subjetivo, notoriamente de difícil mensuração e que integram a essência do trabalho acadêmico. A adoção de tais práticas exige administradores capazes de integrar técnica e arte, racionalidade e intuição.<hr/>This theoretical essay focuses on themes concerning the administration of universities. The essayists think through the university administrator's role, offering some criticism on the use of business models that do not observe the characteristics and complexity of academic organizations. On the one hand, the authors criticize the use of rational managerial approaches with an excessive focus on effectiveness and measurable elements, disregarding principles and values that are crucial to the nature of academic organizations. On the other hand, the authors highlight the absence of ready-made administrative models and theories, which meet the specificities of these organizations. The essayists remind that the theory of university administration is still under development, it is based on scientific studies and the analysis of good practices observed in Higher Education institutions. The authors conclude that there is a need for adopting a managerial practice that favors various dimensions with an objective nature and, especially, with a subjective nature, which are known to be difficult to measure and included into the essence of academic work. The adoption of such practices requires administrators who are able to combine technique and art, rationality and intuition. <![CDATA[Conceptions of management and manager in times of flexible capitalism: a critical approach]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512015000100005&lng=en&nrm=iso&tlng=en O texto socializa os resultados de uma pesquisa cujo objetivo foi compreender criticamente as concepções de Administração e Administrador em tempos de capitalismo flexível. A referência epistemológica da pesquisa é a Teoria Crítica frankfurtiana, fundamentada em três pares categóricos dialéticos: história-naturalização, práxis social-sistema, e alienação-emancipação. A literatura prevalente da área foi revisada no tocante aos conceitos em estudo. Metodologicamente, foi realizada uma pesquisa integralmente qualitativa, com uso de três tipos de entrevistas: entrevista narrativa com história de vida; entrevista com elementos-estímulo; e entrevista narrativa ficcional. Para compreensão das narrativas, utilizou-se a técnica de análise hermenêutico-dialética. Os resultados indicam o predomínio da concepção pragmática-instrumental, no tocante à Administração, pela qual ela continua a ser pensada e discursada como uma ação tecnológica e teleológica, que utiliza saberes múltiplos e aprendizagens cambiantes como meios para alcance das finalidades do contexto organizacional mutante. Quanto ao Administrador, há a emergência da concepção estética para apresentá-lo. Por essa concepção, há a migração do histórico estereótipo do Administrador controlador e vigilante para a representação do Administrador como profissional performático. O segundo resultado, que se apresenta como o mais relevante em relação ao Administrador, é o da fuga da profissão.<hr/>The text is backed up by a field research whose goal was to critically comprehend the conceptions of the management field about the Management and the Manager, in times of flexible capitalism. Epistemologically, the research was conducted by the Frankfurtian critical perspective, based on three categorical dialectical pairs: (i) history versus naturalization; (ii) social praxis versus system; (iii) alienation versus emancipation. The mainstream literature of the Management area was revised. Methodologically, a fully qualitative research was carried out using three types of surveys: (i) narrative survey with life story; (ii) a survey with stimuli elements; and (iii) fictional narrative surveys. For the sake of interpretation and comprehension of the narratives, a hermeneutical-dialectical analysis technique was used. The results indicate the predominance of the pragmatical-instrumental conception regarding Management, through which it continues to be thought and discussed as a technological and teleological action, that uses multiple knowledge and shifting learning as a means of reaching the goals of the changing organizational context. Regarding the Manager, there is the emergence of the aesthetical conception to introduce it. Through this conception, there is the migration from the historic stereotype of the controlling and watchful Manager to the representation of the Manager as a performance professional. The second result, the most relevant with respect to the Manager, is that of the escape from the profession. <![CDATA[Challenges of Organizational Learning Research]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512015000100006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Esta revisão de literatura sobre aprendizagem organizacional aponta cinco principais desafios enfrentados por pesquisadores desse campo. Os desafios identificados foram de caráter teórico, conceitual e metodológico e merecem atenção especial no momento de planejamento de projetos de pesquisa nessa área. A primeira constatação do levantamento bibliográfico é que inexiste uma teoria da aprendizagem organizacional e, portanto, os pesquisadores enfrentam o desafio de erigir teoria relativa a esse fenômeno complexo e multifacetado. Já o segundo desafio refere-se à análise multinível de um processo que ocorre em nível individual e transcende o grupo, a organização e outras organizações, exigindo um modelo de análise adequado. O tema vem sendo estudado por diversas disciplinas sob perspectivas distintas, representando a terceira constatação da pesquisa e o desafio de construir pontes interdisciplinares para o desenvolvimento de uma teoria abrangente e útil em diversos campos da ciência. Esse desafio se torna ainda mais complexo diante da constatação da multiplicidade de conceitos e construtos de pesquisa relacionados diretamente com o mesmo processo de geração e operação de conhecimento para adaptação e performance organizacional. Por fim, o quinto desafio refere-se às metodologias de pesquisa sobre aprendizagem organizacional, com possibilidades pouco exploradas e uma hegemonia dos instrumentos de percepção individual.<hr/>This literature review on organizational learning points out five main challenges faced by researchers from this field. The challenges identified had a theoretical, conceptual, and methodological nature and they deserve a special attention at the time of planning research projects in this area. The first finding of the bibliographical survey is that there is not a theory of organizational learning and, therefore, researchers face the challenge of building theory related to this complex and multifaceted phenomenon. In turn, the second challenge refers to multilevel analysis of a process that takes place at the individual level and goes beyond the group, the organization, and other organizations, requiring a suitable analytical model. The theme has been studied by several disciplines from different perspectives, representing the third research finding and the challenge of building interdisciplinary bridges to develop a comprehensive and useful theory in various fields of science. This challenge becomes even more complex given the verification of the multiplicity of research concepts and constructs directly related to the same processes of generating and operating knowledge for organizational adaptation and performance. Finally, the fifth challenge refers to research methodologies on organizational learning, with barely explored possibilities and hegemony of instruments of individual perception. <![CDATA[Attracting new employees for high performance companies: a critique to human resource professionals' reasons]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512015000100007&lng=en&nrm=iso&tlng=en Os chamados sistemas de trabalho de alta performance refletem a necessidade de organizações fortalecerem o envolvimento do trabalhador para que este responda mais rapidamente às demandas por resultados. Apesar de as práticas de alta performance promoverem uma gradual intensificação no trabalho e o aumento do nível de stress dos trabalhadores, e, portanto, restringirem a qualidade de vida e o bem-estar no trabalho, empresas de alta performance exercem grande poder de atração nos profissionais qualificados, o que enseja a indagação sobre os mecanismos que promovem essa atratividade. Para investigar esta questão, este estudo se debruça sobre os discursos proferidos por profissionais que atuam na área de recursos humanos de empresas de alta performance atuantes no Brasil. A pesquisa foi realizada por meio de entrevistas em profundidade com esses profissionais, com perguntas amplas sobre as atividades de recrutamento e seleção de funcionários. Os argumentos e motivos que permeiam os discursos desses profissionais foram analisados à luz do repertório conceitual da Teoria Crítica, particularmente o debate sobre as racionalidades que orientam a ação social. O exame dos discursos aponta para uma comunicação instrumentalmente orientada e para a distorção sistemática do processo comunicativo no interior das organizações, em detrimento do equilíbrio entre vida e trabalho e do bem-estar individual e interpessoal.<hr/>The so-called high performance systems reflect the organizations' need to strengthen worker involvement in order to respond more quickly to demands for results. Despite the fact that high performance practices promote work intensification and increasing stress levels, and thus restrict quality of life and well-being at work, high performance companies tend to appeal to a large number of qualified professionals; which gives rise to the question about the mechanisms that promote such attractiveness. In order to investigate this issue, this study focuses on the discourse of human resources professionals in high-performance companies operating in Brazil. The research was conducted through in-depth interviews with these professionals, based on broad questions about their recruitment and selection practices. The arguments and motives that permeate the professionals' discourse were analyzed in light of the conceptual repertoire of Critical Theory, particularly the debate about the rationalities that guide social action. The examination of the discourses points to an instrumentally oriented communication and a systematic distortion of the communicative process within organizations, at the expense of work-life balance and individual and interpersonal well-being. <![CDATA[Revisiting James MacGregor Burns' perspective: what is the idea behind the concept of transformational leadership?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512015000100008&lng=en&nrm=iso&tlng=en Na Administração, a liderança é vinculada ao interesse na eficiência produtiva, tendo como pressuposto a capacidade de líderes e liderados atingirem os resultados organizacionais. Todavia, a liderança é matéria mais ampla do que pode julgar essa concepção. Por entender que essa é a perspectiva adotada no texto seminal de Burns (1978) sobre liderança transformacional, propomos neste estudo revisitar essa obra, para contrapor seus principais argumentos em relação àqueles formulados por autores de liderança transformacional na área de Administração. Para tanto, adotamos a análise sócio-histórica, como proposta por Stefani e Vizeu (2011), a primeira etapa da hermenêutica de profundidade (THOMPSON, 2000), um método que visa a evitar o erro da livre interpretação de uma obra contextualmente situada. Assim, concluímos que o ponto central da liderança transformacional, para Burns, é a questão do desenvolvimento moral e o distanciamento na relação utilitária entre líder e liderados. Esses dois pontos são reforçados ao longo do texto pelos exemplos dados pelo autor, quase sempre relacionados ao contexto da liderança no âmbito político e dos movimentos sociais, onde a questão ético-moral é tomada em uma dimensão societal.<hr/>In Administration, leadership is linked to the interest in productive efficiency, assuming the capacity of leaders and subordinates to achieve organizational outcomes. However, leadership is an issue broader than what this conception can suppose. Understanding that this is the perspective adopted in the seminal text by Burns (1978) on transformational leadership, we propose in this study to revisit this work, in order to oppose its main arguments in relation to those made by transformational leadership authors in the field of Administration. To do this, we adopted the socio-historical analysis, as proposed by Stefani and Vizeu (2011), the first step of in-depth hermeneutics (THOMPSON, 2000), a method that aims to avoid the mistake of free interpretation of a work that is contextually situated. Thus, we conclude that the key point of transformational leadership, according to Burns, is the moral development issue and detachment in the utilitarian relationship between leader and subordinates. These two points are stressed throughout the text by means of the examples provided by the author, almost always related to the context of leadership in the political domain and that regarding social movements, where the ethical and moral issue is taken on a societal dimension. <![CDATA[Epistemological principles of the social capital theory in the management field]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512015000100009&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo tem o objetivo de apresentar uma classificação paradigmática das referências predominantes sobre a teoria do capital social na ciência da administração a partir da identificação dos princípios epistemológicos subjacentes. Os cientistas sociais têm oferecido uma variedade de definições de capital social, nas quais cada uma expressa uma particularidade significante. Subjacente a esse fato estão os princípios epistemológicos que têm sido utilizados para guiar os investigadores em suas pesquisas, que refletem uma visão de mundo que é anterior aos conceitos que estão tentando definir. Neste artigo, a análise epistemológica é guiada buscando identificar elementos do empirismo, do racionalismo, do utilitarismo, do positivismo, do funcionalismo, do sistemismo e da dialética. São analisadas as contribuições de Bourdieu, Coleman, Putnam, Fukuyama e Ghoshal sobre a teoria do capital social. As análises são apresentadas considerando a área de especialização dos autores, seja a sociologia, a ciência política ou a administração. De maneira geral, pode-se concluir que os princípios do sistemismo são predominantes nas concepções de capital social elaboradas pelos autores analisados. As abordagens de Coleman, Putnam, Fukuyama e Ghoshal podem ser classificadas como desenvolvidas em um paradigma funcionalista, enquanto a abordagem de Bourdieu pode ser posicionada em um paradigma crítico.<hr/>This article aims to present a paradigmatic classification of the predominant references on the social capital theory in management science from the identification of the underlying epistemological principles. Social scientists have offered a variety of definitions of social capital, in which each one expresses a significant particularity. Underlying this fact, scientists have used epistemological principles in their research, which reflect a worldview that is prior to the concepts they are trying to define. In this article, the epistemological analysis seeks to identify elements of empiricism, rationalism, utilitarianism, positivism, functionalism, systemism and dialectics. We analyse the contributions of Bourdieu, Coleman, Putnam, Fukuyama and Ghoshal on the social capital theory. The analyses are presented considering the area of ​​expertise of the authors, being sociology, political science or management. In general, we conclude that the principles of systemism are prevalent in the concepts of social capital developed by the authors analysed. The approaches of Coleman, Putnam, Fukuyama and Ghoshal can be classified as developed in a functionalist paradigm, while Bourdieu's approach can be positioned in a critical paradigm. <![CDATA[Driven by the transcendent: religiosity as a stimulus to the "entrepreneurial spirit"]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512015000100010&lng=en&nrm=iso&tlng=en Tendo como suporte teórico principal a sociologia clássica weberiana, que debate a relação entre a vida religiosa e o empreendedorismo, e a abordagem schumpeteriana ao empreendedor, este artigo trata da influência da crença religiosa sobre seguidores reconhecidos como empreendedores. A estratégia de pesquisa foi um estudo de caso qualitativo e comparativo sobre empreendedores de duas organizações religiosas: a Igreja Evangélica Renascer em Cristo e a organização católica Movimento dos Focolares. Os dados foram coletados por meio de observação, entrevistas e pesquisa documental. Os resultados indicam que os empreendedores de ambas as organizações preenchem os espaços de incerteza gerados pelas circunstâncias do mercado, por meio da busca pelo "transcendente", o que lhes oferece a segurança subjetiva necessária para a ação. Também foi possível verificar que eles desenvolvem aptidões que não se restringem à mera conduta econômica, dimensão em que suas ações se apresentam como irracionais, porém, alinhadas com o "espírito empreendedor", como a fé e a esperança. Essas aptidões se aproximam do conceito do empreendedor schumpeteriano.<hr/>Having as its main theoretical support Weber's classical sociology, which debates the relation of religious life to entrepreneurship, and Schumpeter's approach to the entrepreneur, this article addresses the influence of religious belief on followers recognized as entrepreneurs. The research strategy was a qualitative and comparative case study on entrepreneurs from two religious organizations: the Reborn in Christ Evangelical Church and the Catholic organization Focolare Movement. Data were collected through observation, interviews, and documentary research. The results indicate that the entrepreneurs from both organizations fill in the gaps of uncertainty generated by market circumstances, by searching for the "transcendent", which offers them the subjective safety needed for action. It was also possible to find out that they develop skills that are not restricted to mere economic behavior, a dimension in which their actions are shown as irrational, but in line with the "entrepreneurial spirit", such as faith and hope. These skills come close to Schumpeter's concept of entrepreneur. <![CDATA[The Spiritually-Based Organization: A Theoretical Review and its Potential Role in the Third Millennium]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512015000100011&lng=en&nrm=iso&tlng=en This paper examines whether the spiritually-based organization (SBO) can be regarded as an imperative for the third millennium. As a result, it draws on the literature review of organizational spirituality, psychology of religion, positive psychology, and spirituality leadership theory in order to support its conclusions, as well as it offers some research propositions. Overall, the evidence gathered throughout this paper suggests that the spiritual paradigm starts to play a key role alongside with the concept of SBOs. Rather, it concludes that these topics can be regarded as authentic imperatives for this millennium. Nonetheless, it argues that is likely to take some time until the spirituality topic may mold, so to speak, organizations' character regarding that spiritual theme is starting to become a noteworthy topic. Furthermore, it argues that the logic that has prevailed on business enterprises has been largely economic, except some honorable initiatives. The findings also indicate that the material paradigm is not suited to deal with germane problems that shape our today's world. Finally, it suggests that the concept of SBO embraces positive changes and, as such, it may be potentially conducive to improving people lives and the planet's health and equilibrium.<hr/>Esse artigo examina se a organização baseada na espiritualidade (OBE) pode ser considerada um imperativo para o terceiro milênio. Em consequência, recorre-se à revisão de literatura sobre espiritualidade organizacional, psicologia da religião, psicologia positiva, teoria da liderança espiritual a fim se dar suporte às conclusões, assim como se oferece algumas proposições de pesquisa. No geral, a evidência coligida ao longo desse artigo sugere que o paradigma espiritual começa a representar um papel-chave junto com as OBEs. Mais especificamente, conclui-se que esses tópicos podem ser considerados como autênticos imperativos nesse milênio. No entanto, argumenta-se que é provável que leve algum tempo até que o tópico da espiritualidade possa moldar, por assim dizer, o caráter das organizações considerando que o tema espiritual está começando a se tornar um importante tópico. Além disso, argumenta-se que a lógica que tem prevalecido nos empreendimentos empresariais tem sido largamente de natureza econômica, exceto algumas honoráveis iniciativas. Os achados também indicam que o paradigma material não é mais adequado para lidar com os relevantes problemas que modelam o mundo moderno. Finalmente, sugere-se que o conceito de OBE abarca mudanças positivas e, como tal, pode ser potencialmente condutor à melhoria da vida das pessoas e da saúde e equilíbrio do planeta. <![CDATA[How making democracy work: Social capital and civic traditions in modern Italy]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512015000100012&lng=en&nrm=iso&tlng=en El libro que aquí presentamos es ya todo un clásico de la Ciencia Política contemporánea, y como tal es un pleno acierto su inclusión en la nueva colección de "Clásicos Contemporáneos" que edita el Centro de Investigaciones Sociológicas. Desde la aparición del libro, y en menos de veinte años, Putnam ha logrado catapultar el concepto de "capital social" desde un ámbito estrictamente académico al mundo de las instituciones internacionales y al escenario de relaciones entre poderes públicos, mercado y sociedad civil. Un concepto que, si bien fue puesto en circulación anteriormente por otros autores, desde la aportación de Putnam ha alcanzado niveles de utilización que, aunque puedan resultar discutibles desde una lógica estrictamente académica, demuestran el atractivo de una formulación que, al menos aparentemente, es capaz de explicar situaciones, desequilibrios y problemas que no encuentran fácil acomodo en otras formulaciones. La clave del libro reside en la voluntad de explicar el buen rendimiento de las instituciones de gobierno, aunque posteriormente, la capacidad expansiva del concepto se demostró muy superior a este primer empeño.<hr/>O livro aqui apresentado já é um verdadeiro clássico da Ciência Política contemporânea e, como tal, trata-se de uma decisão plenamente acertada sua inclusão na nova coleção "Clássicos Contemporâneos" que edita o Centro de Pesquisas Sociológicas. Desde o surgimento do livro, e em menos de 20 anos, Putnam conseguiu catapultar o conceito de "capital social" de um âmbito puramente acadêmico para o mundo das instituições internacionais e o cenário das relações entre poderes públicos, mercado e sociedade civil. Um conceito que, embora tenha sido posto em circulação antes por outros autores, a partir da contribuição de Putnam atingiu níveis de utilização que, embora possam mostrar-se questionáveis sob uma lógica puramente acadêmica, demonstram o atrativo de uma formulação que, pelo menos aparentemente, é capaz de explicar situações, desequilíbrios e problemas que não são acomodados com facilidade em outras formulações. O ponto-chave do livro encontra-se na disposição de explicar o bom desempenho das instituições governamentais, embora, mais tarde, a capacidade de expansão do conceito tenha demonstrado ser muito superior a esse primeiro esforço.<hr/>The book introduced herein is a true classic of contemporary Political Science and, as such, it is a fully right decision to include it in the new collection of "Contemporary Classics" edited by the Sociological Research Center. Since the book appearance, and in less than 20 years, Putnam managed to catapult the concept of "social capital" from a strictly academic environment to the world of international institutions and the scene of relations between government, market, and civil society. A concept that, although put into circulation before by other authors, since Putnam's contribution has reached usage levels that, although may be disputable from a strictly academic rationale, demonstrate the attractiveness of a formulation that, at least apparently, is able to explain situations, imbalances, and problems that are not easily accommodated in other formulations. The key point of the book lies on the willingness to explain the good performance of government institutions, although later on the concept's expansion capacity has proven to be far superior to that first effort.