Scielo RSS <![CDATA[Revista Dor]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1806-001320170002&lang=es vol. 18 num. 2 lang. es <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Spirituality and pain]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200095&lng=es&nrm=iso&tlng=es <![CDATA[Musculoskeletal disorders and disability in Brazilian Dentists in São Paulo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200097&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Musculoskeletal disorders represents one of the major public health problems among workers and the general population, and it is multifactorial in origin. It has attracted the attention of researchers concerned with issues relating to health and work, due to cost and its impact on the quality of life. It causes functional impairment, limitations in activities, decreased quality of life, disability, reduced work productivity and direct medical costs. To measure the prevalence of musculoskeletal disorders and the association between the musculoskeletal disorders and pain disability in dentists in São Paulo, Brazil. METHODS: A cross sectional study was conducted with 91dentists in the northwest of São Paulo, Brazil. Data were collected through interviews, using the Nordic Questionnaire, The Pain Disability Questionnaire and the Numeric Pain Scale were also administered to workers who reported pain. Statistical analyses were performed using SPSS 21.0. RESULTS: Most dentists (90.4%) had musculoskeletal disorders, especially in the neck, upper and lower back. The analysis of the intensity of pain and disability with Pain Disability Questionnaire in symptomatic dentists showed an average pain intensity of 1.96, its intensity was classified as moderate. Mean scores of the Pain Disability Questionnaire total (7.91) and its dimensions - functional condition (5.29) and psychosocial condition (2.61) - suggest moderate disability in Brazilian dentists. There was moderate t correlation (r = 0.409) between pain intensity and the total score of disability caused by pain. CONCLUSION: Pain and work-related musculoskeletal disorders interfere significantly in dentists' lives. There is significant correlation between pain intensity and disability caused by pain in dental surgeons.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Os distúrbios musculoesqueléticos representam um dos principais problemas de saúde pública entre os trabalhadores e a população em geral, e é de origem multifatorial. Esses problemas causam comprometimento funcional, limitações nas atividades, diminuição da qualidade de vida, incapacidade, redução da produtividade do trabalho e custos com cuidados médicos. O objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência de distúrbios musculoesqueléticos e a associação com a incapacidade gerada pela dor em dentistas em São Paulo, Brasil. MÉTODOS: Estudo transversal realizado com 91 dentistas no noroeste de São Paulo, Brasil. Os dados foram coletados por meio de entrevistas, utilizando-se o Questionário Nórdico, o Questionário de Incapacidade gerada pela Dor e a Escala Numérica de Dor também foram aplicados aos trabalhadores que relataram dor. As análises estatísticas foram realizadas utilizando SPSS 21.0. RESULTADOS: A maioria dos cirurgiões-dentistas (90,4%) apresentou distúrbios musculoesqueléticos, especialmente no pescoço, nas costas, parte superior e inferior. A análise da intensidade da dor e incapacidade com Questionário de Incapacidade gerada pela Dor em dentistas sintomáticos mostrou uma intensidade média de dor de 1,96, sendo sua incapacidade classificada como moderada. As pontuações médias do Questionário de Incapacidade gerada pela Dor total (7,91) e suas dimensões - condição funcional (5,29) e condição psicossocial (2,61) - sugerem incapacidade moderada em dentistas brasileiros. Houve correlação t moderada (r = 0,409) entre a intensidade da dor e a pontuação total de incapacidade causada pela dor. CONCLUSÃO: A dor e os distúrbios musculoesqueléticos relacionados ao trabalho interferem significativamente na vida dos dentistas. Existe uma correlação significativa entre a intensidade da dor e a incapacidade causada pela dor em cirurgiões-dentistas. <![CDATA[Quality of assistance of acute chest pain patients in the State of Ceará, Brazil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200103&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Chest pain is a major reason for hospitalization in the public network due to its subjectivity, non-specificity, lack of nurses and physicians' qualification, quality of assistance and the fact that chest pain patients satisfaction is still far away from ideal. This study aimed at evaluating the quality of assistance of acute chest pain patients in the State of Ceará, Brazil. METHODS: This is a descriptive, exploratory and analytical study. After applying a form, a sample of 430 patients and 50 professionals of a reference hospital was obtained. Non-parametric statistics was used for analysis and discussion. Dependent variables and users' satisfaction were correlated for the development of tables and simple descriptive statistical analysis. RESULTS: Three hundred and eighty-one patients (65.65%) have looked for assistance more than once, returning for several reasons, even when there were other units for health follow up in their respective region. Most users (n=422) have not noticed assistance barriers with regard to materials and human resources (83.17). However, delay in assistance (9.0%) was the most important barrier perceived by those referring difficulties (n=38). CONCLUSION: The complex assistance to acute chest pain patients affects the analysis of the quality of assistance provided to users. The high number of patients makes the service chaotic because the relationship between health professionals and structure is not satisfactory, requiring the insertion of more professionals and improvement in assistance time.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor torácica é uma das principais causas de internação na rede pública e devido ao caráter subjetivo da dor, à inespecificidade da dor torácica, e à deficiência na capacitação de profissionais enfermeiros e médicos, à qualidade dos atendimentos e à satisfação dos pacientes com dor torácica que ainda está longe de ser o ideal. Neste contexto, este estudo teve como objetivo analisar a qualidade da assistência à pacientes com dor torácica aguda no estado do Ceará-Brasil. MÉTODOS: Pesquisa do tipo descritiva, exploratória e analítica. Aplicou-se um formulário e obteve-se uma amostra 430 pacientes e 50 profissionais do hospital de referência. Utilizou-se estatística não paramétrica para análise e discussão. As variáveis dependentes e a satisfação dos usuários foram correlacionadas para a construção de tabelas e análise estatística descritiva simples. RESULTADOS: Trezentos e oitenta e um pacientes (65,65%) já buscaram o serviço mais de uma vez para atendimento, retornando por diversos motivos, mesmo existindo outras unidades para o acompanhamento de saúde em sua respectiva regional. A maioria dos usuários (n=422) não percebeu barreiras no atendimento quanto a materiais e recursos humanos (83,17%). No entanto, a demora no atendimento (9,0%) constituiu a maior barreira percebida por aqueles referiram haver dificuldades (n=38). CONCLUSÃO: A complexidade do atendimento à pacientes com dor torácica aguda afeta a análise da qualidade da assistência prestada aos usuários. O elevado número de atendimentos torna o serviço caótico, pois a relação entre profissionais de saúde e estrutura é insatisfatória, requerendo a inserção de mais profissionais e a melhoria do tempo de atendimento. <![CDATA[Prevalence of chronic pain and associated factors among medical students]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200108&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Pain is a major complaint of individuals looking for healthcare services. The high prevalence of both acute and chronic pain makes it a public health problem, due to high costs imposed to society and healthcare services, in addition to the negative impact on daily activities of those living with such experience. This study aimed at identifying the prevalence of chronic pain among medical students of a University in the countryside of São Paulo. METHODS: Cross-sectional study carried out with 395 students of all grades of the medicine course of the Universidade de Taubaté. Investigated variables were: pain incidence and duration, presence or not of triggering factor(s), use or not of painkillers, pain location and dimension according to McGill questionnaire. RESULTS: There has been predominance of females with 253 participants (64.05%), prevailing the age group between 21 to 25 years with 217 students (54.93%). Among participants, 219 (55.44%) reported some type of pain and among them, 141 (64.38%) have reported chronic pain, that is, for more than six months, in a total of 35.69%. CONCLUSION: In our study, chronic pain prevalence was 35.69%, especially among females. With regard to pain location, there has been more prevalence of lumbar and sacrococcygeal regions, followed by knees and headache, face and mouth and finally widespread pain.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor é uma das principais queixas dos indivíduos que procuram atendimento nos serviços de saúde. A alta prevalência de dor tanto aguda quanto crônica na população torna este um problema de saúde pública, devido aos elevados custos impostos à sociedade e aos serviços de saúde, além do impacto negativo nas atividades cotidianas daqueles que convivem com tal experiência. Este estudo teve como objetivo identificar a prevalência de dor crônica em estudantes de medicina de uma Universidade do Interior Paulista. MÉTODOS: Estudo transversal, realizado com 395 estudantes de todas as séries do curso de medicina da Universidade de Taubaté. As variáveis investigadas foram: ocorrência e tempo da dor sentida, presença ou não de fator (es) desencadeante (s), uso ou não de fármacos para alívio da dor, localização e dimensão da dor segundo o questionário de McGill. RESULTADOS: Houve predomínio do sexo feminino com 253 participantes (64,05%), prevalecendo a faixa etária de 21 a 25 anos com 217 alunos (54,93%). Entre os participantes, 219 (55,44%) apontaram a presença de algum tipo de dor e destes, 141 (64,38%) relataram sentir dor de forma crônica, ou seja, há mais de seis meses, perfazendo 35,69% do total. CONCLUSÃO: Neste estudo, a prevalência de dor crônica foi de 35,69%, com maior ocorrência no sexo feminino. Em relação a localização da dor, houve maior prevalência na região lombar e sacrococcígea, seguida pelo joelho e em terceiro lugar a dor de cabeça, face e boca e por último dor generalizada. <![CDATA[Functionality, psychosocial factors and quality of life in women with predominance of central sensitization]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200112&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Chronic pain is a major reason for visits to healthcare professionals and has been seen as a public health problem. Many patients with chronic pain may develop predominance of central sensitization. Patients with central sensitization must be assessed through biopsychosocial model. This study aimed at evaluating physical and psychosocial impairment in women with chronic pain with predominance of central sensitization. METHODS: A cross-sectional study was conducted in women with chronic musculoskeletal pain and central sensitization prevalence. Fifty-seven musculoskeletal pain patients were screened. Women with chronic, widespread and neuropathic pain and with pain in more than three sites, including trunk, upper and lower limbs were also included. Central sensitization was defined by mechanism-based pain classification. Eighteen patients were enrolled and completed questionnaires on sociodemographic characteristics, pain intensity, functionality, quality of life, kinesiophobia and catastrophizing. Descriptive statistics and correlation analyses were provided. RESULTS: All participants have pain seven days a week and 88.9% of them were classified as severe pain. It was observed high levels of catastrophizing and kinesiophobia. There was a strong correlation between catastrophizing and kinesiophobia (Rho=0.864, p&lt;0.01). The mental component of quality of life questionnaire showed moderate negative correlation with catastrophizing (Rho=-0.611, p&lt;0.01) and kinesiophobia (Rho=-0.646, p&lt;0.01). There was a moderate correlation of pain intensity and catastrophizing (Rho=0.628, p&lt;0.01) and kinesiophobia (Rho=0.581, p=0.01). No correlation was observed between age, physical component of quality of life questionnaire, functionality, and pain duration. CONCLUSION: Quality of life and pain intensity were more remarkably affected by psychosocial factors than functionality in women with chronic musculoskeletal pain with central sensitization predominance.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Dor crônica é o principal motivo para consultas de profissionais de saúde e tem sido considerada como um problema de saúde pública. Vários pacientes com dor crônica devem desenvolver o predomínio de sensibilização central. Pacientes com sensibilização central devem ser avaliados através do modelo biopsicossocial. O objetivo deste estudo foi avaliar o comprometimento físico e psicossocial de mulheres com dor crônica que apresentam predomínio de sensibilização central. MÉTODOS: Um estudo transversal foi conduzido com mulheres com dor crônica que apresentam predomínio de sensibilização central. Cinquenta e sete pacientes com dores musculoesqueléticas participaram da triagem. Mulheres com dor crônica de natureza neuropática e com dor localizada em mais de três locais, incluindo tronco, membro superior e inferior também foram incluídas. Sensibilização central foi definida pela classificação da dor baseada em seu mecanismo. Dezoito pacientes foram identificados e preencheram um questionário com características sócio-demográficas, intensidade de dor, funcionalidade, qualidade de vida, cinesiofobia e catastrofização. Foi realizada a análise estatística descritiva e a correlação entre as variáveis. RESULTADOS: Todos as participantes apresentavam dor sete vezes por semana e 88,9% foram classificadas como dor intensa. Foi observado elevado nível de catastrofização e cinesiofobia. Houve uma forte correlação entre catastrofização e cinesiofobia (Rho=0,864, p&lt;0,01). O componente mental do questionário de qualidade de vida evidenciou moderada correlação com catastrofização (Rho=-0,611, p&lt;0,01) e cinesiofobia (Rho=-0,646, p&lt;0,01). Houve moderada correlação entre a intensidade de dor e a catastrofização (Rho=0,628, p&lt;0,01) e cinesiofobia (Rho=0,581, p=0,01). Nenhuma correlação entre idade, componente físico da qualidade de vida, funcionalidade e duração da dor foi observada. CONCLUSÃO: A qualidade de vida e a intensidade da dor estiveram mais relacionadas com os fatores psicossociais do que a funcionalidade em mulheres com dor musculoesquelética crônica com predomínio de sensibilização central. <![CDATA[Prevalence of low back pain and interference with quality of life of pregnant women]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200119&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Pregnancy is characterized by a period when women's body suffers different changes. Between 50 and 80% of pregnant women refer low back pain, which may directly interfere with their quality of life. This study aimed at determining the prevalence of low back pain and its interference with quality of life of pregnant women assisted in the Family Health Strategy of the City of Cabo Frio. METHODS: Field cross-sectional study with pregnant women between the 13th and 36th week of gestation, with low back pain, assisted in a low risk pre-natal program. A demographic questionnaire, Roland Morris and WHOQOL-bref questionnaires were applied to evaluate low back pain and quality of life, respectively. Descriptive statistics and Spearman correlation tests were used and p&lt;0.05 was considered statistically significant. RESULTS: Participated in the study 139 pregnant women assisted by the pre-natal assistance program. Mean age of 24.4±7.65 years. There has been significant correlation between quality of life domains questionnaire (physical domain p&lt;0.000, psychological domain p&lt;0.004, environmental domain p&lt;0.022; social relations domain p&lt;0.0025 and overall quality of life p&lt;0.000 and Roland Morris questionnaire. There has been correlation between weeks of gestation and Roland Morris questionnaire (p&lt;0.005). As to weeks of gestation and quality of life questionnaire there has only been correlation in the social relation domain (p&lt;0.025). CONCLUSION: Low back pain interferes with quality of life of studied pregnant women.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A gravidez é caracterizada por um período em que o organismo da mulher sofre diversas alterações. Entre 50 e 80% das gestantes referem dor na região lombar, podendo interferir diretamente sobre a sua qualidade de vida. O objetivo deste estudo foi determinar a prevalência de lombalgia e a interferência na qualidade de vida de gestantes atendidas na Estratégia de Saúde da Família da Cidade de Cabo Frio. MÉTODOS: Pesquisa de campo, transversal realizada com gestantes, entre a 13ª e 36ª semana de gestação, que apresentavam dor na região lombar, assistidas em um programa de pré-natal de baixo risco. Foi aplicado um questionário sócio demográfico, questionários de Roland Morris e WHOQOL-bref, para avaliar a lombalgia e a qualidade de vida, respectivamente. Foi utilizada estatística descritiva e o teste de correlação de Spearman e o valor de p&lt;0,05 foi considerado para significância estatística. RESULTADOS: Participaram do estudo 139 gestantes assistidas no programa de atendimento pré-natal. Idade média de 24,4±7,65 anos. Houve correlação significativa entre os domínios do questionário de qualidade de vida (domínio físico p&lt;0,000; domínio psicológico p&lt;0,004 domínio meio ambiente p&lt;0,022; domínio relação social p&lt;0,0025 e qualidade devida geral p&lt;0,000) com o questionário Roland Morris. Houve correlação entre as semanas de gestação e o questionário Roland Morris (p&lt;0,005). Quanto as semanas de gestação e o questionário de qualidade de vida só houve correlação com o domínio relação social (p&lt;0,025). CONCLUSÃO: A lombalgia interfere na qualidade de vida das gestantes pesquisadas. <![CDATA[Correlation between pain and quality of life of patients under hemodialysis]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200124&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: To evaluate pain symptoms and their influence on quality of life of chronic renal patients submitted to hemodialysis. METHODS: Descriptive, exploratory, comparative and cross-sectional study paired by frequency, having as tested group (GI, n=50) chronic renal patients under hemodialysis with hypertension and diabetes mellitus type 2, and as control group (GII, n=50) patients with hypertension or diabetes mellitus type 2, assisted by the Hypertension Ambulatory. Quality of life was evaluated by the Kidney Disease and Quality of Life Short-Form, pain by the Brief Pain Inventory, emotional factors by Beck anxiety and depression scales and neuropathic pain by DN4 questionnaire. RESULTS: Both groups had predominance of males, mean age of 47.3±16.5 years. With regard to labor, the group under hemodialysis (GI) had 80% of inactive patients. Most impaired quality of life domains were job situation and physical function. There has been prevalence of depression and anxiety, neuropathic pain and more pain complaint in GI, significantly interfering with general activities such as sleep and walking ability. There has been significant correlation (p&lt;0.05) between anxiety, physical function and labor situation versus pain. CONCLUSION: Pain is often ignored, but brings significant consequences to quality of life of patients, contributing for relevant worsening of anxious or depressive symptoms. Thus, it is critical the multidisciplinary management of such patients.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Avaliar o sintoma da dor e sua influência na qualidade de vida dos pacientes renais crônicos submetidos a tratamento hemodialítico. MÉTODOS: Estudo descritivo, exploratório, comparativo de corte transversal com pareamento por frequência, tendo como grupo testado (GI, n=50) pacientes renais crônicos em tratamento hemodialítico cuja etiologia era hipertensão arterial e diabetes mellitus tipo 2, e como grupo controle (GII, n=50) pacientes com hipertensão arterial ou diabetes mellitus tipo 2 atendidos no Ambulatório de Hipertensão. A qualidade de vida foi avaliada pelo instrumento Kidney Disease and Quality-of-Life Short-Form, a dor pelo Inventário Breve de Dor, os fatores emocionais pelas escalas Beck de ansiedade e depressão e a incidência de dor neuropática pelo questionário DN4. RESULTADOS: Na amostra dos dois grupos houve predomínio do gênero masculino, média de idade de 47,3±16,5 anos. Em relação à situação laboral o grupo em tratamento hemodialítico (GI) encontrou uma maioria de 80% de pacientes inativos. Os domínios mais comprometidos da qualidade de vida foram situação de trabalho e função física. Houve prevalência de depressão e ansiedade, maior predomínio de dor neuropática e maior queixa álgica no GI, interferindo significativamente em atividades gerais como sono e habilidade para caminhar. Houve correlação significativa (p&lt;0,05) entre índices de ansiedade, função física, situação de trabalho versus dor. CONCLUSÃO: A dor é um aspecto muitas vezes ignorado, mas que acarreta em consequências significativas na qualidade de vida dos pacientes, contribuindo para um aumento relevante dos sintomas ansiosos ou depressivos. É, portanto, de fundamental importância o atendimento multidisciplinar a estes pacientes. <![CDATA[Retrospective review of patients referred to a temporomandibular dysfunction care setting of a Brazilian public university]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200128&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: The objective of this study is to describe the restrospective analysis of medical records of patients with temporomandibular disorder in a healthcare service of a Brazilian public university. The prevalence of signs and symptoms of temporomandibular disorder, associated factors, diagnosis and observations related to the treatment were recorded. METHODS: Two hundred and thirteen medical records were assessed by one single surveyor from March 2013 to December 2014. Information about sociodemographic factors, prevalence of symptoms of temporomandibular disorder and treatment need were collected (Fonseca Anamnestic Index), clinical examination, diagnosis, treatments and referral to other professionals. RESULTS: The majority of patients were female (81.7%), single (53.0%), students (23.3%) between 20 and 29 years of age (26.8%). Pain was reported by 50.4% of patients. According to FAI, 41.8% of patients were classified with severe synptoms of temporomandibular disorder and 73.2% identified with the need of treatment. Presence of temporomandibular disorder symptoms (p = 0.001) and need of treatment (p &lt;0.001) were significantly associated to the female gender. The most prevalent diagnosis was muscle temporomandibular disorder (41.5%) and the most affected muscle was the masseter (21.3%). The most common treatments were occlusal splint (27.6%) and counseling (22.6%). CONCLUSION: The greater demand for temporomandibular disorder treatment came from young patients, single, female, complaining from pain. The prevalence of temporomandibular disorder symptoms was high, muscular disorders was the most prevalent findings and most of the treatments were reversible and conservative. The frequency of referral to other specialties related to temporomandibular disorder was low.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O objetivo deste estudo foi descrever a análise retrospectiva de prontuários referentes a um serviço de atendimento a pacientes com disfunção temporomandibular em uma clínica de ensino de uma universidade pública brasileira. A prevalência de sinais e sintomas de disfunção temporomandibular, fatores associados, diagnósticos e observações relacionadas ao tratamento foram registrados. MÉTODOS: Duzentos e treze prontuários foram avaliados por um único examinador no período de março de 2013 a dezembro de 2014. Coletou-se informações sobre fatores sócio-demográficos, prevalência de sintomas de disfunção temporomandibular e necessidade de tratamento (índice anamnésico de Fonseca), exame clínico, diagnósticos, tratamentos e encaminhamentos para outros profissionais. RESULTADOS: A maioria dos pacientes era do sexo feminino (81,7%), solteira (53,0%), estudantes (23,3%) e entre 20 e 29 anos (26,8%). A dor foi relatada por 50,4% dos pacientes. De acordo com o índice FAI, 41,8% dos pacientes foram classificados com sintomas graves de disfunção temporomandibular e 73,2% identificados com necessidade de tratamento. Presença de sintomas de disfunção temporomandibular (p = 0,001) e necessidade de tratamento (p &lt;0,001) foram significativamente associadas ao sexo feminino. O diagnóstico mais prevalente foi disfunção temporomandibular muscular (41,5%) e o músculo mais afetado foi o masseter (21,3%). Os tratamentos mais comuns foram placa oclusal (27,6%) e aconselhamento (22,6%). CONCLUSÃO: A maior demanda por tratamento para disfunção temporomandibular foi de pacientes jovens, solteiros, do sexo feminino, com queixa de dor. A prevalência de sintomas de disfunção temporomandibular foi alta, os distúrbios musculares foram os achados mais prevalentes e a maioria dos tratamentos foi reversível e conservadora. A frequência de encaminhamentos para outras especialidades relacionadas à disfunção temporomandibular foi baixa. <![CDATA[Prevalence of musculoskeletal pain in leather products industry workers: cross-sectional study in a city of the state of Minas Gerais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200135&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Musculoskeletal injuries induced by labor process and organization are relevant for health/labor relationship. This study aimed at investigating the prevalence of musculoskeletal complaints and associated factors among leather products manufacturers. METHODS: Cross-sectional study where data were obtained by means of self-applied questionnaires to 320 workers distributed among 13 plants of the city of Cristina, MG, between February and March 2011. Nordic questionnaire of musculoskeletal symptoms was applied to measure the prevalence of complaints in different body regions. A descriptive analysis was carried out on the socio-demographic profile of the studied population. Multivariate logistic regression was used to describe the association between dependent variable, musculoskeletal complaint and the set of explanatory variables, with adjusted odds ratio calculation. Logistic regression was used with adjusted odds ratio calculation. RESULTS: The study involved 138 workers. Better adjusted multivariate model after confusion variables control was for knee pain, with prevalence of 40.0% among males and 24.1% among females. Sewing and finishing sectors behaved as "protection", that is, less chance for pain as compared to the cutting sector. Age had negative association, that is, the higher the age the lower the chance of pain. In a different adjusted model for shoulder pain, workers and time working on the job showed higher chance of pain. CONCLUSION: The prevalence of complaints was higher than that found in the literature. Significant variables were identified which may subsidize the prevention of job distress, such as knee pain. Further studies are needed with the inclusion of other variables and other designs to minimize biases.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: As lesões musculoesqueléticas decorrentes do processo e da organização do trabalho são relevantes na relação saúde e trabalho. O objetivo deste estudo foi investigar a prevalência de queixas osteomusculares e os fatores associados entre trabalhadores de confecção de artefatos de couro. MÉTODOS: Estudo transversal, pelo qual os dados foram obtidos por meio de questionários autoaplicados a 320 trabalhadores distribuídos em 13 fábricas do município de Cristina, MG, entre os meses de fevereiro e março de 2011. O questionário nórdico de sintomas osteomusculares foi empregado para mensurar a prevalência de queixas nas diferentes regiões do corpo. Foi realizada uma análise descritiva sobre o perfil sócio-demográfico da população do estudo. Utilizou-se de regressão logística multivariada para descrever a associação entre a variável dependente, queixa osteomuscular, e o conjunto de variáveis explanatórias, com o cálculo das razões de chances ajustadas. Utilizou-se regressão logística, com cálculo das razões de chances ajustadas. RESULTADOS: O estudo compreendeu 138 trabalhadores. O modelo multivariado mais bem ajustado, após o controle das variáveis de confusão, foi para dor nos joelhos, com prevalência de 40,0% entre os homens e de 24,1% entre as mulheres. Os setores de costura e acabamento se comportaram como "proteção", ou seja, de menor chance de dor, quando comparado ao setor de corte. A idade apresentou uma associação negativa, ou seja, à medida que ela se eleva, menor a chance de dor. Em outro modelo ajustado, para dor nos ombros, as trabalhadoras e a extensão do tempo no cargo apresentaram maior chance de dor. CONCLUSÃO: Foram reveladas prevalências de queixas superiores às encontradas na literatura. Variáveis significativas foram identificadas, que podem subsidiar a prevenção de sofrimento no trabalho, como por exemplo, dor nos joelhos. São necessários estudos posteriores, com a inclusão de outras variáveis e outros desenhos para a redução de vieses. <![CDATA[Evaluation in adolescents practitioners and non-practitioners of futsal to detect positivity for patellar chondromalacia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200141&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: An increasingly popular modality is futsal; with increased popularity, the number of adolescents practicing such sport is also increasing and, as consequence, related injuries are also increasing, becoming object of interest of healthcare professionals. This study aimed at comparing signs and symptoms in adolescents practicing and not practicing futsal, to suggest positivity for patellar chondromalacia. METHODS: To detect patellar chondromalacia, history and physical evaluation (Perkin, lateral patellar shift, Waldron, patellar apprehension and Clarke's signal) were performed. RESULTS: Participated in the study 88 individuals, being 44 futsal practitioners and 44 non-practitioners. In the practitioners group, 54.5% have reported knee pain versus 34.1% of non-practitioners. The crossing of clinical signs with pain has shown statistically significant values: Perkin test (p=0.030), Waldron test (p=0.030) for practitioners and Perkin (p=0.002), lateral patellar shift (p=0.020) and Clarke's signal (p=0.014) for non-practitioners. CONCLUSION: This study has shown more positivity of clinical tests for patellar chondromalacia in non-practitioners of futsal, however practitioners had lower frequency of positivity, except for Clarke's signal. In addition, pain was more frequent in the practitioners group.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Uma das modalidades em ascensão mundial é o futsal; com aumento na popularidade, o número de adolescentes que praticam o esporte tem aumentado e como consequência as lesões de sua prática também têm crescido, tornando-se objeto de interesse de profissionais da área da saúde. O objetivo deste estudo foi comparar sinais e sintomas presentes em adolescentes não praticantes e praticantes de futsal, para sugerir a positividade nos testes para condromalácia patelar. MÉTODOS: Foram realizados anamnese e exame físico (Perkin, deslocamento lateral da patela, Waldron, apreensão patelar e sinal de Clarke) para detecção de condromalácia patelar. RESULTADOS: Foram avaliados 88 indivíduos sendo 44 praticantes de futsal e 44 não praticantes. No grupo dos praticantes 54,5% relataram sentir dor no joelho, versus 34,1% dos não praticantes. O cruzamento dos testes clínicos com a dor mostrou valores estatisticamente significantes: teste de Perkin (p=0,030) teste de Waldron (p=0,030) nos praticantes e nos não praticantes Perkin (p=0,002), deslocamento lateral da patela (p=0,020) e sinal de Clarke (p=0,014). CONCLUSÃO: Esse estudo mostrou maior frequência de positividade de testes clínicos para condromalácia patelar em não praticantes de futsal, entretanto, os praticantes apresentaram menor frequência de positividade, exceto no sinal de Clarke. Além disso, a presença de dor apresentou maior frequência para o grupo de praticantes. <![CDATA[Effect of supervised physical exercise on flexibility of fibromyalgia patients]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200145&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Fibromyalgia is characterized by chronic diffuse musculoskeletal pain. The syndrome, of still unknown etiology, predominantly affects females. Considering that aerobic, resisted and flexibility exercises may help improving the negative impact of fibromyalgia on quality of life, this study aimed at observing the effect of supervised physical exercise on the flexibility of female patients with fibromyalgia treated in the Extension Project "Interdisciplinary treatment of fibromyalgia patients", developed in the Universidade do Rio de Janeiro. METHODS: The study consisted in a program of supervised physical exercises lasting six months. Training frequency was equal to two weekly sessions lasting one hour each. Flexibility evaluation tool was the sit and reach test, which was applied in the beginning, three months and six months after intervention. RESULTS: Sample was made up of 29 females (age: 48.6±10.3 years) diagnosed with fibromyalgia. No significant changes in flexibility were observed after three months of intervention. ANOVA one-way has shown significant improvement (p&lt;0.05) from beginning of intervention to completion (Δ=22.77%). CONCLUSION: Six months intervention with supervised physical exercises may improve flexibility levels of fibromyalgia females.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A fibromialgia é uma síndrome caracterizada por dor musculoesquelética crônica e difusa no corpo humano. A síndrome, que ainda não tem etiologia conhecida, acomete predominantemente pacientes do sexo feminino. Considerando que exercícios aeróbicos, resistidos e de flexibilidade podem colaborar na redução do impacto negativo que a fibromialgia impõe à qualidade de vida, o objetivo deste estudo foi verificar o efeito do exercício físico supervisionado sobre a flexibilidade de pacientes mulheres com fibromialgia tratadas no Projeto de Extensão "Tratamento Interdisciplinar para pacientes com fibromialgia", desenvolvido na Universidade do Estado do Rio de Janeiro. MÉTODOS: A intervenção do estudo consistiu em um programa de exercícios físicos supervisionados com duração de seis meses. A frequência de treinamento foi igual a duas sessões semanais com uma hora de duração cada. O instrumento utilizado para avaliação da flexibilidade foi o teste de sentar e alcançar, o qual foi aplicado no início, depois de três meses e após seis meses de intervenção. RESULTADOS: A amostra do estudo foi composta por 29 mulheres (idade: 48,6±10,3 anos) diagnosticadas com fibromialgia. Após os três primeiros meses de intervenção com exercício físico supervisionado, não foram encontradas alterações significativas na flexibilidade da amostra do estudo. A ANOVA one-way apresentou melhora significativa (p&lt;0,05) na amostra do momento inicial para o final (Δ=22,77%). CONCLUSÃO: Uma intervenção de seis meses de duração com exercícios físicos supervisionados pode melhorar os níveis de flexibilidade de mulheres com fibromialgia. <![CDATA[Nonspecific chronic low back pain and incapacity level: influence of walking performance]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200150&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Chronic low back pain syndrome promotes several functional losses which impact quality of life of patients, and walking is one of the most impaired functions. Being chronic low back pain a syndrome with multiple etiologies, efforts to understand the relation between functional losses and etiologic factors are justified. This study aimed at correlating walking speed with pain perception, incapacity level (I) and condition of having or not chronic low back pain (group). METHODS: Sample was made up of volunteers with nonspecific low back pain (LG/n=8) and healthy subjects (CG/n=8). Incapacity level was obtained by Oswestry Incapacity Index during evaluation. Tests battery was divided in three sessions according to walking intensity, as follows: preferred self-selected speed (VP) and faster and slower speeds as compared to VP. In each session, volunteers walked for five minutes and at every minute pain was quantified by the analog scale. Kendal Tau test was used with p=0.05. RESULTS: Walking speed was not correlated with pain intensity, with incapacity level or with the group. However, group versus incapacity level, group versus pain, incapacity level versus pain were correlated with one another. CONCLUSION: Walking performance was not influenced by nonspecific chronic low back pain and by incapacity level.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A síndrome de dor lombar crônica promove diversos prejuízos funcionais que impactam a qualidade de vida dos pacientes, e a caminhada é uma das funções mais comprometidas. Sendo a dor lombar crônica uma síndrome multietiológica, os esforços para se entender a relação os entre prejuízos funcionais e os fatores etiológicos se justificam. O objetivo deste estudo foi correlacionar a velocidade de caminhada com a percepção dolorosa, o nível de incapacidade (I) e a condição de ter ou não dor lombar crônica (grupo). MÉTODOS: A amostra foi composta por voluntários com dor lombar crônica inespecífica (GL/n=8) e sujeitos saudáveis (GC/n=8). O nível de incapacidade foi obtido pelo Índice de Incapacidade de Oswestry durante a avaliação. A bateria de testes foi dividida em três sessões de acordo com a intensidade da caminhada como segue: velocidade autosselecionada preferida (VP), e velocidades mais rápidas e mais lentas que a VP. Em cada sessão os voluntários caminharam por cinco minutos e a cada minuto a intensidade dolorosa foi quantificada pela escala analógica. Foi usado o teste Tau de Kendall com p=0,05. RESULTADOS: A velocidade de caminhada não se correlacionou com a intensidade dolorosa, com o nível de incapacidade e nem com o grupo. Entretanto, grupo versus nível de incapacidade, grupo versus dor, nível de incapacidade versus dor foram correlacionados uns com os outros. CONCLUSÃO: O despenho da caminhada não foi influenciado pela dor lombar crônica não específica e pelo nível de incapacidade. <![CDATA[Pain evaluation in patients under chemotherapy: application of McGill pain Questionnaire]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200156&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Cancer pain is common in patients under chemotherapy and there is the need for a multiprofessional therapeutic plan, especially for nursing assistance, in the attempt to control it. This study aimed at evaluating qualitative pain characteristics of cancer patients under chemotherapy, by means of the McGill Pain Questionnaire. METHODS: This is a quantitative, descriptive and cross-sectional study made up of 23 participants under chemotherapy with cancer pain. Data were collected by means of McGill Pain Questionnaire in a High Complexity Assistance Unit of a city of Minas Gerais. RESULTS: Most participants were females, Caucasian, with basic education, affected by more advanced breast cancer. Burning and sore were the most prevalent descriptors in sensory pain category. Among affective descriptors, tiresome and sickening were the most prevalent. Troublesome pain has prevailed as evaluative characteristic and for miscellaneous descriptors, most prevalent were radiating and nauseating. CONCLUSION: Scales to evaluate qualitative pain aspects favor nursing assistance, providing tailored assistance aimed at the complaint of each patient. Their competences allow the use of this tool aiming at increasingly qualifying its practice, thus improving quality of life of patients or, at least, decreasing their distress.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor oncológica é uma queixa comum em pacientes em quimioterapia e há a necessidade da elaboração de um plano terapêutico multiprofissional, em especial para a assistência do enfermeiro, na tentativa de controlá-la. Este estudo teve como objetivo analisar as características qualitativas da dor de pessoas com câncer em tratamento quimioterápico, por meio do Questionário de Dor de McGill. MÉTODOS: Estudo quantitativo, descritivo, transversal, composto por 23 participantes em tratamento quimioterápico com queixa de dor oncológica. A coleta de dados ocorreu por meio da aplicação do Questionário de Dor de McGill em uma Unidade de Assistência de Alta Complexidade de um município mineiro. RESULTADOS: A maioria dos participantes era mulheres, brancas, com ensino fundamental, acometidas pela neoplasia da mama em estágios mais avançados. Os descritores queimação e dolorida foram os mais prevalentes na categoria sensorial da dor. Entre os descritores afetivos, cansativa e enjoada foram os mais encontrados. Dor que incomoda prevaleceu como característica avaliativa do sintoma e para os descritores miscelânea, destacam-se dor que irradia e dá náusea. CONCLUSÃO: O uso de escalas que avaliam os aspectos qualitativos da dor favorece o atendimento do enfermeiro, o que proporciona que a assistência seja individualizada, voltada para a queixa de cada paciente. Suas competências permitem a utilização desse instrumento com o objetivo de qualificar cada vez mais sua prática e, desse modo, melhorar a qualidade de vida dos pacientes ou, pelo menos, diminuir seu sofrimento. <![CDATA[Pain assessment tools in critical patients with oral communication difficulties: a scope review]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200161&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Pain is a frequent experience in intensive care units and its assessment and handling are challenging to healthcare professionals. The objective of this study was to identify and analyze the available tools to assess pain in patients with oral communication difficulties in intensive care units. CONTENTS: Scope review of the literature in six databases that identified four observational tools to assess pain in critical patients: Behavioral Pain Scale, Critical-Care Pain Observation Tool, Nociception Coma Scale and Nociception Coma Scale-Revised. All tools use behavior indicators of pain and only one is adapted to the Portuguese language. CONCLUSION: The use of a valid, easy to apply instrument, with clear and straightforward descriptions is essential to assess pain in patients with oral communication difficulties in intensive care units. There are good quality tools to assess pain in intensive care units. Most tools, however, are not yet validated to the Portuguese language. Translation and validation studies are necessary so that tools with well-established psychometric properties can be available in our practice.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor é uma experiência frequente em unidades de terapia intensiva e sua avaliação e manuseio são desafiadores para os profissionais de saúde. O objetivo deste estudo foi identificar e analisar os instrumentos disponíveis para avaliar a dor em pacientes com dificuldade de comunicação verbal em unidades de terapia intensiva. CONTEÚDO: Revisão de escopo da literatura, realizada em seis bases de dados, que identificou quatro instrumentos observacionais para avaliação da dor em pacientes críticos: Behavioral Pain Scale, Critical-Care Pain Observation Tool, Nociception Coma Scale e Nociception Coma Scale-Revised. Todos os instrumentos utilizam indicadores comportamentais de dor e apenas um está adaptado para a língua portuguesa. CONCLUSÃO: A utilização de um instrumento válido, de fácil aplicação, com descrições claras e objetivas é essencial para a avaliação da dor em pacientes com dificuldade de comunicação verbal em unidades de terapia intensiva. Há instrumentos de boa qualidade para avaliar a dor em unidades de terapia intensiva. A maior parte dos instrumentos, no entanto, não está validada para a língua portuguesa. Estudos de tradução e validação são necessários para que instrumentos com propriedades psicométricas bem estabelecidas estejam disponíveis em nosso meio. <![CDATA[Pain and dyspnea control in cancer patients of an urgency setting: nursing intervention results]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200166&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: To outline best practices guidelines to control pain and dyspnea of cancer patients in an urgency setting. CONTENTS: PI[C]O question, with resource to EBSCO (Medline with Full Text, CINAHL, Plus with Full Text, British Nursing Index), retrospectively from September 2009 to 2014 and guidelines issued by reference entities: Oncology Nursing Society (2011), National Comprehensive Cancer Network (2011; 2014) and Cancer Care Ontario (2010), with a total of 15 articles. The first stage for adequate symptoms control is systematized evaluation. Pharmacological pain control should comply with the modified analgesic ladder of the World Health Organization, including titration, equianalgesia, opioid rotation, administration route, difficult to control painful conditions and adverse effects control. Oxygen therapy and noninvasive ventilation are control modalities of some situations of dyspnea, where the use of diuretics, bronchodilators, steroids, benzodiazepines and strong opioids are effective strategies. Non-pharmacological measures: psycho-emotional support, hypnosis, counseling/training/instruction, therapeutic adherence, music therapy, massage, relaxation techniques, telephone support, functional and respiratory reeducation equally improve health gains. CONCLUSION: Cancer pain and dyspnea control require comprehensive and multimodal approach. Implications for nursing practice: best practice guidelines developed based on scientific evidence may support clinical decision-making with better quality, safety and effectiveness.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Delinear linhas orientadoras de boa prática no controle da dor e dispneia, de pacientes com doença oncológica em serviço de urgência. CONTEÚDO: Pergunta PI[C]O, com recurso à EBSCO (Medline with Full Text, CINAHL, Plus with Full Text, British Nursing Index), retrospectivamente de setembro de 2009 até 2014 e guidelines emanadas por entidades de referência: Oncology Nursing Society (2011), National Comprehensive Cancer Network (2011; 2014) e Cancer Care Ontario (2010), dos quais resultou um total de 15 artigos. A primeira etapa para um controle adequado de sintomas é uma apreciação sistematizada. O tratamento farmacológico da dor deve-se reger pela escada analgésica modificada da Organização Mundial da Saúde, com inclusão da titulação, equianalgesia, rotatividade de opioides, vias de administração, condições dolorosas de difícil tratamento e controle de efeitos adversos. A oxigenoterapia e ventilação não invasiva são modalidades de controle de algumas situações de dispneia, onde a utilização de diuréticos, broncodilatadores, corticoides, benzodiazepínicos e opioides fortes são estratégias eficazes. As medidas não farmacológicas: apoio psicoemocional, hipnose, aconselhamento/treino/instrução, adesão terapêutica, musicoterapia, massagem, técnicas de relaxamento, apoio telefónico, reeducação funcional e respiratória aumentam igualmente os ganhos em saúde. CONCLUSÃO: O controle da dor oncológica e dispneia exigem uma abordagem compreensiva e multimodal. Implicações para a prática de Enfermagem: linhas orientadoras de boa prática, desenvolvidas com base na evidência científica podem suportar uma tomada de decisão clínica com maior qualidade, segurança e efetividade <![CDATA[Low back pain - a diagnostic approach]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200173&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Low back pain is a problem that affects 80% of adults at some point in life, it is among the top 10 primary causes of consultation with internists and, every year, workers are absent from work for more than seven days due to this disease, causing a great impact in productivity and economy. The objective of this study was to provide the clinician working at the primary care with an adequate approach to the patient with chronic low back pain, emphasizing the differential diagnosis of this disease. CONTENTS: The etiological characterization of low back pain is a process that requires a propaedeutic approach that includes the clinical history, physical and complementary exams. The approach to low back pain of mechanical origin, and others less common such as those with a neuropathic component or resulting from inflammation, infection or neoplasia was developed, based on the literature. CONCLUSION: The diagnosis of low back pain is essential, yet challenging for the primary care physician. Most patients with back pain can be treated at the primary care setting, provided that the GP has the proper knowledge to elaborate the differential diagnosis of this disease.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor lombar é um problema que afeta 80% dos adultos em algum momento da vida, está entre as 10 primeiras causas de consultas a internistas e, em cada ano, trabalhadores se ausentam de suas atividades por mais de sete dias em razão dessa doença com grande impacto na produtividade e redução da economia. O objetivo deste estudo foi fornecer ao clínico que trabalha no atendimento primário uma maneira de abordagem adequada do paciente com dor lombar crônica, enfatizando o diagnóstico diferencial dessa doença. CONTEÚDO: A caracterização etiológica da dor lombar é um processo que exige uma abordagem propedêutica que inclua história clínica, exame físico e exames complementares. Foi desenvolvido, baseado na literatura, abordagem de dor lombar de origem mecânica, e outras menos comuns, como as que cursam com componente neuropático ou decorrentes de inflamação, infecção ou neoplasia. CONCLUSÃO: O diagnóstico da dor lombar é essencial, porém desafiador, para o médico no atendimento primário. A maioria dos pacientes portadores de lombalgia pode ser tratado no ambiente de atendimento primário, desde que o médico assistente tenha conhecimento apropriado da forma como elaborar o diagnóstico diferencial dessa doença. <![CDATA[5-Fluorouracil induced late peripheral neuropathy. Case report]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200178&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Peripheral neuropathy caused by chemotherapeutic drugs is today one of the major limiting factors in cancer pharmacological therapy due to its negative influence in the cancer patient's quality of life. Its incidence varies depending on the pharmacological nature of the therapy used. Peripheral neurotoxicity caused by 5-Fluorouracil was scarcely described, being characterized as rare adverse effect of this drug. The objective of this study is to report a 5-Fluorouracil induced late peripheral neuropathy case treated at the Pain Clinic, with standard care for neuropathic main. CASE REPORT: Female patient, 62 years old, undergoing 5-Fluorouracil chemotherapy 2520mg/week in 5 cycles of 360mg/day continuous infusion to treat colorectal cancer. Three months after the end of the cycle she reported burning pain and hand and foot dysesthesia with proximal irradiation and allodynia. She was referred to the Pain Clinic 2 years after the symptoms onset. The treatment started with gabapentin and she was advised to have psychiatric follow-up and physical exercises. The Visual Numeric Scale was used to assed pain. In less than 6 months the patient reported pain improvement with values reduced from 10 to 2. CONCLUSION: Although uncommon, peripheral neuropathy can occur as permanent toxicity due to 5-Fluorouracil chemotherapy and should be early identified and treated to improve patient's quality of life.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A neuropatia periférica causada por quimioterápicos é hoje um dos principais fatores limitantes do tratamento farmacológico do câncer, devido a sua influência negativa na qualidade de vida do paciente oncológico. Sua incidência varia com a natureza farmacológica da terapia utilizada. A neurotoxicidade periférica causada pelo 5-Fluorouracil foi pouco descrita, sendo caracterizada como efeito adverso raro deste quimioterápico. O objetivo deste estudo foi relatar um caso de neuropatia periférica tardia induzida por 5-Fluorouracil atendido na Clínica de Dor com tratamento padrão para dor neuropática. RELATO DO CASO: Paciente do sexo feminino, 62 anos, submetida a quimioterapia com 5-Fluorouracil protocolo 2520mg/semana em 5 ciclos de infusão contínua de 360mg/dia para tratamento de câncer colorretal. Três meses após o fim do ciclo apresentou dor em queimação e disestesia em mãos e pés, com irradiação proximal e alodínea. Foi encaminhada à clínica de dor 2 anos após o começo dos sintomas. Iniciou-se o tratamento com gabapentina e foi orientada a fazer acompanhamento psiquiátrico e realizar exercícios físicos. Para a avaliação da dor foi utilizada a escala visual numérica. Em menos de 6 meses a paciente referiu melhora da dor com redução de valores de 10 para 2. CONCLUSÃO: Apesar de incomum, a neuropatia periférica pode ocorrer como toxicidade permanente da quimioterapia com 5-Fluorouracil e deve ser precocemente identificada e tratada para proporcionar melhora da qualidade de vida do paciente. <![CDATA[Potential role of thalidomide in the management of chronic pelvic pain. Cases report]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132017000200181&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Chronic pelvic pain is a condition that lacks specific treatment and often is refractory to several therapeutic approaches. This study aims to report two patients in whom chronic pelvic pain was nearly completely controlled with thalidomide as an add-on therapy. CASES REPORT: The response to therapy of two postmenopausal women who presented to our service with a longstanding history of refractory chronic pelvic pain secondary to interstitial cystitis is reported. Due to their uncontrolled pain and consequent poor quality of life, these women were started on thalidomide at 25 mg/day as an add-on therapy. At one-month follow-up, the patients' pain was reduced in 80% and 70%, respectively. Subsequently, their pain increased, but was again relieved with higher doses of thalidomide. Notably, this medication was well tolerated by both patients. At one-year follow-up and eleven-month follow-up (respectively), their pain has remained controlled and their quality of life is significantly improved. CONCLUSIONS: These results suggest that thalidomide may have therapeutic value for chronic pelvic pain/interstitial cystitis. Based on previously published data, we hypothesize that suppression of TNF-alpha may be one of the mechanisms by which thalidomide controls pelvic pain. Our study may lead to a better understanding of the currently unclear pathogenesis of chronic pelvic pain. Lastly, we hope to encourage further studies to establish the efficacy and safety of thalidomide for CPP and other chronic pain conditions.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor pélvica crônica é uma condição que não possui tratamento específico e é geralmente refratária a várias formas terapêuticas. Este estudo teve como objetivo relatar duas pacientes nas quais a dor pélvica crônica foi praticamente controlada com a talidomida como terapia complementar. RELATO DOS CASOS: Resposta à terapia de duas pacientes no período de pós-menopausa que compareceram ao nosso serviço com um longo histórico de dor pélvica crônica refratária, secundária a cistite intersticial. Como terapia complementar foi iniciada talidomida (25mg/dia), devido à dor sem resposta ao tratamento. No seguimento após um mês, a dor das pacientes havia reduzido em 80 e 70%, respectivamente. Posteriormente, a dor aumentou, sendo controlada com doses mais altas de talidomida. O fármaco foi bem tolerado por ambas as pacientes. No seguimento de um ano e 11 meses, respectivamente, a dor permanecia controlada. CONCLUSÃO: Os resultados sugerem que a talidomida pode ter valor terapêutico para dor pélvica crônica relacionada a cistite intersticial. Baseados em dados já publicados, levantou-se a hipótese de que a supressão de TNF-alfa possa ser o principal mecanismo pelo qual a talidomida controla a dor pélvica.