Scielo RSS <![CDATA[Revista Dor]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1806-001320160005&lang=pt vol. 17 num. lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Por que um Consenso Brasileiro de Dor Neuropática?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Nova classificação fisiológica das dores: o atual conceito de dor neuropática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES Neuropathic pain is a complex entity and experts have tried to define it in a clearer and more objective way for its diagnosis to be more accurate, especially for non-specialists. Aiming at evaluating studies on the subject and their repercussion on medical practice, a systematic review was carried out from 2000 to 2016 on published studies about neuropathic pain, its definition and involved physiological aspects, using Pubmed, Cochrane and LILACS as databases. CONTENTS The new concept accepted by the International Association for the Study of Pain in 2011 considers neuropathic pain as "pain induced by injury or disease directly affecting the somatosensory system". So, "dysfunction", considered a vague term, was replaced by "disease", and "nervous system was replaced by "somatosensory system", to topographically delimit the disease. The new definition has created diagnoses based on clinical history and anatomic location, associated to evidential tests. Conditions such as diabetic polyneuropathy, post-herpetic neuropathy, compressive radiculopathy, other peripheral neuropathies and thalamic pain were well covered by new guidelines, however pains such as essential trigeminal neuralgia, fibromyalgia, complex regional pain syndrome type I, were excluded from the new definition. CONCLUSION Current concept is not ideal; it is limited and excludes major pain states and although the new classification has improved the understanding of neuropathic pain, further studies are needed on the subject.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS A dor neuropática é uma entidade complexa e os estudiosos tem procurado conceituá-la de modo mais claro e objetivo para que seu diagnóstico seja mais preciso principalmente para os não especialistas. Com a intenção de avaliar os estudos realizados sobre o assunto e suas repercussões na prática médica, foi realizada uma revisão sistemática do período de 2000 a 2016, sobre trabalhos publicados de dor neuropática, sua definição e aspectos fisiológicos envolvidos, utilizando-se como base de dados Pubmed, Cochrane e LILACS. CONTEÚDO O novo conceito aceito pela Associação Internacional para o Estudo da Dor em 2011 considera dor neuropática como "aquela decorrente de lesão ou doença que afeta diretamente o sistema somatossensitivo". Foram assim, substituídos os termos "disfunção", considerado vago, por "doença", e "sistema nervoso" por "sistema somatossensitivo", para delimitar topograficamente a doença. A nova definição criou sistemas de diagnósticos baseados na história clínica e localização anatômica, associados a testes comprobatórios. Condições como polineuropatia diabética, neuropatia pós-herpética, radiculopatias compressivas, outras neuropatias periféricas, dor talâmica, se encaixaram bem nas novas diretrizes, porém estados de dor como na neuralgia essencial do trigêmeo, fibromialgia, síndrome da dor regional complexa tipo I, ficaram excluídas com a nova definição. CONCLUSÃO O conceito aceito atualmente não é ideal, é limitado, excluindo estados importantes de dor, e embora a nova classificação tenha melhorado o entendimento da dor neuropática, se faz necessário a continuidade de estudos sobre o tema. <![CDATA[Conceito de dor neuropática aguda. O papel do nervi nervorum na distinção entre dores agudas nociceptiva e neuropática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Several pathophysiological mechanisms are involved in the genesis of neuropathic pain. However, available justifications for its onset are unsatisfying and do not explain the participation of nervi nervorum and nervi vasorum abnormalities on functional aberrations which characterize pain generated by injuries to the peripheral nervous system. There are evidences that nervi nervorum contribute to the development and justify many clinical findings and prophylactic, therapeutic and rehabilitation alternatives related to neuropathic pain. This study aimed at presenting a review of anatomic and functional studies and theories about their objectives and at giving examples of conditions in which nervi nervorum have markedly participated in neuropathic pain generation and maintenance. CONTENTS: Nervi nervorum are a set of unmyelinated or poorly myelinated fibers located in peripheral nerves sheaths which, among other functions, seem to participate in the transmission of evoked sensory information and in the environmental regulation of peripheral nervous system structures. CONCLUSION: Nervi nervorum structural and functional abnormalities may contribute to the onset, maintenance and worsening of neuropathic pain and "demodulatory" painful syndromes. Further studies, especially with the application of more specific and sensitive histological, biochemical and electrophysiological methods are necessary to clarify the realities of their biologies.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Diversos mecanismos fisiopatológicos estão envolvidos na gênese das dores neuropáticas. Entretanto as justificativas disponíveis para sua ocorrência são insatisfatórias e em nada esclarecem a ocorrência das assim chamadas dores desmodulatórias. Há crescente interesse em se compreender a participação das anormalidades dos nervi nervorum e nervi vasorum nas aberrações funcionais que caracterizam as dores geradas pelas lesões que acometem o sistema nervoso periférico. Há evidências de que os nervi nervorum contribuem para desenvolvimento e justificam muitos dos resultados clínicos e as alternativas profiláticas, terapêuticas e reabilitacionais relacionadas às dores neuropáticas. O objetivo deste estudo foi apresentar uma revisão sobre os estudos anatômicos e funcionais e as teorias sobre suas finalidades e exemplificar condições em que os nervi nervorum participam de modo marcante na sua geração e manutenção da dor neuropática. CONTEÚDO: Os nervi nervorum são um conjunto de fibras amielínicas ou pouco mielinizadas localizadas nas bainhas dos nervos periféricos que, dentre outras funções, parecem participar da veiculação de informações sensitivas evocadas assim como da regulação do meio ambiente nas estruturas do sistema nervoso periférico. CONCLUSÃO: As anormalidades estruturais ou funcionais dos nervi nervorum podem contribuir para a ocorrência, manutenção e agravamento das dores neuropáticas e das síndromes dolorosas "desmodulatórias". Mais estudos, em especial com a aplicação de métodos histológicos, bioquímicos e eletrofisiológicos mais específicos e sensíveis são necessários para esclarecer as realidades de suas biologias. <![CDATA[Epidemiologia da dor neuropática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: The prevalence of neuropathic pain varies according to specific situations, due to multiple etiologies and manifestations, and may be located anywhere in the nervous system, being classified as peripheral or central. The classification has been modified with a certain frequency by the International Association for the Study of Pain in recent years, and may, for example, be classified as possible, probable or permanent. This brief review analyzes aspects of neuropathic pain epidemiology in general Brazilian population and in different clinical situations. CONTENTS: Data on neuropathic pain prevalence in general population are not reliable due to broad heterogeneity of studies, different definitions and evaluation methods. The same difficulties are found when neuropathic pain prevalence is evaluated in Brazil. The prevalence and/or incidence in different clinical situation varies according to specific clinical situation, since it has multiple etiologies and may be located anywhere in the nervous system. Clinical situations in which neuropathic pain is more frequent are herpes-zoster, diabetes, leprosy, trigeminal and glossopharyngeal neuralgia, low back pain, and also central neurological diseases. CONCLUSION: Data on the incidence and/or prevalence of chronic pain with neuropathic characteristics are very different and although this type of pain is being broadly studied in recent years, epidemiological studies are relatively scarce and the methodology used varies a lot.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A prevalência da dor neuropática é variada de acordo com a situação específica, devido às múltiplas etiologias e modos de manifestar-se, podendo localizar‐se em qualquer nível do sistema nervoso, sendo classificada como periférica ou central. A classificação tem sido modificada com alguma frequência pela International Association for the Study of Pain nos últimos anos, podendo, por exemplo, ser classificada em possível, provável e definitiva. Nesta breve revisão, são analisados aspectos da epidemiologia da dor neuropática na população em geral, no Brasil e em diversas situações clínicas. CONTEÚDO: Os dados sobre a prevalência de dor com característica neuropática na população em geral não são fidedignos devido a grande heterogeneidade dos estudos, as diferentes definições e aos métodos de avaliação utilizados. As mesmas dificuldades são encontradas quando se analisa a prevalência de dor com característica neuropática no Brasil. A prevalência e/ ou incidência nas diversas situações clínicas varia de acordo com a situação clinica específica, uma vez que tem múltiplas etiologias e pode localizar‐se em qualquer nível do sistema nervoso. As situações clínicas em que a dor neuropática é mais frequente são o herpes-zoster, a diabetes, a hanseníase, o câncer, a infecção por vírus da imunodeficiência humana, síndrome do túnel do carpo, a neuralgia do trigêmeo e do glossofaríngeo, a lombalgia, e também as doenças neurológicas centrais. CONCLUSÃO: Os dados de incidência e/ou prevalência da dor crônica com característica neuropática são muito diversos, apesar desse tipo de dor ser bastante estudado atualmente, os estudos epidemiológicos são relativamente escassos e a metodologia usada é muito variada. <![CDATA[Quadro clínico e diagnóstico da dor neuropática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Neuropathic pain is reason for distress and incapacity of several patients, being that symptoms, mechanisms and management distinguish it from nociceptive pain. This study aimed at discussing the clinical presentation and diagnosis of neuropathic pain. CONTENTS: Neuropathic pain is manifested by several symptoms, being continuous burning pain, shock sensation and mechanical alodynia the most common ones. Neurophysiologic studies and skin biopsy suggest that burning pain is reflex of spontaneous activity of afferent nociceptive fibers, while shock sensation is originated from high frequency ectopic stimuli, generated in demyelinated Aβ fibers. Clinical exam, made up of history and elementary physical neurological evaluation, is critical for the adequate diagnosis of the type of pain, as well as more detailed exams, such as quantitative sensory tests and confocal optic microscopy, may bring further subsidies to the diagnosis of the type of pain. CONCLUSION: Clinical presentation of neuropathic pain has characteristics which help the accurate diagnosis of the syndrome or disease responsible for the onset of the complaint. Adequate clinical evaluation, including directed physical neurologic exam, sensory quantitative tests and cornea confocal microscopy cooperate for a more accurate diagnosis.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor neuropática é motivo de sofrimento e incapacidade para muitos pacientes, sendo que os seus sintomas, mecanismos e tratamento a distinguem da dor nociceptiva. O objetivo deste estudo foi discutir o quadro clínico e o diagnóstico da dor neuropática. CONTEÚDO: A dor neuropática se manifesta por meio de vários sintomas, sendo os mais comuns a dor contínua em queimação, sensação de choque e alodínea mecânica. Estudos neurofisiológicos e biópsia de pele sugerem que dor em queimação é reflexo de atividade espontânea em fibras nociceptivas aferentes, enquanto a sensação de choque presumidamente é originada de estímulos ectópicos de alta frequência, gerados em fibras Aβ desmielinizadas. O exame clínico, constituído por anamnese e exame físico neurológico elementar é de primordial importância para o adequado diagnóstico do tipo de dor. Assim como exames mais minuciosos, como os testes sensoriais quantitativos e a microscopia ótica confocal, podem trazer subsídios mais aprofundados ao diagnóstico do tipo de dor. CONCLUSÃO: O quadro clínico da dor neuropática possui características que auxiliam no correto diagnóstico da síndrome ou doença que seja a responsável pelo aparecimento da queixa. Adequado exame clínico, incluindo a realização de exame físico neurológico dirigido, juntamente com os testes quantitativos sensoriais e com o exame de microscopia confocal de córnea colaboram para a execução mais precisa do diagnóstico. <![CDATA[Instrumentos de avaliação da dor neuropática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500020&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Pain is a subjective symptom which may be measured by means of its several features, such as intensity, quality, location, duration and impact on daily activities. Due to the lack of means to better classify such symptoms, several studies have used intensity as the only evaluation measurement. To develop other types of research it was necessary the development of new tools to identify and measure remaining domains of pain. This review aimed at describing and analyzing available tools for neuropathic pain diagnosis and evaluation. CONTENTS: Several tools were developed to evaluate neuropathic pain. Among them there are those validated for neuropathic pain in general, such as Leeds Assessment of Neuropathic Symptoms and Signs Pain Scale and its self-report version (self-administered LANNS), Douleur Neuropathique 4 Questions, Neuropathic Pain Questionnaire and its short form (NPQshort form), painDetect and ID-Pain. These are the most widely used tools worldwide for having a cutoff point, which makes them more objective tools. Other tools are Neuropathic Pain Scale, Pain Quality Assessment Scale and Neuropathic Pain Symptom Inventory. Tools translated and validated for the Portuguese language are Leeds Assessment of Neuropathic Symptoms and Signs Pain Scale, Douleur Neuropathique 4 Questions and Neuropathic Pain Symptom Inventory. CONCLUSION: There are several tools which may be used to screen neuropathic pain, while others were developed for its evaluation. Among them there are those more objective and more commonly used. Some of these tools were translated and validated for the Brazilian Portuguese language.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Dor é um sintoma subjetivo que pode ser mensurado por meio de suas várias características, como intensidade, qualidade, localização, duração e impacto nas atividades diárias. Devido à falta de meios para caracterizar com maior propriedade esses sintomas, vários estudos se utilizaram da intensidade como sua única medida de avaliação. Para o desenvolvimento de outros tipos de pesquisa, fazia-se necessária a elaboração de novos instrumentos para identificação e mensuração dos demais domínios da dor. O objetivo desta revisão foi a descrição e análise dos instrumentos disponíveis para o diagnóstico e avaliação de dor neuropática. CONTEÚDO: Inúmeros instrumentos foram desenvolvidos para a avaliação da dor neuropática. Dentre eles estão aqueles que foram validados para dores neuropáticas em geral, como a Leeds Assessment of Neuropathic Symptoms and Signs Pain Scale e sua versão autoaplicável (self-administered LANNS), o Douleur Neuropathique 4 Questions, o Neuropathic Pain Questionnaire e sua versão mais curta (NPQ-short form), o painDetect e o ID-Pain. Esses são os mais utilizados internacionalmente por apresentarem um ponto de corte, o que os torna instrumentos mais objetivos. Os demais instrumentos são a Neuropathic Pain Scale, a Pain Quality Assessment Scale e o Neuropathic Pain Symptom Inventory. Os instrumentos traduzidos e validados para o português são a Leeds Assessment of Neuropathic Symptoms and Signs Pain Scale, o Douleur Neuropathique 4 Questions e o Neuropathic Pain Symptom Inventory. CONCLUSÃO: Há diversos instrumentos que podem ser utilizados para o rastreio de dor neuropática; outros foram desenvolvidos para sua avaliação. Dentre eles há aqueles mais objetivos e mais utilizados. Alguns desses instrumentos foram traduzidos e validados para o português do Brasil. <![CDATA[Exames complementares na investigação da dor neuropática. O valor da eletroneuromiografia na dor neuropática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500023&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Neuropathic pain is defined as pain induced by injury or disease involving the somatosensory system. Dysfunctions in anatomic regions responsible for the processing of pain may involve peripheral and central nervous system components. A careful history and clinical evaluation with special attention to neurologic propaedeutics are critical for the syndromic, anatomic and etiologic diagnosis of neuropathic pain. However, diagnosis is not always simple and often depends on additional tests. This chapter aimed at reviewing most commonly used additional tests in the clinical practice to help diagnosing neuropathic pain. CONTENTS: Electroneuromyography is primarily indicated for topographic, etiologic and prognostic diagnosis of peripheral nervous system diseases and for the differential diagnosis between neurogenic, myopathic and neuromuscular junction diseases. It gives real time information on what is going on in the nerve and the muscle, being fundamentally important for differential neuromuscular disease diagnosis. Some imaging methods, such as computerized tomography and magnetic resonance, for their spatial resolution, give details of anatomic structures. Other methods, such as positron emission tomography scan and functional magnetic resonance, in addition to anatomic details, also provide data on metabolic and functional measurements. In addition, imaging techniques such as spectroscopy and diffusion tensor magnetic resonance, allow the study of brain biochemical changes and conectivities with different temporal and spatial resolutions. Other additional tests, such as sensory quantification test and microneurography are seldom used in the clinical practice. CONCLUSION: Additional tests, together with careful history and neurological evaluation focused on neurologic propaedeutics, may provide important data for the diagnosis of neuropathic pain and are often used in the clinical practice.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Dor neuropática é definida como a dor causada por lesão ou doença envolvendo o sistema somatossensitivo. Disfunções em regiões anatômicas responsáveis pelo processamento da dor podem envolver componentes do sistema nervoso periférico e central. Uma anamnese cuidadosa e um exame clínico com particular atenção na propedêutica neurológica são fundamentais para o diagnóstico sindrômico, anatômico e etiológico das dores neuropáticas. Entretanto, o diagnóstico nem sempre é simples e frequentemente depende do auxílio de exames complementares. O objetivo deste capítulo foi rever os exames complementares mais usados na prática clínica para o auxílio diagnóstico na dor neuropática. CONTEÚDO: O exame eletroneuromiográfico tem sua principal indicação no diagnóstico topográfico, etiológico e prognóstico das afecções do sistema nervoso periférico e no diagnóstico diferencial entre afecções neurogênicas, miopáticas e da junção neuromuscular. Ele pode fornecer informações em tempo real do que está ocorrendo no nervo e no músculo, sendo de fundamental importância no diagnóstico diferencial das afecções neuromusculares. Existem várias modalidades não invasivas de estudo por imagem que podem auxiliar no diagnóstico de quadros de dores neuropáticas. Alguns métodos por imagem como a tomografia computadorizada, ressonância magnética, pela sua resolução espacial, fornecem detalhamento sobre as estruturas anatômicas. Outros métodos como a tomografia computadorizada por emissão de pósitrons, ressonância magnética funcional fornecem além do detalhamento anatômico, dados sobre mensurações metabólicas e funcionais. Além disso, técnicas de imagem como espectroscopia e tensor de difusão por ressonância magnética, permitem estudar alterações bioquímicas e conectividades cerebrais com diferentes resoluções temporais e espaciais. Outros exames complementares como teste de quantificação sensitiva e microneurografia são pouco utilizados na prática clínica. CONCLUSÃO: Exames complementares, em conjunto com uma anamnese cuidadosa e exame neurológico focado na propedêutica neurológica, podem fornecer dados importantes para o diagnóstico de dor neuropática e são frequentemente utilizados na prática clínica. <![CDATA[Modelos experimentais para o estudo da dor neuropática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500027&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Ideal models should reproduce just sensory deficits, such as alodynia, hyperalgesia and spontaneous pain for short periods. There are different types of animal models to evaluate different neuropathic pain etiologies and manifestations. Some models study neuropathic pain peripheral mechanisms and other study its central mechanisms. This review focuses on animal models most commonly used for neuropathic pain research. CONTENTS: Animal models based on peripheral nerves ligation which are more commonly used are described. From all models described in this review, spared nerve injury is that producing more reproducible behavioral abnormalities for a longer period, while chronic sciatic nerve compression produces behavioral signs of less predictable painful neuropathies. Spinal hemisection and cytokines-induced spinal injury are the models of choice for the study of central pain mechanisms. Other specific models are used for the study of the specific etiology of pain. CONCLUSION: Since neuropathic pain is multifactorial, different neuropathic pain animal models were developed throughout the years, which have been critical for the study of neuropathic pain, since much of current knowledge comes from studies with rats and mice. Current animal models need to be further refined and more efforts should be made to determine which animal models may be more predictive, with less biases and more complex and objective analysis parameters.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Os modelos ideais deveriam reproduzir apenas déficits sensitivos, como alodínea, hiperalgesia e dor espontânea por curtos períodos de tempo. Existem diversos tipos de modelos animais, que avaliam as diversas etiologias e manifestações da dor neuropática. Alguns modelos estudam os mecanismos periféricos e outros estudam mecanismos centrais da dor neuropática. Esta revisão enfoca os modelos animais mais comumente utilizados para pesquisa em dor neuropática. CONTEÚDO: São descritos modelos animais baseados em ligadura de nervos periféricos que são mais comumente empregados. De todos os modelos descritos nesta revisão, a lesão poupadora de nervo é aquela que produz anormalidades comportamentais mais reprodutíveis, por um período mais longo, ao passo que a constrição crônica do ciático produz sinais comportamentais de neuropatia dolorosas menos previsíveis. Hemisecção espinhal e lesão espinhal induzida por citocinas são os modelos de escolha para estudar mecanismos de dor central. Outros modelos específicos são utilizados para estudo da etiologia específica da condição dolorosa. CONCLUSÃO: Como a dor neuropática é multifatorial, diferentes modelos animais de dor neuropática foram desenvolvidos ao longo dos anos que têm sido fundamentais para o estudo da dor neuropática, uma vez que muito do conhecimento atual provém de estudos em ratos e camundongos. São necessários maiores refinamentos nos modelos animais atualmente empregados e mais esforços para determinar quais modelos animais podem ser mais preditivos, com menos vieses e com parâmetros de análises mais complexos e objetivos. <![CDATA[Sensibilização periférica e central]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500031&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Central sensitization is an important phenomenon for pain chronicity and is present in neuropathic pain. This study aimed at addressing some pathophysiological aspects of this phenomenon. CONTENTS: Some extra and intracellular aspects responsible for central sensitization genesis, especially phenotypic changes in plasticity of neurons involved in the process are described. CONCLUSION: Pain chronicity may result from changes in central nervous system neurons properties by the central sensitization phenomenon with constant changes in membrane excitability, inhibitory transmission reduction and increase in synaptic efficacy mediated by several convergent and divergent molecular mechanisms over a background of phenotypic and structural changes. Neuroplasticity deeply alters painful sensation, contributing for many clinical painful syndromes and may represent a major target for therapeutic intervention.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A sensibilização central é um fenômeno importante na cronificação da dor e presente na dor neuropática. O objetivo deste estudo foi abordar alguns aspectos fisiopatológicos deste fenômeno. CONTEÚDO: São descritos alguns aspectos extra e intracelular responsável pela gênese da sensibilização central, principalmente aspectos de alterações fenotípicas que ocorrem na plasticidade dos neurônios envolvidos no processo. CONCLUSÃO: A cronificação da dor pode surgir como resultado de alterações nas propriedades dos neurônios no sistema nervoso central pelo fenômeno da sensibilização central com constantes mudanças e alterações na excitabilidade da membrana, reduções na transmissão inibitória e aumento da eficácia sináptica, mediada por muitos convergentes e divergentes mecanismos moleculares sobre um fundo de modificações fenotípicas e alterações estruturais. A neuroplasticidade altera profundamente a sensação dolorosa, contribuindo para muitas síndromes clínicas da dor e pode representar um importante alvo para intervenção terapêutica. <![CDATA[Mediadores inflamatórios na dor neuropática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500035&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Pro-inflammatory chemical mediators and algogenic substances seem to be confused by the sharing of their actions and by interactions in painful and inflammatory presentation. This study aimed at presenting a review of major inflammatory chemical mediators and place them in neuropathic pain pathophysiology. CONTENTS: Inflammation is the homeostatic response of vascularized tissues to remove harmful agents and restore their normal functions. Nervous system (central and/or peripheral) diseases and injuries may induce neuropathic pain and may also modify inflammatory process nervous mediation. In such pathological conditions, there might be pain without restrict link with admitedly harmful or painful stimuli, as well as there might be inflammation without restrict link with the presence of harmful agents and the need to remove them. Chemical mediators involved in neuropathic pain and inflammation pathophysiology modulate the presentation of both. CONCLUSION: Studies on inflammation offer evidences to support the important role of their chemical mediators in neuropathic pain pathogenesis. In peripheral and central sensitization, a thin borderline between reversibility or not of neuropathic pain may be respected or exceeded by inflammatory mediators actions.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Mediadores químicos pró-inflamatórios e substâncias algogênicas parecem se confundir pelo compartilhamento de suas ações e pelas interações no quadro doloroso e inflamatório. O objetivo deste estudo foi apresentar uma revisão sobre os principais mediadores químicos inflamatórios e situá-los na fisiopatologia da dor neuropática. CONTEÚDO: A inflamação é a resposta homeostática de tecidos vascularizados no sentido de remoção de agentes lesivos e restauro de suas funções normais. Doenças e lesões no sistema nervoso (central e/ou periférico) podem causar dor neuropática, e, também modificar a mediação nervosa do processo inflamatório. Nessas condições patológicas a dor pode ocorrer sem o vínculo restrito com estímulo reconhecidamente nocivo ou doloroso, assim como ocorrer quadro inflamatório sem o vínculo restrito com a presença de agentes lesivos e a necessidade de removê-los. Os mediadores químicos envolvidos na fisiopatologia da dor neuropática e da inflamação modulam o quadro de ambas. CONCLUSÃO: Os estudos sobre inflamação oferecem evidências para embasar a importância do papel dos seus mediadores químicos na patogênese da dor neuropática. Na sensibilização periférica e, também na central uma fronteira tênue entre a reversibilidade ou não do quadro neuropático pode ser respeitada ou ultrapassada pelas ações de mediadores inflamatórios. <![CDATA[O comportamento dos canais iônicos controlados por diferença de potencial elétrico e dos receptores do tipo Toll na fisiopatologia da dor neuropática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500043&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Neuropathic pain is a severe and refractory medical condition, for which only partially effective treatments are currently available. Recent experimental data on the role of voltage-gated ion channels, particularly sodium and potassium channels, have been described. In this brief review, we aimed at addressing the role of sodium and potassium channels in the pathophysiology of neuropathic pain and recent evidences about their role as a new therapeutic target in painful conditions. CONTENTS: Pharmacological and biophysical studies have shown that voltage-gated sodium channels, particularly Nav1.3, Nav1.7, Nav1.8, and Nav1.9 isoforms are important in the pathophysiology of neuropathic pain. Similarly, the involvement of voltage-gated potassium channels, especially KV1 and KV7 isoforms, has been clearly shown in the establishment of chronic painful conditions. Recent evidences that ion sodium and potassium channels dysfunction is involved in the development of chronic painful conditions corroborate the possibility of pharmacologically modulate them as new therapeutic strategies. CONCLUSION: Recent evidences suggest that selective sodium channel blockers and potassium channels activating of modulating drugs are important and promising targets in the search for new options to treat neuropathic pain.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor neuropática constitui-se em uma condição clínica grave e refratária, para a qual apenas tratamentos com eficácia parcial estão disponíveis. Estudos experimentais recentes sobre o papel relevante de canais iônicos controlados por diferença de potencial elétrico ou voltagem, especialmente canais de sódio e potássio, tem sido descritos. Nesta breve revisão, objetivou-se abordar o papel dos canais de sódio e potássio na fisiopatologia da dor neuropática e as recentes evidências a respeito do seu papel como novo alvo terapêutico em quadros dolorosos. CONTEÚDO: Estudos farmacológicos e biofísicos tem demonstrado que os canais de sódio dependentes de voltagem, particularmente as isoformas Nav1.3, Nav1.7, Nav1.8 e Nav1.9 são relevantes na fisiopatologia da dor neuropática. De forma similar, o envolvimento dos canais de potássio dependentes de voltagem, especialmente as isoformas Kv1 e Kv7, tem sido claramente demonstrado no estabelecimento de quadros dolorosos crônicos. As evidências recentes de que a disfunção de canais iônicos de sódio e potássio está envolvida no desenvolvimento de quadros dolorosos crônicos evidenciam a capacidade de modulá-los farmacologicamente em novas estratégias terapêuticas. CONCLUSÃO: Evidências recentes sugerem que bloqueadores seletivos de canais de sódio e fármacos ativadores ou moduladores dos canais de potássio representam um alvo relevante e promissor na busca por novas opções no tratamento da dor neuropática. <![CDATA[Neuropatia diabética]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500046&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Diabetic neuropathy is a major cause of neuropathy worldwide and may lead to amputations and incapacity. This study aimed at a detailed and updated review on diabetic neuropathy, focusing on its classification, diagnostic investigation and treatment. CONTENTS: It is estimated that 371 million people aged from 20 to 79 years, worldwide, have diabetes mellitus and that at least half of them are unware of the diagnosis. Its prevalence in Central and South America was estimated in 26.4 million people, corresponding to approximately 6.5% of the population. Among microvascular complications, diabetic neuropathy is the most prevalent, leading to the highest rates of hospitalization, atraumatic amputations and incapacity. Diabetic neuropathy may have different clinical presentations, being distal symmetric polyneuropathy its most frequent presentation and major mechanism to the development of diabetic foot. Predominantly it presents with positive (burning, tingling) and negative (numbness, loss of sensitivity) sensory symptoms. In general it is associated to autonomic signs and symptoms and seldom there is motor manifestation. Approximately 20% of patients with distal symmetric polyneuropathy have neuropathic pain, which sometimes becomes chronic and disabling. CONCLUSION: Early and accurate diagnosis allows for adequate treatment, preventing progression of neuropathy and severe complications. For such, it is necessary to obtain an acurate clinical history, in addition to thorough neurological tests and additional tests, to identify signs of nervous fibers involvement. Its treatment depends on adequate glycemic control and neuropathic pain treatment, when present.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A neuropatia diabética constitui uma das principais causas de neuropatia no mundo, podendo levar a amputacoes e incapacidade. O objetivo deste estudo foi fazer uma revisão detalhada e atualizada sobre neuropatia diabética, focando em sua classificação, investigação diagnóstica e tratamento. CONTEÚDO: Estima-se que 371 milhões de pessoas, entre 20 e 79 anos, em todo o mundo apresentem diabetes mellitus e que pelo menos metade destas desconheça o diagnóstico. Sua prevalência na América Central e do Sul foi estimada em 26,4 milhões de pessoas e projetada para 40 milhões, em 2030. O Brasil ocupa a 4ª posição mundial com maior prevalência de diabetes mellitus com 13.4 milhões de pessoas com a doença, correspondendo a aproximadamente 6,5% da população. Dentre as complicações microvasculares, a neuropatia diabética apresenta maior prevalência, levando a maiores taxas de internações hospitalares, amputações não traumáticas e incapacidade. A neuropatia diabética pode se manifestar de diferentes formas clínicas, sendo a polineuropatia simétrica distal sua apresentação mais frequente e principal mecanismo de desenvolvimento do pé diabético. Predominantemente, apresenta-se com sintomas sensitivos positivos (queimação, formigamento) e negativos (dormência, perda de sensibilidade); porém, pode se desenvolver de maneira assintomática. Geralmente associa-se a sinais e sintomas autonômicos e raramente há manifestação motora. Aproximadamente, 20% dos pacientes com polineuropatia simétrica distal apresentam dor neuropática que, por vezes, torna-se crônica e incapacitante. CONCLUSAO: O diagnóstico realizado precoce e corretamente possibilita o adequado tratamento, evitando-se a progressão da neuropatia e complicações graves. Para isso, é necessária a obtenção de cuidadosa história clínica, além de minucioso exame neurológico e exames complementares, a fim de identificar sinais de comprometimento de fibras nervosas. Seu tratamento depende do adequado controle glicêmico e quando presente, tratamento da dor neuropática. <![CDATA[Neuralgia pós-herpética]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500052&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Post-herpetic neuralgia is defined as pain persisting for more than three months after the resolution of skin eruptions observed in herpes-zoster. Post-herpetic neuralgia incidence is quite variable, increases with age, being more frequent among patients aged over 60, and is associated to reduced quality of life of affected individuals. The objective of this review is to discuss key aspects of post-herpetic neuralgia, particularly its pathophysiology, clinical signs, diagnosis, prevention and treatment. CONTENTS: Post-herpetic neuralgia pathophysiology is poorly understood and involves peripheral and central nervous system mechanisms. Associated clinical signs are variable and represented mainly by pain with neuropathic features and skin changes in dermatomes previously affected by herpes-zoster. Post-herpetic neuralgia prophylactic vaccination seems to be the best preventive option. Diagnosis of post-herpetic neuralgia is largely clinical and treatment involves an early-stage, multimodal approach. Among techniques described in the literature, there is pharmacological treatment which, when not effective, requires the implementation of interventional techniques. CONCLUSION: Post-herpetic neuralgia is a complex entity and should be treated in a multidisciplinary way aiming at improving patients' quality of life.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A neuralgia pós-herpética é conceituada como dor persistente por mais de três meses após a resolução das lesões de pele observadas no herpes-zoster. A incidência de neuralgia pós-herpética é bastante variável e dependente da idade, sendo mais frequente em pacientes acima de 60 anos e associada a redução da qualidade de vida do indivíduo. O objetivo deste estudo foi discutir os principais aspectos da neuralgia pós-herpética, atentando para a sua fisiopatologia, manifestações clínicas, diagnóstico, prevenção e tratamento. CONTEÚDO: A fisiopatologia da neuralgia pós-herpética é pobremente compreendida e envolve mecanismos periféricos e centrais. As manifestações clínicas a ela associadas são variáveis e representadas principalmente por dor com característica neuropática e alterações de pele no dermátomo acometido anteriormente pelo herpes-zoster. A vacinação profilática para a neuralgia pós-herpética parece ser a melhor opção para preveni-la. O seu diagnóstico é eminentemente clinico e o seu tratamento envolve a necessidade de uma abordagem precoce e multi-modal. Dentre as técnicas descritas encontram-se o tratamento farmacológico e, quando este não é efetivo, a implementação de técnicas intervencionistas. CONCLUSÃO: A neuralgia pós-herpética é uma entidade complexa que deve ser tratada de forma multidisciplinar com o intuito de aumentar a qualidade de vida dos pacientes. <![CDATA[Neuropatia pós-quimioterapia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500056&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Anticancer chemotherapeutics can induce painful peripheral neuropathy. Symptoms range widely and can involve sensory, motor, and autonomic systems. However, chemotherapy-induced peripheral neuropathy is under-assessed and undertreated and its diagnosis is somewhat complicated by the lack of consensus on its pathophysiology and presentation. The objective of this study was to review medical publications in English, Spanish and Portuguese, in the last ten years, about painful peripheral neuropathy. CONTENTS: Systematic literature review on painful peripheral neuropathy associated with systemic anticancer chemotherapy. CONCLUSION: Although limited reliable evidence regarding the appropriate treatment for this condition exists, it is based on current neuropathic pain guidelines. Further studies on differences between the pathophysiology of chemotherapy-induced peripheral neuropathy and those of other neuropathic pain conditions may lead to the development of more effective treatment modalities. Additionally, therapeutic strategies for the management of chemotherapy-induced peripheral neuropathy must be validated by large-scale randomized clinical trials to meet the demands of evidenced-based medicine.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A quimioterapia antineoplásica pode induzir a neuropatia periférica dolorosa. Os sintomas variam amplamente e podem envolver o sistema sensitivo, motor e autonômico. Contudo, a neuropatia periférica induzida por quimioterapia é subavaliada e subtratada e tem seu diagnóstico postergado pela falta de um consenso em sua fisiopatologia e apresentação. O objetivo deste estudo foi rever trabalhos publicados em português, inglês ou espanhol nos últimos 10 anos, a respeito da fisiopatologia e tratamento da neuropatia periférica dolorosa. CONTEÚDO: Revisão bibliográfica, sistemática, sobre neuropatia periférica dolorosa associada à quimioterapia sistêmica antineoplásica. CONCLUSÃO: Embora existam limitadas evidências confiáveis a respeito do tratamento apropriado dessa condição, ela é fundamentada nas diretrizes gerais para o tratamento da dor neuropática. Estudos subsequentes devem levar em consideração as diferenças na fisiopatologia da neuropatia periférica induzida pela quimioterapia de outras condições de neuropatia dolorosa, que possam levar ao desenvolvimento de modalidades de tratamento mais efetivas. Adicionalmente, estratégias terapêuticas para o tratamento de neuropatia periférica induzida pela quimioterapia precisarão ser validadas em estudos clínicos randomizados de larga escala, a fim de satisfazer as demandas da medicina baseada em evidências. <![CDATA[Neuropatia dolorosa pós-traumática e pós-operatória]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500059&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Peripheral nerve injuries caused by accidental trauma, surgeries or diseases, may evolve to persistent, severe and refractory neuropathic pain, being a major economic and social problem because it often affects most productive population group causing sometimes devastating incapacities. In this brief review, aspects of the prevalence of neuropathic pain by trauma injury of peripheral nerves and its treatment will be evaluated. CONTENTS: After evaluating neuropathic pain pathophysiology after peripheral nerve injury, the incidence of peripheral nerve trauma injury and of postoperative chronic pain, of predictive factors and of postoperative neuropathic pain prevention, pharmacological and non-pharmacological treatment of post-trauma and postoperative painful neuropathy are appreciated. CONCLUSION: Literature has few studies evaluating neuropathic pain after trauma or surgical peripheral nerve injury and the expression "neuropathic pain" is not normally used to refer to pain after trauma nerve injury, which makes difficult to estimate the prevalence and incidence of post-trauma and postoperative painful neuropathy, although there is consensus that it is a severe worldwide problem, being considered a chronic disease with difficult and still inadequate treatment.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: As lesões de nervos periféricos causadas por traumas acidentais, cirurgias ou doenças, podem evoluir para dor neuropática persistente, grave, refratária ao tratamento, constituindo um importante problema econômico e social, pois frequentemente atinge a faixa etária mais produtiva da população, causando incapacidades muitas vezes devastadoras. Nesta breve revisão, serão analisados aspectos da prevalência da dor neuropática por lesão traumática de nervos periféricos e seu tratamento. CONTEÚDO: Após analisar a fisiopatologia da dor neuropática após lesão de nervo periférico, da incidência da lesão traumática de nervos periféricos e da dor crônica pós-operatória, dos fatores preditivos e da prevenção da dor neuropática pós-operatória, é feita uma apreciação do tratamento farmacológico e não farmacológico da neuropatia dolorosa pós-traumática e pós-operatória. CONCLUSÃO: A literatura apresenta poucos artigos que avaliaram a dor neuropática em pacientes após a lesão do nervo periférico traumático ou cirúrgica, e o termo dor neuropática não é normalmente usado para se referir a dor após uma lesão traumática do nervo, o que dificulta estimar a incidência e a prevalência da neuropatia dolorosa pós-traumática e pós-operatória, embora haja consenso que é um grave problema mundial, sendo considerada uma doença crônica cujo tratamento é difícil e ainda inadequado. <![CDATA[Lombociatalgia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500063&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Neuropathic pain is present in 37 to 55% of cases of low back pain. Neuropathic pain is associated with more intense pain, more severe comorbidities and worse quality of life. In addition, costs are 67% higher when compared to other etiologies. The purpose of this article is to review this issue that has significant impact on quality of life. CONTENTS: Pain radiating to the lower limb may be radicular or referred pain. Radiation paths of lumbar roots and myofascial trigger points may be very similar, as the root of L5 and gluteus minimus trigger point. Thus, it is essential to use a tool for neuropathic pain assessment, such as: Douleur neuropathique 4 questionnaire, Leeds Assessment of Neuropathic Symptoms and Signs Pain Scale e painDETECT. Clinical history and physical evaluation should formulate diagnostic hypotheses, which should be confirmed with complementary tests when necessary. Guidelines for the treatment of neuropathic pain consider as the first line drugs: anticonvulsants (gabapentin and pregabalin), tricyclic antidepressants (amitriptyline, imipramine, clomipramine and nortriptyline), selective serotonin and norepinephrine reuptake inhibitor (duloxetine and venlafaxine). Second line drugs are: 5% lidocaine patches in localized neuropathic pain and opioids. Surgical treatment of lumbar radiculopathy should be indicated when there is limited or low efficacy of multimodal conservative treatment. CONCLUSION: In low back pain, diagnosis of neuropathic component is critical. Multimodal treatment is imperative, as well as other strategies to rehabilitate and improve the patient's quality of life.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS A dor neuropática está presente em 37 a 55% dos casos de lombociatalgia, a dor neuropática está relacionada com dor mais intensa, comorbidades mais graves e piora da qualidade de vida. Além disso, os custos são 67% maiores quando comparada a outras etiologias. O objetivo deste artigo foi fazer uma revisão sobre este tema que causa impacto importante na qualidade de vida dos pacientes. CONTEÚDO A dor irradiada para o membro inferior pode ser de origem radicular ou referida. Os trajetos de irradiação para o membro inferior de raízes lombares e de pontos-gatilhos miofasciais podem ser muito parecidos, como a raiz L5 e ponto-gatilho do glúteo mínimo. Assim, é essencial a utilização de um instrumento para avaliação da dor neuropática, como: Douleur neuropathique 4 questionnaire, Leeds Assessment of Neuropathic Symptoms and Signs Pain Scale e Pain DETECT. Os dados da anamnese e do exame físico devem formular hipóteses diagnósticas, que devem ser confirmadas com os exames complementares quando necessário. As diretrizes para o tratamento da dor neuropática consideram como primeira linha: anticonvulsivantes (gabapentina e pregabalina), antidepressivos tricíclicos (amitriptilina, imipramina, clomipramina e nortriptilina), inibidores seletivos da receptação de serotonina e de noradrenalina (duloxetina e venlafaxina). As medicações de segunda linha são: emplastros de lidocaína a 5% em dor neuropática localizada e os opioides. O tratamento cirúrgico da radiculopatia lombar deve ser indicado quando existir limitação ou baixa eficácia no tratamento conservador multimodal. CONCLUSÃO Na lombalgia o diagnóstico do componente neuropático é fundamental. O tratamento multimodal é imperativo, assim como outras estratégias para reabilitar e melhorar a qualidade de vida do paciente. <![CDATA[Dores neuropáticas centrais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500067&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Central pain, classified as neuropathic, is defined as a painful syndrome caused by injury to central nervous system structures. This is one of the most complexes, intriguing and difficult to treat syndromes. This study aimed at promoting a narrative review including the concept of central pain, its intercurrent symptoms which are important for the diagnosis, and different available treatments, indications, results and complications. CONTENTS: Relevant articles available in Medline, Scielo, Cochrane Library and Pubmed databases in the last 10 years were selected by means of keywords: chronic neuropathic pain, central neuropathic pain, central pain. CONCLUSION: Central painful syndrome is diagnosed by means of neurological clinical evaluation. It is often refractory to clinical and neuromodulatory treatment, its management should be multimodal and allow for rehabilitation.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor central, classificada como neuropática, é definida como uma síndrome dolorosa que decorre da lesão de estruturas no sistema nervoso central. Trata-se de uma das síndromes dolorosas mais complexas, intrigantes e de difícil tratamento. O objetivo deste estudo foi promover uma revisão narrativa que inclui desde o conceito de dor central, seus sintomas intercorrentes importantes no diagnóstico; e diversos tratamentos disponíveis, indicações, resultados e complicações. CONTEÚDO: Foi realizada uma seleção de artigos relevantes disponíveis nas plataformas Medline, Scielo, Biblioteca Cochrane e Pubmed nos últimos 10 anos, por meio dos descritores: dor crônica neuropática, dor neuropática central, dor central. CONCLUSÃO: A síndrome dolorosa central tem seu diagnóstico realizado por meio do exame clínico neurológico. É frequentemente refratária ao tratamento clínico e neuromodulatório e, portanto, deve ser multimodal e permitir a reabilitação. <![CDATA[Cefaleias primárias: dores disfuncionais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500072&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Headache is a very prevalent symptom, being considered the second more frequent type of pain by international epidemiological studies. It is also an expensive symptom for patients, relatives, society and general health systems, impairing quality of life of those suffering from this problem. Primary headaches, among them migraine and tension headache are classified as dysfunctional headaches. It is important to understand why these two disorders cannot be seen as somatic, neuropathic or visceral pain. This article shall use the terms migraine and megrim as synonyms. This study aimed at defining dysfunctional pain and at justifying why primary headaches are considered dysfunctional pain. CONTENTS: a) Migraine pathophysiology, most prevalent primary headache in medical offices, it is explained as a disease made up of crises which may have up to five phases and not simply as a headache. Migraine crisis phases are: premonitory symptoms, aura, headache, autonomic/hypothalamic symptoms and posdrome. b) Classify migraine as dysfunctional pain because it does not meet criteria to be classified as neuropathic or somatic pain. c) Discuss which type of pain secondary headaches are. CONCLUSION: It is possible to accept the idea that primary headaches are demodulatory pains, but that secondary headaches are nociceptive or visceral.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Cefaleia é um sintoma muito prevalente, sendo considerado o segunto tipo mais frequente de dor em estudos epidemiológicos mundiais. Também é um sintoma que tem um custo elevado para os pacientes, familiares, sociedade e para os seviços de saúde em geral, comprometendo a qualidade de vida dos que sofrem com esse problema. As cefaleias primárias, entre elas a enxaqueca e a cefaleia do tipo tensional são classificadas como sendo cefaleias disfuncionais. É importante entender porque esses dois distúrbios não podem ser vistos como dores somáticas, neuropáticas ou viscerais. Neste artigo serão utilizados os termos enxaqueca e migrânea como sinônimos. O objetivo deste estudo foi conceituar dor disfuncional justificar o porquê as cefaleias primárias são consideradas dores disfuncionais. CONTEÚDO: a) Fisiopatologia da migrânea, a cefaleia primária mais prevalente em consultórios médicos, é explicada como sendo uma doença constituída por crises que podem ter até 5 fases e não ser apenas uma dor de cabeça. As fases da crise da migranea são: sintomas premonitórios, aura, cefaleia, sintomas autonômicos/hipotalamincos e pósdromo. b) Classificar a migrânea como dor disfuncional, pois não preenche critérios para classifica-la como dor neuropática ou somática. c) Discutir que tipo de dor são as cefaleias secundárias. CONCLUSÃO: Pode-se aceitar a ideia de que as cefaleias primárias sejam dores desmodulatórias, mas que as secundárias sejam nociceptivas ou viscerais. <![CDATA[Algias neuropáticas orofaciais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500075&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: To carry out a literature review on major orofacial neuropathic pains, their differential diagnosis and therapies. CONTENTS: Neuropathic pains may be classified as episodic or continuous. They may be unilateral and more infrequently bilateral. They may last for seconds, hours or days and may present as electrical shock or burning pain, favorably responding to pharmacological treatment. There are situations in which the first therapeutic choice is dental surgery and/or neurosurgery, especially in cases of malignancies. Without accurate diagnosis there is major possibility of poor results. Diagnosis is based on clinical history associated to pain quality, duration and clinical, surgical or combined therapeutic response. Additional exams may be needed in some cases, such as standard periapical radiography of the area to be investigated, panoramic X-rays, computerized tomography and magnetic resonance of the skull base for possible diagnostic confirmation. Treatment may be conservative using anticonvulsants associated or not to antidepressants, local anesthetic infiltration with or without steroid, and orofacial and neurosurgical procedures. CONCLUSION: Health professionals acting in the area of orofacial pain have to be able to establish the differential diagnosis of different neuropathic orofacial pains, since they may have similar clinical presentations involving a same facial territory in a same temporal space, responding differently to the same therapies. Understanding all of this makes available basically two favorable outcomes: improved quality of life or cure of existing neuropathic pain.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Realizar uma revisão da literatura sobre as principais dores orofaciais neuropáticas seu diagnóstico diferencial e as suas terapias. CONTEÚDO: As dores neuropáticas podem ser classificadas em episódicas ou continuas. Pode ter caráter unilateral e, mais raramente, de forma bilateral. Podem durar segundos, ou horas a dias. Ter uma natureza em choque elétrico, ou em queimação. Respondem, favoravelmente, ao emprego farmacológico. Há situações em que a primeira escolha terapêutica é a cirúrgica odontológica, e/ou neurocirúrgica principalmente nos casos de neoplasias. Sem o correto diagnóstico há grande possibilidade de um fraco resultado. Esse se baseia na história clínica associada à qualidade da dor, duração e a resposta terapêutica clínica, cirúrgica ou combinada. Pode ser necessário, em alguns casos, solicitar-se exames complementares, como radiografia periapical padrão da área a ser investigada, radiografia panorâmica, tomografia computadorizada e exame de ressonância nuclear magnética nuclear da base do crânio no intuito de uma possível confirmação diagnóstica. O tratamento pode ser clínico conservador utilizando anticonvulsivantes associados ou não a antidepressivos, infiltração anestésica local, com ou sem corticosteroide e procedimentos orofaciais e neurocirúrgicos. CONCLUSÃO: Os profissionais da área da saúde, que medeiam na área da dor orofacial, têm de serem capazes de estabelecer o diagnóstico diferencial das diferentes algias orofaciais neuropáticas, uma vez que podem apresentar quadros clínicos similares envolvendo um mesmo território facial em um mesmo espaço temporal, respondendo diferentemente as mesmas terapêuticas. A compreensão de tudo isso, disponibiliza basicamente dois desfechos favoráveis: a melhora da qualidade de vida do paciente ou a cura da dor neuropática presente. <![CDATA[Aspectos psicocomportamentais e psicossociais dos portadores de dor neuropática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500079&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Identifying and treating psychosocial, intrapsychic, relational, psychiatric and psychobehavioral factors which influence neuropathic pain nature, severity and persistence are object of scientific concern and a lot has been done in this area; however it is clear the need for further emphasis and disclosure of contents for better professional knowledge. This study aimed at outlining the psychobehavioral and psychosocial scenario by means of literature review, through some theories about pain regulation, via cognitive functioning and stress theories, although it is known that the universe of this study is too broad but the idea is to outline a panoramic view of the field. CONTENTS: Incapacity, distress, painful and unhealthy behaviors and of gains are challenging factors for the treatment of neuropathic pain patients. Notions about thinking distortion, especially caused by pain perception leading to catastrophic thoughts and decreasing the efficacy of other non-addressed interventions, as well as aspects of the psychosocial impact influencing the development of chronicity and maintenance of unhealthy patterns. CONCLUSION: Psychological interventions aiming at changing beliefs and dysfunctional behaviors, incapacities and distress, at changing neuropathic pain perception, treatment of mental decompensations such as depression and anxiety and of recurrences, are critical to manage neuropathic pain patients. It is confirmed that knowledge about adaptations in the rewarding circuits is fundamental for psychological, psychotherapeutic and psychosocial interventions to be more effective, thus preventing problems related to pathological maintenance in cases of neuropathic etiology.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Identificar e tratar os fatores psicossociais, intrapsíquicos, relacionais, psiquiátricos e psicocomportamentais que influenciem a natureza, gravidade, persistência da dor neuropática, vem sendo objeto de preocupação científica e muito se tem progredido na área, no entanto, é vigente a necessidade de maior ênfase e divulgação dos conteúdos para melhor conhecimento no meio profisisonal. O presente artigo visou esboçar o panorama da área psicocomportamental e psicossocial, por meio de levantamento da literatura, através algumas teorias acerca da regulação de dor, via teorias do funcionamento cognitivo e estresse, embora sabidamente o universo de estudo seja muito amplo, pretende esboçar uma visão panorâmica do campo. CONTEÚDO: A incapacidade, o sofrimento, os comportamentos dolorosos e doentios e dos ganhos são fatores de desafio aos tratamentos do doente com dor neuropática. Noções acerca da distorção do pensamento, particularmente, decorrente da percepção da dor induzindo a pensamentos catastróficos reduzindo a eficácia de outras intervenções não abordadas, bem como aspectos da visão do impacto psicossocial que intervêm no desenvolvimento da cronificação e manutenção de padrões doentios. CONCLUSÃO: As intervenções psicológicas ao visarem à alteração das crenças e modificação dos comportamentos disfuncionais, incapacidades e sofrimentos, alteração da percepção da dor neuropática, tratamento das descompensações mentais como a depressão e a ansiedade e das recidivas tornam-se imperativas no manejo do doente com a condição. Confirma-se que o conhecimento acerca de adaptações nos circuitos de recompensa é fundamental para que as intervenções psicológicas, psicoterapêuticas e psicossociais possam agir de maneira mais eficaz prevenindo problemas relacionados à manutenção patológica nos casos de etiologia neuropática. <![CDATA[Reabilitação física no tratamento de dor neuropática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500085&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Neuropathic pain is disabling, decreases quality of life, impairs professional performance, and limits social participation of patients living with excruciating pain. In this context, it is easy to see physical rehabilitation as facilitator of autonomy and mobility. However, therapeutic action goes beyond these actions. With technological advances, new approaches are proposed and it now it is possible to measure the performance of physical methods for pain modulation. CONTENTS: The innovative potential of physical rehabilitation to treat neuropathic pain is discussed. Reflections are made on therapeutic options such as: electrothermotherapy, manual therapy, physical exercise, transcranial stimulation with constant current, repetitive transcranial magnetic stimulation, visual mental exercises and mirror therapy, among others. Therapeutic modalities shall be addressed according to some neuropathic pain conditions, so the authors propose a parallel between specific pathologic mechanism of some neuropathic pain conditions and the neurophysiologic mechanism of the proposed therapeutic modality. CONCLUSION: In spite of different pathological mechanisms and different ways of physical and mental approach with patients, the importance of active participation of patients during the rehabilitation process has to be stressed.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Dores neuropáticas são incapacitantes, reduzem a qualidade de vida, prejudicam a atuação profissional, limitam a participação social dos pacientes que convivem com dores lancinantes. Neste contexto visualiza-se rapidamente a reabilitação física como facilitador de autonomia e mobilidade. Contudo, a ação terapêutica estende-se além destas. Com avanços tecnológicos, novas abordagens são propostas e tornou-se possível mensurar a atuação de métodos físicos na modulação da dor. CONTEÚDO: Discute-se o potencial inovador da reabilitação física no tratamento das dores neuropáticas. Reflexões sobre opções terapêuticas como, por exemplo: eletrotermoterapia, terapia manual, exercício físico, estimulação transcraniana com corrente constante, estimulação magnética transcraniana repetitiva, exercícios mentais visuais, terapia do espelho entre outros. As modalidades terapêuticas serão abordadas de acordo com algumas condições de dor neuropática, desta forma os autores propõem um paralelo entre o mecanismo patológico específico de algumas condições de dor neuropática e o mecanismo neurofisiológico da modalidade terapêutica proposta. CONCLUSÃO: Embora mecanismos patológicos diferentes e várias vias de abordagem física e mental com os pacientes, destaca-se a importância da participação ativa do paciente durante o processo de reabilitação. <![CDATA[Farmacoterapia sistêmica da dor neuropática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500091&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Neuropathic pain involves different etiologies, syndromes, pathophysiologic mechanisms and clinical symptoms, in addition to different treatment modalities. Most commonly used drugs to control neuropathic pain are antidepressants, anticonvulsants and opioids, and even so, they have moderate efficacy, with 50% pain relief in less than one third of patients. This study aimed at developing a guiding protocol for pharmacologic neuropathic pain management and also at introducing other drugs which may also relieve neuropathic pain. CONTENTS: This study has evaluated updated protocols of the Canadian Pain Society, the International Association for the Study of Pain, the European Federation of Neurological Societies and relevant references, being developed an algorithm for systemic drug therapy for neuropathic pain, made up of first line medications (tricyclic antidepressants, gabapentinoids and serotonin and norepinephrine reuptake inhibitors), second line medications (weak and strong opioids) and third line medications (selective serotonin reuptake inhibitors, dopamine and norepinephrine reuptake inhibitors and other anticonvulsants). Other drugs (anti-inflammatory, steroids and baclofen) and venous drug therapy (lidocaine and ketamine) used to control pain were also addressed. Major pharmacological actions, titration, interactions and relevant adverse effects of drugs indicated in the study were highlighted. CONCLUSION: Ideally, initial screening for pain control should be done with single therapy. If needed, other drugs may be combined to reach different pathophysiologic mechanisms and better neuropathic pain control. The algorithm should be a guide for analgesia, treatment should be tailored and, when indicated, combined with topic therapy and other non-pharmacological approaches.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor neuropática envolve etiologias, síndromes, mecanismos fisiopatológicos e sintomas clínicos diversos, assim como seu tratamento. No controle da dor neuropática os fármacos mais utilizados são os antidepressivos, anticonvulsivantes e opioides, e mesmo assim, apresentam eficácia moderada, com 50% do alívio da dor em menos de um terço dos pacientes. O objetivo deste estudo foi elaborar um protocolo orientador do tratamento farmacológico da dor neuropática e apresentar outros fármacos que também podem aliviar a dor neuropática. CONTEÚDO: Este trabalho avaliou os protocolos atualizados da Canadian Pain Society, da International Association for the Study of Pain, da European Federation of Neurological Societies e referências relevantes sendo desenvolvido um algoritmo para a farmacoterapia sistêmica da dor neuropática composto por medicações de primeira linha (antidepressivos tricíclicos, gabapentinoides e inibidores da receptação da serotonina e noradrenalina), fármacos de segunda linha (opioides fracos e fortes) e fármacos de terceira linha (inibidores seletivos da receptação da serotonina, inibidores da recaptação da dopamina e noradrenalina e outros anticonvulsivantes). Outros fármacos (anti-inflamatórios, corticosteróides e baclofeno) e farmacoterapia venosa (lidocaína e cetamina) utilizadas no controle da dor também foram abordados. As principais ações farmacológicas, titulação, interações e efeitos adversos relevantes dos fármacos indicados no estudo foram destacados. CONCLUSÃO: Idealmente, a triagem inicial do controle da dor deve ser com monoterapia. Se necessário, outros fármacos podem ser combinados a fim de atingir diferentes mecanismos fisiopatológicos e melhor controle da dor neuropática. O algoritmo deve ser orientador na condução da analgesia, o tratamento deve ser individualizado e, quando indicado, combinado com terapia tópica e outras abordagens não farmacológicas. <![CDATA[Farmacoterapia tópica da dor neuropática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500095&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: First line drugs indicated to treat neuropathic pain are few and their use may be limited by the presence of side effects, impairing adherence to treatment. This review aimed at evaluating whether available topic analgesics have clinical efficacy and whether they might be used as alternative or adjuvant to treat neuropathic pain. CONTENTS: The topic effect of NSAIDs, tricyclic antidepressants, capsaicin, ketamine, clonidine and local anesthetics to treat neuropathic pain of different etiologies was evaluated. CONCLUSION: Few studies in the literature validate the use of topic analgesics to treat neuropathic pain. On the other hand, topic 5% lidocaine may be safely used with good analgesic effect and tolerability. The clinical efficacy of topic analgesics may be associated to the choice of the vehicle, to agent concentration, to pain location and to the specific disease.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Os fármacos disponíveis e indicados como primeira linha de tratamento da dor neuropática são poucos e o emprego desses agentes pode ser limitado pela presença de efeitos adversos, prejudicando a aderência ao tratamento. O objetivo desta revisão foi avaliar se aos analgésicos tópicos disponíveis para uso apresentam eficácia clinica e se podem ser utilizados como alternativa ou como adjuvante no tratamento da dor neuropática. CONTEÚDO: Foi avaliado o efeito tópico dos anti-inflamatórios não hormonais, os antidepressivos tricíclicos, a capsaicina, a cetamina, a clonidina e os anestésicos locais no tratamento da dor neuropática de diversas etiologias. CONCLUSÃO: Poucos estudos da literatura validam o emprego de analgésicos tópicos no tratamento da dor neuropática. Por outro lado, a lidocaína tópica a 5% pode ser utilizada de forma segura, com bom efeito analgésico e tolerabilidade. A eficácia clinica dos analgésicos tópicos pode estar associada a escolha do veículo, a concentração do agente, o local da dor e a doença específica. <![CDATA[Tratamento invasivo para o controle da dor neuropática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500098&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Distress, allied to neuropathic pain persistence and its refractory nature, often leads patients to accept invasive procedures. Neuropathic pain control is a major medical challenge requiring approaches and decisions especially based on effectiveness, risks and costs. This study aimed at reviewing these aspects related to major invasive procedures. CONTENTS: Major invasive procedures to control neuropathic pain are presented. Initially, classically reversible anesthetic blocks; then invasive neuromodulation techniques using electric current application and the magnetic field generated by it becomes a target to be stimulated, inhibited or modified in the nervous system (central, peripheral or autonomic); and, finally, ablative procedures including anesthetic methods administering neurolytic agents rather than anesthetics and neurosurgeries using different methods to injure the nervous system to control painful neuropathic discomfort. CONCLUSION: Patients eligible to invasive procedures to control neuropathic pain have, in addition to pain itself, a mixed distress including the collection of repeated delusions at every treatment failure. They have reserved prognosis with regard to total cure and, unfortunately, relieve obtained with invasive treatment in general does not reach persistent and high rates. In such adverse situation, these partial results of decreasing original pain intensity may be interpreted as acceptable, provided the impact on final quality of life is positive. Maybe, the rare exceptions are good results obtained with typical idiopathic/cryptogenic neuralgias ironically excluded from the stricter interpretation of the new pathophysiologic classification of neuropathic pains.<hr/>RESUMO JUSTFICATIVA E OBJETIVOS: O sofrimento aliado à persistência e refratariedade da dor neuropática frequentemente leva seu portador a aceitar tratamentos invasivos. O controle da dor neuropática representa um desafio médico importante necessitando adoção de condutas e decisões baseadas, principalmente, em efetividade, riscos e custos. O escopo deste estudo foi a revisão desses aspectos relacionados aos principais procedimentos invasivos CONTEÚDO: São apresentados os principais procedimentos invasivos utilizados para o controle da dor neuropática. Inicialmente, os bloqueios anestésicos, classicamente reversíveis; depois as técnicas de neuromodulação invasiva que utilizam a aplicação de corrente elétrica e o campo magnético por ela gerado em alvos a serem estimulados, inibidos ou modificados, no sistema nervoso (central, periférico ou autônomo); e, finalmente, os procedimentos ablativos que incluem os métodos anestésicos que administram agentes neurolíticos ao invés de anestésicos, e, as neurocirurgias que utilizam métodos diversos de produção de lesões no sistema nervoso para o controle do desconforto doloroso neuropático. CONCLUSÃO: Os pacientes que se apresentam como candidatos a receberem indicações de procedimentos invasivos para controle de dores neuropáticas, possuem além do inerente à própria dor, sofrimento misto, que inclui a coleção de desilusões reiteradas a cada insucesso de tratamento. Possuem prognóstico reservado no que tange a plena cura, e, infelizmente, o alívio obtido com o tratamento invasivo, em geral, não atinge taxas persistentes e elevadas. Nessa situação tão adversa esses resultados parciais de redução da intensidade da dor original possam ser interpretados como aceitáveis desde que o impacto na qualidade de vida final seja positivo. Talvez, as raras exceções, recaiam sobre os bons resultados obtidos com as neuralgias típicas, idiopáticas/criptogenéticas, ironicamente, excluídas da interpretação mais rígida da nova classificação fisiopatológica das dores neuropáticas. <![CDATA[Adesão ao tratamento da dor neuropática]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500107&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: In recent decades the concept of adherence is evolving from one-dimensional approach, limited to following a medication regimen, to the understanding of factors involved in the success or failure of a treatment. In particular, neuropathic pain is characterized by treatment failure associated with high costs. In a recent literature review, non compliance rate with prescriptions for chronic pain ranged from 8 to 62%, and especially for neuropathic pain, the rate was 18%. The objective of this study was to investigate in Pubmed/Medline and Scielo databases publications regarding adherence to neuropathic pain treatment in the last ten years. CONTENTS: Descriptors used were: adherence, pain, neuropathic pain and compliance pain. It can be seen that in most studies (46 articles found in Pubmed and 49 in Scielo) adherence was examined with emphasis on adverse effects or efficacy associated with the use of drugs, or comparing the effects of two medications. Furthermore, 17 articles at Pubmed and 13 articles at Scielo focused on compliance of professionals with guidelines proposed by guideline entities. CONCLUSION: There are a few publications on adherence to neuropathic pain treatment. In general, most researches in this area deal with the effectiveness of medications. Few studies investigate the participation of psychosocial aspects in the adherence process. Given these findings we concluded that it is necessary to produce more knowledge related to this topic, expanding the understanding of this phenomenon considering biopsychosocial aspects.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Nas últimas décadas o conceito de adesão vem evoluindo do enfoque unidimensional, limitado a seguimento de um regime farmacológico para a compreensão dos fatores envolvidos no sucesso ou fracasso de um tratamento. Particularmente, a dor neuropática é caracterizada pela falha no tratamento associado a elevados custos. Em recente revisão da literatura, a taxa de não adesão às prescrições para dor crônica variou de 8 a 62%, particularmente na dor neuropática a taxa foi de 18%. O objetivo deste estudo foi investigar nas bases de dados Pubmed/Medline e Scielo as publicações referentes à adesão ao tratamento da dor neuropática nos últimos 10 anos. CONTEÚDO: Os descritores utilizados foram: "adherence", "pain", "neuropathic pain" e "compliance pain". Pode se constatar que a maioria das pesquisas (46 artigos encontrados no Pubmed e 49 no Scielo) examinou a adesão com ênfase no efeito adverso ou eficácia associada ao uso de fármacos, ou comparando os efeitos de dois fármacos. Além disto, foram encontrados 17 artigos no Pubmed e 13 artigos do Scielo, que apresentaram como foco de pesquisa á adesão dos profissionais as diretrizes propostas por entidades "guidelines". CONCLUSÃO: Existe um número reduzido de publicações sobre adesão ao tratamento da dor neuropática. Em geral a maior parte das pesquisas nesta área aborda a eficácia dos fármacos. Poucos artigos investigam a participação dos aspectos psicossociais no processo de adesão. Diante destes resultados concluiu-se que é necessário produzir mais conhecimento sobre este tema, ampliando a compreensão deste fenômeno considerando os aspectos biopsicossociais. <![CDATA[Peculiaridades da dor neuropática na criança]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000500110&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: In spite of its importance, neuropathic pain is underestimated and undertreated in childhood. Although many conditions causing neuropathic pain in adults are uncommon during childhood, most therapeutic strategies effective for adults were extrapolated for the pediatric population. This study aimed at bringing to light peculiarities of neuropathic pain in children, which shall contribute for its better recognition in childhood and adolescence. CONTENTS: Pubmed, Scielo and Lilacs databases were queried to identify studies and literature reviews on neuropathic pain during childhood and adolescence. CONCLUSION: Neuropathic pain treatment in childhood and adolescence should be multimodal, including pharmacological treatment, rehabilitation and psychological support. Rehabilitation, physiotherapy, occupational therapy and integrative therapies should be part of the integral treatment in childhood and adolescence and vary in a case-by-case basis.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Apesar de sua importância a dor neuropática é subestimada e subtratada na infância. Embora muitas das condições que causem dor neuropática no adulto sejam raras na infância; grande parte das estratégias terapêuticas que demonstraram ser eficazes em adultos foi extrapolada para uso na população pediátrica. O objetivo deste artigo foi trazer à luz peculiaridades da dor neuropática na criança, o que contribuirá para seu melhor reconhecimento na infância e adolescência. CONTEÚDO: Foram realizadas buscas nos bancos de dados Pubmed, Scielo e Lilacs, identificando-se estudos e revisões da literatura sobre dor neuropática na infância e adolescência. CONCLUSÃO: O tratamento da dor neuropática na infância e adolescência deve ser multimodal, incluindo tratamento farmacológico, reabilitação e suporte psicológico. Reabilitação, fisioterapia, terapia ocupacional e terapias integrativas devem fazer parte do tratamento integral na infância e adolescência, e variam conforme as necessidades em cada caso.