Scielo RSS <![CDATA[BBR. Brazilian Business Review]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1808-238620200002&lang=pt vol. 17 num. 2 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Debêntures, Proteção dos Credores e Alocação de Ativos por Fundos Multimercados]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-23862020000200132&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract This paper aims to create a bondholders’ protection index (BPI) and to investigate what the influence of this index would be on multimarket funds’ allocation in corporate bonds. Understanding this relation is relevant because only about 1.36% of multimarket funds’ portfolios correspond to debentures. This study advances the literature by covering a topic little discussed in a Brazilian context, proposing the creation of a BPI, which would be related to the number of automatic maturity clauses, which guarantee immediate payment to bondholders in cases of the rupture of a contract. This research comprised 926 debentures series issued in Brazil from 2009 to 2017, and 1,753 multimarket funds, which allocated some portfolios’ percentage in these securities. In creating the BPI, we contemplated 15 restrictive clauses, which the most common correspond to negligent business performance, liquidation, dissolution and bankruptcy, and restrictions related to company structure. Moreover, we examined less common restrictive clauses as well, including indebtedness policy, shares issuance and amortization, and ratings downgrading. Regarding data analysis, we employed multiple linear regression models, with pooled estimators, applying the standard error correction by White’s robust matrix (1980). The main results suggest that BPI positively effects multimarket funds’ allocation in debentures. Furthermore, this influence is more intense in indentures with higher number of clauses with automatic maturity. Thus, this study contributes to literature about restrictive clauses, since it demonstrates that debentures’ flexible and adaptable structure seems to be interesting for the main bondholders in Brazil.<hr/>Resumo Este estudo tem como objetivo criar um índice de proteção dos credores (IPCr) e investigar qual a influência desse índice no interesse dos fundos multimercados pela aquisição de debêntures. É relevante compreender o que influencia os fundos multimercados a adquirir debêntures, pois somente cerca de 1,36% dos portfólios dos fundos investigados é alocado nesses títulos de dívida. Desse modo, entende-se que esta pesquisa avança a literatura não só por abranger um tema pouco investigado na realidade brasileira, mas também por propor a criação de um índice e realizar a sua interação com o número de cláusulas de “vencimento automático”, a qual garante o imediato pagamento aos credores em situações de violação do contrato. A pesquisa envolveu 926 séries de debêntures, emitidas no Brasil de 2009 a 2017, e 1.753 fundos multimercados, que alocaram algum percentual das carteiras nesses títulos. O IPCr contemplou 15 cláusulas restritivas, sendo as mais comuns correspondentes à atuação negligente das empresas, à liquidação, dissolução e falência, e às restrições quanto à mudança da estrutura da empresa. Já as menos comuns compreendem a política de endividamento, de emissão e amortização de ações, e rebaixamento do rating. A respeito da análise dos dados, foram utilizados modelos de regressão linear múltipla, com dados agrupados e correção dos erros padrão pela matriz robusta de White (1980). Os resultados sugerem evidências de que o IPCr afeta positivamente as porcentagens investidas pelos fundos multimercados em debêntures. O efeito do IPCr nas porcentagens investidas pelos fundos é maior para escrituras que possuem elevado número de cláusulas com vencimento automático. A identificação desse efeito representa uma contribuição aos trabalhos sobre as cláusulas restritivas, por demonstrarem que a estrutura flexível e adaptável das debêntures parece atrair o interesse dos principais credores desses títulos no Brasil. <![CDATA[Orientação Internacional ou Nacional: Um Estudo Comparativo dos Franqueadores Mexicanos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-23862020000200151&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Despite the importance of the franchise system in Latin American countries, few academic studies address the issue of internationalization. To contribute to filling this knowledge gap, this study evaluates the factors that differentiate Mexican franchisor with international orientation from those that only operate in the domestic market. This research was carried out on a sample of 249 franchises operating in the Mexican market in 2016. The research hypotheses are supported in the theoretical approaches of the Agency Theory and the Resource-based Theory. The results reveal that theexperience, the size, the monitoring capacity, and the franchise fee significantly predict the adoption of internationalization.<hr/>Resumo Apesar da importância do sistema de franquias nos países latino-americanos, poucos estudos acadêmicos abordam a questão da internacionalização. Para contribuir com essa lacuna de conhecimento, este estudo avalia os fatores que diferenciam o franqueador mexicano com a orientação internacional daqueles que atuam apenas no mercado nacional. Este trabalho foi realizado em uma amostra de 249 franquias em operação no mercado mexicano em 2016. As hipóteses de pesquisa são apoiadas nas abordagens teóricas da Teoria da Agência e da Teoria Baseada em Recursos. Os resultados revelam que a experiência, o tamanho, a capacidade de monitoramento e a taxa de franquia preveem significativamente a adoção da internacionalização. <![CDATA[Orientação Empreendedora na Captação de Recursos Internacionais das Organizações da Sociedade Civil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-23862020000200169&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract This article examines how certain Civil Society Organizations (CSOs) from Emerging Economies (EE) are able to raise funds from International Development Agencies (IDAs) while others are not successful in this endeavor. Following a multiple case study involving six Brazilian CSOs, our results suggest that one of the factors that explain the success of CSOs in international fundraising is Entrepreneurial Orientation (EO), which allows some of them to develop innovative approaches aligned with the guidelines of international development agencies. These results contribute to the expansion of the theoretical domain in which the EO construct is important for international fundraising, a field that has been explored little in the literature. From a practical viewpoint, the study suggests that CSOs that wish to raise funds from IDAs should promote EO internally.<hr/>Resumo Este artigo analisa como certas organizações da sociedade civil, Civil Society Organizations (CSOs, sigla em inglês) de economias emergentes (EE), conseguem captar recursos financeiros de Agências Internacionais de Desenvolvimento, International Development Agencies (IDAs, sigla em inglês) enquanto outras CSOs não são bem-sucedidas nessa tentativa. Por meio de um estudo de caso múltiplo, com seis CSOs brasileiras, nossos resultados sugerem que um fator que explica o desempenho favorável das CSOs na captação de recursos internacionais é a Orientação Empreendedora, Entrepreneurial Orientation (EO, sigla em inglês), a qual permite a algumas desenvolver iniciativas e abordagens inovadoras, alinhadas às orientações contemporâneas das agências de fomento. Esses resultados contribuem para a expansão do domínio teórico no qual o construto de EO mostra relevância, que passa a incluir captação de recursos internacionais de CSOs, campo em que ele tem sido pouco explorado. Do ponto de vista prático, o estudo sugere que CSOs, interessadas em captar fundos de IDAs, devem promover a EO internamente. <![CDATA[O/A Profissional: As Interfaces de Gênero, Carreira e Expatriação na Construção de Trajetórias de Mulheres Expatriadas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-23862020000200192&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract While the organizational world has been experiencing the phenomenon of expatriation, the availability of mobile and international careers stand out. The differences in the expatriate experience are gendered, and few studies focus primarily on the experiences of women. This research aims to analyze the construction of the career trajectories of 19 Brazilian expatriate women, using as conceptual bases the interfaces of gender, career, and expatriation. The experiences of the participants come near to each other but compose unique trajectories, including in their personal life and professional field. The study highlights a way of being and acting in the work environment, understood as "the" model of a professional woman expatriate, who intercalates elements perceived as masculine and/or feminine. The construction of this trajectory is anchored by elements that build and influence it: personal characteristics, support and family influence, affective relationships, motherhood, professional plans and organizations in which they work, and countries of destination. With the results, possible paths are envisioned for other women seeking this experience, considering the foregrounded implications shown by this study.<hr/>Resumo Ao passo que o mundo organizacional vem vivenciando o fenômeno da expatriação, destacam-se a disponibilidade para mobilidade e as carreiras internacionais. Experiências em contexto de expatriação diferenciam-se com base no sexo, entretanto poucos estudos abordam as particularidades das mulheres. Esta pesquisa objetivou analisar a construção das trajetórias de carreira de 19 mulheres brasileiras expatriadas, utilizando como bases conceituais as interfaces de gênero, carreira e expatriação. As vivências das participantes aproximam-se, mas compõem trajetórias singulares, incluindo campo pessoal e profissional. Destacou-se um modo de ser e portar-se no ambiente de trabalho, compreendido como o/a profissional mulher expatriada, que intercala elementos percebidos como masculinos e/ou femininos. A construção dessa trajetória foi ancorada por elementos que a edificam e a influenciam: características pessoais, apoio e influência familiar; relacionamentos afetivos e maternidade; planos profissionais e organizações em que trabalham; e países de destino. Com os resultados, vislumbram-se caminhos possíveis para outras mulheres que buscam essa experiência, levando em conta as implicações advindas. <![CDATA[Efeitos do Sistema de Controle Gerencial no <em>Empowerment</em> e na Resiliência Organizacional]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-23862020000200211&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt ABSTRACT The aim of this study is to examine the effects of the enabling perception of the Managerial Control System (MCS) on psychological empowerment and organizational resilience. A survey was conducted with 161 managers of Brazilian companies that had undergone the process of acquiring another company and a structural model was developed to answer the hypotheses of the research. The results show that the enabling perception of MCS is associated with psychological empowerment and capacity for organizational resilience, which indicates that the characteristics of the MCS affect managers’ motivation regarding their work environment and contribute to companies dealing effectively with adversities and contingencies. MCSs help organizations in the process of absorbing changes and regaining balance after some temporary disruption, as in the case of acquiring other companies. It is concluded that enabling MCSs favors the empowerment of managers and supports companies in dealing more effectively with the turbulence to which they are exposed.<hr/>RESUMO O estudo objetiva examinar os efeitos da percepção habilitante do Sistema de Controle Gerencial (SCG) no empowerment psicológico e na resiliência organizacional. Uma survey foi realizada com 161 gestores de empresas brasileiras que passaram por processos de aquisições de empresas e um modelo estrutural foi desenvolvido para responder às hipóteses da pesquisa. Os resultados mostram que a percepção habilitante do SCG está associada com o empowerment psicológico e com a capacidade de resiliência organizacional, e isso denota que as características do SCG afetam a motivação dos gestores em relação ao seu ambiente de trabalho e contribuem para as empresas lidarem com adversidades e contingências. Os SCG auxiliam as organizações no processo de absorver mudanças e retornar ao equilíbrio após alguma perturbação temporária, no caso de aquisições de empresas. Conclui-se que os SCG habilitantes favorecem o empoderamento dos gestores e apoiam as empresas para lidarem de forma mais eficaz com as turbulências a que estão expostas. <![CDATA[Impacto de crises sobre investimentos e financiamentos de companhias brasileiras: abordagem no contexto de restrições financeiras]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-23862020000200233&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract The purpose of this paper is to investigate the impacts of financial crises on investments and financing of constrained and unconstrained Brazilian firms, specifically analyzing the impact of the 2008 subprime crisis and the 2015 Brazilian economic crisis. For this purpose, the companies were classified as constrained or non-constrained by the criterion of the existence or non-existence of ratings, using quarterly data between Q1 2007 and Q3 2016, and adopting the panel analysis as the method. The results indicate that only the Brazilian crisis of 2015 had a negative impact on corporate investments, with this impact being greater on constrained firms, with evidence that cash was more relevant to these firms. Regarding the impact of crises on leverage, the 2008 subprime crisis showed a greater negative impact on the leverage of constrained firms, accompanied by an increase in the proportion of short-term debt, mainly to these companies.<hr/>Resumo O objetivo deste artigo é investigar os impactos de crises financeiras sobre investimentos e financiamentos de empresas brasileiras restritas e não restritas, analisando especificamente o impacto da crise do subprime de 2008 e a crise brasileira de 2015. Para isso, as empresas foram classificadas em restritas e não restritas pelo critério de existência ou não de rating, utilizando dados trimestrais entre o primeiro trimestre de 2007 e o terceiro trimestre de 2016, adotando como método a análise de dados em painel. Os resultados indicam que somente a crise brasileira de 2015 impactou, negativamente, os investimentos das empresas, sendo esse impacto maior sobre empresas restritas, havendo indícios de que caixa foi mais relevante para essas empresas. Em relação ao impacto de crises sobre a alavancagem, a crise do subprime de 2008 mostrou impacto maior, negativamente, sobre a alavancagem de empresas restritas, acompanhado de um aumento na proporção das dívidas de curto prazo principalmente para essas empresas.