Scielo RSS <![CDATA[Vibrant: Virtual Brazilian Anthropology]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1809-434120180001&lang=pt vol. 15 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[O pessoal é politico: performances emocionais e mobilizações políticas entre mulheres bangladechianas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-43412018000100200&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract This paper analyses the role of emotions in women’s political mobilizations in Bangladesh. Reflecting on how the political platform Gonojagoron Moncho updates discourse on Bengali nationalism and the traumas of Liberation War, I focus on the non-verbal aspects of the emotional performances of female activists in order to understand how they use their bodies to mobilise people politically. Their embodied challenge to religious and cultural restrictions on their behaviours - both on and offline - points to the importance of their performances for acquiring more powerful positions in the group and society. This research was developed through the combination of different qualitative methods, particularly participant observation and photographic documentation.<hr/>Resumo Este artigo analisa o papel das emoções em mobilizações políticas de mulheres em Bangladesh. Partindo da reflexão sobre como a plataforma política Gonojagoron Moncho atualiza o discurso nacionalista Bengali e o drama do trauma da Guerra de Libertação do país, eu foco em aspectos não-verbais das performances emocionais de suas ativistas para compreender como as mulheres utilizam seus corpos para mobilizar pessoas politicamente. A forma corporificada como desafiam as diversas restrições religiosas e culturais impostas ao comportamento feminino - no mundo online e offline - apontam para a importância de suas performances na conquista de posições mais poderosas no grupo e na sociedade. Esta pesquisa foi desenvolvida através da combinação de diferentes métodos qualitativos, mas especialmente da observação participante e da documentação fotográfica. <![CDATA[Trocando por meio da diferença]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-43412018000100201&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract This article presents and discusses different sorts of economic exchange between nut gatherers from the São Francisco do Iratapuru community, in Brazilian Amazonia, and Brazil’s largest cosmetics company, Natura. Based on fieldwork conducted both at Natura and in the Amazonian community, the ethnography reveals that this encounter makes visible different logics of thought and action, which indicate what has value in the relational sphere of nut gatherers and businessmen. The paper argues in favour of the possibility of communication and exchange through specific conversions, despite their different conventions. Exchange takes place precisely in the domain of difference: in other words, where one sees nuts - in the form of debts and commodities - others see cosmetics - in the form of profitable products. The model, made visible by ethnography, is compared to the anthropological literature dealing with the distinction between gifts and commodities, offering an alternative analytical bifurcation.<hr/>Resumo Este artigo apresenta e discute diferentes tipos de trocas econômicas entre castanheiros habitantes da Comunidade São Francisco do Iratapuru, na Amazônia brasileira e a maior indústria de cosméticos do Brasil, Natura S/A. A descrição, baseada em trabalho de campo tanto na empresa de cosméticos quanto na comunidade amazônica, sustenta que este encontro torna visíveis diferentes lógicas de pensamento e de ação, as quais indicam aquilo que possui valor na órbita relacional de castanheiros e empresários. O artigo argumenta em favor da possibilidade de comunicação e intercâmbio por meio de conversões específicas não obstante suas distintas convenções. É precisamente na diferença onde a troca se realiza: onde uns vêem castanhas - na forma de dívidas e mercadorias -, outros vêem cosméticos - na forma de produtos lucrativos. O modelo tornado visível pela etnografia é cotejado à literatura antropológica interessada na distinção entre dádivas e mercadorias, oferecendo uma bifurcação analítica alternativa. <![CDATA[A cidade como mobilidade: uma contribuição do <em>saraus</em> para a teoria urbana]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-43412018000100400&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract The article analyzes saraus movement - poetry readings in São Paulo’s periphery - as a cultural phenomenon that over recent years has transformed the city space into a vibrant socio-political project. The movement offers important insights for an anthropology of cities by highlighting the materiality of mobility and spatiality, understood here as a set of social and cultural practices that involve the existential knowledge, social networking, and local community empowerment gained from mobility between predominantly peripheral neighborhoods and urban labor centers. We examine how saraus contribute to the construction of a new imaginary of the city and public space occupied by the socially excluded and racialized peripheries. We provide an analytical and empirical contribution to city production and urban theory, and demonstrate that mobility and the encounter are not simply temporary extraneous interactions, but rather experiences constitutive of social knowledge.<hr/>Resumo O texto analisa o movimento dos saraus das periferias paulistanas como fenômeno cultural que, em anos recentes, vem transformando o espaço urbano em um vibrante projeto sócio-político. O movimento oferece insights importantes para pensar uma antropologia das cidades na medida em que possibilita evidenciar a materialidade da mobilidade e da espacialidade, entendida, aqui, enquanto conjunto de práticas sociais e culturais que envolve conhecimento existencial, formação de redes e empoderamento comunitário adquiridos mediante a mobilidade urbana. De modo geral, buscamos examinar de que forma os saraus podem contribuir para a construção de um novo imaginário da cidade e do espaço público ocupado pelas periferias socialmente excluídas e racializadas. O argumento central do artigo sugere uma contribuição analítica e empírica para a teoria social urbana e para os processos de produção da cidade, demonstrando que a mobilidade e o encontro não são apenas interações temporâneas e alheias, mas sim experiências constitutivas do próprio conhecimento social.