Scielo RSS <![CDATA[Vibrant: Virtual Brazilian Anthropology]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1809-434120170003&lang=pt vol. 14 num. 3 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[SERIA A SELEÇÃO NATURAL UMA QUIMERA? REFLEXÕES SOBRE A “SOBREVIVÊNCIA” DE UM PRINCÍPIO]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-43412017000300200&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract My objective is to discuss the persistence of the notion of natural selection in the biological sciences, exploring the fact that: (1) this notion, just like the term culture in anthropology, is historically an inaugural concept in its particular scientific field, and, insofar as both possess a value of heuristic delimitation, both thus came to be considered as explanatory concepts, although today they may be more widely accepted as descriptive in kind; (2) this persistence seems to be equally linked to the fact that the term combines randomness and teleology, but without foregrounding the inherent contradiction; (3) the anthropomorphic metaphors generally used in the description of biological processes, by attributing intentionality to beings lacking in self-determination, presume the existence of a nature defined by processes oriented towards precise ends, endorsing the finalism that, I believe, underlies the idea of natural selection; (4) and, finally, I think that ‘culture’ and ‘natural selection’ correspond to disciplinary labels - for social anthropology and biology respectively - that arose in Victorian Britain, as defined by the Great Divide, but they no longer have explanatory power.<hr/>Resumo Meu objetivo é discutir a permanência do conceito de seleção natural nas ciências biológicas considerando que: (1) este, bem como o termo ‘cultura’, sendo conceitos historicamente inaugurais em seus respectivos campos científicos, e tendo assim valor de delimitação heurística, passam a ser considerados como conceitos explicativos, embora atualmente possam ser mais aceitos como conceitos descritivos; (2) a permanência parece estar ligada igualmente ao fato de o conceito conjugar aleatoriedade e teleologia, sem que seja ressaltada a inerente contradição; (3) considero que as metáforas antropomorfizadoras, usuais na descrição de processos biológicos, ao emprestarem intencionalidade a seres desprovidos de autodeterminação, pressupõem a existência de uma natureza de processos que se orientam para finalidades precisas, endossando o finalismo que acredito estar subjacente ao conceito de seleção natural; (4) e, finalmente, avento que ‘cultura’ e ‘seleção natural’ correspondam antes a seus epítetos disciplinares - antropologia social e biologia - surgidos na Grã-Bretanha vitoriana, conforme limites estabelecidos pelo grande divisor, do que propriamente revelem poder explanatório. <![CDATA[DESEJO SEXUAL, TESTOSTERONA E INTERVENÇÕES BIOMÉDICAS: ADMINISTRANDO A SEXUALIDADE FEMININA EM “DOSES ÉTICAS”]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-43412017000300201&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract In recent medical events and articles the hormone testosterone has emerged as a resource for treating problems related to female sexuality. This hormone is commonly defined as the “male hormone” and presented as the “hormone of desire”. This observation led to investigate if and how the use of testosterone is found in the realm of doctors’ offices and if it is being applied as a therapeutic resource for women. This article analyzes what types of approaches and treatments have been used by doctors in a large Brazilian city. The methodology involved sought out medical professionals indicated for their specialization in treating female “sexual problems”. Considering the statements of the professionals interviewed, sexual desire is defined emphatically as the presence or absence of a greater or lesser amount of testosterone. This standard is associated to gender differences that are expressed primarily in terms of biology.<hr/>Resumo Em eventos e artigos médicos recentes, nota-se o surgimento do hormônio testosterona como recurso para o tratamento de problemas relacionados à sexualidade feminina. Este hormônio é comumente definido como o "hormônio masculino" e apresentado como o "hormônio do desejo". Esta observação levou a investigar se, e como, o uso de testosterona aparece no domínio dos consultórios médicos e se está sendo aplicado como um recurso terapêutico para as mulheres. Este artigo analisa quais tipos de abordagens e tratamentos têm sido utilizados por médicos/as em uma grande cidade brasileira. A metodologia envolveu a busca por profissionais médicos/as que foram indicados/as por sua especialização no tratamento de "problemas sexuais" femininos. Considerando as declarações dos/as profissionais entrevistados/as, o desejo sexual é definido enfaticamente pela presença ou ausência de uma quantidade maior ou menor de testosterona. Este padrão está associado a diferenças de gênero que se expressam principalmente em termos de biologia. <![CDATA[ANTROPOLOGIA BIOLÓGICA NO BRASIL: ESBOÇO PARA UM RETRATO]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-43412017000300202&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract The article reports the findings of a wide-ranging investigative study, designed to produce a ‘snapshot’ of Brazilian Biological Anthropology based on quantitative, qualitative, historical-documentary and bibliographic data. It includes excerpts from a series of interviews given by four Brazilian researchers who identify their area of work as Biological Anthropology, interspersed with other sources of information. These excerpts are organized into the following topics: (a) the peripheral status of Biological Anthropology within the wider field of anthropology in Brazil; (b) the relations between institutional affiliation and professional activity; and (c) the visibility of the area within the country and abroad. The aim is to provide a contribution, albeit preliminary, to a survey of the studies and discussions concerning the biological dimension of Anthropology in Brazil, in all its different aspects, especially the contemporary situation.<hr/>Resumo O artigo traz a lume informações recolhidas a partir de um amplo estudo investigativo, o qual procurou delinear uma espécie de “instantâneo” da Antropologia Biológica brasileira a partir de dados quantitativos, qualitativos, histórico-documentais e bibliográficos. Nele estão dispostos excertos extraídos de uma série de quatro depoimentos concedidos por pesquisadores brasileiros, os quais consideram-se atuantes na área de Bioantropologia, entremeados por informações de outra natureza. Esses excertos encontram-se organizados em tópicos a saber: (a) o lugar periférico ocupado pela Bioantropologia no campo antropológico nacional; (b) as relações entre filiação institucional e exercício profissional; (c) a visibilidade da área dentro e fora do país. Espera-se, com isso, uma contribuição, ainda que inicial, para uma retomada dos estudos e discussões devotados à contraparte biológica da Antropologia no Brasil, nos seus mais diferentes aspectos, especialmente na contemporaneidade.